Depoimentos/Escreva aqui o seu

Coloquei logo abaixo meu depoimento. Em seguida, vocês poderão ler os depoimentos dos meus colegas que participaram do grupo do CPN (Centro Paulista de Neuropsicologia) onde surgiu a idéia deste Blog (leia em “Sobre o Blog”).

Coloque aqui também sua história e/ou dúvidas, pois assim poderemos trocar experiências e informações, além de ajudar outras pessoas.

Muito Obrigada.

MEU DEPOIMENTO

Meu nome é Fernanda, tenho 35 anos (2012). Gostaria de dividir minha história com vocês. Sei que muitos passaram por isso, e saber que você não está sozinho pode ajudar muito.

O ACIDENTE

Dia 28 de janeiro de 2007, com 29 anos (2 meses antes de fazer 30) sofri um grave acidente automobilístico. Meu marido e minha irmã do meio faleceram na hora. Somente eu sobrevivi, porém fiquei entre a vida e a morte por mais de 15 dias.

Fiquei em coma por vários dias, ao todo um mês no hospital, sendo mais ou menos 22 dias na UTI. Quando acordei do coma, não me lembrava de nada e nem imaginava porque eu estava ali naquela cama… Meus pais me contaram que sofri um acidente de carro voltando da formatura da minha irmã caçula. Eles me disseram que minha irmã e meu marido tinham se machucado pouco, estavam em outro hospital e não tinha como eu falar com eles porque ali não tinha sinal para falar no celular… Isso era também o que todos que iam me ver dizim, pois esta foi a ordem médica e psicológica dos profissionais do Hospital das Clínicas e  graças à esta mentira, me esforcei tudo que eu podia pra sobreviver durante todos os minutos horríveis que passei naquela UTI.  Eu só soube da verdade quando tive alta do hospital, após um mês, e  aí meu mundo desabou. Como me machuquei muito, quebrei 11 costelas do lado esquerdo, tirei o baço, tive contusão pulmonar com hemotórax à esquerda, pneumotórax à direita, grave traumatismo craniano (lesão axonal difusa), lesei o ombro, tive fratura estável de quadril,  etc., fui pra casa dos meus pais (em outro estado) para me recuperar.

OS PROBLEMAS QUE APARECERAM

Em casa, mesmo com muita medicação, sentia dores terríveis por todo o corpo, não conseguia dormir nem comer bem, só chorava… Como meus pais tinham perdido a filha e o genro e eu ainda com dores insuportáveis, usando fraldas, muito dependente pra tudo, as minhas dificuldades cognitivas (atenção, memória, leitura, etc.) não foram percebidas por mim nem por minha família. Depois de alguns meses, algumas amigas fonoaudiólogas me visitaram e me alertaram com relação à atenção e memória, pois eu repetia as conversas. Depois de negar isso por um tempo, decidi ir pra S.P. fazer uma avaliação fonoaudiológica e foi quando fiquei muito assustada ao perceber o quanto estava difícil e às vezes impossível fazer coisas que antes pra mim eram bem simples.

O QUE ME AJUDOU

A caminhada pra minha recuperação foi árdua, longa e precisou da ajuda não só dos profissionais, mas apoio intenso de toda minha família e amigos. Durante os primeiros meses, por 24 horas, além da ajuda de uma boa enfermeira (no início), eu tive ajuda dos meus pais, da minha irmã e da minha tia, pra comer, tomar banho, sentar, levantar, limpar curativos, trocar fraldas, etc. Sem ajuda deles não conseguiria uma boa recuperação. Minha família foi  e é TUDO!

Além da intensa fisioterapia pulmonar e exercícios para voltar a andar e movimentar o braço esquerdo que eu já fazia desde a saída do hospital, iniciei em outubro de 2007 reabilitação fonoaudiológica e neuropsicológica, além de acompanhamento psicológico, entre outros. Desde o início usei anti-depressivos  que ajudaram a regularizar  melhor meu sono, humor, apetite, etc. Com muita ajuda da minha família, amigos e profissionais, tive grandes  e notáveis melhoras, sempre muito comemoradas por todos ao meu redor.

Acho que um ponto positivo pra minha reabilitação foi e ainda é ter tido sempre muita noção das minhas limitações e ter decidido encontrar maneiras de enfrentá-las e não só reclamar de todas elas. A minha terapia psicológica e os medicamentos também foram fundamentais, além, é claro, do apoio de toda minha família e muitos amigos.

O QUE APRENDI E COMO ESTOU…

Aprendi a me organizar e a me planejar (coisas que antes para mim eram naturais) usando uma estratégia aprendida no CPN que é usar uma agenda semanal. Sem a minha agenda, tudo fica muito difícil. Para melhorar a leitura, me esforço pra ler legenda, o que é dificil, pois perco muita informação. Como eu me canso muito facilmente, quando percebo que não consigo “render” mais nada durante o dia ou que estou mais nervosa ou mal-humorada pelo grande cansaço, deito e durmo um pouco pra depois terminar aquele dia.  Ainda permaneço com dificuldade principalmente de atenção, concentração e memória. Não tenho raciocínio rápido, leio com um pouco de lentidão, além de trocar algumas letras e números, mesmo lendo várias vezes. Meu raciocínio parece entrecortado…Fiquei também com grande labilidade de humor e alteração de sono, os quais “regulo” com uso de medicamentos. Me sinto extremamente cansada com qualquer atividade que exija mais atenção e concentração. Mas, tive uma recuperação extraordinária. Voltei a ter capacidade pulmonar normal, voltei a andar e correr normalmente, o que não era esperado pelos médicos que disseram que eu iria no máximo arrastar a perna esquerda pra andar… Passei a me lembrar de muitas coisas, minha noção de tempo e noção espacial ainda não são muito boas, mas melhoraram consideravelmente. Hj leio e escrevo com muito mais facilidade que nos primeiros anos…. Enfim, acredito muito na boa recuperação após um grave TCE e este é o maior motivo deste Blog.

Hoje estou casada novamente com uma pessoa que me faz feliz e também me ajuda muito a enfrentar as dificuldades, me dando apoio para que eu tenha uma rotina onde eu não me sinta tão excluída de uma vida que considero normal e comum pra uma pessoa da minha idade.

O QUE EU GOSTARIA QUE AS PESSOAS ENTENDESSEM

Com o grupo do CPN principalmente, ao conviver com várias pessoas e várias histórias de vida, aprendi muitas coisas e por isso falo que o que eu mais gostaria que as pessoas entendessem é que não é fácil “PERDER A SI PRÓPRIO” como acontece com quem sofre uma lesão importante no cérebro. É diferente a pessoa que não consegue fazer algo da pessoa que sempre conseguiu e não consegue mais…. Ela tem algo com o que se comparar e se comparar a si mesmo e não conseguir realizar coisas que antes era natural e fácil, não é nada simples…Há grandes perdas nisso que envolve a VIDA da pessoa e muitas vezes até da família, interfere na rotina, nos sonhos, nas realizações, na auto-estima, etc.

Também seria bom que as pessoas entendessem que muitas vezes, algumas reações nossas, não muito “aceitas” pelos outros, fogem do nosso controle muito mais que antes…A compreensão e o não julgamento sempre ajudam.

____________________________________________________________________________

DEPOIMENTOS DOS COLEGAS DO GRUPO

De: Alex Covino Pinto

Há nove anos e alguns meses, sofri um acidente de carro e acabei por sofrer um TCE (traumatismo craniano encefálico) que me comprometeu a fala, os membros do lado direito (braço e perna) e alguns aspectos cognitivos que me tornavam inadequado. Por ter ficado em coma por 2 meses e meio e ter precisado de terapias para voltar a andar, falar, etc. perdi um ano de escola e acabei tendo que me acostumar com outra turma. Tive também que me mudar de Guarulhos, onde morei desde bem pequeno e fiz meus primeiros e grandes amigos, para São Paulo, onde passei a viver uma vida um tanto quanto diferente da que estava acostumado. Com o tempo fui me recuperando, porém durante essa recuperação tive muitas dificuldades relacionadas às mudanças na minha vida, tanto no que se relaciona a onde passei a viver quanto no que se relaciona à minhas dificuldades físicas e de relacionamento. Passei a morar com a minha avó, tudo bem que já estivesse acostumado com a casa dela, afinal, antes do acidente ia visitá-la todos os fins de semana e dormia lá, mas… é diferente.

_____________________________________________________________________________________

Gustavo Covino

Sou Gustavo, o irmão mais velho do Alex (depoimento acima). Estava com ele no carro quando sofremos o acidente, no entanto, minha lesão foi um pouco mais grave que a dele, apesar de os dois terem tido TCE, pois, além de ter passado um mês a mais que meu irmão em coma, fiquei com a fala muito mais comprometida e meu braço direito hemiplégico (semi paralisado)
O Alex acordou um mês antes de mim e foi para casa, e eu fui depois de três meses de coma após acordar.
Mesmo durante o coma meus responsáveis (tinha 14 anos na época) estimulavam meu cérebro ao máximo possível com fisioterapia, música no rádio, acunpuntura, cromoterapia, etc…
Então eu acordei e ao acordar os médicos disseram que não era recomendado que eu ficasse no hospital, por se tratar de um ambiente com risco de infecção, etc..
Quando fui pra casa, fui com homecare, e meu cérebro era estimulado à exaustão.
Me matriculei na escola para terminar a oitava série e o colegial também.
Quando acabei o colegial, arrumei emprego em uma metalúrgica, para trabalhar no escritório, no entanto, não conseguia fazer todas as atividades que eles me passavam, e no segundo ano trabalhando, resolvi que ia fazer faculdade, à noite.
No entanto não conseguia dormir direito, mesmo após tanto tempo de estímulos e eu estando exausto, porém eu achava que não dormir era normal, e fui tocando a vida.
Passei 8 anos fazendo das coisas mais diversas que se possa imaginar, passando por natação, musculação, acunpuntura, reorganização neurofuncional, biofeedback, neurobiofeedback e estudando, e posteriormente trabalhando, sempre.
No nono ano de lesão, estava estudando e trabalhando e comecei a ter alucinações, que diziam para mim que eu era Deus e tinha que salvar o mundo de uma Guerra nuclear. Fui piorando progressivamente até surtar.
Então ganhei afastamento pelo INSS. Percebi nesse intermédio que não gostava do que estava estudando e mudei de curso.
No entanto, sei hoje que tudo o que eu precisava para melhorar era dormir bem. Consigo dormir bem hoje com remédios, não são muitos mas sem eles por enquanto não consigo viver.

____________________________________________________________________________________________

Nelson Valente

Sou Nelson Valente, 56 anos, Analista de Comércio Exterior com ênfase em Logística Internacional, uma profissão realmente estressante.

Havia recebido vários avisos, pois tive hemorragia na bexiga, não sendo detectado nada nos exames, três rompimentos de vasos na retina, tratados a laser e por último, em 31/10/2000 ocorreu o AVC isquêmico, por obstrução da artéria carótida esquerda.

Num primeiro momento foi constatado sequela de mobilidade do lado direito do corpo e dor talâmica intensa grau seis, às vezes sete. Com isso, a preocupação se eu iria andar novamente, o quanto incomodaria as pessoas pela dependência, etc. Porém, nunca perdi a esperança de retornar ao cotidiano.

Com o tempo e a reabilitação, recuperei minha determinação. Após três anos de superação, tentei me inserir no mercado de trabalho, mas em serviços simples para avaliar minhas condições. Aproveitei também para retomar a faculdade no curso de Logística, mesmo com grande dificuldade em exatas, pois começava bem os exercícios e de repente trocava um sinal ou números (observação feita pelo meu professor de cálculo).

Comentando tal observação feita pelo professor ao neurologista, o mesmo indicou consulta ao neuropsicólogo.  Após avaliações, constatou-se mais uma sequela do AVC: déficit de atenção e concentração. Tentei descobrir, então, a melhor maneira de minimizar tais déficits, pois estavam afetando meu desempenho na faculdade. O primeiro método que tentei foi o da repetição. Após estas avaliações, também fui convidado pela Drª Anair Rodrigues e equipe, a participar do Grupo da Memória, onde aprendemos a compreender os locais do cérebro que foram afetados e seus sintomas.

O grupo promove discussão das dificuldades apresentadas e estratégias aplicadas para melhorar as deficiências. Outras estratégias são apresentadas pela equipe de neuropsicólogos do CPN/REAB , assim trocamos experiências e recebemos sugestões no intuito de melhorar nossa condição de vida no dia a dia.

Com as estratégias utilizadas, melhorei meus aprendizados usando palavras chaves, associações e a técnica de repetição utilizada anteriormente. Essas técnicas me auxiliam em exatas e também em atividades que exigem atenção sustentada. Desta forma, em provas que a maior duração prejudicava meu desempenho pela desconcentração, o problema foi solucionado após acordo com alguns professores que me possibilitaram maior tempo de prova.

Assim, houve melhora da auto-estima e confiança, o que me permitiu conciliar algumas atividades extras.

_____________________________________________________________________________________________

O meu nome é Sonia Ferraz de Melo.

Em 09 de dezembro 2007 eu tive um aneurisma cerebral e em seguida um AVC, ainda estava me recuperando do aneurisma quando me encontrava na enfermaria. Após AVC retornei para UTI, fiquei 29 dias internada em UTI e enfermaria. A minha vida até aquele momento era normal, eu nunca havia passado um dia se quer internada. De repente tudo desmoronou.

Sou formada em direito, tinha dois empregos, fora o escritório que eu atendia  das 17h00 até mais ou  menos  às 21h00. Eu havia comprado um apartamento,  terminado a reforma, e esse era o  meu grande sonho: morar sozinha. 15 dias após a  minha mudança,  sofri o   aneurisma. Passei praticamente uma noite inteira caída na minha sala e, o pior, sozinha, até que minha irmã me encontrou, por volta de uma hora da manhã do dia seguinte, quando veio dormir em meu apartamento.

Em seguida fui socorrida, fiz clipagem do aneurisma, fiquei com seqüelas hemiparesia motora do lado esquerdo. Retornei para  casa dos meus pais após os 29 dias de internação, onde fiquei por 8 meses em recuperação e recebendo o carinho dos meus familiares, reaprendi a andar e até mesmo a comer pois, não conseguia segurar nada com a mão esquerda, estava gravemente afetada, sem força no lado esquerdo( grau 1).

Com muita persistência e ajuda de profissionais, me dediquei a fisioterapia, fonoaudióloga e terapia ocupacional, e ai as coisas foram melhorando gradativamente. Resolvi voltar a estudar fiz MBA  especialização  em gestão ambiental e com muita persistência consegui concluir o curso .  Devido a todos esses acontecimentos, senti que tudo havia desmoronado, não tinha mais a minha vida como era.  Eu estava sendo conduzida.  Perdi tudo no mesmo dia, a minha saúde e o meu serviço que eu gostava tanto, até o meu namorado que não soube compreender o problema, e que me conheceu cheia de vida, de repente me viu doente, careca e usando fraldas. Que situação! Comecei a ficar agressiva, eu que antes era calma e tranquila, não discutia, me vi totalmente descontrolada, chorando sempre.

Tremendamente discursiva e emotiva. Enfim, eu era outra pessoa, quem era eu? O que aconteceu? De dinâmica fiquei lenta,  de calma fiquei agressiva,de 220 passei a ser menos que 110 eu que nunca havia passado um dia num hospital agora aos 46 anos eu  era uma deficiente física.

Eu tinha que me entender, para que as pessoas me entendessem. Era muito difícil a cabeça ser 220 e o corpo menos que 110, chorava muito. Foi aí que resolvi conversar com o meu neuro e pedir explicações a ele, como eu deveria proceder? Ele me encaminhou para uma avaliação neuropsicológica para ver a extensão do meu trauma cognitivo. Assim foi feito e foi constatado que tudo isso era devido ao meu cérebro ter sido afetado na parte frontal. E as minhas funções executivas estavam extremamente alteradas, conforme a avaliação neuropsicológica

O que explicava o meu mau humor e incompreensão. Começou o tratamento do meu freio que estava sem controle. Comecei a usar estratégia, aprendi a pensar, respirar e não sair falando tudo o que eu pensava. Pois a prejudicada era eu mesma. Levei algum tempo para me acostumar, mas consegui treinar o meu cérebro e dominar o meu comportamento graças a reabilitação do CPN e apoio de meus familiares e  amigos.

Hoje, embora em aprendizado constante com neuro,  psiquiatra e psicólogo, moro sozinha, cuido de tudo, contas, compras, etc. Aprendi que, voltar a ser o que eu era antes, nunca mais, mas, que posso até mesmo ser melhor, aprendi a respeitar os meus limites e sinto-me mais feliz e com a alta estima elevada.

SOU FELIZ. Moro sozinha e vivo bem.

_____________________________________________________________________________________________

Renata

Em Janeiro de 2006 tive um Aneurisma cerebral  Roto com  hemorragia subaracnóidea, fui socorrida 06  horas depois  e internada na UTI,  onde permaneci  cinco dias até ser transferida e operada para a clipagem.

Nesse período lembro-me vagamente de algumas cenas. Quando retornei  da cirurgia, fiquei em torno de 30 trinta dias  hospitalizada.

Fui para casa e com  a  ajuda de meus familiares  tentei  retomar minha rotina,achando que já estava em perfeitas condições.Não tive nenhuma sequela aparente, pois falava, andava, e me movimentava normalmente .

Então decidi voltar ao trabalho antes do término da licença prevista pelos médicos, apesar da minha família, médicos e terapeutas serem contra. Eu lutei bastante por que queria minha vida de volta.

Sempre tive muitos amigos e saía  muito também,era muito comunicativa e fazia amizades facilmente e até hoje me sinto diferente em relação a vida social.

Quando voltei  a trabalhar tive muitas dificuldades de lembrar as tarefas, de assimila. Faltava concentração e sentia muito cansaço. Isso sem contar com a oscilação de humor.

Me afastei do trabalho novamente e tive uma depressão com surtos de raiva frequentes. Nesse período fui apresentada ao CPN- Reab, lá iniciei os testes e percebi realmente que existia uma deficiência de atenção sustentada, concentração, memória recente e problemas cognitivos.

Enfim, acho relevante destacar que, como não tive sequelas aparentes ( não mancava, falava bem, fazia todos os movimentos, etc.)  não percebi que precisava de ajuda profissional. Tinha a necessidade de contar para todos o que havia acontecido comigo e como estava triste , uma vez que não aparentava nada.

Senti muita raiva, e fazendo terapia com o grupo consegui aprender a conviver com as minhas limitações. Levou um tempo para eu aceitar que precisava de uma agenda para lembrar dos meus compromissos, que precisava redobrar minha atenção para lembrar de algo importante. Com muita luta, determinação e ajuda dos profissionais do CPN  e do grupo  estou bem.

Depois de alguns percalços hoje estou trabalhando em vendas, dirijo, falo bastante, preparo relatórios e tenho plena consciência de minhas limitações. Utilizo algumas estratégias como a agenda semanária, leitura em partes e grifando com um marca texto, planejamento de tarefas para me ajudar no dia a dia.

Tive sorte de encontrar o CPN. Foi muito benéfico o convívio com o grupo e as trocas de experiências e amizades que fiz.

____________________________________________________________________________________________

R.I.  30 anos.

Em abril de 2001, algumas semanas depois da aprovação em Medicina na Unifesp, sofri grave acidente automobilístico, o qual me deixou em coma por 4 meses. Naquela ocasião, as sequelas mais exuberantes eram as motoras – não parecia haver danos cerebrais, pois eu tinha memória e raciocínio coerentes. Com base em tal prerrogativa, retornei à graduação em 2003.

Entretanto, o retorno se mostrou precipitado: a memória e o raciocínio coerente começaram a apresentar falhas. As falhas, cada vez mais frequentes, refletiam na dificuldade em manter a concentração ao ler um texto ou assistir a alguma aula, por exemplo.

Logo, notei o quão difícil era absorver a matéria lecionada só pelo assistir de aulas. Notei que eu deveria dedicar vultoso tempo para ler e reler o que fora explanado durante o dia.

Todavia, moro no 1º andar do prédio e de frente para a área de recreação. O barulho é, realmente, imenso. Devido a isso, fui aconselhado por minha neuropsicóloga a ouvir música no headphone; assim, reduziria os diversos sons, como pessoas e automóveis e eletrodomésticos, em apenas um único problema. A solução encontrada foi excelente! Para focar a atenção em determinado estímulo, escolheria um álbum de música calma e aquilo me ajudaria no que queria.

Contudo, foi de grande valia só para o início do meu estudo teórico. Depois de alguns minutos, eu me distraia por mim mesmo, com minhas análises e projetos. Vi que havia um novo inimigo, a tenacidade – ou, pelo menos, a falta desta. Focar a atenção era fácil, mantê-la que era o novo desafio. Minha atenção sustentada mostrava fragilidade.

O novo desafio foi derrubado lendo os textos em voz alta, e nunca esquecendo do headphone. Ao vocalizar o texto, eu me mantenho conectado a ele e, assim, dificulta minhas “fugas”. Estas fugas estavam solucionadas, assim como os barulhos diferentes. Parecia não haver mais problemas.

Havia. O cansaço. Inicialmente, pensei que era fragilidade minha, que eu deveria recuperar esse outro setor; afinal, quando eu cursava o Ensino Médio, eu chegava a estudar por horas ininterruptas. Mas o estudo não era de qualidade, era um estudo de desespero – fazia porque a prova era no dia seguinte.

Quando se mantém uma boa programação com cotidiano disciplinado, pode-se organizar os estudos e, assim, concluí que era mais benéfico estudar aos poucos ao longo das horas. Ou seja, fazendo intervalos programados de tempos em tempos.

Pausar após quanto tempo de estudo? Isso é variável; depende da pessoa, do interesse dessa pessoa no estudo e de como ela está naquela determinada situação. Eu, por ser metódico, determinei o prazo de 50 minutos de estudo – o tempo de uma aula ministrada em colégio – e 10 minutos de descanso – para fechar com exatidão em 1 hora de “ciclo”.

Desse modo, posso fazer alguns ciclos sem fadiga excessiva.

1.115 comentários em “Depoimentos/Escreva aqui o seu

  1. Estou com um irmao com traumatismo craniano grave. Caiu do cavalo. Estamos desesperados. Porem, alguns depoimentos daqui acalmaram meu coracao. Amamos muito ele e tenho certeza que ele vai melhorar muito pelo que aprendi aqui. Muito obrigada.!

  2. Boa tarde, meu irmão Darlan (19 anos) teve uma hemorragia cerebral por conta de uma MAV, no dia 22/07, a sedação foi retirada depois de 17 dias ele já abriu os olhos e aperta nossa mão quando conversamos com ele (algumas vezes), mas é muito triste quando os médicos dizem que não tem previsão de quando ele vai “acordar”. Gostaria de saber se mais alguém passou por esta situação de coma? Como é a evolução do paciente?
    Obrigada a todos!
    Fé em Deus, sempre!

    • Jessica boa tarde!
      No grupo que eu e a Fernanda participamos tem o Eduardo, ele também tem MAV, mas não sei explicar ao certo como foi a recuperação dele, no meu caso, fiquei 30 dias em coma profundo, ou seja dormindo, depois melhorei, e levei uma mes, para não somente abrir os olhos, me movimentar, tentar falar, paciência pois tudo que envolve o cérebro demora muito!
      Ele provavelmente precisará de acompanhamento de uma Fonoaudióloga, uma fisioterepeuta, uma pessoa de terapia Ocupacional, Uma neuropsicóloga, em fim tudo que puder auxilia-lo .
      Eu não mechia o ado esquerdo do corpo, não andava, não comia, não falava, tive que reaprender tudo, e isso levou 2 anos… então PACIÊNCIA E FÉ são necessárias!
      um beijo e melhoreas

  3. Bom dia .meu primo sofreu um acidente em abril Ficou 13 dias em coma depois fez a traquio agora ele já está tentando andar mas alimentar não conseguiu ainda .será normal ou pode ser que ele não vai conseguir alimentar mais? e assim usando sonda pra sempre .obrigada

    • Boa tarde Anita, creio que tal pergunta ninguem melhor que o médico para te responder, pois somente ele sabe os danos que seu primo sofreu, e que reaprender a mas no meu caso eu tive que reaprender a comer com uma fisioterapeuta, veja se não pe necessário para auxilia-lo,

    • Olá Anita, não sou tão experiente nesses casos, meu irmãozinho Willyan sofreu um avc ano passado aos 16 aninhos. A traqueostomia tem o lado bom e o lado ruim né.. agiliza uma parte do tratamento, mas prejudica muito outra.. Para minha família foi terrível quando os médicos disseram que ele iria para casa usando a traqueo, ele é portador a Síndrome de Down, já estava sem paciencia 70 dias internado, todos esses dias ele não disse nada.. Estava com medo, nao conseguia nem tentar falar, incomodava muito e por isso ele ficou amarrado todo esse tempo, pois ele arrancou a traqueo 3 vezes, e cada vez machucava mais.. Não estavamos conseguindo dar comida a ele direito, aquela comida liquida saia tudo pelo buraco da garganta.. que terror.. Aprendemos a postura correta para alimentá-lo depois que ele teve que retornar para uma semi-uti. Ele estava usando uma cânula de plastico, e aí o medico pediu para comprarmos uma de metal porque o hospital não tinha.. Compramos e na hora que o medico tirou a de plastico para colar a de metal o orifício fechou e ai a canula que haviamos comprado não cabia mais.. Então corremos um grande risco pois conforme li em alguns lugares existe um protocolo de desmame né, tudo depende da respiração, e ele ainda não estava em condições do desmame.. No caso não nos deixaram contratar uma fono, o hospital era publico e eles não tinham fono. Mas tudo melhorou, li muuuuuuuuito sobre isso, peguei muita ajuda aqui no blog, e insistimos muito com os médicos de esperar e não colocar sonda.. E aos poucos, com muito “sangue frio”, mesmo vendo ele magrinho por comer tão pouco, tirar a traqueo foi essencial na recuperação dele, ele voltou a sorrir mesmo ainda internado, comer, reaprender a respirar pelas narinas.. Procure ajuda médica, mas leia, pesquise, aproveite esse blog maravilhosoooooo, cheio de lições e dicas..
      Hoje meu irmão está em casa, foi sem a traqueo para casa e já esta andando, devagar porém SEMPRE!!!

      DEPOIS VOLTO PARA CONTAR MAIS NOVIDADES SOBRE WILLYAN, BEIJOS FÊ, BRUNA E A TODOS DO BLOG.

      OBRIGADO SEMPREEEEEE

      Tudo no seu tempo, se Deus quiser seu primo voltará a comer, alguns casos eu sei que afetam a parte da deglutição. Precisa de uma fono e uma fisio boa, ele irá conseguir, não perca as esperanças nunca..

  4. Boa noite! Chamo-me Rita e venho dar noticias sobre a minha irmã ! No dia 20 de agosto a minha irmã Vanessa já foi transferida para o Centro de Reabilitação da Tocha. graças a deus a infeçao na bexiga passou e ela voltou a evoluir !!

    Relembro que ela teve um despiste de automovel no dia 2 de Maio. Agora ela já comunica conosco com facilidade pela escrita e por gestos. Pentei-se, calça-se, consegue vestir algumas peças de roupa com ajuda. Ainda não come, não fala nem anda mas tudo a seu tempo!

    Nunca percam a fé, beijinhos

    • Que bom Rita! está evoluindo bem!
      Quanto a alimentação eu precisei reaprender a mastigar com ajuda não me lembro se de uma fonoaudiologa ou de uma fisioterapeuta.. mas jajá ela estará bem =)

  5. Boa noite

    Meu namorado..já teve 2 avc, o primeiro há 2 anos e meio, e um ano passado e já estava recuperado quase 80%…e há um mês ele teve um bem serio…e esta semana soube que esta com um coagulo no cérebro que não pode operar..amanha vai fazer mais exames pra ver o q pode ser feito, gostaria de saber se alguém sobreviveu e vive com um coagulo no cérebro?
    Agradeço se alguém puder me responder!

    • Olá Eliana, conheço pessoas que sofreram avc jovem tb.. mas não sei responder se convivem com um coagulo.. Creio que seu nervosismo deve ter terminado, pois o médico é a melhor pessoa para nos responder a isto, caso tenha dúvidas pergunte a 3 médicos e veja as 2 respostas que se igualam =) sempre é bom ter mais de uma opinião.. bju

  6. Vamos lá, já fazem 6 anos do acidente do meu filho. Quantas etapas, qto choro, qtas alegrias, qto preconceito, nossa como a vida muda e as vezes não queremos aceitar. Viver é difícil, ver um filho entre a vida e a morte não é fácil, entrar em um cti e receber várias notícias tristes não é fácil…..
    No dia 06 de fevereiro de 2009 meu filho com apenas 11 anos foi atropelado por uma moto na calçada de casa, eu estava no portão, pois era uma noite de verão quente. A vida muda em questão de segundo e por conta de um irresponsável minha vida e principalmente a do meu filho deu uma guinada.
    Eu sentada no portão vendo meu filho ser arremessado por uma moto na rua, ele bateu com a cabeça no asfalto e na hora perdeu a consciência, o cara da moto fugiu e ninguém conseguiu pegar a placa, como eu odiei esse motoqueiro, teve noites de eu chorar e amaldiçoar ele várias vezes por ter feito minha família sofrer tanto.
    Quando vi meu filho caído, no chão dei um pulo da cadeira e o peguei no colo, meu marido comigo, fomos para a nossa garagem e quando entramos dentro do carro, o pneu estava furado. saímos com ele no colo e no meio da rua paramos um carro, e o levamos para um hospital sem recurso nenhum perto da minha casa, pois não tínhamos plano. Nossa, como a saúde no Brasil é precária, como foi difícil conseguir uma vaga em um hospital com recurso. Depois de umas 5 horas tentando, conseguimos. Meu filho foi direto pro CTI, com TCE grave, o braço esqueRdo quebrado e broncoaspiração. Os médicos foram bem claros que era gravíssimo. E ai começou….até então eu não tinha noção como seria minha vida e a do meu filho.
    Ficou em coma, e após ser tirada a sedação meu filho não acordava….os médicos diziam que ele iria ficar em coma vigil pra sempre, como é triste ouvir isso, ver um filho morto em cima de uma cama e com vida….
    Os médicos o mandaram para o quarto por medo dele pegar uma infecção no cti, sair do cti pra mim foi a melhor coisa, pois é um dos piores lugares que existe, frio gelado e triste.
    No quarto após uns 30 dias meu filho começou a acordar, foi acordando aos poucos….foram muitas etapas, com tratamentos e tratamentos.
    Hoje fisicamente meu filho tá perfeito, somente sua parte de socialização foi afetada, ele não se dá com ninguém e só vive dentro de casa, cursa o ensino médio. Hoje ele não quer psicóloga pois diz que já está bom, mas não sei se é por conta da adolescência ou do acidente, ou de tudo junto mas ele se tornou mal humorado, tem dias q tá bem, mas tem dias q é difícil…..
    Chegar até aqui não foi fácil. E se não fosse Deus eu nem sei.

    • OI PATRÍCIA….

      Nossa, que coisa triste… Eu fico tocada quando leio todas as histórias, mas quando se trata de uma criança é tão difícil… Não dá pra entender porque essas coisas acontecem, né?

      É tão horrível pensar tb que uma pessoa é capaz de atropelar alguém e ainda fugir??!!!!
      Concordo plenamente com vc qdo vc diz da saúde do Brasil ser tão precária, isso me choca sempre! Conheço pessoas que estão em coma há mais de 2 anos por demora de socorro e negligência dos médicos e hospitais… É absurdo demais, sem palavras!!!!

      “Imagino” como vc sofreu e ainda sofre com tudo isso…. Não sou mãe, mas acompanhei e acompanho de perto o sofrimento dos meus pais após o meu acidente e a morte da minha irmã e do meu marido no mesmo acidente. Meu depoimento é o primeiro daqui desta sessão, não sei se vc leu.

      Que bom que seu filho se recuperou fisicamente e está conseguindo estudar… Isso é muito bom mesmo!!!!!!!!
      Acho que a adolescência é uma fase difícil pra todos, mas acredito que a falta de sociabilização do seu filho é também devido ao TCE. A falta de identificação com os outros e às vezes a inadequação social e alteração de humor são características comuns após uma lesão cerebral.
      Leia aqui no Blog sobre isso na sessão acima que se chama “Informações importantes”.
      Aqui no Blog, na sessão “Depoimentos familiares”, tem o depoimento de uma mãe, a Liliana Covino, que tem os 2 filhos que sofreram TCE na infância. Ela deixa em um dos depoimentos o e-mail dela e vc pode entrar em contato com ela, acho que isso pode te ajudar…. Ela é demais e já ajudou várias pessoas aqui no Blog, pois a troca de experiências ajuda bastante, né? Mesmo se vc quiser escrever pra ela aqui no Blog, pode escrever nesta sessão aqui que ela vê e eu tb posso avisá-la, já que eu “tranquei” a sessão de “Depoimentos familiares” para que todos pudessem publicar aqui, num mesmo lugar.

      Onde vcs moram? Seu filho já fez alguma vez uma avaliação neuropsicológica?? Na sessão daqui do Blog sobre “visão profissional”, vc tb pode entender mais sobre a neuropsicologia….

      Grande bjo
      Aguardo mais notícias suas….
      Obrigada por compartilhar conosco a histórias do seu filho!
      Fernanda

      • Olá Fernanda
        Li seu depoimento sim, e nossa, como seus pais devem ter sofrido, e vc tbm. Pois a dor de vcs foi dobrada. Sinto muito por vcs. A vida muda em questão de segundos.
        A vida não é nada e hoje em dia vivo com medo, achando que alguma coisa ruim pode acontecer. No hospital presenciei várias pessoas sofrendo também, crianças internadas há mais de 1 ano. As vezes tinha dias de eu ir para o estacionamento e chorar muito e falar com Deus.
        Mas tive muita ajuda, principalmente das enfermeiras que sempre me confortavam e vibravam com cada superação.
        Moro no Rio de Janeiro, e meu filho já fez várias avaliações, inclusive com psiquiatra,eu ainda só não o levei ao neuropsicólogo,mas depois de um certo tempo meu filho não quis ir em mais nada, e toda vez que tinha consulta com a psicóloga era uma luta, ai deixei de lado. Hoje percebo que ele se fechou, e isso me deixa agoniada, pois sou professora e percebo outros jovens da mesma idade dele reunidos, conversando. E ele isolado.
        Vou conversar com ele e tentar mais uma vez levá-lo pra terapia.
        Um grande abraço.
        Bjuuuuuuu

    • Nossa Patricia, sendo uma acidentada imagino como meus pais sofreram e como voce tb deve ter sofrido.. pois eu também não acordava apos retirarem a sedação e disseram a meus pais q eu iria precisar de um aparelho para respirar para sempre.. e com muita fé como com seu filho nada ocorreu.. e estamos muito bem em comparação com o que poderia ter nos ocorrido!
      Concordo com você que nosso sistema de saúde é péssimo.. até por isso se eu não tivesse um bom plano de saúde não sei como teria sido.. somente a conta do meu plano de saúde deu 170 mil reais e meu pai é médico e disse que planos de saude tem desconto…realmente não sei como seria.. por isso hoje posso dever tudo menos o meu plano de saúde.. rs
      Como a Fer disse é interessante uma neuropsicóloga pois eu também me julgava ótima e recuperada após o acidente.. ai fui vendo minhas dificuldades quando comecei a quebrar a cara.. não conseguir fazer o que me programava, não ser nada como sempre foi.. e com uma análise ela me indicou os erros e como melhora-los .. o que me ajudou muito…
      Um beijo para vocês e parabéns!!

      • Em vista do que poderia ter acontecido, meu filho tá ótimo.
        Vou seguir seu conselho e procurar uma neuropsicóloga, o negócio é se ele vai querer…..
        Muito obrigada…..bjuuuuuuuu

    • Olá Patrícia. É uma história muito triste mas ao mesmo tempo muito feliz. Estou com o padrinho meu internado e ocorreu tudo bem parecido com seu caso, mas nele foi um avc. Ele saiu hoje da UTI e tem uns 6 dias que tiraram a sedação dele mas ele não acorda… estou com muito medo dele não conseguir acordar e essa sua história gerou em mim uma esperança. Eles no primeiro momento que ele chegou no hospital falaram que ele sofreu uma lesão em uma parte do cérebro denominada PONTE, e que isso podia fazer com que ele demorasse a acordar ou que nunca acordasse. Você sabe me dizer se seu filho na época teve alguma lesão nessa parte do cérebro?

      Desde já agradeço muito. Espero que você e seu filho sejam muito felizes.

  7. Meu Nome é Leonília, no dia 26 de Julho meu marido teve um aneurisma na veia carótida, teve duas convulsões no hospital e foi levado a UTI, onde foi entubado, até a realização da Angioplastia.São 18 dias de UTI e 7 dias sem sedação, Thiago apenas abre os olhos, faz alguns movimentos nas pernas,braços, mas não interagem com as pessoas, não fala, é muita angustia essa espera,é muito sofrimento.Encontrei esse blog e vi muitos de superação e vem me confortando nessa espera de Thiago comece a reagir.Alguém passou algo parecido? de acordar do como e apenas conseguir abrir os olhos por tantos dias… estou arrasada meu marido saiu de casa falando para hospital e agora esta nesta situação, me sinto impotente…

    • boa tarde Leonilia, creio que lesões cerebrais, independente de quais sejam, deixam os acompanhantes muito nervosos, pois não sabem como agir, o que esperar, mas nós também não compreendemos o que ocorre conosco, tentamos agir como antes e não conseguimos, temos que reaprender tudo! é uma coisa muito dificil!
      Eu fiquei em coma natural por 1 mês, pelo que meus pais me dizem ao acordar não tinha reações somente abria os olhos, não falava,não me expressava, nada, e após um mês com acompanhamento médico comecei a me expressar, e ai tive que começar fonoaudiologia, fisioterapia, para reaprender, pois não conseguia sequer mastigar…
      Te peço paciência, que não exija muito dele quando melhorar, não exija que seja igualzinho o q era antes, pois levamos um tempo para nos acostumar, nos adaptar ao ocorrido, somos como crianças que precisam descobrir e reaprender as coisas
      Nossa melhora ocorre mas é muito lenta! e cansativa!
      um beijo e melhoras!

      • Oi, Bruna ! Obrigado por me responde,depois que encontrei esse bloggers muitas coisas se esclareceram…está sendo muito difícil vê me marido que sempre foi uma pessoa ativa e feliz nessa situação…cada visita de UTI eu crio uma espectativa de reação dele… Eu só quero um sinalzinho que ele está me ouvindo para. Acalmar meu coração . Estamos juntos. Há 15 anos e nunca ficamos um dia sem se falar e hoje fazem18 dias que não ouço sua voz ..

    • OI LEONILIA…

      Sei que tudo isso que vc está passando é muuuuuito difícil. No início, os familiares sofrem mais que a gente, pois acho que não temos muita noção do que realmente está acontecendo. É difícil afirmar com certeza absoluta que seu marido está ouvindo, mas te falando com experiência de quem sofreu uma lesão cerebral e tb ficou na UTI em coma: eu acho que a gente ouve sim (por mais que eu não me lembre), acho que vc deve sempre falar coisas boas para o seu marido, que tudo dará certo, que aquilo é uma fase, diga o que aconteceu, que os médicos estão cuidando para que ele melhore e vc estará sempre ali do lado dele, que ele precisa ter força e acreditar que ele vai melhorar, etc. Acho que dizer isso deixa a pessoa mais calma pq às vezes ela quer se comunicar e não consegue e vc dizer coisas que possa estar “o assustado” por não sabe o que está fazendo ali, talvez o conforte. Meus pais, no início quando eu já abria os olhos tb e ficava mais tempo acordada, quando entravam na UTI, todos os dias repetiam a história pra mim falando pq eu estava lá, que eu ia melhorar etc., pq eu sempre esquecia e isso me confortava, entende? Todos conversaram comigo desde o primeiro dia e acrediti que isso me deu muita força!

      Meu caso é o primeiro aqui desta sessão, não sei se vc leu. Eu tive um TCE por acidente de carro, mas as lesões cerebrais adquiridas como um AVC, um aneurisma, um TCE, têm consequências muito parecidas porque afetam regiões do nosso cérebro!
      As consequências e recuperação vão depender de vários fatores como o local e a extensão da lesão no cérebro, saúde geral e idade do paciente entre outros. Será preciso estimulá-lo com ajuda de vários profissionais, mas ainda é muito cedo pra sabermos quais as consequências ele terá com o que aconteceu… Tente ficar menos ansiosa, pois vc tb deve cuidar de vc…

      Tente ter paciência e nunca perca a fé! O aneurisma do seu marido é muito recente. Tudo bem seu marido está ainda sem falar, sem muita reação. As coisas vão melhorar. A recuperação é bem lenta, mas nosso cérebro é capaz de criar novos caminhos. A neuroplasticidade cerebral é incrível!

      De onde vcs são? Que idade seu marido tem?
      Com o tempo poderão surgir várias dúvidas e estaremos aqui pra ajudá-la no que for possível…
      Grande bjo
      Fernanda

      • Oi, Fernanda! Meu marido tem 32 anos e moramos em João Pessoa, hoje faz 6 dias que recebeu alta a UTI., e vem sendo bem puxado, ele apresenta agitação, agressividade, tenta falar mas por conta da traqueostomia não consegue, dorme muito pouco , apesar de já dar algumas passadas acompanhado do fisioterapeuta. , se recusa a fazer alguns exercícios, já está sendo acompanhado por fonodiologo.

    • Oi Leonilia
      Me chamo Renata e em 2006 tive um Aneurisma Cerebral Roto com hemorragia subaracnóidea.
      Foi um grande susto,afinal de contas estava bem.
      Senti uma dor muito forte na cabeça enquanto estava no banho para ir trabalhar as 6:00 da manhã,fui socorrida pelos meus Pais,depois de 6 horas mais ou menos.
      Fiquei duas semanas na UTI e ao todo uma mês hospitalizada (mais ou menos)
      Como minha cabeça só inchava os médicos diziam q se eu sobrevivesse ficaria com muitas sequelas.
      É claro que sofri muito,fiquei com sequelas cognitivas,me prejudiquei e me revoltei pois só tinha 31 anos, qdo tudo isso aconteceu.
      Mas hoje graças a Deus,a minha família e a equipe médica q me operou estou aqui pra contar minha estória .
      Procure ficar calma e ter pensamentos positivos (acredite isso ajuda e muito)
      A recuperação sempre é lenta,porém progressiva!!!!
      Vamos nos falando por aqui
      E ficarei na torcida para q ele se recupere o mais rápido possível
      Fiquem com Deus

  8. ASSUNTO: VOLTAR AO TRABALHO APÓS TCE GRAVE

    Boa noite!

    Hoje vim deixar um depoimento sobre o dia-a-dia de trabalho de alguém que vive com as sequelas de um TCE grave.
    O meu TCE me mudou completamente em todas as áreas da minha vida!
    Depois que ganhei alta em 08/06/2012 voltei a trabalhar em 01/10/2012 na mesma empresa que trabalhava desde 2009. Ou melhor, tentei trabalhar. Voltando ao trabalho descobri que não memorizava mais nada, não lembrava de informações importantes sobre a empresa, sobre minha função, quem eram todos os meus colegas de trabalho, os principais clientes, número de telefones, endereço de e-mails e eu não sabia mais escrever corretamente as palavras, não conseguia me expressar…
    Sofri muiiiiitooo muiiitooo!!!
    Eu nunca tinha ouvido falar sobre TCE! Então não tinha a mínima ideia que era por causa dele que fiquei assim. Mas como sempre fui esforçada e persistente comecei a me adaptar, tentar melhorar meu dia-a-dia profissional. Para me ajudar fui ao passar do tempo utilizando algumas ferramentas:

    EMPREGO 01 – TRABALHEI EM VÁRIOS SETORES: AUXILIAR ADMINISTRATIVO, OPERACIONAL (IMPORTAÇÃO), RESPONSÁVEL PELO SETOR DE RH, FATURAMENTO.
    Agenda com datas para marcar compromissos;
    Caderno para marcar tudo o que fazia todo dia no trabalho;
    Ter uma agenda de telefones e endereço de e-mails com referência de que serviço a pessoa prestava para nossa empresa, ou a qual material o cliente era o importador;
    Manter arquivos no computador bem organizados, por pastas nomeadas e explicativas e fotos de todos os materias que importávamos.
    E,
    Muito importante, talvez as mais importantes,
    Se controlar! A maioria das pessoas de depuseram aqui no blog, passaram pela mesma situação que ainda passo, mas antes era mais intenso e constante. Falar demais, falar o que não deve em situações improprias. Olho para traz e sinto tanta vergonha das coisas que já falei. Isso, se estendia até a e-mails algumas vezes!
    Então eu coloque um bilhete na tela do meu computador onde em código escrevi “ pessoa calada, pessoa madura”.
    Perdi esse emprego porque mudei. Infelizmente eles comparavam a Profissional Jéssica antes e depois do acidente.

    EMPREGO 02 – TRABALHEI COMO GERENTE DE UMA CASA DE VINHOS IMPORTADOS E RESTAURANTE.
    Nesse não memorizar marcas, nacionalidades, preços, número de mesas, não reconhecia clientes que frequentavam a casa, me irritava fácil com os meus subordinados mas guardava pra mim, não sabia dizer não. A única coisa que não perdi e me ajudou neste emprego foi a minha criatividade e visão.
    Novamente uma agenda;
    Um caderno para anotar tudo o que faria naquele dia;
    Pedia opinião ao meu marido quando chegava em casa, sobre melhorias a implantar;
    Baixei um aplicativo bloco de notas para anotar algo que lembrava para fazer quando estava fora do local de trabalho;
    Nesse emprego eu falava demais para os funcionários. Graças a Deus me dava muito bem ao atender os clientes.
    Mas como trabalhava 15 horas por dia, não aguentei, estava ficando mais louca. rsrsrs. pedi demissão.

    EMPREGO 03 – ATUAL – RESPONSÁVEL PELO SETOR DE RH E COMPRAS DE UM TERMINAL DE CARGAS (ARMAZÉM) IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO.
    Novamente uma agenda;
    Um caderno para anotar tudo o que faço todo dia;
    Ainda utilizo o aplicativo bloco de notas para anotar algo a fazer que lembro fora do local de trabalho;
    Ainda não seguro a língua algumas vezes e falo besteira;
    Tento manter todos os documentos bem organizados para que eu saiba localizar informações facilmente;
    As vezes fico imaginando que colegas de trabalham não gostam de mim, que querem me prejudicar;
    Novamente o bilhete na tela do meu computador onde em código escrevi “ pessoa calada, pessoa madura”.
    É assim que trabalho.
    O meu psiquiatra tinha me afastado pelo INSS, mas aceitei esse ultimo emprego porque quero financiar minha casa. E por isso, preciso de comprovante de renda. Eu tinha decidido nunca mais trabalhar depois que minha casa ficasse pronta. Mas saber (soube aqui no blog) que temos direito a vagas para deficientes em concursos e empresas, está me fazendo repensar.
    Entrar em uma empresa onde eles conhecem suas limitações deve ser maravilhoso!

    Espero ter ajudado com o meu depoimento sobre minha vida profissional.

    • Jéssica, PARABÉNS!! você aprendeu sozinha a controlar a situação que para muitos inclusive para mm é impossível,
      Me animei a contar também como foi meu retorno ao emprego após meu acidente.
      Ao sofrer o acidente eu tinha naquele dia uma entrevista, pois estava desempregada fazia uns meses.. e após o acidente me achando normal, resolvi trabalhar
      1 em uma farmácia cobrindo as férias de uma menina que fazia a parte administrativa, pois meu ex namorado trabalhava na parte contábil de lá as vezes, e conseguiu para mim a vaga, já que a proprietaria que era uma gerente administrativa estava gravida, e me queria no lugar dela, bom o que posso dizer é que levei um caderno anotei TUDO o que devia fazer e o que tinha dúvidas ligava para meu ex namorado, no meio do trabalho dele e pedia auxilio.. rs Certo dia eu tinha que escrever no computador o valor das compras dos funcionários da prefeitura pois este valor seria descontado do salário deles.. digitei, tudo ok.. mas dia seguinte o gerente da farmacia me chamou, uma cliente por curiosidade queria saber o valor que havia consumido na farmácia, e ele viu que era 23 reais, ela questionou, pois havia consumido somente um remédio para gripe, e este remédio custava 2, 30.. eu por me esquecer d virgula havia alterado o valor, Tomei uma bronca r tive que rever TODOS os funcionários da prefeitura para ver se não havia cometido tal erro com outra pessoa, fora isto eu até terminava meu trabalho rápido, mas rápido que a funcionária em férias, mas tinha muitas dúvidas, tinha sempre que perguntar para a proprietária como deveria fazer algo…e estando num tratamento com uma neuropsicóloga ( a primeira) eu tinha que jogar joguinhos no computador para ativar minha percepção, então no meu horário livre na farmácia, fui pega jogando.. rs bom acabaram as férias não fui efetivada fui dispensada, mas não desisti de trabalhar, como sei inglês e espanhol e minha cidade é turística resolvi tentar trabalho de recepcionista de hotéis.. e consegui…
      E foi ai que percebi meus problemas de irritabilidade, nervosismo e etc, pois num hotel voce convive com o publico, e com mais funcionários, com o público não tive problemas mas internamente sim, uma cozinheira não falava ingles e um hóspede canadense segundo ela queria dar-le um agorjeta, me pediu para ir falar com ele, eu fui, mas enquanto falava com ele ela começou a me interromper, falando valor que queria ganhar, onde ele poderia deixar e etc.. com ela falando eu não conseguia conversar com ele.. ai eu SURTEI! rs chamei ela p o canto e gritei, olha como voce que r que eu te ajude se vc me interrompe? poxa vc não fala inglês e eu falo da para pararde me interromper??
      Nisso minha gerente apareceu e viu a sena, uniu isso a um fato que havia ocorrido que me ligaram de um quarto me solicitando uma toalha , eu não anotei o quarto, e não me lembrava qual era, e me mandou embora..
      Bom ai percebi que não controlava mais minha raiva, fúria, não tinha mais memória, falava coisas que não devia nas horas que não devia.. e conversei com meu pai, que é oftalmoogista, ele conversou com um amigo neuro e soube que tais reaçoes eram devido ao LAD que sofri junto ao TCE.
      Então ele começou a me ajudar pesquisando maneiras de tratamento, e uma paciente dele que sabia do meu acidente perguntou como eu estava e ele comentou, ela indicou a BIA ( minha atual neuropsicóloga) disse ter ido a um apalestra dela e que era ótima.. ele me perguntou se queria ir.. Eu disse ..que não pois ia ser a mesma coisa da outra e que a outra havia me dispensado, disse que não podia mais me ajudar.. mas ele me pediu para ir a uma consulta, ele e minha mae foram antes, e eu fui.. e hoje agradeço por ele ter insistido.
      Ela foi OTIMA! me ajudou a ver quais eram minhas dificuldades, dentre elas que estava sem freio( flava sem pensar) e a controla-las
      Ha.. me ensinou a utilizar a agenda!!
      Ela me indicou as vagas em empresas para deficientes e fui a entrevista, ouvi que era ótima para a vaga que meu teste de inglês foi aprovado mas que o chefe delas não aceitava nada demorado, tudo tinha que ser resolvido na hora, que não poderia esperar eu olhar minhas anotações para lembrar do que tinha que fazer, que o problema de memória recente não era aceitavel, pronto me deprimi novamente.. ai a Bia me incentivou a prestar consursos, pois não podem te demitir se nao for por justa causa, e porque as empresas somente querem bater a meta de contratação de deficientes, não se importam em ajuda-los.
      Então eu prestei o concurso da prefeitura da minha cidade numa vaga para deficientes, claro que só havia uma vaga de deficiente e a vaga era p ensino médio, e sou pós graduada e o salário não era nada comparado ao que recebia antes do acidente, mas estudei, me dediquei e passei =) fui a unica aprovada, dos 8 concorrentes para esta vaga!
      Agora estou esperando me convocarem, o concurso é valido por 2 anos, mas meu primo, advogado me disse que se não me chamarem nestes 2 anos posso entrar com um mandato de segurança exigindo que me contratem pois fui a única aprovada..
      Então estou tranquila.. claro que continuar dependendo financeiramente dos outros me magoa muito..eu era independente… mas me acalma saber que jajá serei chamada =D
      Bom é isso acho que contei parte do que passei na busca de retorno ao trabalho

      • BRUNA!!!!!!!!!!!

        A gente se encontra sempre pessoalmente e já te agradeci por fazer parte do Blog várias vezes, mas quero te agradecer aqui tb!
        Eu conheço toda sua história, mas vc contar aqui no BLog todo seu retorno ao trabalho, tudo que vc passou até hj, tudo que te ajudou a melhorar, etc., é MUITO IMPORTANTE, pois só contando nossas experiências é que podemos ajudar outras pessoas que estão passando ou já passaram pelo mesmo que nós passamos!
        Obrigada!!!!!!!
        Bjooooo
        Fernanda

    • JÉSSICA QUERIDA…

      Quero te agradecer por ter nos contado como foi seu retorno ao trabalho, como foi sofrido vc voltar e perceber que não conseguia fazer as mesmas coisas que antes, contar que vc não tinha idéia que suas dificuldades eram por consequência do TCE, etc. Isso ajuda as outras pessoas lerem e verem que não acontece só com elas…

      Tudo que aconteceu com vc é comum acontecer, as pessoas voltam ao trabalho até porque não têm noção de suas dificuldades após a lesão e todas essas dificuldades aparecem mesmo quando somos testados. O triste é que muitas vezes a pessoa volta ao trabalho sem consciência de como está (o que aconteceu com vc, com a Bruna e com outras várias pessoas que conheço) e aí o sofrimento é muito grande quando entram em contato com tudo isso e com a incompreensão (tb por falta de conhecimento) das outras pessoas, né?

      Mas, vc está de PARABÉNS com relação a todas as atitudes que tomou para ajudar “driblar” suas dificuldades! Impressionante o que vc fez!!!! São dicas que aprendemos muito na terapia com neuropsicólogo e vc “intuitivamente” usou de vários recursos muito importantes e úteis…

      Este retorno ao trabalho deve ser muito bem monitorado e a pessoa só deve voltar quando tem plena consciência de suas limitações, além do que, emocionalmente ela precisa estar mais forte, entende? Mas, não é culpa sua tudo que aconteceu, isso acontece muito. A informação do que acontece numa lesão cerebral (seja num TCE, AVC, Aneurisma) é o que me motiva muito a manter este Blog, pois sei que quase ninguém conhece as consequências de uma lesão e não só o paciente, mas a família tb sofre muito com isso!

      Obrigada querida por fazer parte do Blog!
      Espero te conhecer pessoalmente em novembro deste ano, rs.

      Bjo grande
      Fernanda

  9. Oi Fernanda,

    Tudo bem com você? Sou irmã do Fernando, já deixei meu depoimento aqui. Meu irmão sofreu um atropelamento em outubro de 2012. Teve uma lad e e sequelas motoras e neurológicas. Sei que vai ser difícil lembrar, por que é muitas pessoas deixando seus depoimentos, Eu acompanho sempre que posso, e estou aqui para te parabenizar pelo seu trabalho. Meu irmão não teve muitos avanços, mas teve alguns significativos e tudo é motivo para comemorar. Ele está acometido de uma forte depressão, sendo monitorado quimicamente e infelizmente não aceita a situação. Mesmo tentando se colocar na situação dele quase sempre, todos os dias eu penso, como eu poderia ajudá-lo mais. Minha mãe está super estressada, coitada tem quase 70 anos e também está com depressão. Eu comecei uma faculdade, foi o que possibilitou também uma melhora, nós também ficamos doente, eu pedi para a minha médica fazer o desmame de meus remédios este mês,porque estou me sentindo melhor. Mas graças a Deus, ele está tendo sinais de neuroplasticidade, apesar de meu irmão ter perdido sua independência e sua cidadania por decisão judicial, eu luto todos os dias para que ele retome, eu sou curadora dele, e não vejo a hora dele está indo resolver suas questões burocráticas sozinho. Eu levo ele sempre que posso, ensino a mexer na máquina e deixo ele resolver o que ele quer fazer com o dinheiro. Eu lembro que ele tem remédios e fisioterapeuta. Semana passada, ele tomou uma decisão muito importante, saiu sozinho, foi até a esquina da minha casa, ficou sentando na frente de um bar onde costumava tomar cerveja com os amigos. Eu chorei ao ver tudo isso, eu o segui, mas ele não me viu e então vim pra casa e disse Deus cuida do meu irmão e meia hora depois minha mãe foi chamar ele para almoçar, ele disse pra ela que já iria e ele veio. Fernanda, eu dou graças a Deus de meu irmão está vivo e se recuperando desta forma. E acho forças aqui, não participo muito escrevendo, mas leio bastante, choro e me emociono com a maioria dos depoimentos. Queria tanto que ele melhorasse a ponto de escrever aqui, eu creio que isso possa acontecer. No começo foi tudo tão difícil e hoje vejo que por conta de nosso nervosismo as coisas poderiam ter sido mais fácil. Eu não conseguia contar até dez, de tão revoltada que fiquei na época. Grande beijo pra você, que Deus te dê saúde e força para continuar este trabalho tão abençoado.
    Faça um canal no youtube, acho muito legal. adoro assistir vídeos. Fique com Deus!!

    • Cristina, não me recordo de ter lido seu outro depoimento e nem se já respondi.. rs..mas li este e pelo que vi seu irmão está muito bem! A recuperação é lenta.. e o acidente dele não faz muito tempo.. e a recuperação depende também da área afetada do cérebro..por isso que não podemos comprar os casos, pois cada pessoa afetou uma área diferente… é extremamente difícil uma pessoa afetar a mesma área que a outra, e se afetou na mesma intensidade é quase impossível !
      NUNCA compare o caso dele com o de outros acidentados, nem exija que ele consiga algo pois outros conseguiram..
      Fico muito feliz que ele conseguiu sair de casa sozinho e ainda mais feliz que você o acompanhou, pois meu médico disse que anos após podemos ter um surto de memória e não saber de onde viemos e como voltar, por isso minha mae nunca me deixou sozinha no início. Como voce deixou e o acompanhou de longe (o que foi legal), isto deve ter feito muito bem a ele como fez a mim, amei me sentir independente novamente!
      Como comentei no depoimento a cima, importante foi saber com uma neuropsicologa quais erma minhas dificuldades resultantes do acidente e como controla-las.. e no final aceitar o que ocorre que foi pra mim o mais difícil!
      Nunca perca a fé! não digo a fé religiosa, que para quem a possui pode auxiliar, mas a fé em saber que ele irá melhorar!! independente de como.. nunca deixe de acreditar nisto, claro fiquei com dificuldades que infelizmente não mudam, deixei de ser quem eu era, e tive que me adaptar a nova bruna!
      Mas ao menos eu sobrevivi! E esta nova Bruna não é tão ruim assim vai.. rs
      Um beijo!
      Que DEUS os acompanhe

      • Bruna,

        No começo, pra mim, foi bem difícil pra entender que como duas pessoas com o mesmo diagnósticos poderiam acontecer coisas tão diferente, Com o tempo, eu fui lendo pra tentar entender tudo isso e compreendi. Através deste Blog, com profissionais que estava ao nosso alcance, até explorei o meu médico (rsrs) mas ele é um ser humano fora de série, me explicou muitas coisas e ainda pergunta por ele. Meu irmão, assim como toda a família tem o sangue quente, é brabo, e ele por não ter muito estudo e já apresentava um desgosto pela vida antes do acidente, pelos foras que ganhou das namoradas e não ter casado, ele é inconformado com sua situação, mas é um inconformismo que ainda ele não sabe usar a favor dele. Acredito que isso somatizou ainda mais no quadro que ele se encontra hoje, apesar que ele demonstra mais calma e meu Deus só tenho a agradecer pela saúde dele e Deus ter permitido que ele chegasse onde chegou. Acredito que hoje o Fernando é mais família, meio que obrigado, mas é. Jogamos baralho, ele não esqueceu como se rouba no baralho, pq não perde uma da gente, ou eu e minha mãe somos duas toscas rsrs. Acho que sei quem você é, é Bruna Guedes teu nome completo? Eu vi um vídeo seu, espero não estar enganada. Obrigada pelo carinho, desejo muito sucesso pra você sempre.
        Cris

    • CRISTINA QUERIDA….

      Muuuuuuito obrigada por suas palavras, o blog realmente virou um dos meus objetivos de vida e fico feliz em saber que ele te ajuda um pouquinho. Muito obrigada tb por entrar aqui pra me contar a evolução do seu irmão Fernando.

      Cristina, que bom que ele está sendo acompanhado com psiquiatra por causa da depressão, o acompanhamento é fundamental. Não sei se estou enganada, mas a última vez que conversamos foi em agosto do ano passado. Vc disse que os médicos disseram que era preciso acertar as medicações do Fernando pra depois dar início a outras terapias. Disse tb que sua cidade tinha pouquíssimos recursos pra quem sofre esse tipo de lesão, mas que vc tinha conversado com uma amiga psicóloga que te indicou uma pessoa que era neuropsicóloga, foi isso? ???

      Seu irmão chegou a fazer uma avaliação neuropsicológica?? Seria muito importante vcs tentarem um atendimento com neuropsicólogo. No meu caso, como eu já te falei, o acompanhamento com psiquiatra e neuro, assim como com psicólogo e neuropsicólogo foram importantíssimos na minha reabilitação (claro, além de fisio, fono, T.O., etc.). O papel do neuropsicólogo é super importante no processo de reabilitação pós lesão cerebral adquirida. É ele quem faz avaliação para estimar comprometimento da memória, atenção, comportamento e vê quais atividades o paciente consegue fazer. Alguns neuropsicólogos tb trabalham com a reabilitação, ou seja, o processo de ajudar paciente e familiar a entenderem as mudanças causadas e planejar novas metas de vida e estratégias para melhorar a memória, atenção e humor. É transformador, sabe?

      Muitas vezes, só a medicação não é suficiente pra cuidar da depressão, principalmente nos casos como o meu e do seu irmão que sofremos a lesão cerebral.
      Já me intrometendo na sua vida sem vc me pedir opinião, fico preocupada tb com vc! Tome cuidado com a retirada do seu medicamento porque vc acha que está se sentindo melhor. Já fiz isso umas 2 vezes e não deu nada certo, pois depois só piorei. Claro que cada caso é um caso, o meu envolve o TCE, mas se vc voltar a não se sentir bem, volte pro medicamento se o psiquiatra concordar, é claro. Não sou médica e estou te falando isso apenas por experiência própria e tb de amigos e pessoas da minha família que não tiveram nenhuma lesão cerebral do mesmo jeito que vc, mas que precisam tomar anti depressivo… Cuide de vc, afinal sua mãe e seu irmão já têm depressão e quando tem uma pessoa que sofre TCE na família, não é só a pessoa que sofreu o acidente que adoece (no caso seu irmão), mas toda a família. Então vc e sua mãe tb têm que se cuidar, não se esqueça disso….

