Depoimentos/Escreva aqui o seu

Olá, meu nome é FERNANDA. Mantenho este blog com o intuito de “ajudar” de alguma forma todos vocês que precisam, seja você uma pessoa que sofreu algum tipo de lesão cerebral ou seja você um familiar ou amigo de quem já passou ou está passando por alguma dificuldade por isso. Todos vocês, mesmo quem deseja “apenas” compartilhar sua história, são super bem vindos aqui, pois juntos podemos fazer uma grande “corrente do bem” e trazer a esperança que nunca deve ser perdida!

Coloquei logo abaixo meu depoimento. Em seguida, vocês poderão ler os depoimentos dos meus colegas que participaram do grupo do CPN (Centro Paulista de Neuropsicologia) onde surgiu a idéia deste Blog (leia em “Sobre o Blog”).

Coloque aqui também sua história e/ou dúvidas, pois assim poderemos trocar experiências e informações, além de ajudar outras pessoas. Peço, por gentileza, que coloquem o nome e se possível sobrenome para facilitar a identificação, data da lesão ou cirurgia e em que cidade mora. Isso me ajuda muito…

Muito Obrigada!

MEU DEPOIMENTO

Meu nome é FERNANDA, tenho 35 anos (2012). Gostaria de dividir minha história com vocês. Sei que muitos passaram por isso, e saber que você não está sozinho pode ajudar muito.

O ACIDENTE

Dia 28 de janeiro de 2007, com 29 anos (2 meses antes de fazer 30) sofri um grave acidente automobilístico. Meu marido e minha irmã do meio faleceram na hora. Somente eu sobrevivi, porém fiquei entre a vida e a morte por mais de 15 dias.

Fiquei em coma por vários dias, ao todo um mês no hospital, sendo mais ou menos 22 dias na UTI. Quando acordei do coma, não me lembrava de nada e nem imaginava porque eu estava ali naquela cama… Meus pais me contaram que sofri um acidente de carro voltando da formatura da minha irmã caçula. Eles me disseram que minha irmã e meu marido tinham se machucado pouco, estavam em outro hospital e eu não tinha como falar com eles porque ali não tinha sinal no celular… Isso era também o que todos que iam me ver diziam, pois esta foi a ordem médica e psicológica dos profissionais do Hospital das Clínicas e  graças à esta mentira, me esforcei tudo que eu podia pra sobreviver durante todos os minutos horríveis que passei naquela UTI.  Fui muito bem cuidada pelos médicos e chefe da UTI, por quem eu e minha família temos eterna gratidão e carinho, porém era um ambiente “frio”, onde eu ficava a maior parte do tempo sozinha com medo do que poderia acontecer comigo… Eu só soube da verdade quando tive alta do hospital, após um mês, e  aí meu mundo desabou. Como me machuquei muito, quebrei 11 costelas do lado esquerdo, tirei o baço, tive contusão pulmonar com hemotórax à esquerda, pneumotórax à direita, grave traumatismo craniano (lesão axonal difusa), lesei o ombro esquerdo, tive ombro congelado, fratura estável de quadril,  etc., fui pra casa dos meus pais (em outro estado) para me recuperar.

OS PROBLEMAS QUE APARECERAM

Em casa, mesmo com muita medicação, sentia dores terríveis por todo o corpo, não conseguia dormir nem comer bem, só chorava… Como meus pais tinham perdido a filha e o genro e eu ainda com dores insuportáveis, usando fraldas, muito dependente pra tudo, as minhas dificuldades cognitivas (atenção, memória, leitura, etc.) não foram percebidas por mim nem por minha família. Depois de alguns meses, algumas amigas fonoaudiólogas me visitaram e me alertaram com relação à atenção e memória, pois eu repetia as conversas. Depois de negar isso por um tempo, decidi ir pra S.P. fazer uma avaliação fonoaudiológica e foi quando fiquei muito assustada ao perceber o quanto estava difícil e às vezes impossível fazer coisas que antes pra mim eram bem simples.

O QUE ME AJUDOU

A caminhada pra minha recuperação foi árdua, longa e precisou da ajuda não só dos profissionais, mas apoio intenso de toda minha família e amigos. Durante os primeiros meses, por 24 horas, além da ajuda de uma boa enfermeira (no início), eu tive ajuda dos meus pais, da minha irmã e da minha tia, pra comer, tomar banho, sentar, levantar, limpar curativos, trocar fraldas, etc. Sem ajuda deles não conseguiria uma boa recuperação. Minha família foi  e é TUDO!

Além da intensa fisioterapia pulmonar e exercícios para voltar a andar e movimentar o braço esquerdo que eu já fazia desde a saída do hospital, iniciei em outubro de 2007 reabilitação fonoaudiológica e neuropsicológica, além de acompanhamento psicológico, entre outros. Desde o início usei anti-depressivos  que ajudaram a regularizar  melhor meu sono, humor, apetite, etc. Com muita ajuda da minha família, amigos e profissionais, tive grandes  e notáveis melhoras, sempre muito comemoradas por todos ao meu redor.

Acho que um ponto positivo pra minha reabilitação foi e ainda é ter tido sempre muita noção das minhas limitações e ter decidido encontrar maneiras de enfrentá-las e não só reclamar de todas elas. A minha terapia psicológica e os medicamentos também foram fundamentais, além, é claro, do apoio de toda minha família e muitos amigos.

O QUE APRENDI E COMO ESTOU…

Aprendi a me organizar e a me planejar (coisas que antes para mim eram naturais) usando uma estratégia aprendida no CPN que é usar uma agenda semanal. Sem a minha agenda, tudo fica muito difícil. Para melhorar a leitura, me esforço pra ler legenda, o que é dificil, pois perco muita informação. Como eu me canso muito facilmente, quando percebo que não consigo “render” mais nada durante o dia ou que estou mais nervosa ou mal-humorada pelo grande cansaço, deito e durmo um pouco pra depois terminar aquele dia.  Ainda permaneço com dificuldade principalmente de atenção, concentração e memória. Não tenho raciocínio rápido, leio com um pouco de lentidão, além de trocar algumas letras e números, mesmo lendo várias vezes. Meu raciocínio parece entrecortado…Fiquei também com grande labilidade de humor e alteração de sono, os quais “regulo” com uso de medicamentos. Me sinto extremamente cansada com qualquer atividade que exija mais atenção e concentração. Mas, tive uma recuperação extraordinária. Voltei a ter capacidade pulmonar normal, voltei a andar e correr normalmente, o que não era esperado pelos médicos que disseram que eu iria no máximo arrastar a perna esquerda pra andar… Passei a me lembrar de muitas coisas, minha noção de tempo e noção espacial ainda não são muito boas, mas melhoraram consideravelmente. Hj leio e escrevo com muito mais facilidade que nos primeiros anos…. Enfim, acredito muito na boa recuperação após um grave TCE e este é o maior motivo deste Blog.

Hoje estou casada novamente com uma pessoa que me faz feliz e também me ajuda muito a enfrentar as dificuldades, me dando apoio para que eu tenha uma rotina onde eu não me sinta tão excluída de uma vida que considero normal e comum pra uma pessoa da minha idade.

O QUE EU GOSTARIA QUE AS PESSOAS ENTENDESSEM

Com o grupo do CPN principalmente, ao conviver com várias pessoas e várias histórias de vida, aprendi muitas coisas e por isso falo que o que eu mais gostaria que as pessoas entendessem é que não é fácil “PERDER A SI PRÓPRIO” como acontece com quem sofre uma lesão importante no cérebro. É diferente a pessoa que não consegue fazer algo da pessoa que sempre conseguiu e não consegue mais…. Ela tem algo com o que se comparar e se comparar a si mesmo e não conseguir realizar coisas que antes era natural e fácil, não é nada simples…Há grandes perdas nisso que envolve a VIDA da pessoa e muitas vezes até da família, interfere na rotina, nos sonhos, nas realizações, na auto-estima, etc.

Também seria bom que as pessoas entendessem que muitas vezes, algumas reações nossas, não muito “aceitas” pelos outros, fogem do nosso controle muito mais que antes…A compreensão e o não julgamento sempre ajudam.

____________________________________________________________________________

DEPOIMENTOS DOS COLEGAS DO GRUPO

De: Alex Covino Pinto

Há nove anos e alguns meses, sofri um acidente de carro e acabei por sofrer um TCE (traumatismo craniano encefálico) que me comprometeu a fala, os membros do lado direito (braço e perna) e alguns aspectos cognitivos que me tornavam inadequado. Por ter ficado em coma por 2 meses e meio e ter precisado de terapias para voltar a andar, falar, etc. perdi um ano de escola e acabei tendo que me acostumar com outra turma. Tive também que me mudar de Guarulhos, onde morei desde bem pequeno e fiz meus primeiros e grandes amigos, para São Paulo, onde passei a viver uma vida um tanto quanto diferente da que estava acostumado. Com o tempo fui me recuperando, porém durante essa recuperação tive muitas dificuldades relacionadas às mudanças na minha vida, tanto no que se relaciona a onde passei a viver quanto no que se relaciona à minhas dificuldades físicas e de relacionamento. Passei a morar com a minha avó, tudo bem que já estivesse acostumado com a casa dela, afinal, antes do acidente ia visitá-la todos os fins de semana e dormia lá, mas… é diferente.

_____________________________________________________________________________________

Gustavo Covino

Sou Gustavo, o irmão mais velho do Alex (depoimento acima). Estava com ele no carro quando sofremos o acidente, no entanto, minha lesão foi um pouco mais grave que a dele, apesar de os dois terem tido TCE, pois, além de ter passado um mês a mais que meu irmão em coma, fiquei com a fala muito mais comprometida e meu braço direito hemiplégico (semi paralisado)
O Alex acordou um mês antes de mim e foi para casa, e eu fui depois de três meses de coma após acordar.
Mesmo durante o coma meus responsáveis (tinha 14 anos na época) estimulavam meu cérebro ao máximo possível com fisioterapia, música no rádio, acunpuntura, cromoterapia, etc…
Então eu acordei e ao acordar os médicos disseram que não era recomendado que eu ficasse no hospital, por se tratar de um ambiente com risco de infecção, etc..
Quando fui pra casa, fui com homecare, e meu cérebro era estimulado à exaustão.
Me matriculei na escola para terminar a oitava série e o colegial também.
Quando acabei o colegial, arrumei emprego em uma metalúrgica, para trabalhar no escritório, no entanto, não conseguia fazer todas as atividades que eles me passavam, e no segundo ano trabalhando, resolvi que ia fazer faculdade, à noite.
No entanto não conseguia dormir direito, mesmo após tanto tempo de estímulos e eu estando exausto, porém eu achava que não dormir era normal, e fui tocando a vida.
Passei 8 anos fazendo das coisas mais diversas que se possa imaginar, passando por natação, musculação, acunpuntura, reorganização neurofuncional, biofeedback, neurobiofeedback e estudando, e posteriormente trabalhando, sempre.
No nono ano de lesão, estava estudando e trabalhando e comecei a ter alucinações, que diziam para mim que eu era Deus e tinha que salvar o mundo de uma Guerra nuclear. Fui piorando progressivamente até surtar.
Então ganhei afastamento pelo INSS. Percebi nesse intermédio que não gostava do que estava estudando e mudei de curso.
No entanto, sei hoje que tudo o que eu precisava para melhorar era dormir bem. Consigo dormir bem hoje com remédios, não são muitos mas sem eles por enquanto não consigo viver.

____________________________________________________________________________________________

Nelson Valente

Sou Nelson Valente, 56 anos, Analista de Comércio Exterior com ênfase em Logística Internacional, uma profissão realmente estressante.

Havia recebido vários avisos, pois tive hemorragia na bexiga, não sendo detectado nada nos exames, três rompimentos de vasos na retina, tratados a laser e por último, em 31/10/2000 ocorreu o AVC isquêmico, por obstrução da artéria carótida esquerda.

Num primeiro momento foi constatado sequela de mobilidade do lado direito do corpo e dor talâmica intensa grau seis, às vezes sete. Com isso, a preocupação se eu iria andar novamente, o quanto incomodaria as pessoas pela dependência, etc. Porém, nunca perdi a esperança de retornar ao cotidiano.

Com o tempo e a reabilitação, recuperei minha determinação. Após três anos de superação, tentei me inserir no mercado de trabalho, mas em serviços simples para avaliar minhas condições. Aproveitei também para retomar a faculdade no curso de Logística, mesmo com grande dificuldade em exatas, pois começava bem os exercícios e de repente trocava um sinal ou números (observação feita pelo meu professor de cálculo).

Comentando tal observação feita pelo professor ao neurologista, o mesmo indicou consulta ao neuropsicólogo.  Após avaliações, constatou-se mais uma sequela do AVC: déficit de atenção e concentração. Tentei descobrir, então, a melhor maneira de minimizar tais déficits, pois estavam afetando meu desempenho na faculdade. O primeiro método que tentei foi o da repetição. Após estas avaliações, também fui convidado pela Drª Anair Rodrigues e equipe, a participar do Grupo da Memória, onde aprendemos a compreender os locais do cérebro que foram afetados e seus sintomas.

O grupo promove discussão das dificuldades apresentadas e estratégias aplicadas para melhorar as deficiências. Outras estratégias são apresentadas pela equipe de neuropsicólogos do CPN/REAB , assim trocamos experiências e recebemos sugestões no intuito de melhorar nossa condição de vida no dia a dia.

Com as estratégias utilizadas, melhorei meus aprendizados usando palavras chaves, associações e a técnica de repetição utilizada anteriormente. Essas técnicas me auxiliam em exatas e também em atividades que exigem atenção sustentada. Desta forma, em provas que a maior duração prejudicava meu desempenho pela desconcentração, o problema foi solucionado após acordo com alguns professores que me possibilitaram maior tempo de prova.

Assim, houve melhora da auto-estima e confiança, o que me permitiu conciliar algumas atividades extras.

_____________________________________________________________________________________________

O meu nome é Sonia Ferraz de Melo.

Em 09 de dezembro 2007 eu tive um aneurisma cerebral e em seguida um AVC, ainda estava me recuperando do aneurisma quando me encontrava na enfermaria. Após AVC retornei para UTI, fiquei 29 dias internada em UTI e enfermaria. A minha vida até aquele momento era normal, eu nunca havia passado um dia se quer internada. De repente tudo desmoronou.

Sou formada em direito, tinha dois empregos, fora o escritório que eu atendia  das 17h00 até mais ou  menos  às 21h00. Eu havia comprado um apartamento,  terminado a reforma, e esse era o  meu grande sonho: morar sozinha. 15 dias após a  minha mudança,  sofri o   aneurisma. Passei praticamente uma noite inteira caída na minha sala e, o pior, sozinha, até que minha irmã me encontrou, por volta de uma hora da manhã do dia seguinte, quando veio dormir em meu apartamento.

Em seguida fui socorrida, fiz clipagem do aneurisma, fiquei com seqüelas hemiparesia motora do lado esquerdo. Retornei para  casa dos meus pais após os 29 dias de internação, onde fiquei por 8 meses em recuperação e recebendo o carinho dos meus familiares, reaprendi a andar e até mesmo a comer pois, não conseguia segurar nada com a mão esquerda, estava gravemente afetada, sem força no lado esquerdo( grau 1).

Com muita persistência e ajuda de profissionais, me dediquei a fisioterapia, fonoaudióloga e terapia ocupacional, e ai as coisas foram melhorando gradativamente. Resolvi voltar a estudar fiz MBA  especialização  em gestão ambiental e com muita persistência consegui concluir o curso .  Devido a todos esses acontecimentos, senti que tudo havia desmoronado, não tinha mais a minha vida como era.  Eu estava sendo conduzida.  Perdi tudo no mesmo dia, a minha saúde e o meu serviço que eu gostava tanto, até o meu namorado que não soube compreender o problema, e que me conheceu cheia de vida, de repente me viu doente, careca e usando fraldas. Que situação! Comecei a ficar agressiva, eu que antes era calma e tranquila, não discutia, me vi totalmente descontrolada, chorando sempre.

Tremendamente discursiva e emotiva. Enfim, eu era outra pessoa, quem era eu? O que aconteceu? De dinâmica fiquei lenta,  de calma fiquei agressiva,de 220 passei a ser menos que 110 eu que nunca havia passado um dia num hospital agora aos 46 anos eu  era uma deficiente física.

Eu tinha que me entender, para que as pessoas me entendessem. Era muito difícil a cabeça ser 220 e o corpo menos que 110, chorava muito. Foi aí que resolvi conversar com o meu neuro e pedir explicações a ele, como eu deveria proceder? Ele me encaminhou para uma avaliação neuropsicológica para ver a extensão do meu trauma cognitivo. Assim foi feito e foi constatado que tudo isso era devido ao meu cérebro ter sido afetado na parte frontal. E as minhas funções executivas estavam extremamente alteradas, conforme a avaliação neuropsicológica

O que explicava o meu mau humor e incompreensão. Começou o tratamento do meu freio que estava sem controle. Comecei a usar estratégia, aprendi a pensar, respirar e não sair falando tudo o que eu pensava. Pois a prejudicada era eu mesma. Levei algum tempo para me acostumar, mas consegui treinar o meu cérebro e dominar o meu comportamento graças a reabilitação do CPN e apoio de meus familiares e  amigos.

Hoje, embora em aprendizado constante com neuro,  psiquiatra e psicólogo, moro sozinha, cuido de tudo, contas, compras, etc. Aprendi que, voltar a ser o que eu era antes, nunca mais, mas, que posso até mesmo ser melhor, aprendi a respeitar os meus limites e sinto-me mais feliz e com a alta estima elevada.

SOU FELIZ. Moro sozinha e vivo bem.

_____________________________________________________________________________________________

Renata

Em Janeiro de 2006 tive um Aneurisma cerebral  Roto com  hemorragia subaracnóidea, fui socorrida 06  horas depois  e internada na UTI,  onde permaneci  cinco dias até ser transferida e operada para a clipagem.

Nesse período lembro-me vagamente de algumas cenas. Quando retornei  da cirurgia, fiquei em torno de 30 trinta dias  hospitalizada.

Fui para casa e com  a  ajuda de meus familiares  tentei  retomar minha rotina,achando que já estava em perfeitas condições.Não tive nenhuma sequela aparente, pois falava, andava, e me movimentava normalmente .

Então decidi voltar ao trabalho antes do término da licença prevista pelos médicos, apesar da minha família, médicos e terapeutas serem contra. Eu lutei bastante por que queria minha vida de volta.

Sempre tive muitos amigos e saía  muito também,era muito comunicativa e fazia amizades facilmente e até hoje me sinto diferente em relação a vida social.

Quando voltei  a trabalhar tive muitas dificuldades de lembrar as tarefas, de assimila. Faltava concentração e sentia muito cansaço. Isso sem contar com a oscilação de humor.

Me afastei do trabalho novamente e tive uma depressão com surtos de raiva frequentes. Nesse período fui apresentada ao CPN- Reab, lá iniciei os testes e percebi realmente que existia uma deficiência de atenção sustentada, concentração, memória recente e problemas cognitivos.

Enfim, acho relevante destacar que, como não tive sequelas aparentes ( não mancava, falava bem, fazia todos os movimentos, etc.)  não percebi que precisava de ajuda profissional. Tinha a necessidade de contar para todos o que havia acontecido comigo e como estava triste , uma vez que não aparentava nada.

Senti muita raiva, e fazendo terapia com o grupo consegui aprender a conviver com as minhas limitações. Levou um tempo para eu aceitar que precisava de uma agenda para lembrar dos meus compromissos, que precisava redobrar minha atenção para lembrar de algo importante. Com muita luta, determinação e ajuda dos profissionais do CPN  e do grupo  estou bem.

Depois de alguns percalços hoje estou trabalhando em vendas, dirijo, falo bastante, preparo relatórios e tenho plena consciência de minhas limitações. Utilizo algumas estratégias como a agenda semanária, leitura em partes e grifando com um marca texto, planejamento de tarefas para me ajudar no dia a dia.

Tive sorte de encontrar o CPN. Foi muito benéfico o convívio com o grupo e as trocas de experiências e amizades que fiz.

____________________________________________________________________________________________

R.I.  30 anos.

Em abril de 2001, algumas semanas depois da aprovação em Medicina na Unifesp, sofri grave acidente automobilístico, o qual me deixou em coma por 4 meses. Naquela ocasião, as sequelas mais exuberantes eram as motoras – não parecia haver danos cerebrais, pois eu tinha memória e raciocínio coerentes. Com base em tal prerrogativa, retornei à graduação em 2003.

Entretanto, o retorno se mostrou precipitado: a memória e o raciocínio coerente começaram a apresentar falhas. As falhas, cada vez mais frequentes, refletiam na dificuldade em manter a concentração ao ler um texto ou assistir a alguma aula, por exemplo.

Logo, notei o quão difícil era absorver a matéria lecionada só pelo assistir de aulas. Notei que eu deveria dedicar vultoso tempo para ler e reler o que fora explanado durante o dia.

Todavia, moro no 1º andar do prédio e de frente para a área de recreação. O barulho é, realmente, imenso. Devido a isso, fui aconselhado por minha neuropsicóloga a ouvir música no headphone; assim, reduziria os diversos sons, como pessoas e automóveis e eletrodomésticos, em apenas um único problema. A solução encontrada foi excelente! Para focar a atenção em determinado estímulo, escolheria um álbum de música calma e aquilo me ajudaria no que queria.

Contudo, foi de grande valia só para o início do meu estudo teórico. Depois de alguns minutos, eu me distraia por mim mesmo, com minhas análises e projetos. Vi que havia um novo inimigo, a tenacidade – ou, pelo menos, a falta desta. Focar a atenção era fácil, mantê-la que era o novo desafio. Minha atenção sustentada mostrava fragilidade.

O novo desafio foi derrubado lendo os textos em voz alta, e nunca esquecendo do headphone. Ao vocalizar o texto, eu me mantenho conectado a ele e, assim, dificulta minhas “fugas”. Estas fugas estavam solucionadas, assim como os barulhos diferentes. Parecia não haver mais problemas.

Havia. O cansaço. Inicialmente, pensei que era fragilidade minha, que eu deveria recuperar esse outro setor; afinal, quando eu cursava o Ensino Médio, eu chegava a estudar por horas ininterruptas. Mas o estudo não era de qualidade, era um estudo de desespero – fazia porque a prova era no dia seguinte.

Quando se mantém uma boa programação com cotidiano disciplinado, pode-se organizar os estudos e, assim, concluí que era mais benéfico estudar aos poucos ao longo das horas. Ou seja, fazendo intervalos programados de tempos em tempos.

Pausar após quanto tempo de estudo? Isso é variável; depende da pessoa, do interesse dessa pessoa no estudo e de como ela está naquela determinada situação. Eu, por ser metódico, determinei o prazo de 50 minutos de estudo – o tempo de uma aula ministrada em colégio – e 10 minutos de descanso – para fechar com exatidão em 1 hora de “ciclo”.

Desse modo, posso fazer alguns ciclos sem fadiga excessiva.

Anúncios

2.062 comentários em “Depoimentos/Escreva aqui o seu

  1. Boa noite pessoal, espero que todos estejam bem. Bom meu nome é Erica, sofri um grave TCE faz 1 ano e meio, estou me recuperando nessa caminhada, essa longa caminhada. Esse blog me ajudou e me ajuda muito, é muito bom ouvir relatos de outras pessoas. Mas queria dizer q se alguem quizer conversar, pode falar comigo, no que eu puder ajudar, eu ajudarei com toda certeza ..
    Email … eriquinha_amerika@hotmail.com
    Whats … (19) 991446148

  2. Olá boa noite me chamo isailson
    Não sofri nem um acidente mais venho relata algo que está acontecendo com meu irmão
    No dia 13 de outubro após o feriado do dia das crianças meu amigo numa sexta-feira à noite às 9 horas meu irmão sofreu um grave acidente de moto Ele entrou em coma passou 25 dias em coma na UTI mas aí ele desceu para enfermaria os médicos retiraram os aparelhos ele está respirando sem aparelhos porém está 5 dias logo após que saiu do coma ele não acordou ainda o único momento que abre os olhos na momento que tosse forte gostaria de saber se isso já aconteceu comigo porque estou muito preocupado com ele pois ele não acorda ele não está mais sendo sedado mas mesmo assim continua dormindo sexta-feira à noite uma enfermeira por incompetência passou um alimento pela sonda que era para ser terminada 12 horas aí ela botou para terminar 4 horas aí ele se engasgou com alimento tendo procedimento de uma hora sem respirar agonizando os médicos em cima tentando tirar o resto de alimento vazando alimento por tudo quanto é buraco mas graças a Deus ocorreu tudo bem Conseguiram desintalar ele mas o único problema é que ele tem que voltar para UTI

    • Boa noite Isailson, sinto muito pelo seu irmão, como deve ter lido aqui no blog, é necerrãr ia muita fé e paciência de vocês e de nós acidentados para haver alguma melhora, e lembre-se que lesões cerebrais normalmente possuem melhora, mas ela é lenta.
      Meus pais me dizem que eu também gostei de dormir.. retiraram os sedativos e o respirador e eu continuei desacordada, não me lembro por quanto tempo mas foi um bom tempo.
      Nosso cerebro volta a ser o cerebro de uma criança, que necessita dormir muito, para retomar o funcionamento, religar, raciocinar, e tudo em nós demora!
      melhoras um beijo

  3. Olá Fernanda e demais colegas!

    Gostaria de saber se algum de vocês voltou ou começou a dirigir tempos após o TCE. Como foi a experiência? Abraços.

    • Olá Hugo, retornei a dirigir após estar fisicamente e psicologicamente recuperada.. isso foi após 2 anos e meio.. dirijo na cidade e de dia pois tenho dificuldades a nte. N consigo calcular distância dos outros veículos . Na estrada dirigi poucas vezes, percursos curtos, meu pai não deixa dirigir percirsos longos..rs e estou c raciocínio e reflexos lentos, então prefiro não arriscar. Um beijo

  4. Boa tarde,
    Explicando melhor…eu e meu marido sofremos um acidente de carro no dia 04 de outubro de 2017. A partir daí nossa vida mudou!
    Batemos de frente com um carro que invadiu nossa pista. Eu perdi o bebê, estava com 6 meses de gestação, fraturei o punho e tive escoriações pelo corpo. Já dei alta e estou bem fisicamente.
    Minha angústia é meu marido Cristiano que está internado na UTI em situação grave. Teve politraumatismo do lado esquerdo do corpo e pela perda de sangue está com uma lesão axonal difusa no cérebro. Ainda não responde aos testes neurológicos, mas está com sinais vitais bons. Tenho medo das sequelas e se o mesmo irá de fato se recuperar.

    Silvana Boeira ( Santa Maria_ RS)

    • Silvana que bom q apesar de tudo vc está bem.. Quanto a seu marido calma o acidente é recente.. fiquei 38 dias respirando soh por aparelhos, diziam q focaria em estado vegetativo e hj estou bem.. toda lesão cerebral tem melhora..mas é lenta… Meu acidente faz 8 anos e ainda nao estou 100%
      Tivr TCE grave fom LAD ( lesão axonal difusa) e isso torna nosso raciocinio lento.
      Um beijo , melhoras e paciência!!!

    • Oi Silvana, esse blog é maravilhoso, ajuda muita gente mesmo, inclusive eu. O que aprendi é que o nosso cerebro é o que somos e basta uma pequena lesao para mudar isso .. e varias coisas podem ocorrer, pois o cerebro é responsavel pelo que falamos, pelo que pensamos, pelo que sentimos, pelo que gostamos e varias outras coisas. E depende da area lesionada poderemos ser prejudicados por qualquer função que a area represente.