      De que cidade de S.C. vcs são?
      Cristina, me mande notícias. Te mandei um e-mail com uma outra idéia tb. Vamos nos falando….
      Leia tb, aqui no Blog, a aba que acrescentei sobre “visão profissional” acima, pode te ajudar tb.

      Ah, e quanto aos vídeos, estou pensando em colocar uns vídeos aqui tb. Obrigada pela dica!!!!!!!!!
      Beijo grande
      Fernanda

      • Oi Fernanda,

        Então, o Fernando ainda está em teste de medicação, no qual está me deixando muito preocupada, eu não consigo inserir ele na neuropsicologia por que o salário dele está comprometido com os remédios, psiquiatria e fisio. Consegui Fisio pelo Sus para acrescentar, segundo minha mãe que acompanhou ele no dia, ele jogou um sapato nas fisioterapeuta e foi dispensado. Infelizmente, dependo do meu marido, só estou estudando e graças a Deus consegui o FIES, é o que está me ajudando muito. Ele é bem nervoso sabe, na tentativa da gente estimular ele para algo, ele joga o que tem na mão em mim. Ele começou a TO, mas elas fazem dez sessões e dispensam, só que é assim, ele mora com a minha mãe, ela já não tem paciência de ensinar. Eu fico me sentindo impotente, pq volta e meia vejo ela fazendo algo que ele já sabia fazer para ele, Ex: colocar roupa nele, esquentar leite no microondas. E o exercício da TO era ele escrever a data e a rotina dele em um caderno, que não foi cumprido, o dia que eu fui tentar ele me jogou o caderno em mim e minha mãe me proibiu e na verdade, desanima demais. É complicado, ele tá mais calmo, mas pq não está sendo estimulado de forma correta. Fico triste, pq ela também já tem uma certa idade e eu ficar batendo de frente vou acabar ficando mais doente que os dois juntos. Então resolvi me desgastar menos, não posso tomar decisões que não dependem de mim. Eu escrevi o Fernando na Estácio para sessões de Neuropsicologia, mas ainda não chamaram. Sei que tem grande importância sim, mas não conheço o trabalho e não sei te dizer como meu irmão reagiria, ele é muito rígido para mudanças, onde torna as coisas mais difíceis sabe.
        Fernanda, no geral, ele tem apresentando discretas melhoras, mas aparece outras coisas que ele não fazia antes, no qual a Psiquiatra julga ser por causa da sedação dos remédios, ele está com episódios de fazer xixi na cama, sendo que ele caminha. O que noto é que no dia que ele está mais nervoso ele faz xixi naquela noite e já relatei isso para ela e ela acha que é dos remédios, como o urologista também achou. Eu não tenho skype no computador, mas vou dar um jeito de baixar, mas eu queria saber o horário, pq tenho aula a noite. Obrigada pela ajuda, desculpa eu parecer negativa com relação a ele, mas é o que está acontecendo de verdade. Aos meus olhos ele está mais calmo, está até tendo iniciativas discretas, ainda acho que ele só não evolui mais pq minha mãe faz tudo pra ele e acaba estragando involuntariamente. Hj por exemplo, ela saiu, ele virou um disco (estranho) mas minha mãe adora um LP ainda rsrsrs.
        beijocas.

        Cris

      • CRISTINA!!!!!!!!!

        Não peça desculpas por parecer ser negativa… Não é nada disso, vc é uma irmã maravilhosa, vc está fazendo tudo que está ao seu alcance, ele tem muita sorte de tê-la como irmã!!!!

        Sei que é muito difícil toda esta situação que vc relatou… O fato do seu irmão ter ficado depressivo e mais agressivo após o TCE (o que é comum, infelizmente), não aceitar fazer as atividades sozinho sem ajuda da sua mãe… dificulta muito todo o tratamento, o relacionamento com vc e outras pessoas, entre outras coisas… Entendo o problema da situação financeira tb querida, não se culpe por isso. Espero que ele seja chamado pra fazer terapia com neuropsicólogo na Estácio, pois acredito que isso possa ajudá-lo!!!!
        Quando vc baixar o skype, me avisa, tá?

        OBS: Já que a Bruna ainda não te respondeu, ela não é a Bruna Guedes que vc já viu em vídeo não. O sobrenome dela (ela até já colocou aqui no início), é Bruna Morais de Souza!

        Grande beijo querida!!!!!!!!!
        Fernanda

  10. Gostaria de dizer que minha irmã sofreu 3 infartos e 1 avc a 4 meses ficando em coma agora que começou a acordar os técnicos estão dando a ela muitos sedativos como fazer para que isso não aconteça. Só vive dormindo o tempo todo. Preciso de uma luz para saber a quem recorrer.

    • Sirlei, pode ser bom usar sedativos, pois acordada ela pode sentir dores e coisas ruins. meu médico disse que quando dormimos nosso corpo se recupera aos poucos, melhor do que acordados, sei que deve estar morrendo de saudades e vontade de falar com ela, mas paciência foi algo que meu acidente me ensinou, nem tudo ocorre quando queremos e da forma que queremos
      Provavelmente dormir a fará bem.. enquanto dorme o cérebro vai religando os neuronios prejudicados um beijo

    • OI SIRLEI…

      Como a Bruna disse, pode ser bom e talvez seja muito necessário ela ficar a base de sedativos e dormir o tempo todo. Muitos que já escreveram suas histórias aqui no Blog tb passaram por isso… Não se desespere, acredita nos profissionais que estão cuidando dela….

      Não perca a fé, não desanime, a recuperação é longa e difícil, mas as coisas melhoram com o tempo!

      Qualquer dúvida, estamos aqui para tentar ajudá-la.
      Fique com Deus e força!!!! Tente se “acalmar” por mais difícil que seja, pois essa ansiedade traz muito sofrimento pra vc tb.
      Um bjo querida!
      Fernanda

  11. Boa Tarde, meu nome é Ana Claudia e gostaria de dividir a minha historia com vcs.
    No dia 26 de outubro de 2013 meu marido caiu de moto e teve um traumatismo craniano grave. Quando recebi o telefone sobre o acidente meu mundo caiu, saímos as pressas para um hospital da capital onde moro pois aqui na minha cidade não há recursos para isso. Desde então foi uma luta contra o tempo, foram cinco horas de viagem na ambulância mais três dias na emergência aguardando uma vaga na UTI, e finalmente depois de dez dias em coma ele começou a acordar
    ao todo foram 26 dias no hospital. Aparentemente sem lesão alguma, só um tempo depois pude perceber que ele já não era mais o mesmo. Se tornou uma pessoa muito fria, agressiva, se irrita com tudo e tenho que fazer todas as suas vontades e mesmo assim é difícil agrada-lo. A família dele se distanciou eu é que ainda estou lutando mas esta cada vez mais difícil conviver com uma pessoa desse jeito. Ele parece que sente prazer em me diminuir e o convívio com nosso filho ficou difícil, pois ele não aceita ver o pai me tratando desse jeito. Ele não aceita ir a um psicólogo e diz que o problema esta em nós e não nele. Quero ajuda-lo mais as vezes me sinto sem forças e penso em abandonar tudo. Eu e meu filho estamos sem rumo sem saber o que fazer. Se alguém tiver passado por algo semelhante por favor me ajude.

    • Boa noite Ana Claudia,
      Realemnte deve ser muito difícil para voces que nos acompanham entender e aceitar o que ocorre, pois para nós isso já é muito difícil!
      Minha neuropsicóloga que me auxiliou muito, e fez minha familia me aceitar, creio que possa te ajudar, já tem uma página aqui no face justamente para auxiliar os que dofrem TCE
      https://www.facebook.com/pages/Beatriz-Baldivia/623582497778153?fref=ts
      Creio que qualquer duvida deva perguntar a ela, in box.. bju

      • Obrigada Bruna, tenho certeza que ira me ajudar muito. Que bom saber que posso dividir minhas angustias com quem passou por situações semelhantes. Beijos.

    • OI ANA CLAUDIA…

      Todo essa agressividade, irritação, alteração de humor do seu marido são sintomas comuns após a lesão cerebral, são devido ao traumatismo craniano que ele teve ao cair de moto.

      Mas, é importante que a pessoa também queira ser ajudada… Não dá pra ficar assim e ponto final, né? Hj sabe-se que existem recursos que ajudam (nem que seja um pouco) a pessoa enfrentar melhor todas essas reações/sequelas e assim melhorar a qualidade dela e da família, que muitas vezes “adoece” junto com paciente….No caso dele, ele precisaria passar num psiquiatra para que o médico veja a necessidade de uso de medicação para que possa ajudá-lo tb nesses comportamentos e claro, terapia com psicólogo, de preferência, neuropsicólogo. Já expliquei aqui em vários depoimentos a importância desses profissionais nessas situações como a do seu marido, vc deve ter lido, né?

      Mas, tb imagino que como ele não aceita tratamento e na sua cidade seja mais difícil encontrar esses profissionais, eu te mandei um e-mail para que possamos pensar numa outra saída e conversarmos melhor.
      O link que a Bruna te passou é ótimo, eu tb ia te passar. A Beatriz Baldivia é uma neuropsicóloga excelente, trabalha só com lesão cerebral e ajuda muito as pessoas com as informações que ela passa. Vale a pena entrar na página dela, viu?

      Só pra vc saber, algumas “características”/sintomas ou sentimentos podem ser observados em pessoas vítimas de TCE, como por exemplo:
      = fadiga mental e física (a pessoas se cansa mais facilmente após fazer qualquer atividade)
      =vertigem
      =cefaléia
      =medo
      =ansiedade
      =irritabilidade com qualquer coisa
      =impulsividade
      =inadequação social
      =depressão
      =falta de identificação com os outros
      =agressividade
      =desinibição ou apatia
      Isso NÃO significa que todos que tiveram TCE vão ter todos esses sintomas, mas uma mesma pessoa pode ter vários. Saber disso serve de alerta para todos poderem identificar suas reações ou de seus familiares e entenderem que é comum após a lesão isso acontecer e por isso, muitas vezes é imprescindível buscar ajuda profissional…

      Vamos conversar, quero muito tentar te ajudar! Imagino que não deve estar sendo nada fácil pra vc e seu filho.
      Onde vcs moram????

      Um grande bjo,
      Fernanda

      • Oi Fernanda,

        Estou muito feliz em poder esta falando com vc. Realmente não esta nada fácil mesmo, a gente fica sem rumo, sem saber o que fazer.
        Mas não podemos perder a fé. Respondi o seu e-mail e achei ótima a sua ideia, vamos marcar para conversarmos melhor. Muito Obrigada mesmo.

        Beijos

  12. Oi Pessoal!
    Como estão? Eu estava ausente daqui do blog por um tempo, mas não deixei de acompanhar cada estória de vcs.
    Hj eu venho contar algumas novidades… Já tinha falado pra Fernanda e ela me pediu q postasse aqui… enfim, vamos lá!
    Muitos não me conhecem, eu sou a Vanessa, hj tenho 29 anos e fui vítima de um AVC H (Acidente vascular cerebral Hemorrágico), no dia 13/04/2013 nove dias pós parto. A história é longa, rs…
    Mas o q vim contar é o seguinte, passados 2 anos e 3 meses já, eu consegui me recuperar completamente! Eu ando normalmente, falo, penso, raciocino,me locomovo pra todos os lugares agora sem acompanhamento.
    Até uns meses atras, eu não queria sair de casa, não falava com ngm, simplesmente me fechei no meu mundinho vazio e solitário.Estava a ponto de cometer uma loucura, pq não queria mais viver. Eu simplesmente havia desistido da minha vida.
    Só que, com a ajuda de vc’s e principalmente do meu filho que é a minha alegria e minha mãe, que é a minha luz, eu comecei a sair daquela depressão que entrei.
    Resolvi encarar a vida de frente, pq antes eu fazia isso e não tinha medo e muito menos vergonha, então, pq eu teria medo agora?
    Sabe, medo das pessoas, do barulho, dos lugares, de se perder, do que iriam falar de mim… Deixei o medo de lado e fui pra rua.
    Geeeeente, que sensação estranha.. LIBERDADE! rsrs.. isso mesmo! Sensação de estar liberta de mim mesma!
    Comecei a malhar, a fazer Jump, Crossfit e Zumba. Confesso pra todos vc’s que no começo, me dava nos nervos aquilo tudo, aquele barulho, aquele monte de pessoas falando alto e tal.. só que acabei percebendo, que o problema de tudo qe passei, não era culpa de ngm, e eu deveria encarar com tudo!
    E não é que funcionou? :D
    Fiz amigos novos, e pra quem não consegui se mexer.. hj até forró eu danço de novo! kkk sério gente, eu estava muito travada. Tinha ficado paralisada do lado esquerdo.. mas todos os movimentos voltaram agora!
    Não vou dizer pra vcs que foi fácil, pq seria mentira. Ao contrário, ainda é difícil pra mim, mas estou me acostumando com a rotina. Até chegeui a me interessar novamente por alguém (isso pra mim é estranho)! Mas esse caso aí da pessoa não rola não.. rs
    Enfim pessoal.. hj eu só queria compartilhar com vc’s a minha alegria em poder estar voltando ao normal, andando, saindo sozinha ( tendo minha independência novamente), voltando a ter sentimentos por alguém…
    Isso é possível! O meu problema era que EU MESMA ME BLOQUEAVA!
    o pensamento negativo me fazia regredir.. e Hj eu percebi, que mesmo tendo acontecido tudo aquilo comigo, eu ainda posso ser feliz!
    Assim como vcs e seus parentes, amigos, e etc!!
    NÃO DESISTAM !!
    Qdo fico chateada e a vontade de chorar toma conta de mim, lembro de vocês e de cada estória.. e penso comigo:
    Por Deus, pq eu estou triste? Eu sou uma sobrevivente de algo que não tinha cura. De algo que deveria ter me matado instantaneamente… mas não, estou aqui! Mesmo com todos os problemas ainda estou aqui!
    Tenho uma vidinha pra cuidar!!!
    PESSOAL!! NÃO DESISTAM DE NADA E NEM DE NINGUÉM!
    É muito difícil? Sim é! Mas cada provação que passamos hj, é pq tem um livramento maior amanhã!!

    Um abraço bemmmm apertado pra cada um!!
    Especialmente pra vc Fernada!! Se não fosse por vc, eu não estaria mais aqui!!!

    Beijão!!!!

    • Vanessa PARABENS!! aceitar o que nos ocorreu é a parte mais dificil! mas conseguimos!! =) claro que ajuda dos que convivem conosco auxilia muito!

      • Obrigado Bruna!
        Com certeza ajuda e muito!
        Mas, a única coisa que ajuda mesmo é a fé! De todos!!
        Fé em Deus e em si mesmo!! :D

        Fica com Deus!!

    • VANESSA QUERIDA….

      Vou te contar algo bem pessoal… Esta noite tive insônia, não é sempre que tenho, mas depois do acidente foi uma das coisas chatas que “ganhei”, rs. Vc sabe, meu acidente aconteceu tem 8 anos e meio e muuuuuuuuuita coisa já melhorou!!!! Hj me considero uma pessoa feliz, encontrei um marido maravilhoso, mas “altos e baixos” por causa de tudo que me aconteceu no acidente e todas as consequências que ele me deixou (e deixou tb na minha família), ainda acontecem. Acho que esses “altos e baixos” fazem parte da vida de qualquer pessoa e no nosso caso, eles sempre vão existir, em muitos casos, talvez com maior frequência, né? Então, não se culpe quando vc estiver chateada pelo que aconteceu, etc., isso faz parte, somos seres humanos e temos nossas “fraquezas”. Tem gente que passa a vida toda reclamando e nunca passou por nada difícil….

      Enfim, estou passando por um período meio difícil onde desejo fazer algo na minha vida, mas as dificuldades que o acidente me trouxe atrapalham e me impossibilitam, entende? Nessas horas, muita coisa volta à cabeça e as coisas parecem difíceis de novo. Mas, como já passei por várias fases muito mais difíceis, sei que vou conseguir passar por esta tb, mas não deixa de ser um processo sofrido…. Tô te contando isso porque às 5h da manhã abri meu e-mail e qdo vi seu depoimento para aprovar, eu li e “tudo” mudou. Fiquei tão feliz em ler de novo suas conquistas e quando vc agradeceu ao Blog e à mim, foi um presente que vc nem consegue imaginar a importância. Com as minhas dificuldades pra ler, meu cansaço físico e mental qdo leio ou faço qualquer outra coisa, não é muito fácil pra mim escrever pra todos que entram aqui, etc. e quando recebo um depoimento como o seu, eu fico muito feliz porque tenho a certeza que o meu esforço vale a pena e posso ajudar um pouquinho que seja algumas pessoas que entram aqui, rs. Por isso, obrigada!!!!!!! Vc encheu meu coração de alegria hj!!!!

      PARABÉNS mais uma vez por suas conquistas!!!! Fácil não foi e nunca será, mas o pior já passou! Vc já venceu muitas batalhas e vencerá outras. Seu depoimento dará força pra outras pessoas aqui, obrigada por isso tb!!!!
      Mantenha sempre contato!

      Um grande bjo,
      Fica com Deus!
      Fernanda

  13. Boa Noite Fernanda e a todos do blog!
    Meu nome é Jéssica Souza, sou de São Francisco do Sul, Santa Catarina. Tenho 24 anos de idade.
    Em 03/05/2012 sofri um acidente de moto com meu pai. Ele faleceu no acidente e eu tive um TCE grave. Tinha apenas 1% de chances de sobreviver conforme os médicos diziam a minha família e a mim posteriormente. Os ossos do lado esquerdo do meu rosto, Côndilo e Zigomático quebraram-se, sendo que o Zigomático e 2 lugares. Lesionei o musculo braquial do braço esquerdo, onde perdi o movimento do braço por um bom tempo. Realizaram uma laparotomia exploradora em meu abdômen. Fiquei em coma induzido por 27 dias e 37 dias ao total no hospital Municipal São José em Joinville. Fui entubada, depois usei traqueostomia, me alimentava por sonda, peguei a bactéria hospitalar Aspecto Baumannii no braço direito e por fim realizaram cirurgia reparadora no zigomático, pois o côndilo já havia calcificado e a cirurgia reparadora seria muito agressiva.
    Por ter sofrido TCE, acordei com mentalidade de 10 anos, não falava corretamente, não andava, não comia sozinha, e, não sabia porque eu estava naquele hospital. Mal tinha memória, não conseguia dormir e não conseguia fazer definitivamente nada sozinha.
    Então antes de operarem meu rosto o psicólogo do hospital pediu para minha mãe me contar sobre o acidente e a morte do meu pai. E, ela o fez e só de lembrar, me encho de tristeza! Foi o pior momento da minha vida.
    Por outro lado tinha minha mãe e meu namorado Felippe, que cuidou tanto de mim, que imagino que não teria sobrevivido sem os cuidados dele em quanto estive no hospital. Namorávamos a 3 anos. Eu estava no ultimo ano da faculdade de Comércio Exterior. Trabalhava a 3 anos em uma importadora. Tinha 20 anos de idade, meu pai 37, minha mãe 36, minha irmã do meio tinha 15 anos e a mais nova 12 anos.
    Esse é o resumo do que me trouxe a minha vida atual.
    Descobri o blog da Fernanda em 2014, mas nunca tomava iniciativa para dar meu depoimento.
    Ter encontrado este blog foi algo de Deus. Porque ganhei alta no dia 8/06/2012, mas ninguém da minha família recebeu orientação de como lhe dar comigo e muito menos eu sabia o que estava acontecendo comigo. Não me sentia eu e tinha 10000 dificuldades no dia-a-dia. Foi pesquisando sobre TCE na internet que comecei a entender tudo o que sentia, porque pensava como pensava e porque tinha dificuldades para várias tarefas que antes eram fáceis.
    Passei por umas 100 sessões de fisioterapia facial e dos os braços, hidroginástica, algumas sessões de terapia ocupacional e algumas sessões com uma psicóloga. Treinava escrita em casa quase todos os dias, pois eu sou canhota e lesionei o braço esquerdo, mas queria voltar a escrever para voltar a faculdade e ao trabalho. Mas, sofria muito porque tinha esquecido como se escrevia a maioria das palavras. Eu ia até a padaria e olhava todos os produtos expostos e não lembrava do nome de nenhum. Parentes que tinham morrido a anos eu esqueci de sua morte e para mim estavam vivos. Conhecidos me encontravam, conversavam comigo, mas eu não reconhecia. E o mais triste, eu esqueci muitas coisas que vivi com meu pai. Eu só falava besteira quando voltei a faculdade em 8/2012 e a trabalhar em 10/2012. Não lembrava do que eu gostava de fazer, de vestir, eu esqueci quem eu era.
    Acabei escrevendo um livro nesse depoimento. Não sei se alguém conseguiu ler até o final. Mas quero escrever mais, porque quero falar detalhes do que pensava, sentia, penso, sinto e tudo sobre o meu processo de recuperação para poder ajudar a entender melhor o que acontece com alguém que sofre um TCE.
    Sempre me senti sozinha, até encontrar esse blog, porque aqui leio depoimentos de pessoas que passaram pelas mesmas dificuldades que eu ou ainda tem dificuldades como eu tenho. E me conforta saber que é “normal” tudo isso. Sofri um TCE grave!

    Um abraço a todos! Fiquem com Deus!

    • Jéssica li seu depoimento todo, isso que após meu tce grave tb eu não consigo mais ler nada longo.. parabens! rs
      Passei por muitas coisas parecidas com voce, não ocorreu nada com meu pai , estava sozinha no carro, mas diferente de voce, meu namorado da época, com quem namorava a 3 anos ficou comigo por um ano após o acidente e disse que deixei de ser quem eu era.. terminando comigo, como se eu tivesse alguma culpa, tivesse sido algo que eu procurei né.. mas tudo bem hoje já estou bem .. com um namorado lindo que conheci após o acidente e que entende meus surtos rs.. mas demorei um mes falando com ele todo dia para reconhece-lo, não reconheço mais pessoas que conheci após o acidente, em questão de trabalho não consegui voltar a trabalhar, tentei mudar de área mas ai veio o esquecimento, as crises nervosas e fui demitida, agora passei num concurso numa vaga para deficientes, e estou esperando me chamarem para trabalhar…
      Me emocionei muito com o que disse.. após sair do hospital minha tia faleceu e eu cheguei a perguntar p meu pai o que era um velorio e um enterro, e eu nao conseguia chorar, demorei para isso.. até um ano após com o termino do meu namoro nao conseguia chorar.. é foram momentos muito dificeis como creio que foram para voce tambem! mas hoje estamos aqui, vivas, somos novas pessoas! e aproveitamos cada minuto pois sabemos que sem esperar podem acabar.. =)

      • Bruna!
        É tão bom ler tudo o que você escreveu! Não me sinto sozinha! Saber que esses problemas que enfrentei e enfrento são sequelas do TCE é reconfortante. Digo isso porque,

        Eu e meu pai éramos muito unidos, parecidos, admirávamos muito um ao outro. Ele era muito jovem e era a única pessoa que me fazia sentir confiante e ter objetivos a alcançar.
        Após chegar em casa e passar por tanta dificuldade por causa das sequelas não foi pior do que chegar em casa e não velo lá. Então, entrei em depressão, e, meus sentimentos, pensamentos, reações e tudo o que eu sou nessa nova pessoa me deixavam confusa. Algumas pessoas diziam que eu estava assim pela morte do meu pai, outras que era por causa do TCE e nem eu sabia mais porque ficava triste do nada, ficava irritada facilmente, agressiva, queria me isolar, falava o que não devia, vivia ansiosa e tudo mais que você sabe que passamos.
        Eu nunca me identifiquei muito com minha mãe. E acho que o acidente e a morte do meu pai abalaram a vida de todos. Assim, nossa convivência ficou insuportável. Então, meu namorado e eu fomos morar juntos no mês de Outubro do mesmo ano.
        Hoje, estamos juntos. Os conflitos de família se foram. Mas, a “nova” eu, ainda enfrento dificuldades. Já tentei suicídio algumas vezes. Os antidepressivos que tomava não me ajudavam. Minha família decidiu me internar na ala psiquiátrica de um hospital. Mas a psiquiatra do hospital que me consultou disse que não havia necessidade.
        E, TUDO isso aconteceu porque eu não tinha o apoio de ninguém. Ninguém entendia minhas novas condições. Cheguei a imprimir artigos sobre sequelas de TCE para meu marido ler e entender porque mudei, mas ele nunca leu, não se interessou. Desde quando ganhei alta até hoje, a família do meu marido, meus amigos, minha família, todos reclamam de mim. Então familiares de pessoas que sofreram um TCE sabiam que nós precisamos de apoio e compreensão. Porque vamos mudar de personalidade sim. Eu por exemplo, posso dizer que nasci em 03/05/2012. Porque sou outra pessoa. Mas a culpa não é minha. Já li que essas sequelas se estinguem em até 15 anos, que vão sumindo gradativamente, mas eu já me conformei com quem sou agora. Então procurem saber tudo sobre TCE, sequelas, tratamentos. Assim, vai ser muito mais fácil a vida de quem sofreu o TCE. Minha família simplesmente me levou para casa, como se eu tivesse sofrido um acidente comum.
        Agora, quero falar sobre adaptações.
        Como já sabem, eu sempre estive sozinha, só eu entendo porque sou como sou. Sempre fui estudiosa, trabalhadora, esforçada e persistente.
        Assim, após chegar em casa eu comecei a escrever textos todos os dias, tentava ler livros (mas assim como a Bruna não consigo ler, assistir e raciocinar muito tempo). Mas eu persisti!
        Voltei a faculdade. Eu ficava das 06:00 da manhã até as 22:30 na faculdade, colocando o estudo em dia. E por um milagre de Deus eu consegui me formar naquele ano. Eu havia esquecido como se escrevia as palavras, passava o dia com dor de cabeça, me cansava rápido, não conseguia me concentrar, e, me formei! Apresentei até meu outro TCE (Trabalho de Conclusão de Estágio) rsrsrsrs. Tirei duas notas 10,00 e uma nota 9,5.
        Detalhe, só consigo escrever um texto no Word porque tem corretor ortográfico. E vivo com um caderno, onde anoto tudo! O caderno foi a melhor idéia que tive. Facilita muiiito minha vida.
        Em relação a voltar ao trabalho, foi o oposto, não deu certo!
        Esqueci de colegas de trabalho, número de telefones, endereços de e-mail, esqueci o que eu fazia lá, minha função. Fique mais 2 anos na empresa. Um por lei, porque foi um acidente de trabalho porque eu estava indo ao trabalho, a empresa fez a CAT e me deu 1 ano de estabilidade após o acidente e outro ano porque meus superiores tinham pena de mim.
        Na minha cidade é muito difícil de conseguir um trabalho. Eu consegui com muito sacrifício trabalhar em um restaurante. Mas tive que sair porque não consigo mais me concentrar, raciocinar e ter vida social como antes. Meu psiquiatra do SUS, me afastou do trabalho por 3 meses. Mas tive que conseguir um emprego, por que vou financiar minha casa pela Caixa Econômica Federal e preciso de 4 meses de comprovante de renda. Então estou me segurando porque é muito difícil trabalhar e porque ganho muito pouco para a função que exerço. Trabalhar, para quem sofreu TCE é muito triste. Porque ninguém da empresa sabe que sofri um TCE e que tenho dificuldades. Até penso que se souberem, podem me demitir.
        Faço acompanhamento a quase de 1 ano, com uma maravilhosa psicóloga, Giana Rodrigues que está se especializando em Neuropsicológia. Se eu não tivesse esse escape com a Giana, não conseguiria aguentar o dia-a-dia. Me faz muiiiiito bem conversar com ela.
        Deu de escrever outro livro aqui por hoje! rsrsrs

        Bruna, pode me enviar um email com seu número de telefone? Gostaria muito de falar com você sobre prestar concurso público. Meu endereço de e-mail é jts.jeh@hotmail.com

        Abraço a todos!!!

      • JÉSSICA MINHA QUERIDA…

        Que depoimento emocionante, sincero e vc conseguiu passar detalhes como realmente acontece com a gente que sofreu um TCE… MUITO OBRIGADA POR COMPARTILHAR SUA HISTÓRIA AQUI!!!!!!!! Adoro depoimentos longos, viu? Não se preocupe com o tamanho do texto.
        Entre várias outras dificuldades que tenho após o acidente, eu tb fiquei com dificuldade pra ler, eu leio bem devagar e o pior: me canso muito rápido. Mas, acho incrível quando a pessoa coloca detalhes, escreve bastante, pois assim temos muito mais noção de como é a situação…

        Manter esse blog não é tão fácil pra mim devido as sequelas que fiquei após o TCE, mas é por motivos que vc mesmo disse (falta de informações sobre o assunto), por depoimentos como o seu e de várias pessoas aqui, que me esforço e me sinto muito feliz em estar aqui e tentar ajudar um pouquinho que seja. Eu sou de formação da área da saúde, sou fonoaudióloga, apesar de não exercer mais depois do meu TCE. Por isso, após sofrer o acidente, eu tinha noções (depois de melhorar bem e conseguir pensar melhor, rs) de algumas coisas relacionadas ao cérebro, fala, traqueostomia e ainda conhecia bons profissionais da área. Sempre tive muita ajuda profissional e muito apoio de familiares e amigos. Sei que sou privilegiada por isso e sei também que como aconteceu com vc, muitas pessoas saem do hospital, vão pra casa, como se tivessem sofrido um acidente comum, quebrado um braço, sei lá…. Parece que tudo vai passar de uma hora pra outra e o pior: as pessoas saem sem saber das consequências graves que têm um TCE na vida, no dia a dia de uma pessoa. Aí a pessoa que tem o TCE fica perdida e se culpa e os familiares e amigos não entendem nada e só cobram fazendo toda a situação piorar ainda mais, né? Isso tudo que vc nos contou que aconteceu com vc é um dos grandes motivos que quis ter este Blog. Sei que os acidentes acontecem todos os dias, as pessoas saem do hospital sem informação e a família e o paciente começam a viver num caos.

        Jéssica, vc é uma guerreira incrível e uma vitoriosa!!!! Orgulho de vc! Mas voltar aos estudos e ao trabalho logo após o TCE é loucura. No seu caso, com relação aos estudos, deu certo, mas é muito difícil e tenho certeza que “judiou” muuuuuuuito de vc! Vc poderia ter evitado alguns sofrimentos, mas já foi, vc conseguiu e está de parabéns. Muitas pessoas, a grande maioria, a primeira coisa que querem fazer, é retornar a vida normal de antes, estudo, trabalho, etc. O retorno ao trabalho é muito complicado e muitas vezes prejudica mais ainda a situação emocional do paciente. Tudo que vc sente e diz que sentiu não é psicológico, é da alteração do funcionamento do seu cérebro devido ao TCE, entende? Então, não se culpe nunca!!!!!! Nós não temos o controle disso tudo sozinhas, precisamos sempre de ajuda!
        Fico feliz de vc fazer acompanhamento com uma psicóloga que está se especializando em neuropsicologia. Isso ajuda e é fundamental para recuperação.

        Seu caso é muito semelhante ao meu em várias coisas, mas uma coisa que faz toda a diferença, na minha opinião, é quando tem morte envolvida. No meu caso, vc já deve ter lido aqui (o primeiro depoimento daqui é o meu), no mesmo acidente morreram meu marido da época e minha amada irmã. Foi uma dor dilacerante tudo que vivi. Foi muito sofrimento, muito, muito… Era o sofrimento das perdas, o sofrimento de ver meus pais e minha irmã caçula sofrendo absurdo e ainda tinha o sofrimento das consequências do acidente…. Nossa, tb não gosto nem de lembrar! Como vc perdeu seu pai tb no acidente, vc sabe o que estou falando e isso é desestruturador.

        Jéssica, meu acidente foi em janeiro de 2007 e até hj não é fácil. Acredito que nunca será, mas acredito que com o tempo, tudo pode ficar melhor entende? O que aconteceu com a gente, as mortes e o TCE, deixaram sequelas físicas que são aparentes e outras não e tb deixaram sequelas forte na alma. Para essas cicatrizes da alma não existe nem plástica para deixá-las melhor, entende? Vamos ter que conviver com tudo isso pra sempre. Mas, somos fortes, vc já provou isso tb e vamos conseguir. Chegamos até aqui, vamos conseguir ir adiante. Muita fé, força, determinação, amor…esse é o caminho.

        Vc comentou das suas tentativas de suicídio e foi muito corajoso da sua parte dizer isso aqui. Vc é acompanhada por psiquiatra???
        Jéssica, eu, sem remédio, sem tomar anti depressivo, acho que faria o mesmo que vc. A depressão é uma das consequências do TCE tb e nós duas tivemos o agravante da morte de pessoas amadas no nosso acidente. Isso não é brincadeira!!! Hj eu tenho consciência que no MEU caso (não é com todo mundo que acontece assim) vou precisar de medicação a vida toda talvez e hj em dia, as medicações são muito seguras e nos protege de várias outras consequências ruins, entende? Vale a pena rever esses conceitos e crenças erradas com relação à medicamentos como anti-depressivos, etc.

        Quero muito te conhecer pessoalmente. A Bruna me contou que vcs conversaram. Eu, Bruna, o pessoal do grupo que participamos aqui em SP, vamos fazer parte de um simpósio que acontecerá nos dias 06 e 07 de novembro deste ano em SP. No dia 07, sábado, será só para os familiares. Se programe pra vir com seu marido, será muito legal. Assim que sair o folder do simpósio, avisarei aqui no Blog. Estou te avisando antes pra vc se programar. Seu marido vir tb pode ajudá-lo compreender muito de suas reações e ajudá-lo a te ajudar tb. O que acha?

        Vc disse que acompanha o Blog desde 2014, agora que entro aqui, não nos deixe mais. Seja muito bem vinda!!!!!!!!!!! Vc tb pode ajudar muitas outras pessoas que estão passando o mesmo que vc já passou ou ainda passa!

        Tem um depoimento muito legal de uma pessoa aqui do Blog, que hj é um amigo, que seria muito legal vc ler. Ele tb se sentiu muito “sozinho”, sem informações nenhuma assim como vc. Vou te passar o link do depoimento que ele colocou aqui no Blog. Qdo vc puder, leia e se quiser conversar com ele, escreva pra ele aqui no Blog que ele acompanha sempre tudo que acontece aqui. O nome dele é FRAN GIRÃO e o link é: https://drive.google.com/file/d/0B_elPZcJD6ohbmw4LW9CM3lFVWM/view?pli=1

        Grande beijo
        Fernanda

  14. Meu tio caiu da escada e teve um trauma muito grande no crânio. Ficou na UTI uma semana e posteriormente mais uma semana hospitalizado. Ele ficou muito agressivo e teve que ficar sedado e amarrado todos os dias no hospital. Não reconhece alguns familiares e apresenta confusão mental. O problema maior é que ele é alcoólatra e fumante e agora recebeu alta. A família está desesperada pois ele pede para fumar o tempo todo e está muito agressivo gritando que quer sair o tempo todo e ninguém sabe o que fazer. Sei que precisa de ajuda profissional, mas qual exatamente ? Como eles devem proceder nesse caso, pois ele realmente está muito agressivo e se nega a tomar a medicação?
    Desde já agradeço.
    Fabio

    • Fabio, agressividade e esquecimento são coisas comuns em pessoas com lesão cerebral.
      Tente um psiquiatra e um neuropsicólogo, foram os que me ajudaram, temos que sair do jargão que psiquiatra é médico de louco, não passa de um psicólogo que pode receitar medicamentos.
      Tente mante-lo ocupado para que ele não se lembre desses itens!
      beijo

    • OI FABIO…

      Escrevi pra vc hj mais cedo e de repente apertei uma tecla errada e perdi tudo que tinha escrito!!!!!!!!!!!! Não vou conseguir lembrar tudo que te escrevi, mas vamos lá!rs

      Como explicou a minha neuropsicóloga Beatriz Baldivia: “essa agressividade (que pode ser verbal, física ou ambas) decorre da agitação do cérebro após o coma, após o trauma… É uma condição passageira. Também pode ocorrer do paciente ficar com comportamentos diferentes do habitual, por exemplo, xingar ou ficar desinibido ou ainda ficar desorientado, sem saber o que está acontecendo e repetindo perguntas. Esse momento do pós coma, esta agitação e confusão mental passa. Ainda é muito cedo para dizer se seu tio ficará com alterações no comportamento, elas começam a ser percebidas depois de seis meses (mais ou menos). Nessas duas fases, a mudança decorre da alteração do funcionamento do cérebro, não do estado psicológico do paciente. Pelo contrário, o paciente tende a não perceber as mudanças que não são físicas e precisa de ajuda para compreende – las. Daí sim, quando chega nesse momento de percepção pode ocorrer sintomas depressivos ou de ansiedade pela sua condição.”

      Pelo que percebi no seu depoimento parece que a queda do seu tio foi recente, estou certa? Fabio, oriento vc dizer pra sua família levar seu tio num psiquiatra o mais rápido possível, pois o uso de medicamentos pode ajudar muito nesta fase. Ele já está sendo acompanhado por um neurologista ou psiquiatra após a saída do hospital?
      Vc disse que ele se recusa a usar medicação, mas talvez algum médico conversando com ele, consiga convencê-lo ou o médico oriente a família a dizer que o motivo do medicamento tb irá ajudá-lo em outros sintomas que tb o incomodam, como a necessidade do fumo e álcool, sei lá… Existem medicamentos que ajudam muito a controlar a ansiedade e irritabilidade… É importante que vcs façam essa tentativa.

      Essa fase é dificílima não só para a pessoa que sofreu o TCE (traumatismo crânio encefálico) mas para família que tb, afeta todos. Se ele não aceitar psiquiatra leve-o ao neurologista, talvez ele aceite melhor, não sei. Indiquei primeiro o psiquiatra porque nesses casos pode ser mais indicado. Mas, ao mesmo tempo, como a Bruna comentou, infelizmente ainda existe o preconceito com o psiquiatra por pura falta de conhecimento por parte das pessoas, não sei se é o caso do seu tio. Psiquiatra não é médico de loucos de jeito nenhum!!!!!!

      No meu caso, o psiquiatra e o neuropsicólogo foram fundamentas e são até hoje!

      Essas reações do seu tio como esquecimento, nervosismo, agressividade, confusão mental são decorrentes da queda, do traumatismo que ele teve entende? Ele precisa de ajuda desses profissionais.

      Vai mandando notícias…. Espero que eu e a Bruna tenhamos ajudado um pouco.
      Abraços,
      Fernanda

      • Olá Fernanda,
        Muito obrigado pela atenção e pela ajuda. Meu tio realmente apresenta todos os sintomas que você relatou acima e voltou ao hospital porque que em casa estava realmente muito difícil para a família, pois a agressão era verbal e física e como já dito ele se recusa a tomar a medicação. Bom, no hospital, continua com os mesmos sintomas, mas pelo menos, tem os profissionais para ajuda-lo com a medicação para diminuir a ansiedade e agressividade. Ele vai passar sim com um psiquiatra e esperamos que aos poucos tudo se amenize, pois não é fácil pra ninguém. Por outro lado, vamos ter fé e pensamento positivo. Muitas vezes é através da dor que algumas pessoas conseguem se livrar de alguns vícios, infelizmente, mas ainda assim, tem um lado positivo. Temos que ser pacientes e aguardar as mudanças fisiológicas e comportamentais. A família está com medo de retornar pra casa, pois, realmente a situação foge do controle sem ajuda profissional e se realmente não houver outra opção terão que interná-lo numa clínica de reabilitação.
        Obrigado novamente.
        Fabio.

  15. Bom Dia com Alegria! Posso entender o que aconteceu em sua vida, meu nome é Samuel Falcão, 47 anos, supervisor da área da Petrobrás contratado por uma terceirizada, e no dia 24/09/2004, eu voltava de Resende, cidade próxima a minha (Piraí), visitei então o city gate de Piraí, era uma sexta-feira, eu estava muito cansado, estava construindo minha casa em Piraí, vivia uma união estável, com minha bela Eliana Jancke, eu era feliz antes do acidente, mas, neste dia terminei meu serviço, e voltava para casa descansar, e acabei dormindo na direção de meu carro, removido pelo resgate, fui levado para o Hospital da UG em Volta Redonda, fratura do fêmur esquerdo em três partes, fratura dos braços hoje com 11 parafusos, um TCE grave com coagulo no cérebro, deixando lesões múltiplas no cérebro, criando cicatrizes deixadas pelo ferro existente no sangue, mas gosto de dizer que o acidente foi um presente de Deus que recebi, pois eu dormia mal, me alimentava mal, farras e bagunças, e até vícios como beber e fumar, mas graças ao acidente, me afastei de tudo, vida saudável daqui pra frente, com o acidente esqueci o passado, meu trabalho, então me aposentaram por invalidez, ganho ainda a majoração salarial de 25% sobre minha aposentadoria, e mais a isenção do IRPF, com isso posso dizer que hoje sou mais tranquilo. Com tudo acontecendo muito rápido, minha ex decidiu se separar e ir viver a vida dela, mas ela me ajudou até que eu me aposentasse, e depois foi descansar, eu entendo, pois ela é uma mulher fantástica que ficou do meu lado o tempo todo, trocando fraldas, cortando unhas, fazendo barba, me alimentando na boca, escovando meus dentes, pois eu sofri fratura dos membros superiores com 11 parafusos hoje, fora a perna esquerda, três fraturas, sendo uma exposta, perdi 2 cm da perna esquerda, mas posso andar, uso uma palmilha compensatória, e gosto muito de pedalar, hoje faço 15 km de manhã, com 400 abdominais, a tarde por volta das 15:00h repito os exercícios, minha alimentação é peixe no almoço e aveia a tarde, mas voltando a amnésia, decidi voltar a estudar, fui a um colégio que estudei em minha infância, e consegui uma transferência e voltei a estudar do quinto ano do fundamental, terminei e fui para o ensino médio, também terminei agora em 2014, fiz o Enem e prestei o vestibular para Federal, mas não passei, agora sentei aqui para pensar no que posso fazer, pensava em fazer um blog de auto ajuda, subir a autoestima de pessoas que buscam a alegria e a paz, e me deparei com este blog, deixo aqui parte de minha história, sou solteiro, minha mãe é viva, mas está com idade avançada, mora um pouco afastada, então moro só, bem, eu meu cachorro “Toy Henrique” (poodle) e minha gatinha “Antonieta Valentina” (vira-lata).. O segredo é ser feliz, nunca reclamar, não importa o que você perdeu, mas sim o que você ainda pode conquistar, viva intensamente um dia de cada vez, estudar para mim foi muito bom, agora se eu conseguir, vou fazer a faculdade, ou algum curso, não sei ainda, não detalhei tudo o que aconteceu, acredito que aprendo com meus erros (amadurecer e crescer espiritualmente), ou seja aprendo com meus erros e acertos todos os dias, sou feliz, ou tento ser, mas a solidão ainda me machuca, sei que um dia eu aprendo a conviver, pois viver é muito fácil, administrar o financeiro sem apego, e administrar meu tratamento neuropsicológico com meu amigo Dr. Francisco Di Biase já faço este a mais de 10 anos, deixo aqui meu abraço, e digo que não podemos deixar de acreditar, pois dias melhores virão..(eu acredito!)
    Atenciosamente,
    Samuel Falcão

    • Samuel realmente fiquei emocionada com seu depoimento.. também sinto que algumas coisas por piores que sejam ocorrem para nosso bem.. ótimo para você conseguir aposentadoria pois no meu caso não consegui e conheço outras pessoas que também nao conseguiram.. então como eu ainda enfrentam dificuldades financeiras, dependem dos pais como é meu caso, do marido, dentre outros..
      PARABENS por ter se formado! não desista de estudar e conseguir uma faculdade.. tente outras.. insista não desista!
      Bom saber que realiza um tratamento neuropsicológico, pois no meu caso meu auxiliou muito!
      Meu ex namorado também me deixou após meu acidente, ficou comigo por um ano ainda.. mas hoje entendo que fui um peso muito grande para ele.. pois levei 3 anos para voltar ao que podemos chamar de meu estado normal.. rs
      Mas após esses 3 anos conheci uma pessoa Linda com quem já namoro a 2 anos e meio e me faz muito feliz! Claro também é difícil para ele aceitar minhas crises meus chiliques.. mas graças a Deus me entende, aceita e ajuda! um beijo

    • SAMUEL…

      Que história linda de luta, força, determinação, superação, vitórias!!!!!!!!!!!! PARABÉNS POR TUDO!!!!!!!
      VC É UM GUERREIRO!!!!

      Todos aqui “sabemos” que tudo que vc passou foi muito difícil…. Chegar até aqui e hj conseguir sentar pra escrever tudo que passou, conseguir “entender” e agradecer muita coisa que aconteceu, etc., exigiu muito esforço, muita fé, muita luta, muita compreensão, amor, determinação e não foi de uma hora pra outra, né? Mas, o importante é que vc não desistiu e está aí pensando em fazer mais e mais!

      Meu acidente faz 8 anos e meio e tb foi um processo de recuperação longo e árduo. Meu depoimento é o primeiro daqui, não sei se vc leu…
      A vida nossa mudou pra sempre e temos que saber lidar com isso da melhor forma possível todos os dias…
      Eu tb faço até hj acompanhamento com neuropsicólogo, psicólogo e psiquiatra pra ajuste de medicamentos que no meu caso são essenciais. Tenho muito apoio da minha família, amigos e marido (me casei de novo).
      Manter este Blog me ajuda muito, me deu um novo sentido pra minha vida. Ajudar as pessoas me traz muita satisfação…

      MUITÍSSIMO OBRIGADA POR TER COMPARTILHADO SUA HISTÓRIA CONOSCO. Seja muito bem vindo aqui no blog!!!!!! Entre sempre que puder, vc tem muito a contribuir com outras pessoas que estão no começo desta jornada que sabemos não ser fácil…

      Um forte abraço pra vc! Adorei os nomes dos seus “companheirinhos”: Antonieta Valentina e Toy Henrique! E esses são companheiros mesmo, né? rs. Muito bom, só trazem alegria!!!!!

      Fernanda

  16. Ola. Meu filho com 36 anos, do nada, esportista,empresario, teve aneurisma cerebral roto na basilar. Colocou DVE, Stent.Teve infecao,Meningite bactefiana e ventriculite. Retiraram o cateter,pois a infeccao foi na ponta deste. Nao recolocaram a DVE.Teve vado espadmo grave e partiu de hipertensao intracraniana.Teve morte cerebral. Algum caso parecido. Os medicos nao quiseram recolocar outro dreno por causa da infeccao. Disseram que tomaram todas as medidas clinicas para a hipertensao. Inconformada

    • REGINA MINHA QUERIDA…

      Tô muito triste ao ler o que aconteceu com seu filho…

      Meu nome é Fernanda e sofri um TCE com 29 anos, minha irmã faleceu com 27 anos e meu marido com 29. Meu depoimento é o primeiro daqui. Imagino seu sofrimento…. Vi e vejo minha mãe passar por tudo isso tb, imagino (mesmo que de longe) o quanto vc está sofrendo pelo seu filho…

      Tenho amigas (que conheci depois do meu acidente) que sofreram aneurisma, de repente tb e jovens. Sei que não dá pra entender porque essas coisas acontecem assim, né?
      Eu não tenho conhecimento pra te falar algo com relação às medidas médicas que foram tomadas com seu filho. Tomara que alguém aqui leia seu depoimento e possa te ajudar…

      Vcs moram onde?
      Só quero que saiba que colocarei seu filho nas minhas orações e vc tb.
      Tenha força, não perca a fé!!!
      Fique com Deus querida…
      Um grande bjo e um abraço bem apertado!

      Fernanda

      • Eu moro em Jundiaí, mas estou sempre em S.P., pois meus médicos e neuropsicólogos são daí e tb participo de um grupo com pessoas que sofreram lesão aí em S.P….
        Estou com seu filho em minhas orações…
        Fé!!!!!!!!
        Me mande notícias quando possível….

        Grande bjo e que Deus conforte seu coração…
        Fernanda

  17. Olá pessoal.

    Faz algum tempo que não escrevo, meu cunhado sofreu um grave acidente de carro em 29/04, com perda de massa encefálica, ainda está internado mas logo sairá do hospital, recebeu alta e estamos aguardando apenas a disponibilização do home care.
    Li em alguns depoimentos as dificuldades em relação à continuidade do tratamento pós alta, o que devem saber é que há sim como recorrer à justiça e solicitar ao SUS o home care.
    Se não tiverem condições de arcar com as despesas de um advogado procurem pela defensoria pública da sua localidade ou então vão até uma unidade da Casa do Advogado (OAB) e procurem por um defensor público.
    Certamente com as condições em que os pacientes ficam mesmo após a alta médica, certamente a decisão judicial será favorável quanto à disponibilização do home care (internação domiciliar), e conforme as necessidades do paciente terão acesso a enfermeiro, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, etc.
    Acho que vale a pena buscarem informações.
    Boa sorte a todos, e que Deus os abençoe.

    Bjs

    Érica Pimenta

    • QUERIDA ÉRIKA!!!!!!!!!!!!

      MUITO OBRIGADA POR PASSAR ESSAS INFORMAÇÕES AQUI!!!!!! OBRIGADA MESMO!!!!!

      Fico imensamente feliz qdo vejo aqui no Blog vocês se ajudando, passando informações, etc. Esse é o maior objetivo do Blog e é a minha maior motivação de mantê-lo “no ar”….

      Que bom que seu cunhado sairá em breve do hospital e deu tudo certo com o home care….
      Não esqueça da gente aqui, rs, mande notícias!!!! E se precisar de algo que eu possa fazer, me diga que terei o maior prazer em ajudá-los!

      Bjo, Fernanda

      • Eu que agradeço Fernanda!

        Em relação ao meu cunhado estamos muito otimistas! A lesão dele realmente foi gravíssima devido a perda de massa encefálica, os médicos praticamente desenganaram, haviam dito que ele não ficaria melhor do que já estava, ou seja, apenas ficaria acordado mas sem interagir.
        Descobriu-se após esse prognóstico que ele estava com hidrocefalia, após a cirurgia para colocar o dreno ele está interagindo em muitas coisas! Responde a comandos, manda beijos, sorri quando falamos do filhos, está até tentando falar! Conseguimos ler seus lábios quando tenta falar algo, reconhece as pessoas, graças a Deus está bem melhor que havíamos previsto.
        Certamente com os cuidados em casa, terapias mais intensificadas ele ficará melhor ainda!
        Obrigada pelo apoio, continuarei enviando notícias.

        Érica.

  18. Boa tarde gente! Meu marido tem 29 anos e foi atropelado pelo um ônibus. Teve TCE grave e ficou em cima induzido por 15 dias. Quando foram tirando as medicações ele foi acordando e até reagindo bem aos estímulos.Teve que aprender a falar, andar, tudo de novo e graças a Deus ele hoje está fazendo tudo sozinho. Já dirige, vai ao banco, só que a fala dele é um pouco embolada e o andado dele é um pouço torto.Tem ataques de raiva, fica muito nervoso, grita, xinga com coisas que antes eram banais. As vezes é muito difícil conviver com ele. A memória dele também não está muito boa, esquece palavras, o que vai dizer. …Enfim queria saber se tudo isso é normal tem 10 meses o acidente.

    • Ola Raquel, sofri um acidente faz 5 anos e faço parte de um grupo de SP para pessoas com lesão cerebral, e Infelizmente tenho que informar que estes sintomas ocorrem com 90% das pessoas que sofrem lesão cerebral..
      Eu fiquei muito agressiva também, agrido, berro, me estresso por coisas que antes eram insignificantes para mim, mas após estes surtos passam 5 min e me acalmo e é como se nada houvesse ocorrido, minha neuropsicóloga disse que perdi o freio, falo coisas sem pensar, penso somente após falar, e me irrito muito facilmente
      Quanto a perda da memória recente ocorre também por isso. A Fernanda indica acima para utilizarmos uma Agenda, o nível de perda de memória depende do local da lesão.. mas 90% são prejudicados por isso..
      Busque uma neuropsicóloga para ele e passe com uma também, me auxiliou muito a me controlar e aprender a conviver com meus familiares e os fez entender que não adianta exigir não sou a mesma de antes…vou divulgar um site que minha neuropsicóloga indica.. boa sorte!

      http://sbnpbrasil.com.br/neuropsicólogos

    • OLÁ RAQUEL..

      Sou a Fernanda, meu depoimento é o primeiro daqui. Eu tb sofri um TCE com 29 anos. Hj tenho 38 e já melhorei muito. Leia minha história aqui no início, talvez possa te ajudar um pouco….

      Que bom que seu marido já evoluiu tanto em 10 meses apenas. Tudo que aconteceu com ele ainda é muito recente, principalmente qdo falamos de lesão cerebral…
      A Bruna te passou importante informações abaixo. Muito legal…

      Qdo li seu depoimento, o que pensei em te dizer é muito parecido com o que escrevi há pouco tempo pra Solange num depoimento anterior. Não copio as respostas que dou para as pessoas, sempre gostei de falar individualmente pra cada um e mesmo que leve bem mais tempo, pra mim, cada pessoa que entra aqui tem total atenção minha (ou pelo menos o máximo que eu consigo dar após o meu TCE).
      Mas, contrariando um pouco isso, e caso eu te peça pra ler o que respondi em outro depoimento e vc não ache, eu vou copiar aqui o que escrevi pra ela e que serve tb pra vc, tá???

      Raquel, usando exatamente as mesmas palavras da minha neuropsicóloga Beatriz Badivia: “essa agressividade, esta alteração de comportamento, toda esta mudança decorre da alteração do funcionamento do cérebro, não do estado psicológico do paciente. Pelo contrário, o paciente tende a não perceber as mudanças que não são físicas e precisa de ajuda para compreende-las. Daí sim, quando chega nesse momento de percepção pode ocorrer sintomas depressivos ou de ansiedade pela sua condição.”

      Algumas “características”/sintomas ou sentimentos podem ser observados em pessoas vítimas de TCE, como por exemplo:
      = fadiga mental e física (muito cansaço após fazer “qualquer atividade”
      vertigem
      = cefaléia
      = medo
      = ansiedade
      = irritabilidade com qualquer coisa
      = impulsividade
      = inadequação social
      = depressão
      = falta de identificação com os outros
      = agressividade
      = desinibição ou apatia

      Isso NÃO significa que todos que tiveram TCE vão ter todos esses sintomas, mas uma mesma pessoa pode ter vários. Saber disso serve de alerta para todos poderem identificar suas reações ou de seus familiares e entenderem que é comum após a lesão isso acontecer e por isso, muitas vezes é imprescindível buscar ajuda profissional…

      O acompanhamento com neurologista/psiquiatra muitas vezes é fundamental tb, além de um neuropsicólogo que pode ajudar bastante. No meu caso, esses profissionais foram importantíssimos na minha reabilitação. O papel do neuropsicólogo é super importante no processo de reabilitação pós lesão cerebral adquirida. É ele quem faz avaliação para estimar comprometimento da memória, atenção, comportamento e vê quais atividades o paciente consegue fazer. Alguns neuropsicólogos tb trabalham com a reabilitação, ou seja, o processo de ajudar paciente e familiar a entenderem as mudanças causadas e planejar novas metas de vida e estratégias para melhorar a memória, atenção e humor.

      Raquel, são muitas informações, né? Mas consegui te explicar um pouquinho o que está acontecendo?

      De que cidade vcs são?
      Não é só o paciente quem sofre e adoece, a família tb!!!!!! Aconselho vc tb buscar ajuda de um profissional (psicólogo ou neuropsicólogo). Isso será bom pra vc e para seu marido, pois a situação é difícil pra vcs dois.

      Mande notícias…. Vamos nos falando pra ver no que eu vou podendo te ajudar…
      Bjo grande pra vc!!!!

      Fernanda

  19. Oi amiga Fê, Bruna e a todos os amigos do blog..
    Quero dizer que nunca, nunca mesmo me esqueço desse espaço que temos aqui.. Quero contar as novidades, ótimas graças a Deus.
    Willyan está andando, e foi a padaria hj com meu pai. Estamos tão felizes, ele se supera a cada dia, tenho tentado me aproximar mais do universo dele, tenho tentado entender melhor sobra a síndrome de down, sobre o AVC, e principalmente sobre a vida, sobre como viver e entender a vida. Hj estou mal, ou melhor ESTAVA, ontem completaram 7 meses que ele saiu daquele hospital. Vida nova, sim fico feliz, mas não consigo esquecer todas as coisas ruins.. as vezes fico questionando acredita.?! me sinto uma má agradecida egoísta ao vê-los aqui cheios de vida compartilhando essas lições e vitórias… sabe, não fui eu quem sofri as agulhadas, o medo, a solidão de ficar lá, logo ele que nunca fez mal a ninguém, que nunca dormiu for de casa sozinho, nunca desejou o mal, só conhece o lado bom da vida.. Mas ele está aqui comigo.. Deus nos abençoou demais, vida nova a sete meses.. muito feliz, mas recaídas acontecem né..

    Obrigado por esse espaço..

    Vocês usa facebook?
    bjs

    Dayane .

    • Dayane ficamos felizes em saber que está tudo indo bem com ele.. essas dúvidas realemente sei que ocorrem, no meu caso ocorriam comigo.. demorei uns 2 anos p aceitar que por algum motivo ocorreu comigo.. ainda nao sei qual motivo mas um dia tenho certeza que saberei =) um bjo

      • Bom dia, Bruna passa o endereço do face por favor.
        Meu filho esta em coma a 43 dias somente abre os olhos e os médicos falam que ele irá ficar assim. Quanto tempo vc ficou em coma ?

      • FATIMA QUERIDA….

        Vc perguntou pra Bruna, mas vou te responder pq tb estou neste grupo LAD e a Bruna não deve ter visto a sua pergunta ainda…
        Este grupo é coordenando pelo querido Adiel que escreveu e participou muito aqui no BLOG contando a história de seu filho Yan de 3 anos (em Depoimentos Familiares) e depois criou este grupo e hj são muitas pessoas que entram lá e trocam informações, etc.

        O endereço é este: https://www.facebook.com/groups/lesaoaxonaldifusa/

        Como está seu filho? Fiquei preocupada com ele, com vc… Ele ainda está em coma? Que lugar ele está?

        Força!!!!! Não perca a esperança! Ele vai sair dessa!!!!!!! Fé!!!!! Vc tb deve estar precisando de ajuda, me mande notícias quando der…
        Grande bjo
        Fernanda

    • MINHA QUERIDA DAYANE….

      Fico muito feliz em saber notícias tão boas do Willyan!!!!!!!!!!! E fico muito feliz tb de vc dizer que nunca se esquece deste espacinho aqui!!!!!!!!!!!!! Muito obrigada por se lembrar de mandar notícias do Willyan, viu?

      Dayane, 7 meses é muito pouco tempo pra ele e pra vocês da família tb.
      Super normal suas lembranças de tudo que o Willyan sofreu com o AVC estarem “frescas” na sua cabeça e deixando vc mal em alguns momentos. Essas datas sempre são mais complicadas, só o tempo vai ajudar…. E lembre-se que não é só o “paciente” quem sofre, a família tb adoece e sofre demais…. Vc o ama, ele só faz o bem e é natural que questionemos essas “injustiças” da vida…. Tento sempre pensar que existe um motivo maior, mas que não vamos compreender agora. E coisas ruins acontecem com pessoas boas e coisas boas tb acontecem com pessoas ruins, né? Por que???? Não sabemos… Mas, não podemos perder a fé…

      Cada pessoa tem sua história de vida e cada sofrimento é único e vcs tb sofreram. Não tem nada que se sentir egoísta nem má agradecida por se questionar, viu? Como vc mesma disse, recaídas sempre acontecem!!!! O importante é que elas passem….
      Vc é uma irmã maravilhosa e o Willyan tem sorte em tê-la como irmã….

      Grande bjo. Fica bem!!!!!!!!! E dá um beijão por mim no Willyan. Um dia quero conhecê-los pessoalmente!!!
      E não deixe de mandar notícias dele aqui.

      Ah, qto ao facebook estou como “Fernanda Fer”, mas não uso muito. Falei logo acima pra Fátima sobre o grupo que tem no face tb onde as pessoas trocam informações…
      Fernanda

  20. boa noite minha mae sofreu um avc isquemico que atingiu 70 por cento de sua cabeça sera q ela vai fica boa e vai reconhece seus familiares. obrgd

    • ola Andrea, realmente é muito difícil para qualquer um, médico ou não diagnosticar o que ocorrerá.. houveram pessoas como eu que no principio não reconheciam, eu já reconheço hoje pessoas que eu conhecia antes do dano cerebral.. mas os que conheço depois ainda não reconheço… Mas é necessária MUITA PACIÊNCIA! boa sorte e melhoras

    • OI ANDREA…

      Como a Bruna disse, é difícil alguém afirmar isso, pois depende do local e extensão da lesão, entre outras coisas. Além disso, o cérebro nosso é incrível, a plasticidade cerebral existe e sempre observamos melhoras após a lesão cerebral, principalmente nos dois primeiros anos.
      Eu tive um TCE, mas AVC tb é uma lesão cerebral e as consequências podem ser muito parecidas.

      Quando sua mãe sofreu o AVC? Quantos anos ela tem? Onde vcs moram? Nos conte mais detalhes, talvez possamos te ajudar um pouco mais.

      Grande bjo.
      Muita fé, força, amor, persistência, esperança, pois a recuperação é longa, árdua, mas é possível!!! Acredite!!!!!
      Fernanda

      • OI ANDREA….
        Sua Mãe está em minhas orações!!!
        Pensamento positivo que ela irá melhorar sim!!!! Se pudermos ajudar em algo mais, estamos aqui…
        Fique com Deus…

        Bjo grande
        Fernanda

  21. Boa noite ! Venha dar algumas noticias sobre a minha irmã. Para quem não leu, a minha irmã chama-se Vanessa tem 27 anos e teve um acidente de carro no dia 2 de Maio de 2015. Encontra-se internada à 2 meses e meio.

    Ainda não come, não fala nem anda, mas mexe o corpo todo e compreende.

    Ontem, foi a minha 3ª tentativa em lhe dar um papel e uma caneta e ela escreveu. Perguntei-lhe: o que sentes? sentes dores?
    E ela escreveu: farta
    E assinou de seguida: Vanessa Borges.

    Hoje levei um caderno, onde ela desenha aliatóriamente riscos e bolas e escreveu vários algarismos como: 8000€ (fez o simbolo euro)

    Depois perguntei: conheces esta tua amiga que está aqui?
    E ela escreveu: Ana (é o nome da amiga)

    Ela está ciente de tudo, pelo que nos parece e apesar de não conseguir falar já conseguimos comunicar com ela de alguma forma. Estou tão contente!! Ela só faz ruidos como “hmmm” e quando tenta falar e não consegue chora.

    Continuo com fé que não tarda nada ela já me volta a chamar CHATA!

    Beijinhos e as melhoras a todos os doentes! :*

    • Rita que bom! o acidente é muito recente ela está evoluindo muito bem..ao menos ela chora.. demorei 2 anos para chorar a primeira vez!
      Provavelmente esteja farta mesmo.. a parte que julgo mais dificil da minha recuperação foi aceitar o ocorrido..
      Jajá estará tudo melhor! um bjo

    • QUERIDA RITA…

      Vc me escreveu no dia 02/07 e não pude te responder antes, me desculpe, mas agora já podemos conversar sobre esse seu novo depoimento também, rs. Fico tão feliz de receber notícias suas e da Vanessa, ainda mais notícias tão boas como esta!

      Rita, foi excelente este teste que vc fez com a Vanessa pra ela escrever!!!! E agora temos a certeza de que ela tem consciência de muitas coisas, reconhece as pessoas, enfim, muitas notícias boas. O fato dela não estar conseguindo falar é muito angustiante pra ela e pra vcs, né? Eu sei isso na “pele” porque passei isso qdo estava no início e com traqueo. Ela já fez avaliação da fala aí no hospital com algum profissional da área????

      É muito bom ela ter conseguido escrever, porque assim vocês têm um meio de comunicação e isso faz muita diferença…. No meu caso, meu pai tentou fazer isso, eu balancei a cabeça afirmando que conseguiria escrever e qdo foi me dado um papel e uma caneta, eu só conseguia fazer riscos pra cima e pra baixo e foi horrível quando percebi que não conseguia escrever nada do que eu sentia ou pensava… Estou muito feliz que a Vanessa conseguiu.

      AtençãO: às vezes ela pode “dizer” (escrever) coisas sem muito sentido ou bem confusas, é normal isso acontecer nesta fase; ou ela pode também ficar muito agitada ou até mesmo mais agressiva, não se assuste com isso, tende a passar!

      O meu facebook é “Fernanda Fer”, mas eu não entro muito e prefiro conversar mais aqui no Blog. O meu e-mail vc já sabe e também pode me escrever, é fernanda.blog@hotmail.com
      Vai me mandando notícias aqui e aos poucos tudo vai melhorar!!!!!!!!!!!!!! Tenha fé nisso, não perca a esperança por mais difícil que seja.

      Eu te encaminhei, logo abaixo, um vídeo que talvez poderá ser útil no futuro, tanto pra sua irmã quanto para o primo e o amigo dela que você disse que passaram pela mesma situação. Estou enviado porque este grupo de apoio a pessoas que sofreram lesão cerebral fica em Gaia que me parece que é uma cidade perto de Porto, né?
      De que cidade vcs são?

      Esse vídeo mostra a angústia e sentimentos de isolamento vivenciado pelo paciente e também pelos seus familiares depois de uma lesão no cérebro. Os grupos de apoio e de aconselhamento entre pares (onde cada pessoa que sobreviveu à uma lesão no cérebro conta sua experiência e ajuda os outros a lidarem com a situação) trazem conforto, esperança, retorno ao convívio social e diminuem sintomas de depressão.
      O efeito de ouvir alguém que passou pela mesma situação é muito maior do que receber informações impressas ou de receber orientação médica. Assista abaixo

      Eu estou te repassando o que a minha neuropsicóloga que coordena o grupo que participo colocou na página dela. Vale a pena vc entrar nesta página dela também. Ela é uma profissional excelente, renomada, e um ser humano incrível. A página do facebook é “Beatriz Baldivia”, o link é este: https://www.facebook.com/pages/Beatriz-Baldivia/623582497778153?fref=ts
      Ela escreve muitas coisas importantes, informações que poderão ajudar muito você, sua família e sua irmã.
      Tem um outro site bem legal que é de uma outra neurosicóloga que conheceço que é http://www.cienciadocerebro.com.br e tem a página no face também. A página e o site é da neupsicóloga “Luciane Simonetti”.
      Um terceiro tb é um grrupo de LAD (lesão axonal difusa” onde as pessoas trocam experiências. Se vc tiver interesse, ficam aí as dicas, rs. Espero que goste! Informação nunca é demais, né?

      Um beijo enorme pra vc, pra Vanessa e sua família!!!!!!!
      Tenho certeza que um dia a Vanessa entrará aqui pra escrever a história dela e dar esperança pra várias outras pessoas.
      Aguardo mais notícias….
      Fernanda

    • OI LUCIANA…

      Meu nome é Fernanda. Eu tb tive TCE com LAD e qdo saí do hospital foi horrível porque os médicos não recomendaram nenhum medicamento que controlasse as alterações de sono que fiquei após o LAD. Claro, com o tempo é que vamos sentindo as consequências, já que no hospital normalmente usa-se muitos medicamentos que nos deixam mais sonolentos, etc. Eu me lembro, logo que voltei pra casa, de chorar desesperadamente de cansaço e vontade de dormir e não conseguia. Só dormi depois que meus pais chamaram um neurologista pra me atender em casa (estava numa cidade pequena onde isso é mais fácil acontecer e eu ainda estava sem mexer quase nada), ele me passou medicamentos (acho que já era um anti-depressivo, talvez ansiolítico) e dormi 17 horas seguidas. Foi maravilhoso!
      Desde então, já passei por vários neurologistas e psiquiatras e sei que eu, devido à leão, preciso fazer uso de anti-depressivos. O medicamento ajuda a controlar meu sono, apetite e principalmente alterações bruscas de humor, depressão, etc.

      Cada caso é um caso e pode ser que seu marido não precise fazer uso de medicamentos contínuos como eu, mas te aconselho, como a Lea já te disse aqui, procurar urgente um médico neurologista que entenda mais de TCE, lesão cerebral. É muito sofrido ficar sem dormir e a falta de dormir leva a uma maior agressividade, alterações de humor, falta de atenção, etc. O que piora ainda mais toda a situação, né?

      Vocês moram onde???
      O acidente do seu marido é muito recente, muito mesmo. As dúvidas e as consequências da lesão (LAD) vão aparecendo com o tempo, à medida que ele começar aumentar as atividades (mesmo que básicas) do dia a dia, etc.
      Se precisar, entre aqui e pergunte sem receio. O que for possível, pode ter certeza que eu, como vários outros amigos do Blog, te ajudaremos.
      Além da insônia, vc percebeu alguma outra alteração nele??

      Aguardo notícias
      Grande bjo
      Fernanda

  22. Olá, meu nome é vinicius tenho 20 anos e infelizmente a cerca de uns 4 meses descobri que minha mãe tem um tumor no cerebro.
    Felizmente segundo ao Dr. O tumor foi retirado 100 % .
    Moro em livramento rs , meu irmão mora no Rio de Janeiro minha mãe foi para la se operar pq na minha cidade a situação do hospital é precaria e mt poucos especialistas. Enfim, ela esta em processo de recuperação e conversamos todos os dias pelo skype hoje 12/07/15 notei algo estranho no comportamento nela, as vezes ia falar algo e esquecia de coisas simples , dava risada tentava falar de novo e so ria, sendo que nos outros dias ela nao falava mt mas era bem objetiva conversava bem. achei mt estranho isso . Vim procurar alguma resposta de alguem que ja tenha passado por isso antes, quero saber se volta ao normal depois do procedimento que ela teve. Esou mt preocupado com ela !
    Agradeço desde já.

    • Possivelmente na retirada do tumor, possa ter perdido uma porção mínima que seja do cérebro, mas muito importante nessas questões que envolvem os apagões mentais, então a minha sugestão é procurar um neurocirurgião ou neuropsicólogo para esclarecê-lo.

    • Vinicius boa noite!
      Conhecemos uma pessoa que tem tumor cerebral. Ela, após a retirada, ficou com uma risada momentânea, sem motivos, creio que como a da sua mãe, provavelmente pela área afetada pela retirada do tumor.. Vou pedir pra Fernanda conversar com ela pra ela comentar o caso da sua mãe, um beijo

    • OLÁ VINICIUS….

      O que o Fernando de Azevedo disse faz todo sentido.

      As consequências da retirada de um tumor podem ser inúmeras e diferentes de pessoa pra pessoa dependendo do local que o tumor foi instalado, tamanho dele, etc. O caso da sua mãe tá muito parecido com o da minha amiga. Conversei com ela e pedi pra ela escrever aqui pra vc. Acho que ela pode te ajudar mais que eu, além de ter passado por isso, ela tb é fisioterapeuta e conhece algumas pessoas na mesma situação.

      Vc sabe detalhes do tumor da sua mãe? Qual a idade dela?

      De qualquer forma, é muito importante sua mãe procurar um neuro e fazer uma avaliação com neuropsicólogo. A avaliação com neuropsicólogo vai permitir uma avaliação global de como sua mãe está, visando entender como as dificuldades que sua mãe possa ter ficado vão interferir na situação de vida real dela e, principalmente compreender o grau de impacto que essas dificuldades têm nas atividades que ela realiza no dia a dia. Não estou te afirmando que essas dificuldades ou reações da sua mãe são definitivas, não é isso. Muitas coisas podem sumir após uma lesão cerebral e outras que ficam podem melhorar e a pessoa aprender a lidar com elas de forma que não atrapalhe tanto a vida, entende? Por isso, uma avaliação neuropsicológica com neuropsicólogo que entende mais de lesão seria importante….
      Esta minha amiga Valquíria vai te contar e explicar melhor o que acontece com ela e como ela consegue controlar bem essas risadas… Ela é ótima!
      Mas, toda esta melhora e controle maior da situação não acontece de uma hora pra outra. É MUITA ESTIMULAÇÃO, “muito trabalho”, muita paciência, determinação e perseverança!
      Tudo dará certo com sua mãe tb!!!!!!!!!
      Abraços,
      Mande notícias….
      Fernanda

      O.B.S.: Te mandei um e-mail (o que vc deixou aqui qdo postou seu depoimento) e ele voltou 2 vezes. Me manda seu contato de novo se possível. Obrigada

    • Olá, Vinícius. Eu sou a Valquiria, que a Fernanda mencionou. Entendo sua preocupação, mas tente transformar isso em energia positiva para ajudá-la, evitando que vc se estresse demais.
      Vinícius, leia meu depoimento do dia 06 de novembro de 2014. Lá vc vai conhecer um pouco da minha história.
      Como tive um tumor no lobo frontal esquerdo, tenho várias sequelas cognitivas e comportamentais: falta de objetividade, memória (esqueço o que estava falando ou o que iria falar, esqueço ou troco palavras, fatos que aconteceram comigo, etc). O riso imotivado ou inadequado também é marcante. Passei por um período que até conseguia controlá-lo, mas ultimamente está bastante difícil. Como sou professora de faculdade, isso me causou problemas no trabalho, e até mesmo na vida social, porque em geral as pessoas não entendem, elas acham que estou sendo irônica. Passei a falar mais devagar porque tenho dificuldade na busca de palavras, levo muito mais tempo e esforço para organizar as ideias dentro um determinado contexto e vivo me desculpando e me corrigindo porque depois de horas, dias ou semanas é que percebo que dei uma informação errada, por exemplo.
      No caso da sua mãe, para que eu possa responder as suas dúvidas, é importante que vc me diga a idade dela, o lobo (local) cerebral afetado e o tipo de tumor (existem vários tipos de tumores cerebrais e cada um tem um desenvolvimento próprio). Converse calmamente com ela sobe as risadas e veja se ela consegue se controlar um pouco. Quanto aos lapsos de memória e falta de objetividade, toda a família e amigos terão de ter toda a paciência nesse momento. Como profissional e também como paciente, aprendi que em geral o problema não é a cirurgia, mas sim o desenvolvimento do tumor.
      Aguardo sua resposta e espero ter ajudado. Abraço para vc e para sua mãe.
      Valquiria

  23. Boa noite,
    Mais ou menos 15 dias estou lendo os depoimentos do blog, Pois o meu filho sofreu um acidente de moto ao sair da faculdade dia 12 de junho de 2015 hoje ja faz 23 dias, e até o momento esta em coma, e o diagnostico para o TCE dos médicos e que ele ira permanecer em coma anos e anos. Estou confusa aflita nao consigo nem definir os meus sentimentos medo, tristeza e outros.

    • Olá Fátima, não desespere! Também disseram que a minha irmã poderia não acordar do coma e acordou e está tendo boas evoluções. Nestas situações o importante é ter pensamentos positivos, rezar, ter muita fé e afastar tudo o que seja negativo. Esperança é a ultima a morrer

    • Fatima, cada caso é um caso, mas eu sofri um acidente grave faz 5 anos e os médicos diziam que eu não sairia da cama, respiraria somente por aparelhos.. iria ficar em estado vegetativo, mas eu fiquei em coma 1 mês.. hoje falo, ando, corro.. estou ótima.. só é necessário paciência! =)

    • Fátima, passei o mesmo que vc. há quatro anos atrás, sei muito bem o que sente, é uma dor que vai na alma ficamos sem chão, tenha força e fé, acredite ele vai melhorar, entre no meu face Léa Barata e veja as fotos do meu Guga, é muito recente o caso do seu filho, mas chegue pertinho do ouvido dele e converse muitas coisas boas e diga que o ama muito e está sempre ao lado dele, dê muitos beijinhos, segure a mão dele e faça muitos carinhos, ele vai melhorar muito, um beijo no coração

    • Boa noite Fatima!
      Minha irmã está 2 meses e 1semana no hospital, com lesão axonal difusa grau 4…
      Os médicos disseram que ela vai ficar no estado vegetativo …
      Mas Deus e fiel, ela acordou, está se comunicando ainda com dificuldades fazendo gestos com a cabeça, olhos, braços … Reconhece as pessoas mais próxima dela… Consegue compreender quando falamos com ela.
      Peça força pra Deus, deixa ele no controle, na frente de tudo, que vai dar tudo certo… Deus sempre vai confortar seu coração querida… Pensa que só é uma fase.

    • Olá amiga Fatima, ñ perca a fé, pois ele vai sair dessa! Os Médicos falam o q eles estudaram, mas Deus é q determina tudo, ñ desespere, fica em paz, estou orando por vcs. Eu tbm passei por isso há 2 anos quando minha filha sofreu um acidente e teve desligamento dos neurônios, TCE, falta de oxigeno por demora de entubação… Hoje ela já mexe com os dedinhos, levanta as pernas, escovo os dentes só pedindo para ela abrir a boca, ela abre e espera eu escovar e limpar a língua, uma belezinha…
      Tenha fé, a luta ñ é fácil mas ñ é impossível para Deus! Conte com as minhas orações, bjs

    • FATIMA QUERIDA….

      Desculpa só te escrever agora, mas tô muito feliz que muitas pessoas já escreveram pra vc. Esse é um dos grandes objetivos do Blog, as pessoas compartilharem suas histórias, passarem informações e um ajudar o outro….

      Consigo imaginar seu sofrimento, meus pais tb passaram isso comigo (meu depoimento é o primeiro daqui, vc deve ter lido). Infelizmente, se vc leu muitos depoimentos aqui, vc deve ter visto que esta fala pessimista dos médicos que a pessoa não sairá do coma, ficará em estado vegetativo pra sempre, é comum. Claro que cada caso é um caso, mas a maioria das pessoas que conheço e hj estão “bem”, a família ouviu isso. Não é possível afirmar muitas coisas, principalmente no início, quando se trata do cérebro. Vc mesmo já deve ter ouvido várias histórias surpreendentes…

      Sei que é muuuuuuito difícil, mas tenha fé, força, esperança… A luta é longa e árdua, mas acredite que ela poderá ter um final feliz porque pode sim. Mesmo em coma, converse com seu filho como a Lea te falou acima, dê muito amor pra ele, diga que estará do lado dele, que ele irá melhorar, fale coisas positivas…Se possível, coloque músicas que vc sabe que ele gostava de ouvir… Eu fiquei em coma e não me lembro dessas coisas, mas acho que inconscientemente o apoio da família e dos amigos, as conversas neste momento que eu “dormia” fez a diferença…

      Seu filho estará em minhas orações tb.
      Vai nos mandando notícias.

      Qual o nome do seu filho? Quantos anos ele tem? Onde vcs moram?

      Grande beijo no seu coração…
      Conte com a gente aqui do Blog. Qdo forem surgindo dúvidas, me escreva, ajudarei em tudo que for possível…..

      Fernanda

      • Bom dia, Fernanda e Amigas.

        O nome do meu filho é Maxeliano Bruno da Silva, ele tem 21 anos. Somos da cidade de Rio Claro, SP. Agradeço ao pessoal pela força no site, e peço continue em oraçoes.

  24. Olá, Meu nome é Gabrielly, li muitas historias e leio sempre, é umas das coisas que me dao força. Em abril, dia 16/04/2015 numa quinta feira meu namorado sofreu um acidente de moto, ele tem 20 anos. ficou 1 mês e alguns dias em coma,sofreu traumatismo crâniano grave. assim que acordou do coma os médicos falaram que ele iria ficar com sequelas, ainda ele permanece no hospital, ele tava melhorando mas naquelas, agente conversava com ele, ele ate entendia, apertava a mao, piscava, olhava na direção da pessoa mas esses dias ele pegou bacteria do hospital e inchou o cérebro ai voltou de novo pra UTI e ontem ele voltou pro quarto de novo mas ja ñ entendia mais nada ñ aperta mais a mao, ñ pisca ñ entende nada, ñ mexe as pernas como antes, olha pro nada, a unica coisa é que quando conversa com ele no sentimental ele chora, mas eu tenho fé e esperança que ele vai se recuperar, so queria compartilhar um pouco da historia de meu namorado com vcs, eu sei que a caminhada é longa mas vai ser de vitoria! Darei mas noticias sobre o quadro do meu namorado!

    • OLÁ GRAZIELLY….

      Desculpa só te responder agora. Vou te explicar o que aconteceu: vc escreveu este depoimento lá na sessão de “Depoimentos familiares”, o que está correto, mas como as pessoas, mesmo os familiares, passaram a colocar seus depoimentos aqui nesta sessão de “Depoimentos/Escreva aqui o seu” e esta sessão acabou sendo mais vista e respondida por outras pessoas além de mim que podem ajudar, eu decidi fechar aquele espaço e deixar só este aqui para todos colocarem seu depoimento. Enfim, fiz isso e seu depoimento acabou ficando lá e não me lembrei que eu ainda não tinha te respondido, me desculpe!!!!! Amanhã faz 1 mês que vc contou do seu namorado, como ele está agora? Continua sem responder aos estímulos???? E quanto à saúde de maneira geral, como ele está?
      Onde vcs moram?
      Seu namorado é muito novo e o acidente é muuuuuuito recente, muita coisa ainda vai melhorar, pode acreditar!!!!

      Aguardo suas notícias! Te enviei um e-mail explicando tudo…
      Bjo grande
      Fernanda

      • OLA.. FERNANDA!
        Meu nome é gabrielly rs e você falou grazielly mas tudo bem grazielly éo nome da minha irmãn. Rsrs.
        Imagina não demorou nada para responder, por tantos e tantos depoimentos que você tem que responder achei ate que respondeu rapido, nossa não me cansso de ler os depoimentos de varias pessoas que estão e ja passarão por situaçãoes parecidas no meu caso, foi meu namorado, mas confesso que aqui é um dos lugares onde encontro força. Então meu namorado ta mais melhor, daquele dia pra ca que te escrevi, ele tava se alimentando por sonda, graças a Deus os médicos tiraram a sonda hoje ele come normal mas dano na boca dele a comida, ele ainda não concegue comer sozinho, ele ja ta respirando bem, melhor ja vão até tirar a traqueo por ele ta respirando bem, ele ja fica sentado com muita dificuldade mas senta, coisa que ele não tava fazendo, mas ainda não fala, não anda, não entende muita coisa. Antes dele pegar essa bacteria no hospital devido ficar muito tempo deitado,sem se mover antes dele pegar a bacteria do hospital ele tava reagindo muito bem, fazia jóia com o dedo, fazia coraçãozinho , sabia que era eu que tava ali do lado dele, piscava sabe entendia tudo, e depois que ele pegou essa bacteria hospitalar, ele perdeu o total sentido de tudo mas graças a Deus ele sarou da bacteria, mas fica com o olhar perdido olhando pro nada agente se comunica com ele, mas ele não demostra nenhuma reação a ñ ser chorar, rir do nada, meche a boca parece que vai falar do nada, mas agora como eu falei ele ta evoluindo so por ta comendo,respirando melhor, sentano com muita dificudade eu ja fico muito feliz pos tenho esperança dele voltar apesar estamos juntos quaze 4 anos ja, nos ia nos casar ano que vem ia não se Deus quizer vamos. Nos moramos em Mogi das cruzes SP o nome do meu namorado é Lucas tem 20 anos o acontecido, foi no dia 16 de abril de 2015 vai fazer 4 mês agora em agosto, faz pouco tempo o acidente é um pouco recente, aah ele continua ainda no hospital não veio para casa ainda. SO dele ja ta bem melhor que antes é um alivio.
        Eu tenho esperança que dara tudo certo para Deus não é nada impossivel! Muito obrigada por ter me respondido te mandarei mais noticias do meu namorado! 😃 descupa pelo textão..
        Bjss … Gabrielly

      • OLÁ GABRIELLY!!!!!!!!!!!!

        Desculpa ter errado seu nome. Acontece muito comigo depois do acidente, eu às vezes, troco as letras ao ler, desculpe, rsrsrs.

        Fico feliz de saber que o Blog tem te dado apoio. Como vc disse que tem lido vários depoimentos, eu não vou ficar repetindo o que vc já deve ter lido aqui. Mas, resumindo, tudo que está acontecendo com seu namorado, o fato dele ficar com olhar meio parado, perdido, é normal, tá tudo muito recente! Assim como agitação e confusão mental tb são comuns nesta fase! O fato dele não andar pode ser só porque está muito tempo acamado, ele agora que está se recuperando da bactéria e do estado de coma. Depois sim, vai ser necessário muita fisioterapia pra fortalecer toda musculatura e e ele tentar andar de novo…. O fato dele está com a traqueo, pode estar dificultando ele a falar. Se por acaso, a fala não voltar depois que ele fechar ou retirar a traqueo, será necessário também uma avaliação do fonoaudiólogo.

        Vai me mandando notícias… Aos poucos vão surgir outras dúvidas e no que eu puder ajudar….

        Grande bjo
        Fernanda

  25. Olá. O meu nome é Rita e sou de Portugal. Já tinha pesquisado muito até que encontrei o que queria: depoimentos de pessoas que se recuperaram. Não venho contar a minha história porque infelizmente não se passou nada comigo. Venho contar a da minha irmã que infelizmente ainda não pode contar ela mas espero que um dia possa!

    No dia 2 de maio de 2015 a minha irmã teve m acidente de carro muito misterioso e grave. Até hoje ainda não sabemos a causa, só sabemos que se despistou sozinha e teve um TCE muito grave…Esteve em perigo de vida durate uma semana e em coma. Quando fez uma semana, tiraram-lhe a medicação do coma induzido e só nos restava esperar até que ela acordasse do coma dela. Acordou no dia 12 de maio (um dia antes do dia da Nossa Senhora de Fátima). Apenas abriu os olhos mas apartir daí foram só evoluções. No dia 17 fez 27 anos e apenas só a olhar para nós cantamos-lhe os parabens.

    Hoje ela encontra-se na enfermaria, mexe todo o corpo, conhece-nos, vê bem, entende tudo o que dizemos mas não come nem fala. Também ainda não anda. Os medicos dizem que ela precisa de fazer um clique para ganhar a consciencia na totalidade e começar a falar. É alimentada por uma sonda pela barriga e faz fisioterapia de segunda a sexta onde coopera bastante.

    Espero voltar aqui um dia para contar a vitória da minha irmã, infelizmente não é o unico caso da familia, há 4 anos atrás esteve um primo na mesma situaçao e há 11 o irmão dele…São batalhas que Deus nos põe à prova.

    Já agora tenho 20 anos, temos 7 anos de diferença, tenho ido todos os dias visita-la, mostro fotos, videos, ponho musica e tenho escrito num caderno todos os dias todos os acontecimentos que ocorrem sobre ela e não só desde o dia do acidente. Um dia ela vai ler tudo e assim não me esquecerei de lhe contar nada!

    Continuem a lutar com muita fé, se Deus não nos quer levar no momento, temos de agarrar a oportunidade de lutar para viver uma vida melhor !

    • Ola Rita eu sou também de Portugal meu filho se 21 ano foi atropelado na passadeira no dia 2de fevereiro 2014 teve um traumatismo craniano cefálico muito grave esteve internado e ficou em coma 17dias depois acordou mas só abria os olhos os médico disseram que a lesão era muito grave talvez iria ficar vegetativo mas depois foi recuperando depois foi para um centro de reabilitação já mexia bem os dedos respondia tudo muito bem mas do com os dedos porque não falava mas reconhecias nos a todos no dia 29de Junho de 2014 feleceu dia de anos da irmã pois estava tudo a correr bem mas teve uma inspiração de vomito não resistiu fico muito feliz pela sua irmã mas vai demorar algum tempo pois continua com muita fé gostaria de ter algum contacto seu meu nome é Isabel tenho facebok que é Isabel Monteiro meu mail e isabelmoteiro@hotmail.com beijinho grande e muita coragem vai tudo correr bem se Deus quiser beijinho

      • Nunca pensei que me fossem responder tão rápido! meu facebook é este https://www.facebook.com/RitaBorges95 e a minha irmã é a que aparece comigo nas fotos. Hoje assisti de novo a fisioterapia dela e cooperou bastante bem, porque lhe andam a dar calmantes. Faz bastantes ruidos e entende-nos bem.

        Quanto ao acidente, eu não especifiquei muito mas ela teve um TCE muito grave, só e apenas isso! nada mais, nao partiu nada, nao ficou negra na cara nada. o acidente foi muito estúpido mesmo!! é quase impossivel o que aconteceu e não sabemos se ha culpado e se foi embora… ela durante a viagem para o hospital foi reanimada 3 vezes. Na noite que ela teve um acidente, foram atropelados alguns peregrinos que iam para Fátima a pé e entraram primeiro que ela no bloco o que a fez esperar varias horas e a levar transfusoes de sangue. Deram-nos poucas esperanças mas nunca desistimos até por causa das nossas experiencias anteriores. O meu primo ao 3º dia queriam lhe desligar as maquinas e hoje faz a sua vida normal. Um amigo da minha irmã que ela tanto apoio esteve muito mal e agora já conduz e faz a vida normal!

        Tivemos de nos agarrar a estas esperanças e não levar a peito tudo o que os médicos dizem, afinal de contas não sabem quem é ela e a força que ela tem. Ela é um furacão, dá gargalhadas muito estridentes , é muito rápida a trabalhar e já esteve em perigo de vida aos 18 anos com um quisto no ovario que rebentou.

        É uma lutadora e vai vencer mais isto.

        Obrigada pelas vossas respostas e opiniões, eu vou dando noticias da minha irmã Vanessa. :D

    • Rita bom dia! muito bom saber que o blog da Fernanda atinge até outro paises =)
      Não consegui ver se o acidente é recente ou se já ocorreu faz algum tempo.. pois infelizmente acidentes com lesões cerebrais demoram muito para terem melhoras.. o meu ocorreu faz 5 anos e ainda melhoro a cada dia! =)
      O local afetado também influencia, mas pelo visto ela está muito bem, não deve ter nenhuma parte , digamos importante, afetada se bem que qualquer lesão cerebral é importante.. Otima idéia de escrever tudo o que ocorre para não esquecer, mas talvez voce tenha que ler para ela, pois eu por exemplo, não consigo mais ler textos longos, me canso muito fácil, e me entediam..
      Lembre-se sempre que sua irmã apo´s se recuperar será uma nova pessoa, com novos objetivos, qualidades.. e não exija dela o que era exigido antes =)
      Um beijo, melhoras!

    • QUERIDA RITA!!!!

      Que bom saber que vc gostou de ter encontrado este blog com depoimentos de pessoas que sofreram lesão cerebral… Tb acho importante porque é diferente ouvir relatos de quem já passou e se recuperou, né?

      Primeiro quero te dizer que fiquei emocionada com seu depoimento, de saber que vc, como irmã mais nova, teve esta idéia excelente de escrever o que tem acontecido com sua irmã. Não sei se vc leu meu depoimento, é o primeiro daqui. Eu tb sofri um grave acidente de carro, que tb não temos certeza da causa e eu tinha 29 anos na época. Minha tia escreveu quem ia me visitar no hospital durante os dias que eu estava lá e tb anotou alguns dados como dias que fiz cirurgias, que fiz a traqueo, que tive infecções, etc. Foi muito bom depois de um tempo poder saber com mais detalhes essas coisas, mas depois ninguém mais continuou a escrever, até pq todos estavam sofrendo muito pela morte da minha irmã e do meu marido… Mas, gostaria muito que alguém tivesse feito o que vc está fazendo, muito legal.

      Rita, não perca a esperança, sua irmã é muito jovem e o acidente é MUITO RECENTE, muito mesmo!!!! Pelo que vc contou, ela está se recuperando bem.
      A recuperação de uma pessoa que sofre lesão no cérebro é lenta e difícil, mas ela acontece, pois o nosso cérebro é incrível, a plasticidade cerebral faz com que o cérebro crie novos caminhos… O que não se pode esquecer, é que é preciso ter uma estimulação. Nos 2 primeiros anos, sabe-se que ocorre uma melhora espontânea tb. Vc disse que sua irmã já está fazendo fisioterapia todos os dias, né? Isso é muitíssimo importante. Eu saí do hospital sem andar, sem mexer nada o braço esquerdo, ainda confusa, etc. Com a reabilitação de fisioterapia (todos os dias), fonoterapia, terapeuta ocupacional, psicólogo, neuropsicólogo, etc. eu me recuperei bem. Hj tenho dificuldades que não tinha antes do acidente, mas sou feliz e tenho uma vida bem próxima de pessoas da minha idade. Sinto um cansaço grande após qualquer atividade que faço, tem dificuldades de atenção, memória recente, leitura, mas cada caso é um caso, depende da região do cérebro que foi afetada, da extensão desta lesão, etc. Não sei como funciona aí em Portugal em termos de profissionais dessas áreas que te falei (fonoaudiólogo, neuropsicólogo…), mas me escreva as dúvidas que vc tiver e quem sabe eu possa te ajudar via skype depois com orientações importantes pra recuperação da sua irmã. Com o tempo sei que vão surgir várias dúvidas e é melhor irmos conversando sobre elas quando elas surgirem…

      Muito legal o que vc tem feito tb de mostrar fotos, vídeos pra sua irmã, colocar músicas que ela gosta… Parabéns pelas suas idéias, eu ia te dizer pra fazer isso, rsrs.
      Tenho certeza que vc voltará aqui pra contar as vitórias da sua irmã e depois ela mesma tb!
      Muita força pra vc e sua família, fé, esperança, determinação e tudo dará certo!!!

      Grande beijo,
      Aguardo notícias suas
      Fernanda

      • Olá Fernanda, desde já agradeço a rapidez com que me respondeu…

        As duvidas que tenho não me poderão ser retiradas a menos que ela recupere e seja ela a tirar-mas…

        Eu e os meus pais estamos muito unidos e tentamos que a rotina não mudasse o que é certo é que sempre muda algo…

        ~Eu só quero que a minha irmã recupere o suficiente para que possa fazer uma vida normal, casar e ter filhos como ela tanto desejou. Ela teve o acidente num sabado e na segunda a seguir ela ia assinar contrato num restaurante e num café. Tinha estado em casa durante 2 anos com uma grande depressão devido ao excesso de trabalho e ao estar longe da familia. Apanhou uma mononucleose infeciosa e debilitou-a muito. Tem nódulos na tiroide e hipotiroidismo e para que não bastasse tem fibromiolgia tal como a minha mãe. Eu livrei-me dessa parte doutras coisas não escapei, mas ao lado das coisas da minha irmã neste momento não são nada !

        As primeiras semanas foram semanas de desespero, só queria ser eu a estar no lugar dela, porque ela já sofreu o que bastasse.

        Temos muito gente a apoiar-nos e a nossa familia é bastante grande. A parde do quarto do hospital está cheia de fotografias e tem a gaveta na mesinha de cabeceira cheia de postais. Primos que vivem em inglaterra já cá vieram duas vezes e familia de longe tambem vem cá.

        a minha avó de 90 anos sofre muito, incialmente diziamos que ela falava e mandava beijinho, depois que ela saiu da zona de perigo contamos a verdade.

        Ela quando começou a respirar sozinha, cansava-se e tinha de ser ligada ao ventilador algumas horas, mas depois que começou a respirar sozinha sem se cansar saiu dos cuidados intensivos.

        Teve de fazer traqueo mas já a tiraram e a sonda do nariz tiveram de por na barriga (PEG).. Agora recebe sopa e iogurtes o que a faz fortalecer.

        Não vou suportar a ideia de ela não voltar a ter uma vida normal… MAs como eu digo a minha mãe, tanto eu como a minha irmã semrpe fomos bastante desenvolvidas desde pequenas, sempre aprendemos rapido a andar e a falar, sempre falamos bem já de bebés e sempre tivemos maturidade superior a idade e tudo isso conta. Só reparando que em 2 meses ela já está desta forma, só falta comer e falar. Tenho tantas saudades da voz dela…

        Aqui em portugal ha varios centross de reabilitação e em principio ela irá para onde esteve o meu primo e o amigo dela.

        Obrigada mais uma vez pelas vossas mensagens e podem-me adicionar no facebook https://www.facebook.com/RitaBorges95

    • Boa tarde! Posso não ter agradecido aqui mas todos os dias antes de dormir agradeço a oportunidade que tive de continuar aqui na Terra =)
      Creio que todos agradeçam! .. por maiores dificuldades que ficaram estamos VIVOS =)

    • Deus conhece tão bem o meu coração que não preciso divulgar nada pra ninguém, é tudo entre eu e o meu Deus, entramos aqui para troca de experiências entre pessoas que estão passando pelo mesmo sofrimento, só isso, boa tarde.

    • Olá, Iulo, boa tarde. Sinto muito não tê-lo respondido antes, mas só vi seu comentário após minha amiga Lea, sabiamente, dizer o óbvio: cada um é dono do seu próprio nariz. Além do mais, a resposta da Léa demonstra extremo respeito por quem não tem a mesma fé que ela, a mesma fé que os outros ou a mesma fé que você.

      Em todo caso, tive a curiosidade de contar e, até o momento e só nesta página, 605 citações a Deus foram realizadas. É improvável que pelo menos a maioria delas não seja para agradecer, não é mesmo?

      Um abraço.

    • IULO…

      Vc já escreveu aqui faz tempo, mas lendo agora de novo, resolvi te escrever….
      Acho que meus amigos, Bruna, Lea e Fran, falaram tudo que eu assino embaixo. Com certeza, a maioria das pessoas, inclusive eu, agradecemos a Deus pelo fato de estarmos vivos e termos tido uma nova chance…
      No começo, eu não agradeci a Deus por estar viva por vários motivos da forma que aconteceu meu acidente e eu queria realmente ter morrido no lugar da minha irmã para que ele estivesse viva, na época eu não queria estar viva, foi uma fase e não me culpo por isso.
      Como a minha querida amiga Lea disse, se vc acredita em Deus (questão pessoal e isso aqui no Blog não importa, é problema de cada um), vc deve acreditar que Deus conhece o coração de cada um e escrever ou não aqui que a pessoa é grata a Ele não muda nada…

      Sinto muito se fui grosseira com vc, não foi a intenção. Converso com muitas pessoas que entram aqui e todas elas têm meu carinho, respeito e compaixão. Não achei seu comentário justo, me desculpe… Espero que vc só tenha se expressado mal….

      De qualquer forma, obrigada por compartilhar sua opinião aqui no Blog.

  26. Então, meu nome é Solange, dia 10/06/2015 meu irmão sofreu uma queda de 3 metros de altura, bateu com a cabeça, e aí começa nossa luta, teve TCE, 3 parada cardiaca que pela graça do Senhor foi reanimado. Fez cirurgia pra retirar o coagulo, ficou 16 dias na uti sedado e entubado, retirou a sedação a 2 dias e esta desentubado a 1 dia graças a Deus. Os medicos ainda não disseram se ficara alguma sequela, po´rem ele esta acordado, mas não consegue falar, e tbm dorme muito, ainda não reconhece. Os medicos dizem que ele esta se recuperando bem, mas ele não fala, mas se mexe bastante e se vira sozinho na cama com dificuldade mas se vira. Será que meu irmão ficará com muitas limitações?

    • Solange, infelizmente nem os médicos conseguem calcular as sequelas e se são permanentes ou não, eu fiquei sem me movimentar e enxergar mas com o tempo e tratatamento voltaram, mas há pessoas que infelizmente tem leões que rompem nervos e as dificuldades não somem.. tudo depende do tempo. ainda é muito recente.. como muitos dizem fé e paciencia! =)

      • Obrigada Bruna, mas ja temos boas noticias, ele começoou a falar, bem baixinho, com muito esforço, só que as vezes responde coisas sem sentido, e coisas que não dá pra entender, mas estamos muito feliizes. Deus é maravilhoso.

      • SOLANGE QUERIDA….

        Primeiramente, quero te pedir desculpas pela demora pra te responder….
        O acidente do seu irmão é muuuuuuito recente e pelo que vc está contando, ele está reagindo bem. Qdo se trata de lesão cerebral é muito difícil, principalmente no “início”, os médicos afirmarem as sequelas… O nosso cérebro é maravilhoso e existe a plasticidade cerebral e eu sou prova disso. Meu depoimento é o primeiro daqui, não sei vc leu.

        Tô feliz de saber que seu irmão já está falando, isso é muito bom!!!!!!! Falar baixo e coisas sem sentido é super “normal” e esperado neste início. Não se assuste. É comum tb se ele ficar agitado, confuso, mudar o comportamento ou fazer coisas que não fazia antes, como xingar ou maltratar enfermeiros, por exemplo. Essa coisas podem acontecer, mas vai passar.
        Com o tempo, é normal que sujam várias dúvidas e não deixe de escrever aqui…

        De que cidade vcs são? Qual o nome do seu irmão? Quantos anos ele tem?
        Como já passaram alguns dia desde a última vez que vc escreveu aqui, me mande notícias mais recentes de como ele está. No que eu puder te ajudar, farei com maior prazer!!!!!!

        Um grande bjo
        Fernanda

      • Oi Fernanda, nem sei por onde começar. As noticias são realmente maravilhosas, meu irmão que de inicio iria ficar no hospital por 3 meses, teve alta após 37 dias de internação. LOUVADO SEJA DEUS!!!. Nem msm os médicos souberam explicar a melhora tão rápida que ele apresentou.Ele surpreendeu os médicos. Entrou em casa andando, foi amparado, mas andando, já come de td , tá com excelente coordenação, em casa não precisou de ninguém dar comida na boca, já fala bem melhor, as vezes não coisa com coisa, mas sei que tá td certo. Tá super teimoso kkkkkkkk, quer andar sozinho, tem dias que tá brigão, outros super calmo, e chora, chora, chora muitoooooo. Estamos super felizes com a recuperação dele, Deus realmente fez o milagre na vida dele. E isso, a todos que estão passando pela msm situação, não se sintam desesperados, pq tudo passa, não pode desanimar e ter muita paciencia e muito amor, amor nesse momento de recuperação é tudo. Um bjo no coração de todos e fiquem com Deus!

    • Ah esqueci de dizer somos de Reduto – interior de Minas gerais. Ele se tratou no Hospital João XXIII em Belo Horizonte. O nome dele é Evaristo e tem 50 anos.

      • OLÁ QUERIDA SOLANGE….

        Que maravilha a recuperação do seu irmão. Estou muito feliz com a notícia!!!!! Obrigada por compartilhar aqui com a gente!!!

        Solange, vou te repassar exatamente o que disse a minha neuropsicóloga Bia Baldivia: essas reações, a agressividade (que pode ser verbal, física ou ambas) decorrem da agitação do cérebro neste momento que está saindo do coma. É uma condição passageira. Também pode ocorrer do paciente ficar com comportamentos diferentes do habitual, por exemplo, xingar ou ficar desinibido ou ainda ficar desorientado, sem saber o que está acontecendo e repetindo perguntas. Esse momento do pós coma passa. Ainda é muito cedo para dizer se o paciente ficará com alterações no comportamento, elas começam a ser percebidas depois de seis meses (mais ou menos). Nessas duas fases, a mudança decorre da alteração do funcionamento do cérebro, não do estado psicológico do paciente. Pelo contrário, o paciente tende a não perceber as mudanças que não são físicas e precisa de ajuda para compreende-las. Daí sim, quando chega nesse momento de percepção pode ocorrer sintomas depressivos ou de ansiedade pela sua condição.

        Algumas “características”/sintomas ou sentimentos podem ser observados em pessoas vítimas de TCE, como por exemplo:
        = fadiga mental e física (muito cansaço após fazer “qualquer atividade”
        vertigem
        = cefaléia
        = medo
        = ansiedade
        = irritabilidade com qualquer coisa
        = impulsividade
        = inadequação social
        = depressão
        = falta de identificação com os outros
        = agressividade
        = desinibição ou apatia

        Isso NÃO significa que todos que tiveram TCE vão ter todos esses sintomas, mas uma mesma pessoa pode ter vários. Saber disso serve de alerta para todos poderem identificar suas reações ou de seus familiares e entenderem que é comum após a lesão isso acontecer e por isso, muitas vezes é imprescindível buscar ajuda profissional…

        O acompanhamento com neurologista/psiquiatra muitas vezes é fundamental tb, além de um neuropsicólogo que pode ajudar bastante. No meu caso, vc deve ter lido meu depoimento (primeiro daqui) esses profissionais foram importantíssimos na minha reabilitação. O papel do neuropsicólogo é super importante no processo de reabilitação pós lesão cerebral adquirida. É ele quem faz avaliação para estimar comprometimento da memória, atenção, comportamento e vê quais atividades o paciente consegue fazer. Alguns neuropsicólogos tb trabalham com a reabilitação, ou seja, o processo de ajudar paciente e familiar a entenderem as mudanças causadas e planejar novas metas de vida e estratégias para melhorar a memória, atenção e humor.

        Mas, vamos nos falando. Mande notícias….
        Um grande bjo e tô muito feliz com a excelente recuperação do seu irmão.
        Fernanda

  27. Ola
    Li muitos dos comentários e penso que realmente o acidente de carro que passei não foi nada. Alias foi sim um milagre ninguem sofreu um arranhão se quer, mas como todos aqui que se lembram muito bem de seus acidentes foi agoniante e dificil momento naquele silencio que durou alguns minutos não conseguia pensar em nada a não ser que ia morrer. Estavamos no carro Eu, meu namorado , dois cachorros(nas suas caixas de transportes) e minha irmã dirigindo. Naquela noite meu cunhado o namorado de minha irmã foi no carro dele na frente e nós fomos no carro da minha irmã com ela. Estava tudo muito tranquilo free way tranquila eram umas 02:00 por ai meu namorado estava dormindo e eu fui conversando com minha irmã no caminho, quando derrepente vimos que o meu cunhado desvio de algo logo a frente e nós nao conseguimos, quér dizer minha irmã tentou desviar de algo que pra mim parecia um grande cachorro mas na verdade era um pneu recapado de caminhão enfim o carro ficou desgovernado na pista e quando ela conseguiu estabilizar no carro a pista acabou e capotamos em um barranco pequeno o carro deu duas voltas e parou de lado. Eu estava no banco do meio e sofri porque meus braços ficavam pro alto e o maximo que consegui foi por as maos no teto para não saculejar tanto a todo momento eu lembrava de um grande lago que eu sabia que era por ali perto mas não lembrava se ja tinhamos passado ou não quando o carro parou de lado eu estava caida encima dos cachorros e meu namorado por cima de mim fiquei olhando o chão do carro achei q ia encher de agua fiquei aflita mas graças a deus ja haviamos passado pelo grande lago o vidro do lado da minha irmã ja não existia mais. Graças a deus estavamos todos de cinto até mesmo os cães. Mas enfim depois saimos do carro confusos ainda não acreditando no ocorrido tirando os cacos de vidro que estavam pelo corpo todo o carro deu perda total e hoje só temos que agradecer as nossas vidas dirigir denoite evitar ao maximo e sempre com sinto de segurança.

    • Daniele que bom que ainda se lembra do que ocorreu com voce.. no meu caso não lembro de nada nem a uma semana antes do ocorrido.. mas acho bom pois se não creio que não conseguiria viver mais.. rs realmente cinto é essencial foi o que me salvou tb… e como pode ver aqui acidentes não são programados e ocorrem quando menos esperamos.. tiveram algum outro tipo de lesão ou somente arranhões mesmo?

      • Poisé Bruna e Fernanda, não sofremos nada mais que arranhões. Mas fiquei muito comovida com a história de vocês. Eu fiquei traumatizada com o acidente mas tenho que agradecer muito. Eu estava procurando algum lugar na internet que eu pudesse compartilhar este ocorrido como um desabafo porque até hoje quando entro em um carro para uma viagem um pouco distante fico aflita com muito medo. Prefiro andar de onibus faço muitas de minhas viagens de onibus (mesmo sabendo que acidentes podem acontecer em qualquer lugar).
        Mesmo não tendo muito a ver com o que escrevi achei maravilhoso este blog e sobre os relatos de vocês todos sabemos o quanto é importante compartilhar algo assim fiquei extremamente comovida com tudo que li. Parabens a vocês que são grandes vencedores na vida porque a vida sorriu para vocês.
        Beijos e Abraços

    • QUERIDA DANIELE….

      Desculpa só te escrever agora….
      Graças a Deus que seu acidente teve um final feliz e muito obrigada por compartilhar sua história conosco. O que vc disse sobre evitar sempre de dirigir à noite e usar o cinto de segurança é importantíssimo!!!!!!!!!

      Minha irmã e meu marido morreram no nosso acidente mesmo usando o cinto de segurança, mas com certeza, se eu não estivesse usando o cinto, eu não estaria aqui contando minha história…

      Tô muito feliz que sua história e de sua família, namorado, cachorros…teve este final feliz. Lembrar disso tudo que vcs viveram deve ser muuuuito ruim, mas acho que isso significa que vc não teve lesão cerebral…. Eu não me lembro de nada, nem algumas coisas que aconteceram antes nem depois e isso é muito comum com quem teve traumatismo crânio encefálico (TCE) como eu e vários aqui que colocam seu depoimento aqui no Blog. Tudo que contamos é o que ouvimos de nossos familiares….
      Boa sorte pra todos vc querida!!!!!!!!!!!

      Grande bjo pra vc e sua família….
      Fernanda

      • Pois é Bruna e Fernanda, não sofremos nada mais que arranhões. Mas fiquei muito comovida com a história de vocês. Eu fiquei traumatizada com o acidente mas tenho que agradecer muito. Eu estava procurando algum lugar na internet que eu pudesse compartilhar este ocorrido como um desabafo porque até hoje quando entro em um carro para uma viagem um pouco distante fico aflita com muito medo. Prefiro andar de onibus, faço muitas de minhas viagens de onibus (mesmo sabendo que acidentes podem acontecer em qualquer lugar).
        Mesmo não tendo muito a ver com o que escrevi, achei maravilhoso este blog e sobre os relatos de vocês todos sabemos o quanto é importante compartilhar algo assim fiquei extremamente comovida com tudo que li. Parabens a vocês que são grandes vencedores na vida porque a vida sorriu para vocês.
        Beijos e Abraços

      • DANIELE….

        Eu tb hoje tenho muito mais medo de fazer uma viagem de carro, mas vc acredita que por mais que meu acidente tenha sido de carro, o meu pavor maior é viajar de ônibus. Acho que é pq eu só sobrevivi porque fui socorrida muuuuuito rápido e no ônibus isso é mais difícil acontecer, e tb no ônibus não sei se a pessoa que está dirigindo dirige bem ou está ou não muito cansada ou dormiu a noite anterior, essas coisas….Enfim, sofro em todas as viagens e só viajo com calmantes (prescritos por médicos)…. É bem difícil, né? Foi um trauma real que vivemos….

        Muito obrigada por suas palavras!!!!
        O Blog é um novo sentido que encontrei na minha vida após o acidente… Fico muito feliz em saber que vc gostou… Foi muito bom vc compartilhar sua história conosco!!!! Obrigada querida!!!!!!!!

        Fernanda

  28. Deus o abençoe muito útil tudo que li temos passando com tdas essa mudança com meu filho de 34 anos 3 filhos não é fácil vc perceber que se filho n e mais o mesmo mas o amo ainda mais ele teve uma lá d e não tá aceitando os tramam a p que ficou com lado direito perna manca o braço tá rígido mas tem acompanhamento da DE FOCO P SEI COLOCO E FOCO DE IX OU OS CLIENTES NÃO UE SAIR FICOU C DEPRESSAO MAS DEUS TÁ NO COMANDO TENHO FE ABRACOS

    • Maria, ao sofrer o acidente.. 5 anos atras perdi o movimento em todo o lado esquerdo do corpo.. como não ouve dano eu consegui recuperar com muita fisioterapia.. perdi tb a visão periférica.. que com o tempo voltou 90% pois não ouve dano neurológico no nervo da visão.. se não ouve esse tipo de lesão só o tempo e mta fisio vão ajudar seu filho!
      ÓTIMO voce apoiar a nova pessoa que ele se tornou! issoAJUDA MUITO EM NOSSA RECUPERAÇÃO!! como deve ter cansado de ouvir PACIENCIA eh a palavra!! um beijo

  29. Meu nome é Felipe, tenho 27 anos . Gostaria de dividir minha história com vocês.
    Espero que ajude e qq duvida q tiverem por favor, podem perguntar.
    Em 2012 fui com junto com um monte de amigos em um show da dupla sertaneja João Lucas e Marcelo o famoso eu quero tchu eu quero tcha e pegamos 2 camarotes, ficava no primeiro andar da balada, no camarote me debrucei no para peito pra chamar a mulecada lá em baixo e cai, fui direto de cabeça no chão, queda de 6 metros de altura, entrei em coma e fui levado de ambulancia ao hospital, tive uma lesão axonal difusa (LAD).
    Fiquei 2 meses na UTI em coma e 3 internado.
    Todos meus médicos e o pessoal que cuidavam de mim falaram , que Eu tinha literalmente nascido de novo, na minha recuperação tive que aprender tudo de novo, comer, falar, andar, foi extremamente dificel ter que aprender tdo de novo, tive uma paralisia cerebral do lado direito, que paralisou tdo meu lado esquerdo.
    Usava fralda, fiquei igual a um bebê. Ferrou a minha memoria, pensando no cérebro q nem um computador o meu HD ta mais o menos bom ( tive q fazer um reset ) rsrsrs , as coisas antigas demoram um pouco mas me lembro , agora a memoria ram q eh a memoria rapida estava bem ruim já está melhorando. Eu estava agressivo e não tinha muito freio social, falava o q queria sem pensar e não interessava pra quem fosse q tivesse flando. Tenho dificuldade ainda para escrever e para entender as palavras por causa da afasia na fala.
    Quando eu sai do hospital estava acamado ( cheguei em casa de ambulância ) mesmo assim, Eu fazia fisioterapia de domingo a domingo de manhã e de tarde, vinha em casa tdo dia 2 enfermeiros e dois Fisioterapeutas, me davam banho, tiravam pressão, me davam os remédios, mediam a glicemia, tomava 17 remedios por dia, faziam muitos e muitos exercícios , conversavam bastante, me tiravam da cama me colocavam na cadeira . Duas vezes por semana fazia T.O. e fono. Uma vez por semana vinha a psicologa, ela q me ajudou a parar de chorar. Com o tempo fui ficando melhor sai da cama e fui para cadeira, depois de um tempo na cadeira ,comecei a também fazer hidroterapia foi na piscina melhorei muito meu equilibrio e junto com os meus fisioterapeutas maravilhosos como profissionais e como ser humano e que consegui andar sozinho.
    Essa é um pouco da minha história, agora estou muito bem mas, nunca desisti de lutar e sempre aguentei firme todos os exercicios, minha Familia sempre me deu toda a força q eu precisava.
    Hoje já caminho bem , dirijo meu carro ( tenho carta especial ) , namoro uma gatinha, agradeço muito a Deus, a minha Família , a tdos que direta e indiretatamente me ajudaram, pq se não fosse a ajuda de todos eles, não iria conseguir ter essa força para continuar lutando , qdo tudo parecia que não iria dar certo tamanho era o grau de dificuldade que eu me encontrava.

    • OI FELIPE!!!!!

      Muito obrigada por compartilhar sua linda história de luta e superação aqui no Blog.
      Nós que sofremos TCE e tivemos que começar do zero muitas coisas, sabemos o quanto tudo é difícil e demorado, e que o apoio da família e a ajudas dos profissionais são fundamentais pra nossa “conquista” diária. Além disso, precisamos ter fé, força, persistência e determinação para buscarmos a melhora dia a dia, mesmo nos momentos que como vc disse, ficamos cansados e pensamos em desistir…
      Vc tem 3 anos de TCE e já melhorou muito. O mais maravilhoso disso tudo é que a melhora sempre vai existir, mesmo que bem lentamente…
      Boa sorte na sua luta e na sua vida! Foi um prazer ter seu depoimento aqui!!!!!!!!!!!

      FORÇA, LUTA E ESPERANÇA, SEMPRE!!!!!!!!!!!!!!!!
      Um forte abraço!!!!!
      Fernanda

    • Felipe creio que li e comentei seu dpto no grupo LAd do face.. comentei que passei por quase tudo igual..e percebi que realmente não podemos prever nada.. cair de um camarote como seu caso, e um carro cair sobre o seu, como foi o meu caso me provam que não possuimos controle de nada nesse mundo.. inclusive comentei com meu pai seu caso, e ele disse ter lido uma matéria de um caso assim no jornal.. não sei se foi o seu.. mas se não foi me comprova mais uma vez que nada nesse mundo eh programado.. parabens pela sua recuperação.. tb não acredita em mim e hoje dize que pelo grau da minha lesao ( TCE grau 7 e LAD) ninguem poderia imaginar que eu estaria assim após somente 5 anos do meu acidente
      PARABENS!!

    • Felipe que história linda, vc. é um exemplo para todos nós, obrigada pelo seu depoimento, tenha certeza que vai ajudar a muitas pessoas aqui, inclusive a mim, que estou lutando pela recuperação do meu Guga, grande beijo no coração, vc. É uma pessoa linda.

  30. Olá, meu nome é Neyla, tenho 37 anos de idade, fui diagnosticada com vasculopatia necrotizante não especificada por um especialista e cientista, mas esse diagnóstico só veio depois de 5 AVC’s e 4 abortos espontâneos. Precisei fazer 2 vezes quimioterapia oral para conter as inflamações que ja estão no sistema nervoso central e ja me rendeu um síndrome de menière e Labirintite. a algum tempo atrás comecei a me perder em minha própria casa, mas isso era coisa de segundos, logo voltava ao normal. nas últimas semanas isso se intensificou, acordei, não sabia onde estava, nem reconheci meu marido e minhas filhas nem minha mãe, me contaram que fiquei em pânico, minha mãe conseguiu fazer com que eu dormisse e acordei normal sem me lembrar do evento, isso durou em mé dia 2 horas. hoje acordei fui ao banheiro, minha filha achou estranha a demora e quando abriu a porta e eu estava em pânico sem reconhecer nada nem ninguém… isso durou o dia inteiro e eu chorava muito desesperada dizendo que não conhecia ninguém, me neguei a comer e beber qualquer coisa. No final da tarde, meu marido chegou com o remédio da Sindrome de meniére e labirintite, me fizeram dormir e eu acordei normal.
    ESTOU EM PÂNICO, MEU MÉDICO ESTÁ VIAJANDO… POR FAVOR ALGUÉM PODE ME AJUDAR?POR FAVOR!!!

    • NEYLA QUERIDA…
      Meu nome é Fernanda, meu depoimento é o primeiro daqui. Eu nunca ouvi falar disso que vc tem, pois não sou médica. Eu sofri um acidente de carro onde tive, entre várias outras coisas, um traumatismo crânio encefálico (TCE) com LAD (lesão axonal difusa) e isso me trouxe várias dificuldades/ limitações que tive que aprender a lidar com o tempo…
      Mantenho este blog com o intuito de ajudar pessoas que sofreram alguma lesão no cérebro (TCE, AVC, aneurisma…) mas, apesar de vc ter tido 5 AVCs, eu nunca ouvi falar desse diagnóstico seu, nem dessas reações que vc está tendo….
      Mil desculpas, mas eu sinceramente não sei como te ajudar. Vc realmente precisa de ajuda profissional…
      Tem alguma coisa que eu poderia fazer por vc????
      De qualquer forma, vou rezar/orar muito por vc para que vc melhore e essas crises de esquecimento não aconteçam mais….
      Fica com Deus e um grande beijo….

      Com muito carinho, Fernanda

      • Muito obrigada pelo carinho e atenção. Por ser uma doença rara, tenho muita dificuldade para encontrar informações. .. De qualquer forma agradeço muito. Que Jesus continue te abençoando…. Bjks!

  31. Boa noite!! Me chamo Walles e estou aqui para dividir uma das piores sensação que estou sentindo. O meu irmão de 21 anos sofreu um acidente de carro e bateu com a cabeça. Ao bater com a cabeç sofreu lesão e inchaço no cérebro, porém não houve sangramento, não quebrou nada e também não fez cirurgia. Ele ficou em coma induzido por 18 dias e hoje faz 8 dias que tiraram o sedativo dele, no entanto, o que tem causado preocupação em nos e até mesmo no médico é que ele fica apenas com os olhos parado e há 2 dias mexeu com a cabeça. Não entendo se ele vai voltar com os movimentosou ficará com alguma sequela …. Pois não quebrou nada, não fez cirurgia, não houve sangramento.. Estamos todos MT preocupados… Não aguentamos mais… Se alguem puder dividir algo, por favor me ajude …. Obrigado!!!!

    • OI WALLES…

      Primeiro, mil desculpas por só te responder agora. Eu escrevi pra vc há dias, só que escrevi no Word primeiro pra no dia seguinte transferir pra cá. Normalmente não faço isso, já respondo direto aqui, mas no dia eu estava muito cansada e era muito tarde… Como não é meu hábito, eu esqueci de passar pra cá, achei que tivesse feito…

      Meu nome é Fernanda e meu depoimento é o primeiro daqui. Qdo tiver um tempo, dê uma lida no meu depoimento e no de outras pessoas que escreveram aqui do Blog… Leia tb a sessão de “Informações importantes”, isso pode te ajudar a entender um pouco o que seu irmão está “vivendo”.

      Eu tb tive um grave traumatismo craniano e tb não precisei fazer cirurgia e nem “quebrei” nada na cabeça, etc. A lesão cerebral como o TCE (Traumatismo crânio-encefálico) pode ser totalmente invisível por fora mesmo, o que acontece é lá dentro do nosso cérebro, entende?

      No coma ou após o coma, mais no início como está seu irmão, é comum ficar com olhar parado, meio perdido, tb aconteceu comigo.. E ainda não dá pra saber se ele terá sequelas ou quais sequelas vai ficar, é difícil os médicos afirmarem muitas coisas. Tá tudo muito recente e seu irmão é novo, ele ainda pode melhorar bastante assim como aconteceu comigo.

      É preciso ter muita paciência, principalmente nesta fase. Sei que é difícil ouvir isso, mas o processo de recuperação é longo e árduo. Sei que os familiares sofrem muito e acho que nesta fase, mais que o “paciente”, mas tenha fé que as coisas vão melhorar, pode acreditar nisso!!!! A plasticidade cerebral existe e é maravilhosa, eu e várias pessoas aqui do Blog somos prova disso!!!

      Aos poucos vão surgindo dúvidas e estou aqui para ajudar vocês no que for possível, viu?
      Forte abraço e melhoras para seu irmão!!!
      Fernanda

    • Walles, vou tentar te ajudar.. não sei se leu meu dpto aqui no blog, mas eu sofri um acidente de carro , no qual como seu irmao, nao precisei operar a cabeça, fiquei um mes em coma, e após acordar me deixaram em coma induzido por mais uma semana, pois havia trincado 3 vertebras e tinha que ficar sem me mover, e após essa semana meus pais disseram tb que eu não movia os olhos, nao me movimentava, não falava, em fim estava como disse estar seu irmão, mas com o tempo eu melhorei e voltei a olhar, falar me movimentar e tudo mais..provavelmente o médico informou isso pois não passou por algo assim antes, o que é normal, infelizmente temos que ter MUITA PACIENCIA nesses momentos, pois TUDO demora, inclusive para reconhecer se ele ficou com alguma sequela ou nãp, nos casos de lesões cerebrais adquiridas não podemos prever nada. infelizmente
      Calma e paciencia que tudo dará ceerto, lesçoes cerebrais normalmente demoram mesmo para melhorar!
      a minha ocorreu faz 5 anos e ainda estou melhorando..

  32. Olá. Eu tenho 25 anos e tive TCE devido um acidente automobilistico. Fiz cirurgia e acordei 7 horas depois praticamente consciente. No dia seguinte tive alta da UTI e dois dias depois alta do hospital. Estou em casa ainda em recuperaçao. Quase todos os dias é uma novidade no meu corpo e no meu comportamento. A ultima é que tudo tem um cheiro ruin e nao consigo me alimentar pois sinto um gosto horrivel em tudo que como.
    E o comportamento também eu tenho me apresentado muito irritada e sem paciencia, o que me preocupa.

    • Amanda nós que sofremos lesoes cerebrais normalmente ficamos irritadas por nada, super rápido e algumas pessoas ficam até agressivas.. aprendi a controlar isto com ajuda de uma neuropsicóloga especialista em pós trauma, que me ensinou alguns truques basicos para isto nao ocorrer, mudar de pensamento, contar até 10 respirando profundamente dentre outros, e ela conversou com meus pais e com os que convivem comigo explicando como agir nesses momentos o que me auxiliou d+.

    • OI AMANDA…

      Meu nome é Fernanda, eu tb sofri um acidente automobilístico com 29 anos, meu depoimento é o primeiro daqui, não sei se vc leu…
      Pelo que entendi vc ficou pouco tempo no hospital e tem pouco tempo que vc sofreu o acidente, né?