  5. Olá eu sou a Carol hj tenho 23 anos com 21 sofri um acidente automobilístico onde fiquei tbm entre a vida ea morte 2 meses enternada precisei ser submetida a traqueostomia 12 cirurgias para colocar os ossos de volta no lugar que as pernas quebraram em 18 lugares diferentes… E hj quase 2 anos depois descubro que graças a um avc gravíssimo que me tirou metade do cérebro foi necessário 2 cirurgias na qual raspei todo meu cabelo e minha vaidade é muito grande eu não vou poder voltar andar isso me deixou muito mal pq durante 1 ano me esforcei muito para tenta voltar não compreendia muito bem meu quadro como minha família havia mentido pra mim dizendo que poderia voltar, sabendo que não ,o fato de andar em si nem me chatiou tanto oque mais me dueu foi a mentira e sinto uma verdadeira idiota que nunca mais vou superar isso como se todos estão me enganando o tempo todo desde então que descobri perdi a vontade de viver… De ir a médicos fisioterapias e tudo mais. Estou psicologicamente abalada ainda e não sei oque fazer.. indicaram minha mãe que eu seguisse o blog e aqui estou

    • Olá Carol.
      Infelizmente ocorrem coisas inesperadas rm nossas vidas… creio que tudo ocorre por algum motivo. Pode n ser p gnt. Pode ser p afetar alguem próximo..vai saber..
      Imagino o qnto seja ruim terem mentido p vc. Mas n acha q foi uma forma de fazer c q se esforçasse?? Que nao desistisse??
      Provavelmente eles tb nao acreditavam no que foi dito. E queriam q vc tb n acreditasse…
      Fico feliz em saber que pelo visto vc consegue passar pelas dificuldades.. r vamos tocar nossa vida apesar delas.. tivemos uma nova chance.. NÃO podemos desperdiça-la 😄

    • Carol, graças a Deus vc está perto de sua família, assim como vc sofre eles sofrem, imaginam o quanto deve estar sendo difícil para você e tentam te proteger, por mais que você ache que não foram justos em te esconder, foi uma forma que acharam de você não desanimar e continuar sempre persistindo eu acredito, hoje após 1 ano, eu também tive um acidente automobilístico, tenho 25 anos, eu tinha uma vida super agitada, depois que tive que ficar na calmaria, nossa! Eu vivia super estressada, triste, me perguntando: por que comigo? Hoje vejo que as vezes as coisas acontecem para que possamos ver a vida de outro jeito, tudo o que aconteceu comigo que antes eu reclamava e me questionava, eu só tenho a agradecer por estar aqui, eu me readaptei a muitas atividades e tento levar a nova vida, tudo é um aprendizado, somos mulheres abençoadas! Força!

  6. Boa tarde, meu pai fez uma cirurgia no crânio, parte de trás da orelha direita, tirou um nódulo, e ainda não acordou. Está entubado, sonda de alimentação. Estava respondendo a estímulos, mas a 2 dias seguido não esta respondendo. Fez a cirúrgica dia 16 agora. Estou esperando melhoras, mas Ta difícil, tem66 anos.

  7. Boa tarde
    Sábado eu e minha mãe fomos lá onde tiveram palestras, por encaminhamento de onde faça tratamentos Hospital das Clinicas (desculpa, estou com aminesia temporal) sou a cadeirante que foi e se emocionou. Tive muitas esperanças de que haverá melhoras assim comigo também. Minha depressão começou a 2 anos, pelo TCC da faculdade, mas a ainda por ver meu estado, precisar de ajuda para tudo, até ao lembrar de momentos, conversas, dias…
    Só queria agradecer muito por me despertar esperança de melhoras.
    Obrigada mesmo

      • Obrigada, creio que a maior inspiração é nossa deputada Mare Gabrilli, fiou cadeirante após um acidente, e hoje é nossa deputada!! Para mim é a maior inspiração, independente de ser cadeirante, me mostra que podemos conseguir tocar a vida sempre!! =D
        Fico feliz de ter renovado suas esperanças, mas a aconselho a ver uma neuropsicóloga, foi o que me salvou !!
        Um beijo

    • Inagina! A melhora SEMPRE EXISTE mas demora um pouco para nós…
      Lembre da Mara Gabrilli deputada cadeirante.. conseguimos TUDO sempre!!!

  8. Olá, pessoal.

    Minha mãe, Rose, 65 anos, estava investigando um zumbido “na cabeça”. Passou por alguns especialistas até fazer uma ressonância e encontrar um aneurisma – que, segundo o especialista que solicitou o exame, não tinha nenhuma relação com o zumbido.

    A partir daí, fomos consultar neurocirugiões. Tratamento: clipagem. Marcamos a cirurgia. Minha mãe entrou em sua melhor forma pela porta do hospital para realizar a clipagem no último dia 10. (10/10/2017)

    Primeiro susto: não encontraram o aneurisma durante a cirurgia. Os cirurgiões alegaram que ele estava mais profundo do que imaginavam e decidiram interromper o procedimento, realizar um exame de imagem mais detalhado para identificar o local exato do aneurisma e retornar ao procedimento no dia seguinte.

    Segundo susto: no dia seguinte, chegando ao hospital, fomos informados que minha mãe havia sido submetida à uma cirurgia de emergência, uma cranioectomia, pois após queda de sinais vitais, uma TC identificou hemorragia e edema. O que a cirurgia original se prestava a prevenir, ela mesma acabou causando.

    Terceiro susto: No mesmo dia, outra cirurgia de emergência para ampliar a cranioectomia e realizar uma drenagem, pois o edema seguia crescendo e a hemorragia ativa.

    Nesse momento, chegamos a perder todas as esperanças.

    Mas ela resistiu e, dois dias depois…

    O quarto susto: Mais uma cirurgia. O edema seguia crescendo e, como já haviam retirado todo osso possível, realizaram uma drenagem de coágulos para dar mais espaço ao cérebro.

    Quatro cirurgias em quatro dias em uma paciente que entrou saudável no hospital para fazer uma cirurgia “de baixo risco”. Minha sensação era de estar recebendo punhaladas no coração a cada nova surpresa.

    Felizmente, após a quarta intervenção, seu quadro estabilizou e segue estável desde então. A última TC indica pequena regressão do edema. Seu quadro clínico é bom, fez tráqueo, respira sozinha (que tortura aquele tubo do respirador na boca!), nada de infecções até agora e o médico da UTI deve dar alta para ela nos próximos três dias.

    Acreditamos (e realmente esperamos!) que estamos prestes a sair da fase crítica do estado agudo. E começamos a enfrentar as situações típicas de pacientes que ficam muito tempo acamados e sem movimentos. No momento, minha maior angústia é com a tonificação dos músculos dela. Ela faz fisio duas vezes por dia, mas é uma fisio bem básica. Imagino que não aprofundam muito este tema na UTI. Mandei fazer uma tala para seu pé esquerdo, que está ficando “pé de bailarina”, e passo as visitas massageando, dando tapinhas com a palma da mão côncava, abrindo, fechando e girando articulações, mas as vezes só tenho tempo de trabalhar um único membro dela.

    Outra coisa que me gera muita angústia é a oscilação da consciência perceptível dela. Até onde entendo, ela não está em coma nem em estado vegetativo. Há momentos em que ela responde a comandos (pisque o olho, aperta minha mão, mexa o pé, olha pra mim) e até demonstra se emocionar. Na verdade, não temos dúvida de sua presença e consciência nestes momentos. Mas estes momentos oscilam e há visitas onde ela simplesmente não responde.

    Claro que estamos há apenas 11 dias do trauma e os depoimentos aqui do blog já me deixaram claro que só estamos no começo do começo.

    Enfim, também encontrei o blog pesquisando sobre o assunto e tenho lido e relido os depoimentos, pois ajudam muito com as informações e também me conforta.

    Estamos estudando uma abordagem para fisioterapia e acompanhante. Se alguém tiver dicas e experiências bem-sucedidas nestes e outros temas, serão bem-vindas!

    E agradeço pelo espaço do blog e a disposição de quem leu até aqui. Ajuda a seguir respirando.

    • Olá Thiago,
      Meu nome é Renata Cugini e em janeiro 2006 sofri um Aneurisma roto subaracnóide.
      Fui hospitalizada para a clipagem,na época tinha apenas 31 anos e nunca pensei que isso pudesse acontecer, foi um grande susto.
      Imagino o que você esteja sentindo, pois pelo que conta sua mãe estava bem!
      Não me lembro de nada enquanto estava no hospital…Eu não cheguei ficar em coma, mas como os médicos diziam para minha família que era um risco “abrir” minha cabeça para estancar o sangue “Clipar” e que também eu corria bastante risco se não operasse pois o sangue estava se espalhando no cérebro, e nessa eu fiquei sem cirurgia por quatro dias e claro sentia dores fortíssimas e era medicada com morfina, que me deixava completamente confusa, então acredito que sua mãe esteja passando por isso,talvez as medicações sejam fortes. Minha família me conta que ora eu lembrava das coisas ora não.
      Thiago, hoje estou bem,embora tenha levado bastante tempo para assimilar o que tinha acontecido.
      As minhas sequelas são cognitivas,não fiquei com nenhuma sequela motora,mas a fisioterapia é importante.
      Não sei se consegui te ajudar,mas fique a vontade para fazer qualquer pergunta,quem sabe posso ajudá-lo.
      Boa recuperação p sua Mãe.

      • Oi, Renata. Grato pela resposta.

        Você em algum momento teve déficit motor? Algum lado paralisado? E quanto tempo passou no hospital? Agora que saímos do estado crítico, estamos tentando montar um plano de recuperação. Como foi a abordagem de sua recuperação nos primeiros três meses? Abraço!

  9. boa noite, meu pai tem 74 anos teve rompimento de aneurisma fez a cirurgia dia 25/09/17 teve infeção pulmonar , infeção d rins e infeção na cirurgia. hoje ele nao tem nenhuma infeção ele acordou so nao despertou tem movimentos braço e pernas abre os olhos, médico acredita que a sequela dele sera estado de sonolência. alguém tem alguma experiência parrcida que possa falar?

    • Olá Rosilene, meu nome é Renata Cugini e em 2006 também sofri um aneurisma.Foi um grande susto para todos da minha família, pois só tinha 31 anos.
      As minhas sequelas são cognitivas..Memória,atenção,oscilação de humor…Em compensação preciso tomar remédios para dormir!! É difícil falar com precisão de sequelas…Isso é muito individual… Tem pessoas que ficam com a parte motora comprometida.Que bom que seu Pai curou as infecções e que tem os movimentos dos braços e pernas.
      Essa é uma cirurgia bastante delicada!!.
      Acredito que aos pouquinhos ele vá se recuperando!!!
      Estou a disposição para ajuda-la.
      Boa sorte para seu pai!

  10. bom dia, meu nome é Iracema tive CA na tireoide. fiz a cirurgia e sei q hoje nao sou a mesma pessoa. me adiciona no grupo zap 75-99111-4022

  11. Ola, encontrei o blog apos muitas pesquisas sobre TCE, já estudei tanto sobre o assunto e ha sempre algo novo para aprender. E um conforto saber que sempre ha alguém pra ajudar, seja na troca de informações, palavras de força ou orações, as vezes só precisamos desabafar e através de depoimentos como os que eu encontrei aqui que conseguimos acender um puco de fé em momentos tao difíceis.

    Meu pai (57 anos) foi atropelado por um motociclista no dia 30/09/2017 onde ele sofreu um TCE com afundamento de cranio, o socorremos para a unidade de saúde mais próxima não esperamos SAMU , ele esteve consciente o tempo todo, apresentava tontura, dor na cabeça e sangramento pelo nariz.
    Já no Hospital de referencia para trauma em minha cidade ele foi submetido a uma craniotomia. Teve fratura afundamento frontal D + HSDA + laminar subjacente contusão temporal D. A cirurgia foi um sucesso sem intercorrências , porem ele ficou entubado e respirando através de aparelhos, era mantido sedado, ele esteve em estado grave , sei que nunca vou esquecer da forma que o vi apos a cirurgia , tive muito medo.
    Ele acordou , passou a a respirar responsivamente e no dia 02/10/2017 saiu da sala de recuperação para a enfermaria no dia seguinte já tirou a sonda e o dreno da cabeça, ele ainda tinha muito inchaço na cabeça seu rosto estava diferente e voz também, sentia bastante dor. Seu quadro foi evoluindo positivamente e no dia 08/10/2017 ele recebeu alta.
    Estamos em casa ele já retirou os pontos, estamos em estado de alerta, o medico informou que seu ultimo TC apresentou resultado normal. Aparentemente não ha sequelas. Mas já percebi que e cedo pra afirmar , ele ainda se queixa de dor na região do impacto, mas tem diminuído e quase não toma o medicamento pra dor, vai tomar por um mês Fenitoína .Senti dores ao passar muito tempo sentado ha um zumbido no ouvido percebo que seu equilíbrio ainda não é 100% e tudo isso só pude avaliar apos ler sobre o assunto, e encontrar o blog. O retorno com o Neurologista sera daqui ha seis meses( não sei por que tanta demora) onde ele vai repetir a TC, provavelmente irei levá-lo a outro medico antes. Me sinto um ignorante no assunto e busco todos os dias aprender formas de ajudar na recuperação do meu pai.

    Tenho vivido dias difíceis , mas sou grata a Deus por que ele nos deu uma segunda chance, a recuperçao do meu pai or que sei que foi através da fé que hoje posso contar esta historia sei que terá um final feliz , para aqueles que em algum momentos se sentirem abandonados lembre que e neste momentos que Ele te carrega.

    Gostaria de trocar informações, princialmente sobre a recuperação das vitimas de TCE, ainda preciso de um norte por onde devo começar.
    Muito obrigada aos mantedores do blog, a todos por dividirem sua historias sei que não é fácil, seja pros familiares como para os pacientes, mas tudo e suportável quando se tem fé.Essa historia é sobre o meu milagre.
    Abraços!

    • Olá Flávia, fico feliz pela breve melhora de seu pai, e te acalmo dizendo que tais sintomas sao bem comuns.. provavelmente medico marcou retorno mais p frentr p aparecerem todas as possíveis dúvidas…
      Sofri TCE grave faz quase 8 anos… Recuperei o equilíbrio c muita fisioterapia..mas a coordenação ainda me falta algumas vezes.
      Busque fono fisio T.O o q for preciso para melhora ..mas indico após uns 3 meses do trauma..e melhora fisica, uma passada numa neuropsicologa..um beijo
      Visitr nosso simpósio sexta e sábado agora rm SP!! Será ótimo!!

      • Ola Bruna, fico feliz em te-los encontrados , saiba que todas as dicas são muito validas e tenho levado em consideração todas! me ajudam muito em todos os momentos, hoje fico a observar o comportamento dele físico e psicológico e esse norte consegui por aqui.
        Adoraria visitar o simpósio , mas estou a muitos quilômetros de distancia rsrsrsrsrsrs. Quem sabe no próximo.

  12. Oi gente bom dia .. bom eu já falei aqui algumas vezes, mas estou com uma duvida é preciso de ajuda. Faz 1 ano é 3 meses que tive um TCE. Não tive nenhuma sequela física, a única coisa é que eu perdi um pouco a memoria e não sou mais a mesma, muitas coisas q gostava hj não gosto mais. Tentei voltar a trabalhar mês passado e não consegui, não lembro as coisas, me sinto perdida no q fazer e me canso facilmente. O que está me incomodando muito é que eu falo as coisas sem pensar .. coisas q machucam os outros, eu nunca fui assim, sempre me preocupei muito com as pessoas mas agora não to nem ai. Estou passando por uma psicóloga que de verdade não está adiantando e por psiquiatra q receita os remédios. Eu leio muito sobre isso e vejo q tudo o q eu passei é normal, mas as pessoas acham q estou com frescura .. não sei como enfrentar isso. Vou tentar ir na palestra em SP .. Eu acho q a verdade é q não vou melhorar né, vou ter q aprender a conviver com o q me tornei .. como é dificil

    • Boa tarde Érica, paaaei por estas dificuldadrs yb.. retornei ao trabalgo e fui demitida pq” perdi o freio” falava sem pensar..quem me ajudou a sair dessa situação foi uma neuropsicologa.. psicóloga não adiantou. Ima neuropsicologa entende como lesoes cerebrais nos afetam..e ensinam truques para evitarmos iaao..passe em uma.. vc é de onde?

    • minha filha ficou com raiva de mim depois do avc como se eu quissese que isso tivesse acontecido, ela tem raiva porque nao tenho mais s mesmas locomoçoes motoras sera normal isso

  13. Olá, novamente!

    Passei pra deixar registrado aqui, que este blog tem me ajudado muito, o depoimento e as dicas de cada pessoa tem contribuído intensamente para a melhoria de todos nós.
    Agradecendo também à companheira Elaine, que tem me ajudado muito nessas orientações, com sua experiência junto à seu filho.
    Pessoal, se houver algum grupo no whatsapp de pessoas que passaram por um TCE, LAD, etc, agradeço se me adicionarem: 82999793018.

    Obrigado.

    • Oi Davi! Que bom saber que o blog tem te ajudado! Vc não imagina como isso me deixa feliz. Sou a Fernanda! Meu depoimento é o primeiro daqui.
      Vou pedir para os 2 grupos de WhatsApp sobre lesão que eu participo para te adicionarem, ok?
      Vc é de S.P.? Tá sabendo sobre o simpósio que faremos agora 20 e 21 de outubro em SP.? Eu divulguei aqui (abaixo). Se for possível, vá que com certeza vc não vai se arrepender! É gratuito e as inscrições são limitadas!
      Um forte abraço
      Fernanda

      • Olá, Fernanda!
        Concerteza esse blog merece ser indicado a um prêmio de reconhecimento de projeto social exitoso.
        Moro em Maceió, Alagoas.
        Soube do evento é gostaria muito de participar e conhecer alguns dos colegas aqui. Mas infelizmente a distância torna inviável a minha ida.

        Mas ficarei alerta para o compartilhamento das informações do evento.
        Agradeço muito a todos.

        À disposição.

      • Muito obrigada Davi! É muito bom saber que através do blog consigo ajudar algumas pessoas. Vi que vc já conversou lá no grupo! Espero que tenhamos outra oportunidade de nos conhecermos! Quem sabe Simpósio do ano que
        vem!!!! Abraço

      • Oi Fernanda!
        Se puder me adicionar nestes 2 grupos de Whatsapp também, agradeço. Como Davi falou, este blog também tem me ajudado muito desde o acidente do meu marido em Junho de 2016. Já escrevi algumas vezes aqui.
        Infelizmente não conseguiremos ir no simpósio, quem sabe um próximo. abs
        21 988046462
        Obrigada
        Carine

      • Fernanda, coloca eu no grupo do waths também, faz 9 anos do meu acidente, e faz uns 8 anos qie procuro alguma coisa relacionado ao meu acidente, tambem tive tce grave, mas nunca achei nada que queria, faz uma semana que achei esse blog, achei perfeito, era tudo que eu precisava, ja conversei com a elaine, uma pessoa que entro na minha vida pra me ajuda, ela é uma pessoa muito informada e que vi que nos ajuda, eu moro em paraibuna sp, umas 3 horas daqui ate sp, vou fazer de tudo pra mim ir nessa palestra, vi qie vou aprende muito e saber o que preciso pra minha vida, pra minha memoria… 12 997371088 obrigada desde já

      • Ola, Descobri o blog também apos muita pesquisa ele é fantástico. Meu pai Sofreu um TCE e desde então busco informações , troca de experiencia.Se possível me adiciona no grupo de whatsApp também. 8599192260.Desde ja te agradeço!

      • Oi Fernanda, eu gostei muito do blog, parabéns! Eu tive um acidente automobilístico e tive um tce há 1 ano e 3 meses, desde então muitas dúvidas surgiram. Eu gostaria que vc me colocasse no grupo do whatsapp, se possível.

    • Nossaaaa, como fiquei feliz por vc nesse novo processo de tratamento! É isso aí!!! Bora pra frente!! Tá descobrindo coisas novas!!! ESSE BLOG É MARAVILHOSOOOOOO.
      PARABÉNS BRUNA E FERNANDA, Ajudar ao próximo é bom demais!

      • Obrigada Elaine, mas o blog conta com ajuda de muito mais pessoas, um ajudando o outro faz muito bem e nos ajuda em nossa recuperação, por isso recomendo a TODOS que contribuam, postem dúvidas, o expliquem como enfrentaram suas dificuldades, isso pode auxiliar muitas pessoas que tenham dificuldades semelhantes
        Ajudem os outros!!!
        Isso faz com que você se sinta ativo novamente, que é o que atrapalha nos atrapalha muito, nos sentirmos inativos, por pior que seja sua dificuldade, você ainda é capaz de auxiliar alguém. =)

  14. Olá, Nathália!

    Coincidentemente, sou Engenheiro Agrônomo, e sofri meu TCE grave em Julho do ano passado. Fiquei uma semana em coma, é um total de 22 dias internado.
    Na época, fazia Mestrado Profissional na Universidade Federal de Alagoas. Passei e passo por todas essas dificuldades que vc descreveu, mas com muita força de vontade e com o apoio dos professores, eu voltei ainda no mesmo semestre, consegui terminar as disciplinas e agora estou tentando fazer minha dissertação para concluir o curso.
    O grau de dificuldade é muito alto, pois a memória tá ruim, a vontade de estudar é mínima, a concentração pra ficar na frente de um computador, tá pior ainda. Mas estou mais perto do que longe de terminar, e vou fazer isso.
    Um medicamento que me ajudou muito foi o Stavigile, meu neurologista que passou e até hoje tomo, ele tira o sono e deixa a pessoa mais ativa e com vontade de fazer as coisas.
    Mas agora irei iniciar uma nova etapa do meu tratamento, estou com um novo Neuro, que tem uma visão mais atualizada de nosso problema, que não observa só a parte física.
    Estou fazendo eletroencefalograma e Ressonância Magnética para ter um diagnóstico mais aprofundado da minha situação, TB irei iniciar uma avaliação neuropsicológica com uma Neuropsicóloga afim de identificar quis os meus reais problemas cognitivos, depois dos resultados dessa avaliação, iremos trabalhar para tentar reabilitar o máximo possível desses problemas, mas já sabendo que nunca mais serei o mesmo.
    Então é isso, Nathalia, depois de um ano, descobri que fora a família, o profissional que pode ajudar mais é o Neuropsicólogo, até mais que o neurologista. Mas continue vivendo sua vida, vai ser um pouco mais difícil concerteza, mas procure seguir esses caminhos que os problemas serão minimizados.
    Estou às ordens.
    Abraços.

    • Oi davi, praticamente os mesmos problemas, como é tão dificil ne, eu tentei uns 3 anos na agronomia, entrava e saia, ai vi que ia continuar ser dificil, ai desisti, tenho um tio agronomo, pensava em seguir na mesma area que ele, mas foi dificil, to querendo fazer engenharia ambiental, e quem sabe fazer um pós de agronomia, ou pos de segurança do trabalho, porque sou tecnica de segurança do trabalho, as dificuldade vem, mas vi nesse blog que é possivel tentar de novo o que voce quer, a elaine me deu muitas dicas, e vc tbm, dia 25 vou no neuro, vamos ver o que vou conseguir, iaa pedi ritalina porque vou estuda pra prova da policia, mas vi que a varios remédios melhores, obrigada por responde meu depoimento e parabéns por vc ser um agronomo, vc vai sempre melhorar e realizar todos os seu planos de agronomo… pede pra coloca eu no grupo de tce… meu numero é 12 997371088

  15. Oi, sou a nathalia rangel, eu tive um acidente de moto no dia 28/07/2007, primeiro dia das ferias da faculdade de Agronomia, eu tava indo embora pra minha cidade com minha amiga, eu tava atraz da moto, eu nao lembro de nada do acidente, lembro so que paramos em uma lnchonete da rodovia, eu tirei o capacete e na hora de colocar, eu nao amarrei ele, pra mim eu ja tava chegando na minha cidade, ai nesse acidente eu tive TCE, quaze morri, tive 1% de chance de viver, fiquei em coma na hora que tava fazendo uma cirurgia, e nessa cirurgia, teve que tirar a calota craniana so lado esquerdo da minha cabeça, e colocar no abdomem, fiquei em coma 5 dias, e mais 10 na uti e no quarto, fiquei pouco tempo, mas os medicos achava que eu ficaria de 45 pra mais, mas nao… quando eu fui embora pra casa, eu tava careca, eu nao mexia nada do lado direito, e não falava, com o tempo fiz fisio e muita fono, eu nao falava um A… mas com minha força de vontade, fiz muita fono, comecei fala tudo errado, quando queria fala eu mudava palavras, as vezes eu queria fala mas esquecia o aue ia fala, mas graças a Deus eu estou aqui firme e forte, mas nao 100%, depois no outro ano eu voltei pra faculdade, mas nao consegui acompanhar, o professor falava e eu nao tava entendendo nd, pra mim era e é tudo rapido, minha memora nao acompanha, resumindo:
    Cognitivas
    – Atenção e concentração: dificuldade em manter-se atento na realização de uma tarefa, ou num pensamento, sendo fácil distrair-se.
    – Linguagem e comunicação:
    dificuldades na compreensão do que é dito, ou na produção do discurso; podem surgir problemas na leitura e na escrita.
    – Percepção: dificuldade em organizar e compreender informação sensorial.
    – Memória: dificuldade em recordar-se.
    – Raciocínio lógico: dificuldade em utilizar o pensamento para resolver problemas.
    Eu fiquei assim, pra mim é muito dificil, pras pessoas eu to normal, mas eles nao sabe o que sinto o qie fico em mim, na minha memoria, eu gostava de canta, De toca violão, mas agora pra mim é dificil, eu nao consigo grava as coisas, posso coloca uma musica e escuta 1000 vezes, eu nao consigo grava ela, na faculdade eu era assim tbm, parecia que as palavras nao entrava na minha cabeça, eu tentei agronomia 3 anos, eu entrava e saia no meio do ano porque era dificil, mudei de faculdade e fui fazer ed fisica, mas pra mim td era e é dificil, fui faze tecnico de segurança do trabalho, terminei, mas terminei daquele jeito, com prof ajudando, as colas, mas agora é dificil pra mim, mesmo tendo terminado, praticamente nao lembro das coisas, como trablha assim, eu ja trabalhei em fabrica, em refinaria, agora to de motorista, mas o que quero mesmo era volta pra faculdade e fazer uma engenharia, mas tenho medo de entra e nao consegui acompanha, sempre procuro alguem que fico igual eu, mas nao acho, preciso de alguem pra me ajuda, ajuda falando como faço pra voltar como eu era antes, com a memoria boa… tive uma filha depois do acidente, tenho um marido, nessa oarte estou muito feliz, mas a minha cabeça, minha memoria, naodeixa eu fica melhor ainda, sera que tem algo que posso fazer ora melhora? Obrigada desde já…

    • Querida, ligue no meu wats 11 982019088, posso ti dar algumas informações, estou há 13 anos nesse processo de TEVE de meu filho, moro em SP, posso ti ajudar, me liga❤❤❤❤❤❤❤

    • Boa tarde, infelizmente entendo q você passou e passa, me acidentei no ano em que me formava,tive que aguardar um ano para me formar.. após resolvi fazer uma pós e nao me lembro do que aprendi..tb tive ajuda para me formar.
      Minha memória melhorou bastante, mas infelizmente nao volta, melhorou com a ajuda de “dicas” de reabilitação de uma neuropsicóloga. Que utilizo até hoje, faz quase 8 anos.
      Prestei um concurso numa vaga para deficientes, pois achei que entenderiam minhas dificulades, afinal, entrei como deficiente, tengo dificuldades, mas levou 1ano para realmente aceitarem minhas dificulades.
      Não desanime, muito boa sorte!