      ALGUMAS CARACTERÍSTICAS/SINTOMAS OU SENTIMENTOS PODEM SER OBSERVADOS EM PESSOAS QUE SOFRERAM TCE, COMO POR EXEMPLO:

      = fadiga mental e física
      =vertigem
      =cefaléia
      =medo
      =ansiedade
      =irritabilidade com qualquer coisa
      =impulsividade
      =inadequação social
      =depressão
      =falta de identificação com os outros
      =agressividade
      =desinibição ou apatia

      Isso NÃO significa que todos que tiveram TCE vão ter todos esses sintomas, mas uma mesma pessoa pode ter vários. Saber disso serve de alerta para todos poderem identificar suas reações ou de seus familiares e entenderem que é comum após a lesão isso acontecer e por isso, muitas vezes é imprescindível buscar ajuda profissional…
      O que acontece é que por exemplo: a pessoa era mais calma e depois que sofreu um TCE (traumatismo cranio encefálico) passou a ficar nervosa com qualquer coisa, ficar agressiva; ou mais nervosa do que já era antes; ou passou a ser depressiva; ou começou a falar as coisas sem pensar e antes não era assim, entende? Ou a pessoa passa a esquecer as coisas mais facilmente, fica mais desatenta, tem dificuldades de aprender coisas novas ou se cansa com qualquer atividade que faça, etc. São mudanças que são observadas depois do ocorrido…

      Eu tb fiquei mais irritada e sem paciência do que antes, fiquei mais desatenta, com a memória e raciocínio prejudicados, fiquei com dificuldades na leitura, depressão, etc. No meu caso, foi fundamental o uso de medicação (claro, prescrita por neurologista e psiquiatra), além de tratamento com psicólogo e neuropsicólogo…
      Vc já fez alguma avaliação com neuropsicólogo? Esta avaliação não se resume apenas na aplicação mecanizada de testes, mas permite uma investigação global do “paciente” visando entender como uma pessoa com dificuldades cognitivas funciona numa situação de vida real. E principalmente, a avaliação busca compreender o grau de impacto que essas dificuldades têm nas atividades realizadas no nosso dia a dia.
      Onde vc mora? Vc sabe se na sua cidade tem neuropsicólogo que trabalha nesta área?

      Quanto ao cheiro ruim, eu não sou médica e não posso te ajudar, mas te oriento a perguntar seu neurologista, isto pode ou não ter ligação com o TCE. Procurei no google e li várias hipóteses pra isso, a melhor forma é vc procurar um médico.

      Amanda, aos poucos podem surgir várias dúvidas e vc pode escrevê-las aqui. Te ajudarei no que for possível, viu?
      Aqui tb vc vai encontrar vários depoimentos e na sessão de “Informações Importantes” e “Estratégias úteis” do Blog, vc poderá encontrar informações que poderão te ajudar.

      Que dia foi seu acidente? Conte mais detalhes se puder..
      Grande beijo querida,
      Fernanda

      • Olá.
        Eu moro no interior do Pará, aqui tenho dificuldades de consultar com especialistas por isso tantas duvidas.
        Meu acidente ocorreu faz 30 dias, e foi tudo muito rapido. Os medicos ficaram surpresos por eu ter sido tao forte, pois nao entrei em coma, e aparentemente eu estava consciente de tudo. Pois conversei desde o momento que acabou o efeito da anestesia poucas horas depois da cirurgia (apesar de nao lembrar de quase nada, me lembro do esforço que fazia pra mostrar que estava bem). Agora sinto apenas tonturas que sei que é comum. Mas o fato de sentir o sabor das coisas esta me deixando triste pois ja nao me alimento adequadamente, chego a passa 3 dias apenas bebendo liquidos.
        Obrigada pela atençao

      • OI AMANDA…..
        Imagina, não tem nada que agradecer…
        Espero que consiga algum médico que te oriente qto esta sua queixa de sentir cheiro ruim e gosto estranho que atrapalham a sua alimentação.
        Boa sorte… Qdo souber, mande notícias….
        Grande bjo
        Fernanda

  33. Boa tarde para todos , no dia 09/05/2015, meu esposo sofre um atropelamento , teve TCE,devido a queda ele aspirou resíduos estomacais que se desenvolveu em uma pneumonia, não foi necessária a cirurgia,porém ele demorou 15 dias para começas a abrir os olhos, ele passou pela traqueo, e agora respira sozinho, tem apresentado algumas melhoras, esta respondendo a todos estímulos de dor, tem dia que fica acordado por duas horas, e, outros apenas alguns minutos, se cansa facilmente,quando abre os olhos na maioria das vezes esta com o olhar perdido, somente em algumas ocasiões ele fixa o olhar e nos reconhece, esta mexendo bastante o pé e as mãos, ele não apresenta mais espasmos , tem chorado algumas vezes, os médicos estão falando em dar alta hospitalar para ele com home care, estou um pouco confusa e animada, tudo vai ser muito novo e diferente. agora nos resta aguardar a alta dele e sua reabilitação.

    • Aline e Erica , sei que não adianta falar que é necessária paciencia, mas vou lhe contar o meu caso, a voce e a todos do blog para ver se exergam que tudo tem melhora! necessitamos lutar e esperar!

      Axo que vão se cansar de ler.. mas acho que preciso informar a todos.. inclusive no depoismentos de familiares tem uma fala minha contando como consegui passar num concurso após 4 anos do meu acidente..

      Bom sofri um grave acidente de carro em 2010, no qual tive um TCE grau 7 (grave) com LAD, fiquei 1 mes em coma natural que chegou ao grau 3 na escala de glaslow (quase morte) não mexia o lado esquerdo do corpo, sofri pneumonia devido a aspiração de sangue durante o resgate, tive que realizar uma traqueostomia, tive infecções diversas, nas quais nenhum antibiótico funcionava, então tivemos que chamar um médico especialista em analisar qual a bacteria ou fungo agia em mim, não lembro o nome, e indicar um antibiótico adequado, utilizei fraldas.. perdi o campo visual periférico a principio e passei a usar óculos, e meu pai, oftalmologista disse nao ter haver com o acidente, eu já iria ter que usar óculos caso ele não tivesse ocorrido, somente trabalhamos a visão periférica que voltou, apesar de eu ainda ter um pequeno espaço que no exame indica que não enxergo, mas para mim enxergo tudo muito bem !..já consciente aprontei no hospital.. rs enfim..
      Após 3 meses sai do hospital e fiquei o primeiro ano pós acidente sem muita reação ou autonomia, dormia de manhã, de tarde e de noite, só acordava para comer e me davam banho, e também para fisioterapia e fonoaudiologia que iam em casa; e eu ia a uma neuropsicóloga indicada pelo hospital que me dispensou após esse um ano.
      Passei a entender realmente o que havia ocorrido comigo quando resolvi voltar a trabalhar no terceiro ano após o acidente, pois me sentia normal, e me cobrava muito, não achava correto depender financeiramente dos outros, pois havia recebido o auxilio doença por um ano e por não conhecer muito sobre isso, não solicitei novamente então meus pais me bancavam.. fui trabalhar e percebi que esquecia as coisas, era grossa com as pessoas, me irritava muito facilmente dentre outros e fui demitida com 1 mês de trabalho, conversei então com meu pai que também é médico, oftalmologista, não entende muito de lesões cerebrais e conversando com uma paciente que sabia do meu acidente ela comentou sobre uma neuropsicologa especialista em pós trauma, me perguntou se eu queria ir e eu a principio não quis, já havia passado por uma neuropsicologa e nada havia mudado, mas fui, e com ela descobri minhas dificuldades, como contorná-las, e foi ótimo!
      Hoje 5 anos após meu acidente sei que sou uma nova Bruna, com novos objetivos, qualidades e expectativas e aprendi a não querer mais ser a Bruna de antes, pois ela NAO EXISTE MAIS.

    • OLÁ ALINE…

      Normalmente não faço isso, mas como a história do seu marido e a do cunhado da Érika (depoimento logo baixo do seu) são “parecidas” até agora e também MUITO recentes, vou repetir algumas coisas do que eu escrevi pra ela, pois serve no momento pra vcs duas, tá?

      Sou a Fernanda, meu depoimento onde conto tudo que aconteceu comigo (também num acidente de carro onde tive um grave politraumatismo com traumatismo cranio-encefálico) é o primeiro daqui, não sei se vc já leu. Quando tiver um tempinho, leia tb.

      No começo é tudo muito difícil e a família sofre muito, eu imagino como vc, suas filhas e toda a família devem estar sofrendo. Ainda é muito recente tudo que aconteceu, ainda não dá pra falar muita coisa mesmo, nem saber as sequelas que podem surgir após a lesão cerebral que seu marido teve… No início, abrir os olhos, ter olhar perdido, não ficar em contato com o “mundo”, dormir a maior parte do tempo, se cansar com tudo, etc., é comum, eu tb fiquei assim e várias pessoas que contaram suas histórias aqui no Blog também.

      É preciso ter muita paciência e fé neste momento, além de dar amor e carinho ao seu marido… Converse sempre com seu marido, diga coisas positivas, o tranquilize dizendo que ele ficará bem, que ele precisa ter força e que tudo vai passar, que vcs todos estarão sempre ao lado dele, que tem muita gente rezando e torcendo para que ele fique bem, etc. Como “paciente” que tb já passou momentos muito difíceis, acho que isso é importante tb.

      Ao longo dos dias e meses, provavelmente vão surgir várias dúvidas e não deixe de expô-las aqui, pois estou à disposição pra ajudar no que for possível…
      Acredite que muitas coisas boas ainda vão acontecer, seu marido já está apresentando uma boa recuperação e isso é maravilhoso!!!!!! A plasticidade cerebral existe, o cérebro é capaz de criar novos caminhos e muitas coisas vão melhorar muito ainda.

      No início é comum acontecer várias intercorrências na saúde de uma maneira geral, mas não percam a fé nunca.
      O fato de quererem dar alta para seu marido é positivo. Sei que dá muito medo de como vai ser em casa, se vcs vão saber cuidar, se será o melhor pra ele, mas tenho certeza que vcs vão conseguir. Ter medo e ficar inseguro neste momento é super normal, acho que acontece com 100% das pessoas. Sair do hospital diminui tb os riscos de infecções. No meu caso, os médicos tiveram pressa de me mandarem pra casa. Mas veja direitinho toda a situação do home care, organize tudo para recebê-lo na sua casa e depois vá em paz, pois tudo vai dar certo, acredite!!!!!!!!

      Qdo puder, leia alguns depoimentos aqui nesta sessão de “Depoimentos/escreva aqui o seu”, tb na sessão de “Depoimentos familiares” e também leia a sessão de “Informações Importantes”. Isso vai te ajudar entender melhor o que aconteceu com seu marido e todo o processo de reabilitação (que é lento, mas existe a evolução sim). A estimulação após esta fase tb é importantíssima e fundamental para o processo de recuperação. Veja com o médico se é possível já iniciar a fisioterapia, a fonoaudióloga… Depois, é preciso ver a necessidade de psiquiatra, psicólogo, neuropsicólogo…Mas, vamos aos pouco, muita informação, né?
      Uma coisa que acabei de me lembrar e aconteceu comigo foi que eu saí do hospital sem nenhuma recomendação de remédio pelo neurologista (como antidepressivo ou outro qualquer) e aí fiquei 3 dias sem conseguir dormir, chorando muito de vontade de descansar e dormir e não conseguia. Enquanto meus pais não chamaram um neurologista em casa e ele me medicou, eu não melhorei.Sofri muito esses 3 dias, parecia que eu ia enlouquecer… Então, por mais que ninguém goste de precisar de medicamento, muitas vezes é a única solução para aliviar um pouco todo nosso sofrimento, entende? Lembrei disso e é só um alerta pra vcs observá-lo qdo ele estiver em casa, tá? Cada caso é um caso, com ele pode ser tudo diferente…

      Grande beijo, fiquem com Deus…
      Vai mandando notícias, tá?
      Obrigada por compartilhar a história de seu marido aqui,
      Fernanda

  34. Bom dia a todos.

    Meu nome é Érica, sou de Votorantim/SP. Meu cunhado Neto (marido da minha irmã) de 32 anos sofreu um grave acidente na BR 101 dia 29/04, o carro em que estava aquaplanou, rodou na pista e se chocou com uma árvore.
    Ele teve traumatismo na clavícula, na face e traumatismo craniano. Foi realizada a primeira cirurgia na qual ele teve perda de massa encefálica, dois dias depois novos coágulos apareceram e operavam novamente.
    Hoje ele não está mais em coma induzido, porém só abre os olhos, chora quando conversamos com ele e aperta a mão da mãe quando ela está ao seu lado. É o único contato com o mundo. Ainda não conseguiram avaliar as sequelas que ele terá, porém sabemos o quão difícil será sua recuperação.
    Então no que puderem nos informar, auxiliar, toda ajuda será bem vinda.
    Apesar de sermos de SP ele ainda está internado no Hospital São José em Joinville, minha irmã está com ele desde então, só esteve aqui por quatro dias durante esse período. Eles tem dois filhos, minha sobrinha de 13 anos e meu sobrinho de 2 anos, está sendo muito difícil ficarem longe dos pais.
    Obrigada pelos depoimentos, ficamos mais confiantes de que conseguiremos fazer com que consiga se comunicar conosco.

    Agraço a todos pelo apoio.

    Érica

    • Oi Érica, é sempre mais difícil quando tem crianças envolvidas tenho duas e meu esposo sofre o TCE.
      Com minhas filhas preferi falar a verdade do q esta acontecendo e o pode ser q venha acontecer.Boa sorte e muita força para vcs.

      • Obrigada Aline, se Deus quiser Ele nos dará força para passarmos por tudo isso e ajuda-lo no que for preciso.

    • OI ÉRIKA,

      Sou a Fernanda, meu depoimento onde conto tudo que aconteceu comigo (também num acidente de carro onde tive um grave politraumatismo com traumatismo cranio-encefálico) é o primeiro daqui, depois leia se tiver um tempinho…

      No começo é tudo muito difícil e a família sofre muito, eu sei como vcs devem estar sofrendo. Ainda é muito recente tudo que aconteceu, ainda não dá pra falar muita coisa mesmo, nem saber as sequelas que podem surgir após a lesão do seu cunhado… No início, abrir os olhos, ter olhar perdido, não ficar em contato com o “mundo”, dormir a maior parte do tempo, etc., é comum, tb fiquei assim e várias pessoas que contaram suas histórias aqui no Blog também.

      É preciso ter muita paciência e fé neste momento, além de dar amor e carinho ao seu cunhado. Mesmo sem ter certeza que ele não está escutando, conversem com ele, digam coisas positivas, o tranquilizem dizendo que ele ficará bem, que ele precisa ter força e que tudo vai passar, que vcs estarão sempre do lado dele ali no hospital, que tem muita gente rezando e torcendo para que ele fique bem, etc. Como “paciente” que tb passou momentos muito difíceis, acho que isso é importante tb.

      Ao longo dos dias e meses, provavelmente vão surgir várias dúvidas e não deixe de expô-las aqui, pois estou aqui à disposição pra ajudar no que for possível…
      Acredite que muitas coisas boas ainda vão acontecer, seu cunhado é muito novo e a plasticidade cerebral existe, o cérebro é capaz de criar novos caminhos, etc.
      No início é comum acontecer várias intercorrências na saúde de uma maneira geral, mas não percam a fé nunca.

      Qdo puder, leia alguns depoimentos aqui, tb na sessão de “Depoimentos familiares” e também na sessão de “Informações Importantes”. Isso vai te ajudar entender melhor o que aconteceu com seu cunhado e todo o processo de reabilitação (que é lento, mas existe a evolução sim). A estimulação após esta fase tb é importantíssima e fundamental para o processo de recuperação, mas agora é muita informação, vamos aos poucos….

      Grande beijo, fiquem com Deus…
      Vai nos mandando notícias…
      Obrigada por compartilhar a história de seu cunhado conosco
      Fernanda

      • Fernanda, boa noite.

        Muito obrigada pelo retorno, sabe melhor que ninguém o quanto nós familiares ficamos aflitos e angustiados. Alternamos momentos de esperança e agonia. O fato dele estar acordado mas não reagir me deixava muito angustiada e ler que isso acontece conforta bastante.
        Estou falando de um moço de 32 anos, com filho de dois aninhos, com a vida toda pela frente, é frustrante não poder fazer nada, só orar e pedir a Deus e à natureza que faça sua parte.
        As boas notícias é que ele não vai precisar fazer a cirurgia da clavícula, calcificou no lugar, e da face será essa semana, assim poderá ser transferido para Sorocaba. É tudo muito caro, ficará em torno de vinte mil reais a transferência, mas ao menos estará perto da família, o que é muito importante nesse momento.
        Sabemos que ele ouve e entende, pois quando minha irmã fala do filho ele chora bastante.
        Após a cirurgia da face os médicos disseram que já poderá ser transferido, não correr mais risco de morte, passou por infecções também, meningite e pneumonia, mas é um guerreiro, assim como você Fernanda, e tenho certeza que as notícias serão sempre positivas, ainda que lentas. Temos consciência que a recuperação irá requerer paciência e determinação, mas conheço meu cunhado e sei que ele irá fazer o possível para se recuperar.

        Obrigada de coração pela força.

        Érica

      • Eu que agradeço pelo retorno, essa atitude da sua parte, esse blog é muito mais importante pra nós do que pode imaginar.

        Obrigada mesmo.

        Érica.

      • OHH QUERIDA ÉRIKA,

        Obrigada…Não tem nada que agradecer…. Faço tudo de coração, fico muito feliz em saber que posso ajudar vocês, mesmo que um pouco, rs.

        Estou aqui de longe, mas sempre em oração para seu cunhado, viu? É como vc falou, ainda que a recuperação seja lenta, o importante é que ela aconteça e eu acredito que vai acontecer como aconteceu comigo e com a maioria das pessoas que contam suas histórias aqui…. Ele é novo, tudo está muito recente e ele ainda vai melhorar bastante, pode acreditar!!!!!!

        Não esqueça de mandar notícias, tá? E estimule-o bastante com ajuda dos profissionais que serão necessários no caso dele.

        Grande bjo
        Fica com Deus!!!!

        Fernanda

      • Fernanda, boa tarde.

        É muito bom ter essa oportunidade de troca de e-mails, mandei o link do site pra minha irmã e ela ficou feliz, pois não é fácil vê-lo daquele jeito, com os olhos abertos, vívidos mas sem conseguir se comunicar.
        Ele já parou de tomar a sedação, porém ainda está tomando calmantes fortes, você sabe dizer se há momentos de lucidez nesse período em que os pacientes ficam acordados? Acha que nos momentos em que minha irmã conversa com ele e ele chora está ouvindo e entendendo?

        Obrigada.

        Érica.

      • OI ÉRIKA…
        Mil desculpas, pois li o que vc me escreveu, não pude responder na hora e depois achei que já tivesse te respondido…..
        Vou te falar como paciente que passou por isso e do que já ouvi as pessoas contarem de suas experiências, tá? Eu acredito que possa sim haver momentos de lucidez, mas é difícil afirmar o quanto de informação ele está registrando ou entendendo…. Quando eu já estava em coma induzido há alguns dias, tive algumas reações que fizeram as pessoas acreditarem que eu estava ouvindo, como por exemplo aconteceu: a pessoa falar que vai embora segurando a minha mão e eu apertar a mão dela pra ela ficar; ou “levantar o dedo” pra um enfermeiro que gritou comigo pra eu ter paciência, rs. Acredito que eu tinha alguns momentos de consciência, mas nada que eu me lembre. Tudo que sei é o que a minha família conta. Mas, por eu acreditar que esses momentos de lucidez existem, eu acho que sempre é bom conversar apenas coisas boas com o “paciente”, palavras de força, motivação, amor e carinho. Muitas vezes é bom colocar música que a pessoa gosta, etc. Na dúvida de quanto a pessoa ouve e entende, vamos sempre fazer de tudo para que ela escute só coisas positivas e que a tranquilizem, né?

        Espero ter ajudado um pouco…
        Me mande notícias depois tá?
        Grande bjo
        Fernanda

      • Oi Fernanda, obrigada pelo retorno.
        Estamos muito felizes, conseguimos a transferência dele para Sorocaba, aqui fica próximo de todos que o ama e se preocupam com ele.
        Aos poucos estamos vendo progresso, já fez a cirurgia da face e na próxima semana irá colocar um dreno pra retirada de líquido no cérebro.
        Após essa intervenção provavelmente logo ele receberá alta, já está movendo os braços, as mãos e as pernas. Já nos acompanha com o olhar e fica emocionado quando minha irmã fala do filho.
        Agora é ter paciência e muita fisioterapia, cuidados.
        Obrigada pela ajuda.

  35. Sou mãe e cuidadora da minha filha Ligia que há um ano e déz meses, devido um acidente automobilístico sofreu uma Lesão axonal difusa, desligamento dos neurônios, derrame cerebral, falta de oxigênio por demora de entubar minha filha teve seis paradas respiratórias. E quando o Dr.Brait nos chamou e disse vcs são os pais da Ligia? Sim Dr. Ele nos falou o diagnóstico dela e deu 72 horas de vida. Mas já fazem 1 ano e 10 meses. Hoje, ela levanta as pernas, move os dedinhos das mãos com a minha fala ela abre a boca para escovar os dentes, peço q abre a boca para limpar a língua e ela abre e espera eu limpar. Pela graça desse nosso grande e poderoso Deus não tem nenhuma escara, muito bem hidratada graças a Deus.
    Tenho muito o q falar, aos poucos vou publicando. Minhas queridas amigas, estamos juntas nessa batalha e juntas vamos vencer, bjs a tds e até mais

    • Zilda que história linda, sua filha já é uma vencedora ela ainda vai melhorar muito mais, a recuperação é muito lenta, nós mães sofremos muito, mas falta menos do que faltava, continue com sua fé, Deus abençoe vc. e a Ligia, um grande beijo.

  36. em 2013 tivi uma acidente de carro
    eu estava sentada na porta e ñ coloquei o cinto de segurança e nem a porta travou
    dai estava dentro da cidade ñ estava correndo ó namorado de minha amiga tava de 30 a 40 por hr dai a porta se abril e eu me deziquilibrei e a porta se abrilhantar e fui jogada pra fora do carro bati minha cabeça do lado direito deu um furinho mas o medico falo q so machucou entre o ouso e o coro cabeludo
    minha pergunta é posso te problemas agora?

    • OI MARCIA….

      SE JÁ SE PASSARAM CERCA DE 2 ANOS E VC NÃO PERCEBEU NADA DE DIFERENTE, ACHO QUE NÃO VAI TER PROBLEMAS….
      O QUE ACONTECE É QUE, MUITAS VEZES, AS PESSOAS QUE BATEM A CABEÇA OU SOFREM ALGUM OUTRO TIPO DE LESÃO CEREBRAL, COMO APARENTEMENTE ELAS NÃO APRESENTAM NENHUMA “GRAVE” SEQUELA, ALGUMAS CONSEQUÊNCIAS DISSO PODEM PASSAR DESAPERCEBIDAS E SÓ COM O TEMPO É QUE ELAS SE DÃO CONTA QUE ALGUMAS COISAS QUE ACONTECEM COM ELA SÃO “SEQUELAS”, ENTENDE?

      ALGUMAS CARACTERÍSTICAS/SINTOMAS OU SENTIMENTOS PODEM SER OBSERVADOS EM PESSOAS QUE SOFRERAM TCE, COMO POR EXEMPLO:

      = fadiga mental e física
      =vertigem
      =cefaléia
      =medo
      =ansiedade
      =irritabilidade com qualquer coisa
      =impulsividade
      =inadequação social
      =depressão
      =falta de identificação com os outros
      =agressividade
      =desinibição ou apatia

      Isso NÃO significa que todos que tiveram TCE vão ter todos esses sintomas, mas uma mesma pessoa pode ter vários. Saber disso serve de alerta para todos poderem identificar suas reações ou de seus familiares e entenderem que é comum após a lesão isso acontecer e por isso, muitas vezes é imprescindível buscar ajuda profissional… Mas essas características uma pessoa pode ter independente da lesão, o que acontece é que por exemplo: a pessoa era mais calma e depois que sofreu um TCE (traumatismo cranio encefálico) passou a ficar nervosa com qualquer coisa, ficar agressiva; ou passou a ser depressiva; ou começou a falar as coisas sem pensar e antes não era assim, entende??? Ou a pessoa passa a esquecer as coisas mais facilmente, ficam mais desatentas, têm dificuldades de aprender coisas novas ou se cansam com qualquer atividade que façam, etc. São mudanças que são observadas depois do ocorrido…
      Então é isso que vc deve observar. Tem alguma dessas características ou sintomas que vc ou sua família percebe em vc depois que vc bateu a cabeça??? Se não, não se preocupe com isso…Quantos anos vc tem?

      Aguardo vc…
      Bjo grande,
      Fernanda

  37. Ola camila e todos hoje estou mt feliz meu irmão fez a cirurgia q durou 6 Horas traqueoplastia ontem fez 1ano e 1mes e saiu da cirurgia conversando glória a nosso Deus obrigada

  38. Minha filha sofreu um grave acidente faz 4 anos, não fraturou a coluna so teve indrocefalia tc porque ainda nao anda, volto a fala depois de dois anos e sete meses mas perdeu a filha unica de seis anos

  39. Olá pessoal, gostaria de saber se alguém pode me ajudar?
    Meu pai sofreu um acidente muito grave foi atropelado, ficou dois meses internado, nesses dois meses ficou na u.t.i pq no acidente ele bateu a cabeça, teve traumatismo porém, graças a Deus não precidou operar, e os coagulos foram absorvidos pelo organismo, ele teve várias fraturas nas costelas, perfurou o pulmao, colocaram 02 dreno nele em cada pulmao, inchou muito nossa muito sofrimento e nesse tempo apareceu uma ferida enorme na lombar, por ficar acamadomuito grande( escara), e pegou uma infecção generalizada, e a acabou graças a Deus curando da infecção, mesmo não estando bom, o hospital deu alta pq no hospital ele já tinha saído da sonda de alimentação e estava comendo, porém chegando em casa na primeira semana, muito difícil pois tinha de cuidar da ferida e acabou infectando e foi dando febre, e ele perdeu completamente a fome, e só queria dormir, e tendo febre todos os dias e fiquei preocupada nisso já se tinha uns 10 dias que ele estava em casa, e diante dessa situação eu resolvi chamar a ambulância, pois além dele não andar pq ele ficou muito fraco e tb não sei pq não consegue ter firmeza nas pernas, e após esse acidente não consegue andar, ele movimenta as pernas porém não consegue andar, um dos motivos dele não comsegujr ser movimentar e a escara, mas já contratei uma fisioterapeuta para fazer processos de reabilitação, enfim uma das dúvidas que gostaria de saber se alguém pode me ajudar seria, como chamei a ambulância e ele se internou novamente pq chegando no hospital fizeram exames e nos exames detectou infecção e entraram com medicação na veia, mas nessa questão da infecção ele melhorou mas não sente fome nenhuma, ele colocaram uma sonda de alimentação, mas a médica quer da alta para ele na próxima semana e estou muito preocupada o que vou fazer pq ele não se alimenta, não quer tomar nem água é isso está me deixando muito preocupada, alguém poderia me ajudar o que devo fazer, pq a pessoa sem comer vai ficando cada vez mais fraca, e se puderem me ajudar tb nessa questão dele não andar é normal após esse acidente será que com as físio, voltar a ganhar massa muscular e volta a andar. Outra coisa ele também esta às vezes confuso, às vezes não fala nada com nada e fica muito nervoso e ignorante. Por favor se alguém ja passou por alguma situação assim e puder me indicar o que devo fazer?

    Obrigado

    Cilene.

    • Boa noite, sou de São Paulo, alguém pode me indicar um local para se fazer esse tratamento com neuropiscologica?
      Obrigado.
      Cilene

      • OLÁ CILENE…

        Li o depoimento que vc contou sobre o que aconteceu com seu pai…
        Primeiro gostaria de te dizer que é fundamental que seu pai faça fisioterapia o mais rápido possível para que ele fortaleça a musculatura e volte a andar (caso ele não esteja andando por esse motivo e não devido ao local da lesão). Apenas o fato de ficar muito tempo acamado já dificulta qualquer pessoa voltar a caminhar.
        Qto à alimentação dele, quem pode melhor te orientar é o médico dele, peça orientação antes dele sair do hospital… Tem algum neurologista que tem acompanhado seu pai?

        Vc disse que é de São Paulo e perguntou onde se pode buscar tratamento com neuropsicólogo, né? Seu pai tem menos de 60 anos? Se ele tiver, ligue no CPN (Centro Paulista de Neuropsicologia) que fica na Vila Clementino. O telefone é: (11) 5549-6899. Conte o caso de seu Pai… Se ele tiver mais de 60 anos, aí vc me fala e pensamos em outra alternativa, tá? Mas, primeiro cuide da saúde do seu pai, ele tem que se alimentar melhor, ficar mais saudável, iniciar a fisioterapia, ser acompanhado por um bom neurologista… Um passo de cada vez e ele vai melhorar, acredito nisso…
        Quando seu pai foi atropelado???

        Aguardo mais notícias suas…
        Fernanda

      • Boa Noite !!!
        Então Fernanda, meu pai tem 70 anos, e como disse, ele sofreu esse acidente e deram alta para ele sem nem um encaminhamento para uma especialidade, eu que por conta, contratei uma fisio, ela começou o tratamento fez só duas em casa, mas nada de tentar ficar em pé, ó movimentos mesmo, mas devido ele precisar se internar novamente, parou, agora ele voltando pra casa ela vai retomar o tratamento.
        Você comentou e inclusive passou um telefone de uma clínica se ele tivesse até 60 anos, ele tem 70 vc teria algum outro local para indicar?
        E sobre a falta de apetite, ele não que comer nada, pq será?
        Será que existe algum vitamina para ajudar, e a médica quer que ele vá para casa com sonda, lá no hospital que ele está não tem neurologista, essa médica que está atendendo ele é uma clínica, somente tratando a parte da infecção que ele pegou, e sinceramente estou perdida para lhe dá com essa situação, sem saber por onde começar.
        Desde já agradeço pela atenção.

        Cilene

      • OI CILENE…

        Quanto à alimentação, infelizmente não sei te orientar, isso tem que ser o médico do hospital ou uma nutricionista que faça uma avaliação no seu Pai… Mas, se ele se recusa a comer, penso que ele deve ir com sonda pra casa, pois ele não pode ficar sem se alimentar, né? Isso pioraria tudo…. Mas é muito difícil eu te dar esta opinião, não sou médica e nem estou vendo a situação de perto do seu Pai, tente conversar com esta médica clínica que vc disse que está atendendo ele, peça pra ela te explicar melhor tudo e fale sobre seus medos com relação à levá-lo com sonda pra casa…

        Conversei seu caso com a minha neuropsicóloga e vou te passar por e-mail o que podemos fazer por vcs, tá?
        Um grande beijo
        Fernanda

    • Cilene, seu pai provavelmente estejna com dificuldades de andar pois como eu por ficar acamado perdeu os músculos da perna, fisio eh uma otina opção após conseguir retonar a caminhar tive q ir a uma academia especializada em pós trauma para recuperar meus musculos pois estava somente com 20% d emusculos na perna, quanto a fome, me informaram que depende da parte cerebral lesionada, como a minha foi a frontal eu engordei mais de 15 kilos ao voltar a me alimentar. converse com o medico para saber. veja com uma nutricionista uns shakes para suprir a falta de alimentos.. pois existem.. melhoras!! mantenha-nos informados!

      • Olá Bruna então hoje estive com a medica, ela me falou que ele nao come pq nao quer, disse que vai da alta para ele ir para casa e ele vai se alimentar por sonda, mas hj no hospital dei um Danone para ele, ele comeu, acho muito chato ir de sonda, mas é uma guerra para ele comer, e na realidade após o acidente não levei ele ainda e nem um especialista até mesmo pq não sei por onde começar, estou perdida, sou filha única, nunca tivesse ninguém próximo que ja tenha passado por isso. E por isso estou pedindo ajuda.

      • Oi Cilene meu nome é Vanessa e tbm sofri um AVC hemorrágico em 2013.
        Posso ajudar VC a tirar algumas dúvidas!
        .. Então meu e-mail são estes: nessaxx14@gmail.com ou vanessabatista552@gmail.com.
        Eu me recuperei muito rápido mas passei por tudo que seu pai esta passando!
        Eu posso te dizer como é e o que sentimos.. Caso queira saber.. Assim VC ajuda ele , como minha mãe me ajudou a me recuperar!
        Melhorar par teu pai!
        Abraço
        Vanessa

  40. Olá Fernanda e demais participantes do blog!!

    Encontrei o blog Meu Cerebro Mudou ontem a noite quando estava em busca de ajuda, orientaçao, informaçoes!!!

    Meu pai “grande amor da minha vida” sofreu um AVC hemorragico e está internado há 4 dias na UTI…Os médicos dizem que o quadro dele é estável e que vão repetir a tomografia pra ver se já está estabiilizada a situação dele…enquanto isso ele está se recuperando..Ainda não está falando, o lado direito tem dia q ele consegue fazer alguns movimentos, mas dá pra perceber q ele está com dificuldades..fica o tempo todo deitado, mas às vezes parece ter um pouco de consciencia sobre quem sou eu. Tenho várias preocupaçoes..tenho vivido dias de angustia, medo, aflição, sofrimente etc…sei q ele precisa de tempo pra se recuperar pra, aos poucos, voltar a falar, andar, etc…mas uma preocupaçao urgente é com o fato dele ficar tanto tempo deitado…tenho lido sobre as “escaras” e sei q é algo perigoso q pode atrapalhar na recuperaçao dele…estao fazendo a fisioterapia, me disseram q mudam ele de posiçao de 2 em 2 horas e estao usando o colchao de ar e oleo de girassol…o que posso fazer pra ajuda-lo? Pra aliviar as dores no corpo e evitar q apareçam as escaras..por favor, me ajudem!

    Muito obrigada!
    Dulci
    Me desculpe se escrevi no lugar errado.

    • Dulci realmente a evoluçao demora após lesões cerebrais.. não sei se te acalma mas fiquei um mês em coma, sendo assim não me movia, somente me movimentavam de tempos em tempos após sair do coma fiquei mais dois meses deitada, me movendo somente para fazer fisioterapia, não conseguia mexer o lado esquerdo do corpo, quando consegui após 3 meses fiz um exame e percebi que havia perdido músculos, estava com 20% na perna esquerda e 30% na direita apos fisioterapias, natação e musculação pós trauma e voltei a adquirir meus músculos, posso ser leiga sobre esse assunto mas creio que o que você está fazendo já seja o suficiente, só lhe aconselho a não parar com a fisio. hoje meus movimentos estçao normais..um beijo e melhoras

    • DULCI QUERIDA…

      A recuperação após um AVC pode ser lenta, mas tenha fé que seu pai vai se recuperar, se Deus quiser… Tudo é muito recente ainda.

      Quanto à sua preocupação com relação às escaras, o colchão é importante e a mudança de posição a cada 2 ou 3 horas também é essencial para evitar as escaras. Verifique sempre que este cuidado com a mudança de posição dele na cama esteja sendo feito. O óleo de girassol tb deve ser usado. Tenho uma amiga que conheci por causa do Blog (mas ela nunca escreveu aqui) e ela cuida da filha que está acamada há quase 2 anos e a filha depois que saiu da UTI, nunca teve escara. Eu liguei pra ela hoje pra confirmar os cuidados que ela toma e ela me disse que além da mudança de posição, ela passa óleo de girassol ou “dersani” (que tb tem óleo de girassol) principalmente na região sacral e em alguma região que ela percebe que está sendo mais “pressionada”. Ela passa este óleo toda vez que troca a fralda da filha e após o banho. Disse que ao trocar a fralda, é preciso secar bem toda a região e ela passa óleo na parte de trás e na parte da frente, nas dobras, passa “cutisanol”, que é um gel (creme) para evitar assaduras e escaras. Além disso, passa qualquer tipo de creme hidratante (pode ser dos mais baratos) uma ou 2 vezes ao dia no corpo todo. Todos esses cuidados são importantes pra evitar as escaras.
      Ela disse que sempre pede o médico pra fazer uma receita do óleo de girassol ou dersani, dizendo o quanto vai usar na filha por mês (como por exemplo: 8 frascos por mês) e aí ela consegue de graça no postinho da cidade dela. Vc pode tentar, quem sabe vc consegue pro seu pai tb, né?

      A escara acontece em qualquer região como tornozelo, ombro, costas, parte do joelho, etc. e em idoso é mais fácil dar e pode demorar muito pra sarar, por isso é bom evitar mesmo. Não sei se expliquei bem. Vc entendeu ou ficou meio confuso? rs

      Com o tempo, podem surgir várias dúvidas e estaremos aqui pra ajudá-la no que for possível, tá?
      Continue nos mandando notícias do seu Pai… Ele está em minhas orações.
      Fique com Deus…
      Grande beijo,
      Fernanda

      • Fernanda e Bruna!!

        Muito obrigada pelas respostas/informações!!
        Estão sendo importantes demais pra mim!!
        Meu pai ainda está na uti..
        Tenho fé que dará tudo certo!
        Abç!

  41. Boa noite! Fico feliz em encontrar esse site com tantas histórias de esperanças, so reforço mais a que tenho e a fé que acredito em Deus. Na madrugada do dia 08 uma 00h minha mae começou a passar mal nao conseguindo respirar, ligamos no samu e nao tinha previsao fa chegada da ambulância, liguei para um primo proximo e o mesmo chegou com uns 5min minha mae havia desmaiadp uns 2 min antes de sua chegada, chegamos ao hospital do coraçao em 7 min, e os medicos começaram o processo de reanimaçao que durou uns 10min. Graças ao bom Deus o coraçao da minha mae voltou a bater, na madrugada ainda ela despertou muito nervosa e precisou ser sedada até o sabado para estabilizar. No domingo (dia das mães) tiraram a secação e os medicos deram essa semana para que ela acorde por ela visto que é jovem 47 anos. Tenho muita Fé que minha mãe vai acordar essa semana para voltarmos para casa, me mantenho firme independente do que os medicos dizem, Deus ja nos deu um livramento e tambem dará esse . Graças ao bom Deus seu quadro esta estabilizado, mas ainda respira com ajuda de aparelhos, acredito que ela vai acordar logo.

      • Boa noite camila!
        O quadro dela esta estável, pressao boa, batimentos bons, esta entubada ainda e hoje deu para ouvir sua respiraçao mesmo com os tubos, porém ainda nao acordou e amanha 15/05 fara 7 dias de uti…, os medicos nao tem o diagnostico se houve algum dano cerebral, estou me agarrando em Deus para nao desabar, pq tem o meu pai que é hipertenso e minha irmã mais nova que precisam do meu apoio. Não sei quanto tempo apos a sedaçao demora para uma pessoa despertar, procurei na internet e é muito variado as respostas. So o fato dela nao ter tido mais nenhuma complicação para mim ja é muito. E acredito independente do que os medicos dizem que minha mãe vai acordar,e o tempo so Deus ira dizer

      • Gostaria de expressar minha felicidade hoje. Na visita a minha mãe na uti, ao segurar sua mão e conversar com ela, ela mexeu a mão e cabeça, ficamos tão emocionadas eu e minha irma que não sei como expressar o que senti naquele momento. Deus é maravilhoso e conhece o coração de cada um, minha Fé está firme e tenho certeza que logo minha mãe estará acordando e voltando para casa

      • OI THAMYRES QUERIDA….

        Estou acompanhando o caso da sua mãe e estou em oração para que ele acorde e fique bem. Obrigada por compartilhar a história dela com a gente… Ela é nova e acredito que vai ficar bem….
        Imagino a alegria sua e de sua irmã qdo sua mãe se mexeu… Fiquei muito feliz com esta notícia!!!!

        Mande notícias, tá?
        Muita força, paciência e fé!!!!! Um forte abraço pra vc, seu pai e sua irmã.
        Fernanda

    • Boa noite Fernanda, infelizmente minha mãe veio ao óbito… Não entendo, não compreendo e não me conformo, mas quem sou eu para saber o dia de amanhã, ou interceder por uma vida? Minha mãe se foi muito nova 47 anos, o que me consola é acreditar que ela está num lugar melhor na glória da vida eterna. Todos sabemos que a vida que temos é passageira, mas nunca estamos preparados para dizer adeus, é algo que dói, que nos deixa triste e para mim principalmente por ter enterrado minha mãe hoje no mês das mães… Foram 13 dias de uti e minha mãe lutou muito, fizemos orações, jejum, correntes, mas Deus preferiu levava do que vela neste plano sofrendo ou com alguma sequela.
      Acreditamos até o fim na sua recuperação e é este pensamento que deixo ” por mais que seja dificil a situação do seu ente amado, bunca desista dele e tente pensar um pouco como ele se sente com tpda a situação, as vezes o que achamos bom para a gente nao é para o outro”
      O site me inpirou com as histórias e acreditem em Deus, pois ele escreve certo por linhas tortas e mais na frente compreenderemos os seus motivos

      Obrigada

      • QUERIDA THAMYRES….

        VC TÃO LINDA, NO “FUNDO DO POÇO” E AINDA QUERENDO DAR FORÇAS PRA OUTRAS PESSOAS… OBRIGADA POR ESCREVER AQUI…

        SINTO MUITÍSSIMO… É COM LÁGRIMAS NOS OLHOS QUE TE ESCREVO, JÁ QUE NÃO POSSO TE ABRAÇAR FORTE NESTE MOMENTO….
        EU NEM SEI SE POSSO IMAGINAR A SUA DOR….MÃE É MÃE, NÉ?
        QDO ACONTECEU MEU ACIDENTE, DEPOIS DE 1 MÊS, DESCOBRI QUE MEU MARIDO E MINHA QUERIDA IRMÃ TINHAM MORRIDO (29 E 27 ANOS DE IDADE). NÃO TENHO COMO EXPLICAR A DOR E DESESPERO QUE SENTI…. FOI HORRÍVEL E ATÉ HJ, DEPOIS DE 8 ANOS, AINDA É DIFÍCIL PENSAR EM TUDO QUE ACONTECEU…

        O QUE EU POSSO TE DIZER É QUE NO INÍCIO, PRINCIPALMENTE NOS 2 PRIMEIROS ANOS, A DOR É TERRÍVEL, NO COMEÇO CHEGA A SER FÍSICA, SABE? MAS O TEMPO AJUDA… E ACHO QUE A GENTE TEM QUE AJUDAR O TEMPO TAMBÉM… A GENTE NÃO PODE SE ENTREGAR PORQUE VÁRIAS VEZES VAI SER ESTA A VONTADE….
        COMO VC DISSE, NÓS NÃO TEMOS CONTROLE DE NADA, NEM DO QUE VAI ACONTECER DAQUI ALGUNS SEGUNDOS….ESTAMOS VIVOS AGORA, NESTE MOMENTO E POR ISSO DEVEMOS SER GRATOS À ESTA OPORTUNIDADE… ACREDITO QUE DEUS SABE O QUE É MELHOR!!!! É ASSIM, PENSANDO QUE QUEM SE FOI ESTÁ BEM, QUE CONSIGO SEGUIR A MINHA VIDA. NÓS NUNCA VAMOS ENTENDER, TALVEZ UM DIA QDO MORRERMOS TB.
        COMO VC DISSE, TODOS NÓS SABEMOS QUE ESTAMOS AQUI DE PASSAGEM E QUE UM DIA VAMOS MORRER, MAS NUNCA QUEREMOS QUE ESTA HORA CHEGUE E NUNCA ESTAMOS PREPARADOS PRA PASSAR POR ISSO… DÓI MUITO QUERIDA, EU SEI… MAS TENHA FORÇA E PENSE QUE SUA MÃE IA QUERER TE VER BEM… CLARO, CHORE O QUANTO QUISER, PASSE PELO LUTO, NÃO “PULE FASES”, MAS SEMPRE COM O PENSAMENTO QUE VC VAI MELHORAR E SUA MÃE ESTARÁ PRA SEMPRE E MAIS VIVA DO QUE NUNCA NO SEU PENSAMENTO E NO SEU CORAÇÃO…

        QUE DEUS CONFORTE SEU CORAÇÃO E DE SUA FAMÍLIA… BUSQUE FORÇA EM DEUS E NAS PESSOAS QUE VC AMA E QUE TAMBÉM PRECISAM DE VC…

        SE QUISER CONVERSAR MAIS, MEU E-MAIL É:
        fernanda.bolg@hotmail.com

        FIQUE COM DEUS E FORÇA, MUITA FORÇA… ESSA DOR DE AGORA VAI MELHORAR, PODE ACREDITAR… UM DIA DE CADA VEZ.
        GRANDE BJO PRA VC E SUA FAMÍLIA
        FERNANDA

      • Thamyres, tenho acompanhado seu sofrimento, e agora acabo de ler essa noticia triste, meus sentimentos e que Deus te guie sempre, vc. é uma boa menina, sua mãe estará sempre olhando por vc. e sua familia, um grande bj.

  42. MINHA MAE TEM 74 ANOS FOI FAZER UMA PEGUENA SIRURGIA DE CATARACA NA VISAO , POR IRONIA DO DETISNO ,SOFREU UM AVC H. E ESTA NA UTI. ESTOU DESESPERADO.

    • Salve Maria!
      Boa noite!

      Como estão as coisas?

      Que dia foi a cirurgia?

      É assustador sim.
      Mas ainda que alguns queiram ignorar a verdade é que Deus existe e ama todos os seus filhos.

      Mande notícias e tenha fé!

      • Camila vai bem graças a Deus esta internado pra fazer cirurgia na terça mas vai da td certo se Deus. quiser vou escrever logo dizendo que ele esta falando

  43. Bom dia, Primeiramente que parabenizar pelo Blog, estou com o coração aflito, lendo os depoimentos aqui fiquei muito mais animado pois os médicos nunca me falaram dos casos que venceram, pois bem, vamos aos fatos, Meu filho Richard teve um acidente automobilístico no dia 12/04/2015 com TCE muito grave, foi removida a calota craniana ficou em coma grau 3 na escala de Glasgow,fez 23 anos dia 26/04 dentro do Hospital, pegou Pneumonia, teve melhoras, sarou a Pneumonia, evoluiu na Glasgow para 6 então reimplantaram a calota no dia 02/05/2015, está com quadro de diarreia a 15 dias e não passa nem com antibióticos e agora pegou outra Bactéria forte na Traqueia e está sendo medicado com antibióticos forte, ainda não acordou, os médicos dizem que corre o risco de não acordar, eu não acredito nisso, como li em um depoimento acima, o diagnóstico de Deus é outro, não sei bem o que procuro aqui, se é orações, conselhos, conforto, gratidão por outros depoimentos e compartilhar um pouco disso tudo com os outros, porque tenho a certeza de que irei escrever novamente aqui um testemunho de vitória, obrigado e fiquem com Deus

    • Ola Sérgio seja bem vindo como vc deve ter visto todos os médicos disseram horrores meu irmão de 21na época com 20anos sofreu um acidente no dia19/04/14 ficou 2meses no uti veio em coma vigil respirando O2os medicos disseram q seria sim o resto da vida hoje ele ainda nao fala devido a estenose mas fazemos leitura labial e esta ficando em pe sozinho o coma dele tbm foi 3 sem esperança pros médico mas Deus tem planos e ae não os levaram éporq tem algo melhor a batalha édifícil mas estamos com o Dono do universo tenha fé e fique com Deus

    • Oi amigos, ontem o meu filho, o Richard acordou, teve dois episódios de despertar, estou muito feliz, fiquem com Deus

      • Glória a Deus Sr. Sérgio!
        Glória a Deus!!!

        Quando eu estava em coma a única coisa que eu me lembro da realidade, é de escutar a voz da minha mãe dizendo:

        “Camilinha é a Mamãe, acorde minha filha, você já dormiu muito! Hoje é dia tal (o dia eu não me lembro), são tantas horas, daqui a pouco o seu pai virá para cá.” Só me lembro disto! :-)

        Consigo escutar a entonação da voz dela! É MARAVILHOSO! :-D

        É muito importante conversar com o seu filho, viu?
        Para você que você tenha uma ideia, o médico aumentou as visitas para duas vezes no dia, porque percebeu que eu sempre melhorava quando eles ficavam comigo.

        É o amooooorrrrrr! <3 <3 <3

        Um acidente muda a vida do vitimado, da família e dos amigos, viu?
        Mas se Deus resolveu deixá-lo aqui aproveitem!
        O seu filho está renascendo!

        Glória a Deus! :-

      • Oiii Sérgio! Estou mais do que feliz por VC e seu filho!! Eu sempre pensei o seguinte sobre a palavra dos médicos:
        Eles, assim como eu, VC e QQ outra pessoa, erramos. Eles estudam pra cuidar do ser humano.. Mas, não cabe a eles dar um quadro final, antes de ver a evolução do paciente…
        Continue tendo fé.. Pq só pelo fato dele ter acordado já significa muita coisa!!
        Eu e todos daqui, somos provas vivas, que existe um Deus maior, que não nos esqueceu.. Mas, que nos permitiu renascer e reaprender a lidar com nossas vidas!
        É difícil depois de acordar do coma, e voltar pra casa??? Sim, é difícil! E muito Mas, é a paciência e fé dos nossos parentes e amigos que nos ajudam a melhorar…
        Eu por exemplo!! Estou andando,falando e me movendo sozinha! Cuido do meu filho, que tem hj 2 anos ( sozinha )…e isso tudo depois de ter sofrido um AVC H. Tbm fiquei em coma escala 3. Durante 20 dias, eu não acordei.. Simplismente abria os olhos e apagava novamente.. Meu filho, na época tinha 9 dias de vida.. E quem o amamentou e cuidou dele, foi minha cunhada.. Mesmo sem saber o que se passava, meu filho esteve todos os dias comigo, alias, minha família esteve…
        Hj moro com meus pais e meu filho.. Tenho 29 anos e estou reaprendendo a viver..
        Tenha fé no seu filho e em Deus… Não desista nem desanime.. Seu filho precisa de VC!!
        E qdo ele voltar pra casa, não o precione a nada.. Dê tempo ao tempo a ele!!

        Eu estou orando por ele e pela sua família!!

        PS* A palavra de Deus, é a única que tem valor! Médico algum vai dizer o contrario!! Eles são pago pra fazerem o trabalho deles. Eles não se importam se VC é pai ou paciente, eles se importam com o $$ que vão receber!!

        Tenha fé em Deus e no seu filho!!!

      • OI SÉRGIO!!!!!

        Seja bem vindo ao Blog. Vi que seu filho acordou um dia antes de fazer 1 mês do acidente, né? Fiquei muito feliz com esta notícia. Seu filho é jovem e o acidente é muito recente, ela vai melhorar, acredito nisso. Tenha fé!!!!! Os médicos normalmente preparam a família para o pior, mas como podemos ver aqui em todos os depoimentos, como tb no meu caso (meu depoimento é o primeiro daqui), as previsões médicas foram erradas e surpreendemos todas as expectativas médicas e isso vai acontecer com seu filho tb. Essas intercorrências que acontecem no início são comuns, eu tb tive pneumonia, infecções, etc. Não se desespere….

        Seu filho está em minha orações. Qdo tiver um tempo, leia mais os diversos casos aqui do Blog, leia tb a sessão de “Informações importantes”, pois podem ser muito úteis pra vc entender melhor o que está acontecendo com seu filho…
        Nesta fase, dê muito amor e converse com ele, mesmo que às vezes pareça que ele não está te ouvindo…
        Aos poucos, podem ir surgindo várias dúvidas e quero que saiba que estarei aqui pra ajudá-lo…

        Mande notícias sempre…
        Fiquem com Deus e um forte abraço no Richard…
        Fernanda

    • Ola amigos, um obrigado em especial a Maria,Camila, Vanessa e a Fernanda por estarem postando aqui os seus comentários, quero informar que o meu filho, o Richard já não tem mais inflamação na traqueia, e está cessando a diarreia, está tendo mais episódios de alerta, ou seja acordando mais, ainda não responde muito bem, mas já está procurando a gente com olhos, está agora com uma infecção no liquor, porém controlado e sendo tratado, o meu filho está sendo tratado no Hospital do Trabalhador em Curitiba, atendimento pelo SUS e quero ressaltar que está sendo muito bem tratado, com muito Amor e carinho pela equipe médica e enfermagem, fiquem com Deus

      • Olá Sergio…

        Que boa notícia!!!!!!! Infecção controlada, ele sendo tratado com amor e carinho, e ficando cada vez mais alerta?!!!!!! Tá tudo caminhando bem, graças a Deus!!!!!!
        Estou aqui sempre na torcida pelo seu Richard!!!!
        Mande notícias sempre, viu?
        Abraços,
        Fernanda

      • Muito, mas muito boa tarde meus amigos, graças a DEUS as nossas preces foram atendidas, mais uma etapa foi vencida, após praticamente 50 dias o Richard está de ALTA da UTI, porém não foi para a enfermaria devido a falta de leitos, o hospital infelizmente está lotado, estou preparando uma Home Care aqui em casa, assim que estiver pronta ele já poderá vir pra casa. hoje ele teve uma reação muito boa, sabia que estava de alta e lutava para sair da cama, a febre ainda persiste um pouco, provável que seja devido o Espirito Santo que está soldando os fiozinhos dos Neurônios que descolaram na batida. Muito, mas muito obrigado pelas orações e que DEUS lhes conceda em dobro tudo que fizeram por mim e pelo Richard, agora vamos para uma nova etapa

      • Bom dia amigos, o Richard esta com suspeita de nova infecção, daquelas que se pega no hospital, esta sendo novamente tratado com antibioticos, não deu tempo de tirar ele do hospital antes que pegasse essa bactéria, mas vamos tratando e dessa vez vai estar pronta essa home care quando ele terminar a medicação, novamente agradeço pelas orações, obrigado pela solidariedade e fiquem com Deus

    • Oi Sérgio o nosso Deus é um Deus de milagres, continue confiando, a fé e aquilo que não vemos e cremos, em todo momento fale com Deus e a todo momento ele está contigo, e com certeza verei o teu testemunho de cura realizada.Que Jesus o abençõe. A graça e paz de Cristo.

      Maria Bueno

      • Ola meus amigos, no dia 30/06/2015 consegui tirar meu filho do Hospital, ele já está em casa, não esta reagindo muito, mas já melhorou muito nestes 5 dias, já não esta mais sendo aspirado a traque, não tem tido mais febre e esta começando a fazer alguns movimentos espontâneos com a os pés e mãos, montei uma home care em casa, o meu plano de saúde não quer cobrir as despesas, então estão indo médicos do SUS atendê lo, gostaria de saber depoimentos parecidos com esta fase que ele está passando, qual foi o grau de evolução para retirar a traque, começar a comer, falar, movimentar os membros, obrigado e fiquem com DEUS

  44. Oi gente!!
    Gostaria de saber se alguém pode me relatar casos com o uso de válvulas para conter hidrocefalia após o TCE?
    Fazem quase 6 meses q meu marido se acidentou, fez 8 cirurgias e usa 2 dessas válvulas, atualmente estamos esperando conter uma infecção para repor a calota.
    Quase não vejo evolução no seu quadro, tem muitas disautonomia e espasticidade.
    Queria saber mais sobre a evolução de pessoas com válvulas e hidrocefalia, alguem pode me ajudar?

      • Flávia querida, como está seu namorado? Conversamos a última vez dia 25/03, se não estou enganada…. Me mande mais notícias… Bjoooo e fique com Deus! Fernanda

      • Obg Flávia, tb sempre vejo os relatos de lá, mais nunca vi ninguém com caso parecido.

    • OI JANAÍNA…

      Eu sei pouco sobre isso…. Mas vou te ajudar te indicando algumas pessoas e o que eu souber tb, eu te aviso, ok?
      A Mayara Motta, que escreveu aqui no dia 01 de maio (o depoimento está logo abaixo do seu), contou o caso dela e ela tirou o dreno da cabeça após uma cirurgia e colocou uma válvula tb. Escreva pra ela aqui, assim vcs podem conversar e trocar experiências. A Léa Barata aqui do blog, mãe do Guga, (ela já escreveu vários depoimentos aqui em “Depoimentos familiares, depois dê uma lida lá) vai saber te dizer melhor. O filho dela recolocou a calota tem pouco tempo, etc. Vou dizer pra ela te escrever aqui tb, tá?

      Vamos nos falando….
      Um bjo querida e conte depois com mais detalhes o caso do seu marido.
      Mas, lembre-se que 6 meses é muito pouco tempo, ela ainda vai melhorar bastante, se Deus quiser, pode acreditar…. Não perca a fé e muita força e paciência. A recuperação após um TCE é lenta, exige amor, paciência, perseverança, fé, esperança e estarei aqui torcendo e em orações pelo seu marido tá?

      Além dos depoimentos, entre aqui no Blog em “Informações Importantes” que talvez possa te ajudar tb.
      De onde vcs são?????
      Grande beijo e aos poucos que forem surgindo outras dúvidas, escreva aqui e se eu puder te ajudar, ficarei muito feliz…
      Fica com Deus querida..
      Fernanda

      • Olá Fernanda,

        Obrigada pelas dicas e apoio. Nada melhor do que a vivência e prática p nosso ajudar.
        Realmente a Mayara Motta é uma guerreira e tudo isso se dá pela sua fé em Deus!! Parabéns!!
        Qto minha amiga Léa Barata, essa tem me dado um grande apoio tb.
        Forte abraço.

    • Janaína!
      Meu cérebro estava com mt sangue e tive q colocar um dreno para q esse sangue saísse. Fiquei 15 dias com ele,mas tinha q tirar pois tinha a opção de colocar a válvula que eh mais segura,com o dreno tira varias restricoes até para sentar tinha q frcha-lo.A válvula q coloquei tem uma ligação direta a minha bexiga,para o líquido ser eliminado na urina. Para mim eh totalmente indiferente a existência dessa válvula,nem parece q a tenho.Mas ela eh Qm evitou de eu poder ter hidrocefalia. A pouco tempo fiz uma TC e o médico disse q jah está bem controlado o sangue no cérebro, pois agora ele jah retomou o espaço q o tumor estava ocupando.

  45. Que Deus continue abençoando cada um que aqui expõem sua situação.
    Tenho 25 anos e a quase cinco anos vinha fazendo tratamento de anorexia.
    Fui diagnosticada depois de vários exames,só não havia feito nenhum da cabeça.
    Em novembro de 2013 comecei a perceber do meu lado esquerdo total dormência dos membros.Mas devido não me alimentar direito,por não conseguir,achava normal.Em agosto de 2014 comecei a perder a visão, fiz vários exames e o médico não descobriu nada.Já fazia uso de medicamentos para controlar a suposta anorexia e depressão. Comecei a ter muitas dores de cabeça, vivia em emergência para tomar medicação para aliviar os vômitos e dores terríveis de cabeça. Tinha desmaios,mas Deus sempre esteve me protegendo.
    Pois bem,em uma dessas idas na emergência minha mãe pediu ao médico que fizesse um exame mais específico, pois eu só estava definhando,já pesava 36 quilos.Foi então que fiz uma ressonância. Em outra ida a emergência a médica de plantão viu o resultado,que aviamos acabado de pegar,e constava um tumor e derramamento de sangue no meu cérebro.Daí começou minha luta,já fiquei internado e o neurocirurgião veio conversar e colocou todos os riscos e como seria a cirurgia. Estava muito segura pois confio muito no amor de Deus.Pois bem,fiquei muito debilitada,já não andava mais o tumor estava muito grande.
    No dia 01 de dezembro de 2014 foi feita a cirurgia mais de 10 horas no centro cirúrgico e a ida para o CTI.Lá fiquei quatro dias e foi horrível, pois minha familia nao podia ficar comigo.Foi colocado um dreno por causa do sangue e poderia me dar hidrocefalia.Depois fui para o quarto e começou a reabilitação,minha vista não teve melhora alguma,dependia da minha mãe para tudo.Foi uma guerreira junto comigo.Com quinze dias tive que fazer outra cirurgia para retirar o dreno e colocar uma válvula.
    Comecei a ter delírios, vim para casa e muito dependente ainda.Hoje completa 5 meses da cirurgia, ate o medico esta surpreso com minha recuperação. Mas de todas as sequelas que poderia ter ficado,nenhuma tenho,so a vista que ainda estou em acompanhamento.
    Mas não tenho sentimentos…Sou uma pessoa fria!Me desconheço não era assim.
    Queria ter emoção, sentimentos…
    Meu médico disse nao ter nada de errado,já fui a psiquiatra e ela disse que posso sentir diferente,mas esta muito difícil para viver desse jeito.

    • Mayara, li seu dpto e fico feliz de estar bem! eu creio que a falta de sentimentos seja devida a lesão cerebral, pois eu sofri de uma lesão e fiquei dois anos após ela sem conseguir expressar sentimentos,meu namorado da época terminou comigo.. após 4 anos.. nao chorei.. minha tia morreu, fui ao velório e nada, ai perguntei par ameu pai.. pai pq n choro? e ele, que é médico, me informou que era devido ao dano cerebral, então passivelmente em algum tempo seus sentimentos retornarão
      Quanto ao problema na visão, meu pai é oftalmo, e aconsselhou voce a procurar um neuro oftalmologista, pois somente ele poderá dizer o que fazer e se haverá melhora nos danos =) boa sorte!

      • Bruna,não me reconheço!
        Sempre fui mt senditivel,estou de um jeito q penso mt em td mas nada disperta qualquer sentimento em mim.
        Fico pensando como vai ser meu futuro…Penso q TDs sentem menos eu,mt difícil isso td.
        Mas nao deixo de estar com aqueles q sei q me amam,pois por estar assim posso os decepciona-nos nao retribuir p q fazem por mim.
        Já fui ao oftalmologista, preciso esperar 6 meses da cirurgia, pq o nervo óptico foi lesionado e pode voltar,vejo q já melhorou bastante desde a retirada do tumor.O oftalmo jah me adiantou q aki na minha cidade não faz a cirurgia reparadora mas ele vão me indicar quem faz.
        Mt bom saber q não sou a única pessoa sem sentimentos,pois vc tb já ficou sem e sabe como isso eh terrível.Agora eh ter paciência e ver se os meus voltem tb.
        Bjus!

    • MAYARA QUERIDA….

      Vc tão novinha e já passou por tanta coisa difícil!! É lindo ver sua fé em Deus, meus parabéns!!! Vc é uma guerreira e uma vitoriosa! Obrigada por compartilhar sua história aqui conosco…

      Fico muito feliz em saber que sua cirurgia deu certo e que vc está se recuperando bem. Qto à “falta” de expressão de sentimentos, eu mesma não tive entre as minhas “sequelas”, mas conheço outras pessoas, além da Bruna, que reclamam disso. Como a Bruna mesmo te disse, acho que isso é consequência de algo que aconteceu no seu cérebro….Mas, a boa notícia é que com o tempo, isso pode melhorar muito, como aconteceu com a Bruna. Por enquanto, vc precisa ter paciência, pois pode demorar algum tempo, uns “bons” anos talvez… Mas, tenho certeza que vc já superou tanta coisa e vai aprender a superar isso tb, por mais difícil que seja e eu entendo. Força querida!!!!!!!!
      Imagino o quanto está difícil pra vc!

      Qto à visão, tb te falo a mesma coisa: seria interessante vc procurar um neuro oftalmo que entenda disso e não “qualquer” oftalmo, sabe? Eu posso te indicar uma ótima aqui de S.P.. Mas, de onde vc é?

      Beijo grande e fique com Deus!!!!
      Mande notícias!!!! No que eu puder te ajudar, estarei aqui à disposição….
      Fernanda

      • Fernanda parabéns pela iniciativa do blog e vejo a atenção q da para cada um q aki deixa seu depoimento.
        Quero continuar o contato com vc,espero poder em breve poder partilhar aqui q meus sentimentos voltaram!
        De td q jah sofri se ficasse com a visão do jeito q esta nao reclamar.Creio q td na minha vida eh permissão de Deus, nao sinto mas creio,o melhor Ele reservou para mim!
        Bjus

      • Obrigada querida….
        Estou aqui na torcida por vc e sinceramente acho que vc vai melhorar sim!!!!!!!!!
        Não se esqueça do Blog, tá? Mande notícias!!!!!
        Beijossss
        Fernanda

    • Oi Mayara!
      Eu tive um Avc hemorrágico, 9 dias pós parto.. sabe que até hoje me sinto assim como vc?! Minha recuperação é de 97% fisicamente, mas, emocionalmente, eu ainda não me recuperei.
      Meu filho foi o motivo da minha recuperação rápida! Sabe, me foquei em algo que me desse vontade de continuar viva!!
      Infelizmente, o que não consigo reverter ainda, são os sentimentos. que eu não tinha no começo.. mas tenho agora.. só que vieram, com tanta força, que ou as coisas se tornaram “tudo de mais ou tudo de menos” ( entende )?!
      Uma hora eu estou sorrindo e instantes depois a raiva toma conta de mim de tal maneira, que fica insuportável de estar próximo a mim!
      Outra hora, eu estou bem e de repente vem o choro.. e não são só algumas lágrimas, são “rios de lágrimas” ,sem motivo!
      Sabe pq?
      Pq eu não sei me controlar, depois que tive o avc, E, tudo é tão recente, que eu não aceito ainda as coisas como são .. pq fico imaginando como era e como serão.
      Vc tem que tentar ter paciência, pq senão o sentimento que vc vai começar a ter, assim como eu, é o que mais incomoda : ANGÚSTIA.
      Não é fácil! Não mesmo!! Todos os dias, eu tento me controlar, tento mudar algo, tento, tento e tento.. mas as vezes, simplesmente não consigo controlar.
      Então, não fique assim! Tenha paciência, pq tudo tem seu tempo!! Certo?
      Vc diz que não tem sentimentos, mas aposto, que agora, ou vc está me xingando aí.. rs ou vc pensa: – “Ela acha que me conhece, pra falar isso pra mim??”
      RSRS.. (Isso, é um sentimento!!! ou vc me ignora, ou vc simplesmente não liga)!
      O que importa, é que vc sinta algo!
      Uma pessoa me disse, que eu devo aprender tudo de novo.. do zero!
      Que aprender o que eu já sei, é uma droga, pq eu já aprendi e pra mim, recomeçar é o “x” da questão.. sabe pq?
      Pq eu não tenho mais paciência pra aprender algo que eu sempre soube…mas tenho que tentar..
      E o que eu mais fazia antes era SORRIR!!

      Tenha paciência, e continue tentando! Uma hora vc vai se dar conta, que seus sentimentos ainda estão com vc! Basta encontra-los!

      Beijo!

      • Oi Vanessa,vejo q vc me entende um pouco.Que bom q vc teve seu filho,parabéns pelo dia de hj,para fazer sua vida ter sentido.
        Teve algo w disse e me identifiquei em partes,a qüestão de aprender o q jah sabia!Graças a Deus tenho mt paciência e não vou deixar d tds os dias pedir a Deus e esperar q uma hr eu aceite e entenda q tenho q viver assim ou meus sentimentos voltem.
        As lembranças a todo momento me remetem a ver como era e o q sou agora! Isso q eh mais difícil. Ah não te xinguei e nem pensei nada demais, RS.Obrigada,eh mais uma prova para eu ver q vale a pena passar pelo q estou passando, pois eh aprendizado.
        E vou continuar tds os dias tentando como vc.
        Bjus
        A Paz!!!

      • Oi Vanessa! Salve Maria! :-)

        Faz tempo que você se tornou mãe? Meus parabéns! Feliz Dia das Mães! Hohoho , rs.
        Glória a Deus por você ter a sua mamis com você! :-D

        Veja bem, as nossas estruturas cerebrais foram alteradas. Então o nosso emocional também foi.
        Então nós somos adultas e vacinadas porém temos a LCA (lesão cerebral adquirida). E isso não é fácil não.

        Vanessa, você está tendo acompanhamento com quais profissionais?
        Te pergunto isso porque é essencial ter acompanhamento neurológico, psiquiátrico e psicológico.
        De fato a minha vida começou a melhorar depois que eu comecei a ser medicada, viu? Foi a Fernanda aqui do blog que me alertou sobre essa necessidade.

        No início rolou um preconceito da minha parte, sabe? Do tipo: “eu tenho que me controlar!”, “eu não sou doida”, “eu não sou burra” e blá blá blá. ^_^
        Provavelmente terei que tomar remédios psiquiátricos para sempre.
        Eu tomo dois deles diariamente de tarja vermelha. Tenho um de tarja preta para tomar somente se estiver agitada. E tomo muito cuidado com esse último porque é um daqueles que vicia. :/

        LCA´s deixam sequelas. Mas a medicina não consegue mensurá-las previamente por não ser uma ciência exata, sabe? São muitas variantes! E a principal é que cada pessoa é uma pessoa. Então cada caso é um caso.

        Mas já é possível perceber semelhanças. Por isso procurar ajuda específica para esses casos já é possível. Antigamente era difícil inclusive preservar a vida dos acometidos por AVC´s e TCE´s. Hoje graças a Deus a medicina evoluiu. Mas o pós trauma a médio e longo prazo ainda estão sendo estudados e difundidos.

        São muitas coisas que podemos lhe dizer, mas inicialmente nos conte, por favor, o que estás fazendo?

        Que Nossa Senhora lhe cubra com o manto como só as mães sabem como fazer.

        Ah! Importante!
        Os seus familiares e amigos te viram em situação crítica, o que provavelmente hoje lhes dá a sensação de que você já superou tudo.
        Cuidado! Isto não é verdade.
        Por ser algo intangível o que nos aconteceu, essa sensação inclusive para nós mesmas existe. É algo interior e particular que cada um de nós passa praticamente só. A solidão e outros sentimentos, como o da falta de pertença, são normais.

        Mas tudo passa, viu? Tudo mesmo!
        Eterno só Deus é! E também as nossas almas são. :-)

        As dificuldades podem não acabar definitivamente. Mas o momento em que tudo ficará mais leve chegará!

        Nos dê notícias, tá?

        Fique com Deus!

        E Feliz Dia, agora noite hahaha, das Mães!

        Bjs

  46. Olá
    Primeiramente gostaria de dizer, que encontrei nesse blog: força, apoio e pessoas que entendem um pouco da minha angustia. no dia 11/04/2015 meu namorado Fabio sofreu um acidente de bike, na BR. Um cara fantástico, perdeu o braço esquerdo com 19 anos e tem uma vida independente, dirige, cozinha, mora sozinho, trabalha e pedala muito, dá show em muitos companheiros. Ele foi socorrido, passou por cirurgia, com TCE, lesão axional e lesao no pulmao. Apos 17 dias de UTI ele está no quarto, com traqueo, abre os olhos, as vezes mexe os pés e o braço, segundo os médicos são reflexos primários. A lesão no pulmao ainda é muito preocupante, principalmente pelo risco de pneumonia.
    Os médicos nem falavam em sequelas, pois o estado era muito grave.
    Estamos angustiados, a espera por um sinal de melhora é um teste horrivel. Ajudar a pessoa que conhecemos forte lutando pra vencer tantos desafios, agora acamado, com sonda e perdendo peso, ali tão frágil nos deixa com o coração partido.
    A nossa força está em Deus, que já fez muitos milagres, quando ele foi socorrido com rapidez, tudo foi rápido, cirurgia e salvou a vida dele. Ele é nossa esperança e nossa força. Esperança de termos ele com a gente, recuperado.
    Aqui encontrei ajuda, vai ser um desafio. Mas ele é meu melhor amigo, meu companheiro e meu namorado.
    Obrigada Fernanda por essa atitude. :D
    Esperança e Fé sempre.

    • OI IZAMARA QUERIDA…

      Que bom que o Blog tem te ajudado a ter força, esperança… Vc não imagina o quanto fico feliz em saber disso, pois este é o meu objetivo, é por isso que mantenho isso aqui com muita alegria e prazer. Passei por isso, minha família passou e sei que não é fácil, pelo contrário, é MUITO DIFÍCIL!!!!!!!
      Os familiares e os entes queridos sofrem muito e muitas vezes não sabem o que fazer, o que pensar… Na maioria das vezes, as expectativas dos médicos são muito ruins e qdo se trata de lesão cerebral, pouca coisa dá pra se dizer e afirmar.
      Mas, pense positivo!!! Eu tb tive uma contusão pulmonar com hemotórax de um lado e pneumotórax do outro, foi seríssimo o que eu tive no pulmão, tive que operá-lo e retirar pedaços de costelas dele tb, mas tudo deu certo!!! E pelo que vc falou, seu namorado já é um guerreiro e um vitorioso, uma pessoa forte, nova e saudável…. Vai dar certo!!!! É que as coisas são lentas e tudo aconteceu agora, tudo é recente demais…. Seu namorado já teve uma provação na vida qdo ficou sem o braço, não precisava de outra, né? Mas nós não entendemos o porquê dessas coisas, mas deve existir um motivo maior… Tenha fé, isso é muito importante.

      Izamara, por favor, dê notícias dele aqui no Blog. Aos poucos podem surgir dúvidas e no que eu puder te ajudar, pode contar comigo, viu?
      De onde seu namorado é?
      Fiquem com Deus e um beijo enorme e um abraço bem apertado pra vc e pra família do seu namorado…

      Força, paz, fé e esperança!!!!!!!!!!!!!!!!!
      Fernanda

      Aguardo mais notícias…

      • Bom dia Fernanda
        Hoje completa 3 meses e 09 dias do acidente do Fabio, ele está em casa, está melhorando, parou de perder peso, ainda está com a traqueo, se alimentando com a sonda, abre os olhos, mexe bastante a perna esquerda. Ele faz fisio de segunda a sexta, fono. tem dias que parece pouco distante e em outros a gente fala com ele e parece que escuta, compreende.
        minha esperança é que logo ele consiga se alimentar sozinho. Sinto tanta falta das nossas conversas, das jantas, dos almoços. não tem sido fácil, tem dias que bate uma tristeza, mas tenho buscado força na minha fé.
        E hoje mais uma vez entro no blog em busca de inspiração pra ajudar ele. Eu até imprimi um monte de historias daqui e levei para casa, para que mais pessoas da família soubessem da realidade de quem tem LAD.
        Até…

    • Oi Camila! Tudo bem?
      “Então”, rs…
      O Victor completou 2 anos dia 04/04/2015 :D!
      Muito obrigado pelos parabéns! :D
      Vc me fez quase as mesmas perguntas que a Fernanda!! :D Coincidência não!?
      Eu só tenho acompanhamento com a neuro a cada 6 meses. Antes, eu fazia Fisioterapia, mas o fisioterapeuta disse q não precisava mais de fisioterapia pq eu já consegui andar e me mexer.. até parece que não tive nada (Foi o que ele disse)!
      No começo, tive duas sessões com a psicologa e com neuropsicóloga, mas disseram que eu estava 100%..
      Na época, realmente, eu não aparentava ter mais nada, e nenhuma lesão e/ou trauma. Só agora, 2 anos depois, que os sintomas estão aparecendo!
      E como o tratamento é pelo SUS.. já sabe né, tem que esperar a médica voltar a atender, pq esteve de licença (já tem 8 meses)!
      Eu só faço uso de um medicamento tarja vermelha, que é pra evitar convulsões, nada mais! São dois cps a noite. Antes, me acalmava e me derrubava, eu dormia e não via mais nada!
      Hj, não faz efeito algum. Passo noite e noites acordada, durmo no máximo 4h/dia.. e corro o dia td com o Victor (a pilha dele não acaba rs!!).
      Acho, que ando muito estressada e cansada.Desde que meu filho nasceu ( não que eu esteja reclamando disso, pelo contrário.. eu o amo demais!), eu não tive descanso algum..foi a correria e as complicações do parto, com a volta pra casa e dias depois, o AVC… seguido de correrias e dieta quebrada, procurando hospitais e qdo estive em coma induzido, perdi esses tempo, que não me lembro de nada..
      Qdo acordei, sequer, lembrei do meu pequeno.. passado 15 dias, após ter acordado, comecei a me mexer e como sou muuuuito teimosa, não queria ajuda de ninguém. Então, desde esta época todos pensam que é frescura minha, quando digo que sinto muita dor ainda, ou tenho muitas dores de cabeça, ou que estou mentalmente cansada, ou que ainda não consigo resolver algumas coisas sozinha!
      Isso me irrita ao extremo!
      Qdo voltei pra casa, e me recuperei bem.. minha cunhada deixou meus 2 sobrinhos comigo, pra ela voltar a trabalhar!!
      MEU DEUS!! Camila, imagine a situação!
      Na época, meu filho tinha 6 meses, eu já andava bem e cuidava dele, meu sobrinho mais novo, estava com 1 ano e 2 meses, e o mais velho com 3 anos!
      ***Agora ela está grávida de novo e estou com medo disso, pq vai sobrar pra mim!
      Sério, estou cansada!
      Mas, não adianta falar pra eles, eles pensam neles e como sempre falam que estou com frescura!
      Ultimamente tenho chorado a toa, fico irritada com tudo, não sorrio mais, pelo contrário, eu quero ficar sozinha, não quero ver e nem falar com ninguém!
      Me refugio aqui no blog, pq antes de tudo.. eu era auxiliar de enfermagem. E amava ajudar. Odeio pensar que não vou exercer mais essa profissão, pq me sinto incapaz disso!
      Como poderia tbm,? Não consigo sequer ajudar a mim mesma, imagine ajudar os outros!!

      Estou cansada.. cansada mesmo!
      De tudo!

  47. Olá pessoal, que Deus abençoe a todos. Alguém pode me informar se a rede SARAH aceita pacientes adultos com traqueostomia e gastrostomia? gostaria de saber se há alguma exigência relacionada ao perfil do paciente através da experiência de vocês.

    • Salve Maria! Boa noite!

      Quando eu sofri o meu acidente eu só puder ir para o Sarah depois que a minha traqueostomia fechou.

      Lá no Sarah eu me surpreendi pois achei que a maioria dos casos eram de acidentes. Mas as lesões adquiridas cerebrais podem vir também com o surgimento de doenças.

      Acredito que todos os vitimados de dificuldades motoras do fundo neurológico são o foco.

      Mas se me permite uma sugestão, o ideal é que você ligue na Rede Sarah, porque essas coisas podem sofrer alterações com o tempo, né?

      Você já falou do seu caso aqui no blog?

    • OLÁ ROSENÉIA….

      VC JÁ CONSEGUIU SABER DO SARAH????? EU ACHO QUE NÃO ACEITA, MAS É BOM LIGAR LÁ E CONFIRMAR.
      A LEA AQUI DO BLOG PODE TE INFORMAR MELHOR…VOU PEDIR PRA ELA ENTRAR EM CONTATO COM VC.

      BEIJO QUERIDA, MANDE MAIS NOTÍCIAS….
      FERNANDA

    • Oi Rosenéia Rocha, o Sarah aqui do RJ não aceita pacientes com traqueo nem GTT, tive que esperar meu filho sair da GTT para poder começar o tratamento lá, estou adorando o Sarah, vc. Tb. vai conseguir, esperamos por dois anos mas valeu a pena, tem Sarah no RJ, BH e DF, todos são do mesmo nível, assim que puder tente conseguir, boa sorte e bjs.

  48. Olá! Tem 5 meses que acompanho o blog o que tem me ajudado muito! Apesar de não ter lido sobre nenhum caso de lesao anoxia, resolvi dividir um pouco da minha dor e esperança com vcs! Bom, meu querido esposo Rogerio de 33 anos sofreu 3 paradas cardiorrespiratorias longas, o que o deixou em coma! Já acordado, não fala e nem anda, a comunicação é realizada com o piscar de olhos, mas oscila tem momentos que olhar é vago! Já faz quase 6 meses que tudo aconteceu, ele está em casa acamado, rodeado de muito amor e esperança, tem feito fisio, fono mas os progressos são quase imperceptíveis! Os médicos sempre foram bem negativos, mas tenho muita fé e acredito no sobrenatural de Deus! Enfim, agradeço pela coragem de cada um de vcs, que mesmo diante do improvável superaram! Caso tenham algo para comentar a respeito sobre anoxia ou qualquer outro incentivo, serei muito agradecida! Fiquem com Deus

    • Salve Maria Angélica! Boa noite!

      Eu sofri um acidente automobilístico em 2010, e os médicos me desenganaram várias vezes para os meus pais. Depois eu entendi que eles dão esses prognósticos em cima de estatísticas médicas. Mas a verdade é que a medicina, principalmente no que diz respeito ao cérebro não é uma ciência exata, sabe?

      A nossa vida muda muito depois desses acontecimentos, e tudo vira aprendizado.

      Tenha esperança sim. Reze e dê muito amor ao seu esposo. Deus não nos dá uma cruz maior do que a que podemos carregar.

      Está tudo muito recente. Muito mesmo!
      Vibre por cada um dos progressos que sãos quase imperceptíveis, porque se são perceptíveis já são vitórias, glória a Deus!

      Neste ano eu farei 5 anos de lesão, e sinceramente agora é que as coisas estão melhores. Mas ainda tenho altos e baixos. Eu ainda estou me conhecendo, pois a Camila de antigamente se foi.

      Graças a Deus ele está em casa, o que no meu caso, por exemplo, foi extremamente benéfico.

      Sabe, cuide de você também. Porque a família sofre tanto, e às vezes até mais do que os vitimados.

      Que Nossa Senhora cubra toda a sua família com o seu manto!

      Vamos conversando.

      Forte abraço.

      • Querida Camilamanuella! Muito obrigada pelo seu depoimento, saber que vc superou algo tão difícil me incentiva a prosseguir com fé! Gostaria de saber vc teve alguma dificuldade com a fala, após o acidente? Se possível teria como relatar com um pouco mais de detalhes sobre sua recuperação? Um grande abraço e fica com Deus

    • OI ANGELICA QUERIDA….

      Fico muito feliz em saber que vc já acompanha o Blog há 5 meses e ele tem te ajudado um pouco. Saber disso é um grande presente pra mim. Sou a Fernanda e vc já deve ter lido um pouco da minha história aqui (meu depoimento é o primeiro) e visto alguns depoimentos e informações minhas, né?
      Acho que a querida Camilla te disse coisas muito importantes: “toda melhora do seu marido deve ser muito comemorada; do cérebro não se sabe muito; pra Deus nada é impossível; o que aconteceu com seu marido é recente qdo falamos de lesão cerebral e vc não deve esquecer de vc, de cuidar de vc tb”. Sei que tudo é muito difícil pra família e imagino como deve estar seu coração e sua cabeça com tudo isso… Seu marido é muito novo, imagino que vc tb seja… Realmente não temos casos aqui no Blog de lesão cerebral devido à anóxia por paradas cardiorrespiratórias longas, mas em algumas lesões cerebrais relatas aqui por traumatismo ou AVC, por exemplo, pode ter ocorrido falta de oxigênio no cérebro tb, o que pode levar a consequências semelhantes, né?

      Obrigada por compartilhar sua história conosco aqui no Blog. Se tiver algo que eu possa ajudar, me escreva.
      6 meses é muito pouco tempo, com o tempo algumas dúvidas podem ir surgindo e ficarei muito feliz se eu puder te ajudar. Não tenha receio, pergunte qualquer coisa que quiser, nenhuma pergunta é boba.

      Vi que vc fez uma pergunta pra Camila Manuella, eu vou avisá-la, pois vc colocou o texto abaixo da resposta de outra pessoa (eu já modifiquei pra vc) e talvez ela não tenha visto. Ela vai te responder. A Camila escreveu a primeira vez aqui no Blog já tem muito tempo e foi uma amiga que ganhei aqui, ela é uma guerreira tb. Vou avisá-la.

      Grande beijo
      Fica com Deus e não perca a fé… Muita saúde, força, paciência, paz, amor e sabedoria….
      Fernanda

    • Salve Maria! Boa noite Angélica!

      Desculpe-me pela demora, mas eu não tinha percebido que você tinha me mandado uma resposta. :/ A Fê me avisou e cá estou eu! :-)

      Vou te contar um pouco da minha história.

      O meu acidente aconteceu no dia 2/11/2010. Fiquei viúva.

      Eu acordei de 28 p/29/11 na 3ª tentativa de me acordarem . Isto é, os médicos tentavam retirar a medicação, eu não aguentava e eles me deixavam em coma induzido. :-( Já tinham falado para os meus pais que eu ficaria em estado vegetativo. O lindo foi a resposta dos meus pais: “isto é o diagnóstico dos senhores. Agora, vamos ver o diagnóstico de Deus.” :-D Fico super emocionada em imaginar eles passando por tudo o que estavam passando, e tendo a presença do Espírito Santo de Deus em respondê-los. :-)

      Então fiquei menos do que um mês em coma. Dia 23/12 eu recebi alta, pois eu já estava ficando muito nervosa de continuar no hospital, e o meu novo médico – depois eu te conto a história do meu primeiro médico que foi afastado do meu caso – resolveu me liberar.

      O fato é que quando eu fui para casa eu mal me sustentava sentada. Eu não sentava e não andava sozinha. :/
      Mas eu estava nos ares da casa dos meus pais. Então eu fui me lembrando de como eu era antes do acidente. E isso me encorajou a tentar me mover sozinha.

      Foi uma fase muito difícil. Eu dependia de todos para fazer tudo. Tudo mesmo. E detalhe, eu tenho quase 1,70m. Então digamos que não é a coisa mais fácil me dar apoio, né? rs

      Com o tempo conselhos práticos chegaram até mim. Por exemplo, usar o telefone celular para ligar para o telefone fixo daqui de casa e assim chamar a minha mãe.

      Eu tive que aprender tudo de novo.
      No hospital tive que aprender a respirar, a piscar o meu olho esquerdo, a engolir, a sentar com apoio, a manter me manter sentada (detalhe que eu achava que estava me segurando, rs. Mas as pessoas falaram depois que eu ficava caindo… !), e também dei uns passinhos bem amparada pela fisioterapeuta. Não fiz corpo mole para levantar os pesinhos (1Kg). Tive acompanhamento psicológico e fonoaudiólogo.

      Ir para casa foi assustador. Muito assustador.
      Lembro-me de perguntar para a minha mãe: “e agora mãe, sem a ajuda dos enfermeiros como vai ser?”. A minha mãe respondeu que nós iríamos dar um jeito.

      E depois que eu descobri que eu estava com hemiparesia! Foi horrível!
      Eu tenho hemiparesia do lado esquerdo, inclusive na face.
      Isto que dizer que o meu lado esquerdo não responde como o direito.
      A força não é a mesmo. É menor. :-(
      Isto me atrapalha em tudo.
      Mas glória a Deus.

      Aí depois de um tempo, por conta da empresa que eu e o me falecido esposo tínhamos, me senti obrigada a voltar a trabalhar o quanto antes. Bem depois eu descobri que a ansiedade para voltar logo às minhas atividades, é algo comum para quem sofreu lesões semelhantes às minhas.

      Ainda em 2011, um dia tive que dirigir porque precisamos fazer uma entrega na empresa e não tinha mais ninguém que dirigia. Foi uma comédia. Foi foda, rs.
      Ainda bem que foi uma distância muito pequenininha.

      Eu sofri muito. Muito mesmo. Achava que eu estava ficando louca! Era muita dor. Tanta dor que mesmo depois que eu recuperei a minha independência de locomoção, eu sofri muito psicologicamente. Muito mesmo.
      Saí do hospital tomando remédios para o meu psicológico. Me revoltei e larguei a medicação.

      Sofri. Sofri. Sofri muito.

      No final de 2011 voltei ao psiquiatra e recomecei a ser tratada.

      Confusão total! Nenhum médico tinha uma orientação para me dar. Ninguém me explicava o que estava acontecendo comigo.

      Aí comecei a pesquisar na internet sobre traumatismos cranianos. Eu precisava entender o que estava acontecendo comigo. E numa dessas pesquisas encontrei este blog “Meu Cérebro Mudou”. Glória a Deus! :-) A minha vida mudou desde então.

      Sabe Angélica, eu mudei. Na verdade eu morri.
      A Camila de hoje é muito diferente da Camila de antes.
      Inclusive com o tempo, tomando a consciência de que eu tinha renascido, eu tive que falar com todas as letas para as pessoas que me amam “a Camila morreu”.

      Eu me perdi. Perdi o Lê. Perdi quase tudo da minha vida.

      Graças a Deus os meus pais ainda estão por aqui para viverem isso comigo.
      Graças a Deus!

      Eu perdi o convívio dos meus amigos, porque mesmo hoje me considerando bem melhor, eu não os acompanho, sabe?

      A minha vida mudou completamente. A vida da minha família mudou também.

      Os meus pais estão lascados comigo, rs, porque enquanto Deus permitir, eu estarei perto deles.

      Os meus interesses mudaram. Na verdade eles sumiram!
      Eu não desejava nada. Eu estava anestesiada.

      Ainda quando estava me consultando com a mesma psicóloga que me acompanhou quando eu estava internada, eu já dizia à ela que o fio tinha sido desconectado entre eu e este mundo.
      E realmente desconectou.

      A parte do meu cérebro que foi atingida com mais força no acidente, foi o lado frontal direito.
      Depois de muito tempo, eu descobri que essa área é responsável pela nossa personalidade. Por isso eu me perdi.

      O meu cérebro não produz mais determinadas enzimas. Depois de muito tempo, com a ajuda da Fernanda daqui deste blog, em 2013 eu acho, eu comecei a entender o que aconteceu comigo.

      Entender foi excepcional. Mas não me fez controlar 100% as minhas sequelas.

      Eu me perdi.

      Eu não fiquei burra graças a Deus! :-) Mas sou limitada.
      Tenho uma indisposição aleatória.
      Eu não mando mais em mim. :-(

      Com o tempo tenho aprendido a me poupar quando eu tenho algum compromisso. Desde uma consulta médica à um encontro com amigos ou família e Igreja/Catequese é primordial eu raciocinar o que farei.

      Existem algumas técnicas – eu aprendi aqui no blog – que me ajudam a planejar as coisas que normalmente nem precisariam ser planejadas.

      • OH CAMILA, MINHA QUERIDA…
        VC JÁ MELHOROU MUITO E FICO FELIZ DE TER PARTICIPADO UM POUCO DISSO E TER ME TORNADO SUA AMIGA!

        OBRIGADA POR CONTAR MAIS UM POUCO DA SUA HISTÓRIA AQUI NO BLOG.

        E VAMOS CONTINUAR SEMPRE EM BUSCA DA FELICIDADE, MESMO COM NOSSAS LIMITAÇÕES… MUITO ORGULHO DE VC!!!!!

        BJO, FERNANDA

      • Oi Camila!
        Me identifico com tudo o que vc escreveu!
        A diferença é que vc sofreu um acidente e eu tive um AVC.
        Mas, tudo, completamente tudo, o que vc escreveu é o que acontece comigo!
        Ainda não me encontrei perfeitamente. E o desespero por voltar a trabalhar é demais, mas minha mãe tenta me controlar e me lembra sempre que antes do trabalho, tenho que cuidar do meu filho e principalmente da minha saúde!
        É difícil, pq estou completamente perdida..
        Parece q estou em uma ilha deserta, sozinha comigo mesma…
        quer dizer, é como se eu travasse uma guerra comigo mesma, pra ver quem vence, a Vanessa de antes do AVC, ou a Vanessa de agora!

        que complicado né?!

      • QUERIDA VANESSA….
        Escrevi pra vc mais abaixo e te mandei e-mail tb…. Sabemos que esta fase que vc está vivendo é dificílima, mas tb sei que vai melhorar, pode confiar nisso… Sua mãe está certa, não é hora de voltar pro trabalho, primeiro vc tem que cuidar de vc!
        As sequelas pós AVC podem ser idênticas às sequelas pós um TCE ou aneurisma. São lesões cerebrais que trazem dificuldades cognitivas, às vezes físicas tb e assim por diante.
        Força querida e muita paciência e perseverança, vamos te ajudar!!!!!!!
        Bjoooo
        Fernanda

  49. Olá Bruna , fiquei feliz por esse blog ,que com os depoimentos de outras pessoas ,nos ajudam bastante a manter a esperança de um futuro mais incluso na sociedade, para os deficientes com LAD. Obrigada , pelo carinho e incentivo à todos. Vou falar um pouco do caso de meu filho acontecido no Japão . Ele sofreu um acidente em 14/09/2011,a quase 4 anos quebrou a bacia e bateu a cabeça fortemente ficando com traumatismo craniano , ou seja alta disfunção cerebral, sendo diagnosticado com Lesão Axonal Difusa. Ainda estou aqui , pois as leis do Japão leva um tempo para reconhecer esta sequela, que nos faz sofrer muito , até compreender como se deve viver e conviver com o paciente. Meu filho, não consegue fazer atividades que use a concentração por mais de 1 hora consecutiva, ele entra em confusão eextrema irritação , por dia ele precisa dormir um pouco para levar uma vida mais alegre, sem estresse, ele ainda não consegue muita memorização , quer fazer faculdade mais aqui no Japão o Sistema é de exclusão para esses deficientes, ele não pode sair de casa ,pois pode entrar em confusão na cabeça e se perder, como aconteceu várias vezes, então só sai com a mãe ou o pai, não faz atividades puxadas em raciocínio , toma remédio para dormir e controlar o emocional durante o dia. Graças a Deus ele melhorou muito, pois no começo foi muito difícil . Li os depoimentos e fiquei até anciosa para retornar para o Brasil , e lutar para que ele tenha uma vida de inclusão , que participe de um grupo como você apresentou nos depoimentos. Vamos manter o contato por favor. Deus abençoe . Abraços 😘💝

    • Odete, nao sei muito bem sobre LAD apesar de sofrer disso rs.. O raciocínio se torna mais lento, ocorrem mudanças de humor de forma muito brusca, perda da memória recente.. e para isso minha neuropsicologa, que não sei se o japão possui, me auxiliou bastante, com alguns tuques para melhorá-la, meu acidente ocorreu na faculdade mas após isso consegui fazer uma pós graduação, explicando para a faculdade o meu caso e tendo auxilio dos professores, mconsegui me pós graduar a Fernanda que é a pessoa que fez o blog está viajando e me pediu para continuar respondendo os posts em seu lugar..espero qe de tudo certo com seu filho, mas lembre-se sempre que ele já se sente mal por nao ser mais o mesmo, entao não o cobre.. um beijo

    • Oi Odete. eu sou a Vanessa, e gostaria de manter contato com vc.
      Tive um avc hemorragico em abril/2013, 9 dias após meu filho nascer. Fiquei com quase os mesmos sintomas que seu filho. Hj, visivelmente, não aparento ter sequelas, mas, o mais complicado é ter que depender da minha mãe pra td, pq, assim como seu filho, as vezes fico irritadissíma e acabo me esquecendo das coisas e lugares. Isso me irrita mesmo, pq acabei me isolando de td. e nunca tive que depender de ngm. Meu sonho era fazer faculdade de Enfermagem, mas depois do Avc, eu tenho medo.
      Gostaria de poder conversar com vc e seu filho, se vcs quiserem. Uma coisa, que aprendi qdo fazia terapia, é que, quanto mais eu falar e me expressar, menos raiva e mais motivação eu vou ter! quem sabe, não é o caso do seu filho!! :D

      nessaxx14@gmail.com

      • Olá Vanessa, obrigado por deixar o seu endereço de contato para trocarmos experiências , nós usamos muito o Skype para comunicar com as pessoas , você n tem Skype? Vou mandar um convite pelo seu endereço de e Mail , vamos sim trocar ideias , experiências ,com certeza Deus nos abençoará . Meu filho também é bem isolado por causa da sequela que ficou depois do acidente. Tenha bom ânimo que Deus ajuda a vencer os traumas. Abraços 💝💝💝

      • Oi Odete!
        Tenho Skype sim.
        Vanessa Batista. Pode adicionar!
        Aliás, quem quiser conversar e manter contato.. pode adicionar ! :D

    • ODETE QUERIDA!!!!!!
      Até que enfim, vamos conversar um pouco, rsrs. Como a Bruna te disse, eu estava viajando e fiquei ausente por uns dias. Vi que a Bruna e a Vanessa já conversaram com vc e esta troca de experiências é o maior objetivo de eu manter este Blog, pois acredito que todos, não só no Japão, mas aqui no Brasil também, sabem muito pouco da lesão cerebral, TCE, LAD e a troca de informações faz toda a diferença.

      Odete, não sei se vc leu meu depoimento, ele é o primeiro daqui. Eu tb sofri um grave acidente, tive um politraumatismo com traumatismo craniano, lesão axonal difusa, entre outros.

      Algumas “características”/sintomas ou sentimentos podem ser observados em pessoas vítimas de TCE, como por exemplo:
      # FADIGA MENTAL E FÍSICA (que seu filho tem e eu tb)
      # vertigem
      # cefaléia
      # MEDO
      # ansiedade
      # IRRITABILIDADE COM QUALQUER COISA
      # impulsividade
      # INADEQUAÇÃO SOCIAL
      # depressão
      # falta de identificação com os outros
      # AGRESSIVIDADE
      # desinibição ou apatia
      Isso NÃO significa que todos que tiveram TCE vão ter todos esses sintomas, mas uma mesma pessoa pode ter vários. Saber disso serve de alerta para todos poderem identificar suas reações ou de seus familiares e entenderem que é comum após a lesão isso acontecer e por isso, muitas vezes é imprescindível buscar ajuda profissional…

      Esses sintomas que vc disse que seu filho tem após o TCE são muito comuns. Eu tb fiquei com sintomas parecidos com o do seu filho. A fadiga mental e física além da dificuldade de memória recente são os sintomas que mais me atrapalham e me incomodam. A irritabilidade tb é difícil, mas eu controlo muito a fadiga, a irritabilidade, a impulsividade, a insônia que tb passei a ter, com uso de medicamentos. Faço uso de antidepressivos há 8 anos. O apoio da minha família e a terapia com psicólogo e neuropsicólogo também foram fundamentais para melhorar minha qualidade de vida. Eu até hj, na maioria dos dias, uso desta técnica de dormir um pouco durante o dia para conseguir fazer as minhas atividades e tb me sentir mais calma, alegre e descansada. Cada um tem que descobrir o que ajuda a fadiga. O uso de agenda semanal me ajuda demais a lidar com a dificuldade de memória. Eu falo sobre o uso desta agenda aqui no Blog em “Estratégias úteis”. Dê uma olhada lá qdo tiver um tempinho.

      Vi que vc comentou como funciona um pouco aí no Japão, mas aqui no Brasil não é uma maravilha não. Pra vc ter uma noção tem pouco tempo que foi criada a Sociedade Brasileira de Traumatismo Cranio encefálico. Leia um pouco aqui no Blog sobre isso na sessão de “Informações Importantes”. Há poucos anos que se sabe o que se deve fazer após uma lesão cerebral… O cérebro é muito estudado, mas se tem muito o que descobrir. Graças a Deus, sabemos qque a neuroplasticidade cerebral existe e com estimulação o cérebro cria novos caminhos. Eu sou a prova de que a neuroplasticidade existe e é maravilhosa. Em 8 anos, eu tive muita melhora.
      Tem cerca de 3 anos e 8 meses do acidente do seu filho e com certeza vc já deve ter visto melhoras. Ele fez algum tratamento durante este tempo com algum profissional? Não sei como funciona aí no Japão…
      A melhora é maior nos primeiros 2 anos, mas ela sempre existe na minha opinião, pois esta é a minha experiência. Tem 8 anos que eu tive a lesão e eu percebo que com o tempo aprendemos a lidar melhor com as nossas dificuldades, sabe?

      Odete seria interessante pra vc uma consulta com profissional daqui por skype?
      Vou te mandar um e-mail e conversamos mais e te explico.
      Eu posso te ajudar mais efetivamente em algo? Vamos mantendo contato. Como vc viu, aqui no Blog tem muitos casos de TCE com LAD e algumas informações que podem ser úteis pra vc.
      Um grande beijo querida
      Espero ter te ajudado de alguma forma,
      Fernanda

  50. Em outubro de 2014 tive minha primeira convulsao,por causa disso procurei um neurologista,e dps de uma tomografia descubri que estava cm um tumor cerebral,perdi meu chão,nada mais fazia sentido,porém tive apoio de muitas pessoas que me fizeram levantar e reagir,comecei a ir pra igreja,e continuei acompanhando durante 7 meses e o tumor ao crescendo e medico smp me falando que tava muito grudado no cranio que eu podia ficar cm seguelas,que eu iria perde todo meu cabelo e eu continuei firme pke eu acredita que Deus ja estava no controle de tudo,então a cirurgia foi marcada, e la eu fui,resumindo hoje estou cm 20 dias de operada,minha cirurgia foi um sucesso,eu nao tive sequela nem uma,quando abriram minha cabeça meu tumor estava descolado,estou com meu cabelo so tiraram um pedaço nem da pra ver…Qro falar qe qd vs crê nd e impossivel a minha fé me salvou…olha pra mim e veja como Deus trabalhor na minha historia(8′

    • Nossa MARCELA…. Que alegria!!!!!!!!!
      Que história linda de fé a sua! Fiquei emocionada! MUITO OBRIGADA, de coração, muito obrigada mesmo por compartilhar sua história conosco aqui no Blog!
      Melhoras pra vc após a cirurgia e tudo de bom pra sua vida sempre!!!!!!! Que Deus continue te abençoando e parabéns pela sua fé e coragem, um exemplo para todos nós!
      Fico muito feliz com este “final” feliz da sua história!

      Beijo grande querida…
      Amo seu nome, nome da minha irmã, rsrs,
      Fique com Deus,
      Fernanda

  51. Olá estou no Japão e meu filho que sofreu um acidente a três anos ficou com Lesão Axonal Difusa, é muito difícil , realmente precisa muito amor , dedicação , auto estima , paciência para avançar na recuperação . Quero estar em contato com grupos com a mesma deficiência para trocar experiências e informações . E-mail riyama@live.com.

  52. Boa noite , venho há aqui pedir ajuda….tô muito triste…
    a mais ou menos um mês e meio meu namorado26 anos sofreu um acidente de carro ele não não teve muitas lesão , mas o mais grave foi que ele bateu a CABEÇA ficou em coma por 20 dias depois disso ele acordou lembrando só de algumas coisas da vida dele 10 anos atrás, é como se esses dez anos pra cá ele não tivesse vivido inclusive ele não lembra de mim…mme bateu um desespero em saber disso, quero que vos me ajudem o que devo fazer para ele recuperar a memória dele

    • Jeane, primeiramente, lesões cerebrais afetam a memória recente, é preciso paciência, muita paciência, demora um pouco para recuperá-la.. mostre fotos,lembre de passeios, conte a ele, tente ajudá-lo a lembrar-se.. não exija que ele lembre do dia para noite, odiamos sermos cobrados.. compreensão é a melhor palavra… eu também me lembrava de coisas de muitos anos a traz e não me lembrava das coisas recentes, chamava minha mãe de avó.. ela insistia que era minh amae.. a chamei de avó alguns meses, hoje sei que é minha mãe.. bjus e melhoras

    • Oi Jeane….

      Já tem alguns dias que vc escreveu aqui. Seu namorado apresentou alguma melhora com relação à memória dele? Como ele está agora? Quando aconteceu o acidente dele?

      A perda de memória recente, como vc pode ver em vários depoimentos aqui do Blog, é muito comum acontecer. Haverá uma melhora espontânea no início, mas é preciso sempre muita estimulação. A ajuda de profissionais, como um bom neuropsicólogo que lida com lesões cerebrais, tb é importantíssimo!
      De que cidade seu namorado é?

      Mande mais notícias!
      Grande beijo e espero que esteja mais calma….
      Fernanda

  53. minha mae sofreu um acidente gravissimo,foi atingida por um caminhao,sofreu traumatismo craneano com 23 pequenos coagulos na cabeca,teve sangramento no cerebro,alem disso teve uma grave lesao na perna tendo que amputar,hoje ja se passaram 2 meses e ela voltou pra casa,ela nao passa bem esta totalmente transtornada,com confusao mental perdendo a vontade de viver ela esta totalmente descontrolada está sendo um momento dificil pois ela chora dia e noite,esta sendo os piores dias de minha vida to em busca de uma solucao para que ela melhore!!

    • Olha Ana o qu eposso lhe informar eh o que eu ouço de varias pessoas que como eu sofreram lesoes cerebrais, a coisa mais dificil do mundo pe aceitar o que ocorreu, pois nao temos culpa alguma.. eu tambem fiquei transtornada quando fora do hospital entendi o que ocorria comigo, pois fiquei um ano fora do hospital nao falando coisa com coisa, confusao mental é algo muito comum em pessoas com lesões cerebrais, inclusive perda da memória recente, não reconhecimento das pessoas dentre outras.. e tudo isso DEMORA MUITO! para melhorar, pois infelizmente não volta a ser como antes, por mais que desejemos. Eu particularmente melhorei após conhecer o que ocorreu comigo e visualizar as consequencias disto, para isso precisei ir a uma neuropsicóloga especializada em pós trauma, pois a que fui antes que era neuro psicologa somente nao me ajudou em nada.. de uma lida nos informativos aqui do blog, podem ajudar! um beijo e melhoras

    • Ana, é muito recente o acidente da sua mãe, sobre o traumatismo craniano ela ainda vai melhorar muito, a recuperação é muito lenta, agora acho que é normal a pessoa ficar descontrolada na situação dela, ela teve que amputar uma perna, é complicado ter que se adaptar a esse modo de vida, tenta ser bem carinhosa com ela, converse bastante, tente mostrar que ela pode ter a mesma vida de antes, querida sei que é complicado pra vc. que é filha, mas tente mostrar que a vida continua e ela pode ser feliz como antes, coloque aqui o nome dela para coloca-la nas minhas orações, Deus é pai e ela vai melhorar muito, tenha fé e acredite. Mande sempre noticias, beijo no coração.

    • Oi Ana….

      Sou a Fernanda, meu depoimento é o primeiro daqui, não sei se vc leu.
      Já tem uns dias que vc escreveu aqui no Blog e hj te mandei tb um e-mail, não sei se vc leu as mensagens da Bruna e da Lea aqui pra vc. O que as duas falaram é muito importante. O traumatismo craniano da sua mãe (TCE) ainda é muito recente, tudo que aconteceu com ela ainda é muito recente… A recuperação após um TCE é lenta e precisa de uma avaliação e muita estimulação tb pra melhorar o que pode ter afetado em cada caso. Aqui no Blog tem muito casos e muitas informações que podem te ajudar. Leia na sessão “Informações importantes “, “Estratégias úteis” que vc encontrará algumas informações.

      Primeiramente Ana, o que eu preciso te falar e na minha opinião é URGENTE (pois eu vivi na pele e sei o quanto isso dificulta tudo), é o estado “depressivo” da sua mãe. Eu sempre digo: se uma pessoa não tem vontade de viver, como ela vai se tratar e buscar ajuda?????? Como ela vai lutar????? Não tem como!!!!!!! Então, a primeira coisa agora é cuidar disso!!!!!! Ela está sendo acompanhada por um neurologista ou um psiquiatra? Eu não sou médica, mas acho que vcs têm que ir atrás de uma opinião médica sobre o uso de antidepressivos. A própria lesão cerebral pode causar depressão e sua mãe (assim como aconteceu comigo que precisei lidar com mortes no meu acidente) tem outras coisas a mais pra lidar do que o TCE, né? Amputar a perna por si só já exige, muitas vezes, ajuda de um profissional como psiquiatra e psicólogo. O uso de anti depressivos assim como o apoio da família e apoio psicológico que tive ajudaram salvar minha vida!
      O neuropsicólogo tb, como a Bruna mesmo disse, é muito importante, pois é importante que sua mãe saiba de suas próprias dificuldades e aprenda a lida com todas elas.

      Mas como eu disse, vamos por partes! Agora temos que pensar neste estado de depressão, desânimo e tristeza que vc disse que sua mãe se encontra. Sobre a confusão mental é comum acontecer nesta fase tb após um TCE e isso tende a passar.
      Como já se passaram muitos dias e eu só vi o caso da sua mãe agora (estava ausente por uns dias), me mande notícias.
      De onde vcs são? Quantos anos sua mãe tem?

      Aguardo notícias!
      Grande bjo
      Fernanda

  54. Oi! Tive um AVC Hemorrágico pós parto no dia 13/04/2013. Meu filho estava com 09 dias de vida, quando tudo aconteceu e eu tinha 27 anos.Não me lembro muito como foi ou do meu bebê após sair da maternidade, mas, me lembro que cheguei em casa, exausta e com muita dor de cabeça. Lembro que,passado alguns dias em casa, o coto umbilical dele caiu na minha mão e guardei. após isso, acordei em uma maca no Hospital, com muita gente ao redor, e um médico (ou enfermeiro) me dizendo que eu era sortuda pois ainda estava viva e já deveria ter morrido. (Coisa horrível de se ouvir!) Fiquei paralisada do lado esquerdo,não falava direito, tinha dificuldade de reconhecer as coisas e pessoas ( eu nem sabia quem era meu filho ), pra mim ele era meu sobrinho mais novo… Passei 18 dias no hospital me recuperando.Aos poucos meus movimentos foram voltando e também minha consciência. minha mãe diz que minha força de vontade era tanta que com 10 dias, eu já movimentava meu pé e quando ela saia do quarto e voltava eu não estava na maca ( eu levantava pra ir ao banheiro ou até a porta sozinha ), com 3 meses, eu andava sozinha e já lembrava do meu filho e cuidava dele sozinha ( em termos, pq ainda não conseguia segura-lo sem apoio de alguém por causa da minha mão esquerda que ficou com sequelas).
    Continuei fazendo fisioterapia e com 6 meses, recuperei os movimentos de todo o corpo e já andava sozinha pra todo lado.
    Só que, antes do AVC, eu era uma pessoa calma, paciente, tolerante, sorridente e não tinha medo das pessoas ou de sair de casa.
    Hoje, eu sou completamente impaciente,intolerante, não consigo dormir a noite,não saio de casa, tenho medo de locais barulhentos, não consigo mais fazer amizades e tenho medo das pessoas.
    Meu único refúgio e meu filho.
    Sem perceber,acabei me isolando de tudo e todos.
    Tenho vontade de voltar a trabalhar, mas tenho medo de não conseguir, e o fato de ter que sair de casa e estar sob pressão de pessoas, me angustia. é insuportável isso.
    Minha neurologista diz que é normal, por causa de tudo que passei. que devo voltar as rotinas anteriores. Mas, a questão é: “- Como voltar com as rotinas que tive, se não sou mais a mesma pessoa?” As coisas pra mim, se tornaram muito mais complicadas, pelo fato de que: Eu ainda não sei como lidar com tudo que aconteceu!
    ENFIM…
    O importante é que, graças a Deus, eu me recuperei e posso cuidar do meu bebê sozinha… o resto, creio que o tempo vai me ajudar!!!

    • VANESSA, MINHA QUERIDA….

      Que história a sua hein? Tenho uma amiga que tb teve um AVC após o parto com esta idade mais ou menos, mas até hj ela tem dificuldade pra falar e andar normalmente….Minha irmã faleceu no meu acidente com apenas 27 anos (muito nova, a sua idade qdo vc teve o AVC), eu tb sofri TCE com 29 anos e entendo muito o que deve passar na sua cabeça…
      Desculpa só te escrever agora, é que tirei férias e depois que voltei tive vários compromissos e foi tudo uma correria que me atrapalhou entrar aqui. Quando entro e leio os depoimentos para responder aqui no Blog, gosto de estar “inteira”, descansada e com tempo pra poder pensar e conseguir registrar na memória o caso de cada pessoa aqui, pois devido as minhas dificuldades após o meu TCE, não é todo dia que consigo fazer isso…. Enfim Vanessa, onde vc mora? Com o quê trabalhava antes de ter seu AVC???? Vc faz tratamento com neuropsicólogo?

      Vanessa, eu nunca fui calminha, mas depois da minha lesão fiquei muito mais impaciente, intolerante, nervosa com qualquer coisa e sei “na pele” o quanto isso é sofrido e nos atrapalha no dia a dia. Vc faz uso de algum medicamento? Eu faço uso de anti depressivo há 8 anos, desde qdo saí do hospital e comecei a perceber todos os sintomas da lesão. Eu tive depressão após o meu TCE (o que é comum tb), mas o fato de eu continuar tomando medicamento não foi só isso. O medicamento me auxilia muito neste controle da irritabilidade, alteração do humor, medo de algumas coisas (como medo intenso que tenho de perder mais alguém que eu amo, medo de sofrer outro acidente, etc.), me ajuda no controle do apetite e sono, pois fiquei tb com alteração do sono. Enfim, o medicamento pra mim é FUNDAMENTAL. Já tentei, algumas vezes, fazer a retirada com auxílio do psiquiatra, neurologista, mas foi impossível. Ele realmente me ajuda!
      Além disso, fiz terapia com psicólogo por 7 anos e ainda faço, a cada 15 dias, com neuropsicólogo. Tudo isso colaborou e colabora intensamente para eu ter uma boa qualidade de vida. Esta questão de voltar a trabalhar é complicada e depende da cada caso. Por isso te perguntei o que vc fazia antes. Vc faz algum tipo de terapia???? Esse assunto poderia ser discutido em terapia, isso poderia te auxiliar bastante. Eu, por exemplo, não tive como retornar ao mesmo trabalho que antes devido algumas dificuldades que fiquei, como por exemplo: dificuldade de atenção, concentração e memória, lentidão e dificuldade na leitura e raciocínio. Então, depende muito no que vc trabalhava e quais as dificuldades que vc apresenta hj, né? Conheço muitas pessoas da nossa idade que tiveram lesão cerebral (AVC, aneurisma, TCE) e alguns trabalham e outros não. O não dormir à noite que vc disse que não consegue já atrapalha muito tudo, pois todos nós precisamos dormir e de preferência bem. Eu fiquei quase louca com este negócio de não dormir à noite, quase louca mesmo. Enquanto não acertaram com medicamento, eu sofri muito. E tem esta tb, muitas vezes, não é o primeiro, nem o segundo, nem o terceiro medicamento que dá certo pra gente. Tem que persistir. De certa forma, sua lesão ainda é recente, agora que fez 2 anos né?

      Vanessa, me escreva mais e vamos conversando.
      Fiquei muito feliz em saber o quanto vc se recuperou rápido e que já consegue cuidar do seu filho.
      Um grande beijo e seja bem vinda ao Blog!!!!!
      Fernanda

      • Oi Fernanda! Tudo bem?
        Então, moro em Guarulhos/S.P, antes do Avc trabalhava como Atendente de Restaurante no Aeroporto de Guarulhos ( amava trabalhar lá!), Trabalhei também em escritórios, como Aux. de Escritório, fiz vários cursos, até de Contabilidade e Enfermagem.
        Meu sonho era ser Enfermeira, mas, mudei os planos, pq após o Avc, decidi nunca mais trabalhar com vidas, sabe como é né… são valiosas demais e não se pode deixar passar um detalhe sequer.. é uma profissão, que exige de vc, total coordenação motora e cerebral.. e eu já não estou mais 100%.
        Melhor mudar a área, de pessoas, pra papéis!! :D
        Então, eu não faço nenhum tipo de tratamento, pq os médicos disseram que eu estava apta a voltar a ter minha vida normalmente, já que eu aparentemente estava bem.Só faço tratamento com a neurologista a cada 6 meses, pq não posso ficar sem o remédio, que evita que eu tenha convulsões.
        A médica disse, recentemente que estou com depressão, mas, não me disse como tratar, nem o que fazer. Eu não saio de casa, não falo com os amigos, não converso nem em casa.. eu me isolei de tal maneira, que nem eu mesma me entendo!
        Como eu disse pra Camila, parece que travei uma guerra comigo mesma, pra ver quem ganha, se é a Vanessa de antes do AVC ou a Vanessa de agora.
        Depois do AVC, e mesmo estando qse 100% recuperada fisicamente, ainda não estou bem.
        Me sinto lerda no raciocínio, me perco no tempo, esqueço as horas e os dias as vezes troco datas, tenho medo de tudo e de todos.
        Fez dois anos que tive o AVC, na verdade, gosto de dizer que fez dois anos que renasci!
        Tenho dois aniversários!! 03/11/85 e 13/04/2013 :D
        Ultimamente, tenho me refugiado aqui no blog…
        Nem meu filho, está ajudando.. ando meio pra baixo, me sentindo inútil…
        nada resolve, nada muda…
        É difícil demais!
        Sabe, hoje, me lembrei de algo que aconteceu uns 7 anos atras, e por isso decidi nunca mais pensar em cuidar de alguém..
        Eu ja fui cuidadora de idoso, amava isso…
        Cuidei de duas idosas junto com minha mãe, eram mãe e filha tbm! Uns amores..
        a filha da senhora, teve um AVC isquêmico e ficou completamente paralisada do lado esquerdo!
        E como eu cuidava dela, lembro que ajudava com exercícios para circulação sanguínea dela melhorar.. e a locomoção tbm…
        Que vergonha em lembrar disso:
        Uma vez, ela, nos picos de raiva me xingou e eu disse pra ela parar de frescura, pq ela tinha que tentar, pq ela conseguiria melhorar, e só dependia dela ficar bem!
        Ela me respondeu, Um dia vc vai estar no meu lugar e vai dizer pra alguém, como dói esses exercícios, como é ruim se sentir inútil e ter que depender dos outros até pra limparem vc no banheiro! E vai lembrar de mim, que reclamo todos os dias pra vc, e vc me olha como se eu não quisesse mais me recuperar…

        Meu…e aconteceu! anos depois, aconteceu do jeitinho que ela falou.
        E o peso na consciência, prevaleceu!
        Se ela fosse viva hj, eu pediria desculpas mil vezes, por tentar fazer com ela, o que eu fiz a mim mesma..
        me forcei tanto, que Hj, nem sei mais o que sou !

        Enfim.. foi um desabafo!!
        Desculpe por isso!

      • QUERIDA VANESSA…

        Tenho muitas coisas pra te falar… Por vc ser de Guarulhos, fica mais fácil nos conhecermos pessoalmente e eu tentar te ajudar melhor. Vc quer? Podemos nos encontrar em São Paulo…

        Conheço uma neuropsicóloga muito boa que atende em Guarulhos e ela pode te ajudar tb. Vc precisa fazer uma avaliação neuropsicológica que vai avaliar todas as dificuldades que o AVC te “trouxe” e principalmente como essas dificuldades interferem na sua vida diária. Assim, a terapia com neuropsicólogo que entende de lesão cerebral vai te ensinar estratégias pra lidar com tudo isso. Eu fiz terapia com neuropsicólogo desde os 9 meses depois do meu acidente e foi fundamental para minha recuperação. Não significa que eu nem tenho mais dificuldades, mas eu sei lidar melhor com todas elas, aprendi algumas técnicas que melhoraram algumas de minhas dificuldades e minha qualidade de vida melhorou 100%. Leia algumas que estão aqui no Blog na sessão de “Estratégias úteis”, logo acima.
        E outra coisa, vc precisa ir num psiquiatra ou num neurologista que entenda mais das consequências de uma lesão cerebral para que te ajude com uma medicação adequada, pois tudo que vc me contou de como está se sentindo não pode continuar assim…. Não adianta te falarem que vc está com depressão e não te indicarem medicamentos nem terapia, né? Eu vou te ajudar, fique tranquila. Conheço tb médicos especialistas nisso que podem te ajudar com medicação…

        Quanto à história que vc contou da senhora que vc ajudava e o que ela te falou aconteceu, etc., sei que é difícil e vc se sente culpada por ter pensado diferente na época, mas tente “esquecer” isso, pois o que vc fez e falou pra ela na época foi devido à falta de conhecimento e não foi pq vc é uma pessoa ruim ou incompreensiva… A falta de conhecimento do que realmente acontece após uma lesão cerebral é com a maioria das pessoas, na verdade, acho que quem conhece é pq passou por isso ou tem um parente ou amigo que passou. Esta é uma das minhas lutas, quero informar as pessoas que essas coisas que acontecem conosco não são “frescuras” ou preguiça de nossa parte… Hj vc sabe disso, mas antes não sabia, e o que aconteceu com vc não foi castigo pra vc aprender, pois senão aconteceria com quase todo mundo. Foi apenas um triste coincidência do destino, acho que vc pode pensar assim…. Não se machuque mais do que vc já está “machucada”, entende?
        Vou te escrever por e-mail para combinarmos um dia de encontrarmos pessoalmente, se vc quiser, e depois vou te passar todos os contato de profissionais ok?

        Grande bjo querida
        Fernanda

  55. Bom como a Fernanda me solicitou vou descrever aqui como fui aprovada num concurso publico após meu acidente, que devem ter visto aqui , tive TCE Grave e LAD, e que ontem completou 5 anos..
    Eu nunca gostei de depender financeiramente de ninguém, e por conta do ocorrido não pude mais trabalhar, e devido a minha falta de informação, recebi auxilio doença por um ano e não solicitei-o novamente, então para não depender mais financeiramente de ninguém, e pensando estar ótima voltei a trabalhar, fui demitida após 1 mês, e foi ai que percebi minhas reais dificuldades, procurei uma neuropsicológica, que me auxiliou muito a entender , perceber minhas dificuldades, e aprender a contorna-las
    Tentei procurar vagas para pessoas com deficiência, pois PESSOAS COM DEFICIENCIA, NÃO SÃO SOMENTE AS QUE POSSUEM DEFICIENCIA FISICA, mas elas só existiam em SP, e como moro em Atibaia complicaria para mim, então surgiu o concurso da prefeitura da minha cidade, possuía poucas vagas para pessoas especias, e com ensino superior somente de professor de educação física, que não cursei, mas existia uma vaga para pessoas com ensino médio, o salário era um pouco mais baixo, mas o emprego seria fixo, com baixas possibilidades de demissão, e por mês com direito a uma cesta básica, como não quero depender financeiramente de ninguém , pois não dependo desde os 18 anos, me inscrevi.. e passei =)
    Para prestar tal vaga necessitei somente enviar no momento da inscrição um laudo médico ATUALIZADO descrevendo o CID (classificação internacional de doenças) do traumatismo cranio encefálico, que é o T90.5
    Com isso pude me inscrever para vagas para deficientes, as quais são menos concorridas.
    E em tal laudo, seu médico pode também solicitar um tempo maior para realização da prova, que algumas informações estejam disponibilizadas (como fórmulas) dentre outras coisas, facilitadoras e necessárias
    TAIS VAGAS SÃO EXIGIDAS POR LEI, e aconselho todos a utilizar esse direito!

    • BRUNA…..
      MUITO OBRIGADA POR RELATAR SUA EXPERIÊNCIA AQUI NO BLOG. SERVIRÁ DE EXEMPLO PRA MUITAS PESSOAS…
      PARABÉNS MAIS UMA VEZ POR TER PASSADO NO CONCURSO!
      BJO
      FERNANDA

  56. ATENÇÃO: Coloquei na sessão aqui do Blog: “Informações importantes”

    As dificuldades de memória e iniciativa, que são muito comuns após uma lesão cerebral (TCE, AVC, etc.), podem interferir bastante no trabalho, e por isso, as vagas para pessoas com deficiência facilitam o retorno ao trabalho de quem teve um TCE ou qualquer outra lesão no cérebro.

    Não se esqueçam: essas necessidades que surgem após uma lesão cerebral merecem condições especiais de trabalho e por isso é mais interessante concorrer a essas vagas. TEMOS ESTE DIREITO!!!!!

    Abaixo, passo o site para quem tiver interesse.

    EMPPREGO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA: oportunidade@ceacleste.spdm.org.bra

  57. meu pai caiu de uma laje e bateu a cabeça,já faz 6meses e até Hj ele não se recuperou.ele não quer comer nada só por sonda alimentar,estão pensado em fazer uma gastro e mandar ele pra casa.estou meio preocupado se puderem me ajudar desde já agradeço.

    • Everton seu pai acidentou a muito pouco tempo.. lesões cerebrais são muito complexas e demoram muito para recuperar.. eu mesma sofri uma lesao faz 5 anos e ainda nao estou 100% mas uma coisa que auxilia muito eh a compreensão e auxilio das pessoas que convivem conosco! pode ter certeza que por pior que esteja ele precisará de seu apoio.. pode estar grosso, agressivo,dentre outros.. são sequelas do machucado. melhoras!

      • Primeiramente Obg por responder.
        Ele caiu da laje e ficou em coma 33dias ai foi para o quarto é mais 33dias,fez uma traqueio ai ele deu uma melhorada,ai comeu um pouco mais com resistência da parte dele,ai fomos pra casa,chegando em casa ele não aceitou nada pela boca,ficamos 4 dias em casa ai ele debilitou muito pois 4 dias sem nada no estômago,voltamos para o hospital ai nosso neuro descobriu q ele estava perdendo todo o sódio do corpo.ai entrou com medicamentos pra controlar isso,Ai ele recuperou um pouco mais ainda não come.
        Mais estamos em cima disso,mais fácil não é.
        Te mandarei mais notícias assim q puder.muito obrigada pelas suas palavras me deu uma enorme força.abracos

    • Oi Everton, pelo que entendi seu pai ainda está no hospital, né?
      Onde vcs moram? Vc disse que seu pai não QUER comer …. Ele não quer (por depressão, etc.) ou ele não consegue se alimentar ainda pela boca? São coisas diferentes….
      Já vi casos que se faz a gastro e se for preciso no caso dele, tem que fazer… Acho que os médicos devem saber o melhor pra ele… Vc contando assim, sem muitos detalhes, é difícil ajudar e te dizer algo. Mas, o que é mais importante vc saber agora é que a recuperação de um Traumatismo na cabeça é lenta e após a pessoa sair do coma e ficar com uma saúde mais estável, é preciso estar sempre estimulando com fisioterapia, fono, etc. Vai depender do estado dele para saber os profissionais que serão necessários….
      Com o passar do tempo, podem surgir várias dúvidas e poderemos te ajudar… Escreva aqui e quando tiver um tempinho, leia os depoimentos que tem aqui na parte de “Depoimentos/Escreva aqui o seu” e “Depoimentos familiares”, eles podem te ajudar… Leia também na sessão de “Informações Importantes”, lá vc pode encontrar muitas informações úteis.