      • Oi bruna, deixs eu te pergunta, voce consegue grava coisas, quando vc fez faculdade, vc consegue grava musicas? Tenho vontade de volta a faculdade, mas tenhi medo de não conseguir, eu ja fiz prova da policia, mas nunca passei, pensei em coloca como deficiente, mas fiquei com medo de nao adianta nada, vou passa no neuro de novo pra pedi ritalina lra mim estuda, vou faze a proxima prova da policia, mas não tenho paciencia de estuda, de ler, nao tenho vontade sabe.. porque sei aie nao vou entende nada, sera que existe um milagre pra mim volta o antes, ou melhora? O que vc faz na neuropsicologa? Ela te ajuda como? Me add no waths 12997371088

      • Como é essa dica de reabilitação? Preciso de alguma coisa assim, tenho vontade de chora, para as pessoas, eles acha aue to bem, mas ele nao entende, eles não sente o que sinto, a dificuldade, porque jogo basquete, dirijo, eles cha que to 100%, mas nao, isso eu ja sabia fazer antes do acidente… to querendo ir na palestra dia 21 em sp, mas vou ver porque moro um pouco longe rs…

      • Oi Bruna, não sei como postar algumas informações, só sei nesse ” responder ” sou bitolada mesmo!

        Bom é o seguinte, p/ quem teve AVC , hemiparesia ou tem mobilidade reduzida, tem sites de materiais onde vc desenvolve sua autonomia de vida, vida diária, o simples passar manteiga no pão, até cozinhar , infelizmente no Brasil não tem nada, mas se alguém quiser comprar fora ou empreender aqui, éinteressante……vamos lá…

        Site na google : colocar… kitchen tools for disabled……aparecem vários sites
        Também tem esses equipamentos no Amazon.com
        Até onde vi ninguém entrega no Brasil infelizmente, em SP tem uma empresa a MM, carésima, essa faça por exemplo na faixa de 150 a 200 reais, nos USA custa U $ 20.

        Meu filho tem a faça em T , o de passar manteiga ou geléia, o de abrir pote de geléia que pode ser colocado no “teto ” do armário, enfim, uma infinidade de coisas…..é bem legal! Infelizmente tive que descobrir tudo sozinha nao tive uma T.O. que indicasse absolutamente nada, tudo que aprendi passo pra frente, espero que auxilie. Bjs

      • desculpe a demora.. creio q falei c vc no whats hoje rs se não foi me desulpe segue meu whats ai fale comigo mas por favor explique que eh do blog, 11 961944112

  16. Minha mae teve um infartou e logo depois a parada cardica foi feita a massagem cardica ate o samu chega os medicos disseram q ela ta em coma vigente abres os se mexe um pouco mas nao responde os estimo estamos muito preocupado pois os medico falam q ela pode fica nesse estado vegetativo o resto da vida me ajude o q podemos fazer foi dia 25/09/2017 ela ainda ta na uti

    • Oi querida, calma! Meu filho ficou em coma vigil 3 meses!! Sabe quando pensam que a pessoa está dormindo e vc vira ela do lado e ela abre os olhos ? Chamam de olhar boneca pós TCE, é horrível e triste , a pessoa fora de si e pupilas dilatadas !!hj está super bem !!! Se quiser ligue pra mim 11 982019089 ,

    • Boa tarde, infelizmente entendo q você passou e passa, me acidentei no ano em que me formava,tive que aguardar um ano para me formar.. após resolvi fazer uma pós e nao me lembro do que aprendi..tb tive ajuda para me formar.
      Minha memória melhorou bastante, mas infelizmente nao volta, melhorou com a ajuda de “dicas” de reabilitação de uma neuropsicóloga. Que utilizo até hoje, faz quase 8 anos.
      Prestei um concurso numa vaga para deficientes, pois achei que entenderiam minhas dificulades, afinal, entrei como deficiente, tengo dificuldades, mas levou 1ano para realmente aceitarem minhas dificulades.
      Não desanime, muito boa sorte!

  17. MEU NOIVO GILLIARD SAIA DA FACULDADE DE MOTO QUANDO UM BEBADO INVADIU A CONTRAMÃO. ELE QUEBROU PERNA EM 3 LOCAIS, BRAÇO, PERFUROU PULMÃO, TEVE TRAUMATISMO CRANIANO GRAU 3 NÃO CIRURGICO E LESÃO NA PARTE DAS ARTICULAÇÕES, ALÉM DE PEQUENAS LESÕES ESPALHADAS. O ACIDENTE FOI DIA 14/09, NO DIA 26 SAIU DA UTI, ESTÁ REALIZANDO MAIS CIRURGIAS NOS MEMBROS. FALA, ESCUTA, SE MOVIMENTA, FICA AGITADO, MOVIMENTOS REPETIDOS NA MÃO QUE NÃO QUEBROU, FORÇA LINGUA NOS LÁBIOS, SUA MUITO, NÃO LEMBRA DE MIM OU DOS FAMILIARES. HAS VEZES LEMBRA, MAS NÃO SABE O QUE É. FALA DE COISAS QUE NÃO EXISTEM OU NUNCA EXISTIRAM. TRISTE VER UM MENINO INTELIGENTE E INTEGRO PAGAR PELO ERRO DOS OUTROS. PERGUNTO: É MUITO CEDO PARA FALAR DA MEMORIA DELE? SERÁ QUE VOLTA? OBRIGADA!

    • Oi por experiência própria a minha memória voltou, não sei ao certo em quanto tempo mas em menos de um ano já tava tudo certo. Agora hoje já faz mais de três anos e ainda não consigo andar sozinha… E as vezes me aborreço. Mas acho que é normal por causa do tce que tive, acho que a minha recuperação já está bem… Acinda não sei até quando mas eu tenho certeza que ainda volto a caminhar

  18. OI MEUS QUERIDOS QUE ENTRAM AQUI NO BLOG…
    ABAIXO COLOQUEI O FOLDER QUE FALA SOBRE O IV SIMPÓSIO QUE O CPN DE S.P. ESTÁ FAZENDO…

    PACIENTES, FAMILIARES E AMIGOS DE QUEM TEVE QUALQUER LESÃO NO CÉREBRO (T.C.E., ANEURISMA, A.V.C., TUMOR CEREBRAL, ETC), NÃO PERCAM ESTA OPORTUNIDADE DE SABER MAIS SOBRE O QUE ACONTECE COM QUEM TEM LESÃO E COMO SE PODE AJUDÁ-LA!!!

    O EVENTO É GRATUITO. VOCÊS SÓ PRECISAM MANDAR UM E-MAIL (recepcao@cpnsp.com.br) PARA RECEBEREM A FICHA DE INSCRIÇÃO.

    SERÁ DIA 20/10 À TARDE E SÁBADO, 21/10, MANHÃ E TARDE.

    AS VAGAS SÃO LIMITADAS. FAÇAM AGORA SUA INSCRIÇÃO. ESSE SIMPÓSIO, MUITAS VEZES, É UM “DIVISOR DE ÁGUAS” NA VIDA DA FAMÍLIA E/OU PACIENTE.
    EU E BRUNA ESTAREMOS LÁ.
    MINHA PALESTRA SERÁ SÁBADO 14:40H. TEREI O MAIOR PRAZÊ-LO EM CONHECÊ-LOS PESSOALMENTE.

    GRANDE BJO
    ATÉ BREVE!!!!!!!
    FERNANDA

  19. Bom dia pessoal entrei em um grupo no WhatsApp que descobri aqui no blog. É LAD o nome do grupo. Mas acho que pelo fato de eu ter tido um tce, não tive LAD não, pois meu comportamento não condiz com o que relatam. Bem no início há três anos atrás eu tinha alguns episódios… Mas agora não mais nada disso, só um pouco de irritação mas é muito raro acho que o que me ajudou foi o cloridrato de sertralina que tomo todo dia. Uma vez que parei eu notei um stress bem maior…alguém sabe me dizer se tce e lad andam juntos?

    • Sim, tce eh traumatismo cranio encefálico, e o LAD eh lesão Axonal difusa eh o rompimento dos neurônios oq podeo correr pelo traumatismo.. e torna nosso raciocínio lento

  20. Olá Bruna e FErnanda, fico muito feliz de achar um meio como esse para ajudar aos acidentados e familiares a encontrarem seus iguais e também ajuda. MEu pai sofreu um acidente de carro em 08/03/17 ficanso 60 dias no hospital. Teve TCE frontal, com outros traumas no corpo, perfuração do pulmão, estilhaços pelo corpo, enfim, um acidente muito feio como a maioria dos que li por aqui. Graças a Deus a recuperação dele foi fantástica, resultando como sequela a perda parcial da visão direita e a voz que está um pouco rouca devido a traqueostomia realizada.

    Agora há pouco mais de 1 mês observamos que ele está com algumas mudanças de comportamente, principalmente no que diz respeito aminha mãe, dizendo que ela tme um amante, que estava com ele enquanto ele estava no hospital. Desconfiou dela com um amigo e agora com um funcionário da empresa. Ele está um pouco exaltado, fala para elas coisas que normalmente nunca diria e hoje falou para mim que provavelmente vai se separar dela. Esse comportamente não condiz com o perfil dele. Eles são casados á 36 anos, na mais perfeita harmonia. ele nunca desconfiou dela, assim como ela nunca deu motivo para isso. Estou bem preocupada, pois moro fora do Brasil, ele tem uma arma em casa e hoje disse que ia trocar por outra mais nova. Isso nos deixou em pânico. Nãosei que tipo de ajuda procurar: neuro, psiquiatra, terapia? Ele está indo ao psicólogo, juntamente com ela, mas ela não indicou nada de stess pós-trauma. Poderia dar uma opinião a respeito? Arbraços e muito obrigada.

    • Boa tarde Marcele, bom saber que seu pai se recuperou bem .. tento te acalmar dizendo que são comuns mudanças de humor.. eu passei por isso..passava por surtos..falava coisas sem pensar.. cheguei a quase agredir.. o q era totalmente diferente da bruna de antes.. entao, fui a um psiquiatra não,nao queria ir a um medico de loucos, rs mas descobri que não é um médico de loucos e me ajudou muito, me indicando um medicamento que me acalmou. Depois no simpósio sofre lesões encefálicas adquiridas, que ocorre todo ano em SP, me informaram que leaao cerebral adquirida, diminui a produção de hormônios em nosso corpo, como a serotonina, que é o hormônio da felicidade, e qur tal remédio, repõe tal produção.
      Nao sofro de convulsões mas o remedio que me indicou foi um anticonvulsivo, e me ajuda muito… Indico levar todos os exames e dificuldades dele à pisiquiatra e ver se indica algum medicamento, ase tiver dúvidas leve-o a outro psiquiatra. Mas busque melhora sempre! Depois indico passar em ma neuropsicologa .. q eh uma psicóloga que entende de danos cerebrais.
      Espero ter ajudado.um beijo
      Bruna

    • Oi querida, pra mim , o pior da TCE é o frontal, pois é o nosso ” semancol , o filtro, o pensar antes de falar , déficit de memória, muitos vão para a agressividade, e muitas vezes para o sexo, todo aquele lado primitivo vem a tona pós TCE frontal, é preciso mesmo e urgente um neuro-psico ( não esse psicólogo normal !, que trata de panico, depressão, um que entenda mesmo lesões cerebrais pós TCE ), conheço gente boa aqui em São Paulo, as vezes há a possibilidade de fazer sessões via Skype, é preciso o trabalho de toda a família , normalmente funciona assim: sessão 1 x p/ semana com o paciente e 1 x p/mes com a família junto, porque ? é exposto as conquistas e as dificuldades encontradas por não conquistar, um ótimo psiquiatra é fundamental p/ as medicações pra segurar as agressividades e outras disfunções , nesses 13 anos e 1/2 que meu filho vem sendo tratado, a procura foi imensa e nada dava certo, faz uns 4 anos que descobri um muito bom e trabalha com medicação de ponta ! Qualquer dúvida sobre outros tratamentos deixo meu whas 11 – 98201-9089
      abs
      Elaine

  21. Bom dia
    Também tive um tce após um acidente de carro e meu cérebro apagou tudo na época (3 anos) mas pouco tempo depois a cognição voltou totalmente embora eu ainda não consiga caminhar, já faz três anos, encontrei esse blog na Internet e fiquei muito feliz em saber que ainda tenho chance de ter uma vida normal ao ver o vídeo da Fernanda e ler o depoimento de outras pessoas.
    Hoje faço diversos tratamentos, inclusive neuro feedback e hipnose além de fisioterapia e hidro, mas o que me incomoda é que não tenho nenhuma fratura o problema é só nos comandos do cérebro sempre acho que vou cair não tenho equilíbrio. Consigo caminhar em casa por curta distância com uma bengala, para distância maiores preciso da ajuda de alguém só pra pegar na mão.
    Vou deixar meu WhatsApp pra contato (88 999075041)

    • Verônica fico feliz por ter obtido melhora, eu perdi im pouco do equilíbrio também, recuperei com muita fisio… Teremos im simpósio sobre lesao encefálica adquirida em SP em Outubro.. avise caso queira ir… É ótimo para tirar nossas duvidas e de nossos patentes. Bju

      • Olá Bruna!
        Este simpósio é então aberto a pacientes e familiares? Tem mais detalhes desse evento? Aonde vai ser?
        Obrigada!

  22. Rirar uma duvida alguem do grupo depois recuperação tomou cerveja e não teve nada
    Pq amo tomar final semana e tive um avc esquimó não ficou sequelas sera que posso

    • Silvana, creio qie a melhor pessoa para lhe responder seja o seu medico, pois sabe exatamente a area afetada, que difere muito de pessoa pra pessoa, tal diferença pode ocorrer por milimetros…um bju

  23. Boa noite ! Eu gostaria de saber se é possível alguém ficar com falha na fala e memoria apos um coma .
    Pq meu namorado passou um nervoso muito grande e ele é hipertenso diabético.
    Sofreu um ataque cardiaco fez cateterismo e está se recuperando mais não se lembra de nada e nem fala direito.
    Eu gostaria de saber se nervosismo pode ter aumentado a diabetes dele a ponto de afetar a memoria e a fala ou se foi o ataque cardiaco ou o coma apos a cirurgia .
    Será que dependendo do que causou essa perca na função cognitiva tem cura .?
    Ele mora em São Bernardo do Campo e tem 61 anos .
    Será que ele nunca mais vai se lembrar de mim ?

    • Boa noite Luiciana, imagino o tamanho do seu sofrimento e angustia,
      sinto muito pelo ocorrido, mas não entendi bem o caso, o que realmente ocorrei com ele? ele teve algum dano cerebral?
      Se houve dano cerebral, a perda de memória é comum, eu tive dificuldades na fala, e precisei de muita fono para melhorar,
      TUDO melhora nos casos de lesão cerebral, que não entendi se ocorreu com eles, mas demora mais do que o normal e necessita muito estímulo.
      Eu tenho problemas cognitivos que não tem cura mas existe melhora, através de alguns truques que minha neuropsicóloga me ensinou lido muito bem com essas dificuldades.
      Espero ter esclarecido.
      Se namoram faz algum tempo ele vai lembrar com o tempo, não o cobre.=)
      Bruna

  24. Ola querida Fernanda tudo bem?

    Há muito tempo que não passo por aqui. A minha irmã Vanessa tem melhorado muito e esta semana passada decidiu fazer uma página de facebook para partilhar a historia dela e para que outras pessoas partilhem tambem, para se poderem ajudar mutuamente. Convido-a a passar por lá para deixar o seu testemunho, seria muito importante para ela perceber que nada é impossivel e que vale a pena lutar.

    E já agora convido todas as pessoas que por aqui passaram no blog para deixarem os vossos testemunhos na página de facebook da minha irmã.

    A minha irmã teve um acidente de carro a 2 de Maio de 2015 o qual originou um TCE de grau 8. ficou em coma por vários dias e os médicos não tinham esperança nenhuma. Até que ela conseguiu recuperar nestes dois anos e meio quase a 100%. Não deixem de lutar a fé move mundos!

    https://www.facebook.com/Viver-e-ir-à-luta-113907119326789/

    Aqui fica a página para visitarem.

    Muito obrigada :*

    • Obrigada Rita,
      Parabenize a Vanessa, pois sempre que buscamos auxiliar os outros, sinto que nossa luta melhora ainda mais.
      Um beijo Bruna

  25. Olá gente, boa tarde. Meu nome é Bruna e eu tenho uma dúvida. A 20 dias minha tia sofreu um TCE grave, os médicos deram 1% de vida pra ela e se sobrevivesse iria ficar sem andar, talvez em estado vegetativo, ela teve que fazer 2 cirurgias na cabeça, ficou uma semana em coma induzido e quando acordou teve uma boa recuperação e com 18 dias já estava em casa, ela fala bastante, só que não fala nada com nada as vezes, ela tem uma boa memória se movimenta bem, ela anda bem, só que precisa de ajuda, porQ ela anda muito rápido e a gente tem medo dela cair e as vezes tem tontura então sempre tem gente segurando ela. Eu gostaria de saber com quanto tempo vocês procuraram ajuda de um fisioterapeuta, de um psicólogo e outros?

    • Boa noite Bruna, sinto muito pelo ocorrido, primeiro busque a melhora física, fonoaudiologia, fisioterapia, o que dor necessário para isso.
      Fui acompanhada por uma neuropsicologa desde o início, mas só fui realmente entender o que me ocorria, e perceber como ela me ajudava após o 3 ano.
      Passei com psicóloga também, mas quem realmente me ajudou foi uma neuropsicologa especialista em reabilitação .
      Tratamento muda dependendo da area lesionada e do grau sa lesão. Primeiro conserte a parte fisica dela.😉 Um beijo

    • ola, meu amigo sofreu um TCE grave em 22/06/2017, saiu a menos de duas semanas do hospital, caminha, fala com dificuldade, porem esta muito agressivo, temos que pedir perdão, se não ele agredi a socos, gostaria de saber se tem algo, que ele possa fazer, para ficar calmo, menos ansioso, antes do acidente ele não era assim, tenho medo dele agredir a mãe dele e a irmã que estão cuidando dele, os remédios, não estão fazendo muito afeito. não sei se compro livros para ler, jogos alternativos de aprendizagem, ele passa o tempo todo andando de um lado para outro, querendo ir pra casa dele, porem ele não pode sair, e nem ir a casa dele, pois ele pode pegar a moto dele e sair e se machucar mais, na rua pode agredir alguem e alto e forte seria impossivel segurar, alguem poderia me auxiliar?

      • Oi querida, alguns tipos de alterações comportamentais é normal, existe controle, precisa de um bom psiquiatra p/ receita-lo, meu filho teve coisas parecidas, hj ele toma Depakote 500 mg , 3 x / dia e Brintelix 10 mg 1 e 1/2 p/ dia, está sob controle, mas quando ele esteve nesse quadro bem parecido com seu amigo, o médico 1° deu um “sossega leão “, pra depois começar o tratamento, esse sossega leão era o respiridona, que é dado pra esquizofrênica, algumas medicações são indicadas pra um determinado caso ( a bula ) , mas na verdade , ajudam em outras, só um bom psiquiatra faz esse tipo de “troca”.
        Foi muito difícil eu achar um psiquiatra competente, mesmo estando em São Paulo.
        Uma neuro-Psico também pode ajudar, aliás, ele necessita disso.
        Força! Qualquer coisa estou por aqui!
        Bjs

  26. Meu nome é Angela meu irmão tem 28 anos sofreu acidente de moto em 07/05/2017 teve traumatismo craniano, quebrou a cabeça em alguns lugares, teve sangue no cérebro, vários ematomas, e quebrou a cravicula, tiveram que fazer cirurgia na cabeça dele o osso ainda está na barriga, ele anda tonto, os braços meche normal porém ele as vezes tenta agredir principalmente na hora do banho, ele fala bem pouco e não fala coisa com coisa, aparentemente ele não reconhece as pessoas e não lembra de nada, não sabemos direito já que não fala quase nada, gostaria de saber quanto tempo demora para ele se recuperar e também se ele vai continuar agressivo ou piorar???

    • Olá Ângela
      Olha te digo que tais sintomas costumam der comuns em vitimas de lesões cerebrais adquiridas, como nós
      Nossa recuperação ocorre, mas re forma mais lenta, e depende de esforço.
      O tempo fica impossível dizer, pois depende do grau da lesão e área lesionada.
      Quanto a agressividade soh consegui controlar a minha após 5 anos, com a ajuda de medicamentos indicados por um psiquiatra, soube que tais lesões fazem nossa produção de hormônios,como a serotonina ( da felicidade) diminuírem, mas com remédios de regulam.
      Fé e PACIÊNCIA!!
      Uma LEA não é como um tombo de bicicleta, no qual vc levanta e tá bem..infelizmente.
      Um beijo e melhoras

    • Querida, como a Bruna disse, é um quadro normal, porém difícil, isso chama ” alteração comportamental pos6traumatismo crânio encefalico “, terá que ver um psiquiatra para dar medicações adequadas tipo ” acalma leão ” , existem várias medicações, mas ainda é muito recente esse traumatismo, tenha paciência, cada dia é um dia, o cérebro tem que acomodar, tente achar um psiquiatra com experiência em pós traumatismo, talvez o neurologista que está atendendo pode indicar e posteriormente uma neuro-psicóloga, não pode ser qualquer psicóloga, tem que ter experiência em pós traumáticos!! ! As ” normais” , não entendem muito!
      Fique com Deus, qualquer coisa estou sempre recebendo informações desse blog e tentando ajudar com informações! Bjs

  27. Boa Tarde. Meu nome é Thiago José, sou de Alfenas, sul de MG. Meu pai tinha 67 anos e foi levar minha esposa em casa no dia 21/06/2017, pois ela estava ajudando em vários partos até tarde, (ela é enfermeira obstetra) e eu não pude levá-la embora. Acontece que em um cruzamento, um jovem drogado e alcoolizado passou na placa pare em alta velocidade e atingiu a lateral do carro que eles estavam. Minha esposa e meu pai foram internados em estado grave, ambos com TCE grave e com LAD e como meu pai já tinha idade avançada acabou não resistindo e veio a falecer no dia seguinte. Minha esposa permaneceu na UTI com TCE Grave gerando LAD com mais intensidade no corpo caloso e no mesencefalo, por mais 10 dias, voltando do coma aos poucos, ficando lá esses dias controlando a pressão intracraniana. Após esses 10 dias na UTI foi para o quarto ainda com pouquíssima consciência, abrindo apenas um olho e em apenas alguns instantes do dia e com o lado direito todo paralisado, não falando, não comendo, não andando. No dia 10/07/2017, teve alta e foi para a casa, porem ainda bastante inconsciente e com todas as limitações que disse acima. Nesse inicio, nessa volta dela pra casa foi muito, muito difícil, pois ela usava sonda nasenterica, cerca de 5 trocas de fraldas por dia, tinha que virar ela na cama, não parava sentada, enfim, tudo muito difícil e ela muito paralisada. Os dias foram passando e com a fono intensa ela voltou a comer de tudo e graças a Deus voltou a falar também. Inclusive já tendo alta da fono. Com a fisio está voltando a ficar em pé sozinha e a dar pequenos passos, Melhorou muito a parte motora e o lado que havia paralisado também está bem mais ativo, faltando força e um pouco de mobilidade apenas. Sinto que foi realmente um milagre, pois são apenas dois meses do acidente e hoje ela está apenas com algumas deficiências que são: O olho direito não abre totalmente, porém quando forçamos pra abrir ela enxerga com ele. A memória dela está ainda bem ruim, não lembra do nosso casamento, da nossa lua de mel, dos filmes que assistia, dos momentos que passamos juntos nesses últimos 7 anos também não lembra quase nada. Ainda confunde muito tudo o que ela vive, não lembra das coisas no dia anterior e muitas vezes acha que o que esta vivendo é sonho e que um jantar no dia anterior já faz muito tempo e o que faz muito tempo ela acha que foi na noite anterior. Enfim, resumindo, o que ela ainda está ruim é o andar lento e com dificuldade, a memória recente e algumas coisas importantes, a confusão mental, o olho que não abre e a apatia, fica sempre quietinha e não mostra muito sentimento e iniciativa. Sei que é um tempo recorde Fernanda, leio aqui e imagino que você vá me dizer que ainda é muitooo cedo pra qualquer coisa, mas me diga, em um caso assim você acredita que ela irá voltar a trabalhar, a ser ativa, fazer almoço, ficar sozinha em casa, enfim, ser ela novamente? Um abraço e olha, admiro muito como você enfrenta a vida e rezo por você e por todos desse blog, pra que Deus lhes abençoem. Fique com Deus

    • Olá Thiago, fico muito feliz pela rápida melhora de su esposa, a maioria de nós passou pelas mesmas situações, e como sempre lhe digo. tenha fé e corra atrás de tudo possivel para ajudá-la.
      Quanto ao olho, meu pai é oftalmo e aempre aconselha a passarem num neuro-oftalmologista para verificar se não houve nenhum dano no nervo óptico, se nao houve, é xomo dizemos aempre.. nos recuperamos sim, mas demora, e necessita esforço.
      Perdemos a memoria ..que costuma se recuperar aos poucos, com auxílios como anotações e etc, que uma neuropsicologa irá ensinar a melhor forma de controlar essas dificuldades e outras, como nervosismo,surtos e etc
      Aconselho que busquem uma neuropsicologa especialista em reabilitação, eu a aFer frequentamos a mesma, e nos auxiliou muito na melhora.
      Quanto ao retorno a trabalho e atividades, ocorre mas demora, e depende do nivel das lesões e sua recuperação. Eu retornei ao trabalho,nao o mesmo, mas conheço pessoas que nao conseguiriam, PACIÊNCIA! eh essencial 😉

  28. Olá , meu nome e gabriela .. venho aqui relatar oque houve com meu esposo Marcelo .. Ele no dia 24/6/2017 sofreu uma parada cardiorrespiratória ele ficou 20 minutos em parada , ele ficou 17 dias em coma .. Ele não andava não falava , mais agr ja esta andando e já está falando .. Mais ele também fala coisa com coisa .. as vezes age estranho .. será que tem possibilidade dele voltar ao normal ? Dele parar de falar coisas com coisas alguém sabe me dizer algo ah respeito? Por favor me ajudem

    • Olá Érica,
      Creio qur seja melhor vc verificar com um médico, tenho uma conhecida com sintomas parecidos, que hj toma remédios para conseguir ter ânimo. Um beijo

  29. Olá pessoas, ve se alguem pode me ajudar. Há um ano e dois meses sofri um tce grave, fiquei com LAD depois. Nao estou com nenhuma sequela agora, só me sinto fraca. Comecei a trabalhar novamente faz uma semana em um serviço novo pois estava desempregada. Trabalho de caixa em uma loja, mas to muito cansada. Parece que eu me canso bem mais facil do que antes. Isso passa?

    • Olá!

      Meu nome é Davi Alves, sofri um TCE grave há um ano e dois meses, ficando uma semana em coma, conforme já relatei aqui anteriormente. Tive a maioria dos sintomas descritos por todos. Até hoje, sou acompanhado por um neurologista aqui em Maceió. Tomo diariamente um medicamento tarja preta chamado de “Stavigile”, contra a narcolepsia, ou seja, para evitar sonolência e cansaço. Ele tem me ajudado muito, pois trabalho na área rural, e é muito cansativo.
      Veja com seu médico, se esse medicamento pode te ajudar.
      Aproveitando a oportunidade, gostaria de saber dos colegas se alguém conseguiu entrar no benefício do INSS. Pois as sequelas do trauma (esquecimento, falta de atenção, dificuldade de aprendizagem, etc), me tiraram praticamente do mercado de trabalho. Antes eu prestava consultoria à empresas, pois sou Engenheiro Agrônomo. Mas depois do acontecido, os clientes não me contrataram mais, é isso afetou muito meu planejamento financeiro.
      Atualmente, trabalho com a família, mas a verdade é que nós que trabalhamos utilizando a parte cognitiva, não ficamos mais os mesmos, é isso dificulta muito nossa vida profissional.
      Aguardo resposta!