      No momento Everton, é preciso dar muito amor e carinho pro seu pai, conversar com ele, explicar um pouco o que está acontecendo, dizer que ele vai melhorar, pra ele ter fé, dizer que a recuperação é lenta mesmo, que vcs vão estar do lado dele, etc. É importante que seu pai seja acompanhado por um neuro e/ou psiquiatra pra controlar a medicação caso seja necessária….Enfim, vamos nos falando que eu talvez possa te ajudar mais se eu souber mais detalhes….
      Fique com Deus e não se desespere por mais difícil que seja….A lesão do seu pai ainda é recente, vai haver melhora….Fé e força!!!
      Grande abraço,
      Fernanda

      • Oi Obg por responder, sim ele ainda está no hospital nós moramos em palmas TOCANTINS.nao sei explicar ele não aceita nada pela boca,e tbm não reconhece nada fala pouco,ele fala o nome das pessoas da família mais tudo sem sentido e quando chegamos perto ele não fala nada,ele bateu a parte lateral da cabeça,médicos dizem q e por causa da batida,estamos com ótimo neuro e temos tbm uma ótima pisciquiatra,ele tenta arrancar a sonda toda hora,os médicos querem fazer a gastro,vc já viu alguém voltar a comer depois que faz esse processo?as vezes ele fica agressivo grita,não sei muito o que fazer,olhe o que reapondi a Bruna lá comentário lá cima.me mande notícias por favor.

      • Oi Éverton…. Que bom que seu pai tem um bom neuro e um bom psiquiatria…. Sobre essas outras questões que ele vem apresentando, o médico tá certo, é devido ao trauma na cabeça. Tudo isso pode acontecer sim, esta confusão mental é totalmente comum no início… Tenha calma, essas coisas devem melhorar… Se seu pai tem que fazer a Gastro para se alimentar, tem que fazer, não tem jeito. Cada caso é um caso, os médicos vão saber te informar melhor. Este processo não é necessariamente definitivo… Leia os casos aqui do Blog, podem te ajudar…. Me mande notícias! Ficarei ausente aqui do Blog até dia 23/04, mas logo voltamos a conversar…. Fique com Deus! Fernanda

      • Éverton, leia aqui na sessão “Informações importantes” que vc vai encontrar todos os sintomas mais comuns após um TCE e vai ver que o que seu pai apresenta é comum acontecer… Não deixe de entrar lá, tá? Forte abraço! Até breve!!!!! FERNANDA

    • Everton, meu filho teve LAD em 2011, ele ficou internado seis meses, veio pra casa com GTT, aprendeu a comer e beber com a fono, depois de um e meio tirou a GTT, hoje ele come e bebe quase tudo pela boca, fiquei apavorada qdo. Viemos pra casa com ele, eu nunca tinha escutado falar e visto uma GTT, aprendi a lidar com ela e depois de algum tempo estava bem esperta dando comida e liquido pela sonda, não fique preocupado vc. vai tirar de letra, não é nada complicado, como a Fernanda falou é tudo muito lento, tenha paciência e fé, seu pai vai melhorar muito ainda, dê muito carinho pra ele, fique com Deus e um abraço.

  58. Bom dia á 12 anos atraz sofri um traumatismo craniano, o osso do cerebro se deslocou 8 centimetro mais aparentimente não tive sequelas , mais hoje tenho algumas dores de cabeça forte e tenho muito esquecimento e as vezes quando paro fico sentindo meu corpo flutuando uma sensação estranha de que paro por um segundo de entender o que esta acontecendo ao meu redor e nesses intervalos sinto cançada e minhas vistas bem cançadas , seria bom eu procurar um medico especialista?

    • OI MICHELE….

      Sou a Fernanda, meu depoimento é o primeiro daqui, não sei se vc leu…Eu tb sofri um grave acidente há 8 anos e fiquei com algumas sequelas, mas essas não são visíveis….
      A dor de cabeça, a dificuldade de memória recente, tontura (que pode ser esta sensação sua de que vc está flutuando) e cansaço (fadiga) são muito comuns após um TCE.

      Eu já escrevi aqui no Blog, na sessão “Informações Importantes” (depois dê uma lida lá), algumas “características”/sintomas ou sentimentos que podem ser observados em pessoas vítimas de TCE, como por exemplo:
      =FADIGA MENTAL E FÍSICA
      =Vertigem
      =CEFALÉIA
      =Medo
      =Ansiedade
      =Irritabilidade com qualquer coisa
      =Impulsividade
      =Inadequação social
      =Depressão
      =Falta de identificação com os outros
      =Agressividade
      =Desinibição ou apatia
      Isso NÃO significa que todos que tiveram TCE vão ter todos esses sintomas, mas uma mesma pessoa pode ter vários. Saber disso serve de alerta para todos poderem identificar suas reações ou de seus familiares e entenderem que é comum após a lesão isso acontecer e por isso, muitas vezes é imprescindível buscar ajuda profissional…

      Essas sequelas não desaparecem de repente, mas muitas podem melhorar bastante com o tempo, com o uso de medicação e tratamentos com neuropsicólogo, por ex. Por isso, acho muito importante sim vc procurar um médico (neurologista ou psiquiatra) que entende mais de lesão cerebral e um neuropsicólogo tb para uma avaliação e depois, se necessário, um tratamento que te ajude a ter uma melhor qualidade de vida..

      Onde vc mora? Quantos anos vc tem?
      Aguardo notícias suas..
      Bjo grande
      Fernanda

  59. Bom dia!!!
    Meu filho sofreu um acidente de moto resultando em traumatismo craniano grave e está sendo mantido sedado e entubado na UTI. Estou muito preocupada!
    A dor assola meu peito, mas confio em Deus e tenho certeza que meu filho vai ficar bem.
    Gostaria muito que você me indicasse um livro ou vários livros para eu comprar sobre o método PADOVAN. Quero estar preparada para ajudar meu filho quando ele vier para casa.
    Muito obrigada!

    • CIDINHA QUERIDA….

      A Liliana usou este método Padovan com os dois filhos dela que sofreram acidente há cerca de 12 anos. Ela é mais indicada para te ajudar e falei com ela, ela vai te responder….
      Vai nos mandando notícias sobre o seu filho. Estarei em oração por ele. Tenha fé e conte com a gente se precisar. De que cidade vcs são?
      Um grande bjo
      Fernanda

    • Cidinha, o método Padovan é aplicado por fonoaudiólogas. Ele trabalha fono com construção de neuronios, falando de uma maneira bem simples. Através de exercícios específicos ajuda o cérebro a construir caminhos para a parte motora e fala. veja nos link abaixo:

      http://www.metodopadovan.com.br/

  60. Oi Fernanda querida!!!!
    O Fernando está com meningite,hj foi novamente para cirurgia,o cérebro inchou outra vez e vão precisar recolocar o dreno.
    Estamos em oração!!!

    • Oh Flavia querida, que triste… Então, a febre e o vômito que ele teve era meningite? Estou em oração por ele tb! Me mantenha informada….
      Fé!!! Fiquem com Deus!!!
      Bjo, Fernanda

  61. Meu nome e Evanea Pucino Alves,tenho 31 anos.Em 16 de julho de 2014 sofri um acidente de moto com meu esposo saindo do trabalho,tive lesoes simples,mas meu amado esposo ficou muito machucado.De inicio os medicos deram o dignostico de fatura de mandigula,ele ficou internado e eu recebi alta pra ir pra casa,eu fui a loucura nao poderia sair dali sem ele,insistir mesmo machucada sem poder andar direito resolvir que ficaria ali do lado dele.Cinco dias depois ele ja estava bem,derrepente comecou a sentir mal estar dor de cabeca,delirios e os medicos dizendo que era normal devido aos medicamentos fortes e a pancada que levou os sintomas aumentaram lavem outro diagnostico coagono no cerebro,meu amor nao me respondia mais as pressas vai pra mesa de cirirgia depois mais cinco dias na UTI em coma.Meu grande amor nao resiste e vai embora pra sempre da minha vida.Foi o pior momento da minha vida nao conseguia acreditar no que tava acontecendo comigo nao conseguia suportar aquela dor.Meu irmao me tirou daquele hospital arrasada meu mundo desabou.Ta muito dificil superar ,agradeco a Deus,a familiares e amigos que muito tem me ajudado me dando total aponho pra vencer esse momento tao dificil da minha vida,eles estao sempre comigo pra que eu consiga seguir em frente apessar de esta sofrendo muito a falta do grande amor da minha vida.

    • OI EVANEA….

      Quero te dizer que sinto muitíssimo por tudo que aconteceu com seu marido e pela sua perda. Meu nome é Fernanda. Não sei se vc leu meu depoimento, é o primeiro daqui. Eu também sofri um acidente, tive TCE, algumas fraturas, etc. e fiquei viúva com apenas 29 anos e ainda perdi a minha querida irmã neste mesmo acidente. Sei que não é fácil, mas fico feliz que vc tenha familiares e amigos que estão te dando força neste momento difícil da sua vida, isso faz toda a diferença. Nada melhor que termos pessoas quem amamos ao nosso lado.

      Espero que vc fique bem e siga em frente apesar de tudo, pois temos sempre que buscar paz e alegrias, já que estamos vivos e vc, como eu, estava no acidente e está viva… Entendermos o por quê disso tudo, acho que não vamos, mas é importante “aceitarmos” e seguirmos em frente, né?

      Boa sorte! Fique bem… Que Deus te dê força e conforte seu coração.
      Grande beijo,
      Fernanda

      • Ola,Fernanda tudo bem.Estou sempre acompanhando os depoimentos cada casos que so mesmo Deus pra anteceder por nós e nos dar força pra enfrentar as batalhas da vida.Ainda sinto muito a falta do meu esposo e sofro,mas sei que vou ter que aprender levar a vida sem ele e é isso que estou tentando fazer com a graça de Deus,familiares,amigos e esse Blog que tambem muito me ajuda ,ainda perco o sono acho q é normal pois 11meses é recente pra quem perdeu alguem que tanto amava um sentimento que ainda esta vivo dentro de mim.Aos poucos estou voltando a minha rotina vivendo um dia de cada vez,deixando Nosso Poderoso Deus guiar minha vida.Estou aprendendo muitas coisas que antes desconhecia,obrigado a todos que de uma maneira ou de outra ajudam com seus depoimentos.E a vc Fernanda muito obrigada por ter criado esse blog que tem ajudado tanta gente um grande abraço.

  62. Magda não sei mt mas dizem q com tratamento cura sim meu irmão ficou foi brincalhão como ele ficou fisicamente ? Flávia no começo a mundo desaba tenha muita fé e paciência élento mas dia a dia vc vera recuperação

  63. sei o quanto é desgastante para a família de de alguém que sofreu um TCE grave faz dois anos que meu filho sofreu um acidente de moto se recuperou mas ficou com uma agressividade fora do normal e ainda se nega a tomar medicamentos não sei se um dia ele volta a ser como era antes sofro muito choro muito ,queria ter meu filho como ele sempre foi , espero que isso seja uma sequela que diminua ou passe , porque amo muito meu filho que sobreviveu de um acidente que era impossível sobreviver as vezes quero abraçar apertar beijar beijar beijar mas ate isso irrita ele ate o meu falar irrita ta muito difícil me sinto impotente derrotada e extremamente triste l

    • Magda, sofri um acidente de carro faz quase 5 anos e imagino o quanto seja difícil par voce, cabe a nós aceitarmos o que ocorreu e tentarmos mudar, no meu caso levou 2 anos, normalmente pessoas com lesões cerebrais tornam-se agressivas, se irritam muito facilmente e se cansam facilmente também, o que aconselho é que ele vá a uma neuro psicologa, pois após avaliação ela dirá a ele as sequelas do acidente, que ele pode muitas vezes não perceber como eu não percebia, e como resolve-las.. um beijo

    • MAGDA QUERIDA…
      Imagino como essa situação é difícil….

      A agressividade e a impulsividade são muito comuns após uma lesão cerebral. Como eu já escrevi aqui no Blog na sessão “Informações Importantes” (depois dê uma lida lá), algumas “características”/sintomas ou sentimentos podem ser observados em pessoas vítimas de TCE, como por exemplo:
      =Fadiga mental e física
      =Vertigem
      =Cefaléia
      =Medo
      =Ansiedade
      =IRRITABILIDADE COM QUALQUER COISA
      =IMPULSIVIDADE
      =INADEQUAÇÃO SOCIAL
      =Depressão
      =Falta de identificação com os outros
      =AGRESSIVIDADE
      =Desinibição ou apatia
      Isso NÃO significa que todos que tiveram TCE vão ter todos esses sintomas, mas uma mesma pessoa pode ter vários. Saber disso serve de alerta para todos poderem identificar suas reações ou de seus familiares e entenderem que é comum após a lesão isso acontecer e por isso, muitas vezes é imprescindível buscar ajuda profissional…

      Essas sequelas não somem de repente, mas muitas podem melhorar bastante com o tempo, com o uso de medicação e tratamentos com neuropsicólogo, por ex. Vc disse que seu filho não aceita fazer uso de medicamentos, e sei que isso dificulta…
      Será que ele aceitaria fazer uma avaliação com neuropsicólogo para que ele mesmo perceba algumas dificuldades e aceite melhor a possibilidade e necessidade de ajuda profissional???

      Meu depoimento é o primeiro daqui, não sei se vc leu… Eu sofri um acidente de carro e também tive um TCE grave, há 8 anos, e até hj faço acompanhamento com psiquiatra, faço uso de anti-depressivos que ajudam a regular meu humor, sono e apetite. Esses medicamentos, assim como o acompanhamento com psicólogos e neuropsicólogos, foram fundamentais para toda minha recuperação.

      Eu mandei um e-mail pra vc e queria muito que vc lesse. Espero que te ajude!!!!! Sei que essa situação faz vc e as pessoas em volta sofrerem, como também não é fácil pro seu filho, pode ter certeza que pra ele tb é difícil lidar com essa agressividade, foge um pouco do controle dele. Por isso, é preciso o uso de medicação adequada e/ou tratamento com psicólogo ou neuropsicólogo, etc.
      Vamos ver o que dá pra fazer. Veja se recebeu meu e-mail.

      Grande beijo
      Fernanda

  64. Meu namorado sofreu um grave acidente De carro na véspera do Carnaval e teve um TCE grave,está na UTI desde então e eu venho buscando o máximo de informações para poder ajuda-lo e me ajudar tbm..q bom ter achado esse blog!!!Flavia

    • Flavia, te informo o que eu gostaria que tivessem informado meu ex namorado.. as pessoas com TCE e LAD, nao sei se ele sofreu passam a ter raciocinio mais lento, e se cansam e se irritam muito mais rapidamente do que antes, e isso infelizmente não esta no controle delas..muitas vezes chegam a ficar agressivas, falam mais do que devem( perdem o freio)podem falar alto, ter problemas visuais, tudo isso depende do local mais afetado na lesão, mas há auxilios do governo que podem recorrer, deve-se após retetomar a consciencia ir a uma neuropisicóloga, especialista em pós trauma, que avaliará as maiores dificuldades e auxiliará a resolve-las um beijo de uma olhada aqui nos links a cima

    • OLÁ FLÁVIA…

      Sou a Fernanda. Não sei se vc já leu minha história, ela é a primeira desta sessão “Depoimentos/escreva aqui o seu. Eu tb sofri um grave acidente de carro e tive um TCE grave, mas tive uma boa recuperação perto de tudo que os médicos esperavam que fosse acontecer. As sequelas que seu namorado poderá ou não vir a ter, vai depender muito do tipo, local e extensão da lesão. Tudo ainda é muito recente.
      Aqui no Blog, quando vc tiver um tempinho, leia os depoimentos, entre nas sessões “Informações Importantes”, “Links úteis”…vc encontrará informações que podem ajudar bastante…

      Com o passar dos dias, é natural que surjam várias dúvidas, e no que eu puder te ajudar, estarei aqui. Vc sabe qual o tipo de lesão que ele teve? Ele ainda está em coma? Que cidade ele mora?

      Essas situações não são fáceis pra ninguém. É preciso ter muita fé, persistência, paciência, amor, perseverança, pois o processo de recuperação, muitas vezes, é demorado e lento, mas é importante saber que a plasticidade cerebral existe e é maravilhosa. O cérebro é capaz de fazer novos caminhos, e por isso, a estimulação é muitíssimo importante. Seu namorado deverá precisar de fisioterapeuta, neuropsicólogo, enfim, tudo a seu tempo e tudo dependendo de como ele vai evoluir após o coma. Estou torcendo pra que ele fique bem!!!!

      Me mande notícias, quero ajudar… Quantos anos seu namorado tem?
      Aguardo suas notícias…
      Beijo grande, Fernanda

      • Oi Fernanda,o Fernando tem 23 anos está em SP no 9 de julho,sofreu o acidente no dia 13/02 e estavam programando a cirurgia para recolocação da calota para amanhã mas hj de manhã teve febre e vomitou então ñ vai mais fazer.
        Vc teve q retirar a calota tbm??

      • OLÁ FLAVIA….

        Que pena que o Fernando teve esta febre e atrapalhou a cirurgia, mas infelizmente é assim mesmo….No início são muitos “altos e baixos” com relação ao estado de saúde…
        Que bom que ele está em SP, é uma excelente cidade pra quem está nessas condições, pois tem ótimos profissionais especializados na área e isso ajuda, já que temos carência de profissionais especializados em várias cidades do Brasil.
        Vai me mantendo informada do estado dele, pois no que eu puder, vou ajudando com algumas dicas, etc. Sendo em S.P., fica até mais fácil um dia nos conhecermos…
        Quanto à sua pergunta, eu não precisei retirar a calota não. Mas, conheço alguns caos que isso foi necessário sim.

        Não perca a fé, o Fernando é novo e o acidente é muito recente, várias melhoras virão!!!!!
        Boa sorte, fiquem com Deus
        Beijos, Fernanda

  65. Sofri um acidente dentre algumas fraturas tive TCE e LAD voltei a raciocinar mas sinto muita tristeza nao é como antes me ajuda. . .

    • Zenilda, infelizmente tenho que te informar que não seremos mais como antes.. mas isso não nos impede de buscarmos outras qualidades ou outras maneiras de resolver certas situalçoes, como diz minha neuropsicologa, busque truques, relacione os nomes com pessoas conhecidas, atores, cantores, coloque dispertador para sempre te lembrar do que precisa fazer, use a agenda.. aqui a Fernanda postou varios truques.. de uma lida.. bju

    • OLÁ ZENILDA….

      Quanto tempo tem que vc sofreu o acidente? Como aconteceu sua recuperação? Vc sente esta tristeza há quanto tempo, como ela é? O que mais mudou em vc depois do acidente??

      Estou te perguntando porque com mais detalhes, posso te ajudar mais.
      Me escreva mais sobre vc… Quantos anos vc tem? De onde vc é? Faz algum tipo de tratamento?

      Espero notícias suas….
      Grande beijo, espero que esteja “bem”….

      Grande beijo,
      Fernanda

  66. BOA NOITE ESTOU MUITO AFLITA MINHA AMIGA IRMÃ MARIA FERNANDA, DIA 3 DE FEVEREIRO DESTE ANO DEU A LUZ A SUA PRIMEIRA FILHA MARiA LUIZA O PARTO OCORREU TUDO BEM , MAS NO DIA 8 ELA FOI AO HOSPITAL COM AS PERNAS MUITO INCHADAS DA CESARIANA. OS MÉDICOS DISSERAM QUE ERA NORMAL, POREM ELA FICOU MUITO NERVOSA E TEVE UM ANEURISMA CEREBRAL DENTRO DO HOSPITAL! FOI PARA SALA DE CIRURGIA INCONSCIENTE; A CIRURGIA FOI UM SUCESSO ELA FICOU EM COMA INDUZIDO, NO DIA SEGUINTE O MEDICO NOS CHAMOU E DISSE QUE APARECEU OUTRO ANEURISMA E TINHA QUE OPERAR NOVAMENTE! FICAMOS NERVOSOS, MAIS UMA VEZ ELA FOI A SALA DE CIRURGIA E O OCORREU TUDO BEM! OS MÉDICOS FICARAM MUITO AFLITOS, POIS ESSE SEGUNDO ANEURISMA ESTA LOCALIZADO ONDE PODERÁ APARECER MAIS SEQUELAS! HOJE FOMOS VISITA-LA ELA ABRE OS OLHOS MECHE AS MÃOS QUANDO A CHAMAMOS ELA ABRE OS OLHOS! NÃO ESTA ENTUBADA MAS COM SONDAS E FEZ TAQUISTOSCOPIA! ENCONTRASSE NA UTI! OS MÉDICOS PEDEM PACIÊNCIA POIS DISSEM QUE O PROCESSO É DEMORADO! ESTOU MUITO ANGUSTIADA! PENSO MUITO NA MINHA AMIGA COMO ELA SAIRÁ DESSA SUA FILHINHA COM POUCOS DIAS DE NASCIDA! TODA A FAMILIA DESESPERADA! MINHA MÃE TAMBÉM FEZ CIRURGIA DE ANEURISMA CEREBRAL NÃO FICOU NA UTI E AS SEQUELAS FORAM POUCAS ELA SÓ SE ESQUECE DE ALGUMAS COISAS, MAS ELA ESTÁ BEM! PEÇO ORAÇÃO PELA MINHA GRANDE AMIGA MARIA FERNANDA!

    • Elisangela Cristina, vou colocar Maria Fernanda nas minhas orações, pedir muito a Deus que ela tenha uma boa recuperação e volte logo pra casa cuidar da filhinha dela, imagino o desespero da família, tenha fé, bjs e boa noite.

      • Muito obrigada Léa! quarta- feira ela fez a cirurgia para colocar a placa de titânio para fechar o cranio! A cirurgia foi muito abençoada! Ela ainda continua estável! abre os olhos e se agita quando ver alguém da família! continuemos em oração!

    • OI ELISANGELA…

      Fiquei triste com esta história da sua amiga Maria Fernanda…. Tenho tb uma amiga que teve um AVC 5 dias após o parto. É muito triste mesmo…
      Pode ter certeza que sua amiga está em nossas orações… A recuperação pode ser lenta, mas a melhora acontece, pode acreditar… Com o tempo, podem surgir muitas dúvidas e o que eu puder ajudar, estarei aqui à disposição..

      Vc escreveu a última vez aqui no dia 15/03; passou 1 semana, alguma novidade? Como ela está?

      OBS: E que bom que sua mãe se recuperou bem após a cirurgia do aneurisma.
      Um grande beijo, Fernanda

      • Boa tarde Fernanda e todos do Blog! desculpem a demora das noticias eu estava resolvendo uns problemas familiares, mas tudo bem. Maria Fernanda minha amiga irmã depois de um mês 1 e meio na UTI ela foi para o quarto ainda com sonda e o traqueostomo, ela não fala, mexe alguns membros, e entende tudo o que falamos, chora e se emociona quando falamos sobre sua filhinha. O seu olhar está também mais focado. Fazendo fisioterapias ainda muito leves pois ela sente muita dor. Há duas semanas ela voltou para UTI pois iria realizar uma cirurgia na boca. Essa cirurgia seria necessária, porque ela ainda não tem o controle da deglutição e os movimentos involuntários fez com que ela mordesse a língua e arrancado um pedacinho. Os médicos decidiram colocar uma prótese de silicone entre os dentes para que ela não mordesse a língua e também tirar a “Chupeta de Guedel” (esse equipamento fez a sofrer muito pois feria a boca e quando ela era aspirada sentia muitas dores ela chorava muito e víamos no seu olhar de dor),então nessa cirurgia faria o reparo da língua e o molde da prótese. No entanto a cirurgia foi cancelada, pois a pressão arterial estava alta e ela apresentou febre, optando assim sua ida novamente a UTI. Mas, no dia 30/04/2015 ela estava bem melhor os médicos decidiram fazer a cirurgia. Ela ainda está na UTI esperando a prótese vim do laboratório, segundo os médicos depois de colocar a prótese de proteção nos dentes ela sairá da UTI e voltará para o quarto. Hoje conversamos com o neuro e ele nos disse que a recuperação dela será muito lenta devido a lesão no cérebro. Ela já fez a cirurgia antes de ir ao quarto de colocar a placa de titânio para proteção do cérebro e graças a Deus ela reagiu muito bem.
        Ainda não sabemos quais sequelas ela irá ficar é o que mais nos faz sofrer o tempo… Mas, estamos muito confiante em Deus e ela já é uma vitoriosa, pois já venceu muitas batalhas nesse processo!
        Agradeço a todos que oram por ela e a você Fernanda em especial que mandou email e demonstrando todo seu carinho! OBRIGADA!
        Prometo estar postando sempre e a recuperação da minha amada amiga e irmã Maria Fernanda!
        Deus abençõe a todos!

  67. Fê e amigos aqui do blog, estou passando só para dar mais boas notícias..
    Hoje Willyan deu os primeiros passos.. Gente eu nem consigo acreditar, parecia algo tão distante…

    Estou transbordando de felicidade, apesar de estar apreensiva pois ele está com uma anemia muito forte, e vamos levá-lo ao hematologista..
    Mas tenho fé que tudo vai dar certo.. DEUS É FIEL!!!!!

    A LUTA É ÁRDUA EU SEI, MAS A VITÓRIA É CERTA!!!

    Creiam nisso, e tudo será mais fácil!!

    Beijos!!!!

    • Dayane Lopes, parabéns, Deus fazendo milagres no Willyan, curta bastante, vcs. Merecem, continue acreditando e tendo fé e amor, Deus irá fazer muito mais, bjs no coração.

    • DAYANE QUERIDA….
      Fiquei muito feliz qdo li que o Willyan deu os primeiros passos. Estou te escrevendo agora, mas desde que li esta notícia, fiquei imagindo ele e a alegrias sua e de sua família…. Que bom, graças a Deus!!!!

      E com relação a anemia dele, como ele está???
      Me mande notícias…
      Forte abraço e grande beijo pra vc, Willyan e seus pais….
      Fernanda

      • Oi Fê, ei amigos desse blog maravilhoso que recupera vidas!!!

        Willyan está cada dia melhor, nunca vou me esquecer do que esse blog trouxe para mim, uma luz no fim do túneo.. e isso não é exagero, ler essas historias de superação e continuar mantendo esse contato, essa corrente de bem é muito importante em minha vida agora.

        Gente Willyan está cada dia melhor, já esta evoluindo muuuito na fisioterapia.. falando, cantando de tudo.. como eu havia dito levamos ele no hematologista, que disse que a anemia dele melhorou muito, e que so falta mais uns 10% para ficar zerado.. ficamos muito felizes. O hemato passou novos exames e também disse que será trocado o medicamento do tratamento da trombose que ele teve na perna. Essa trombose esta dificultando bastante, creio que se não fosse ela as coisas seriam um pouco mais faceis para ele. Ele estava tomando Varfarina 3 dias da semana, agora passará a tomar Xarelto todos os dias um comprimido.
        Segundo o médico é o melhor remédio para o caso. Estou confiante!!

        Outra coisa dificil é manter a dieta dele, muita ansiedade e aí fica só querendo comer. rsrsrsrs (gordinho)!

        Do mais está tudo melhor do que eu imaginava..
        já se apoia no andador.. e em casa se locomove andando também.. segurado pelas mãos.

        Obrigado por tudo, e muita paz e luz a todos aqui!
        Boa semana esperança SEMPRE!

  68. Ola gente ja falei sobre meu irmão .Hoje 10meses ele ainda não anda nem fala esta esperando pra fazer cirurgia de estenose após o carnaval fica em pé com ajuda dos meus pais ou segurando em algo ficou mt brincalhão ri de tudo e todos graças a Deus e os médicos diziam q vegetaria quando. Deus esta junto td dar certo sei q ele permitira q em breve escrevo q meu irmão esta andando e falando não éfácil mas Deus nos da forças pra suporta somos humildes meus pais vivem de ajuda e nunca faltou nd Deus étd FORÇAS pra nós fiquem com ele

    • fico feliz.. nem sempre os médicos acertam o que dizem.. falam a pior situaçao para depois nao dizerem que nao foram avisados, bju melhoras sempre!!

    • Maria Divina, a recuperaçào do seu irmào está maravilhosa, só tem 10 meses e ele interage bem, fica em pé mesmo com ajuda dis seus pais,é tudo muito recente, isso tudo é muito bom, graças a Dus, ele ainda vai melhorar muito mais ainda, tenha fê e acredite, estimule ele bastante, coloque o nome dele aqui e qual a cidade de vcs., um beijo, mande noticias dele, vou orar pra que Deus ilumine as mãos dos médicos na hora da cirurgia, mande noticias, bjs

      • Ola lea o nome dele e Vanderson Pires somos de goianapolis GO terra do Leandro e Leonardo. kkkk eu tenho fé sim e éela q mim da forças ele é o caçula e eu q cuidava dele pra meus pais trabalha tenho ele como filho é um amor diferente dos outros irmãos mas pra nós da família esta demorando a recuperação mas todos dizem q esta ótima além do esperado obrigada meu Deus

      • Maria Divina, que bom que já estam vendo alguma melhora no seu irmão, a recuperação é muito lenta, mas aos pouquinhos ele vai melhorar muito mais, continue com paciência, amor e fé, Fernanda vai escrever pra vc. Aguarde, ela tem mais experiência do que eu, mas pode acreditar é assim mesmo, é bem demorado mas se chega lá, com a graça de Deus, dá pra notar que vc. É uma irmã especial, converse bastante ao pé do ouvido dele, ele ouve tudo e compreende, bjs. No coração.

  69. Boa noite.. Há uma semana, vivo um luto com minha mãe viva..Na sexta feira 06/02/15 levei-a para uma consulta com uma geriatra e fi onde meu pesadelo e de meus familiares começaram. Minha mãezinha de 79 anos começou a passar mal dentro do consultório da geriatra. A sorte é que o prédio da médica é em frente ao hospital. Desci com minha mãe…ela já não respirava e sentindo-se muito cansada. Por sorte, seu cardiologista saia de seu plantão e quando o vi gritei por socorro. Entramos rapidamente com minha mãe no pronto atendimento e presenciei sua parada cardiorrespiratória. Na última tentativa de adrenalina, graças ao bom senhor Jesus, ela voltou e correram com ela para a UTI. Ficou em coma induzido até essa semana quando começaram a tirar os sedativos. A TC não apresenta lesão mas minha mãe ainda não acordou ( não interage com o meio exterior). As vezes abre os olhos rapidamente e os médicos dizem que temos que aguardar ela acordar desse coma natural. Marcaram uma traqueostomia para depois do carnaval…mas meu coração está apertado porque ela é o pilar da minha família, e a amo demais…sinto falta de seus beijos, sorrisos, das noites que vinha a minha cama me abençoar, das vezes que deitava em seu colo e acariciava seu rosto. Como dói e não desejo isso a ninguém…Mas temos fé que ela acordará e voltará para nosso lar e poderemos dar a ela todo amor que ela sempre teve e continuará recebendo…Sempre em frente, com força do nosso altíssimo Deus, pois tudo é no tempo do senhor.

    • Júlio Cesar, sei o que tá passando, dói nossa alma, nossa mãe ê tudo pra gente, tenha fé, converse com Deus, seja forte, mande noticias dela, coloque aqui o nome dela pra poder coloca-la nas minhas orações, Deus te abençoe amigo, beijo no coração.

  70. Oi Fernanda, desde já parabenizo vc pela iniciativa de criar um BLOG, juntar pessoas que se encontram assim, digamos no mesmo barco clareia as idéias, vou escrever de mim ok Meu nome é Douglas, em 2005 mudaram minhas águas, bati o carro, me quebrei dos pés a cabeça, fiquei 123 dias em coma, não fiz nenhuma cirurgia, hoje não dirijo mais, sou aposentado pela Bridgestone Firestone, onde fui torneiro mecanico. Aposentei por que me falta coordenação no lado direito, era destro e obriguei me ser canhoto, tenho dificuldades na fala e na marcha. A minha e a vida dos meus pais mudou muito em virtude deste acidente, espero ansioso pela sua resposta, me conheço.

    • OI DOUGLAS….

      Vc postou seu depoimento na primeira página do Blog e ele ficou “esquecido” lá… O lugar de postar os depoimentos é aqui, mas realmente acho que fica meio confuso…. A sua ansiedade deve ter quase te “matado” ou vc melhorou pq já tem 15 dias que vc escreveu lá. Copiei para cá pq lá é difícil tb pra qualquer pessoa que entra no Blog ler..

      Douglas, como vc deve ter lido aqui em vários depoimentos, a recuperação após um TCE é muito lenta e cada caso é um caso, pois o prognóstico depende muito da área lesiona, tamanho da extensão, idade e saúde prévia do indivíduo, etc.. Eu tb sofri acidente há 8 anos e convivo com muitas pessoas que também passaram por isso. É muito difícil mesmo e não só nós que sofremos a lesão, mas todo a família sofre muito e a vida não fica mais a mesma. Acho que o importante é ter fé, determinação, amor, serenidade, força e coragem pra enfrentar tudo isso e de certa forma ” aceitar” a nova realidade, pois a revolta não vai levar a lugar algum, né?
      Vc falou de ficar ansioso, eu tb tenho que controlar sempre a minha ansiedade, pois fiquei muito mais ansiosa depois do meu TCE. Vc fez ou ainda faz fisioterapia e terapia com fonoaudióloga para te ajudar na fala e na marcha? Onde vc mora?

      Desculpa pela confusão que deu seu depoimento e aguardo notícias….
      Fernanda

    • Continue tendo fé em Deus, e sempre acredite que sua mãe é forte e capaz..
      A vida é feita dessas coisas, cabe a nós enfrentá-las da melhor maneira possivel (sei que é muito dificil na prática) mas tente pensar só no lado bom das coisas, procure e voce achará!

      Fique com Deus, e mande notícias!

  71. Oi, solidarizo-me com cada um de vocês, e que o senhor esteja com todos nós. Dia,25/05/2014 meu sobrinho jannailton Silva Costa sofreu um acidente de moto, teve traumatismo craniano. ficou 13 dias na UTI e mais uns 15 dias na enfermaria fez cirurgia para traqueostomia,soda nasoenteral e urinaria . foram os piores dias das nossa vidas. Veio para casa ainda com os aparelhos menos a sonda urinaria. em casa foi adaptado um quarto pra ele, e por 2 meses e meio precisava de tudo e de todos não se movia,não se mexia,não falava… MEU DEUS…. E assim como os demais casos citado acima sofremos, choramos e enfrentamos muitos problemas. Hoje ele esta bem,mas precisa de muitos cuidados fisioterapia, natação,pilatos, em fim uma serie de atividades que só contribuirão para seu retorno ao trabalho a vida. Nil costa como é mais conhecido tinha uma vida bastante agitada, 4º período em Educação Física, uma academia, trabalhava como professor em escolas, nas folga jogava basquete,andava de esquete. Um jovem aos 24 anos que paralisou suas atividades após o acidente.Sua memoria passada foi preservada mais a memoria recente ainda esta comprometida bem como seu lado esquerdo. foi afastado das atividades por ordens medicas. embora seu entusiasmo,alegria e força de vontade contagiam aos familiares e amigos.Gosto por fristalle( improvisa versos,com qualquer palavras que lhe der.) essa habilidade ainda esta presente embora mais lenta. Assim como nós esperamos em Deus que tudo passe com o nosso Nil, desejamos há cada um que passa por essa mazelas da vida, que esse sofrimento passe também. Eu vi essa frase em um blog,não lembro qual. mas a pessoa falava da filha ” A espera não pode matar a esperança”. Abracos e fiquem com Deus.Obrigada por permitir meu testemunho.

    • Naelcia fico feliz por ele já estar bem.. infelizmente como todos nós acidentados possui perda da memória recente, eu tive paralisia do lado esquerdo do corpo e voltei a movimentas após muita fisioterapia.. mas algumas pessoas não conseguem , pois isso ocorre devido ao tipo de trauma ocorrido.. com certeza mantenha a fé e a calma, paciência e ele melhorará logo! um beijo

    • OLÁ NAELCIA….

      Obrigada pelo seu depoimento!!!!!!
      Sou a Fernanda, meu depoimento é o primeiro daqui. Eu tb sofri um TCE há 8 anos e meu lado esquerdo tb não mexia inicialmente e depois voltou 100%…. Fiz muita fisioterapia tb, é importantíssimo…. Seu sobrinho é muito novo, a lesão dele é muito recente e ainda ele “era” um atleta, isso tudo o ajuda muitíssimo na recuperação. Tenham fé, ele irá melhorar!!!!

      A dificuldade da memória recente é muito comum nesses casos e pode ser trabalhada com ajuda de profissionais, como o neuropsicólogo. O uso de algumas estratégias podem ajudam a “driblar” essa dificuldade. Leia aqui no Blog na sessão “Estratégias úteis”, pode ajudar…

      Qualquer dúvida, estaremos aqui!!!!!
      Fique com Deus e boa sorte pro seu sobrinho…
      Grande beijo querida,
      Fernanda

    • Naelcia Cristina de jesus Silva Carvalho, obrigada pela solidariedade, tenho 3 anos e meio que luto com meu filho que foi atropelado, ainda não fala nem anda, sei que tenho muita estrada pela frente, o dia a dia não é fácil, muita luta, mas tenho fé e acredito que um dia isso tudo vai acabar e vamos sentar e sorrir muito, e não vamos lembrar nada que passou, obrigada pelo carinho, um grande beijo no Jaannailton Silva Costa, que Deus o abençoe sempre, e outro beijo pra vc.

  72. Meu nome é Gabriela e tenho 24 anos. À 1 ano e 5 meses meu pai Marcos , 47 anos, sofreu um acidente de moto voltando do seu trabalho, bateu com a cabeça em uma vaca,nao sofreu fratura alguma, só lesionou a cabeça, era de noite e desde ai esta começando a luta para ele viver. Ficou em coma por 22 dias, realizou traqueostomia, sonda nasoenteral e dentro deste tempo ele acordou, aonde foi para o quarto e no hospital ficou quase 2 meses,depois deste tempo veio para casa continuar seu tratamento. Teve traumatismo craniano com LAD. Ele veio para casa sem reaçao alguma, mexendo apenas o dedo do pé, sem movimento, começando ai a grande luta para ver a melhora do meu guerreiro. Começou a fisioterapia todos os dias e fono 2 vezes por semana. Nao tinha paladar, nao conseguia reagir nem com o limao, agua e alimentaçao somente pela sonda. Começando a fisioterapia a luta era para nao atrofiar seus movimentos, no começo nao foi facil ver ele daquela forma, pois foi sempre independente e ajudava a todos, agora ele precisaria de ajuda. Em 9 meses tirou a sonda depois de muita luta , a traqueo em 1 ano e 2 meses. Desde Fevereiro de 2014, ate a data de hoje, enfrentamos a pior fase e todas, ele esta muito agressivo, bravo. Fala que quer morrer, as vezes nem se alimenta direito. Ele esta magro e aparenta estar com depressao. Buscamos de todas as formas otimos profissionais para sua melhora, vemos depoimentos, emfim, queremos ver ele bem logo. Meu coraçao doi em ver ele triste, chorando e nao poder fazer mais nda pra ver meu guerreiro de pé. E tem a pressao de familiares que sempre duvida das formas de cuidado perante ele, nao ajudam e na maioria das vezes se metem sem ter informaçoes precisas. Esse estado agressivo dele, ate quando vai ? essa é a pergunta que me faço durante 1 ano e 5 meses….Como pode uma pessoa correr, sofrer um acidente e logo voltar, e ele que era uma pessoa que nao corria e demorar tanto?

    • Gabriela, li seu depoimento e me identifiquei muito com o que seu pai está passando, só melhorei após aceitar o que tinha ocorrido e as pessimas consequencias q infelizmente nao mudam.. mas para isso precisei de uma neuropsicologa, especializada em pós trauma, que ainda frequento ,meu aciednte faz 5 anos dia 5 de abril, participo de um grupo junto com a Fernanda com algumas pessoas com lesoes cerebrais e sei que muitas precisam ir a psiquiatras e tomar remédios, par evitar a depressao, muitas tiveream que trocar de medicamentos diversas vezes, a irritaçao nervosismo agressão infelizmente sao coisas normais para quem sofreu lesão cerebral.. muita paciencia força e fé pois ele precisa a cima de tudo do apoio da familia, pois como voce disse muitos que nao convivem e nao sabem intererem o tempo todo.. voce mora onde? posso indicar minha neuropsicologa que é de SP. Beijos

      • sim bruna agradeço muito moro em piratininga perto de bauru sera que conhece algum pra me indicar

      • Ah voce tem alguma rede socia, facebook para trocarmos experiencias? abraços

    • Ola, também estou na luta com meu irmão de 21 anos, como seu pai, ele machucou so o cérebro ha 10 meses, porq seu pai demorou tirar a traqueostomia o meu irmao deu estenose, vai ter q fazer cirurgia o meu irmao fez ficar e não deve como ele esta que sucesso ele teve desde que saiu do hospital

    • Enrolei ao digitar, meu irmão ficou foi mt alegre, ri de tudo, falamos algo e pedimos segredo ele conta através de mimica pois ainda nao fala. gabriela meu whatssap é 556285358200, alguem sabe da cirurgia de estenose, pois ele esta fazendo os exames pra fazer a cirurgia, ele esta com a memória boa, lembra de td e todos, esta ficando em pé com ajuda mas por ter dificuldades do lado direito e ainda nao consegue fica no andador mas Deus vai fazer dar certo, queria conversa mais com vc

      • boa tarde maria divina, nao consigo add seu numero no whatsapp… vou passar o meu 014 99665 1180.

    • Sou primo de seu pai Gabriela, o Marcos é afilhado de meus pais, que o batizaram. Já meus tios e pais do Marcos são meus padrinhos de batizado! Somos muito unidos! Por tanto, ficamos muito tocados com o que ocorreu, e só queremos o melhor para ele! O momento é de carinho, amor e muita atenção a ele, o que vai melhorá-lo!! Estamos juntos!! Nossa família reza muito, e tem fé, esperança que vamos vencer juntos! TODO AMOR AO MARCOS!!
      Zé Francisco (Bauru SP)

      • concerteza zé francisco! o amor que temos por ele é imenso… todo o carinho, atençao…

    • OI GABRIELA QUERIDA….

      Vi que vc está em contato com a Bruna e com a Maria Divina… Muito bom! Fico feliz qdo vejo isso acontecendo aqui no Blog, pois esse tb é um dos objetivos meus em mantê-lo, ver uns ajudando os outros num momento tão difícil… Eu queria ter te respondido antes, mas não pude.

      Gabriela, a depressão, a agressividade e a impulsividade são muito comuns após uma lesão cerebral como a do seu pai. Como eu já escrevi aqui no Blog na sessão “Informações Importantes” (depois dê uma lida lá), algumas “características”/sintomas ou sentimentos podem ser observados em pessoas vítimas de TCE, como por exemplo:
      =fadiga mental e física
      =vertigem
      =cefaléia
      =medo
      =ansiedade
      =IRRITABILIDADE COM QUALQUER COISA
      =IMPULSIVIDADE
      =INADEQUAÇÃO SOCIAL
      =DEPRESSÃO
      =falta de identificação com os outros
      =AGRESSIVIDADE
      =desinibição ou apatia
      Isso NÃO significa que todos que tiveram TCE vão ter todos esses sintomas, mas uma mesma pessoa pode ter vários. Saber disso serve de alerta para todos poderem identificar suas reações ou de seus familiares e entenderem que é comum após a lesão isso acontecer e por isso, muitas vezes é imprescindível buscar ajuda profissional…

      Como a Bruna disse aqui pra vc, será muito importante seu Pai ter acompanhamento com psiquiatra para que uma medicação adequada o ajude nesses sintomas. Muitas vezes, a medicação não é acertada na primeira vez, mas o importante é nunca desistir. Além disso, será muito importante que ele tenha tb um acompanhamento com neuropsicólogo que o ajude a lidar com todas as suas dificuldades pós-lesão.. Sei que vcs são de Piratininga e não sei se aí tem neuropsicólogo, mas em Bauru, que é próximo, sei que tem e podemos te indicar. A depressão e a agressividade realmente são sintomas que temos que nos preocupar, pois podem fazer muito mal. Eu tive depressão após o meu TCE e sei, na pele, o quanto é terrível.

      Meu depoimento é o primeiro daqui. Eu sofri um acidente de carro e tive um TCE grave há 8 anos e até hj faço acompanhamento com psiquiatra, faço uso de anti-depressivos que ajudam a regular meu humor, sono e apetite. Esses medicamentos, assim como o acompanhamento com psicólogos e neuropsicólogos, foram fundamentais para toda minha recuperação. Se seu pai fala em morrer, onde ele vai arrumar forças para lutar por sua recuperação, não é mesmo? Então, primeiramente, vamos pensar como ajudá-lo a se livrar dessa depressão, dessa agressividade, não é?

      1 ano e 5 meses é pouco tempo qdo se trata de lesão cerebral e seu Pai é ainda novo… As coisas vão melhora, pode acreditar!!!!! Sei o quanto é difícil a vida mudar de uma hora pra outra e tudo ficar de “pernas pro ar”… Infelizmente, essas tragédias acontecem com muito mais pessoas que imaginamos. No Brasil, temos em média 8 milhões de pessoas com TCE, isso tirando as pessoas com TCE leve que muitas vezes nem dão entrada no hospital e portanto, casos que nem são computados…. É preciso ter força, fé, persistência, amor, dedicação…. Não desanime, seu Pai vai melhorar!!!!

      Vamos nos falando….
      Grande Beijo,
      Fernanda

      • obrigada pelas palavras fernanda, ja é um conforto ao meu coraçao pois estou no dia a dia dele e ver ele assim me deixa triste, pois faço de tudo e ainda queria fazer mais! ainda busco respostas para saber o porque de tudo isso, mas a fé em Deus, a persistencia e o grande amor que tenho pelo meu pai me faz ter forças para ir alem.

  73. Oi, meu nome é Bianca e estou pesquisando a respeito desse problema que descobri ter, cai de moto dia 12/01/15 e sei que ainda estou com a doença, lesao axonal e um coagulo, mas eu hoje andei sozinha, tomei banho, e tento estudar, mas nao lembro. Sei que esta sem ordem o que estou dizendo, pois estou assim, mas eu quero saber o que tenho, minha mae quem vai ao medico comigo nao me disse, mas o medico me disse, todo mundo de diz muita coisa ele falou que vou demorar 60 dias para voltar ao normal, gostaria de saber se é verdade? ele disse que meu cerebro ficou todo marcado, eu quero explicaçoes, nao estou entendendo muito e fui ao medico ontem mas ele nao me explicou muito, o que sei é isso, acho que vou saber mais depois, tenho 31 anos e sou inteligente, mas agora nem sei o que sou, sempre a noite estou melhor estou tomando 7 comprimidos por dia, acabei de tomar o ultimo da noite. boa noite e me enviem informaçoes por favor.

    • Bianca querida, o que posso te informar de LAD lesão axonal difusa é o que meu pai médico me informou quando percebi minhas dificuldades, é como se a ligação entre seus neurônios tivessem se rompido com o impacto, e elas infelizmente não se refazem, mas o cérebro utiliza outros neurônios para fazer aquela função, e isso a torna com um raciocínio mais lento, essa é a principal sequela, tudo depende da região afetada também! e não há como dizermos quanto tempo isso passa, estou acidentada faz 5 anos e ainda não estou 100%. Claro que melhorei muito com auxilio de uma neuropsicologa, para driblar minhas dificuldades, um problema é a falta de memória recente, para isso aprendi a anotar tudo em uma agenda, no celular, colocar dispertador, e associar nomes de quem conheci agora a alguem que eu ja conhecia, ou um ator, algo assim.. existem truques para melhorarmos mas infelizmente isso nao muda. um beijo.espero ter ajudado

    • OI BIANCA!!!!!!!!

      Vi que a Bruna já te respondeu e explicou um pouco sobre a lesão axonal difusa. Vc entendeu? Tem mais alguma dúvida? Eu sou a Fernanda e meu depoimento é o primeiro desta sessão. Qdo tiver um tempinho, leia os vários depoimentos que tem aqui e também as informações que estão aqui no Blog na sessão de “Estratégias úteis” e “Informações importante”. Elas podem te ajudar…

      Como a Bruna disse, é difícil falar tempo exato que vc estará totalmente boa. Seu médico disse 60 dias, mas nunca ouvi médicos dizerem com exatidão esse tempo qdo se trata de uma lesão no cérebro. O seu acidente de moto e sua lesão são muito recentes e que bom que vc já conseguiu andar e tomar banho sozinha….. Isso é maravilhoso!!! Eu demorei quase 1 ano pra fazer isso sozinha.
      Quanto à tentar estudar e não se lembrar, é muito comum isso acontecer. A dificuldade de memória recente é umas das “sequelas” mais comuns após um TCE (trauma de cranio encefálico) que foi o que aconteceu com vc, comigo, com a Bruna e com vários que colocaram seus depoimentos aqui. Porém, cada caso é um caso e cada um tem sua gravidade que dependerá de vários itens como a extensão e o local de acometimento, idade, etc.
      A terapia com neuropsicólogo e o uso de estratégias (algumas descritas aqui no Blog) podem te ajudar muito no que diz respeito à memória…

      Eu tb fiz uso de muitos medicamentos como vc disse estar fazendo no momento. O importante é que esses medicamentos sejam prescritos sempre por um médico especializado.

      Espero que vc continue se recuperando muito bem e se, ao longo dos dias, forem surgindo dúvidas, escreva aqui que tentaremos te ajudar no que for possível… Espero ter ajudado mais um pouquinho,
      Bjo grande
      Fernanda

    • Oi moças, vi o resultado da minha primeira ressonancia e deu lesao axonal, no cortex e subcortex mais um hematoma.
      tem dia que fico extremamente irritada e triste, me perguntando se vou melhorar, juro que nao gosto de ficar assim, é mais que pessimo. fiz uma outra ressonancia na segunda feira e amanha vou ao medico pra ele ver dai vou fazer muitas perguntas, sei que nao gostaria de ficar assim… quem teve deve entender. num quero falar mais agora nao, num quero nem pensar. depois eu falo

  74. Oi Fernanda. Sou christina meu esposo sofreu um tce grave em 2012 e ate hoje ele não anda nao fala e é agressivo belisca morde. Estou muito desesperada . Quero muito que vc fale sobre pessoas q ja teve esse tipo de trauma se tem possibilidade de voltar ser uma pessoa normal.

    • OI CRISTINA….

      Como aconteceu o TCE do seu marido? Quanto tempo ele ficou em coma? Vc disse que ele ainda não fala e nem anda, mas como foi evoluindo a recuperação dele de lá até aqui?? Ele teve atendimento multidisciplinar após o TCE?
      O acompanhamento com vários profissionais (fisioterapeuta, fonoaudiólogo, neuro, etc.) é muito importante após uma lesão cerebral. Seu marido fez fisio, fono?

      Cristina, quando tiver um tempinho, leia os vários depoimentos que tem aqui e na sessão de “Depoimentos Familiares” e também leia a sessão “Informações Importantes” e “Estratégias úteis”, assim vc terá algumas dicas que podem ajudar o seu marido.

      ===Algumas “características”/sintomas ou sentimentos podem ser observados em pessoas vítimas de TCE, como por exemplo:
      fadiga mental e física
      vertigem
      cefaléia
      medo
      ansiedade
      irritabilidade com qualquer coisa
      impulsividade
      inadequação social
      depressão
      falta de identificação com os outros
      agressividade
      desinibição ou apatia
      Isso NÃO significa que todos que tiveram TCE vão ter todos esses sintomas, mas uma mesma pessoa pode ter vários. Saber disso serve de alerta para todos poderem identificar suas reações ou de seus familiares e entenderem que é comum após a lesão isso acontecer e por isso, muitas vezes é imprescindível buscar ajuda profissional…

      Cristina, a agressividade, a impulsividade, são muito comuns após um TCE e pode melhorar muito com ajuda profissional!!! Seu marido precisa ter acompanhamento com psiquiatra para que ele consiga controlar seus sentimentos e reações com ajuda de medicação adequada. Nem sempre a medicação é acertada de primeira, isso pode levar tempo, mas o importante é nunca desisitir…. Além disso, é muito importante seu marido ter um acompanhamento com neuropsicólogo pra aprender lidar com isso… De onde vcs são? Vc sabe se na sua cidade tem neuropsicólogo?
      Não sei se vc leu meu depoimento (é o primeiro daqui). Eu até hj, depois de 8 anos de lesão, faço acompanhamento com psiquiatra e neuropsicólogo, o que me ajudam 100%.
      Seu marido voltar a ser exatamente como era antes, acho que não tem jeito, pois nem vc, após todos esses acontecimentos, deve ser a mesma né? A tragédia e o sofrimento nos modifica, mas traz tb muitos aprendizados. Seu marido, pode sim se controlar mais, sofrer menos, conviver melhor com a família e outras pessoas e ter uma boa qualidade de vida, melhor do que está. Eu acredito! Tenha fé nisso tb!!!!!!!

      Mande mais notícias Cristina. Quero muito te ajudar!!!!!
      Bjo grande, Fernanda

  75. Olá,meu nome é Cecília e tem apenas 80 dias que meu irmão sofreu um grave acidente, dia 6 de novembro de 2014, ele estava pedalando e foi atropelado por um carro,teve TCE e ficou internado por 15 dias no CTI em coma induzido,o médico disse o caso dele era grave,apesar de não ter perdido massa encefálica,quando saiu do CTI ele falava coisa com coisa, sem memória, ficou mais 11 dias no UTI e teve alta,ele chegou em casa falando,com afundamento no lado esquerdo e de cadeira de rodas pois como a memória não tinha voltado a perna direita não se movia,ele tem apenas 36 anos, é casado, tem um lindo filho de 4 anos e sempre praticou esporte.
    Passaram uns 25 dias em casa, comendo sozinho,escovando os dentes,bem independente, apesar da cadeira de rodas,ele começou a conhecer meus pais e o filho e lembrar de coisas que havia acontecido uns 15 anos atrás.
    No dia 24 de dezembro ele começou a ficar calado e não comer, o médico disse que era normal, ficou assim por uns 7 dias ate que levamos para uma revisão e ele já ficou internado,disse que ele tinha que fazer uma cirurgia pra drenar água que tinha acumulado,colocaram uma válvula,ate então ele estava conversando,depois de uns dias ainda no hospital fizeram a reconstrução do crânio, e ele ainda do mesmo jeito,calado sem reação,retiraram a válvula pra manutenção, colocaram também um dreno pra sugar o sangue que acumulou na prótese craniana.
    Hoje ele está sem dreno,só com a sonda da alimentação,olha muito e mexe pernas e mãos,mas não fala, a cada 2 dias aqui no hospital ele faz uma tomografia,o médico disse que no dia do acidente o seu nível era 7,não entendo nada, só sei dizer pra vcs que oro muito a Deus, ele é uma pessoa muito amorosa e forte,queria mesmo saber se esta válvula ajuda em que? o caso do meu irmão é muito grave? sei que é o tempo,mas conhecem alguém que já passou por isso? já o cadastrei no hospital Sarah de Belo Horizonte,fiz a coisa certa?
    Me ajudem, minha mãe está desesperada,moramos em uma cidade e minha mãe mora na roça que fica uns 75 k daqui, ela agora está morando aqui, pois somos 5 filhos e este é aquele que a mãe mais protegia.
    Eu confio em Deus sei que se não fosse por ele nem vivo meu irmão estaria e que ele está cuidando de tudo.
    Fico no hospital todos os dias de 13 ás 18 hs nossa vida mudou muito nos últimos 80 dias.
    Me ajudem por favor….

    • Cecilia, a Fernanda assim que ler o seu depoimento vai te responder, ela passou por isso e tem muito experiência, o meu filho foi atropelado em 2011, passei por isso ele operou a cabeça oito vezes, foi uma barra, cada caso é um caso, tenha calma e paciência, seu irmão vai melhorar, saiba que a recuperação é muito lenta temos queter fê, converse baixinho no ouvido dele, diga que o ama que tudo vai passar que logo logo estará em casa, coloque musicas que ele goste, estimule ele bastante com conversa, coloque TV, meu filho tb. Colocou dreno muitas vezes, tenha fé, ele vai melhorar, leia os outros depoimentos que vc. Vai ver que édemorado, meu filho ficou seis meses no hospital, veio pra casa com GTT, hoje ainda não fala nem anda, mas come de tudo, entende tudo que falamos, faz alguns sinais e estamos confiante na sua recuperação, lembre ele vai melhorar é assim mesmo, temos que ter paciência, amor, perseverança, é tudo muito lento, beijo no coração, vou rezar por ele, na próxima coloca o nome dele, bjs.

      • Olá Lea
        ele se chama Elicarlos,gostaria de ler o seu depoimento mas não encontrei, vc bem que poderia postar pra eu ler,porque parece que o acidente do GUGA foi parecido com o do meu irmão.

        Deus abençoe e continue orando por ele.

        bjos

      • Aqui tem, foi em dez.2011 ou Iniio de 2013, entra no meu facebook Léa Barata, entra no yourtube feijão amigo do kiko 1a, e 2a. Edição, os colegas do mei filho fazem todos os anos um feijão pra arrecadar dinheiro para nos ajudar, entra no facebook no grupo LAD-Lesao axonal Difusa, é um grupo que faço parte e começou por aqui, é muito bom tem mais de cem pessoas todas com o mesmo problema que nossos queridos, veja depois me fale, tenho certeza que vai te ajudar, bjs

      • Cecilia, aguarde que a Fernanda vai te orientar, ela passou por tudo isso e ela tem muita experiencia para passar pra vc., ela é uma pessoa muito especial, eu sou meio metida entro aqui e tento ajudar com o que posso , mas o melhor é ouvir a nossa Fernanda, bjs

    • Hei Cecília Veloso,
      Meu nome é Geralda, tenha muita fé em Deus seu irmão vai ficar bem. Passe muito amor a ele isso é muito importante, ele sentir o amor da família por ele. Minha irmã sofreu um acidente automobilístico dia 6 de abril de 2014 muito grave, teve TCE grave, afundamento do crânio, ficou 15 dias em coma na UTI e mais 16 dias na enfermaria, graças a Deus ela sobreviveu e está se recuperando cada dia mais, ela já anda, fala e se alimenta sozinha. Lembra de todo mundo, só não consegue ligar fatos a pessoas. Vai começar um tratamento pra ajudar na recuperação total da memória. Gostaria muito que vc visitasse o meu facebook https://www.facebook.com/geralda.coelho.7 pra ver as fotos dela, tenha muita fé, Deus é misericordioso e vai fazer o melhor pro seu irmão e sua família. Fé sempre, Seu irmão vai se recuperar. Abraços.

      • GERALDA QUERIDA…
        OBRIGADA POR FALAR PRA CECÍLIA DA HISTÓRIA DA SUA IRMÃ… AMO O BLOG POR ISSO: UNS AJUDANDO OS OUTROS!!!!!
        ESTOU FELIZ DEMAIS POR SABER DA ÓTIMA RECUPERAÇÃO DA SUA IRMÃ, VIU?

        BEIJO GRANDE NO SEU CORAÇÃO
        FERNANDA

    • OI CECÍLIA….

      Sou a Fernanda. Não sei se vc leu meu depoimento, é o primeiro daqui… Li todo o seu depoimento e sei que essa fase inicial é terrível, principalmente pra família… Tudo muito novo, a vida de todos ficam de “perna pro ar”, muita angústia, tristeza e ansiedade, sem saber o que fazer e ao mesmo tempo, os médicos não informam muita coisa, né? Os médicos, muitas vezes, realmente não têm muito o que falar, pois quando se trata de lesão no cérebro é difícil dererminar ao certo como será a recuperação e quanto tempo vai levar… Varia muito de caso pra caso e depende de várias coisas…Se vc ler vários depoimentos aqui, muitos de nós, inclusive EU, não tivemos uma boa perspectiva de recuperação por ser um caso muito grave, e muitos tiveram uma boa recuperação, mesmo os médicos não “acreditando”, entende? O cérebro tem uma plasticidade que faz com que a parte que não foi lesada crie novos caminhos para ajudar nas funções que a parte lesada era responsável….
      Leia aqui no Blog a sessão de “Informações Importantes” e “Estratégias úteis” (acima), lá tem algumas explicações que podem te ajudar…

      Vc perguntou se fez bem cadastrar seu irmão para o Sarah de Belo Horizonte, né? Fez sim… É muito importante, após uma lesão cerebral, o acompanhamento com vários profissionais como fisioterapeuta, fonoaudiólogo, neuro, terapeuta ocupacional, neuropsicólogo, etc. E nesses lugares tb, pode se ter várias orientações importantes para o tratamento adequado, isso é muito bom. Em cada fase seu irmão poderá precisar mais de um ou outro profissional. Isso vai depender das avaliações feitas pelos profissionais e da evolução dele…

      São várias fases que seu irmão irá passar. A recuperação é lenta, mas o importante é que ele é novo, saudável e tem tudo para se recuperar bem. Não perca a fé e a esperança, por mais difícil que seja. A Lea te deu algumas dicas importantes de como fazer com ele, conversar, etc. e lembre-se que primeiro, vocês da família vão observar melhora na parte física e depois na parte cognitiva, de memória, atenção… A Lea é uma querida, uma guerreira, assim como seu filho Guga. O depoimento que ela conta sobre o Guga está na sessão de “Depoimentos Familiares” e não aqui. Vc já encontrou?

      Cecília querida, a memória mais recente, quase sempre é bem prejudicada e por isso, seu irmão pode se lembrar de muitas coisas de anos atrás e não se lembrar do que aconteceu ontem, por exemplo. Isso é muito comum, aconteceu comigo também e isso também melhora com o tempo e com a estimulação…
      Qual cidade seu irmão está?

      Acho que são muitas informações pra eu te passar de uma vez só. Não sei se te ajudei um pouco, mas vai me escrevendo e contanto como está seu irmão, que se eu puder, vou ajudando no que for possível….

      Tenha paciência porque o processo é longo mesmo. O que importa é seu irmão melhorar cada vez mais. Tudo ainda é muito recente, muito mesmo. E se possível, quando tiver um tempinho, leia os depoimentos aqui do Blog, eles vão te ajudar a entender um pouco desta lesão que envolve o cérebro….

      Conte comigo!!!
      Um grande beijo pra vc e sua família. Que Deus abençoe a vida e a saúde do seu irmão Elicarlos. Ele estará em minhas orações. Até breve!!!!