      • Oi Davi, consegue sim através de advogado, quando uma pessoa assina uma carteira de trabalho, mesmo sendo só 1 mês, já tem o direito, Se for no INSS, eles não dão! Meu filho teve um TCE aos 21 anos, (hj está com 35 anos )só trabalhou na vida 2 meses, fomos ao INSS , não deu, com um advogado Sim! Ainda ele está como auxílio doença, de 2 em 2 anos ele faz uma perícia, o médico da perícia diz que ele vem crescendo dia a dia, e acha sacanagem da aposentadoria já, pois aniquilaria sua vida e posteriormente não conseguiria emprego, inclusive esse médico foi bem legal e disse….tente um concurso de qualquer coisa!! Pois será melhor que 1 salário mínimo! Tente previdência, cartório eleitoral….qualquer coisa!! Achamos interessante, vamos trabalhar mais com a neuropsicologia p/ tentarmos!!! Outra coisa interessante, a nossa deputada federal Mara Gabrielli, vai tentar aposentadoria para os deficientes aos 50 anos !!!! Então….até é bom um concurso!!!! Auxílio doença vc consegue com certeza, não sei quanto tempo vc tem de carteira assinada e nem valores que se baseiam, mas salário mínimo é garantido!!!!

      • Elaine,

        Agradeço muito a atenção de ter respondido.
        No tempo do acidente, eu não trabalhava carteira assinada, mas consegui 6 meses de auxílio doença.
        Teria contato pra eu tirar umas dúvidas com vc?
        Whatsapp ou e-mail?
        Agradeço muito a atenção, e acredito que vc ajudou não só a mim, mas vários aqui do blog.
        Aguardo retorno.

        Abraços.

    • Olá Erica, que bom que vc está bem!
      Mas o sintoma de ficar franca isso é devido ao LAD, eu tenho um grupo no watshapp de guerreiros ladinos e de parentes e cuidadores.
      Seria muito bom vc , compartilhar a tua experiência com nós!
      O meu telefone é 41-999449991
      😘

    • Oi Erica , a maioria das pessoas que adquire LAD, ficam assim cansado, tenho o meu filho que 3 anos e meio do acidente, e hj não se sente tão cansado! O neuro falou que é normal e também porque tomava um remédio, que deixava ele sonolento.

  30. Olá, me chamo Guilherme e conheci este blog agora na curiosidade, buscando relatos de recuperação. Minha namorada tentou se suicidar. Estávamos em casa sozinhos, ela havia ido na despensa e eu achei que iria apenas tirar as roupas da máquina de lavar, até que suspeitei a demora. Quando cheguei lá, ela havia se enforcado. Fiquei muito desesperado, mas consegui agir. Por sorte ela não se pendurou, apenas se abaixou, então não houve danos na coluna. Contudo, já estava em estado de morte aparente, dura, sem respirar. Então eu fiz respiração boca boca e massagem cardiorrespiratória e ela voltou a respirar, continuando inconsciente. Fazem 2 semanas, não tem sido nada fácil. Ela está na UTI, a hipoxia (falta de oxigênio) ocasionou um edema cerebral. Ela ficou entubada por uns 5 dias, mas já respira por conta própria. O edema está controlado e o médico disse que o cérebro está quase no tamanho normal. Contudo, houve uma pequena lesão no lado esquerdo do cérebro que afetou a fala e o movimento do braço esquerdo. Ela ficou 4 dias em coma induzido e, após uma semana, fala pouquíssimas coisas, como “sim” “tá” “tá bem”. Não sai voz, mas entendemos pelo movimento dos lábios. Agora ela terá um acompanhamento com fonoaudióloga e otorrino (pois tem dificuldades para engolir e, portanto, para comer, recebendo apenas comida através do tubo). Ela recorda algumas coisas e tenta falar bastante, mas, como disse, é difícil de entender. Será que ela vai se recuperar? A recuperação irá demorar quanto tempo? Obrigado.

    • Ola Guilherme,
      Gracas a Deus e a você ela está bem.
      Como nós, sofre de lesão cerebral adquirida ( nao nascemos com ela) e enfrenta dificuldades.
      Toda recuperação quando ocorre para nos demora muito tempo, e precisa de esforço
      Tb nao movia lado esquerdo do corpo, nao enxergava muito, conheco pessoas que tem dificuldade na fala, mas tudo teve melhora.. após muito tratamento.
      Infelizmente lesao cerebral nao eh um tombo, que levantamos estamos bem.
      Após melhora, aconselho a buscarem uma neuropsicologa especialista em reabilitação.
      Me ajudou, e ainda ajuda muito.
      Um beijo

  31. Oi, meu nome é Tatiana, em Outubro de 2013 sofrir acidente de moto, onde caimos a mais de 100 por hora na rodovia Castelo/SP.
    Tive TCE e coágulo e fiquei 15 dias internada, sendo 3 na UTI, não fiquei com nenhuma sequela, estava grávida de 1 mês e meu filho sobreviveu junto comigo, prefeito!Meu marido apenas teve alguns arranhões..
    Deus colocou suas mãos e nos livrou da morte, nos dando uma nova chance!
    Minha dúvida quanto ao TCE é que ate hoje sinto dores fortes de cabeça, mais sempre tive enxaqueca,porem agora são mais frequentes e mais intensas, já repetir as tomográfias e estão tudo bem. Dizem que o cérebro fica inchado por uns 6 anos depois da queda, é vdde, ou é mito?

  32. Olá meu nome é Rosangela vou falar a respeito do meu marido Antonio
    Em 2011ele vindo do trabalho foi atropelado por um motoqueiro ele teve politraumatismo teve as pernas a bacia o braco esquerdo a escapula quebrados uma das pernas fratura exposta e (tce grave) ficou em coma durante um mês e além disso tudo teve uma infecção grave em uma das pernas e uma ferida chamada de escara foram seis longos meses internado de início quando ainda estava em coma os médicos suspeitaram que ele poderia ter tido morte cerebral mas graças a Deus foi so suspeita ele ficou internado no hospital das clínicas de São Paulo tivemos dias muito difícil e eu sofri muito porque eu e ele sempre fomos Unidos e esse acidente tirou meu chão mas Deus sempre deu forcas para mim e meu marido e eu sempre ao lado dele edtimulando para que ele lutasse pela sua vida hoje nos moramos no interior de sao paulo em pauliceia ele ficou com varias sequelas fisicas e neurologicas como hidrocefalia e um lado esquerdo do corpo paralisado ainda tem dificuldades de raciocinio hoje ele consegue dar alguma Paços com bengala dentro de casa ja consegue ir ao banheiro sozinho só nao consegue tomar banho sozinho e outras coisas ainda precisa de ajuda mas em vista de como ele ficou hoje sei que foi difícil mas com ajuda de Deus nada é impossível

  33. O meu nome é Anunciaçâo Maria Vieira, tenho 46 moro em Criciuma SC
    Nasci novamente no dia 23 de agosto 2015, Dr.Marcos Guizzoni (anjo)neurocirurgião retirou do meu cerébro um tumor cerebral glioblastoma grau IV.
    Sou casada a 29 anos,tenho 3 filhos, 2 adultos e 1 criança e vou contar como tudo começou..
    Eu e o marido decidimos morar em Portugal, deixamos os filhos adultos aqui(aprender a viver sem o pai) e fomos. Mas, com apenas 40 dias em Portugal recebi um noticia ruim, minha mãe estava com Mieloma multiplo, fiquei muito triste e nervosa(quase enlouqueci) e voltam s pro Brasil, porque eu achava que só eu podia cuidar da mãe, mesmo, com 4 irmãos, cheguei no Brasil dia 24 de fevereiro 2015 e minha MÃE morreu dia 11 junho, na missa de 7° dia tive o primeiro desmaio e com a ressonancia descobri o tumor, todos choravam e eu sorria pq estava com a cabeça bem confusa; trocava as palavras e tinha convulsão, rápidamente fizeram cirurgia 23/08/2015. Estou aqui; sem sequelas, mas,, uma perda de memória!!! Lembro meu passado, mas esqueço o resentes, esqueço nomes, telefones e principalmente as PALAVRAS. Todas as pessoas dizem que devo agradeçer pela nova vida que Deus me deu, eu faço isso..mas difícil ,nao poder fazer BEM aquilo que mto gostava,, nem adianta puxar uma conversa ,paro no começo pq esquečo as palavras.Tô me sentindo ninguem!!😔
    Obrigada pelo espaço de uma desabavo!! Se precisarem saber o que fiz pra me recuperar do tratamento faço questão “ajudar” Abraços!! Que DEUS esteja convosco!!

    • boa noite!
      Fiquei muito feliz ao ler seu depoimento e perceber que houve recuperação. houve melhora.
      A perda da memoria recente é muito comum nos casos de lesões cerebrais adquiridas, creio que ocorra com a maioria dos participantes do blog, passei por esas dificuldades, me faltavam palavras e eu chamava, por exemplo, colher de panela, e vice versa. Para melhorar precisei fazer tratamento com uma fonoaudióloga,Talvez lhe ajude frequentar uma por um tempo.
      Obrigada por se disponibilizar para nos ajudar.
      Um beijo Bruna

  34. Bom, vou contar minha história e espero que ela também mereça estar aqui. Sou gay desde pequeno, pois a primeira pessoa que amei foi um menino na minha idade, portanto não foi algo que escolhi ser. Acontece que nasci numa família onde há muitos crentes e eu, por ser gay, não concordo com palavras da Bíblia. Acontece que consegui o emprego dos meus sonhos, um emprego que é muito dificil para alguém conseguir, ainda mais brasileiro, mas eu consegui um ótimo emprego em Londres. Os anos foram se passando até eu descobrir que minha mãe estava com câncer de mama. Nisso uma tia evangelica minha me ligou para falar comigo, mas eu estava tendo pesadelos porque ela, sendo crente, dizia que havia pessoas que podiam prever o futuro (revelação) e ela me disse que alguém da minha casa no Brasil iria morrer. Tive pesadelos com isso e as palavras da minha tia não me fez bem algum. O tempo foi passado até eu dizer para minha mãe que somente queria falar com ela no Brasil, mas ela passou o meu telefone para minha tia. MInha tia me liga e diz “você está sobre efeito de macumba e disse para eu orar para deus ou minha mãe iria morrer”. Resultado: fiquei com pânico e me joguei de uma ponte por não seguir a religião fanatica da minha tia. Isso me causou depressão. além de ter sofrido traumatismo craniano. Até hoje não sei nem escrever direito, além de ter parado de sentir o cheiro e gosto das coisas, tudo por culpa da ameaça da minha tia evangelica fanatica.

    • Muito triste seu relato, nem sempre nosso trauma é por um motivo inesperado, o seu pelo q vi infelizmente ocorreu por uma depressão causada pela não aceitação da sua família.
      Conheço pessoas que também perderam o olfato, vc manteve o emprego? Está melhor agora?

      • Estou lidando com o novo “eu”, além de ter esquecido muita coisas que levei anos para estudar e aprender. Voltei pro Brasil, infelizmente

      • Triste, pelo trauma, e como agora está sendo sua aceitação na família depois disso tudo!sua tia se sentiu culpada?

      • Após o que houve comigo muitos da família dizem me “aceitar”, mas não acredito neles. Minha infeliz tia se faz de santa, continua indo para igreja, mas parou de falar sobre revelação para mim. Ela, para você ter uma ideia, nem se lembra de ter falado comigo… sei lá, ou é uma mentira ou ela não lembra mesmo e isso somente prova que a família que tenho nunca me deu valor.

  35. Oi Fernanda,boa tarde!
    Sou Rivane,sou paciente do Dr.Vanier e foi ele quem me apresentou vc e seu blog.Fiz um TCE em 2015 e fiquei com hemiparesia do lado esquerdo e síndrome cognitiva após TCE.Estava em consulta e falando com ele sobre meu caso,gentilmente me contou do seu e já te ligou para saber o nome do seu médico e vc gentilmente me passou o número da Dra Sonia. já passei em consulta com ela,já fui conversar com a Bia e estou muito feliz por conhecê los .Ler sobre o que acontece comigo e falar com quem entende o que estou falando,sem ter que ficar tentando explicar o que aparentemente não se explica é muito difícil.Agradeço muito a Deus por conhecer o Dr. Vanier e por ele gentilmente ter me ouvido e com muita boa vontade ter me ajudado.Talvez ele não tenha a dimensão da ajuda que me deu,estou muito feliz e esperançosa,tenho certeza que vai ser o divisor de águas na minha recuperação.
    Obrigada,obrigada ,obrigada a todos vocês!!!
    Fernanda gostaria de saber se pode me ajudar pois, estou sendo reprovada nas perícia médicas pois,nossa aparência não condiz com nossos problemas de saúde ,como vc bem sabe.

    • Oi Rivane!!!!! Tudo bem? Que bom que entrou no blog e fico muito feliz de já ter passado com a Dra. Sônia e a Bia, elas são demais e podem te ajudar bastante assim como me ajudam!
      Fico feliz demais em saber que eu e o Vanier pudemos te ajudar nem que seja um pouquinho ….
      Eu, infelizmente, não estou respondendo no blog por esses meses (como sempre fiz desde 2012) devido a algumas razões e a Bruna tem feito isso por mim.
      Se quiser, me manda um e-mail: fernanda.blog@hotmail.com

      Bjo grande pra vc!
      Fernanda

      • Oi Fernanda,obrigada por me responder!Vou te mandar um e-mail sim com certeza.
        Grd bj

    • Oi Rivane, como a Fer, fico muito feliz em ler que estamos ajudando muitas pessoas como nós.
      Sei o quanto é complicada a questão das pericias, não sei exatamente o que ocorreu com vc, mas eu sofri um grave acidente de carro faz 7 anos, tive TCE grave com LAD, perdi movimentos do lado esquerdo, tive perda do campo periférico da visão, fissura no menisco, em fim muitas dificuldades, que superei, melhoraram e possuo dificuldades que infelizmente irão me acompanhar, na parte psicologica passei por tratamento com a Bia por 3 anos, e ela me encaminhou a um psiquiatra, que entrou com medicação ( isso após 5 anos da lesão) e hoje a minha parte de estress repentino e agressão estão controlados.
      Prestei um concurso publico nas vagas de deficientes, e passei, já faz 1 ano e meio que trabalho na prefeitura da minha cidade, a principio foi muito difícil a aceitação, passei por momentos péssimos, mas hoje já aceitam minhas dificuldades.
      Se puder e tiver interesse não conseguindo realizar pericias preste um concurso nas vagas para deficientes, ou busque uma vaga em empresas para pessoas com deficiencia (PCDs), para mim a melhor saída foi o concurso, pois pessoas devem aceitar minhas dificuldades.
      um beijo

      • Bruna,fiquei muito feliz por vc ter me respondido,somente agora pude estar aqui novamente.Vocês não sabem o quanto me ajudaram e sei que vão dá a direção para muitas pessoas ainda.Muito obrigada!Então,eu sofri uma queda em minha casa e fraturei a cabeça do úmero de fora a fora e fiz um TCE com hematoma subdural,tive que fazer cirurgia para drenagem do mesmo e pós cirurgia tive um AVC isquêmico,hj estou como tinha falado antes ,hemiparesia do lado esquerdo e Síndrome Cognitiva.Estou em reabilitação e como sempre,esperançosa e vivendo um dia por vez!Algumas coisas são muito difíceis sim,mas existem coisas boas também,como,conhecer pessoas como vcs.Obrigada pela dica,vou incluir em meus planos.
        um bj e muito obrigada pelo carinho!

  36. Bom dia, meu pai sofreu um tc grave a 15 dias, ficou na uti por 7 agora está no quarto, o lado direito dele está paralisado e a fala comprometida, não consegue comer …. Preciso de ajuda estamos totalmente perdidos… Ele está no SUS aqui em Curitiba e não temos condições de pagar particular….. Alguém por favor pode me dar uma luz de como cuidar dele por onde começar

    • Boa noite Claudinéia,
      Independente do tipo de hospital que ele esteja nesse momento é necessário fé e buscas pela melhora, NADA de comodismo, de crer como eu , que foi somente um tombo, que ralei e já estaria normal, pois infelizmente na MAIORIA dos casos não é.
      Tive dificuldades de mover um lado do corpo pós trauma também, e dificuldades para mastigar e para tudo isso precisei de uma fisioterapeuta e uma fonoaudióloga, verifique se o hospital não possui alguma, e ela me ajudou a recuperar a fala também,
      Primeiro busque melhorar todos os danos físicos dele, depois busque melhora pisicológica, pois não vai ser fácil para ele e nem para vocês conviverem com as possiveis dificuldades que ele possa vir a apresentar.
      Quanto ao tratamento psicológico, a Fernanda posta aqui no blog algumas coisas que nossa fonoaudióloga costuma utilizar conosco, de uma olhada!
      um beijo, e paciência é essencial nesses casos, fui a acidentada mas imagino o quanto minha família não sofreu, pois tb não sabíamos o que fazer.
      Um beijo e melhoras,

    • Olá, lendo o seu comentário queria lhe dizer que eu moro em Curitiba, o meu filho também sofreu um tce, hj vivo para ajudar ao próximo. O meu watshapp é 41-999449991 , fique a vontade em ligar ou escrever!
      Fica calma, tudo passa!!!
      Abraço
      Ruth

    • Oi Claudineia, como o teu pai está?
      Eu moro em Curitiba, tenho um grupo no watshapp de TCE e LAD!
      41-99944-9991, esse é o meu watshapp
      Obrigada

  37. Boa tarde gente

    Decorridos 16 meses do TCE, as dores nas pernas e a fadiga melhoraram significativamente com o Pregabalina. O que me incomoda ainda é um sono (como se fosse uma letargia ou estupor) no período da tarde e pouco sono a noite. Alguém passou por isso? É passageiro?

    Grande abraço a todos

    • Olá, passei por algo similar, dormia a tarde toda e a nte precisava de remedio para dormir… Levei 1 ano e meio pós lesao para me adaptar e tornar a dormir normalmente
      Lesões cerebrais pedem muita paciência!! Um beijo

  38. Meu nome alexandre Laubstein

    Oi, resumindo no dia 25 janeiro de 2017,pilotava uma moto na pista e um carro bateu em min, fiquei paraplégico lesão t9 e para os médicos não volto a andar mais, 5 messes depois realmente passei a acreditar que não voltarei a anda, com 20 anos estraguei a vida e é isso

    • Alexandre, pelo que entendi vc nao estragou sua vida, pois a culpa nao foi sua, meu caso tb nao foi minha, mas ocorreu e infelizmente nós não podemos mudar o passado.. entao vi que nao adiantava reclamar, e sim agradecer pois tive uma nova chance.
      Deixei de ser quem eu era, sim deixei, mas hj busco usar qualidades que ficaram e desenvolvi algumas que nem sabia que possuía, vc pode nao andar, mas possui outras qualidades.. e pode fazer como eu, claro se quiser, prestei um concurso publico em vaga para deficientes, e voltei a trabalhar . Não é o cargo que desejava e nada parecido com o q eu exercia..mas foi uma chance que eu tive e busco aproveita-la bem.. por ser im concurso público e uma vaga especial . muito difícil eu ficar sem emprego agora na crise q estamos..
      Continuo estudando para exercitar meu cérebro curso minha 2 pod graduação pós acidente… NAO DESANIME!!!
      Nada nessa vida ocorre por acaso, um dia saberemos o pq..um beijo

    • Alexandre,
      Fazem menos de seis meses que perdi meu irmão de 45 anos por conta de um trágico acidente de carro. Foi em 31/12/2014, a esposa dirigia e morreu na hora, ele sofreu severo traumatismo craniano ficando acamado sem falar, usando fraldas e alimentando-se por sonda. Até para se virar na cama dependia de alguém. Em dezembro de 2016 teve uma complicação na sonda de alimentação e após sucessivos erros médicos adquiriu infecção generalizada e nos deixou.
      Queria muito que ele ainda estivesse aqui e pudesse escrever no blog. Então, gostaria de te dizer que nada nessa vida é por acaso. Levanta a cabeça e lute, não tem outro jeito, acredite.
      Te indico um livro de uma menina que ficou tetraplégica aos 20 anos num acidente em que perdeu os pais. Chama-se “A minha versão da história” de Carlena Weber. Tive a oportunidade de conhecê-la. Esse livro é uma lição de vida. Agarre a vida que você tem com unhas e dentes e reverta a situação!!!

      Forte abraço!

      Joelma

    • Alexandre, ao ler o post da Joelma, que adorei, me lembrei de um caso semelhante ao seu, o da nossa deputada Federal Mara Gabrilli, segue uma reportagem sobre ela, e sua superação.
      http://ultimosegundo.ig.com.br/igvigilante/transito/2016-05-02/vi-que-seria-duro-nao-impossivel-diz-mara-gabrilli-sobre-voltar-a-se-mover.html

      Isso só me mostra que NADA é impossivel, mesmo com nossas deficiências, podemos TUDO, ela se tornou deputada e luta pelos direitos dos deficientes.
      Então não pense que vc estragou sua vida, ou que a perdeu! LUTE para mesmo com tais dificuldades não se abater e conseguir superá-las, garanto que vc é forte o suficiente para passar por cima disso.
      Um beijo

  39. Boa tarde gente .. Gostaria de contar uma coisa.. Fiquei internada 20 dias pq tentei me suicidar com remedios. Gostaria de saber se mais alguem sentiu essa vontade e se pode ser devido a um dano no cerebro?

    • Olá Érica, eu nao aceitava o q havia me ocorrido..mas pensava q se tive uma nova chance, nao posso desperdiça-la
      Mas conheço pessoas que tentaram cometer o suicídio e hoje se arrependem e agradecem por nao terem conseguido.
      O que me ajudou foi após começar a ir a uma neuropsicologa.. passei a aceitar o ocorrido e ver q infelizmente nao podemos mudar o ocorrido.
      Te aconselho q passar com​. Uma..qnto tempo faz da sua lesão? Bju

  40. Boa noite amigos, relatei a um mês o caso do meu namorado. Hoje ele já está em casa, anda, come normalmente (até demais, ele sente muita fome e come bastante), faz xixi normal, vai ao banheiro regularmente, e quero agradecer a Bruna Morais pelo aconselhamento de leva-lo a um Neuro Oftalmologista.

    Primeiramente fomos ao Hospital Sadalla Amin que fica em Joinville /SC que é um dos mais conceituados hospitais dos olhos no Brasil e aqui em Santa Catarina. Fui com muita esperança de que meu namorado voltaria a enxergar novamente. Chegando lá, na primeira sala de exames a médica olhou para mim e para a minha sogra e disse que o meu namorado tinha pouca chance de enxergar! Fiquei apavorada, perdi o chão, parecia que a minha vida tinha acabado ali naquele momento. Meu namorado foi encaminhado para outra medica, e assim ela constatou que ele tinha sofrido atrofia do nervo optico e encaminhou uns exames para fazer em Florianópolis. Fiquei muito triste no dia, voltei pra casa desolada, só queria chorar e nada mais. Passados alguns dias da consulta no Sadalla,rezei e pedi a Deus que me mostrasse um caminho para a cura do Ricardo, e no entanto me veio um estalo na cabeça !!! Lembrei do aconselhamento da Bruna referente ao Neuro Oftalmologista, pesquisei muito na internet e cheguei a conclusão de que aqui em Santa Catarina NÃO temos NEURO OFTALMOLOGISTA!!! O mais proximo era no Rio Grande do SUl, liguei para o medico e nao tinha vagas para meu namorado. Foi então que achei o Dr. Carlos Filipi Chiavenato Chicani, excelente médico muito bem conceituado no que faz! Marquei uma consulta com ele e na mesma semana fomos para São Paulo, chegando lá o Ricardo fez uma consulta de 3 horas com o Dr. Carlos, que alegou não ter afetado nada no globo ocular do Ricardo, e pediu uma ressonância magnetica da cabeça para ter certeza que o nervo estava mesmo tudo ok!

    Fez e a ressonancia e alegou que o nervo estava machucado, então agora ele está fazendo tratamento para voltar a visão! e eu digo para vocês, pesquisem, se informem, pois se eu fosse uma pessoa desligada que nao fosse atras do caso do meu namorado hoje ele poderia estar cego!! E sou muito grata a Deus e tambem a esse site que me ajudou muito no momento que mais precisei da minha vida. Ainda não está sendo fácil, mas tenho força e sei que tudo isso um dia vai passar!!

    MUito obrigado amigos, e no que eu puder ajudar a vocês estarei a disposição.

    • Fico muito feliz com o ocorrido, e em saber que de alguma forma ajudei alguém, creio que um dos motivos que fiquei aqui é para ajudar as pessoas.
      O que fui foi em SP também ,por indicaçao do meu pai, ele é professor da USP, meu pai é oftalmo e mesmo assim me encaminhou a um especialista, por isso repito , NÃO ACREDITEM EM TUDO,busquem outras opiniões!!
      Ele Lesionou a parte frontal da cabeça? não me lembro o dano cerebral dele.. rs mas a parte frontal eh a responsável pela saciedade, eu engordei muito, uns 10 kls após meu TCE pois afetou parte frontal também, ai eu comia sem limites sem saber que estava satisfeita, e minha mãe estava tão feliz de me ter de volta que me deixava comer…rs
      Um beijo melhoras!

      • Pelo que o médico endocrinologista falou desregulou a hipófise, ele vivia pedindo água para nós, sentia muita sede o tempo todo… quando levamos ele no endocrino o mesmo alegou que ele poderia ter morrido de desidratação .. está fazendo tratamento com um spray e melhorou muito o pedido de água! Já em relação a comida nós achamos que deve ser em conta dos medicamentos que ele está tomando. Agora segunda feira ele tem retorno com o neurologista e vamos ver o que ele tem a nós dizer! Te agradeço demais Bruna, pelos seus conselhos.

      • Joselia, ele está fazendo tratamento com prednisona e idebenona que é um remédio manipulado, o Dr. Carlos Chicani pediu para nos manipular esse medicamento em São Paulo pois era de confiança dele. O tratamento vai ser em torno de 3 meses. Mas se você quer fazer este tipo de tratamento aconselho você primeiro a procurar o NeuroOftalmologista para lhe indicar o remédio apropriado, este é para repor fibras no nervo óptico. Ele está tomando faz 1 semana e meia, ainda não vimos melhora pois é muito recente.
        Se precisar de mais informações estarei a disposição.
        Um beijo

    • Oi pessoal eu li o depoimento da andresa sobre a alimentação do namorado e fiquei preocupada com meu esposo no final desse mes vai fazr 9 meses do acidente e ele ainda n esta bm o comportamento esta muito instável e ele ainda esta confuso mas a respeito da alimentação o meu esposo estava boa agora ele sente muita sede mas nqr água ele so pede café, suco iogurt parece q esta sempre com sede mas a comida de sal n esta comendo como antes a nutricionista q esta tratando ele receitou algumas vitaminas e os exames d sangue esta tudo bm estou preocupa e com essa sede q ele sente parece q nunca esta saciado

      • Oi. Gostaria de te pedir algumas dicas em saber como seu esposo eata se recuperando pois meu irmão sofreu um acidente e se encontra muito instável e confuso também

    • Andressa, em Curitiba temos uns ótimos neuro oftalmologistas! Deixa te perguntar, ele está fazendo terapia cognitiva? Com neuropsicóloga? Se teve problemas no nervo, seria interessante fazer por enquanto reeducação visual…( o meu filho teve tce e LAD há 3 anos) e também teve esse problema, e hj graças à Deus está 60% melhor graças a reeducação visual.
      Abraço
      Ruth

      • Ruth, bom dia!
        Também estou com dificuldades de reabilitação para meu filho por ter atingido a parte do comportamento. moro em curitiba vc sabe algum neuro oftalmo pra me indicar. Segue meu telefone 991416037 99505-5024. Josélia

        Obrigada.

  41. BOA NOITE, GOSTARIA MUITO DE SABER SE EU TENHO CURA.
    HA 25 ANOS SOFRI UM ACIDENTE, CAI DE CIMA DA CASA DA MINHA MAE QUANDO FUI LAVAR UMA CAIXA DAGUA, ESCURREGUEI NO TELHADO DE TELHA DE AMIANTO E CAI BATENDO A CABEÇA DO LADO ESQUERDO NO CHAO, DESMAIEI E TIVE MUITO SANGRAMENTO PELO OUVIDO, FIQUEI EM COMA POR 24 HORAS E DURANTE 8 DIAS INTERNADO NAO CONHECIA AS PESSOAS QUE IAM ME VISITAR. HOJE COM 50 ANOS DE VIDA TENHO UM ZUMBIDO MUITO ALTO NO OUVIDO, AS VEZES QUANDO ACORDO A NOITE DEMORO DORMIR DEVIDO AO ZUMBIDO QUE SE PARECE MUITO COM UMA TURBINA DE AVIAO DENTRO DO OUVIDO. HA 8 ANOS PERDI A AUDIÇAO DESTE OUVIDO, JA FIZ VARIOS EXAMES MAS NAO TIVE RESULTADO POSITIVO. NO ULTIMO EXAME O MEDICO ME DISSE QUE EU PERDI O LIQUIDO DO OUVIDO E TIVE RACHADURA NO CRANIO, SINTO UM POUCO DE DOR NO OUVIDO COM UMA SENSAÇAO DE ESTAR COM O OUVIDO ENTUPIDO. AS VEZES PENÇO QUE PODE SER SANGUE QUE SECOU NO CANAL DO OUVIDO TENDO EM VISTA QUE TIVE MUITO SANGRAMENTO. POR FAVOR ALGUEM PODE ME AJUDAR?
    OBRIGADO

    • Oi, vivo pesquisando coisas p/ meu filho, sequela Do de TCE, cheguei à conclusão que todos os médicos são limitados, o que acaba muitas vezes a gente tendo que se virar!!mas minhas últimas pesquisas: comprei 1 quilo de cloreto de magnésio PA, dissolve 33 gramas em 1 litro de água e guardo na geladeira, todos de casa acabam tomando, 1 xícara de café por dia, pode dar um pouquinho de diarréia no começo e depois passa, quando lembro sou 2 xícaras p/ meu filho, tem uma série de benefícios! Procure no YouTube , também descobri que aqui no Brasil, fazem Aloe Vera em cápsulas numa miligramas muito boa , que é excelente também, quem se interessar dou mais detalhes !!!!Força pra “nóis!”

  42. Olá Fernanda, Bruna e demais colegas.

    Nestes últimos dias recebi um diagnóstico diferenciador após o TCE: Fibromialgia. Depois de passar por cinco neurologistas e vários exames de imagens normais, não pensei nessa possibilidade. Esta doença crônica provavelmente responde pela fadiga, dores no corpo, distúrbios de sono, cansaço mental, sensibilidade ao som e outros sintomas. Fica o alerta: É possível que o paciente de TCE desenvolva um quadro fibromiálgico após trauma craniano, lesão cerebral ou cervical. Vale a pena consultar um algologista. FORÇA PARA TODOS NÓS!

    • Nossa Hugo fico muito feliz pelo seu diagnóstico, com toda certeza ajudará muitos!!
      Já havia ouvido falar sobre fibromialgia, mas não consegui relacionar os dois, fiquei com essa deficiência. FORÇA e PERSISTÊNCIA são essenciais!! =D

  43. Olá,
    Meu marido sofreu um acidente e TCE grave em Junho/16, ficando internado por quase 3 meses, tempo quase inteiro em CTI.
    Gostaria de saber se vocês (ou seus parentes) passaram por período de negação do acidente? Vocês lembram de algo do acidente?

    No mais, gostaria de agradecer por este site, único que pude encontrar no Brasil. A interação que acontece aqui é fantástica.

    Obrigada

    • Oi Ca, entao tive um tce na mesma epoca do seu marido, negação do acidente nao tive mas nao me lembro nada dele nem de uns 3 dias antes até um mes depois nao consigo lembrar de nada. Hj me sinto outra pessoa pois mudei muito, deixei de gostar de muita coisa q eu gostava, mas isso é normal pra quem passa por isso.

    • Ca, passei por isso faz 7 anos.. fiquei 3 meses no hospital 1 deles em coma profundo, os outros dois recuperando movimentos, fala, tudo o que precisei.
      Só fui realmente entender o que havia ocorrido comigo 1 ano após meu acidente, e após 2 anos achava estar normal e quis voltar a trabalha. Voltei, mas percebi em um mês que tinha muitas dificuldades.. uma alteração absurda de humor, por coisas banais, esquecia as coisas facilmente, não sabia resolver problemas que me pediam, dentre outras dificuldades, então conversando com meu pai e ele com pacientes dele, descobrimos uma neuropsicóloga que iniciei 3 anos após meu acidente, eu já havia passado com outra neuropsicóloga, logo após meu acidente, mas não surtiu efeito algum, pois eu não entendia nem o que havia me ocorrido, dizia que compreendia, mas hoje vejo que não.
      E foi o que me ajudou MUITO, em minha recuperação e ajudou MINHA FAMÍLIA a entender minhas dificuldades, pois eles me cobravam o tempo todo,
      Diziam.. mas você fazia isso antes.. mas para você isso era fácil..para de inventar que você não consegue..
      E isso me irritava ainda mais, pois eu parecia uma mentirosa, e eu sabia que não era
      Então não o compare ao antes, nós na maioria dos casos nos tornamos outras pessoas, e se possível busque ajuda de uma neuropsicóloga ( psicóloga somente não adianta, pode ser em conjunto) pois com ajuda dela ou dele, este profissional reconhecerá as dificuldades com as quais ficou, e ensinará como contorná-las, indicará psiquiatras para medicação, como a minha me indicou e hoje tal medicação me ajuda muito como deve ter lido em outros posts.
      Agradeço em nome da Fernanda pelo elogio ao blog.
      A conheci pessoalmente no CPN, depois de ter escrito minha história aqui no Blog a primeira vez.

      Um beijo e melhoras

      • Bruna,

        Muito obrigada por sua resposta. Me desculpe pelo tempo que levei a fazer novo contato. Mostrei para meu marido algumas vezes e lhe fez bem saber que outros passaram por situação similar.
        Ele está com acompanhamento com Neuropsicólogo o que ajudou muito a parte cognitiva, mas acho que até pelo que você mencionou, em outros aspectos não está evoluindo mais por ainda estar nesta fase de falta de compreensão do que lhe aconteceu.
        Busquei e estudei muito o assunto e com ajuda de uma psicóloga soube que existem linhas de tratamento específico para trauma, e ele iniciou um tratamento nesta linha recentemente. Ele também tem acompanhamento psiquiátrico, mas por enquanto não utiliza medicação para que possa tratar o lado emocional do trauma sem mascarar os sintomas.

        Um abraço,
        Ca

      • Bruna lendo o seu depoimento me identifiquei quando você falou que se irrita quando fazem comparação com o antes, que ficavam falando que você estava inventando… Acontece comigo também

  44. Boa noite, minha irmã sofreu um acidente de moto em maio de 2016, ficou no cti , por causa de um tce por cinco dias e recebeu alta apos esse tempo,mas ainda com dificuladade motora e um pouco de dificuldade na fala,comia muito rapido ou seja estava transformada,com dois meses apos o acidente ele recuperou a parte motora, a fala e voltou a trabalhar, só que nesse meio termo , o comportamento dela mudou muito , os gostos , o humor e ta praticamente impossivel a convivencia,me culpa pelo acidente, me ofende e isso doi muito sabe……………ela mudou o comportamento todo e as vezes ate tem o comportamento infantil….mas raciocina bem……nao temos pais e somos sozinhas nesse mundo…por favor me ajudem eu não sei mais o que fazer……

    • Tata fico feliz por ela estar melhor.. mas como deve ter lido aqui lesões cerebrais mudam nosso comportamento, eu tinha surtos, de ficar nervosa do nada, e em 5 minutos agir como se nada houvesse ocorrido, reclamava, xingava, até um dia que quase agredi meu namorado, então conversei com minha neuropsicóloga que me encaminhou para um psiquiatra.
      Quase surtei, achando que não estava louca, não precisava, mas acabei indo e entendi que psiquiatras não passam de psicólogos que podem receitar medicamentos.
      Hoje mudei totalmente, demorou claro, cerca de 2 meses após inicio do tratamento, mas hoje,não vivo sem… tomo um anticonvulsivo, não eu não tenho convulsões, mas quem sofre TCE deixa de produzir alguns hormônios como a serotonina (hormônio da felicidade) e esse remédio em doses baixas os repõe.
      Passe num psiquiatra, leve todos os exames, explique a situação.
      O que lhe informei soube no último simpósio de neuropsicologia que compareci em SP, depois se necessário leve ela a uma consulta, peça para ele a explicar isso, assim ela não recusará a medicação, mas claro ele que decidirá o remédio necessário, devido a minha lesão o indicado para mim foi um anticonvulsivo, mas cada caso é um caso,
      Paciência e boa sorte!

    • Tô sempre pesquisando ” coisas” para meu filho, que é sequela do de TCE, vc já ouviu falar de uma medicação Vimpocentina? Acabei de perguntar p/ o psiquiatra do meu filho, é usado bem em idosos, pós A VC, previne também Parkinson é alzeimer, no Brasil é vendido de 5mg, já na Alemanha 10 mg, as pesquisas feitas , melhora muito, qualidade de sono, zumbido e outras coisas. Qualquer novidade volto à falar.bjs

  45. Emanuelle
    No dia 12 de março a minha mãe passou mal levamos para o hospital achando que estava infartanto,chegando lá ela vez vários exames e acusou uma ruptura na aorta e ela teve que fazer uma cirurgia com urgência,,passou vários dias em coma induzido e sabiamos que estava demorando pra acordar porque durante a cirurgia ela teve um AVC isquêmico, que não foi muito grande,foi feita uma traqueostomia e depois tiraram a sedação e ela já estava apresentando melhoras ,já estava de olho aberto e respondia as nossas perguntas balançando a cabeça,porem no dia 9 de abril ela teve uma parada cardíaca e desde então ela não acordou está em coma,,,fizeram uma TC e acusou uma encefalopatia por hipóxia,,estamos sem chão e desesperados pois não sabemos se ela ainda vai acordar porque já são vinte e cinco dias em coma,,alguém já passou por algo parecido?

    • Emanuelle, infelizmente creio que ninguém aqui possa te dar um prazo para o despertar da sua mãe, pois cada lesão tem um grau, uma área afetada, e isso por milímetros difere em cada caso, mas venho tentar te acalmar, imagino quanto seja dificil para vocês passarem por essa situação de insegurança, mas pense que nosso cérebro precisa descansar para se recuperar das lesões, e por pior que nos pareça, dormir pode ser até muito bom para a recuperação, fiquei em coma profundo , acordei após 30 dias, mas precisaram me colocar em coma induzido por mais uns dias pois fiquei inquieta e havia trincado as costelas, e isso iria prejudicar a cicatrização das mesmas, e após retirarem o sedativo, eu ainda não acordava .
      Então lembre-se que infelizmente lesões cerebrais não são como tombos que vc levanta e ta tudo ok, o cérebro é muito complexo.
      beijos

  46. Meu irmão sofreu um AVC hemorrágico no dia 1 de abril de 2017,foi operado dia 2,ficou 2 dias na UTI com o dreno, e já foi transferido para o quarto,já andando e falando normalmente,foram feitos vários exames,inclusive um cateterismo no cérebro e graças a Deus não tem mais nada,mais ele sempre teve muito medo de Hospital e agora está com crises de pânico,pra ajudar os pontos internos da cirurgia inflamaram e dois deles começaram a vazar,imagine o desespero dele,como a família da minha cunhada tem um Neuro na família,ele veio pessoalmente ver ele é disse que é normal ,passou antibióticos,mais tarde muito difícil,vamos leva-lo novamente ao psiquiatra,o Neuro acha que se deve aumentar a medicação,vamos ver,tá muito difícil pra todos nós,ele chora muito,quer minha mãe o tempo todo,ficou agressivo com a Esposa,tá difícil mais vamos passar por isso com ele,ele tem 41 anos e é um cara sensacional!

    • Rita imagino o quão difícil deva ser para vocês passar por tal situação..mas para nós tb é. Apesar de na maioria doa casos não possuirmos total consciência do que nos ocorre.
      Agressividade é totalmente normal… Não queiram que o ocorrido seja como um tombo de bicicleta, que levantamos está rudo bem.. INFELIZMENTE nao ocorre bem assim… é necessária muita paciência e calma.. com o tempo tudo melhora.. procure auxílio de psiquiatra ou neuropsicólogo após uns 3 meses caso nada tenha mudado.
      Melhoras

  47. Boa tarde tenho um primo neste exato momento em estado muito sério está com traumatismo craniano e a pouco os médicos cogitaram morte encefálica vcs que passaram por tudo isso acreditam que isso possa ser revertido ou melhor pode não haver morte encefálica. Por favor mim ajudem

    • Ola pessoal alguem sab dizr se o frio faz uma pessoa q teve tce tremer sem cintrole o meu esposo sofreu um tce com lad,ele ficou com o lado direito comprometido aqui no sul comecou a ficar bm frio ele acorda demanha e treme o rosto sem parar bate queixo parece uma crise convulsiva mas quando ele se aquece passa e o lado direito sempre mais gelado q o outro isso ja aconteceu com alguem?

      • Desculpe a demora..
        Olha se ele teve um lado do corpo afetado pela lesão creio que isso possa realmente ocorrer..mas melhor você verificar com o médico. Melhoras

    • Olá minha mãe esta na uti e em dois testes deu morte cerebral, mais o encefalograma acusou atividade, os medicos dizem q pouca mais acusou, passados 6 dias, refizeram os testes e novamente deu atividade, os testes foram suspensos, ela permanece em coma, nao respira sozinha, nao responde a nenhum estimulo, os medicos dizem q nada pode ser feito a nao ser esperar, ela esta em coma a 15 dias.

  48. Olá gente, espero q todos estejam bem.
    Bom queria contar uma coisa, eu não me sentia mais eu mesma depois do acidente e isso é muio ruim. Pensava muito que eu queria morrer, cheguei até tentar algumas vezes. Hoje acordei com outros pensamentos, me sinto eu mesma, to muito feliz. Faz 10 meses o acidente e ainda estou com algumas sequelas mas só o fato de voltar a me sentir eu mesma ja me deixou feliz.
    Não desistam então, pq a melhora vai vir, pra alguns demoram menos e pra outros mais, mais ela vem sim. E pessoas que cuidam dos acidentados, tenham paciencia, fazemos e falamos muita coisa ruim que foge do nosso contole.

    • é isso aí !!!! meu filho ( hj com 34 anos) , possui algumas sequelas pós TCE, é feliz da vida ! eu é que fico louca !!

    • Oi por favor. Queria te fazer umas perguntas. Meu irmão sofreu um acidente no dia 1 de março e já esta em casa desdo dia 19 de abril e até agora ele continua muito instável e confuso. Queria tirar umas dúvidas. Pode me responder?

      • Thiago,

        Meu marido sofreu o acidente há quase 1 ano. Levou quase 3 meses para sair do hospital e até hoje ainda está muito confuso.
        Pelo que já li aqui de outras pessoas é normal passar por um período assim, tem que ter paciência e vale buscar enxergar a situação através dos olhos dele “como a pessoa que ele era reagiria à esta situação?”.
        Uma opção caso essa confusão se mantenha por muito tempo, pode ser buscar um psicólogo específico para tratamento de traumas de choque (acidentes, guerras, catástrofes etc.). Mas para isto devem observar se ele está em condição cognitiva e de memória para que o tratamento surta efeito.

        Abs
        Ca

  49. Meu namorado sofreu um acidente de carro dia 10/03/17 e teve traumatismo craniano grave, ele não machucou mais nenhuma parte do corpo foi tudo na cabeça. Ficou 19 dias na UTI e agora está a 17 dias no quarto. Já come pela boca, tiraram a traqueo, e ele está começando a falar! Ele diz que não se lembra do acidente e repete algumas coisas umas 3 vezes ao dia. Está conseguindo pedir pra fazer xixi sozinho, mas a lesão na cabeça foi tão forte que atingiu as duas vistas e ele diz não enxergar nada. Os médicos falaram que à vista esquerda ele perdeu totalmente, mas a direita ele consegue abrir o olho só que a pupila está muito dilatada. Alguém já passou por isso? Oi sabe me informar algo ?

    • Ola Andressa, espero q seu namorado estaja bem .. Bom eu sofri um acidente faz 10 meses e tive um TCE grave tb. Do meu acidente nao me lembro nada, na verdade nem do acidente e nem o tempo q passei no hospital .. Minha familia diz q eu repetia as coisas tb e falava coisas sem sentido. Melhorei muito do que estava mas a unica coisa ruim é q não me sinto mais a mesma pessoa, e muitas coisas que eu gostava deixei de gostar. Em relaçao a vista, fiquei estrabica de um olho.. Nao enchergava quase nada e ja voltou quase 100%a visão.
      Acho q se não lesou nenhum nervo volta sim

      • Gratidão por não lembrar de nada… eu tb não lembro de nada! Tenho pouquíssimos flashes de memória do hospital só!!! Melhor assim ! Tenho 1ano e meio de acidente. Estou bem! Sequelas temporárias acho eu

      • Bom dia… sofri um acidente de moto em 18 de janeiro de 2016, Tive um TCE moderado, precisei ficar na UTI por 2 dias, Não me lembro do acidente e nem dos 15 dias de hospital, apenas alguns flashes. E nos dias em que estava em casa, tem coisas que ainda não tenho certeza de como foram. 30 dias após o acidente voltei a trabalhar, dizer que as coisas estão como eram antes ainda não posso, minha memoria recente ainda preciso de agenda e meu celular pra me avisar as atividades que estão marcada, e meu humor ainda oscila, tem dias que estou bem, e em outros zangada e triste. Mas busco fazer todas as atividades que fazia pra buscar viver de uma forma que me faça bem. Gratidão sempre.

    • Andressa, enviei uma resposta do meu celular mas acho que não foi enviada..
      Não se lembrar do ocorrido é totalmente normal, e creio que muito bom, no meu caso se eu lembrasse não dirigiria mais, a repetição também é normal, meu acidente faz 7 anos e essa repetição melhorou muito, mas ainda ocorre frequentemente.
      Perdi a visão periférica, ou seja não enxergava a lateral, meu pai é oftalmo e me encaminhou para um neuro oftalmologista para verificar se houve dano no nervo óptico, como não houve, eu tive que esperar um bom tempo, mas aos poucos minha visão voltou ao normal, ele aconselha leva-lo a um neuro oftalmo para um melhor diagnóstico.
      Lesoes cerebrais na maioria das vezes possuem recuperação, mas tal recuperação demora muito, e as outras pessoas não entendem e não aceitam nossa dificuldades pois não são visíveis.
      Melhoras

      • Oi, Bruna. tudo bom? sou jornalista da TV Record e estou fazendo uma reportagem sobre pessoas que voltaram do coma. vi que você participa de um grupo e acho que pode me ajudar. você pode me passar um contato para a gente conversar? meu e-mail: mbexiga@recordtv.com.br

    • Oi, estava procurando uma coisa e achei outra! meu filho , hj com 34 anos sofreu uma TCE grave em 2004, caiu de bicicleta numa fazenda e bateu a cabeça ( estava de capacete ) o acidente foi bôbo mas gravíssimo, teve sequelas, nunca desistimos de tratamentos novos, busquei e ainda busco tudo que há no Brasil, ficou internado no em Ribeirão Preto em em coma por 40 dias , depois o transferimos para Einstein (São Paulo ) por 7 meses, enfim , conheço quase todos profissionais ! tem uma neuro-oftalmo, trabalhou muitos anos na AACD , é bem fera no quesito acidente/visão, seu consultório fica Av. Indianópolis 2244, fone >(11) 5585-9119 > Dra. Marcia Keiko Tabuse, ela atende alguns planos médicos ou particular , acho que o preço atual da consulta é de 350,00.Espero que possa ajudar com essa informação.abraços

  50. Gente acho que a lesão do cérebro é a pior de todas as lesoes. Nao tive nenhuma, só no cerebro, mas acho q é a pior porque vc perde a vontade de viver. Nao me sinto mais a mesma e é muito ruim. Faz 10 meses do meu acidente, alguem sabe se isso passa? Tenho retorno no medico só em junho e não sinto dor de nada. Mas fiz uma ressonancia que deu uma lesao axonal difusa e diz que tem focos hemorragicos. Alguem sabe se é normal, devo ir antes ou espero?

    • Olá érica.. a LAD ou lesão axonal difusa é o rompimento das ligações entre os neuronios, ou seja neuronio A se comunicava com o B e já não se comunica mais, para isso tem que passar informação para o neuronio C e este passar para o B, então ela torna nosso raciocínio lento… antigamente os médicos achavam que não tinha cura, mas hoje percebemos que tem melhora, através de persistência criam-se novos caminhos, novas junções , mas não devemos desistir devemos persistir em nossas dificuldades, eu por exemplo fiquei com dificuldade de ler. textos logos, mas TODO DIA leio um frase a mais, e hoje já consigo ler umas 2 paginas sem problemas pois foram feitas novas ligações no meu cérebro, entendeu?
      Realmente nos tornamos novas pessoas, e isso É MUITO difícil de aceitar, pois nos cobramos, e somos cobradas, do tipo * mas antes vc conseguia porque não consegue agora?*
      O que me deu vontade de viver foi o desafio, de conseguir superar e mostrar que eu consigo sim passar por cima de minhas dificuldades.. claro com a ajuda de uma neuropsicóloga, que lhe aconselho,
      Como possui focos hemorrágicos, sifnifica que há vazamento de sangue, creio que seja melhor falar com um médico para evitar piora.
      Melhoras

      • Oi o meu esposo Daniel esta melhor ele teve lad, as vezes sente muita dor d cabeça ele tambm apresentou crises convulsivas parciais so no local da lesão o lado direito dele repuxa todo e tm tremores no rosto como se tivesse mordendo algo ele tomo anti convulsivo 3 veses ao dia mas hj ele teve outra crise mas n foi muito fort eu tinha mencionado q ele n conseguia falar mas essa semana ele disse pra nossa filha papai te ama muito depois d 7meses sem falar agora ele ja consegui dizr varias outras palavras mas ainda com dificuldades e o lado dele direito esta bm melhor mas quando s emociona ele fik todo repuxado parece q trava

  51. Olá, gostaria de deixar meu depoimento.
    Meu pai tem 66 anos sofreu um grave acidente, caindo de uma altura de 3 metros. Sofreu politraumatismo craniano e quebrou 10 costelas, ainda continua internado no hospital isso faz 2 meses no momento está na UTI com uma ulcera de pressão na sacra por estar muito tempo deitado, e com pneumonia. Estamos fazendo tudo que podemos para que o caso dele melhore e cobrando os medicos. Orando todos os dias para que meu pai saia logo do hospital pois quanto mais ele fica por lá mais ele pega bacteria e infecção.
    Obrigada

    • Sinto muito pelo ocorrido… Te peco além de orações muita paciência,pois assim que ele melhorar vcs irão precisar dela.

    • Concordo com você!!
      E às vezes a pessoa só precisa ler nossas histórias de superação para buscar sua melhora!! Fico muito feliz em poder ajudar

      • Ola! Faz 3 meses que deixei esse depoimento, meu Pai graças a Deus já está em casa e se recuperando. Fala normalmente, mais ainda não está andando, faz fisioterapia todos os dias, tem acompanhamento 24 hrs por enfermeiros so que essa ajuda o home care do convenio quer tirar, pois eles acreditam que meu pai não precisa mais de assistencia por 24 hrs, é um absurdo pois minha mae mora sozinha com ele, eu moro em outra cidade e minha irmã não consegue ir todos os dias pra ajuda-la. Minha mãe já é de idade e ultimamente ela anda exausta psicologicamente, é muito pra ela, nos tentamos ajuda-la mais não sei como ajudar mais.
        As memorias do meu pai a maioria das vezes estão muito boas, mais tem dia que está bem confuso e irritado. Como posso ajudar na recuperação dele?
        Eu agradeço todos as orações que foram feitas para ele. é um milagre divino

  52. Boa noite. Em 4/02/2017 sofri um AVC isquêmico no cerebelo que aparentemente foi causado por dissecção de artéria basilar. Não tive perda de memória e nem movimentos. Fiquei com um pouco de desequilíbrio e leve perda da sensação fina na mão esquerda. Estou fazendo terapia ocupacional e fisioterapia do equilíbrio, porém já quase de alta. Fiquei muito chorosa pq tinha uma vida agitada e trabalhava que bem uma louca!!!!. Então entrei em depressão e estou usando lexapro de 10mg e fazendo psicóloga. Voltei ao trabalho,só que menos e esta semana voltei a dirigir. A minha dúvida é a seguinte: sinto -me meio zonza, como se tivesse tomado um chopp o dia inteiro. Qdo fico deitada, essa sensação melhora mas é só levantar que a cabeça pesa e tenho a sensação de cabeça “oca”. Será que essa sensação melhora? Ou a gente se acostuma? A psicóloga diz que é depressão,porem acho que é do AVC. Eu sei que ainda não fez 2 meses porém estou anciosa. E qual é a média de tempo? Obrigada por me ajudar.

    • Regina, não sou a melhor pessoa para lhe informar, pois o melhor seria perguntar ao seu médico, também tinha uma vida muito agitada, e só trabalhava, entrei em depressão pois o que ocorreu foi inesperado e mudou minha vida.. fiz tratamento c psicologa e não adiantou então passei com uma neuropsicóloga, ( elas trabalham em varias area, busque uma que lide com AVC, TCE, Aneurisma.. bom,alguém que lide com deficiencias adquiridas)
      Isso me ajudou muito, passei a aceitar a NOVA BRUNA pois por mais que a gnt n queira deixamos de ser quem eramos em 90% dos casos..
      Melhoras e fale com seu médico.