      Fernanda

  76. OLÁ pessoal.
    MINHA VO FOI ATROPELADA ELA É IDOSA TEM 65 ANOS, , TEVE TRAUMA FACIAL, TCC GRAVE, QUEBROU 4 COSTELAS A CRAVICULA, TEVE UMA ESQUEMIA, SANGUE MACHUCADO NOS DOIS PUMOES. E ESTÁ LA LUTANDO PELA VIDA, E EU TENHO FÉ QUE LOGO LOGO ELA SAIRÁ DE LA POIS EU CONFIO NESSE DEUS QUE EU SIRVO. OS MÉDICOS DIZEM QUE SÓ FALTA ELA REAPIRAR 100% P SAIR DA UTI. MINHA VO É UMA SERVA DE DEUS. ..

  77. Olá Fernanda minha amiga, estou meia sumida, mas nunca conseguia entrar, o meu tablet foi atualizado e agora esta bom, o Guga tem evoluído muito bem, dê uma olhadinha nas fotos lá no meu face, estou muito orgulhosa dele, no you tube já tem o video que os amigos fizeram dele chama-se feijao amigo do kiko 2a.edição, é emocionante igual ao primeiro. O Sarah marcou ele para os dias 28 e 30/01/15, estamos bem empolgados e tenho certeza que esse ano vai ser de realizações para todos nós. E sua mãe? Está bem? Dê um beijo carinhosonela por mim, amiga, lembro do começo que escrevia quase todos os dias pra vc. e sempre carinhosa comigo, um beijo no seu coração, beijossssssssss

    • queria saber como faço para postar minhas dúvidas e perguntas,só tem 60 dias que meu irmão foi atropelado e estou desesperada….me ajudem Deus abençoe.Cecília

      • Cecilia Veloso, para escrever vai lá no final da pagina e escreva o caso do seu irmão, como ele está agora? Tá em coma? No CTI? Diga tudo que a Fernanda vai te responder, as vezes demora um pouquinho mas ela te dá um retorno, o que eu puder te ajudar eu ajudarei com minha experiência, , fique calma, cada caso e um caso, diga a idade dele, e muita fé, bjs

    • MINHA AMADA AMIGA LEA!!!!!!!!!!!!!

      Quanta felicidade ver vc voltando a escrever aqui no Blog, minha parceira, minha “sócia” do Blog, rsrs. Vc sempre diz que eu tenho muita experiência pra ajudar as pessoas e eu digo o mesmo de vc!!!!!!!!! Eu posso ter a experiência de um paciente que sofreu uma lesão cerebral, mas vc tem a grande experiência de uma mãe, de uma cuidadora e isso, minha amiga, não tem preço. Sua ajuda aqui é sempre muito valiosa!!!!!!!! Vc não imagina como estou feliz de vc estar voltando pra nós, rsrs.

      Vi o “feijão do Kiko, 2 edição, e fiquei emocionadíssima de novo. O Guga é um presente de Deus assim como esses amigos maravilhosos que ele tem. Muito lindo de se ver, principalmente nos dias de hoje…
      Se vc tivesse me avisado, eu teria ido nesta feijoada, mas também nunca te falei isso. Por favor, na próxima que tiver, me avise que faço questão de estar presente!!!!!!! Questão mesmo!

      Fico muito feliz em ver como o Guga está evoluindo… Isso é muito bom! Este ano promete, minha amiga!!!!!!!! Minha mãe está bem e tb te manda um bjo.
      Quero saber, o que deu lá no Sarah esses dias 28 e 30/01 que o Guga estava marcado????
      Aguardo suas notícias e NÃO SUMA DAQUI, POR FAVOR!!!!!!!!!!!!!!! Vc tb é um presente de Deus!!!!!!!!! Obrigada por tudo!!!!!!!
      Grande bjo
      Fernanda

  78. Alguém já teve ou conhece alguém q teve estenose traqueal fundo cego traqueostomizado ainda sem andar como foi a recuperação a cirurgia os riscos foi caro porfavor ja ouvi a opinião do fran teria mais alguém

  79. Gente, quanto tempo hein?! Ha dias queria dar um oi e contar as novidades, Não deu tempo de contar tudo antes, depois de 70 DIAS NO HOSPITAL, mas no dia 20/12/2014 Willyan teve alta e viemos para casa, ele teve uma trombose na perna esquerda como era suspeito, não precisamos vir de ambulancia para casa, e Graças a DEUS no dia do NATAL ELE COMEÇOU A FALAR, do nada, minha irmã ficou insistindo muito aí ele disse: Ta sua chata, ta bom!!!! Foi o máximo, agora esta fazendo muita fisio de segunda a sexta particular e uma vez por semana pelo sus, ainda nao começou com a fono, mas esta falando de tudo, cantando e tudo. O lado esquerdo que estava paralisado agora já tem alguns movimentos, só o braço, perna e pé que se mexem, infelizmente mão ainda nao mexe mt, mas ele consegue com muito esforço fecha-la as veses, ja ficou sentado por alguns segundos sem encostar em nada. Mas como ele tem suas limitações (pra quem não sabe ainda ele é Down) ele nao consegue entender algumas coisas, e FERNANDAAAAAAAAA, porque existe a tal da insonia hein?!!! Os medicos nao passaram nada de sedativos para ele tomar em casa, nenhum calmante mesmo, ele ficou traumatizado com o hospital sabe, tem medo da noite, diz que tem medo de cair da cama, e dorme mexendo o braço como se tivesse amarrado ainda.. Agora ele está dormindo no colchão no chão da sala acreditam? O unico lugar que se sentiu seguro, ele e meus pais dormindo junto no chão da sala.
    Agora está dormindo bem, mas geme muito de dor no corpo, será por conta da fisio? ele fica todo travado, tipo se vai mexer o braço faz força pra mexer o corpo todo.

    Do mais está tudo bem, se alimentando bem, está com um humor legal, só essas dores que nos deixam tristes demais pois ele não sabe explicar direito onde exatamente doi, cada hora é num lugar..

    Espero que tenham gostado da noticia, aguardo mais dicas

    Beijos Day

    • Day que bom fico muito feliz pela melhora dele!
      Também a principio nao mexia o lado esqerdo do corpo.. estive pior que ele nao mexia nada.. mas com muita fisio voltei a mecher tudo.. quanto ao uso de remédios para dormir no principio ao sair do hospital eu tomava a noite.. mas após alguns meses os médicos retiraram.. mas mesmo assim eu dormia muito, de manha tarde e noite.. minha mae foi até perguntar ao médico porque dormia tanto.. e ele explicou que como crianças quando dormimos assimilamos o que re-aprendemos durante o dia!
      Converse com o médico as vezes no principio podem utilizar um medicamento para auxiliar o sono.. bjus =)

    • DAY minha amiga….rs

      Peço desculpas por te escrever só agora… Estou muito feliz de saber notícias tão boas do seu querido irmão…. Ele está evoluindo muito bem, hein?

      A tal da insônia realmente é terrível. Eu nunca tive e desde o meu acidente ela “não me larga”, rs. No início, os médicos me passaram remédio pra controlar o sono, mas depois de 1 ano, mais ou menos, eu passei a controlar apenas com meus anti-depressivos, que no meu caso, são indispensáveis. Na maioria dos dias, hj, depois de 8 anos, eu durmo “bem”, mas nunca mais dormi bem como antes. Veja com o neurologista do Willyan se existe a possibilidade de passar algum medicamento para ajudá-lo a dormir melhor, principalmente neste início.
      Eu vou te falar da minha experiência: Eu fiquei cerca de 5 anos acordando à noite e lembrando do pavor que senti na UTI. Pra mim, a UTI foi meio traumatizante quando eu já estava mais lúcida, principalmente porque eu ficava sozinha, era proibido ficar algum acompanhante. O que eu quero te dizer é que o AVC do seu irmão está muito recente, mas recente ainda a saída dele do hospital, então tenha calma. Acredito que essas reações dele de medo, etc. são super compreensíveis e com o tempo vão passar!!!!! Vão mostrando pra ele que tudo já passou, que agora ele está bem, só melhorando, que vcs vão estar sempre do lado dele, nunca vão deixá-lo sozinho, etc. Com o tempo, ele vai se sentindo mais seguro. Talvez valha a pena tb, vcs conversarem com uma psicóloga maneiras de ajudá-lo a passar por isso de uma forma melhor, menos traumática.
      É tudo muito novo, fique tranquila, ele está evoluindo muito bem!!!!!! Fico feliz demais por isso!!!!!!!!

      Quanto à dor no corpo, aconselho vc a conversar com a fisio dele, mas acredito que talvez não seja tanto DOR que ele sinta e sim o incômodo dele de dormir mal, de talvez sonhar coisas ruins (isso acontecia comigo), o incômodo de não mexer como antes o lado esquerdo do corpo, etc., e aí, ele não sabe relatar essas sensações e pra ele fica tudo como uma dor, entende??? Ele sabe que se ele se queixar de dor, todos vcs vão entender que algo não está bem com ele, até mesmo o medo e a ansiedade, por exemplo, que ele não sabe referir…. Não que ele não sinta nada de dor, mas talvez nem sempre que ele se queixa, é mesmo dor, entende? Vc acha que faz sentido o que estou te dizendo????? Não sei, isso passou pela minha cabeça qdo li o que vc escreveu… Acho que isso tb vai passar logo. Ele tb deve estar numa fase que está querendo mais atenção de todos, né? Super normal…Mas, não se pode descartar a avaliação de um profissional tb….

      Aguardo sempre notícias do Willyan, ele já está no meu coração, rs.
      Bjo grande pra vc, Willyan e toda sua família….
      Fernanda

      • Oi gente.. ai quando leio alguns depoimentos novos, me vem toda aquela sensação de sofrimento e alivio ao mesmo tempo.. Nada como o tempo né?! Seria tão bom se as pessoas que estão passando por isso conseguissem TER A CERTEZA QUE TUDO SERÁ MELHOR, porque Graças a Deus realmente é.. tudo vai ficar melhor. Fê, você é minha psicologa.. Voce acerta as coisas, ACHO QUE FAZ TOTAL SENTIDO O QUE VOCÊ DISSE, tanto é que parece até que voce conhece Willyan, as fisioterapias continuam e ele nao se queixa mais de dor.. era realmente a forma que ele conseguia para expressar.. os pesadelos quase não existem mais.. Ja começou a ficar de pé (sem muita firmeza, mas já começou).. era tudo trauma.. Não gosto de ficar imaginando o que ele passou quando não estavamos perto na uti.. Ou o medo que ele sentiu, e sente ainda.. Fico imaginando se ele entendia as coisas sabe, ele teve muito medo de morrer.. mas agora já confia denovo na VIDA, compramos uma cadeira nova (pois estavamos com uma emprestada) e agora ele vai na sorveteria, vai ao trabalho da minha mãe… Enfim, é muito dificil pensar em tudo isso, ver meus pais com cara de acabados, magros, cansados.. Mas ver o nosso sorriso, o sorriso da familia unida me TRAZ ESPERANÇAS.. e todos que estão passando por isso também terão a GLORIA, basta ter esperança..Ele sempre me pergunta sobre o hospital. se eu lembro disso e daquilo.. as vezes desconverso, mas tento explica-lo que isso passou, e que agora ele precisa querer se recuperar, devagarzinho ele entende.. ja quer dançar, está todo feliz, ja está entrando no face, ouvindo musicas.. rsrs!!
        Quero agradecer de coração e parabenizar VOCE, A BRUNA, O FRAN GIRÃO, E OUTROS que aqui apoiam e contam suas historias lindas de superação.. saibam que eu sou a prova viva que esse BLOG DEU CERTO.. e ajuda muitos e muitos cérebros inclusive o meu, pois mesmo que não tenha ocorrido nada diretamente com meu cérebro, depois de tudo o que passei com meu irmãozinho e de tudo o que li nesse blog posso dizer MEU CÉREBRO MUDOU!!!
        E para melhor, você é dez! Quero ajudar as pessoas assim como você!!!!!!!
        Beijos e bom carnaval a todos!

      • OH MINHA AMIGA DAYANE…

        Vc não imagina como fico feliz com essas notícias boas do Willyan!!!!!!!! Nem o conheço e já gosto tanto dele!!!!!! É bem louco isso, né? Fique muito emocionada com o seu depoimento aqui, sobre o que vc disse do Blog, sobre sua reflexão que o “cérebro mudou”, etc. Muito obrigada!!!!!

        Fiquei muito feliz em saber que sou um pouco sua psicóloga, além de amiga, rsrsrs. O que mais quero é ajudar vc e sua família a passar melhor esses momentos difíceis e de tanta mudança para todos!!!!!!!!

        Vc disse que quer ajudar as pessoas que estão passando pelo mesmo problema… Saiba que vc já está ajudando muito toda vez que escreve aqui…
        O Willyan vai melhorara cada vez mais, vc vai ver… As terapias e o amor da família vão ajudá-lo muuuuuuuito!!!!!E tudo isso que vc tem falado pra ele nesse momento, acho ótimo.
        Tão feliz de saber que ele já está querendo dançar… Muito lindo!!! Espero muito um dia poder conhecê-los pessoalmente. Se um dia vierem pra S.P., avisa que quero encontrar vcs, tá?

        Um grande bjo querida…
        Mande notícias sempre, tá?
        Fernanda

  80. Ola amigos hoje estou feliz meu irmão pedi mt para anda meus pais colocou ele em pé e ele ficou sozinho segurando na cama graças a Deus

  81. Boa noite, começo esse depoimento, me perguntando, se uma AVC é tão comum, ´porque os médicos demoram tanto para diagnosticar? Se alguem puder me ajudar, pois, ainda estou inconformada pelo descaso que tiveram com minha de 55 anos.
    Vou tentar resumir, por favor, se alguem puder me ajudar com informação agradeço.
    1º dia. No dia 22 de dezembro de 2014, minha mãe, no meio da tarde sentiu uma dor subita de cabeça, procurou um posto de saúde mais próximo no mesmo dia. O médico a atendeu receitou remedio para abaixar a pressao e remedio para ansiedade.
    2º dia: 23/12/14: ainda sentindo dores muito forte de cabeça do lado esquerdo, procurou um pronto socorro. Foi atendida, medicaram com remedio para dor de cabeça e pressao alta.
    3º dia: 24/12/14: Não conformados com o diagnoistico fomos para um pronto atendimento de um Hospital particular, o medico atendeu e disse que as dores era por causa da sinusite e a sinusite fez a pressão ficar alta. medicou com remedios na veia e passou medicamentos para casa.
    4ºdia: 25/12/14: Dores fortes na cabeça e no olho esquerdo, não procuramos medicos,pois, acreditamos que era a sinusite e a medicação era de 10 dias.
    5ºdia: 26/12/14: Dores fortes na cabeça e no olho esquerdo, não procuramos medicos.
    6ºdia: 27/12/14: Dores fortes na cabeça e no olho esquerdo, não procuramos medicos.
    7ºdia: 28/12/14: Dores fortes na cabeça e no olho esquerdo, não procuramos medicos.
    8ºdia: 29/12/14: Procuramos novamente o pronto atendimento particular e o medico disse ” a sinusite nao melhorou vou trocar os remedios,”.O questionei, pois, como que aquela dor forte não passava mesmo com remedio na veia, porém, o medico disse que era sinusite fomos embora.
    9ºdia: 30/12/14, A levamos em outro Hospital particular, pois, a dor só aumentava e ela não conseguia mais abrir o olho esquerdo. O médico disse isso é pressão no olho procure um oftamologista.
    10ºdia: 31/12/14: Após, rodar a cidade desesperadamente por 5 horas, e não encontrar nenhum oftamologista, pois, devido as festas de final de ano estavam todos de recesso, fomos novamente para um dos maiores Hospitais Particulares da cidade. A medica pediu uma tomografia, disse que estava tudo normal na tomografia e mandou procurar um oftamologista.
    No mesmo dia fomos até o pronto socorro da cidade e fui informada que o oftamologista só estaria lá novamente na sexta-feira as 10:00.
    11ºdia: 01/01/2015. Após ser atendida pelo oftamologista do pronto socorro, o mesmo solicitou um ressonancia magnetica.
    12ºdia: 02/01/2015: Fui ate a clinica, chorei e disse que precisava do resultado urgente, conseguimos fazer o exame com resultado prometido para segunda feira
    13ºdia: 03/01/2015: Sabado, dores muito forte
    14ºdia: 04/01/2015: Domingo, dores muito forte no olho esquerdo, e a palpera não mexia mais.
    15ºdia: 05/01/2015: Consegui marcar uma consulta com um oftalmo particular e o mesmo diagnosticou atravez da ressonancia um aneurisma celebral, porém, não explicou se está rompido ou não.
    Hoje irei tentar consulta-la com um neurologista urgente.
    Estou desabafando, pois, quando coloco os sintomas que a mesma teve em um site de busca, aparece em todos a palavra aneurisma e 9 médicos demoram 14 dias para solicitar uma ressonancia.
    Alguem pode me ajudar para saber se isso esta correto.

  82. Olá,
    Em março de 2013 meu irmão sofreu um TCE grave e ficou por 4 meses em coma natural na CTI + 2 meses em leito normal, ele sofreu um acidente de moto onde bateu somente a cabeça.
    Hoje, após quase dois anos ele já se alimenta sem sonda gástrica, já possui movimentos de pernas e braços do lado direito, enxerga e responde por sinais, ainda não anda e não fala! Ele realiza fisioterapia e fonoaudiologia diária, li todos os depoimentos e não identifiquei nenhum com esse tempo e gravidade, se alguém de vocês tiverem casos e dicas de tratamentos eu agradeço! Obrigada pessoal!

    • Oi Andresa, meu irmão teve o mesmo problema , só que ele não enxerga , mas os médicos dizem que a visão dele vai voltar , em quanto tempo a visão do seu irmão voltou? já fazem 6 meses o acidente do meu irmão, ele não enxerga e também perdeu a memória , mas já está voltando, só a visão que está demorando. Melhoras para seu irmão, E confia em Deus , que tudo vai dar certo. Um abraço.

      • Selma e Andressa, fiquei um tempo pos acidente cerca de um ano enxergando embaçado, meu pai é oftalmologista, disse que voltaria com o tempo, e voltou, não enxergava devido ao dano cerebral, mas para ele esclarecer a dúvida se eu voltaria a enxergar normalmente passei por um neuro oftalmologista, o que é segundo ele o médico mais indicado para verificar se o dano no cérebro afetou realmente a visão, aconselho as duas a encaminharem eles a um neuro oftalmologista, explicando o acidente… bjus boa sorte!

    • Olá Andressa.
      Meu irmão também sofreu um acidente de moto em Setembro de 2013, TCE grave com LAD, e até hoje ele não fala, não anda e perdeu muito peso, está pesando 37kg. Estamos fazendo de tudo que está ao nosso alcance, mas na maioria das vezes sem retorno, sem evolução.
      Ele faz fisioterapia, hidroterapia, equoterapia, fono. Não sabemos se os sinais que ele nos dá são certos, então temos pouca comunicação com ele, apesar de conversarmos o dia todo com ele, sobre todas as coisas, ele até ri algumas vezes.
      Deixei um depoimento contando toda a história do meu irmão na pagina dos depoimentos familiares, no dia 25 de Setembro do ano passado.
      Nós vamos insistindo na melhora dele, mesmo não tendo retorno. Não podemos desistir, não é mesmo?!
      Grande abraço.

      • Alexsandra, o caso do seu irmào ê parecido com o do meu filho Guga, já tem 3 anos e 4 meses que não fala nem anda, nao tem mais GTT nem traqueo, agora está interagindo mais, faz muita fisio e fono, sinto que tudo melhorou de uns seis meses pra cá, cada caso é um caso, a recuperacao é muito lenta temos que ter muita paciencia e esperar o tempo passar, tem casos que em meses fica bem, outros casos levam um ano e outros casos alguns anos, que é o caso do Guga, fique calma e estimule bastante ele,tente coloca-lo no Sarah do RJ, DF ou BH ou Lucy Montoro em SP, beijos no coraçào

      • Alexsandra Galli, seu irmão esta magrinho, meu filho tb. ficou assim, a nutricionista passou nutri da nestlé, ele é completo dou todos os dias no café da manhã batido com uma fruta, é um complemento alimentar muito bom, vale a pena, vc. Falou que o Sarah nao aceitou seu irmão, qual o Sarah que vc. tentou? Telefone outra vez, tente novamente, não desista, tem em SP, a Lucy Montoro, falam que é otima para reabilitaçao é o mesmo nivel do Sarah, o acidente do seu irmao é muito recente, cada caso é um caso e demora muito a recuperação, temos que ter muita paciência, meu filho vai fazer quatro anos e ainda não fala nem anda, agora que esta interagindo melhor, converse muito com ele, tenho certeza que ele te entende, diga que o ama muito e que falta menos que faltava pra ele fazer as coisas que gostava, coloque musicas que gostava de ouvir, leve ele para passear perto de casa, mesmo de cadeira de roda, nossa luta é imensa, mais vamos vencer, tenha fé, um dia tudo isso vai acabar e todos vamos voltar a sorrir, beijos no ciração

      • Anote o nome do complemento alimentar, Nutren 1.5, alimento nutricionalmente completo para nutrição enteral ou oral, 200 ml, o sabor que tenho é baunilha, da Nestlé HealthScience, dve vender nas farmacias ou procure no google, ele vai pegar um corpo, dê todos os dias, eu bato no liquidificador com abacate ou qualqueroutra fruta que ele goste, eu fiz duas placas uma escrito sim e outra escrito não, grandes, tudo que pergunto mostro as placas e ele aponta o que quer, ensinei o sim com o dedo fazendo ok, e o não apontando o dedo indicador, a psicologa treinou bastante ele e nos tb., faça com ele, junte tampinhas de garrafas de varias cores e mande ele separar as vermelhas, azuis, brancas, pretas, …., mas cuidado pra ele nao levar as tampinhas a boca, o Guga poem tudo na boca, mostre album de retratos e converse com ele dobre as fotos, deixe ele ver programas de TV, revista de mulheres junto com os amigos dele, peço no banho pra ele me ajudar dou um sabonete na mào dele e vou pedindo pra lavar a barriga, meu garoto gosta, lava bastante a mào e ensaboa direitinho, levo ele pra se ver no espelho, é isso amiga, se lembrar mais de algo coloco aqui,vou rezar pra ele, estamos juntas na luta, pode contar comigo, beijo no coração.

      • Lea.
        Fico tão feliz quando recebo respostas suas, acho que nosso caso é muito semelhante e fico mais feliz ainda com o que conta sobre seu filho, é uma esperança que tenho de melhoras para meu irmão.
        Então, tentamos o SARAH Brasília, tínhamos deputados aqui do Paraná nos ajudando, mas não adiantou de nada, só me ligaram dizendo “Seu irmão não se enquadra nos tratamento oferecidos pelo SARAH”. O máximo que explicaram foi que assim que meu irmão tivesse equilíbrio de tronco, posso pedir novamente consulta (entrar na fila de novo). Primeiro é não ter escarras, depois é não ter GTT, agora é equilíbrio de tronco, qual será a próxima exigência? Que ele esteja falando e andando?! É revoltante, pois são esses hospitais nossas esperanças de melhora, ou que nos ensinem como devemos trabalhar da melhor forma para que as evoluções aconteçam.
        Eu já ouvi falar sobre esse hospital em SP, mas meus pais e eu temos medo de levar meu irmão até lá para recebermos outro “NÃO!”. É tão cansativo para o Diego essas viagens, ele se alimenta mal, fica irritado, cansado de ambulância e tudo mais.
        Quanto a alimentação, usamos vários complementos, mas esse ainda não o conhecíamos. Vou passar para minha mãe, talvez ele finalmente o ajude na recuperação do peso.
        Nós também tentamos, e insistimos, para que o Diego faça positivo com o dedão para dizer “SIM”, e apontar com o indicador para “NÃO”, mas são raras as vezes que ele faz.
        Lea, te adicionei no facebook, para podermos conversar com maior facilidade (e frequência) ou se preferir, gostaria que trocássemos e-mails. Meu e-mail é lekygalli@hotmail.com
        Assim poderia tirar dúvidas e até mesmo trocarmos experiências.
        Grande beijo

      • Já somos amigas no face, mande um ok pra mim pelo face. Nossa luta é grande mas vamos vencer, o Sarah não aceita com GTT, mas tenta no site deles, Guga tb. Não fala, converso muito com ele, e oeço pra fazer uma forcinha pra falar que vai ser muito melhor pra ele, ele hoje começou com antibiótico, esta com infecção urinaria, ano passado ele foi internado muitas vezes por causa de infecção urinaria tinha que tomar antibiótico venoso, era brabo ficávamos 14 dia no hospital, teve uma vez que pegou pneumonia lá, quase enlouqueci, tenta dar alguns pedaços de papelão coloridos e mande ele apontar pra tal cor. E assim vai fazendo pra estimular ele bastante, coloque musicas que ele ouvia, ele come pela boca? Toma líquido? Coloque ele sentado na cadeira, na parte da manhã e um pouco a tarde, mande noticias dele pelo face, um beijo no coraçào

    • Andressa, o caso do meu filho é muito parecido, ficou seis meses no hospital, coma, cti, traqueo, quarto, veio pra casa com GTT, hoje tem 3 anos e 4 meses, ainda nao anda nem fala, come normal pela boca, interage, faz sinal as vezes com os olhos ou mão, se equilibra sentado por alguns segundos, fica em pé apoiado pelo fisio e o meu marido, come de tudo pela boca, bebe sem engasgar, é tudo lento, temos que ter paciência e amor, muito carinho nele, cada caso é um caso, tem uns que se recuperam em meses, outros em um ano e outros em alguns anos, que é o caso do Guga, seu irmão vai melhorar e se recuperar, é só questão de tempo, nao pode esquecer de dar remédio para convulsão, tenha paciência e converse muito com ele, diga que todos os amam muito, e que falta menos que faltava, um beijo nele e outro pra vc.

      • Olá Lea.
        Meu irmão está nessa situação, interage pouquíssimo conosco, as vezes da risada das brincadeiras que fazemos, as vezes arranha, puxa cabelo. Enfim, nós tentamos vaga no SARAH, mas o recusaram. Disseram que o Diego não se enquadra aos tratamentos oferecidos pelo SARAH. Ai tentamos o Hospital aqui do Paraná, que chama Ana Carolina Moura Xavier, que deveriam atender casos como o do meu irmão, levamos ele até Curitiba (600 km de distância de onde moramos), e mais uma vez o recusaram. Nunca mais tentamos nenhum hospital, nos sentimos tão rejeitados, que não procuramos mais.
        Continuamos os tratamento aqui mesmo, com fisio, fono, hidroterapia e iniciamos a pouco com equoterapia.
        Sinto tanta saudade do meu irmão, mesmo que vivíamos brigando, isso me faz falta. Mas a luta continua, não é mesmo?!
        Grande beijo

  83. oi eu sou a Sandra mãe do Rafael,ele tem 20 anos, em maio o Rafael teve um acidente de moto, gravíssimo, teve TCE, com fratura de face, orbita, fratura parietal e base de cranio. Ficou internado 27 dias na UTI, O Rafael estava voltando do horário de almoço quando numa avenida super movimentada estava atravessando uma senhora, ao desviar para não atropelar a senhora ele desviou perdeu o controle e bateu numa arvore. Foi traque ostomizado, colocou dreno de tórax 3 vezes, fez decorticação pulmonar, teve duas bactérias multirresistente, Teve trauma de tórax com pneumotórax e hemotórax e broncoaspiração, fraturas de todas as costelas do lado E, e lesão e fratura de escapula, clavícula, teve glasgow 3 no local, decorticou e foi intubado no local devido a gravidade,. Para os médicos somente um milagre, mais eu estava esperançosa pois para o homem seria impossível, mais para os médicos dos médicos ainda seria possível. Me coloquei na presença do senhor, implorei, pedi a ele que deixasse meu filho permanecer comigo.Permaneci com ele 27 dias de UTI, e posteriormente e mais 15 dias no quarto , . Sofri muito por ser enfermeira e por saber o tamanho da gravidade, pois muitas vezes os médicos achavam que eu não estava sabendo o que estava acontecendo, mais na verdade eu estava sabendo de cada detalhe, mais ali eu estava de cedo a noite, dormia numa cadeira desconfortável a beira do leito, orava o tempo todo e pedia socorro ao ao medico dos médicos(Deus). Rafael veio para casa de sonda nasoenteral(dieta por sonda) traqueostomizado, não andava, não se mexia, com lesões neurológica do lado esquerdo mãos e pés, e braço. Hoje estamos com 7 meses após o acidente o Rafael come pela boca, detalhe o médico queria fazer gastrostomia porque disse que ele ia demorar 1 ano, para comer pela boca, um mês depois ja em casa sem sonda, comendo pela boca, sem traqueo um mes depois que estava em casa, , andando e falando. Tem alguns deficit neurologico, arrasta um pouco a perna D, a memoria tem lembranças do passado algumas e do presente não se lembra das coisas que faz. Teve crise convulsiva duas vezes e toma hidantal. faz fisioterapia, fono, psicologa, estamos na luta e precisamos de apoio, se alguem puder nos ajudar com a sua historia agradeço Sandra

  84. Oi pessoal que acompanha o Blog…. Que esse ano que se inicia não nos falte bons sentimentos, que nos sobre paciência, que sejamos capazes de enxergar algo de bom em cada momento ruim que nos aconteceu, que não nos falte esperança e nem vontade de sorrir, que não nos falte fé e amor. Todos vocês estão em minhas orações e pensamento! Obrigada por fazerem parte da minha história…. Grande beijo e um 2015 melhor em todos os sentidos… Estamos juntos!!!!!!! Fernanda

  85. Ola, sou nova aqui gente. meu irmão graças a Deus está recuperando mas quando senta na cadeira de roda as pernas treme muito alguém passou por isso o q sarou e demorou alguém teve LAD no fronto_parietal mmeu wathsap é+556285358200pois é mais rápido

    • Maria Divina, seja muito bem vinda!
      Quando me acidentei não mexia nada do lado esquerdo do corpo, precisei de cadeira de rodas no principio, não me recordo se minhas pernas tremiam, e minha mae não está aqui no momento para me informar, o que sei e pode te ajudar é que tive que fazer muita fisioterapia para voltar a mexer o lado esquerdo e aprender a caminhar, e após caminhar descobri uma fissura no menisco e tive que realizar uma cirurgia.
      Após a cirurgia meu médico pediu um exame que constatou que eu possuía somente 20 % de músculos na perna esquerda, e para recuperá-los tive que realizar hidroginástica e musculação especifica pós trauma, e o meu medico me informou que a falta de movimentação e o tempo internada me fizeram perder os musculos, pode ser esse o motivo da tremedeira dele, a falta de músculos! ele faz fisioterapia já? bju

      • Bruna ele esta no CRER em Goiás, os exames não deram nada só a RM micro hemorragias no fronto temporo parietal direito, sei la o q quer dizer ele não mexia nada agora mexe tudo, so não tem forças mas ele é novo, os médicos dizem ser espacidade

      • Olha o exame que fiz para verificar isso foi físico, junto a um fisioterapeuta no qual eu tinha que levantar um aparelho utilizando as pernas para medir minha força mas se disseram que é escapacidade, então acredite nos médicos, eu mesma não sei o que significa isso para tentar te ajudar!

    • OLÁ MARIA DIVINA!!!
      Eu conheço o CRER, é um lugar muito bom. Seu irmão está “em boas mãos”. A espasticidade acontece sempre que há diminuição da força motora. Não se preocupe, isso vai melhorar…

      Que bom que ele está se recuperando e voltou a mexer!!!!!! Fico muito feliz por isso!!!! A recuperação é lenta, mas ela acontece. Tenha paciência e não perca a fé… Pode contar com a gente aqui no Blog, o que pudermos ajudar, com certeza faremos…
      Um grande beijo!!
      Fernanda

      • Olá Fernanda e um ótimo dia a todos, q este ano seja melhor q o de antes .
        meu irmão acidentou no dia 19/04/14 as 23:45 no sábado de aleluia mas o Deus q sirvo é maravilhoso, ele só esta recuperando surpreendendo até os médicos, ele teve LAD no fronto temporo parietal direito não sei o q isso acarreta so sei q sua recuperaçao acontece o q nos preocupa é a traqueostomia deu estenose traqueal fundo cego mas um colega do blog mim deixou mais tranquila, os médicos de gyn disseram q é muito arriscada mas meu mano está na mão do criador e para ele os gigantes dos nossos problemas viram uma formiguinha fácil de resolver, obrigada e fiquem todos com Deus

  86. Fernanda, estou precisando de uma orientação, faz uma semana que tivemos que internar meu irmão em uma clinica psiquiátrica , tenho medo de ter feito algo errado apesar que a decisão não foi só minha mas sim de toda família , já fui visita-lo 2 vezes , a primeira foi dia 11/12 , no dia do aniversário dele , foi tudo muito tenso, pois pedia a todo momento para ir para casa, chorava muito e ficou muito nervoso, que teve que acabar com visita antes do horário. Hoje ele estava mas calmo pois falei para ele que nós ficávamos juntos com ele, já que a memoria dele não guarda informações , tivemos que inventar uma historinha. Ter que internar meu irmão foi a decisão mas difícil da minha vida, ainda choro muito, mas não tivemos outra alternativa porque em casa ele estava se machucando muito. Tive que marcar um psicologo para mim, porque não consigo me controlar parece que vou enlouquecer, se não fosse a minha fé em Deus já tinha enlouquecido. Tenho medo de está fazendo algo errado, a clinica parece ser boa, pelo menos meu irmão parece está sendo bem cuidado.

  87. No dia 19/04 meu irmão sofreu um acidente capotou o carro e saiu, bateu só cabeça teve tce grave ficou um mês em coma, hoje ele ainda está recuperando maele estava em coma vigil, agora ele responde através de gestos mexe todo o corpo mas ainda não fala, deu estenose traqueal fundo cego respirando pela traqueostomia e sonda, com 7 meses ele recuperou ele não conhecia so um olho aberto nao mexia, agora só falta anda e fala conhece todos e lembra de td mas a cirurgia disem ser de alto risco ele tem 21 anos, alguém tem algo parecido? esse blog é ótimo pois todos podemos passar por isso infelizmente ou felizmente pois assim conhecemos verdadeiro amigo e quanto Deus é maravilhoso

    • Fran girao. infelizmente nao consegui ler seu depoimento so até onde disse fazer uma cirurgia graças a Deus meu irmão não fez nenhuma, mas como vc deu estenose traqueal e. precisa de cirurgia q os médicos dizem ser d Alto risco queria saber mais de seu caso se tiver whatsap meu é 6285358200 ou outros q tiveram algo parecido com meu irmao, ele só tem 21 anos é o caçula da minha maezinha q sofre demais, hoje ele esta no CRER GOIAS

      • Oi Maria! A minha estenose foi diagnosticada poucos dias após chegar em casa, já com alta médica e sem a traqueo. Meu tio, que é médico, percebeu algo estranho na minha respiração e me mandou para um especialista, de onde já saí com a prótese.

        Fiquei por dois anos fazendo dilatações, para ver se resolviam o problema. Como não deram resultado, fiz a traqueoplastia, que removeu o pedaço “estenosado” da traqueia.

        Não sei se a cirurgia é de alto risco, jamais ouvi qualquer coisa a respeito. Aliás, pessoalmente, duvido que seja. Comigo, pelo menos, fiquei uma semana internado no pós operatório e pronto, nada mais aconteceu.

  88. Oi Fernanda

    Eu me chamo Christina e em 14/10/2005, meu filho foi atropelado enquanto andava de bicicleta. Ficou 18 dias em coma induzido( CTI) e 10 dias no quarto com traqustomia, teve duas paradas cardio-respiratória..
    Ele não anda, não fala, a comida é toda liquidificada (pastosa), consegue reconhecer as pessoas, sorri solta sons quando está incomodado, faz fono 1 vez por semana e fisioterapia 3 vezes por semana. Teve LAD, o cérebro inchou muito, mas depois de 1 mês no hospital saiu sem a traqueo, mas veio com sonda para se alimentar. Como eu moro numa cidade no interior de MG e não tem muitos recursos para ele. Li o seu acidente, e fiquei feliz pela sua recuperação. Ele tinha 10 anos quando aconteceu o acidente, e agora com dezenove, sua única rotina é ir para a APAE.
    No começo, fazia muitas atividades escolares com letras,cores ,números figuras em geral. Mas ele cansou. Tem alguma sugestão de atividades para passar melhor o tempo, do que ficar ouvindo TV ou música? Eu já li muitos livros para ele, pois não sei deixá-lo sozinho.

    • OI CHRISTINA!!!

      Ontem, antes de dormir, eu li seu depoimento e de madrugada, nos meu momentos de insônia, fiquei pensando em maneiras de poder ajudar seu filho a passar melhor o tempo, como vc disse…. Eu vou conversar ainda com alguns profissionais sobre o caso dele pra ver se consigo te ajudar mais, mas por enquanto, eu pensei em jogos no computador, pois existem muitos jogos hoje em dia que estimulam o cérebro, estimulam a atenção, a memória e inclusive são usados por muito terapeutas na reabilitação. Eu poderia ver pra vc nomes de alguns jogos legais pra idade dele, etc. Ele teria habilidade motora pra mexer no computador, por exemplo?

      Christina, estou viajando, mas semana que vem, encontrarei minha neuropsicóloga e verei com ela se tem alguma outra idéia e volto pra falar com vc….

      Grande beijo
      Fernanda

      • Oi Fernanda
        Obrigada por ter respondido. Infelizmente ele ficou com deformidades nos membros (tetraplégico). Só tem movimentos involuntários.
        Outra rotina que temos também, é dar uma volta pelas ruas do nosso bairro, toda as manhãs com muito sol de cadeira de rodas.
        Quanto aos jogos, nós compramos um tablet para ser mais fácil para ele( Ricardinho), mas ele não consegue fixar os olhos em um ponto muito tempo, tão pouco mexer as mãos.
        Obrigada pelo carinho e atenção.
        Bjs.

      • No dia 20 de Marco de 2013 Tina saido com amigos para jogar poker bebi fumei nada a muito stress ado no trabalho e chemo de dividas detalhe sou diabetico dependente de insulina tipo 1 na epoca era casado ha 20 Anos com uma situ acao financeira excelente na manha seguinte info levar as criancas para o colegio seta a com uma dor de cabeca horrivele resolving volttar a dormir de repented meu Filho mais velho me acordou papai levanta estamos atrasados foi qua do levantei e ja cai e so acordei no hospital Inc referencia Neurologica no mundo aqui em Curitiba. So me lembro da medica dozen do Gustavo vc tee um Avc hemorrhagic no qual acetone 40% do seu cerebro sua situacao e critica Ali vi que iris morrer albums minutos deposit minha espousal chorando desesperada sem rumo diz que meu avc hemorragico foi muito serio fui para Uti e fiquei por la uns 10 Dias foi qua do tiveavc um novo Avc na madrugada do dia 30 de Marco dressage vez bem Mais serio escutei o medico dizer reuna so familiares nao tem mais oque fazer ele vai morrer foi quando fechei meus olhos e pedi Senhor me de Mai’s uma chance Tenno familia filhos pequenos perdoe meus pecados e para minha surpresa na manha seta a de olhos abertos com minha familia ao meu redor pensei comigo Tenno muito o que fazer ainda fiquei Mais 20 Dias inter ado entubado tive que retirar a calota craniana para descomprimir o inchaco e ja na Uti comecei com fsioterapia para nao atrofiar o Aldo esquerdo que paralisou o braco e a perna fiquei Mai’s uns dez dias e tive alta fui para Casa fui recepcionado com festa pelaminha esposa e Pelo meus filhos Mai’s note I que Tina algorithm estranho minha esposa estava revoltada pois descobriu que minha empresa estava falida e que devia para muitas pessoas pois tb adorava mexer no mercado de acoes
        Resumindo home Moro com meus pais meu imperious de sabot home sou Aposentadoria por invalidez e minha esposa esta brigands comigo on litigioso queer do arrancar dinheiro dos meus pais

  89. MEUS QUERIDOS LEITORES DO BLOG…

    ALGUMAS PESSOAS, INCLUSIVE MINHA MÃE QUE SEMPRE ENTRA NO BLOG, SEMPRE DIZEM QUE É RUIM TER QUE ROLAR A BARRA LATERAL DIREITA PRA TODAS VEZ LER OS DEPOIMENTOS MAIS RECENTES E PRA QUEM FAZ ISSO PELO CELULAR ENTÃO, SE TORNA IMPOSSÍVEL PELA QUANTIDADE DE DEPOIMENTOS. PARA TENTAR FACILITAR PRA TODOS VOCÊS, TIVE A IDÉIA DE INVERTER A ORDEM DOS DEPOIMENTOS.
    PARA QUALQUER PESSOA QUE QUER ESCREVER UM DEPOIMENTO (QUE NÃO SEJA PARA RESPONDER PRA ALGÉM UM DEPOIMENTO POSTATO ANTES), AINDA É PRECISO ROLAR A BARRA AO LADO ATÉ O FIM PARA ESCREVER. MAS, ASSIM QUE O DEPOIMENTO FOR APROVADO, ELE AUTOMATICAMENTE IRÁ PARA O INÍCIO DOS COMENTÁRIOS, FICANDO OS MAIS RECENTES EM CIMA DOS MAIS ANTIGOS.

    ME FALEM SE AJUDOU OU SE VOCÊS PREFEREM DO JEITO QUE ESTAVA ANTES…
    DESDE JÁ, AGRADEÇO MUITO TODOS VOCÊS QUE ESTÃO SEMPRE AQUI COMIGO… BEIJOS,
    FERNANDA

  90. Fernanda, meu irmão teve um acidente de moto , teve um tce grave , fazem 4 meses , ficou na UTI 20 dias , mas somente 6 dias em coma , está voltando tudo normal mas a memória foi afetada , ele esquece até do que comeu a 1 minuto passado ou até menos, ele também teve problema na visão, já fizemos todos o exames oftalmo , mas ele não tem nada nos olhos, já estou ficando preocupada será que ele vai voltar a enxergar? os médicos não dão previsão e nem certeza. Alguém conhece algum caso parecido mim ajudem por favor, já não sei o que fazer, desde já obrigada.

    • Selma, boa noite!
      Eu sofri um acidente grave faz 4 anos, fiquei um mes em coma e tive TCE grave, tirando todas as dificuldades que tive, a principio eu perdi o campo visual e só enxergava o contorno das pessoas, isso me levou a confundir muita gente, meu pai é oftalmo e também não encontrava nada, após uns 2 anos minha visão voltou ao normal, com uma cirurgia espiritual, sou espirita, mas independente, ela foi melhorando aos poucos, creio que se não consta nada nos exames , a visão dele voltará ao normal, mas tudo leva tempo.. muito tempo.. para isso é necessária paciência! Melhoras!

    • OI SELMA…

      Como vc pode ler em várias histórias de pessoas que tiveram TCE aqui no Blog, a perda memória recente é uma “sequela” muitíssimo comum. Eu mesma (meu depoimento é o primeiro daqui), no início, passei por esta fase de esquecer coisas que tinha comido há minutos atrás. Hoje, minha memória recente não é boa como antes, mas já melhorou muito.
      A partir dos 6 meses até 2 anos depois do TCE, observa-se uma melhora grande em vários espactos que foram prejudicados por causa da lesão, não que depois esta melhora não aconteça mais, mas é bem mais lenta. Por isso, se a pessoa estiver em condições clínicas boas para um tratamento multidisciplinar, nesta fase é muito importante a estimulação, a reabilitação com fono, neuropsicólogo, fisio, terapeuta ocupacional, enfim, quais e quantos profissionais vai depender de cada caso, né?
      De que cidade vcs são?

      O TCE do seu irmão é muito recente, ele ainda vai apresentar melhora.
      A visão prejudicada também é comum acontecer após o TCE, o que depende do local e extensão da lesão no cérebro. No exame normal oftalmológico isso não aparece mesmo, eu tb ia em vários oftalmos e não dava nada, e ao mesmo tempo tinha muita dificuldade pra ler. É necessário um profissional mais especializado nesta área pra poder ajudar seu irmão. O problema meu estava na hora do meu cérebro processar o que eu via e não necessariamente em enxergar as coisas. O que vc quer dizer quando vc pergunta se seu irmão vai voltar a enxergar??? Ele fico cego? Ele não enxerga nada na frente dele? Me explique melhor…

      Leia aqui no Blog, na sessão “Informações importantes” que poderá ser útil pra vc e se possível, leia alguns depoimentos aqui também…
      Seja bem vinda ao Blog! O que pudermos ajudar, conte com a gente!!! Todos aqui estão sempre ajudando um ao outro….

      Grande bjo, Fernanda

      • Fernanda , obrigada pela atenção. O meu irmão fala que está vendo , mas não não identifica , pergunto pra ele , como está sua visão hoje , e ele responde está boa , então pergunto vc está mim vendo, então diz que não , então pergunto novamente, o que vc ver , ele fala que ver vultos , mais não consegue identificar o local onde estou , a não ser pela minha voz.
        Tive um problema de saúde justamente agora, tive que retirar a vesícula , então estou um pouco distante a uma semana, porque ele mora GO eu no DF , mas fica próximo . Então pedi para minha irmã ficar um dia com ele, ela falou que ele pergunta porque não estou indo lá , daí diante dessa pergunta eu vejo que a memória está voltando. Porque antes do acidente eu não ia com frequência , então de algum modo ele está guardando , mesmo eu falando com ele todos os dias ao telefone , ele sabe que não estou presente como estava antes, amanhã irei junto com a esposa dele leva-lo um exame , depois te conto . UM ABRAÇO (DESCULPA EU NÃO SEI ESCREVER MUITO BEM KKKK)

      • Fernanda , ontem levamos meu irmão para fazer novos exames, mas chegando na clinica ele ficou muito nervoso, e começou a reclamar que estava demorando, mas só tinha alguns minutos que tínhamos chegado, ele ficou tão nervoso que começou a bater em todos que estavam em volta não atendia ninguém que foi preciso chama segurança pra nós ajudarmos . Ele chora muito e diz que não aguentar , já levamos no psiquiatra , já até trocamos de médico ou seja de remédio também e nervosismo continua. Não sei o que fazer estamos desesperados.

      • OI SELMA…..

        Quanto ao nervosismo do seu irmão, como vc disse que ele já está medicado, o que poderia ajudá-lo muito seria mesmo uma terapia com neurpsicólogo que entende de lesão cerebral, TCE,…
        O que vc acha? Existe esta possibilidade?
        Bjos
        Fernanda

    • Selma, conversei com meu pai hoje que é oftalmo , ele disse que o ideal é passar num neuro oftalmologista que verificará se alguma parte cerebral do campo visual foi afetada… indicou um em SP, não sei de onde são.. ele também não sabe telefone, procure nogoogle. Dr Mateirio Luiz Monteiro, ou se não conseguir verifique com outro neurooftalmo.. bju

      • Bruna, meu irmão mora GO e eu no DF, mas fica perto, estamos fazendo tratamento em Brasilia , já fomos no neuro, neuro oftalmologista , psiquiatra e outros só que o problema maior no momento e que ele não fica calmo , mesmo medicado, ele se bate , temos que ficar com ele 24 horas , e é necessário 3 pessoas para segurar , porque 1 ou 2 não consegue , porque ele bate em qualquer um , já bateu até em meu pai acredita , fizemos vários exames , só faltou um (angiografia cerebral) este ele não deixou fazer, porque tem aplicar o sedativo e ele não deixa, pergunta para seu pai se este exame é importante, desde de já obrigada.

  91. Genteeeeeeee, como estou feliz em ter tido resposta de voces, Bruna e Fernanda, estou me sentindo amiga de vcs.. Gildete vc escreveu para alguém chamado Denise, mas me identifiquei muito (talvez vc tenha ate se confundido no nome), como disse estou mt frustrada com a questão da traqueo.. justamente porque meus pais tbm moram numa cidade mt pequena sem estrutura, mas tenho fé que ainda talvez ele saia sem ela.. são 35 dias com ela, talvez ainda de tempo, tenho fé também que em casa ele ficará melhor.
    Fernanda, li sua resposta para minha mãe, ela adorou saber que estou mantendo contato com vc, ainda mais por ser fono.. E A BOA NOTICIA É QUE ELE RECEBEU ALTA DA SEMI-UTI, só esta esperando vaga em um quarto, (o hospital atende o norte do estado todo), vocês sao iluminadas e emanaram positivas vibrações. Como disse estou começando a conseguir ficar alegre com essas noticias, poxa eu deveria estar dando pulos de alegria pois ele poder estar com a gnt faz toda a diferença, mas também me vem o medo.. Meu Deus! Será que vamos conseguir? E se começar tudo denovo, acho que preciso ser mais positiva!

    Enfim, este blog está me fazendo muitíssimo bem, estou super animada e queria muito fazer parte de um grupo que ajude as pessoas que sofrem esses traumas, mas acho que primeiro preciso ser ajudada, assim como estou sendo por voces!
    Quando recebi a noticia da alta, na hora pensei…. Aiiiiiiii, preciso contar pro pessoal do blog, porque tenho a impressão que todos fazem como eu.. toda hora venho ver se tem depoimento novo.

    Creio que o pior já passou, e ontem ele até tomou suco no canudinho pra estimular…

    SE MAIS ALGUEM TIVER EXPERIENCIAS COM A TRAQUEO, por favor me digam, me contem, isso era tão longe da minha realidade, e ele não consegue ainda entender que aquilo é pro seu bem, ele já arrancou ela duas vezes.. talvez ele entenda, tenho fé que sim, mas e se nao entender?? Como vamos ficar segurando a mão dele por meses??? Estranho pra mim isso! Willyan sempre foi muito saudável, e nunca tivemos um acompanhamento tãããão assim com ele em relação à medicos, tipo com 16 anos so havia ido no neuro uma vez, nutricionista, fono e fisio mais quando criança.. Mas por outro lado, ele teve uma infancia normal, livre de “rédias”, sem demonstrar qualquer diferença em sua educação.. Ele conhece todas as letras, porém ainda não consegue juntá-las e ler uma palavra, escreve o nome dele.. agora terá de reaprender tudo, (ainda mais porque era canhoto e foi o lado mais prejudicado), quero muito que ele fale logo.. deve ter tanto à perguntar.. Faço curso superior de pedagogia so por causa dele!!! Tenho 21 anos!
    Uma vez ele cantou em um palco na festa da cidade para mil e tantas pessoas, ele é “famoso” na cidade onde mora.. ai que saudade do meu cantor, ele tem um teclado e toca da maneira dele, toca gaita na maneira dele.. vc iam adorar conhece-lo, ainda mais vc FERNANDA que já teve a honra de conhecer pessoas tão especiais..

    Bem, falo demais, rs!! Se pudesse colocaria aqui tudo o que sinto, tudo o que vejo, e tudo o que desejo.. Como queria meu bebezao devolta, eu ia fazer tanta coisa por ele que ainda nao fiz!

    Enfim, sempre estarei por aqui.. aliás todos os dias, e por favor me contem sempre qualquer dica, qualquer uma!!

    Muito obg, bjs a todos!
    Att
    Day!

    • DAY, MINHA AMIGA QUERIDA… rs
      Estou muito feliz em saber que seu irmão recebeu alta e está esperando vaga para ir para o quarto! Vai dar tudo certo, confie!!!! Eu não tenho dúvidas que vcs conseguirão fazer tudo que for preciso com ele…
      Não suma daqui, dê notícias…
      Beijo grande
      Fernanda

    • Oi Dayane!

      Eu sou o Fran Girão, de SP, e sofri um TCE em outubro de 2005. Noves fora serem coisas diferentes, tanto o TCE quanto o AVC bagunçam nosso cérebro. Veja se consegue acessar ao meu depoimento em https://drive.google.com/file/d/0B_elPZcJD6ohbmw4LW9CM3lFVWM/view?usp=sharing

      Como muita gente aqui, também enfrentei “a tal da traqueo”: o problema é que ela ganhou de mim por um bom tempo, e só me livrei desse troço cerca de dois anos depois de colocá-lo.

      A prótese (que o pessoal chama de “traqueostomia”), em si, não é o problema – ela é até necessária. Evita também que o paciente fique entubado durante muito tempo, o que foi o meu caso e me causou uma “estenose traqueal”. Por causa dela, que é uma espécie de “estreitamento” da traqueia, é que eu tive que permanecer com a traqueo durante todo esse tempo.

      Durante o tempo de internação, também arraquei a prótese inúmeras vezes. Chegaram a dizer que amarrariam meus braços à cama, mas minha mãe não permitiu.

      Não era questão que eu não entendesse como se a prótese fosse necessária. Aliás, eu até sabia que sim. A coisa é que eu nem percebia quando estava arrancando aquele negócio da minha garganta, simplesmente tirava. Sofria horrores para colocá-la de volta, e a cada vez jurava nunca mais tirá-la, mas não sei porque eu me esquecia e arrancava aquele cano.

      À parte disso, deixa eu contar uma coisa: a “traqueo” é um alívio para nós, pacientes. Parece meio invasivo, incômodo, “violento”, mas é um mal necessário. Porém, para isso, são necessários alguns cuidados, como a constante limpeza da prótese.

      Não se preocupe em tirar e colocar o caninho, pois ele não causa dano algum. Somente se atenha a limpá-lo corretamente com soro e uma escovinha.

      A parte “interna”, eu limpava injetando soro fisiológico com uma seringa. Provoca tosse violenta, mas resolvia.

      Bom, moça, sinta-se à vontade para tirar suas dúvidas.

      Fran

    • Dayane, gostaria de te informar que pelo que me contam eu não arrancava somente a traqueo, tentava arrancar todos os aparelhos, meus pais me disseram que tiveram que fazer o que não gostariam nunca, me amarraram a cama, claro sem machucar, somente para me impedir de tentar arrancar tudo pois ia ser pior para mim! bju e paciencia!! =)

      • Gente, quero agradecer muito à voces.. Fran, Bruna, Fê.. E a boa noticia é que ontem mesmo eles tiraram a traqueo e começou o desmame. ele já está sem nenhuma pois a traqueia ja havia começado a fechar.. Está respirando pelo nariz e pela boca, sem ajuda de aparelhos não é demais!!! Agora o que me preocupa é que a perna esquerda que está sem muita movimentação (pois ele meche ela quando a gente pede), está muitissimo inchada, tenho medo de haver alguma complicação do tipo trombose essas coisas, será que ficar acamado causa isso? Ele também já começou a querer falar, ontem disse que queria comer batata. kkkkkkkkk, ele é um amor, estou muito feliz e sei que Deus não irá permitir nenhuma complicação, tomara que essa perninha inchada seja apenas da circulação mesmo..

        Esse blog me fez aceitar o que aconteceu com ele, e me dispor a pensar so no bem! Willyan é um guerreiro, ele se esforça muito, esta comendo tudo o que damos, toma os medicamentos certinho, acho que essa missão era dele, era de mostrat a minha família que nada somos sem amor, sem Deus e sem a família! Lá em casa já começamos os preparativos para ele chegar, estamos equipando melhor o quarto dele, colocando um ar melhor e uma tv.. Estou super ansiosa!!!
        Ficar com ele parece ter sido um dos maiores motivos da sua evolução.

        Portanto quero dizer que não desanimem nunca, pois por maior que sejam nossos anseios DEUS SABE DE TODAS AS COISAS!

        Bjs, volto sempre por aqui!!!!

  92. Boa tarde, estou há dois dias lendo todos esses depoimentos e me preparando ara escrever o meu depoimento, me senti a vontade nesse blog, pra falar de um assunto um pouco diferente, no caso um AVC. Com o nome do blog sendo “Meu cerebro mudou”, achei que aqui poderei aliviar meu sofrimento com tantas histórias de superação..
    Meu irmãozinho tem 16 anos e é portador da Síndrome de Down, uma criança muito linda, saudável, esperto, inteligente, e era feliz! Estudante da 8ª série do ensino medio no ensino regular. Ele sofreu um AVC, o que mudou todos os planos na nossa familia. Na semana que tinhamos uma viajem marcada, ele começou com vomitos, minha familia é de Boa Esperança, uma cidadezinha do interior do Espirito Santo, lá ele sofreu um descaso, onde ficou internado uma semana, tomou um medicamento que deu uma alergia muito forte, mas té entao ninguem imaginava que seriam os primeiros sintomas de um AVC. Foi internado na segunda, na quinta teve alta, em casa ficou estranho disse que sua orelha estava mole, minha mãe ainda confusa esperou ele dormir a noite em casa. Na sexta de manhã ele acordou todo duro, falando bem pouco, e meio asustado, só queria ficar deitado. Foi transferido pro Hospital Roberto Silvares, um hospital estadual na cidade onde moro que é São Mateus, aqui ele teve acesso a mais recursos, deu entrada ás 10:30, depois de uma hora de viajem em uma ambulancia, onde nao veio nenhum enfermeiro acompanhando, sem nenhum recurso, sem ser avaliado por ninguem DESCASO TOTAL, meus pais sempre muito carinhosos e cuidadores acompanhou ele até a hora que ele entrou no hospital, logo um medico o analisou e disse que os sintomas era de um AVC já que ele havia paralisado o lado esquerdo do corpo, e sentia dores na cabela do lado diretito. Porém fizemos uma tomografia e nada foi constatado, fizeram também o exame de meningite, e tambem nada foi constatado.. Com o passar das horas eu e ele na emergencia a situação foi ficando pior, começaram umas crises estranhas e ele olhava pra mim pedindo socorro com os olhos, nem gosto muito de lembrar desse momento.. ficou assim até às 18:15 do mesmo dia, perceberam então que a situação estava fora de controle pois a saturação do O2 estava muito baixa e os batimentos oscilavam de 170 a 40.. Até que meu esposo chegou e aumentou o tom de voz falando que se nao tirassem ele dali ele iria morrer em meus braços. Graças a Deus teve uma vaga na UTI, lá ele ficou entubado e sedado por 2 dias, no segundo dia ele ja abriu os olhos e o desespero dos meus pais era se ele ia reconhecer eles (até então nada havia constatado nele, nada no crânio e nada de nada), ao abrir os olhos e ver meus pais desceu uma lágrima. Uffa! Reconheceu a gente, e assim foram aumentando as expectativas, a esperança e também o medo. Foram 23 dias na UTI, no nono dia ele foi submetido à traqueostomia, pois com a entubação ele contraiu uma pneumonia, daí a traqueo ajudaria no processo de eliminar a secreção e tambem para conforto dele.. realmente observamos que ficou mais confortavel, teve alta da uti e ficou 5 dias no quarto da Clínica Médica, onde nós pudemos ficar com ele, mas nao foi a maravilha que imaginávamos, foram apenas dois dias de calmaria, ele estava trocando a noite pelo dia, minha mãe passava a noite inteira do lado da cama dele pra nao precisar deixá-lo amarrado, mas na verdade estava tendo crises convulsivas, e as enfermeiras achando tudo normal, pois ele queria a todo tempo arrancar a traqueo que está incomodando muito ele. 5 dias foram o suficiente para ele pegar uma infecção considerada “comum” em hospitais, no quinto dia ele teve uma queda muito grande na saturação, e lá estava eu denovo na emergencia com ele, vendo o mesmo filme passar.. Logo com uma massagem da fisioterapeuta ele foi recuperando, passou ainda uma noite na emergencia, e no dia seguinte teve vaga em uma SEMI-UTI, não tinha vaga na UTI. Hoje fazem 12 dias que ele está nessa SEMI-UTI, e tem apresentado melhoras, lá foram realizados mais exames, com a infeccao a imunidade baixou a pneumonia voltou, foi realizada mais uma tomografia, a 4ª que ele faz, e nessa foi constatado um AVC, (segundo os medicos até então o cerebro nao apresentava nada) até então isquemico.
    Depois dessa notícia meu mundo terminou de cair, desde o dia 10/10/2014 minha vida e da minha familia nunca mais foi a mesma, por mais que tento nao consigo me sentir feliz. Hoje fizemos a primeira tentativa dele falar, tapamos a traqueo mas ele nao falou, apenas mexeu a boca, não conseguiu fazer a força pra sair o som. Estou tão abalada, são 39 dias sem falar, sem andar.. sem se divertir.. os amiguinhos da escola ligando… Por favor, me diga FERNANDA, como foi ficar com a traqueo.. o Medico disse que se ele continuar reagindo bem, pois ele responde aos estímulos, joga beijo, balanca a cabeça pra sim ou não, entende tudo.. mas nao consegue se comunicar muito.. que ele talvez provavelmente irá com a traqueo para casa, e isso me abalou muito.. Será que vamos conseguir administrar uma traqueostomia???
    Sou muito confiante em Deus, ainda mais vendo historias como a sua, que além de tudo perdeu familiares… Por favor me ajude a superar esse trauma.. o problema e que o hospital onde ele está é bem escasso sabe, poucos enfermeiros, pouco tempo com o fisio, nao tem fono e nem posso contratar pois eles nao deixam.. vou ver se consigo articular isso, dizem que uma fono é essencial para ele falar… Estou tão ansiosa, uma pena noa poder colocar uma foto dele pra vc ver que lindeza..
    Conto com a ajuda e apoio de todos!

    Att.
    Dayane Lopes dayflopes@gmail.com

      • Dayane, fico emocionada em ver o quanto voces se importam com seu irmão apesar de ser uma pessoa especial! acho isso lindo
        Tentem mudá-lo de hospital, não é possivel? algum lugar que tenha maior estrutura… te digo que independende do causa lesões cerebrais são demoradas e muitas vezes não desparecem , mas tem uma ótima melhora, só persistirem! muita saude a ele e melhoras a voces! bju

      • Por favor Fê. não deixe de ler meu depoimento.. acho que exagerei nas palavras mas foi um desabafo.. primeira vez que escrevi sobre isso.. a todo momento venho ver se você ja me respondeu. rsrs.. estou ansiosa.. bjs

      • QUERIDA DAYANE…

        Eu vi seu depoimento ontem, mas não consegui ler… Mas, hj estava com vc na minha cabeça e ia te responder…. Fiquei sem dormir à noite (minhas noites de insônia) e não tem muito tempo que estou acordada e “bem”…
        Nossa Dayane, juro que queria te dar um beijo e um abraço bem forte assim como no seu irmão. Eu sou fono, mexia com a área da audição, mas sempre tive um carinho especial pelas crianças e adultos com Síndrome de Dowm, inclusive até há pouco tempo eu fazia um trabalho voluntário numa instituição só de Síndrome de Down. Enfim, consigo imaginar o sofrimento enorme seu e da sua família…. E eu tô revoltada com o descaso dos médicos que o atenderem no início e com a saúde precária do nosso país. Isso é UM ABSURDO E DESUMANO!!!! Me revolto tanto com isso que vc nem imagina….