  53. Boa noite o meu marido sofreu um acidente de carro gravíssimo no dia 12/03/ 17ele teve TCE e fratura exposta no braço esquerdo, perdeu os movimentos do lado direito e como ele fez a traqueostomia ainda nao sabemos se ele teve sequela na fala e em que mais ficou comprometido , ele aparentemente nos reconhece e interage com agente ele recebeu alta da uti hoje , vcs sabem me fala se os movimentos voltam? Todos que sofrem TCE fica com alteração de humor e previsão tomar antidepressivos , como ele era muito ativo nao parava quieto nao sei se ele vai entender tudo isso que ta acontecendo… por favor me responda sou de BH e estou com muitas dúvidas …
    Muito obrigada e boa noite

    • Selma, bom dia!
      Acabei de ler seu post e me informei com minha neuropsicóloga se indicava alguém em BH.
      Indicou a Fabricia na clinica Nexus, ela faz reabilitação, e disse que a clinica é ótima!!
      Quanto a perda de movimentos costuma ser devido a lesão, eu perdi movimentos do lado esquerdo do corpo, e recuperei após muita fisioterapia.
      Não uso antidepressivos, mas 5 anos pós trauma iniciei o uso de anticonvulsivos, claro por ordem de um psiquiatra, pois com lesões cerebrais, deixamos de produzir alguns hormônios, como a serotonina (o responsável pela felicidade) e esses anticonvulsivos o repõem, apesar de nunca ter tido convulsões. Já conheço pessoas de nosso grupo que utilizam antidepressivos faz anos, então, consulte um psiquiatra.
      1 ano pós trauma para realmente entender o que havia me ocorrido, apesar de sempre ter afirmado que compreendia.
      Um beijo e melhoras, após a reabilitação física, creio ser interessante fazer uma reabilitação psicológica nessa clínica.
      Um beijo e melhoras

      • Boa noite Bruna muito obrigada por responder … vou procurar sim a Fabricia para nos ajudar, graças a Deus bem de vagar ele ja esta dando sinais de melhora ja esta interagindo um pouco mais apesar de ter perdido a alta por causa de uma infeção no pulmão que pegou em quanto aguardava vaga na infermaria ,mais gracas a Deus ja estão dando antibiotico e ja esta bem melhor e vai receber alta novamente. .. tenho muita fé que vai dar tudo certo… muito obrigada por dividir com agente o que passou e nos auxiliar hoje num momento tao difícil… um grande beijo

    • Oi pesseal do grupo meu nome e ana paula sou de uma cidade dointerior do rs faz 7 meses q meu esposo sofreu um tce grave teve uma lesao axional difusa e machucou muito as areas frontais do cérebro ele ainda parece q n se deu conta do q aconteceu ele nao parece o mesmoo comportamento esta estranho ele danca, chora fika agressivo parece q ta fora do juizO eu falo pra ele o q aconteceu mas ele n lembra e sempr acaba esquecendo durante o dia eu falo pela manha a tard elw ja lembra mais eu agradesso a bruna morais por tr respondido meus emails me ajuda muito eu so sei dizer q ele ainda n esta controlado parece uma criança e ainda n consegui falar o q ele consegui e sao muito pouco tipo nao coisas curtas ele tm muita alteração ainda no humor mesmo com os remédios anti depressivo, calmantes e anti convulsivo q ajuda tambm no comportamento.etc

      • Oi Ana Paula, como já disse no comentário acima, meu filho sofreu eu TCE grave, quando caiu da bicicleta, também teve lesão axonal difusa, tenha paciência o caminho é longo, pois ele também bateu frontal , esse frontal é o nosso ” semancol ” eles perdem e nos deixa numa situação sempre constrangedora, ficam também infantis, tipo irresponsáveis, a sociedade não entende isso , e alguns terapeutas também ! é duro ter que lidar com isso, completamos 13 anos de acidente ! e ainda o tratamos, pois também tem sequelas motoras, precisa de um bom psiquiatra para controle desses impulsos incontroláveis , eles não tem o menor controle, hj tenho um psiquiatra bom, com medicações modernas, e também achei uma neuro-psicologa, o que não obedece muito, mas vai indo ! eles perdem a responsabilidade ! preste atenção !!! qualquer coisa nos falamos pelo meu email. abraço. boa sorte

      • Oi Ana Paula, entendo vc , o meu filho sofreu LAD há 3 anos, é realmente eles mudam completamente, o LAD é a lesão cerebral mais grave de um ser humano, então paciência, fé e força.
        Ana Paula, temos um grupo no watshapp de familiares e ladinos tem pessoas do teu estado também, nos ajudamos mutuamente, realmente somos uma família, se vc quiser me adicionar ao teu watshapp; 041 999449991 .
        Bjs

  54. Olá gente!

    Fernanda, Bruna ou demais colegas

    Eu tenho uma dúvida, se puderem me ajudar, agradeço muitíssimo. Todo traumatismo craniano acarreta modificações visíveis a exames de imagens (como ressonâncias e tomografias)?

    Meu acidente completou um ano de um mês. Nunca tive nenhum resultado de lesão visível (fiz ressonancias, tomografias e um spect cerebral). Tudo “normal”. Mas ainda assim me sinto diferente: cansado, o corpo mais pesado, lento, desajeitado, não tenho mais a leveza de antes. Pouca disposição, menos energia, um pouco tonto, percepção do ambiente diferente…sinto diferenças de força… o sono mudou bastante. Tomo antidepressivos e faço tratamento psiquiátrico e psicológico (terapia comportamental cognitiva).

    Isso é normal para um quadro de TCE? São sequelas? O que posso fazer para melhorar? Há “cura” ou só o tempo para dizer?

    Que Deus abençõe a todos, oro por todos vocês!

    Beijos no coração

    Hugo

    • Bom dia Hugo!

      Como não sabia como lhe responder, entrei em contato com nossa neuropsicóloga, a Beatriz Baldivia, e ela me informou que provavelmente após suas declarações, você teve um TCE leve, e que você PODE estar sofrendo de uma sindrome pós concussional, mas te aconselhou a ver outros médicos, pois nesse país infelizmente temos alguns médicos que não são tao bons ou tão informados. Quanto a lesões psicológicas, aconselha uma neuropsicóloga, pois ela verificará exatamente suas lesões, e lhe ajudará a contorná-las. eu fui a uma psicóloga e é um tratamento TOTALMENTE diferente de uma neuopsicóloga, mas não o aconselho a desistir se uma psicóloga, talvez unir as duas.
      Ela me perguntou de onde você é para ver se indica alguma que conheça.
      Melhoras
      Bruna

  55. Boa noite, meu nome é Vitória, tenho 20 anos. Não tenho hipertensão, diabetes, nem qualquer doença assim, só não sei o histórico famíliar. Minha dúvida é: é possível ter aneurisma por muito estresse/episódio de raiva? Hoje mais cedo estava muito estressada por causa do som do vizinho e levantei de súbito, fui até a sacada gritar para abaixarem o som e senti uma pontada extremamente forte na cabeça, nunca senti uma dor assim antes, fiquei meio tonta na hora mas não desmaiei nem nada assim, só a dor forte mesmo. Agora (em média 4hrs após o ocorrido) estou com um pouco de enjôo e dor de cabeça moderada, além de um pouco de dor no olho; devo me preocupar?
    Detalhe: Sempre tenho dores de cabeça, cheguei até a fazer tomografia cerebral há mais ou menos 1 mês atrás, não deu nada e foi constatado cefaléia tensional. Meu período menstrual também está bem próximo.

    • Boa tarde..Melhor ir a um hospital e dizer essa suspeita..Ninguém melhor que um médico para tirar sua dúvida. Claro que pode ser só uma dor de cabeça forte, enxaqueca, etc., mas se isso está te preocupando, melhor ir verificar.

  56. Olá gente espero que alguem possa me ajudar .. Bom ha uns 10 meses tive um tce grave, fiquei em coma e fiz até cirurgia. Perdi muita coisa da memoria e agora não sinto vontade de fazer nada, nao sinto fome e nem vontade de fazer nada. Alguem sabe se isso melhora com o tempo? Todos acham que eu estou bem mas por dentro eu nao estou. Queria voltar a ser como eu era ou pelo menos algo parecido pq viver assim nao é viver

    • Érica, boa noite!
      Primeiro passo que devemos fazer é agradecer por termos tido uma nova chance..Se a tivemos foi por algum motivo, e não podemos desperdiça-la por mais difícil e complicada que pareça…
      A memória recente é normal que a percamos.
      Para isso minha neuropsicóloga me aconselhou utilizar agendas e despertadores de celular.. no começo odiava mas agora não vivo sem.
      Creio que seja muito bom você procurar uma neuropsicóloga
      Ela ajuda a verificar suas dificuldades e auxilia a contorná-las.
      Eu fiquei praticamente um ano sem entender o que me ocorria, não queria e não conseguia fazer nada.
      Realmente nós mudamos.. eu faço coisas hoje que nunca imaginei. Por exemplo Trabalho com crianças. Trabalhava com atendimento ao cliente
      Temos que aceitar o mais difícil…SOMOS NOVAS PESSOAS!!
      De onde vc é? Bju e melhoras

      • Oi Bruna, obrigada por me responder. Eu sou de campinas. Bom estou em acompanhamento com psicologa, não tem neuropsicologa na rede publica.

      • Olha sou de Atibaia, minha neuropsicóloga e da Fer é de SP.. ia para la toda semana Beatriz Baldivia, é particular mas não costuma ser muito caro.. passei numa psicologa e nao ajudou muito.. a neuropsicologa entende as lesões cerebrais que ocorreram e somente comecei a melhorar após ir a ela.. não queria ir achava que nada irira mudar .. hoje me arrependo, pois me ajudou bastante.. ela tem paginas na internet e no face busque-a pode indicar alguem dai.. bju

      • ah!! em SP ela atendeu gratuitamente pelo CPN, e eles tem outras neuropsicologas.. somente demora um pouco para chamarem.. é próximo da Unifesp

  57. Olá amigos eu me chamo Rafael tenho 26 e não sou mto bom com palavras rsrs.No Carnaval agora de 2017 eu estava curtindo com minha esposa e alguns amigos na vila Madalena quando fui atropelado por um carro e acabei perdendo a visao do olho direito completamente(vejo tudo escuro) ao fazer alguns exames foi constatado que eu não tinha nada de anormal nos olhos ou seja o problemas esta na cabeça,acho que bati mto forte com a cabeça no chão segundo os medicos não tem como fazer cirurgia. Gostaria de saber se alguém aqui passou por algo semelhante ou conhece alguém que tenha passado e se alguém conseguiu recuperar a visao depois de algum tempo? Mto obrigado a todos fiquem com Deus.

    • Boa noite Rafael, seu caso como o meu me parece algo inesperado, mas infelizmente ocorreu.. meu pai eh oftalmologista e ele aconselha nesses casos a ir a um neuro-oftalmologista, pois somente ele verifica se houve dano no nervo óptico com a pancada. Apesar do meu pai ser oftalmo, eu passei em um neuro-oftalmo, pois perdi a visão periférica, eu enxergava embaçado, mas como não tive dano no nervo, após alguns anos minha visão retornou. Hoje enxergo normalmente, mas tudo depende se o nervo foi ou não afetado, e qualquer melhora nos nossos casos, de lesão cerebral, ocorre, mas demoram muito.
      Vc teve mais algum dano?
      Participo com a Fer de um grupo em SP e neste grupo temos uma pessoa que foi atropelada e perdeu a visão de um olho também , não sei se conseguirá vir responder pra vc.. mas a avisei.
      Melhoras!
      Bruna

  58. MeU ex marido sofreu acidente faz uns dois dias foi atropelado e rachou a cabeça em tres lugares,está em coma induzido ,os médicos disseram que ele tem um sangramento ainda que estão tentando controlar, a cabeça inchou muito e os olhos estão pretos,os médicos pretendem na segunda feira ir desligando os aparelhos aos poucos pra ver se ele reage,quanto tempo será que leva pra ele acordar?será que ficará com sequelas?
    Muito triste com tudo isso 😦

    • Oi Luciana, muito triste isso mesmo. Mas se deus quiser ele vai ficar bem. Acabei de perguntar p minha mãe e ela disse q eu demorei uns 2 dias p sair do coma indusido. Agora em relaçao a sequelas acho q nao da p dizer. Fisicamente eu nao fiquei com nada, mas me sinto outra pessoa ah e eu estou com muito problema na memoria tb. Mas com o tempo tudo se resolve.
      Bjos

    • Boa noite Luciana, sinto muito pelo ocorrido e rezo para que tudo melhore!
      Participo de um grupo em SP de pessoas com Lesões Cerebrais Adquiridas, que podem vir deAcidentes, atropelamentos, avc, aneurismas, tumores dentre outras
      E todos sofremos quase dos mesmos tipos de sequelas, elas se diferem somente pelo grau da lesçao e área afetada, nosso cérebro é muito complexo, nem mesmo os médicos realmente o entendem. As dificuldades mais comuns são a perda da mamória recente, o défict cognitivo ( dificuldade em resolver problemas) e sono excessivo.
      Eu fiquei em coma *natural* por um mês, e os médicos fizeram tudo para eu acordar mas eu não acordava, hoje penso que para nós é melhor dormirmos, pois nosso cérebro se reconstrói, para os parentes e amigos creio que seja péssimo, querem que a pessoa acorde e tudo não tenha passado de um pesadelo, mas infelizmente não é assim..
      Ele necessitará de muita ajuda, não precisará de cobranças, do tipo antes você fazia isso, (ouvi muito isso) e de ajuda para buscar TODOS os tipos de tratamento que o auxiliem, como fono, fisio, terapeuta ocupacional, neuropsicóloga ( que me ajudou muito) , mas tudo depende das sequelas com as quais ele ficará.
      sei que é complicado mas PACIENCIA!!
      Tudo é MUITO recente… tente se acalmar.. de uma lida nos itens da visão profissional talvez possam lhe ajudar
      melhoras e um beijo

    • Oi minha irmã sofreu um acidente de carro dia 24 de fevereiro, teve TCE moderado, fraturou a C1 e a mandíbula, hoje após quase um mês do acidente ela ainda não fala por conta dá lesão na mandíbula ( vai fazer a cirurgia hoje) e por conta dá traqueostomia, mas ela se comunica escrevendo e com sinais, porém ela está sofrendo alucinação, já imaginou que tava grávida e que tinha bruxas no quarto, o médico falou que era por conta do remédio para convulsão, mas antes ele tinha dito que era estranho, queria saber se alguém já passou por isso, estou com muito medo dela ficar assim pra sempre.

  59. Bom dia.
    Alguem de vocês que depois do truma conseguir lembra das pessoas lugares mais nao lembra de nomes.Sei que cada um sao casos diferentes mais com quanto tempo voltou as lembranças. E quando faz tratamento com fonodiologa a voz volta ao normal.

    • Oi Leny, espero de verdade q seu sobrinho esteja bem.. Bom eu me lembrei de todas as pessoas e nomes, mas nao sabia como tinha conhecido ninguem, nao lembrava de nada do q ja havia feito. Acho q depois de uns 2 meses q sai do hospital q comecei a lembrar. O q me ajudou muito foi ler conversas do whatsapp,do facebook e emails q eu havia escrevido. Isso ajudou a recuperar a memoria. Agora lugares eu nao lembro de nada, tipo sei q ja fui mas nao lembro mais como faz p chegar. Mas os medicos dizem q muita coisa ainda pode voltar. Em relaçao a fono nao posso falar nada pois nao precisei fazer.

      Um abraço

    • Boa moite.. essas lembranças melhoram com o tempo.. mas normalmente ocorrem..qnto a voz..minha familia diz estar igual antes mas um amigo, cantor disse que meu tom de voz mudou depois da traquiostomia.
      Mas depende de cada lesão…conheço pessoas que não falavam, e hoje após muita fono já pronunciam frases.. continue o tratamento..busquem sempre melhoras.. eu cheguei a meus 90% mas buscando melhoras sempre..ja fsz 7 anos

      • Bom dia , em 2009 sofri um tce com perda de massa, tive hemorragia e lesões bi laterais, ano passado passei por um implante de neuroestimulador cortical na esperança de melhorar das dores de cabeça, convulsões e diminuir os remédios mas nada disso aconteceu.
        É essa quando fui na consulta e perguntei para o neuro se poderia engravidar algum dia ? É se haveriam riscos ?
        A resposta foi que não é aconselhável nunca , pois meu cérebro está muito lesionado e eu não aguentaria.
        Queria saber entre as mulheres do blog que tiveram tce , alguma de vocês teve filhos depois do tce ? Ou a resposta é a mesma para todas ?
        Obrigada
        Beijos

        Daniela Rodrigues

    • Oi Leylaura, acho que tem que fazer um treino com neuro-psicologa, e quanto a voz, acredito que terá que fazer muitos exercícios com uma boa fono, infelizmente só depende da gente mesmo, se quiser conheço uma ótima !

  60. Ola… por favor me ajudem pois nunca havia presenciado e nem vivido algo assim.Meu sobrinho dia 29 de janeiro desse ano sofreu um acidente de moto onde teve um politraumatismo nao machucou nada além da cabeça fez cirurgia acordou do coma com 10 dias só q ta muito agressivo ainda no hospital ta amarrado e ainda nao lembra das pessoas a fala dele ainda com a língua muito enrolada. Alguem de vocês ja viu ou ouviu algum caso assim . aguardo vocês com esclarecimento pois estou muito preocupada e quero demais força pra ajuda_lo pois é um rapaz muito jovem com 20 anos.

    • la Leny, espero que seu sobrinho melhore.
      Bom eu ha uns 8 meses tb sofri um acidente de moto e nao machuquei nada só a cabeça. Tive um TCE grave e tb fiz cirurgia na cabeça. Acho q fiquei uns 10 dias em coma tb, e quando acordei tb precisei ser amarrada. Dizem q eu me lembrava das pessoas mas não sabia quem era quem. Fui recuperar a consciência apos um mes de sair do hospital. E a memória foi voltando aos poucos mas ainda nao recuperei tudo. Me sinto outra pessoa hoje, e ninguem tem consciência disso e é isso que mais me doi. Antes do acidente eu estudava psicologia, não lembro muito do curso mas lembro q fazia. Entao o q eu acho que faz sentido é que ele após melhorar e nao tiver nenhuma sequela física, vão falar que ele nao tem mais nada. Então se ele se queixar de algo q os medicos dizesm que ta tudo bem, procure outras opiniões, pois a cabeça da gente é algo que nem a gente mesmo conhece, eu digo isso pq penso completanente diferente de antes. Eu espero de coração que ele se recupere logo, mas se ele se queixar de algo sobre ele em relação a comportamento e sentimento acredite e de atenção, pois sera quando ele mais precisará.
      Um bjoo

      • Obrigado Erica.Quero muito ajudar ele hoje ele teve alta do hospital os médicos falaram q e melhor ele em casa com a família pra recuperar aos poucos tenho muito medo dele nao lembrar de tds nos da família mais confio em Deus que ele vai recuperar. Bjs e mais uma vez muito obrigado.

      • Pessoal como havia contado aqui do acidente do meu sobrinho hoje ele está em casa mais muito confuso lembra de tds mais nao sabe nomes e não que ficar em casa pois antes do acidente ele ja ficava muito na rua.Fala pouca coisa pois a lingua enrolada os médicos falam q essa impaciência e normal mais que com o tempo vai voltando a memória até pq ele nao lembra nem do acidente . Não está facil essa situação mais confio em Deus que essa situação vai mudar.

    • Boa noite hoje mais uma vez gostaria de pedir ajuda com esclarecimentos de vocês.Levei meu sobrinho hoje ao neurologista pra bater tomografia pra vê como está o cérebro do meu sobrinho pois depois do acidente e desde quando saiu do hospital ainda nao tinha tido nem um retorno ao medico e hoje foi esse retorno sendo assim q a dr falou q ele teve encefalomalacia ela explicou sim sobre o problema mais alguem de vcs pode me falar algo se tem cura como é td isso pq na hora da consulta ficamos tão nervosa que nem sei entender.

  61. Olá, eu sou Fabiana, em Maio de 2015 meu marido Roberto, então com 53 anos, caiu de bicicleta, 2 meses depois foi constatado um coágulo no cérebro, este foi drenado e 15 dias depois ele já estava treinando de novo. Em outubro de 2015, por conta de uma convulsão (em cima da bicicleta) ele caiu novamente, por causa deste tombo, teve TCE grave, no lobolo frontal esquerdo, 13 dias na UTI, 8 em coma, 21 dias de internação no total. Voltou pra casa, usando fraldas, sem conhecer as pessoas, alternando comportamento agressivo, com momentos de depressão, os 3 primeiros meses pós-trauma ele não se lembra de nada. Aos poucos as memórias foram voltando, ele foi lembrando das pessoas mas não lembrava seus nomes, isto acontece até hoje. Por gostar muito de exercícios, assim que pôde voltou a fazer caminhadas, isto fez toda diferença na sua recuperação. Só que, psicológicamente ele mudou, apareceram transtornos: TOC, Sindrome de Panico, Deficte de Atenção, tem necessidade de controlar tudo(horários, trajetos,comportamento dos outros), em reuniões familiares ele não interage com as pessoas, pra piorar ele já teve mais duas convulsões. Ele toma anti-convulsivo, anti-depressivos. Ele sabe que não vai conseguir voltar ao trabalho que fazia antes, e não se acha capaz e não quer fazer outra coisa. Isto me entristece muito. Agora que consegui convense-lo a procurar um psicologo.Gostaria de saber de algum tratamento, alguma ideia que possa ajuda-lo a ocupar o tempo e a se sentir útil novamente. Obrigada, abraços!

    • Fabiana, sinto mjuito pelo ocorrido, infelizmente tais fatos ocorrem muitas vezes quando menos esperamos, como ocorreu comigo, busque uma neuropsicóloga, pois elas entendem as lesões cerebrais e o que causam, mas se não encontrar uma busque uma psicóloga mesmo… realmente é MUITO difícil para nós aceitarmos que não somos mais os mesmos, que somos novas pessoas, que o não somo s mais capazes de fazer o que fazíamos.. isso doeu muito em mim e minha neuropsicóloga me ajudou muito a aceitar a nova bruna.. pois eu já estava entrando em depressão quando a encontrei..
      Pq eu? não tive culpa alguma.. o moço do outro carro só quebrou o braço.. pq estava no lugar errado , na hora errada? muitas dúvidas passavam na minha cabeça.. mas consegui entender que sou uma nova bruna e tenho outras qualidades..
      Hoje tomo remédios dados por um pisiquiatra para controlar meus surtos e acessos de raiva,( comuns em quem sofre TCE, pois hormônios como a serotonina, produzidos normalmente passam a ter falhas..) minha neuropsicóloga me ensinou alguns truques para evitar falhas de memória como uso de agendas,
      Hoje estou melhor, mas faz 7 anos do meu acidente.. lesões cerebrais melhoram, mas isso demora, e muito.. mas precisamos sempre buscar essa melhora..
      Um beijo

      • Obrigada, Bruna! Vou continuar buscando tudo que for possível para ajuda-lo. Vocês são muito especiais pra nós. Bjs!!

  62. Historia incrível fernanda. Bem minha história teve final feliz, mas foi muito difícil eu sou Elaine tenho 35 anos e sofri acidente de moto e perdi memória recente quando acordei do coma após 23 dias eu não lembrava de nada do acidente e tudo q eu lembrava era de coisas da minha idade até 10 anos após essa idade não lembrava de nada foi horrível tudo era muito estranho minha mãe e pai estão velhos e meus irmãos eu não os conhecia meu namorado nem fazia idéia de quem era eu tinha nojo dele e tudo era confuso medo dor foi horrivel isso durou 6 meses foi um pesadelo pra minha família e graças a deus acabou um dia acordei levantei e veio uns flash na cabeça luzes vozes e imagens tudo ao mesmo tempo e minha memória voltou parcial hoje após 6 anos estou bem e lembro quase tudo. .. felicidades

    • Que bom que voce está bem Elaine. Fico muito feliz.
      Me tira uma dúvida, eu ha 7 meses tb sofri um acidente de moto e perdi a memoria. Das pessoas eu lembrava de todas, mas nao sabia como as tinha conhecido. Muita coisa ja voltou, mas eu lembro das coisas e nao dos detalhes. E em relaçao a lugares nao sei mais onde fica nada, sei q ja fui, mas nao sei mais como chegar. Eu sei q vc nao pode falar se eu vou recuperar toda a memória, mas será q ainda posso lembrar de mais coisas?

    • Que bom!!
      Não tive flashs, apesar de ter esquecido de muitas coisas, ao me contarem eu relembrava algumas delas..mas minha memória vem melhorando.. mas muitas vezes lembro do que não preciso e me esqueço das que precisava lembrar..mas com uma agenda e alarme no celular já está 90%.. esse ano faz 7 do meu tce

  63. Olá … Meu nome é Roberta , e no dia 3 de dezembro de 2016 , meu pai sofreu um infarto …. Ele tem 61 anos , super vivo , ativo ..fazia 20 dias que tinha feito o check up cardiológico e estava tudo normal ….. Estava sozinho quando sentiu a dor, pegou o carro e foi ate o hospital … Foi constatado o infarto e ele ate ligou pra minha mãe para q ela fosse ate o hospital , e quando ela chegou os 2 conversaram brevemente e ele sofreu uma parada cardiaca dentro da emergência… Durou 30 minutos .
    Com isso ja voltou inconsciente e realizou angioplastia e CATETERISMO e permaneceu na uti por 33 dias … Após uns 10 dias mesmo em coma ele tinha alguns reflexos preservados , abria os olhos mas não mantêm contato , não responde a estímulos , somente à dor …. Com a ressonância , lesão difusa substância branca e cinzenta proporcional … Somente a parte de funções vitais preservadas … Ele permaneceu no hospital por 50 dias e os médicos liberaram ele pra ir pra casa … Mas com o prognóstico : estado vegetativo …. Como aceitar isso ?! Como saber lidar com isso ? Os neurologistas não dão chance …. Gostaria de saber se alguém conhece algum caso em que no fim das contas os médicos se enganaram e o paciente pode recuperar sua consciência … Pq mais do que a deficiência física , o fato de ele não conseguir manter contato mesmo estando de olhos abetos dói muito ….

    • Olá Roberta,
      Meu esposo teve uma parada cardiorrespiratória e não se sabe quanto tempo ele ficou sem oxigênio. Ele ficou 3 meses na uti, depois um mês no apto e qdo estabilizou veio para casa com home care. Ele tb teve lesão difusa e os médicos disseram mil e uma coisas, na maioria negativa! Fiquei péssima. Então ele veio para casa totalmente aéreo, sem interagir com a gente. Mas nunca desisti. Então ele começou com os primeiros estímulos… engolir, olhar para nós, ver tv… com o trabalho do Fisio, a respirar sozinho, sentar na sala, na varanda e passear de carro. Sabia que ele escutava… começou então a pronunciar meu nome, dizer NÃO… a movimentar os braços e pernas…
      Isso tudo Roberta em quase 2 anos após a parada… É um processo muito lento e paciência e fé são os segredos!
      Procurei uma terapia o que me ajudou muitooo!
      Não escute o que os médicos dizem, á a ultima palavra é sempre de Deus.
      O que precisar estarei por aqui…. entendo tudo o que vc e sua família estão sentindo mas não desistam!
      jubafbrito@hotmail.com

      Juliana

    • Olá Roberta!
      Sinto muito pelo seu pai, mas afirmo mais uma vez que com Fé e persistência NADA é impossível!
      Eu não fiquei em estado vegetativo, mas médicos diriam que eu ficaria, que se desligassem meus aparelhos eu não irira resistir.. e hoje estou aqui..
      Creio que deva ser muito difícil aceitar isso, principalmente pois tudo ocorreu do nada! de repente!!
      Busque sempre o que estiver a seu alcance, para tratamentos e melhoras, não entendi muito o estado vegetativo se ele sente dor.. não creio que entendi direito.. mas força e fé!
      um beijo
      NADA NESSA VIDA OCORRE POR ACASO, por pior que nos pareça e não saibamos o moyivo ainda.. um dia tudo se esclarece

  64. Ola gente boa noite .. Vi Esse blog e gostei muito. Minha filha há 8 meses sofreu um acidente de carro e teve um TCE. Ficou em coma induzido pois precisou fazer uma cirurgia na cabeça. Ao todo ficou uns 20 dias no hospital. Ela nao lembra do tempo que passou no hospital e nem uns 15 dias depois que ja estava em casa. Depois começou a lembrar das coisas mas a memoria dela ficou bem comprometida. No inicio ela tinha dificuldade de fazer tudo, e ainda tem. Ela nao come direito, e diz q nao sente fome, e as vezes passa dois dias sem comer nada. Ela virou outra pessoa e diz q está tendo pensamentos estranhos, as vezes quer se matar, as vezes fala que quer matar alguem. Ela foi ao medico no fim de dezembro e ele marcou retorno pra maio. Como eu devo proceder com ela, as vezes parece que ela está fingindo.

    Grata

    • Luciana,
      Ela tem reações normais para quem sofre lesões cerebrais… creio que ngm do blog se lembre do ocorrido..eu não lembro nem do q ocorreu dias antes.
      Te aconselho a buscar uma neuropsicóloga..foi quem me ajudou a superar minhas dificuldades. Vocês são de onde?
      E um psiquiatra , que entra com medicamentos para ajudar,dsmorei p ir..hj tomo diariamente um anti convulsivo ,apesar de nao ter convulsoes, que controla meu humor..
      Um beijo

  65. Oi gente td bem com vcs? Espero q sim. Ve se alguem pode me ajudar, acho q estou meio largada pq estou fazendo acompanhamento medico pelo sus e é tipo de 3 em 3 meses.
    Me sinto muito fraca quase sempre, e os pensamentos ruins estão aumentando. Será q eu preciso tomar algum remedio pra isso?

    • Olha Érica busque um psiquiatra pois somente ele é um psicologo q pode receitar remédios.. e veja se na sua cidade não tem serviço gratuito de neuropsicologia..
      Um beijo

      • Erica, minha querida,
        Te entendo bem, meu esposo sofreu um TCE gravíssimo a 7 meses e também se trata pelo SUS e a demora é realmente MUITO grande. Sobre a medicação: É melhor você procurar um médico. Só ele pra te dar um respaldo Mas dica que te dou é essa: O que você conseguir fazer em casa faça. Eu compro aqueles livrinhos de caça-palvaras, sudoku e etc pra ele ir treinando o cérebro. Além disso ele faz exercícios em casa todos os dias (já que esta sem fisio a 2 meses). Quando temos acesso a um médico ou fisioterapeuta perguntamos quais os exercícios que vão ajuda-lo em sua recuperação e ele os faz em casa mesmo. Ele tem uma agendinha só dele (nem eu tenho acesso) e lá ele anota TUDINHO. Desde dasabafos até datas de compromissos, pra não esquecer. Ele diz que ajuda bastante. Ele tem melhorado muito. Quer o email dele para conversarem ? As vezes ajuda.
        Beijão

  66. Meu nome é Deyse estou com meu esposo em coma vigil há 45 dias .Após uma cirurgia de visicula inflamada teve 3 paradas cardíacas que afetou seu cérebro.Sei que temos que ter muita fé e acreditar que ele vai conseguir recuperar.Li seus depoimentos e fiquei esperançosa de poder ajudar meu esposo estimulando ele a retornar desse sono

    • Minha querida Deyse,
      Eu entendo sua angustia. A 7 meses era eu no seu lugar. Meu esposo sofreu um gravíssimo acidente que teve diversas consequências. A pior delas foi a neurológica. Mas TENHA FÉ. Eu tive. E olha que teve um dia que médico disse que ele estava com morte cerebral. Mas eu clamei tanto a Deus e hoje ele ta ai. Vivo e fazendo tudo que diziam que ele não conseguiria. Quando precisar desabafar pode vir conversar comigo. Email: giulietoczek@gmail.com
      Abraços e melhoras ao teu esposo.

      • Oi gabrielle faz 5 mese q meu esposo sofreu um tce grave ele tv lad, ainda n consegue falar e esta agressivo as vezes ri muito chora qr se avncar nas pessoas ele ficou 3dias em coma induzido e acordou uns 4dias depois mas bm fora d si hj ele sabe o nome dele mas fik muito confuso n sab o q aconteceu ñ qr vr ninguem so fik dentro do quarto as lesoes foram frontais o dr. Disse q isso afeta o comportamento ele reconhece as pessoas 2dias antes do acidente eu descobri q estava gravida ja temos uma filha de 7anos e agora vamos tr outra mas ele olha pra minha barriga e faz uma expressão q n lembra d nada todos os dias eu explico pra ele agora tenho deixado ele mais tempo sozinho se eu fiko perto ele comeca a fikar irritado pois ele tenta falar e n consegue e comeca fik agressivo e nervoso ele esta fazendo tratamento com ante depressivo e calmante.o neuro falo q temos esperar poiis e muito recente ele veio pra casa sem nocao d nd usando fralda,d sonda n mexia o lado direito hj ja caminha toma banho se alimenta sozinho mas n foi avaliado pq ele n faz as coisas entao eles n conseguem avaliar se afetou a memoria mas a fala esta bm dificil e o comportamento.

    • Oi Deyse

      Meu marido tb teve uma parada com comprometimento neurológico. Ele hj está em casa com home care. Ouvi barbaridades dos médicos.. . Mas quem dá a última palavra é Deus. Tenha fé… Estou aqui se tiver alguma dúvida ou queira compartilhar algum sentimento! Força
      jubafbrito@hotmail.com

  67. Oi gente, como estão? Alguém tem experiência no uso da acupuntura para tratamento pós-TCE? Comecei a uma semana e já tenho notado melhoras, discretas, fica esta dica. Ainda assim, tem dias que fica uma fadiga enorme no corpo, atacando a força nas mãos e pernas. Alguém já passou por isso? Essa fadiga extrema é permanente? Abraços a todos e boa recuperação.

    • Olá Hugo, nã respondi sua mensagem antiga pois não utilizei da acumpuntura.. mas já ouvi muitos elogios… Na verdade creio que tudo que façamos acreditando.. com fé ajuda e ajuda muito!!!
      Bom saber que percebe melhoras!!! Como já disse no blog o cérebro é uma cois amuito complexa, um centimetro e tudo já muda! mas continue tentando!! Espero que surta efeito muito bom para vc..

      • Ola bruna eu escrevi aqui pra gabi eu vi q vc teve um tce e teve lad meu esposo tambem tave faz 5meses ontm ele estva olhando as fotos do acidente depois ele foi deitar e comecou a rir muito e logo comecou a morder a boca como se tivesse mastigando o lado direito q fikou mais comprometido comecou a tremer muito so q eu disia vamos pro medico ele fazia q nao a pressao art.foi 19.15 mas logo s estabilisou fiko 12.8.eu n sei se foi q ele fikou nervoso por vr as foto.

  68. Oi Fernanda,

    A Acupuntura pode ajudar na reabilitação? Vou iniciar. A neurologista passou também um exame chamado Spect Cerebral para 24/01/17.

    Cada vez mais tenho ciência de que decorridos quase um ano após o TC, hoje sofro com síndrome Pós-Concussão. O que mais me incomoda são dores nas pernas (principalmente na panturrilha da perna esquerda), fadiga intensa no corpo e sensação de peso. O sono regulou mais, embora a impressão é que ele está superficial.

    Isso tem jeito com tratamento médico, é apenas aguardar mais tempo ou se trata de sequela permanente?

    Abraços

    • oi Hugo, já acunpuntura via laser, é mais rapido e profundo, acho que chama MPS, meu filho faz no Morumbi. abs.

  69. Oi Fernanda,
    Sofri um TCE em 22.09.16, e eu já me recuperei quase que 100%, mas a minha fala tá lenta e meu raciocínio também. É norma?
    Os médicos dizem que vou ficar 100%, mas tenho mt medo. Minha visão periférica também não está 100% ainda, mas me falaram que isso volta com o tempo.
    Hoje o que mais me incomoda é a voz. Se souber como me ajudar, por favor me diga.
    Eu faço fono 1x na semana e fisio 2x na semana.
    Bjs

    • Ola Flavia,
      Eu sofri persa de visão periférica que voltou com o tempo.. mas é necessária paciencia.. a minha retornou cerca de 2 anos após meu TCE
      Movimentos perdi do lado esquerdo e recuperei após um ano e meio mais ou menos fazendo fisio todo dia
      Quanto a sua fala, é necessário muita fonoaudiologia.. a Fer creio que seja amelhor pessoa para lhe informar, pois ela é fono!
      O raciocínio lento ocorre devido a lesão cerebral, no meu caso é um pouco mais complexo, sofri LAD também , LAD é Lesão Axonal Difusa, na qual os nossos neurônios perdem a ligação entre eles, o que torna nosso raciocínio mais lento, pois o neurônio A não passa mais informação para o B, ele precisa passar para o C, e este a repassará para o B, não sei se entendeu, mas cheque com seu médico antes se sofreu LAD, se não sofreu o que te recomendo é paciência e fé, que tudo se arruma..
      Um beijo

      • Infelizmente os neurônios não ligam novamente, mas fazem novas ligações .. para isso é necessário sempre manter o cérebro ativado, eu por exemplo fiz uma pós, outro idioma, era agora insisto na leitura, o que me irrita muito, pois não consigo ler textos longos ou com letras pequenas… perco o total interesse muito rápido, mas meu pai ( acho que comentei que é médico) me incentiva muito dizendo que é dificil mas novas ligações precisam ser criadas.. então já estou no 4 capitulo de um livro.. claro que consegui pois letras são grandes e espaçadas e o tem a me interessa.. rs
        Um beijo

      • Em quanto tempo vc sentiu que estava zero ? Em quanto tempo voltou a dirigir? Me passa seu e-mail?

      • bru.morais2@yahoo.com.br
        Olha eu ainda não estou zero, e nao ficarei, estou com algumas dificuldades que infelizmente não mudam, mas me apeguei nas qualidades com as quais fiquei e estou aprimorando-as
        Meu acidente fará 7 anos.. retornei a dirigir sozinha após 3 anos, após 2 com o meu pai dentro do meu bairro para eu perder meu medo..
        Mas o tempo depende da área lesionada, do grau da lesão dentre e=outros.. bju aguardo seu e-mail e de quem mais quiser

      • Ola bruna morais meu esposo teve lad faz 5 meses ele ainda esta muito confuso as vezes ri muito chora, fik agressivo ele n conseguiu falar ainda as lesões foram frontais o medico disse q isso afeta o comportamento ele n qr sair do quarto fik o dia inteiro preso ñ faz mais fono nem fisio o medico e bm positivo na recuperacao dele q ele jovm ele e eletrotécnico e muito inteligente estamos esperando o tempo passar os remedios antedepressivos fazerem efeitos ele toma um calmante a noite tb pro comportamento pra n fik muito agressivo.

      • Oi Bruna, acredito que textos ficam difíceis, tente jogos onde vc usa concentração, são tipos de madeira, coloridos, vende no Catavento, parecem infantis, mas ajudam muito na parte de neuronios, e hj é muito usado para evitar Alzeimer, tem um cara da Poli que falou sobre isso, são vários jogos , trabalha bem o ” pensar ” ! espero que ajude, meu filho nem isso faz, ele detesta !

    • Érica boa tarde
      eu perdi a visão periférica mas recuperei após alguns anos, quem pode lhe auxiliar é um neuro oftalmologista, meu pai é oftalmo e me informou isso pois somente ele poderá saber quão grave foi a lesão

  70. Boa noite!!!!!
    Hj é o primeiro dia de um ano novo! É a primeira página em branco de um livro com 365 folhas. Vamos escrever uma boa história!!!!!!!!!!!!!!

    Quero desejar a todos vcs que entram aqui, que escrevem seus depoimentos, que acompanham o blog “meu cérebro mudou” talvez sem nunca terem escrito nada… não importa, quero desejar a cada um de vocês, um Ano cheio de paz, saúde, amor, fé, coragem, determinação, força, otimismo, sabedoria, união, carinho, luz, conquistas, amigos, enfim, tudo de melhor na vida de cada um de vcs!!!!!!

    Lembrem-se de que muitas coisas, por mais que lutamos, não acontecem como pedimos ou desejamos, mas vamos acreditar que tem uma razão de ser, razão esta que muitas vezes desconhecemos e não vamos entender nunca aqui!!!!! Entreguem a vida de vcs e de seus entes queridos nas mãos de Deus e confiem que Ele fará o melhor!!! E tentem aceitar o que vier…. Não conheço outra forma de paz e felicidade…

    Muito obrigada a todos por compartilharem suas histórias e darem apoio pra tanta gente que entra aqui.
    Tenho todos vcs com muito carinho e quero poder ajudar mais em 2017!

    Com muito carinho
    Fernanda

    • Que lindo Fer.. me emocionei!!
      Realmente TUDO nessa ida ocorre com algum propósito por pior que seja e não saibamos ainda o motivo, no futuro saberemos!!! Ótimo ano!!

  71. Oi espero que todos estejam realmente bem. Bom há 6 meses atrás eu sofri um acidente de moto e tive um TCE, disseram que eu cheguei quase sem vida no hospital, tive q fazer cirurgia na cabeça e tudo mais. Ao todo eu fiquei 1 mes no hospital e do tempo que fiquei no hospital até uns 20 dias depois q eu ja estava em casa eu não lembro de nada, é como se não tivessem existido esses dias. Quando comecei a ter conciencia das coisa não lembrava de nada do meu passado, mas isso ja melhorou muito. Todo mundo acha que eu to super bem mas eu não to, não me sinto mais a mesma pessoa, nao gosto mais de muitas coisas que eu antes gostava e tenho pensamentos horriveis, acho q todo mundo fala mal de mim e tb escuto vozes e acabo vendo coisas que não estão ali. Será que ainda posso melhorar? Já faz tempo desde o acidente acho

    • Olá èrica, primeiramente ótimo Ano Novo para voces e todos aqui do blog!!
      Eu sofri um aceidentee faz 6 anos e meio, e também mudei meus gostos, não gosto mais das mesmas coisas… deixei de ser quem eu era, como alegou meu ex namorado..creio que isso seja normal, pois esões cerebrais como as nossas mechem em tudo!! mudam tudo!
      As pessoas realemnte acham que estamos bem , apesar de não estarmos… isso ocorreu com minha familia, cobravam que eu agisse como antes, achavam que eu estava ótima,e eu precisei ir a uma neuropsicóloga que após conversar comigo conversou com eles e eles mudaram a maneira de me tratar, realmente entenderam minhas dificuldades e aparentemente as aceitaram..Claro que tem dias que isso não ocorre, mas agora estes dias ocorrem mas menos vezes do que antes.
      Já é difícil para nós aceitarmos que nos tornamos novas pessoas, imagina para os outros?? e é claro que comentam, mudamos de uma hora para outra, é tão difícil para eles entender quanto para a gnt
      busque uma neuropsicóloga, eu passei com a minha por 2 anos e me ajudou bastante a aceitar a nova Bruna e driblar minhas dificuldades
      Um beijo

  72. Dia 22/12/2016 às 10:32 ele parou de respirar…. cansou….não aguentou….. já estava sendo insuportável pra ele viver com tantas limitações e dependência.
    Mas agradeço a Deus a oportunidade de ter me dado mais esse tempo com ele (21 meses e 14 dias).
    Dei a ele todo meu amor, minha atenção,meu sorriso, minha admiração e meu respeito!!
    Me ensinou muito… sempre… desde que nasceu….
    Vou amá-lo pra sempre!

    Fiquem com Deus!
    Joelma

  73. Infelizmente e com uma dor enorme no meu peito, venho dizer que meu guerreiro está bem mal no hospital. Devido a uma série de complicações e “enganos” médicos ele está com infecção generalizada….
    Ele lutou enquanto pôde, mas acredito e aceito os desígnios de Deus!

    Não deixem de lutar pelos seus!
    Fiquem com Deus e saúde!

    Beijo.

    • Joelma minha querida….

      Acabei de ler sua mensagem…. Tô triste pela notícia da infecção do Joel…
      Força querida e não perca a fé… Deus fará o melhor pro Joel…
      Estou aqui em oração para que ele melhore… Com certeza, todos que lerem esta mensagem também estarão orando/rezando pelo Joel e por todos vcs…

      Te mandei um e-mail.
      Manda notícias…
      Força, fé e esperança!!!!!!!!!!!!!!!

      De longe, mas pensando em vcs, viu?
      Grande bjo

      Com carinho, da amiga…
      Fernanda

  74. Gente, é possível a plena recuperação de conexões neurais após fortes traumas na cabeça? Em quanto tempo estimado? Abraços e votos de recuperação a todos.

  75. Olá pessoal. Escrevo aqui com dor no coração e muito abalada. Meu irmão foi atropelado aos 24 anos. Era cadete da PM, atleta e tinha acabado de passar no concurso. Foi atropelado e a vida de todos da minha casa mudou. Ficou muito tempo na UTI e enfermaria. Quando voltou pra casa, chegou bem confuso. Mas continuou por um tempo o atleta de outrora. Já se passaram 10 anos do acidente, e de uns tempos pra cá o seu comportamento piorou. Hj nao quer fazer nada. Amizades, sair, esporte. Nada. O dia todo em casa. Implica com tudo, principalmente barulho. Implicou com o vizinho, q faz barulho de vez em quando e nada insuportável. Esta muito mau humorado e não aceita ir num neuropsicologo. Antes ele me ouvia bastante. Hj nao mais. O que acaba comigo, é ver o olhar triste dos meus pais idosos. Pq meu irmão está extremamente mau humorado, irritadiço e bipolar. Hj bateu uma tristeza tão grande em mim. Estou vendo por aqui, casos semelhantes aos q acontece aqui em casa. Isso acalma o coração. Não sei lidar com ele. Fico com raiva, ódio , mas ao mesmo tempo dó. Pq eu sei q ele não tem culpa. Mas tá difícil d+++ lidar com toda a situação. O q será dele qndo meus pais não mais tiverem aqui e eu casar?? Ele é muito só. Peço a.e Deus sabedoria pra lidar com toda essa situação.

    • Olá Mary,
      Realmente ao sofrermos uma lesão cerebral ocorrem mudanças de humor, a minha sempre ocorreu mas só a percebi após 6 anos.. tendo percebido que me atrapalhava conversei com minha neuropsicóloga e fui a um psiquiatra,que ela indicou,
      Psiquiatra???
      Não eles não são módicos de loucos como dizem por ai.. são psicólogos que podem indicar medicamentos, e ele me indicou um anti-convulsivo, não tenho convulsoes) mas em doses baixa ele regula os hormônios que ficam em falta com a lesão, como a endorfina que é o hormônio da felicidade, após começar com esse medicamento, não fez efeito imediato, pensei em desistir..levou um mês, mas hoje estou totalmente diferente, não me irrito mais por qualquer coisa, estou mais calma, dentre outros, mas tomo um comprimido toda noite… convença-o que precisa de ajuda, pode não perceber a mudança de humor e quanto isso o atrapalha.. e leve-o a um psiquiatra, com todos os exames, ressonâncias, tomografias, eletros, bom tudo o que fez na época do ocorrido..
      Boa sorte

      • Caso precise de uma ajuda estou a disposição ! tudo com relação a reabilitação praticamente sei tudo o que o Brasil oferece e fora , o que não é tão diferente . abs.

  76. Amigos!Meu pai levou 19hs no posto de saúde para fazer uma tomografia ,apos o exame o diagnóstico foi que Ele teve um AVE hemorrágico. O estado dele é grave. Deve ser acompanhado por um neurocirurgião este que não sabem quando estará no hospital! Isso é um absurdo.!A pessoa precisa de cirurgia urgente e tem que esperar! Isso aconteceu em 08/12/2016. Hoje são 10/12/2016 (dois dias),meu pai está em coma induzido e entubado, ainda aguarda o especialista para ser assistido. Pelo amor de Deus! Alguém pode nos ajudar!!

  77. Olá Fernanda, tudo bem?

    Já faz algum tempo desde a primeira vez que escrevi aqui, e muitas coisas mudaram, graças a Deus.
    A Fernanda saiu do coma por volta do dia 15/10 (2 meses depois do acidente). Acho que nunca vou me esquecer quando ouvi a voz dela pela primeira vez, depois de tudo que passamos. Ela fala bem (não fala nada enrolado), mas na maior parte das vezes ainda está muito confusa, sem noçao do tempo, onde está, mas reconhece quem fala com ela, responde muitas coisas corretamente (nomes, lugares, pessoas, sua história, canta músicas, lembra de telefones, endereço, e até brinca com a gente rs), porém vejo que depois de um tempo ela se cansa ou fica muito confusa e começa a falar coisas sem sentido, o que faz parte do trauma.
    Ela teve alta do hospital há três semanas. Temos passado um tempo difícil, de readaptaçao… estamos com dificuldades de encontrar uma boa enfermeira, de ajustar o sono dela (as vezes ela chora muito, muito) mas sinto que aos poucos estamos nos ajeitando.
    Gosto muito de cuidar dela também,de arrumar ela bem bonita, mas sofro muito de ver o sofrimento dela. Dói demais ver ela assim…. O choro na fisioterapia, os gritos ao trocar a fralda dela ou coloca-la na cadeira, a constante reclamação de dores no corpo…
    Sempre peço forças à Deus, e sabedoria diante desta situação. É ele que nos acalma, e nos conforta quando sentimos o medo e a angústia.
    A Fernanda ainda não fez a cirurgia de recolocaçao da calota craniana (pois teve muitas infecçoes e o organismo está se recuperando), e nesta semana o médico nos deu boas perspectivas que após essa cirurgia ela terá melhoras. Ela já se alimenta pela boca, mas deverá manter a gastro até a cirurgia, que será realizada no início de Janeiro. O médico foi muito positivo essa semana, e coloca a melhora dela como surpreendente, e de que ela tem muito a evoluir.
    Ela movimenta todos os membros, levanta o tronco sozinha, mexe o quadril na cadeira… exceto o braço direito. Ela ainda não está enxergando bem, e só abre um dos olhos e metade do outro, porém o médico acredita que irá voltar essa parte também por conta de como a lesão dela já evoluiu.
    Tao bom ver o médico que fez a última cirurgia dela, neurocirurgiao chefe sendo tão positivo!
    Acredito que a nossa única certeza vem de Deus… foram muitas as vezes que nos disseram que ela nao poderia falar, e ela está falando.Não poderia se movimentar, e está se movimentando. Nós NUNCA vamos deixar de acreditar nela!
    Como sempre digo, não sabemos porque temos que passar por isso, mas se está acontecendo, então certamente podemos enfrentar isso, e superar com muita força de vontade.
    Todas as vezes que ela tenta se levantar sozinha e diz que quer ir no banheiro ou sair, eu digo para ela repetir comigo: EU POSSO, EU QUERO, EU CONSIGO. E vejo que ela sente isso, ela tem força de vontade, de viver.
    Também estamos aguardando a resposta do Lucy Montoro… e tenho fé de que Deus nos concederá essa graça também.

    Beijos,

    Fayelle

  78. Olá gente, gostaria de saber se alguém ficou com distúrbio de sono, incapacidade de dormir em períodos diurnos ou algo parecido. Houve cura? Quanto tempo durou para voltar? Abraços a todos.

    • no 1 ano pós trauma eu não dormia direito… nos primeiros meses não dormia nem com remédio, e era super forte, depois foi se normalizando, tirei o remédio e acordava cedo, pois resolvi voltar a trabalhar ( o que não deu certo) e ai dormia após almoço.. pois ficava muito cansada… isso durou o 2 ano pós trauma .. somente após isso voltei a dormir normalmente

    • Ola.meu nome e ana meu marido sofreu um acidente d carro no dia 31.08.16 esta sendo muito dificil pois agora ele nao quer maus acitar ir nas fisio e nem na fono ele teve uma lesao axional difusa.ele so quer durmir e ficar deitado

      • Boa Noite Ana Paula, paciência.. o trauma é muito recente, ele deve achar que não est[a diferente, como eu achei, demora para realmente percebermos que precisamos de ajuda…. e não podemos recusá-la.. ele não fala ou movimenta?
        a LAD deixa o raciocinio lento… pois rompem as ligaçoes dos neuronios…
        muita fé, persistencia e paciencia!!
        bju

  79. Bom dia,
    Meu nome é Josélia e meu filho Willian Gustavo, portador de hidrocefalia desde o nascimento em 25/09/1993. Onde foi implantada uma válvula de DVP aos doze dias de vida devido a toxoplasmose que contrai na gravidez, mais sempre teve sua vida normal! Fez segundo grau, Mesmo usando lentes corretivas de 8,5 em uma vista e enxergando 50 cm a frente do olho direito devido a cicatriz que ficou no findo da vista isso não foi empecilho para tirar sua carteira de motorista TRABALHAR E COMPRAR SEU PROPRIO CARRO. Dia 27/02/2015. Começou a sentir dores fortes de vomito somente pela manhã, procuramos o hospital onde ficou internado por volta de 5 dias. Aí resolveram fazer a revisão da válvula, fizeram a cirurgia somente na parte da barriga e alegaram que estava tudo bem e que não era a válvula, deram alta e continuou passando mal. 15 dias após a cirurgia voltamos no acompanhamento onde foi solicitada uma ressonância. Dia 27/04/2015 voltamos para a consulta de retorno onde constatou os ventrículos com grande acumulo de liquor o medico solicitou internamento e foi trocada a válvula inteira pois estava muito velha a recuperação foi rápida e voltou a trabalhar em 6 meses. No mês de setembro deste ano voltou a ter dores de cabeça, sufocamento e formigamento no braço direito, levei no pronto socorro do mesmo hospital em 10/09/2016. Onde foi atendido pelo médico plantonista da neurocirurgia que pediu para que eu procurasse um clinico geral, pois a válvula estava bem posicionada e que provavelmente a causa seria um quadro de ansiedade, voltamos para casa e na segunda feira fomos ao trabalho onde trabalhamos na mesma empresa, por volta das 8:30 da manhã um funcionário da empresa trouxe ele suando muito com dores de cabeça, sufocamento e não conseguia leventar o braço direito que é do lado da válvula, e nem levantar a cabeça peguei ele coloquei no carro e sai correndo para o hospital novamente na metade do caminho começou a falar mole como se estivesse bêbado que desespero! vendo ele sofrer daquele jeito ao chegar no hospital as pernas dele não obedeciam estavam travadas e começou a vomitar uma agua meio verde em jato, pedi socorro pra tirar ele do carro levei na cadeira de rodas para o pronto socorro onde foi atendido pela plantonista da neurocirurgia que solicitou nova tomografia, onde CHEFE DA NEUROCIRURGIA AVALIOU E FALOU QUE NÃO ERA A VALVULA, porém o Gustavo continuou a vomitar e sentia fortes dores de cabeça, estava e muito pálido foi medicado com bromoprida e soro, no qual a enfermeira pegou a veia errada e injetou tudo no braço e não na veia como deveria ser, continuou vomitando e somente próximo das 15:30 da tarde foi internado no qual permaneceu internado do dia 12/09 ao dia 15/09. Fazendo uso de ranitidina, enoxaparina Sendo dispensado com aumento da dosagem do remédio de 1.000mg para 1500mg. Para controlar as convulsões mais a válvula estava entupida e não resolveu nada, pois as crises dele era acumulo de liquor. DERAM ALTADIA 15/09 NO INICIO DA NOITE! Dia 16/09 já estava em casa e teve 5 crises convulsivas e 1 convulsão bem forte, levei novamente ao hospital onde o chefe da neurocirurgia solicitou o internamento para o grupo da neurologia avaliar, POIS DISSE QUE NÃO ERA CASO DE DA NEUROCIRURGIA… na manhã seguinte do dia 17/09 chegando no hospital no horário da visita, onde conversamos com o neurologista que nos afirmou que realmente havia acumulo de liquor e que o grupo da neurocirurgia não queria mexer , COMO HAVIAMOS FEITO EXAMES DIA 24/08/2016 PARA CONTROLE TERIAMOS RETORNO DEIA 22/09 NO AMBULATÓRIO, AÍ SERIA DISCUTIDO QUAL SERIA O PROCEDIMENTO e conforme discutido com NEUROCIRURGIA, colocaram para controle das convulsões GARDENAL 100MG a noite juntamente com o DEPAKENE 1500MG para controle das convulsões. Assim o Gustavo recebeu alta novamente, passamos sábado e domingo de aflição dentro de casa pois as pernas dele foi enfraquecendo e ele não conseguia mais nem ir ao banheiro, ficava parado olhando pras pessoas como se estivesse fora de si, na segunda pela manhã eu quis leva-lo novamente ao hospital e ele não quis ir pois sabia que eles nada iriam fazer a não ser esperar o dia 22/09 que seria o dia da consulta agendada. A noite DO DIA 19/09. Não aguentando mais seu sofrimento e desesperada levei novamente ao hospital onde ele já não aguentava a pressão na cabeça no lugar da válvula e não segurava mais o pescoço de tanta dor, chegando lá o CHEFE DA NEUROCIRURGIA PEDIU PARA INTERNÁ-LO PARA FAZER UMA RESSONANCIA. Eu desesperada perguntei pra ele o que estava esperando para revisar a válvula pois estava entupida e sabia que a ressonância não era feita na hora e não era alí dentro do hospital, SÓ ASSIM RESOLVEU LEVA-LO PARA O CENTRO CIRURGICO para revisão da válvula. NO QUAL REALMENTE ESTAVA INTUPIDA, fizeram a cirurgia e o Gustavo saiu do centro cirúrgico conversando normal comigo e agradecendo a Deus e o médico por ter dado certo, mais o que nós não sabia era que TINHA DERRAMADO UMA QUANTIDADE RAZOAVEL DE SANGUE NA CABEÇA DELE COMO ME DISSE O MEDICO PELA MANHÃ PEDINDO QUE DEVERIAMOS OBSERVAR PARA VER SE NÃO IRIA DAR UMA DORZINHA DE CABEÇA. Na verdade o médico sabia que esse sangue poderia coagular e não nós informou nada. Fiquei o dia inteiro com ele pela manhã estava bem a tarde senti ele meio quieto, e sem vontade de comer consegui fazer eles tirar o GARDENAL QUE HAVIAM PASSADO PARA ELE, pois as crises convulsivas só acontecem quando a válvula não está bem. Após a visita por volta das 18:30 vim para casa pois eles não deixam ficar acompanhante quando o paciente é de maior, ficou dormindo e a meia noite no horário do remédio a enfermeira entrou no quarto para medica-lo e ele não respondia ela pediu que ele abrisse os olhos e apertasse a mão dela. Ele obedeceu e em seguida entrou em COMA POIS A VALVULA HAVIA ENTUPIDO COM O SANGUE QUE COAGULOU. Pela manhã a assistente social me ligou e fui imediatamente ao hospital chegando lá o CHEFE DA NEUROCIRURGIA ME DISSE QUE ELE HAVIA ENTRADO EM COMA MAIS QUE ESTAVA NO CENTRO CIRURGICO E TIVERAM QUE COLOCAR UMA VALVULA EXTERNA, POIS O SANGUE ENTUPIU A VALVULA INTERNA QUE HAVIAM TROCADO. A ASSISTENTE SOCIAL PEDIU PARA QUE EU VIESSE PARA CASA QUE ASSIM QUE ELE SAISSE DO CENTRO CIRURGICO IRIA DIRETO PARA UTI E ELA ME LIGARIA PARA QUE EU FOSSE PRALÁ. OBS ESTOU ATE HOJE ESPERANDO ELA ME LIGAR!!! Porém não vim pra casa fui direto para o quarto ele ele estava para falar com os outros pacientes para saber o que realmente havia acontecido, foi aí que me relataram logo após fui direto para a espera do centro cirúrgico e quando desceu para a UTI pedi para acompanha-lo e as enfermeiras deixaram. Isso foi no dia 21/09. Isso quer dizer que se eu não tivesse insistido para revisar a válvula ele entraria em COMA DENTRO DA MINHA CASA E NESSE MON=MENTO EU NÃO TERIA COMO RELATAR ESSE FATO DE NEGLIGENCIA MÉDICA. O acumulo de sangue e liquor foram tão grandes que a válvula externa foram trocadas por 3 dias seguidos pois entupia pelo sangue coagulado, todos os dias eu chegava lá e ele estava em cirurgia. CHEGOU UM DIA QUE O CHEFE DA NEUROCIRURGIA ME PERGUNTOU O QUE ELE FAZIA, POIS AS TROCAS SERIAM CONSTANTES, OU A OPÇÃO SERIA ABRIR A CABEÇA E RETIRAR O COAGULO MAIS NÃO GARANTIA QUE SAIRIA TUDO. ( SE TIVESSE ME OUVIDO O PRIMEIRO DIA QUE INTERNOU PODERIA NÃO ACONTECER ISSO) Falei para ele não abrir e que fosse trocando se preciso, na terceira troca ele falou que com 10 dias mesmo que tivesse funcionando precisaria trocar por risco de infecção , quando começou a drenar bem na terceira troca houve uma infecção na válvula que teria ficado interna. Precisou abrir novamente a cabeça e a barriga para retira-la, mais 3 dias teve PNEUMONIA, precisou entrar no antibiótico por 14 dias. Que agonia e sofrimento na UTI começaram a acompanha-lo-logo que saiu do coma, ficava Todos os dia das 10 da manhã as 9:00 da noite com ele para tentar reanima-lo. Ficamos mais ou menos 18 dias na UTI e no total uns 45 dias no hospital. Saiu do Hospital usando sonda para alimentação, sem falar, ainda não está enxergando e continua com incontinência urinaria e fecal ( E EU? NÃO FUI MAIS TRABALHAR DESDE O COMEÇO DE TUDO POIS AGORA A PRIORIDADE E A REABILITAÇÃO DELE, NÃO SEI SE AINDA TENHO UM EMPREGO! MAIS GRAÇAS A DEUS AGORA ESTÁ EM CASA SE RECUPERANDO. Mais é muito difícil vê-lo assim.
    GOSTARIA DE SABER SE ALGUÉM JÁ TEVE CASO SEMELHANTE E SE A RECUPERAÇÃO FOI RÁPIDA, SE FICOU TUDO NORMAL. OBRIGADO A TODOS E DEUS CONTINUE ABENÇOANDO.