        Minha querida, como posso te ajudar???? Fale que eu tentarei fazer de tudo! Quanto à sua pergunta com relação à traqueostomia, eu não tive uma boa experiência, mas vou te dizer por que. A traqueo não dói e facilita a respiração de tal forma que eu tive muito medo quando o médico disse que eu sairia do hospital sem a traqueo. Como respirar sem ter esse buraquinho pra me ajudar??? Era isso que eu pensava e se na época eu pudesse ter escolhido, eu ficaria com ela de medo de ocluir o buraco, entende??? Louco isso. Mas, ao mesmo tempo, a traqueo foi um trauma pra mim por causa de alguns enfermeiros que não tinham muito cuidado ao passar a cânula pra limpar aquela secreção que sempre junta e atrapalha a respiração, sabe? Qdo era uma pessoa cuidadosa que aspirava, beleza, senão, eu chegava a vomitar durante a aspiração, pois sentia que machucava. Mas eu conheço muitas pessoas que fizeram traqueostomia e sei que esse trauma não faz parte da maioria delas. Eu atualmente, fiquei próxima de uma família linda que eu aprendi a amar (só conheci eles depois do acidente da filha) e a menina de 29 anos que sofreu o acidente de carro, está em coma vigil há quase 2 anos e teve que ir para casa com traqueo, se alimentando com sonda etc. Estou te contando isso porque a mãe dela pediu, ainda no hospital, para os enfermeiros ensinarem ela a aspirar a traqeo e ela mesma faz na filha dele todos os dias com muito amor e cuidado. Desde o hospital é ela quem faz. Ela disse pra mim que é muito simples, que não há segredo nenhum, e ela fazendo ela sabe que está fazendo sem pressa, com todo cuidado e a filha fica super tranquila. Não se preocupe com o fato do seu irmão ir embora pra casa por enquanto com a traqueo, isso se resolve e vc ou sua mãe ou qualquer outra pessoa de confiança pode fazer isso pra ele. Se acalme!!!! Sei que pedir isso parece ridículo e incompreensivo, mas não é. A estimulação com fono é importante, mas não precisa ser imediata, pode esperar o quadro clínico dele melhorar um pouco mais, vcs saírem do hospital, já que o médico disse que isso acontecerá em breve. Calma, uma coisa de cada vez, senão vcs vão ficar loucos, tudo já é muito sofrido e vcs estão fazendo o melhor que vcs podem pelo seu irmão.

        Dayane, quero que vc me mantenha em contato e me responda aqui no blog se vc viu minha resposta e no que mais eu posso te ajudar. Por favor, me dê notícias!

        Fica com Deus e muita força, fé, amor, … as coisas vão melhorar, acredite nisso!!!!!!
        Beijo enorme no seu coração,
        Fernanda

        OBS: Tente postar foto do seu irmão aqui!!! As pessoas já conseguiram postar vídeo.

    • Denise, li seu depoimento e hoje sei como é difícil essa situação, pois, em 21/05/2014, meu sobrinho de 15 anos teve um acidente de moto, onde teve TCE gravíssimo ficou 40 dias totalmente sem esperança de sobrevivência, além do tce, teve pneumunia, pegou uma bactéria/ infecção hospitalar gravíssima, mas não vou relatar tudo depois vcê da uma lida em meus depoimentos. Ele ficou uns 55 dias, com a traqueo, aí o médico disse que ele iria p/ casa c/ a traqueo ficamos loucos, pois, moramos em uma cidade pequena sem nenhuma estrutura, mas pegamos firme na oração e na véspera da alta dele, conseguiu tampar e tirar a traqueo. Nossa ficamos loucos na semana que ele iria receber alta, como vamos fazer, pois, ele alimentava com sonda, não falava, movimentava apenas com o pé esquerdo, não tinha nenhum outro movimento, mas quando chegou em casa Deus nos deu forças e sabedoria p/ lidar com tudo isso. Em menos de um mês que estava em casa começou a falar, reconheceu todos nós, com 40 dias tirou a sonda de alimentação, lembrando que as sessões de fono foram essencial na recuperação, ele começou a movimentar apenas o lado esquerdo, mas hj com a ajuda de Deus e da Fisioterapia, já está começando a andar sozinho, a única coisa que nos preocupa hje é a visão, pois, levamos ele em um retinólogo e ele disse que meu sobrinho estava cego, ficamos arrazados, mas entregamos p/ Deus, essa semana ele está começando a enxergar em alguns momentos, estamos muito felizes, mas te falo uma coisa é tudo muito difícil, se não tivermos muita fé, ficamos loucos e te falo ainda a recuperação em casa é muito melhor do que no hospital, o carinho da família é essencial na recuperação. Entregue seu irmão p/ Deus porque ele não desampara ninguém e lembre-se nenhuma obra de Deus é incompleta.
      Um forte abraço!!
      Fique cim Deus, qualquer coisa pode contar comigo. Gildete

  93. Olá, sou a Valquíria, tenho 38 anos e frequento o CPN desde agosto deste ano.
    Conhecer os integrantes do grupo foi importante porque pela primeira vez não me senti um ET. Lembro de ter dito isso aos meus queridos colegas de grupo, Fernanda, Renata, Fran, Vitória, Eduardo, Bruna e Sonia, no meu primeiro dia de reunião. Senti-me acolhida e percebi que as dificuldades do pessoal do grupo eram as mesmas que as minhas.

    Como todos aqui, sofri uma lesão cerebral, mas a minha foi devido a um tumor no lobo frontal esquerdo, diagnosticado em maio de 2011. Meses antes de o tumor ser diagnosticado, iniciei com terríveis dores de cabeça, que inicialmente eram mais espaçadas e depois se tornaram cada vez mais fortes e frequentes. Trocava palavras, comecei a falar muito lento e esquecer as coisas. Na época eu cursava Doutorado em Anatomia e passei a cometer várias gafes com os termos anatômicos, conceituais e contextuais, coisas que antes não aconteciam. Passei a ter de fazer um esforço mental muito maior para preparar uma aula, ler e escrever, por exemplo.

    Depois de seis meses para baixo e para cima em médicos e de ter de ouvir um deles dizer para eu esquecer a minha dor (!!!), fui atendida por uma pediatra que finalmente valorizou as minhas queixas. Mas somente um mês depois é que consegui uma tomografia computadorizada, que confirmou aquilo que eu já havia sugerido ao médico que me pediu para esquecer minha terrível dor de cabeça: era um tumor cerebral.

    Uma semana depois fui operada e, para quem é submetido a uma cirurgia dessas, saí muito bem. Passei por tratamento de quimioterapia, e ainda continuei e concluí o Doutorado. Seis meses depois consegui um emprego em uma Universidade, voltei a ministrar aulas e foi nesse momento que senti minhas maiores dificuldades. O meu desgaste no trabalho, no deslocamento de casa ao trabalho, na preparação das aulas era imenso, sem falar dos lapsos de memória e gafes que cometia. Meu corpo pediu água: em agosto do ano passado tive uma recidiva, ou seja, o tumor voltou. Em fevereiro deste ano fui, então, submetida a uma nova cirurgia. Saí viva de novo, com a Glória do Senhor, que guia as mãos do meu neurocirurgião!

    Uma sequela que não mencionei ainda é o fato de que passei a rir e sorrir mais do que o normal. Dou risada até daquilo que não tem graça (será que é porque estou viva depois de tudo isso?). Na minha última avaliação neuropsicológica, a psicóloga pediu que me segurasse mais e que fizesse o seguinte exercício: “tente ficar 24 horas sem rir”. Não consegui.

    Agora, falando como fisioterapeuta especialista em Neurologia, a recuperação e a reabilitação fazem parte de um processo diário que durará para sempre.

    Espero ter contribuído em algo, e estou à disposição para aqueles que queiram compartilhar suas experiências ou que tenham alguma dúvida.

    Grande abraço a todos!
    Valquiria

  94. Oi gente a dias era para eu ter voltado aqui mas não deu..Mas venho hoje para lhe contar sobre o Rodrigo meu namorado e dizer para que nunca,nunca mesmo percam a fé pois Deus salvou o meu namora onde eu,meus familiares, amigos e pessoas que jamais vistas anteriormente presenciaram um milagre de Deus.É o seguinte como dito anteriormente ele sofreu TCE Marchal 3 acredito que muitos de vcs já ouviram falar (a probabilidade de acordar é mínima algumas pessoas acordam com 6 meses,outras 01 ano e outras vegetam para todo sempre) e com Rodrigo foi tudo ao contrário hoje após 53 dias ele está mais que acordado entendendo tudo,respondendo a todos os comandos e reconhecendo todo mundo.Sábado foi o dia mais emocionante para mim cheguei no hospital e pude ver a melhora estampada nele,pois pediu para levantar e conseguimos senta-lo na poltrona (chorei de tanta emoção) pois os médicos haviam tirado toda nossa esperança alias tentaram tirar neh rs e para minha felicidade se completar no domingo ele pediu papel e caneta peguei e sem falar nadinha com ele, escreveu seu nome e sobrenome rsr isso foi maravilhosos uma obra de Deus foi ai que percebemos que o raciocínio dele esta ótimo e ontem para completar a grandeza do Senhor após mais de 50 dias gente 50 dias acamado ele deu alguns passinhos e pode tomar banho de chuveiro foi muita emoção.Portanto pessoal a minha experiência é essa nunca mas nunca percam a fé adorem ao Nosso maravilhoso Deus como diz um hino Esperem no Senhor mesmo quando a solidão e seu peito machucar…Pois Rodrigo é uma obra do Senhor ele foi dado praticamente como morto e hoje já tem previsão de alta daqui 15 a 20 dias vejam se isso não é um milagre.Bem estou indo feliz mas volto para contar sua reabilitação em casa em nome de Jesus.E não desistam nunca de lutarem tá.Deus ama seus filhos e tudo que se pede com fé acontece…Bjs Felicidade transborda…

    • Jaqueline, é muito bom ouvirmos noticias boas a respeito de pessoas que sofreram algum trauma, qualquer que seja ele, estou muito feliz por voces! e garanto que muitas pessoas aqui também estão! melhoras!! =)

    • Bruninha :****

      Há uma ou duas horas estava passando, por acaso, em frente ao Habib’s onde a gente foi. Lembrei de você, da sua mãe e do Rapha – que anda escrevendo no grupo do Adiel, no Facebook – e pensei em como vocês estão. Espero, mesmo, que muito bem.

      Beijo, anjinha.

  95. Oi pessoal!

    Pensei em escrever no dia 16 de outubro, mas infelizmente não consegui. Tinha escolhido essa data por ser a dos meus “aniversários”: um ano desde que conheci o blog, nove desde que sofri o TCE/LAD.

    Como já te disse algumas vezes, Fê, inclusive pessoalmente, eu sou muito agradecido por você ter continuado com o blog depois que o primeiro grupo do CPN se desfez. Não tenho a menor dúvida de que pude melhorar nesse ano muito mais do que nos oito anteriores. Não fisicamente, não é isso: me refiro mais a como me vejo, a como posso me perdoar por ter sofrido o acidente, à sensação de pertencimento por ver que existem muitas pessoas no mundo que passaram e passam pelo mesmo que eu.

    Nesse ano, pude conhecer diversas histórias e foi inevitável relacioná-las com a minha. A maioria delas, pelo que vejo, possui uma sequência que raramente foge de: “como/quando ele(a) vai acordar?”; “acordou, e agora, quando vai voltar ao normal?”; “mas, então, já passou muito tempo, vai voltar ao normal?”; “pode ser que não volte, mas está muito melhor agora em relação ao que estava depois do trauma”; “o(a) … fez isso ou o(a) … fez aquilo, que alegria!”…

    No final, acreditem, demora um tempão mas com poucas – pouquíssimas – e tristes exceções, o final é feliz.

    É assim com a Bruninha e o Rapha, com o Adiel e seu Yanzinho…

    Aprendi também que existem graus de TCE – ou seja, minha lesão e minhas sequelas nem sempre vão ser iguais às de outra pessoa.

    Bueno, bejim no 6.

    Fran

  96. Eu sofri um acidente de moto meu braço ficou enchado mas não quebrou, mas do meio do braço aos dedos não sinto movimentos. Queria saber se isso é normal. Não tive nenhuma fatura segundo diz os médicos não quebrou nada só o braço que não tenho movimento.

  97. Sou a Sônia e em dezembro de 2007, tive um aneurisma e em seguida, um AVC. Meu depoimento está aqui no início, quem quiser ler…

    Com muita persistência e aprendizado estou tentando usar o PPP na minha vida (ensinado aqui no Blog na sessão “Estratégias úteis”). Toda vez que percebo que estou acima dos meus limites, prestes a tomar alguma atitude mal fundamentada, lembro do PPP. Aprendi a parar, pensar e planejar (PPP) com a ajuda da psicóloga Anair Rodrigues e do grupo de reabilitação cognitiva formado e supervisionado por ela no CPN. Foi lá, graças a Deus, juntamente com a psicóloga e meus amigos da terapia cognitiva, Fernanda, Renata, Alex, e o Sr Nelson que aprendi estratégias para lidar com minhas dificuldades e consegui reencontrar o meu cérebro novamente. Quero agradecer aqui em especial, o meu amigo Sr. Nelson Valente por estar sempre pronto a me ajudar, um excelente ouvinte, conselheiro, amigo e que sempre foi uma pessoa extremamente humana, experiente, sábio e um homem que superou vários obstáculos, praticamente “mata um leão por dia”… Agradeço todos os dias por ter tido essa oportunidade e esses amigos maravilhosos.
    E no meio a esse aprendizado diário, uma amiga minha me disse a frase abaixo pela qual tem me ajudado muito também e portanto, resolvi colocá-la à disposição aqui no blog, pois é uma frase de superação, reflexão e de fácil compreensão. São três regras básicas: “Não prometa nada quando estiver feliz; não responda nada quando estiver irritado; não decida nada quando estiver triste”.

    Beijos a todos e espero ter ajudado.
    Sônia

  98. Boa tarde! Sou Gildete a tia de Lucas Matheus César Macêdo de 15 anos que sofreu TCE em maio/2014, gente Lucas está muito bem, já consegue andar sozinho, porém aquela sequela na visão que havia postado antes no blog, ontém levamos ele em um retinólogo e foi diagnosticado que Lucas está cego, estamos desesperados diante desse resultado, é muito difícil para acreditarmos nisso. Me ajudem alguém já viveu algo assim, ainda acreditamos que ele enxerga em alguns momentos, pois, ele consegue acertar os gestos que fazemos na frente dele.

    Obrigada!!

    Gildete

    • Oi Gildete não conheço você mas falo o seguinte,sei que é difícil lhe dar com essas situações estou vivendo um momento muito difícil na minha vida também provavelmente vc deve ter lido minhas publicações.Pense no seguinte Deus não faz a obra incompleta tenha fé e ele ira se recuperar aos poucos irei orar por seu sobrinho,ore também se humilhe aos pés do Senhor e Ele lhe dará uma resposta.Aprenda a lidar com essas situações procure um psicólogo para lhe ajudar inicialmente e o melhor Deus já deu ao seu sobrinho a vida.Limitações infelizmente ele terá mas pense quantas pessoas sobrevivem sem enxergar é difícil muito,mas a dor será menor se você aceitar e aprender a lidar com tal situação tenha fé querida Deus irá lhe dar consolo e sabedoria.Bjs to aqui se precisar de um ombro amigo é só me falar.Fica com Deus tah e não fique triste pense no que disse a você.Como diz a palavra:
      Confie no Senhor de todo o seu coração
      e não se apoie
      em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor
      em todos os seus caminhos,
      e ele endireitará as suas veredas.
      Provérbios 3:5-6
      Reflita a respeito…Bjs

  99. Oi Fernanda o Rodrigo tem 31 anos ama esportes radicais e infelizmente aconteceu tudo isso,essa semana ele até levantou da cama na UTI acredia???Não sabemos ao certo se foi um surto relacionado a sequelas ou se simplesmente foi um surto passageiro.Espero eu que seja passageiro mas ele está se recuperando e tenho certeza que ainda darei meu depoimento com ele aqui ao meu lado contando nossa história.BJus…

  100. Oi pessoal meu nome é Jaqueline amei encontrar esse blog pois posso dividir meu sofrimento,angustias e vitórias com vcs…é o seguinte a exatamente 45 dias atrás meu namorado sofreu um acidente de bike e teve politraumatismo craniano frontal e bilateral TGE GRAVE entrou em coma profundo por alguns dias,fez 3 cirurgias no cérebro,pegou infecção hospitalar 3 vezes e ainda se encontra na UTI o caso ainda é complicado mas ele está se recuperando bem lentamente,é dificil lidar com a situação principalmente pq ainda não sabemos ao certo se ele terá sequelas mas o que posso dizer para ajudar vcs,pra mim tudo é novidade jamais havia passado por tal situação a maneira que encontrei pra entender o caso foi estudando e muito, mas Fé é a única coisa que posso dizer Deus simplesmente salvou a vida do meu namorado cheguei a ouvir dos médicos que um lado dele estava desfalecendo e hoje 45 dias após ele está sendo considerado surpresa para medicina,tá vendo como Deus é maravilhoso e maravilhas ele faz basta orar e pedir discernimento,paciência e sabedoria pois com o poder da oração tudo podemos.É isso pessoal hj to um pouco na correria mas ainda voltarei aqui e contarei toda história do meu namorado e com fé em Deus as nossas vitorias também fiquem com Deus tenham sabedoria que no final tudo dará certo.Bjs obrigada e até breve.

    • OI JAQUELINE…

      Bem vinda ao Blog! Obrigada por compartilhar conosco um pouco da história do seu namorado e é muito bonito ver a sua fé….
      É isso mesmo, não podemos perder a fé nunca!

      Quantos anos seu namorado tem? Depois volte mesmo e nos conte mais sobre o que aconteceu…
      Um grande beijo e uma boa recuperação pro seu namorado, viu?
      Fernanda

  101. Olá, meu nome é Allan. Há pouco mais de 4 meses (12/06/2014, precisamente), meu pai sofreu um acidente: caiu de uma laje, em uma construção, ocasionando em TCE. Passou por cirurgia e, desde então, encontra-se internado em UTI.
    Após um mês e 15 dias, mais ou menos, acordou e permaneceu, por 3 dias, gesticulando com a cabeça e mostrando boa compreensão das perguntas e comandos que fazíamos, inclusive, fechando os olhos quando pedíamos e levantando os membros. Após isso, infelizmente, sofreu queda de consciência, provavelmente por infecções e não voltou mais a apresentar a mesma consciência como aquela de antes. Sofre com infecções e, por algumas vezes, abre os olhos e os direciona para quem fala com ele, mas apresenta dano no olho direito. Movimenta a mão direita levantando-a e puxa uma perna ou outra à dor, quando está mais acordado. Acreditamos que tais limitações ocorram em decorrência da debilidade causada pela infecção, e que só poderemos ver o seu potencial de reabilitação e as sequelas quando ele estiver livre delas, mas, também, acreditamos que o tempo de acamação pode comprometer o estado neurológico do paciente, sendo este tempo, neste caso, um inimigo, enquanto estiver em UTI.
    Pergunto à administradora do blog se, com base nos relatos presenciados, aqui, soube de algum caso em que o paciente ficou por muito tempo em internação e teve, ou não, importante reabilitação. Uma resposta sobre isso seria muito importante para nós, familiares, termos uma base estatística, além de nos dar perspectiva do que pode está por vir e nos anteciparmos.
    Obrigado e força a todos neste momento tão difícil.

    • OI ALLAN…

      Sou a Fernanda, meu depoimento é o primeiro daqui. Eu sou a administradora e a pessoa quem mantém esse Blog. Eu, como seu Pai, tive um grave TCE, fiquei em coma e os médicos não tinham esperança que eu sobreviveria, muito menos que tivesse uma boa recuperação como eu tive… Claro que muitas coisas mudaram na minha vida e a recuperação foi lenta, árdua, exigiu muita paciência, perseverança, ajuda de muitos profissionais, familiares e amigos, mas hj estou bem e feliz.

      Vc me perguntou sobre casos de pessoas que tiveram muito tempo de internação e suas reabilitações, né? Tem 7 anos e quase 9 meses que sofri meu acidente e já ouvi e acompanhei muitas histórias, tanto aqui no Blog como fora daqui, pois até hj tenho muito contato com pessoas que sofreram lesão cerebral e tb com excelentes profissionais que lidam com isso. Conheço sim casos de muito tempo de internação e com uma boa reabilitação… Uma boa reabilitação depende de vários aspectos como idade, local e extensão da lesão, tempo de coma, bons profissionais envolvidos, vontade do “paciente” em sempre buscar melhora, consciência do “paciente”com relação às suas dificuldades, etc.. Por isso é difícilte dizer em “números”… Cada caso é um caso, entende?
      O que posso te dizer é que casos mais graves demoram mais pra reagir, mas o fato do seu pai reagir ao som, à dor… soa bons prognósticos que ele consiga interagir minimamente mais pra frente. Não dá para dizer o quanto seu pai pode ficar dependente, o quanto vai se recuperar, mas existem muitas histórias lindas e de uma boa e importante recuperação. Vou te frustrar por não te responder estatisticamente como vc gostaria, mas acredito muito na recuperação pós TCE e por isso mantenho tb esse Blog.

      Assim que seu Pai se estabilizar clinicamente, é muito importante começar logo a reabilitação. O foco, no início, precisa ser ensiná-lo a se comunicar de alguma forma. Tem neuropsicólogos excelentes que trabalham nessa área e podem ajudá-lo nesse momento. De onde vcs são???

      Qdo tiver um tempo, dê uma lida nos depoimentos aqui do Blog e também na sessão de “Informações importantes”… isso poderá ajudar.

      A reabilitação pós TCE é lenta, exige muita paciência, força, luta, determinação, amor… e é surpreendente. A plasticidade cerebral existe e eu, como muitos aqui do Blog, somos a prova viva disso. Não percam a esperança.

      Com o tempo vão surgindo dúvidas e estaremos aqui pra ajudar no que for possível…

      Espero ter ajudado de algum forma… Mande notícias….
      Abraços,
      Fernanda

      • Primeiramente, quero agradecer a atenção da resposta e a preocupação em prestar tantas informações, adquiridas por você nesta bela ação que você realiza. Gostaria de parabenizá-la, não sei se teria tanta determinação e vontade de ajudar, caso passasse por situação semelhante.
        Ao usar a expressão “paciente” acabo entregando minha natural racionalidade, sou confesso admirador da ciência, por isso, posso passar uma impressão de frieza, ao lidar com as situações mais delicadas, desculpe-me se, de alguma forma, a expressão não foi bem colocada, neste meio.
        Gosto de considerar cada característica de tudo que está envolvido com a situação do meu pai e, mesmo leigo, acabo criando algumas possibilidades.
        Somos de João Pessoa – Paraíba. Dentro do possível, procuramos nos informar, questionar, providenciar e, mais importante, estar presentes todos os dias e até em horários não protocolares, quando é necessário, para garantir que ele terá o que precisa.
        De fato, existiram fatores que podem ter contribuído para um rebaixamento de sua consciência, partindo do ocorrido e passando pelo período de internação. Cirurgia não imediata, infecções, hemodiálise por problema crítico nos rins (já recuperado) e um intercurso respiratório, devem ter contribuído para um comprometimento maior no estado neurológico, que é o que importa para as atividades cognitivo-motoras, da qual torcemos tanto para que seja a melhor possível.
        Confiamos muito nos profissionais que estão cuidando dele, procuramos sempre conversar com todos os envolvidos, fazendo-os perceber que, ali, há uma família unida e que o ama. Sabe, nos entristece ver pacientes, em situação semelhante, sozinhos no horário da visita, onde, apenas vez ou outra, recebe a companhia algum parente.
        Quando você fala da plasticidade cerebral, se refere ao fato, já observado, que partes do cérebro responsáveis por outras funções acabam se adaptando para realizar a(s) função(ões) comprometidas pela área danificada, não é mesmo?
        A nossa expectativa é de sua melhora clinica, para, de pronto, iniciarmos com a sua reabilitação.
        E sim, Fernanda, você ajudou bastante, inclusive citou coisas que eu penso, “por alto”, mas acabo esquecendo de perguntar ao neurologista.
        Buscarei atualizá-los sobre o andamento de sua recuperação, deverá ajudar a quem busca este blog.
        Um abraço a todos.

  102. Oi Fernanda. Sou christina meu esposo sofreu um tce grave em 2012 e ate hoje ele não anda nao fala e é agressivo belisca morde. Estou muito desesperada . Quero muito que vc fale sobre pessoas q ja teve esse tipo de trauma se tem possibilidade de voltar ser uma pessoa normal.

    • CHRISTINA QUERIDA…

      Vc escreveu seu depoimento na sessão “Sobre o Blog” e lá é um lugar difícil das pessoas verem. Sempre peço pra quem quiser escrever sua história ou de um ente querido, que todos escrevam aqui na sessão “Depoimentos/Escreva aqui o seu”, por isso transferi seu depoimento pra cá, tá?

      Christina, seu marido voltar a ser o que era, acho que isso não acontece, até pq depois de um acidente e uma lesão assim, a gente muda…. Não sei se vc leu meu depoimento (é o primeiro daqui), eu sofri um acidente de carro e também tive uma lesão grave no cérebro, um TCE com lesão axonal difusa (LAD). A perda de memória, a alteração de humor e a agressividade são “sintomas” comuns após um TCE. Se der, leia na sessão aqui do Blog sobre “Informações importantes” e lá falo um pouco sobre isso.

      Esses sintomas, assim como essa agressividade do seu marido, podem melhorar bastante. Ele pode aprender a ter mais controle das suas reações e também encontrar maneiras de se lembrar das pessoas e coisas do dia a dia, melhorando assim a qualidade de vida dele e da família de vcs. É muito importante o acompanhamento com neurologista e psiquiatra pra que ele possa fazer uso de medicamentos que ajudem ele nesses sintomas. Também é muito importante, como a Bruna te disse acima, uma avaliação e uma acompanhamento com um neuropsicólogo que entenda de TCE. Isso pode fazer toda a diferença. De que cidade vcs são? Talvez eu possa indicar alguns profissionais ou lugares de tratamento pra vcs.

      Mande notícias. Espero ter ajudado tb.
      Beijo grande
      Fernanda

  103. Olá meu nome é christina. Meu esposo sofreu um acidente de trânsito em 2012 .ele teve um tce grave ele não anda nao fala e é agressivo belisca morde . Quando aconteceu eu fiquei gravida minha filha hoje tem um ano e 3 mêses . Estou muito triste por ele nao conhecer afilha. E os medicos nao me explica se ele pode se recuperar voltar ao normal …..alguém que ja teve algum caso desses com alguem na famila pode explicar se isto e permanente ou tem cura?

    • Cristina, Eu mesma me acidentei em 2010, tive um TCE grave com LAD ( lesao axonal difusa) e te digo que pela lesão no cérebro pessoas costumam ficar agressivas, e ter perda da memória recente.. para isso precisei da ajuda de uma neuropsicóloga, para não falar tudo sem pensar, pois perdi digamos o freio.. agrido as pessoas, não me lembro de quem eu não conhecia, e ela me ensinou alguns truques de associação para lembrar dos nomes, mas eu ainda encontro a pessoa e não reconheço, creio que a recuperação depende muito do esforço da pessoa , da familia, e depende mtuuu de tempo, agora, apos 4 anos que estou me sentindo mais digamos, normal, rs .. mas ainda tenho crises de choro e do porque isso ocorreu comigo, coisas assim.. minha neuro disse que crises são normais, mas temos que faze-las passar..
      Paciencia é o que te aconselho, leve-o em uma neuropsicologa especialista em lesoes pós trauma pois fui antes em uma neuro psicologa normal, que não era especialista e não me ajudou muito, saiba que agora ele provavelmente mudará de humor e se irritará mais facilmente.. tente compreender e aceitar como eu e minha familia tivemos que aceitar, que seu marido mudou, agora é uma nova pessoa, não possui os mesmos objetivos,mas poderá descobrir novas qualidades..
      è isso paciencia sempre! parabens pelo bebe =)
      espero ter ajudado
      Bruna
      bru.morais2@yahoo.com.br

  104. Oi eu tenho um amigo muito querido que teve acidente de carro esta se recuperando ficou 3 mês em coma usa fralda mas parece que não esta mas usando e repete muitas as palavras eu tento animar ele porque era da policia civil ele foi aposentado e me disse que esta se sentindo inútil eu muito triste por que ele era muito esportista, hoje ele esta fazendo academia para se recupera vai ao psicologo. ele não consegue dormi ele disse que só cochila ainda não vim ele só converso pelo zap com ele.mas estou rezando muito para ele fica bem e se recuperar obrigada seu depoimento me ajudou muito a esclarecer umas coisa .

    • Jaqueline, havia te respondido já mas meu note não enviou o que postei.. então vou tentar novamente
      Provavelmente ele precise utilizar remédios par dormir, como muitas pessoas que tiveram lesões cerebrais que conheço utilizam, inclusive antidepressivos, isso ajuda muito eles. Realmente nos sentimos inúteis muitas vezes.. eu trabalhava, estudava, acordava as 6 dormia meia noite, e hoje acordo e durmo a hora que quero..única coisa que faço e me ajudou muito foi a academia, por isso continuo, e a noite não faço nada também.. realmente é MUITO difícil para a gente aceitar que não somos mais o que éramos, que somos novas pessoas com novos objetivos e ideais.. infelizmente é muito difícil.
      A recuperação nesses casos sei que é lenta, bem lenta, mas não é impossível, meu caso foi há 4 anos, ainda realizo tratamento com neuropsicóloga, e sei que não voltarei a ser o que era.. posso melhorar algumas coisas mas não serei a mesma.. Aceito né.. paciência, ao menos sobrevivi e estou aqui..
      Que ótimo ele ter aposentadoria, eu ainda não consegui.. dependo do meu pai.. o que para mim é péssimo pois sempre me sustentei.. mas ao menus ainda possuo meus pais para me ajudar..
      Paciencia, fé esperança e amor creio que e seja o que ele mais precisa, e não o abandone, de sempre noticias, isso te garanto foi a pior coisa que percebi nas pessoas que se diziam minhas amigas.. não aceitaram a nova bruna..
      bjus a voces

  105. Olá pessoal,quero dizer que gostei bastante do blog. E o meu objetivo aqui,é tirar algumas dúvidas sobre o aneurisma cerebral. Minha mãe em 2012 teve o rompimento de um aneurisma,no entanto ela foi embolizada graças a Deus e está tudo bem com ela. Mas há alguns dias ela vem sentindo umas dores na nuca e eu queria o que pode ser,se tem haver com o aneurisma ou se ele está voltando.. Eu queria muito saber,pra tirar essa angústia do meu coração,desde já agradeço!

    • Olá MARIELE….

      Eu sou a Fernanda. O meu depoimento é o primeiro daqui. Eu tive um TCE como a maioria aqui do Blog. Algumas pessoas tiveram aneurisma, mas o que posso te dizer é que não dá pra respondermos sua pergunta aqui. Não sou médica e ninguém daqui pode dizer se o aneurisma da sua mãe está voltando ou não sem conhecê-la, sem ver exames, etc. Acho que vc deve procurar um neurologista, pois ele é a pessoa indicada pra ajudar vocês e talvez tirar suas angústias….

      Desculpa não poder ter ajudado mais…
      Que Deus abençoe vc e sua mãe..
      Um grande beijo
      Fernanda

  106. Olá!
    Fernanda obrigada por sua resposta, e o depoimento de cada um neste blog, lendo estes sinto-me mais forte neste caminho estranho, estranho digo pois quando se passa por algum tipo de lesão no cérebro cada um experimenta sensações estranhas, e muitas vezes sinto-me muito só.Aqui percebo que existem diversos casos de lutas e desafios que me ajudam a continuar minha caminhada sem medo.
    Abraços a todos!

  107. Oi gente! Meu sobrinho Lucas Matheus de 15 anos que teve TCE e Politraumatismo, ontém fez 4 meses, graças à Deus ele está se recuperando muito bem, já fala, já tirou a sonda, memória perfeita, já senta na cama sozinho, está começando a ficar em pé com ajuda do andador, porém, não está enxergando, há um mês atrás ele teve revisão com o neuro, onde ele disse que ele tinha ficado com uma lesão na visão,mas não tinha ficado cego, disse que ele só não iria enxergar nas laterais, porém depois que ele ouviu o médico falando isso ele chora muito falando que tem um pano preto na frente dele, e mostramos objetos ele não enxerga, colocamos na frente da televisão ele não consegue ver, a pupila dos dois olhos dele estão muito dilatadas. Se alguém tiver passado por essa triste experiência de sequela na visão nos ajude, pois, estamos sem chão diante desse fato, não sabemos qual caminho a seguir.

    • Gildete, meu pai é oftalmologista e como eu sofri TCE e perdi a principio a visao periférica, ele me explicou que tudo depende da área do cérebro afetada, que a melhor pessoa que pode dizer se a visão voltará ou não é um retinólogo ( oftalmo especialista em neurologia) e se o médico disse que seu sobrinho terá parte da visão afetada ele pode ter alegado não exergar pelo nervosismo… pode estar enxergando nas laterais, mas meio que bloqueia pelo nervosismo, o melhor mesmo é verificar com um oftalmologista especialista em neurologia, meu pai não está aqui para confirmar… Mas sempre lembre ele que poderia ter sido pior.. que deve agradecer por estar bem! por estar vivo! não sei o motivo do TCE dele, mas em tudo há um lado bom.. por mais dificil que seja..
      e toda melhora leva tempo e é constante!!
      um beijo

    • Gildete, mau pai chegou agora e disse para procurar um oftalmologista que ele indicará, dependendo da parte afetada, um neuro oftalmo ou um retinólogo

    • OLÁ GILDETE….

      Concordo com a Bruna, talvez o nervosismo dele esteja piorando toda a situação e vcs tem que procurar um oftalmo especialista tb….
      Da onde vcs são?
      Eu li sua mensagem na segunda, dia 22, e ontem fui procurar saber sobre o contato de uma médica excelente nessa área. Ela se chama Sílvia Vietzman, é Oftalmo especialista em TCE, trabalha com a reabilitação visual e faz parte do Departamento de Neurologia do Hospital das Clínicas-USP de São Paulo no Programa de Reabilitação neuro-cognitiva de TCE. Eu já participei de dois congressos em que ela deu aula e ela já foi recomendada por neurologistas e neuropsicólogas especialistas em TCE que eu conheço. Por enquanto, eu consegui um e-mail que vc pode tentar o contato com ela: s_veitzman@usp.br
      O atendimento na USP é gratuito e excelente em TCE, o problema deve ser a fila de espera….

      Mas de qualquer forma, peça opinião de algum oftalmologista.
      Espero ter ajudado.
      Grande bjo
      Fernanda

      • Obrigada! Vou mandar um e-mail para ela agora. Abaixo de Deus esse blog é uma benção em nossas vidas. Obrigada por tudo. Lendo as experiências vividas nos fortalece ainda mais.

      • Oi Gildete!!!!! Fico muitíssimo feliz em saber que o Blog tem te ajudado tb, esse é meu maior objetivo e uma grande alegria pra mim….

        Boa sorte! Fiquem com Deus!
        Fernanda

  108. Meu marido teve sofreu um TCE ficou por 8 meses em coma, voltou p casa ainda em coma, usando fralda, traquio, e alimentação enteral, foi um período muito complicado, apos sai do coma ela não recordava de ninguém, fizemos todos tratamentos necessários enfim, com muita fé e luta ele voltou a andar, falar… tudo com ajuda de médicos especialistas, hoje já se fazem 2 anos do acidente. Mas ele se tornou uma pessoa agressiva e totalmente esquecido de tudo que faz. Ele está invalido a memória dele é péssima, o mais triste de tudo é sua agressividade ele joga tudo que está por perto para me atingir, faz uso de Rivotril, Kitapen, Clio mas nada deixa ele estabilizado!

    • Lene, hoje passou na record e minha neuro tambem me disse que nos casos de TCE muitas pessoas ficam agressivas, o que é normal, não eram assim, mas é algo incontrolável para eles, já a questão da memória recente todas as pessoas que sofrem TCE infelizmente a possuem, te aconselho a ver uma neuropsicologa para ele frequentar, isto me ajudou muito e provavelmente poderá ajudá-lo um beijo

    • OLÁ LENE….

      Tb acho que vc poderia procurar um neuropsicólogo pra ele aprender a se controlar mais e a lidar com suas dificuldades… Pra mim foi fundamental em vários sentidos o atendimento com neuropsicólogo. Seria muito importante no caso dele tb.
      A agressividade é um dos “sintomas” comuns após um TCE, acontece bastante….

      Se vc puder, entre na sessão acima “Informações importantes” e lá, eu falo um pouco sobre as consequências mais comuns após o TCE….

      Não entendo de medicamentos, mas sei que alguns medicamentos podem ajudar nessa agressividade. E às vezes, se não está resolvendo o problema, é bom (com orientação médica, é claro), fazer outras tentativas com outros medicamentos, pois o que é bom pra uma pessoa, pode não ser bom pra outra, entende?

      Espero ter ajudado um pouquinho que seja…
      Um forte abraço,
      Fernanda

  109. Oi Fernanda eu vi sua resposta desculpa ter demorado ….
    Bom graças a Deus cada dia meu marido esta melhor,continua afastado do trabalho mas seu medico disse que em breve ele volta pois ele ainda sente muita tontura ainda quando fica muito tempo em pé .Ele pediu para fazer um tipo de fisioterapia diferente acho que é vestibular mas não começou ainda pois esta esperando vaga o ruim é que plano de saude tem poucas vagas disponiveis enquanto isso ele melhorou bastante, a memória as vezes da uma falhada .
    Agora o humor esta melhorando fazendo bastante planos para o futuro ,mas eu percebi ele não pode mesmo ficar sem o remédio,eu acho que quando ele voltar a trabalhar vai ajudar vai ter menos tempo.
    Tem horas que ele fica pensando se ele vai voltar ao normal ,mas eu acho que ele vai acostumar a ser essa nova pessoa eu acredito, a vida dele mudou muito ele bebia bastante e hoje não tem mais esse vicio foi dificil ele entender que poderia ser feliz de outras formas mas ele ta levando .
    Agora em relação a volta ao trabalho ele parece estar preocupado sabe parece que ele tem medo da reação das pessoas quando o verem novamente pois antes ele exercia um cargo de chefe no seu setor e seu medico disse que ele vai poder voltar exercer atividades profissionais com cuidado ou ajuda não sei como vai ser essa volta ao trabalho mas por enquanto vai ser só o ano que vem até lá quem sabe ele ja aceitou essa nova condição e fique feliz ao voltar a trabalhar
    Bom quero agradecer a vcs do blog principalmente Bruna e L41 que me deram palavras de esperança num momento dificil.e dizer para as familias que estão passando por tudo isso que eu passei que tenham fé a melhora vem aos poucos agora eu olho para traz e vejo que o pior ja passou .
    Continue assim Fernanda unindo a todos para passar por essa fase ruim.
    Um abraço a todos.
    .

    • OLÁ APARECIDA….

      A reabilitação vestibular que o médico indicou para seu marido é excelente. Eu, como fonoaudióloga, já trabalhei um tempo nessa área e as pessoas melhoram muito a tontura.
      Eu acho que nunca comentei aqui no Blog, não sei porque esqueci, mas logo após o meu acidente, eu tive uma vertigem (tontura onde tudo à minha volta rodava) quando eu virava a cabeça para um determinado lado e era horrível. Como eu sabia do que se tratava, uma amiga fonoaudióloga logo fez algumas manobras (“exercícios”) em mim e isso passou. Continuo com tonturas leves, mas de vez em quando, nada que me impede de alguma coisa como acontecia antes. Essa reabilitação vestibular poderá ajudar muito seu marido…

      Mande notícias querida….Estou sempre torcendo e rezando por vcs.
      Beijo grande
      Fernanda

  110. Olá, Pessoal. Boa tarde!

    Demorei um pouco para escrever aqui. Os últimos dias foram intensos. Acho que agora estou preparada para compartilhar com vocês a nossa história. Meu primo, Lu (25 anos), sofreu um acidente de moto na primeira semana de agosto/14. No início, muitas incertezas e perspectivas pessimistas de médicos e até de algumas pessoas próximas. O Lu teve TCE com lesão axonal difusa, costelas quebradas, baço perfurado, externo quebrado e (o que descobrimos de verdade ha pouco tempo) lesão do plexo braquial esquerdo. Os primeiros dias, os primeiros diagnósticos… vocês bem sabem. Mas o Lu surpreendeu a todos e aos médicos também. Em uma semana tiraram ele do coma induzido. Ele demorou alguns dias para dar algum sinal, mas começou a movimentar a perna e o braço direito. Em uma das visitas, ainda no CTI, o médico pediu para eu perguntar se ele estava me sentindo ali e, se sim, que fizesse um sinal com a mão. E ele deu um tchauzinho tímido, mas se comunicou. Foi uma emoção sem igual. De lá para cá, outras evoluções. Ele saiu do CTI com 17 dias. Neste mesmo dia despertou, abriu os olhos e parecia acompanhar a gente. No quarto, muitas evoluções. Tirou a traqueo, a sonda nasogástrica, começou a se alimentar pela boca (pastoso, à principio). Nessa época ainda não estava andando, não sustentava seu corpo sozinho e não falava nada.

    Então ele foi para casa, com menos de 30 dias de hospital. E as evoluções têm sido ainda mais incríveis. Hoje, 43 dias após o acidente, o Lu esta falando (e muito!). Faz piadas, dá risada, reconhece quase todo mundo. Lembra dos amigos, das histórias de infância, das relações. Ainda apresenta algumas dificuldades cognitivas, mas temos certeza que é só questão de tempo. Esta praticamente andando sozinho. Se segura na gente apenas em pequenos momentos de desequilíbrio. Já come de tudo, sozinho. O braço esquerdo vai passar por cirurgia. Ele segue com fisio e fono, além de acompanhamento com psicólogos e neurologistas.

    Queria muito contar a história dele aqui. Venho acompanhando todo mundo que escreve no blog e já me sinto parte da vida de vocês. Foi aqui que busquei força e informações para poder ajudar da melhor maneira possível. Sei que o Lu esta muito bem graças ao nosso Deus. Mas, sem dúvida, cada dica que absorvi desse blog ajudou e continuará me ajudando a contribuir com a recuperação dele.

    Tenho estudado e pesquisado muito sobre TCE, LAD… espero poder contribuir um pouquinho com vocês aqui também. Beijos no coração de cada um!

    • OI PRI….

      Fiquei muito feliz qdo li da rápida e ótima recuperação que seu primo Lu vem apresentando e qdo vc citou o quanto o Blog ajudou vcs… Saber disso me motiva cada vez mais manter esse Blog e é esse o objetivo: ajudar as pessoas, dar algumas dicas, todos trocarem experiências, buscar força e esperança, etc. Que bom que vc estava aqui há dias lendo tudo e depois veio compartilhar conosco a história do seu primo para que ela tb ajude outras pessoas… Obrigada, viu?
      Eu tb tive um TCE, meu depoimento é o primeiro daqui, não sei se vc leu… A caminhada da recuperação é longa, mas acontece!!!!!!

      Vc disse que está lendo muito sobre TCE, LAD, etc.. Se vc quiser nos dar algumas dicas do que tem lido, seria ótimo tb. Qualquer informação sempre é muito bem vinda….

      Nos mantenha informados sobre o Lu… Ele tb está nas minhas orações.
      Muita força, fé, paciência, amor e perseverança nesta caminha!!!
      O.B.S.: Se puder, deixe seu e-mail na próxima vez que escrever aqui…

      Grande beijo,
      Fernanda

    • Oi Pri, meu nome é Igor, meu irmão sofreu um grave acidente de carro no dia 11/09/204, teve uma lesão axonal difusa e ainda está em coma, hoje fazem 17 dias. Confiamos muito na recuperação dele, cremos que Deus manteve ele vivo por um grande propósito. Claro que o medo é muito grande, mas temos que ter fé. Meu irmão abre os olhos as vezes, tem estímulos de dor e mexe braço e perna quando estimulado a dor. Mas isso não é sempre, só as vezes. Estou ansioso para que ele acorde logo do coma e que comece a se recuperar logo. Mas não é fácil, os médicos não passam muita informação… obrigado pelo depoimento e boas melhoras para seu primo já coloquei ele em oração.

  111. Olá, pessoal! Na semana passada, participei do “I Simpósio de Avaliação e Reabilitação Neuropsicológica em Traumatismo Craniencefálico”, onde contei minha história desde o acidente e como me recupero desde então. O vídeo está aqui em http://youtu.be/cYj5DTW9qy4, e faço questão de compartilhar com vocês.

    Também cito no final do vídeo que “… com exceção dos filhos da Liliana, devo ser uma das pessoas do blog que sofreu o acidente há mais tempo…”, mas só depois eu vi que falei bobagem. Tem mais gente aqui que encara essa lesão há muito mais tempo, mas eu sinceramente não me lembrei na hora, me desculpem.

    Bejim no 6

    • FRAN QUERIDO….

      Obrigada por compartilhar esse vídeo com a gente. Muito legal!!!

      Para quem não sabe, eu também estava lá e fui a última a contar a minha história. Preparei tudo pra filmar e qdo comecei e meu marido foi me filmar, infelizmente a bateria da máquina logo acabou, rsrsrs. Por isso, não tenho como tb compartilhar esse momento com vcs. Mas, posso dizer pra todos vcs que foi um Simpósio incrível.
      Como eu tinha postado aqui, foi sexta e sábado e na tarde de sábado foi aberto às vítimas de TCE e seus familiares. Eu, por ser formada na área da saúde, em fonoaudiologia, pude participar de todo o simpósio desde o início e por ter filmado vários outros momentos, não sobrou bateria pra minha vez, rsrs. Sempre que posso participo de cursos sobre TCE para poder entender mais sobre essa lesão cerebral e também poder ajudar cada vez mais vcs que entram aqui…

      Beijo Fran! Vc sabe que sou sua fã!!!! rs
      Fernanda

  112. Olá! Meu nome é Maria tive um AVC em 06/2013, foram meses de desespero em voltar a minha normalidade, parecia que havia um vendaval em minha cabeça, uma tontura constante e até hoje um zumbido irritante, claro que houve outros sintomas como a fala, movimentos,…, mas depois de diversas sessões de fisio, estou muito melhor, conheci pessoas maravilhosas em meu caminho, nesta fase de minha vida, também tive apoio de uma família linda. Voltei para o trabalho este ano , mudei de função, pois sou professora, o médico do trabalho solicitou, que eu fosse trabalhar fora de sala de aula, ou seja , um ambiente mais calmo , mesmo assim lido com estresse com alunos ,fora de sala.Ainda tenho muito medo afinal meu AVC veio antes dos 40 anos,até hoje depois de inúmeros exames, se fala em possíveis causas como anticoncepcional, mas nada provado; mesmo indo em psicóloga e psiquiatra, muitas vezes acordo assustada e me pego com coração acelerado de medo; por mais que tenha fé e seja uma pessoa espiritualizada é difícil depois que se vê tão próximo a morte ainda jovem com filho pequeno. Li vários depoimentos, mas pergunto este medo é “normal”, um dia será que esqueço; este zumbido será que diminui; e esta sensação de vazio em uma parte da cabeça vai passar.
    Abraço para todos!!!

    • OI QUERIDA MARIA…

      Sou a Fernanda, meu depoimento é o primeiro daqui. Eu não tive AVC, tive um TCE com LAD, também muito nova, com 29 anos. Vc perguntou se esse medo que vc sente é normal e se um dia vc esquecerá o que viveu… Acho isso muito pessoal, mas na minha opinião, esquecer nunca! O medo pode diminuir um pouquinho com o passar dos anos, porém acho que um pouco de medo é normal existir, principalmente considerando o que vc viveu… O meu acidente tem 7 anos e 7 meses e eu sempre que entro num ônibus, por exemplo, pra viajar (onde não sei quem está dirigindo, se o motorista dormiu bem,etc..) tenho muito medo de acontecer de novo um acidente e eu sofrer tudo que já sofri mais uma vez…. Fiz muita terapia, já melhorei inúmeras coisas, mas isso ainda não passou e não sei se um dia vai passar. O que eu faço é não deixar esse medo me impedir de fazer as coisas, então, eu enfrento. Por exemplo: no dia da viagem tomo algo (prescrito por médico) para me acalmar… Entende o que estou querendo te dizer????
      Todos nós temos medo de algo e nós que chegamos perto da morte vamos ter mais medo de algo e tudo bem, só não acho bom deixar o medo “tomar conta” da nossa vida….
      Seu AVC é muito recente ainda. Eu me lembro que fiquei um pouco mais de 5 anos acordando, de vez em quando, assustada, com uma sensação horrível de lembrar do quanto sofri na UTI….
      Com o tempo as coisas melhoram, acredite!

      Sobre o zumbido e a sensação de vazio na cabeça, eu não sei te dizer… Espero que alguém aqui do Blog saiba te dizer algo sobre isso…

      Muito obrigada por compartilhar sua história conosco.
      Um grande beijo e espero ter ajudado de alguma forma…

      Fernanda

  113. Gente sou irmao da Renata conforme depoimento logo acima, lembram minha irmã teve a bebê teve coágulo na cabeça e pra nossa surpresa ja faz tres dias que esta falando, teve alta da UTI pro quarto, os medicos dizem que foi milagre a recuperaçao está sendo muito rápida, DEUS existe e está entre nós com certeza!!!!

    • OLÁ ENIO!!!!!!!!!!!

      Que notícia maravilhosa!!!!!!!!!!!!!! Nossa, fiquei muito feliz qdo li seu depoimento. E foi antes do aniversário dela, hein? Que bom!!!!

      Muito obrigada por retornar aqui pra nos dar essa bela notícia. Que Deus os abençoe…
      Um bjo pra vc, pra Renata, bebê e pro restante da família…

      E que ela tenha uma excelente recuperação!!!!!!!

      Fernanda

      • Fernando muito obrigado, vc nao imagina o quanto o seu blog nos ajudou a superar esse tempo em que a pessoa esta na UTI quando lia os depoimentos de vitoria de superaçao me sentia muito forte e a Renata está cada dia melhor, nao vai precisar de fisioterapia e nem fono, mas as oraçoes de todos ajudaram e muito, hoje ela está de volta graças a Deus, e feliz da vida por ter superado essa fase dificil da sua vida, meu conselho nunca desistam pois o milagre sempre vem!!!!

  114. Pessoal alguem teve ou tem algum conhecido que teve que fazer traqueostomia? Quanto tempo levou para retirar? Sei que cada caso é um caso mas preciso muito neste momento saber da experiência de vocês a respeito da deglutiçâo que foi afetada.

    • Oi “Anônimo”! Eu acho que aqui você pode escolher: provavelmente todo mundo que sofreu um TCE grave acabou passando por uma traqueostomia. No meu caso, levei cerca de dois anos para me livrar da prótese, pois sofri uma estenose traqueal; entretanto, isso não é regra e tem gente que se livra dela em pouco tempo.

      Quanto à deglutição, não se preocupe: a traqueostomia é realizada na traqueia, e a comida desce pelo esôfago. Não há qualquer dificuldade.

    • Anônimo, o que o Fran falou é o correto, o meu filho fez e ficou 3meses depois desmamaram durante uma semana e retiraram, lembro que na epoca ele se alimentava na GTT, tenha fé que ele vai melhorar, abraços

  115. Oi fiquei muito feliz ao ler os depoimentos e quero dizer que para Deus nada é impossivel!!! Estou passando por uma fase dificil, minha irmã Renata no dia 19 de agosto de 2014 teve uma bebe linda, forte, saudável, nasceu atraves de cesária. No outro dia ainda no hospital ao ter alta medica foi tomar banho e ao voltar sentiu uma dor de cabeça muito forte, e teve que ir pra cidade vizinha onde passou por uma cirurgia na cabeça (constataram um coágulo entre o cérebro e o cranio) Ficamos desesperados mas apegamos em Deus e na fé pra passarmos esse momento tao dificil pois a Renata teve seu pré-natal perfeito, tudo estava normal, inclusive a visitamos no mesmo dia que ela teve a bebê, a parte da cirugia correu tudo bem, hoje ja faz 12 dias que ela encontra-se na UTI e qdo os medicos tentam tirar a sedaçao ela volta muito nervosa, agitada, fizeram uma resonancia e nada constou e agora vao fazer uma tomografia. Nesses dias a filha dela que é muito linda e saudavel esta sendo cuidada por minha mae e minhas irmãs, a qual damos todo carinho e atençao, acho que ela veio pra salvar a Renata sua mae pois se ela tivesse tido essa dor de cabeça em casa talvez nao teria dado tempo de ir pro hospital. Estamos em oraçao e gostaria de pedir a todos que orem por ela ainda se encontra na UTI e estamos rezando pra que ela volte sem sequelas, proxima segunda dia 08 de setembro é aniversario dela, tomara que ela já esteja acordada, pronta pra voltar pra gente e pra sua filha a qual ela tanto esperou. Muito dificil lembrar que minha irmã aquela pessoa forte, saudavel está pssando por tudo isso mas pra Deus tudo é possivel e estamos ansiosos esperando pela recuperaçao dela!!!!!!!!!!!

  116. Boa noite Fernanda,
    Meu irmão Fernando, sofreu um atropelamento em outubro de 2012, ele teve um TCE Grave, com LAD, concussão e estiramento do terceiro par, ficou com uma Hemiparesia do lado esquerdo. Ele teve tbém uma infecção hospitalar grave,onde demorou a ter alta, mas que graças a Deus apesar dos riscos que teve de morte, ele havia vencido mais esta batalha. Eu tenho acompanhado todos os passos dele, sou eu que levo ao médico, pois minha mãe já estava vindo de um quadro depressivo mais medicada, não achei que ela fosse dar conta e então resolvi assumir esta condição. Minha cidade ela não tem um suporte adequado para quem sofre este tipo de lesão, as famílias saem com apenas contato de profissionais como fono, fisio tudo particular, e partindo para o público deixa muito a desejar apesar de existir um Centro de Reabilitação, tive que ir descobrindo tudo sozinha. Fizemos o tratamento inicial particular, com fono e fisio em casa, com total interação minha e da minha mãe e muito estresse, pq minha família é totalmente sem estrutura emocional, incluindo eu. Graças a Deus o início foi tudo muito recorde, nós conseguimos ajudá-lo a andar, a comer sozinho. Em outubro agora vai fazer dois anos do acidente dele. Ele toma banho sozinho, joga baralho com minha mãe, mas como anteriormente ele já era meio rude com ele mesmo, reservado demais, introvertido, muito tímido, respondão em casa. Tudo isso se potencializou de uma forma incontrolável. Ele é agressivo, muito agressivo comigo e sempre pede para morrer. Eu choro muito, fui diagnosticada com depressão tbém. Faço tratamento com ele com Neurologista particular e uma psíquiatra que a cada dois meses faz alteração na medicação dele e como ela mesmo diz, ele vê a vida de uma maneira muito nublada. Ele faz fisioterapia em casa, pois aquele Centro de reabilitação que é do Governo do estado de SC dispensou ele na primeira de sessão dizendo que ele era queixoso de dor e que ele já estava reabilitado. Reclamei e lutei para que pudessem trocar a Fisioterapeuta dele e ele pudesse ter um tratamento mais digno. Então como ele foi aposentado, considerado incapaz pela justiça, eu fiquei ainda mais triste e me sentindo frustada com tudo isso. Ele hj tem um fisioterapeuta que vem em casa duas vezes por semana e eu escrevi ele um programa de uma faculdade que tem próximo a minha casa que oferecem fisioterapia, ainda não chamaram ele e tbém escrevi ele no Centro de reabilitação para começar a terapia ocupacional. Foi uma luta para fazer a minha mãe entender que ele tinha que fazer as tarefas dele sozinho, como colocar roupa, servir o próprio café, até hj vejo ela fazendo isso para ele e quando ele está somente comigo alguma vezes ele até me pede ajuda, mas eu digo a ele vc consegue, vc já sabe, As vezes ele me xinga e outras ele concorda. Eu só estou preocupada é que nesta última semana, ele fez xixi na cama 4 vezes seguidas, e minha mãe não entende e grita com ele, eu fico nervosa, pois tenho medo de acontecer algo com ele, pois ele fica extremamente nervoso. Me dói ver ele assim, apesar que sou grata a Deus, de ter devolvido o meu irmão para a vida e dar uma segunda chance para ele. Mas ele diariamente pede para morrer, e isso me corta o coração, as vezes penso que tudo isso poderia ter acontecido comigo e não com ele que já tinha uma vida triste. Um grande beijo. É só um desabafo mesmo!

    • CRISTINA QUERIDA….

      Mesmo sendo só um desabafo seu (como vc disse), quero te dizer que sei como tudo isso é muito difícil para seu irmão e pra vcs da família…

      Normalmente acontece isso, algumas características da pessoa se potencializam após a lesão cerebral… Outras vezes, acontece o contrário. Já conheci pessoas que eram muito nervosas e ficaram mais calmas, etc. Mas, na grande maioria dos casos que conheço, muitas características (como a pessoa ser nervosa, impaciente, ansiosa, etc.) se intensificam e tudo fica mais difícil…

      Vc disse que seu irmão já é acompanhado por neurologista e psiquiatra, o que é excelente. A medicação é fundamental nesses casos. A medicação, como antidepressivo, regulador de humor, “ansiedada” ou outros, demoram um tempo pra fazer efeito. É bom esperar mais de 1 mês pra ter certeza que não está funcionando. Tô falando isso pela minha experiência apenas, tá? Talvez tentar uma segunda opinião de neurologista ou psiquiatra pra esta questão da medicação… O que vc acha? Vc disse que sua cidade não tem muita estrutura pra quem sofre esse tipo de lesão, então aí não tem neuropsicólogo??? Seria muito bom o Fernando ser atendido por um neuropsicólogo tb para ajudá-lo a lidar com suas dificuldades, sabe?
      E psicólogo, vc acha que ele aceitaria fazer? Não sei, tô pensando em coisas que foram excelentes e muito importantes pra minha recuperação e sei que ajudam tb muitas outras pessoas. Sei que muitas vezes não tem esses tratamentos gratuitos ou por convênio e aí acaba ficando tudo caro….

      Quanto à aposentadoria, não sofra por isso tb. Pense que agora foi a melhor coisa que podia ter acontecido depois desse atropelamento. Muita gente precisa se aposentar e não consegue. Pelo menos é uma ajuda financeira que é justo ele ter…. E isso não significa que ele nunca mais possa fazer algo que o deixe feliz e se um dia ele tiver condições de trabalhar, ele pode “abrir mão” da aposentadoria… Pense nisso…
      E além disso, não tem nem 2 anos que o Fernando teve o TCE, ele ainda pode melhorar muita coisa, é recente pensando em TCE. Não desanimem, continuem lutando, a caminhada da recuperação é longa mesmo e difícil, exige muita paciência, determinação, fé..

      Um grande beijo e se precisar de algo que possamos ajudar aqui no Blog, escreva aqui….
      Fiquem com Deus,
      Fernanda

      • Fernanda Amada,

        Desculpa a demora em responder. Sou irmã do Fernando, como vc mesmo disse, eu fui procurar informações com a neurologista dele sobre a neuropsicologia, como ele está ainda ajustando a medicação para melhorar o auto estima dele, diminuir a agressividade e o humor. Obtive duas opiniões iguais que no caso dele é necessário ajustar a medicação primeiro para seguir com outras terapias. Mas já falei com uma amiga minha que é psicóloga, ela me indicou uma especialista em neuropsicologia. Como eu tenho percebido que no caso do meu irmão desacelerou o processo de progresso referente a recuperação, mesmo assim, eu noto sutis melhoras dele, Estou muito atenta, nas manias dele, ele ás vezes se passa, e eu lembro ele, que ele consegue controlar esse tipo de situação e ele anda concordando comigo, coisa muito rara, pq sou irmã caçula e ele já era machista rsrsr, para ele é muito difícil acatar uma opinião minha que ele já pensa que é ordem, já era assim antes. Mas hj em especial foi um dia muito agradável, pois meu irmão conseguiu manter um diálogo comigo, sem me chamar de chata ou me mandar calar a boca srsrs que eu acho que ele já me chamou de chata umas cem mil vezes nesses quase dois anos do acidente. Aliás, chata, foi a primeira coisa que ele disse para mim, quando tiraram a traqueo rsrs que a enfermira perguntou a ele: Fernando, vc sabe quem é ela, ele disse bem baixinho, chata, chatinha rsrsrs, nunca me senti tão feliz de ser chamada de chata. Te agradeço, seu blog é uma dádiva, poder uma experiência como essa, me fez acreditar que algum dia, vou consegui convencer meu irmão a escrever aqui um dia. Muito Obrigada.

  117. Meu filho chama_se. Rafael Andrade, 20 anos, sofreu um um acidente no mes de maio(Tce, trauma de torax, com hemotorax, e pneumototax, fraturas de todas as costelas do lado E, clavicula, lesao de plexo braquial. Ficou 38 dias de hospital sendo 26 dias de uti. Ele veio para casa sonda nasoenteral, traqueostomia, fraldas, confuso. Mais ja esta falando, tirou a traqueo, comendo pela boca, ainda falta andar, gostaria de me inserir nesse blog e receber apoio, ajuda_ me pir favor. Sou enfermeira, mesmo assim aceito ajuda, abracos a tds, obrigada. Estava voltando do horario de almoco, trabalahador, honesto, batalhador, uma fatalidade.

    • Oi Sandra tudo bom?
      Meu nome é Vinicius e tambem tive um TCE quando tinha 21 anos hj tenho 26 e trabalho, faço academia, danço e posso dirigir apesar de evitar. Indico a Central da fisioterapia onde fiz fisioterapia com Rodrigo Fermino Peres o fisioterapeuta chefe, ele me colocou p andar mto rapido. Moro em São Paulo e acredito que ele atenda aqui tbm, entre em contato.

    • Sandra, como pode ter lido aqui no blog, hoje tenhu 26 anos e sofri um acidente com 22, trinquei 3 vertebras,sai do acidente já em coma e continuei em coma por 1 mes, sendo um coma grave grau 3 na escala de glaslow, tive as mesmas dificuldades e utilizei sondas, fiz traqueo também e fiquei confusa, parecendo uma boba falando coisas sem nexo por 2 anos após o acidente, mas queria frizar mais uma vez que a recuperação demora! e muito! agora após 4 anos do meu acidnete que me considero digamos normal, é necessária muita paciencia.. Com o tempo, surgem as dificuldades.. estou me tratando até hoje, mas estou bem melhor.. por isso digo que é longo o tratamento.. fico feliz por ele já estar em casa! bjus

    • <