      • Ivete Boa noite, como a Fer respondeu p Luciana..
        Faça da mesma forma que escreveu a pergunta. Aí leva um tempo para aprovação e depois vc e todos conseguem ver o seu depoimento, ok? Beijo! Será um prazer saber da sua história!

  80. Gente, quanto tempo demora pra força muscular/motora voltar ao normal? Tenho fadiga no corpo e fraqueza nas pernas, mãos e braços. A disposição física caiu muito. Não consigo cerrar os punhos com a força que tinha antes… Isso é reversível?

    • Hugo infelizmente ela não volta sem tratamento, ao menos no meu caso não retornou.. precisei de muitaaaa fisioterapia… depois fiz pilates, musculaçao especializada, com treinos que envolviam hipertrofia.. e após cerca de um ano ( nao recordo a data) ela retornou, então busque esses tratamentos… não adianta querermos somente temos que ir atrás da melhora sempre!!!

  81. Meu nome Elainne,
    Meu pai sempre se queixava de dores de cabeça, mas, há mais ou menos um mês as dores ficaram mais intensas quase insuportáveis; ele fez uma tomografia e uma ressonância e descobrimos um tumor no cérebro; uma semana depois ele fez a cirurgia que correu tudo bem retiraram o tumor, ainda não recebemos a biopsia. Ele continua com os movimentos das pernas e braços normais como também a fala e audição estão normais. Hoje está completando 7 dias, ele está UTI , passa a maior parte do tempo sedado pois quando não está fica muito agitado o que faz a pressão subir (chegou a estar 20×8) isso pode acarretar em sangramento, segundo os médicos. Ele lembra onde mora, o nome dos filhos e sabe onde está e o porque de estar lá, nem sempre nos conhece, está se alimentado por sonda pois quando tentam pela boca ele vomita. Os médicos dizem que a agitação e os enjoos são por conta da anestesia e do período pós operatório e também nos disseram que provavelmente ele ficará com raciocínio lento. Os médicos nos dizem que o fato de ele está lá como está, já é um milagre, pelo o tamanho do tumor e pela gravidade da cirurgia. Eu espero de todo meu coração que meu pai fique bom, encontrei o blog li situações de outras pessoas e estou mais confiante. estarei sempre aqui no blog lendo outros depoimentos e falarei sobre meu Pai.

    • Apesar de todas estas dificuldades lhe dou os PARABÉNS por sua atitude!!! Poucas pessoas teriam tal atitude,
      Além de auxilio para tratamento te garanto que ele precisa de MUITO AMOR!!!
      beijo

  82. Ha 07 anos morava sozinha, deitei na cama normalmente, pela manhã não sabia andar dentro de casa, não reconheci meu cachorro o que em pouco tempo piorou ao ponto de eu largar o emprego e até hoje viver as custas dos outros porque tive perda total de memória. Hoje vivo com 40% e ainda esqueço fatos recentes, levo em torno de 03 meses para lembrar de um rosto e mais uns 02 para gravar o nome.
    Até hoje nenhum médico soube dizer o que tenho, muito menos se um dia ficarei menos pior.
    Não conheço ninguém com o mesmo problema que eu e por isso não sei nada, mal sei quem sou, mesmo tentando levar uma vida normal.
    Nesse tempo todo (02 anos) que eu recuperei esses 40%, tenho procurado sites, conhecer pessoas como eu e até agora nada.
    Sou escritora e estava escrevendo um romance onde a personagem principal depois de levar um tiro perdeu a memória, esse livro está parado porque esqueci a história justamente nessa parte.
    Até minhas escritas mudaram, o que me leva a ter o desejo de conhecer pessoas como eu, já que me sinto isolada do mundo por um dia falar com uma pessoa e depois não ter ideia de quem seja.

    • Ola Norma,
      Olha do que ocorre com voce eu passo pelo não reconhecimento de faces, meu namorado que conheci após meu acidente só reconheci após 2 meses, isso que falava com ele todo dia… eu sofro de prosopagnosia adquirida.. mas pelo que li a pessoa pode adquirir pós lesão ou nascer com ela..
      Creio que entendo quando se sente mal , diferente.. passei por isso, aliás, passo…
      Meu acidente faz quase7 anos e somente este ano me diagnosticaram com a prosopagnosia, .. nosso cérebro é muito complexo.. nem os melhores médicos o entendem.. procure maiores informações em sites e grupos estrangeiros, os EUA possuem centros de tratamento para o cerebro mais especializados que nosso país.. um beijo

  83. Olá em janeiro deste ano sofri um grave acidente automobilistico de carro , fiquei em coma profundo por 28 dias , pois eu estava no banco da frente sem o cinto de segurança quase morri e eu ainda sou novo tenho 17 anos e este acidente comprometeu o meu lado direito pois estou sem muita força e velocidade nele , mas como isso já tem um tempinho que aconteceu já estou bem melhor , a
    penas com o lado direito comprometido , já estou escrevendo bem melhor do que no começo do trauma , só minha mão que ainda treme um pouco , e também estou com medo de isso ficar para sempre assim , eu também já estou andando e tudo mais , fiquei apenas uma semana após o trauma na cadeira de rodas só estou ainda pisando meio torto , alguém já passou por isso e sabe uns quanto tempo demora para andar direito ? .

    • Olá joao,
      Meu acidente comprometeu meu lado esquerdo do corpo, não movia nada.. precisei de muita fisioterapia, pilates, hidroginastica, musculação ( para repor musculos que atrofiam sem o movimento) e natação para poder recuperá-los, se não houver nenhuma lesão cerebral que impeça que ele retorne é somente se esforçar, mas não podemos dizer quanto tempo demora, tudo depende do grau e local da lesão..
      Parabens por já ter melhorado!!
      Precisamos sempre buscar melhora, de nada a dianta somente reclamamrmos..
      Abraços

  84. Bom dia,

    Meu nome é Davi Alves, resido em Maceió, Alagoas. No dia 16 de Julho de 2016 sai para buscar meu carro que estava sendo lavado num lava-jato e não voltei mais pra casa. Fui encontrado dois dias depois em coma, com TCE e com sinais de espancamento. Estava sem nenhuma documentação e como indigente no principal hospital público da capital. Minha esposa conseguiu transferência para um hospital particular no mesmo dia que fui encontrado, onde foi realizada uma Traqueostomia e minha esposa foi desengana pelos médicos devido à uma infecção pulmonar que me atingiu. Graças a DEUS, após sete dias do ocorrido eu acordei, só reconheci o meu pai, já minha esposa e filha só reconheci dois dias após ter despertado. Recebi alta médica no dia 06 de Agosto, onde desde então venho me recuperando. na primeira semana só ficada deitado, tomada dois medicamentos, o Rivotril e o Hidantal, sentia muita dor no corpo e não sentia vontade de fazer mais nada, uma espécie de inicio de depressão. Na segunda semana, fui a um ótimo neurologisa, que suspendeu o Rivotril, manteve o Hidantal e acrescentou o STAVIGILE, que me tirou da cama e me deu mais disposição. Hoje, por segurança, ainda tomo o Hidantal (evitar convulsão) e o Stavigile (ativação cerebral), estou parando aos poucos, pois não quero ficar dependente e sei que foi fundamental para minha recuperação.

    O que sinto hoje

    Não lembro de nada do que aconteceu, minha memória foi apagada desde uns dias antes do acontecido, até o acordar, o que sei é apenas o que os outros contam. Surgiram diversas versões para o acontecido, assalto com violência, briga de trânsito, etc. Roubaram minha carteira, dinheiro, celular, relógio…o carro foi achado no outro dia sem o som, objetos internos, material de trabalho e todo avariado. independente disto, quero saber apenas do que vem pela frente, pois nunca serei a mesma pessoa, estou com memória muito falha, esqueço fácil de coisas simples do dia a dia e o raciocínio um pouco mais lento do que antes. Agradeço muito a DEUS, pois depois de tudo que aconteceu, posso acompanhar o crescimento da minha filha, estar ao lado da minha esposa e familiares, sem nenhuma grave. Inclusive voltei a assistir aulas no mestrado profissional que curso aqui na Universidade Federal de Alagoas. Então, só a agradecer e andar mais atento ao que está acontecendo à minha volta, E PRINCIPALMENTE VALORIZAR todos os momentos que estamos com nossa família, pois infelizmente não sabemos se será o último.
    Gostei muito desse blog, parabenizo a Fernanda pela iniciativa e a todos que estão contribuindo através desse espaço.

    Meu pensamento não é: Porque Deus deixou isso acontecer?
    E sim: DEUS me deu outra oportunidade de continuar

    Desculpem pelos erros de português, pois tb estou notando essa dificuldade.

    Deus abençoe todos nós e que a sua vontade prevaleça em nossas vidas.

    • eh Davi, também não me lembro do ocorrido nem algumas semanas antes do meu acidente, o que contei foi o que ouvi.. difícil né?
      Mas creio que seria pior se lembrássemos,..
      Como comentei em alguns posts a nossa memória recente é prejudicada na maioria dos casos de lesão cerebral adquirida… o que me ajudou com as minhas falahs foi uma neuropsicologa, que me ensinou truques para não esquecer as coisas, . a anotar tudo numa agenda semanal, na qual visualizo em uma pagina a semana toda.. usar o despertador do celular…. bilhetes pela casa.. dentre outros
      A MELHOR coisa que ocorreu comigo na minha recuperação pós lesão foi conhecer uma ótima neuropsicóloga, que me ajudou a verificar as dificuldades que nem eu mesma percebia, e a contorná-las, além de conhecer outras pessoas como a Fernanda que passam por algo similar e podem me ajudar com minhas dificuldades pois já as enfrentaram.
      SOMOS TODOS NOVAS PESSOAS… as antigas infelizmente deixaram de existir e não devemos nos comparar a elas, devemos, por mais difícil que pareça, buscar desenvolver ainda mais nossas qualidades e agradecer a Deus por essa oportunidade que nos deu.
      Um beijo

  85. Olá, galera! Infelizmente sofri um acidente quando estava atravessando uma ponte no final de 2015. Tive traumatismo craniano grave e tive que passar longo meses num hospital. Acontece que não posso sentir mais o gosto das coisas e nem o cheiro, pois perdi essas duas coisas. Também esqueci as regras do português e não tenho mais paciencia para ler livros, assistir filmes ou seriados. Gostaria de saber se realmente minha atenção voltará ao normal, pois não vejo mais graça em nada!

    Até mais.

    • Olá George
      Você , como a maioria de nós passou por algo inesperado..e que nos trouxe dificuldades inúmeras, realmente é MUITO DIFÍCIL entender e aceitar o que nos ocorreu, mas como já comentei algumas vezes, INFELIZMENTE não podemos voltar ao passado e mudar o ocorrido..
      Nossa isso seria ótimo em algumas situações..
      Creio que todos passam por problemas de esquecimento, e a maioria dos que conheci também não consegue ler legendas..
      Tive uma aula que me mostrou que lesões na parte frontal do cérebro dificultam a leitura, a fala, e muitas outras coisas..
      Eu consigo falar bem após muita fono, mas NÃO consigo ler nada muito longo, perco o interesse… e se for com letras pequenas então não leio nem 2 linhas..
      assuntos longos em séries e filmes também me desanimam…as meu pai me faz não me acomodar, me esforço por exemplo para ler livros, ele é médico e diz que preciso esforçar meu cérebro para ele forçar outras áreas a atuarem nessa área que foi *desligada* dele, não sei se me entendeu..
      TODAS as lesões cerebrais se diferem em local e grau por isso não se force a reagir como outro já reagiu, ou a se recuperar no mesmo tempo que outra pessoa, mas SEMPRE se esforce para melhorar…
      Busque uma neuropsicóloga que lhe ajudará bastante..
      VOCÊ TEVE UMA NOVA CHANCE!!
      talvez não volte ao que você diz normal…
      eu passei por isso.. eu era uma pessoa normal.. me comparava muito ao antes..e hoje vejo que muitas das coisas com as quais me comparava ,segundo algumas pessoas do meu antes, não eram bem assim como eu imaginava, eu não era tão perfeita assim como eu julgava…talvez voce também não.. mas calma.. sua vida pode se tornar melhor não desanime nunca com isso!!

      Melhoras

  86. MARCELO TERÇAS de Manaus AM
    sofri um acidente, no dia 07/02/2014
    eu estava de moto uma Halley Davidson a 1.30 km bati na lateral de uma montana onde arranquei os dois eixos traseiros da montana, bati a cabeça na sarjeta tive hidrocefalia, fiquei em coma 1 ano e 4 meses acordei em abril de 2015 perdi 50% da memória tenho muita irritabilidade pois eu era ligado no 220 hiperativo de mais percebo que encontro mais facilidade que as outras pessoas nos problemas e me irrito quando elas não conseguem resolver então eu entro em campo e resolvo parece que minha cabeça ficou mais rápida meu QI ja era elevado agora ele ficou melhor mais a irritabilidade e notória. gostaria de so melhorar alguns ajustei pois estou muito bem.

    • Boa noite Marcelo
      Estive no Simpósio que a Fernanda postou aqui no blog, e la ouvi de médicos que lesões cerebrais alteram os hormônios que nosso cérebro possui como por exemplo a serotonina( hormônio da felicidade) e isto pode nos causar irritabilidade, surtos dentre outros e para isso necessitamos de remédios, que um psiquiatra nos indica,..
      Eu levei 5 anos para ir a um psiquiatra e ele me receitou um anticonvulsivo, estranhei , pois não tenho convulsões.. mas nessa apalestra soube que ele não atua somente em convulsões, pois doses pequenas pode atuar regulando estes hormônios afetados com a lesão, hoje tomo este remédio faz 1 ano… e me sinto bem melhor!!
      Procure um psiquiatra.. eles NÃO SÃO somente para loucos como se diz por ai.. um beijo

  87. Olá!
    Meu nome é Eliu Brito, não tenho esse mesmo diagnóstico que a maioria descrita no blog.
    Mas tenho uma lesão medular C6, a qual me levou a tetraplegia; tenho 56 anos hoje…meu acidente foi no trabalho( queda de altura )
    Também como muitos aí vi minha vida mudar, do futebol de areia para uma cadeira de rodas.
    Com muita força, foco e fé sempre procuro a superar minhas dificuldades, talvez alguém pense que não vai conseguir…mas vou te dizer uma coisa que me falaram faz um tempo : Deus só coloca as maiores lutas nas mãos dos melhores soldados ,pois sabe que eles irão para a batalha

    • Parabéns primeiramente!! Lindo o que você disse…infelizmente não nos adianta lamentar..muito menos nos comparar ao antes, somos novas pessoas e como você temos que passar por cima de nossas dificuldades, pois somos capazes 😄

    • OLÁ ELIU…

      Primeiramente quero te agradecer por entrar aqui e contar sua história linda de superação. Exemplos como o seu são muito importantes, pois vemos que é possível sim superar as dificuldades, por mais difíceis que sejam, e buscarmos ser felizes. Na vida temos escolhas de caminhos a seguir e todos nós podemos sim, escolher o caminho da luta para uma qualidade de vida melhor, luta para sermos felizes!

      Parabéns pela sua luta!!!!! PARABÉNS POR SER UM GRANDE SOLDADO QUE NÃO TEVE MEDO DE IR PARA BATALHA!!!!!!!
      Um forte abraço,
      Fernanda

  88. FIZ um rap do educador:

    Para ser educador tem que ser com muito amor
    Aprender a liberar a essência de ensinar
    É ser parceiro, é ser maneiro, é amigo estar unido
    Multiplicar conhecimento é dividir ensinamento
    Participar da criação que vai mudar a união
    É professor é aprendiz
    É professor é aprendiz
    É a educação que vai mudar esse País

    RODRIGO LEMOS

  89. Meu nome é Gabrielle e meu noivo sofreu um TCE gravíssimo decorrente de um acidente auto-moto. O Lucas estava na moto, indo trabalhar, na preferencial dele, quando uma médica, sua antiga pediatra, ultrapassou a preferencial em uma rua onde haviam 2 linhas de tartaruga e 2 placas da PARE! Ela estava no celular e se distraiu, distração essa que quase levou o meu Lucas a morte… Quando meu noivo chegou ao Hospital do Trabalhador (Curitiba) foi prontamente atendido e passou por longas 8 horas de cirurgia na cabeça. Quando finalmente foi para UTI o prognóstico, como vcs devem imaginar, não era nada bom. TCE Grave, múltiplas lesões pelo corpo, fratura exposta no pé direito, e fratura na base do crânio. A priori o médico falou que talvez não sobrevivesse as próximas 42hrs, pois pessoas que chegam no estado em que ele chegou raramente saem de lá vivas. Disse tbm que na melhor das hipóteses ele ficaria tetraplégico. Tudo OK, eu não estava me importando com absolutamente NADA ! O depois era o depois e eu só queria ele vivo…A pressão intracraniana estava oscilando muito, e no 3º dia pós-acidente eles já queriam fazer a retirada de parte do crânio para aliviar a pressão; O médico falou sobre a possibilidade de cirurgia pela manha mas eu pedi tanto a Deus que desinchasse aquele cérebro e pedi com tanta, mais TANTA FÉ, que ELE me ouviu. A noite eles já tinham parado de controlar a PIC pois o seu cérebro tinha estabilizado. Mais 5 dias passaram e retiraram ele do coma induzido, 3 dias e nada dele reagir, falaram sobre a possibilidade de tetraplegia ou morte cerebral pela manha, fui a igreja e novamente rezei a Deus que tivesse misericórdia, novamente eLe me ouviu e respondeu. A noite o Lucas começou a apresentar os primeiros sinais de vida. Mexeu a perna direita, abriu os olhos, apertou minha mão e abriu a boca … sinais que vocês devem conhecer bem. Pequenos mas que impulsionam nossa esperança! O lado esquerdo estava totalmente paralisado. Assim ele foi reagindo durante os 21 dias em que permaneceu na UTI. No 21º dia em que ele estava lá a psicologa me chamou para uma “conversa franca”. Disse para eu seguir a vida porq o estado do Lucas era muito grave. Disse que ele iria ficar assim por muitos anos, talvez pra sempre. Se alimentando por sonda e respirando pela traqueo. Disse que meu noivo era um “problema” (sim, ela usou esse termo) da mãe dele e não meu. Fui embora arrasada, não por acreditar nela mas por ela (e todos da família dele) não acreditarem no meu amor. Claro que eu jamais o deixei. Naquele mesmo dia, contrariando as expectativas ele recebeu alta da UTI. Foi para o quarto e eu ficava com ele 12hrs por dia. Ali ele começou a dizer as primeiras palavras, comer a primeiras coisas, e mexer o lado esquerdo as primeiras vezes, era pouco mas já significava que podia voltar a mexer. Mais 7 dias e ele estava em casa. Sem traqueo, sem sonda e falando (NINGUÉM ACREDITAVA).No inicio, sabem como é: Visitas excessivas e fora de hora, fraldas, cadeiras de rodas, banhos, … coluna foi pro saco kkk Agt ainda tinha o adicional da coluna dele fraturada, ou seja, não podia pegar de qualquer jeito. O pai dele é falecido então fomos eu e a mãe dele quem cuidamos de tudo … Nos 3 primeiros meses ele usou um colete que se encarregou de deixar a cabeça imóvel para que a coluna cicatrizasse … Quem disse que ele entendia ? Queria tirar de todo o jeito e como brigava conosco por isso ! Ele me batia, me xingava e mijava em mim. Foi bem difícil, era desgastante e as vezes dava vontade de desistir, afinal só tenho 19 anos e larguei minha vida pra cuidar dele. MAS GARANTO QUE VALE A PENA ! Mais 1 mês e meio e ele começou a andar sozinho, sem nenhuma sessão de fisioterapia. Todos ficaram em choque. Ele esta morando comigo a 3 meses. Hoje, 4 meses depois ele já faz quase tudo normalmente! Já viajamos pra praia 2 vezes. Já saímos pra passear, comer fora. Mas ele ainda esta meio “bobinho” rs Esquece as coisas 10 min depois que falamos, o braço esquerdo ainda mexe com dificuldade, e ele com certeza MUDOU MUITO. Tem algumas explosões de raiva desnecessárias e mas já passou da fase de falar coisa com coisa. O caminho é longo, árduo e muitas vezes solitário. As pessoas não conseguem entender que agt sofre, muito mais do transparece. É cansativo física mais principalmente psicologicamente, porq vc quer a pessoa de novo. Como era antes e sabe que as vezes ela nunca vai voltar exatamente a ser a mesma pessoa. Isso doí. As vezes eu tenho umas explosões de raiva mas ninguém me entende. Todos falam: “Você devia dar graças a Deus que ele esta vivo.” E eu dou, acreditem, mas isso não deixa as coisas menos difíceis e desgastantes. O acidente ocorreu no dia 11 de Junho desse ano (2016), um dia antes do dia dos namorados. Nosso casamento no civil estava a marcado para Setembro do mesmo ano e a festa, parcialmente paga, para janeiro de 2017. Sabem oq foi passar o dia, que era pra ser o dia do seu casamento, em casa e com seu noivo doente ? Foi difícil demais, eu sofri muito, mas ngm parecia me entender ! Claro que foi necessário abortar esse sonho, que batalhamos tanto para conseguir e nos foi arrancado. O que mais me dói é que a médica que atropelou ele nunca se quer ligou para nós familiares, ao menos para pedir perdão. Mas creio que Deus se encarrega a dar a cada um a colheita de suas obras. Queria na verdade compartilhar um pouco da minha história com vcs e dizer: “TENHAM FÉ! TENHAM PACIÊNCIA!” É isso o meia importante. Espero que essa história alimente a fé de vocês e os animem. Obrigada por lerem até o fim ❤

    • Olá Gabrielle, me identifiquei bastante com seu depoimento.. saiba que a perda de memória recente realmente ocorre na maioria dos casos.. e infelizmente é irreversível.. mas existem maneiras de melhorá-la.. uma neuropsicóloga ajuda muito com dicas como uso de agendas, celular despertador, dentre outros..
      Meu ex ficou comigo ainda 1 ano após a lesão, depois terminou comigo, pois disse que eu deixei de ser quem eu era, hoje já não o culpo mais, realmente virei uma nova Bruna, e a Bruna que ele gostava, deixou de existir… acho lindo você continuar com ele dando forças e apoio, o que meu ex também fez.. quanto a sua decisão se aceitará a nova pessoa, caberá somente a você.. mas fique tranquila que estes surtos, raivas sem motivos somem.. o meu sumiu após 3 anos.. com ajuda de uma neuropsicóloga e com a ida a um psiquiatra, onde comecei a tomar remédios.. mas calma, pois no meu 1 ano pós acidente eu nem me lembro direito, só me considero bem no segundo ano pós acidente.. como deve ter lido aqui a melhora ocorre, mas é lenta.. é preciso muita paciência! pois realmente demora muito.. a minha p eu me tornar digamos “normal” levou 3 anos… hoje faz 6 anos do meu acidente e ainda melhoro a cada mês.. não podemos pensar que é como um arranhão que a gnt cuida e já está bem ou um tombo que levantou e pronto.. lesões cerebrais são MUITO complicadas!!!!
      Hoje, após 6 anos, estou voltando a ser um pouco mais o q eu era.. voltei a trabalhar somente agora, num concurso, vaga p deficientes devido a lesão cerebral.. então calma, e se apaixone pelo novo Lucas =)
      um beijo

      • Olá Bruna,
        Infelizmente só vi sua resposta agora.. Mas foi muito bom ouvir “o outro lado da moeda”. Creio que seja bem difícil pra ele também. Deus, como ele mudou ! As vezes eu fico surtada. Esses dias ele acabou me machucando pois se recusava a tomar o remédio e queria sair sozinho 8 hrs da noite e eu n queria deixar com medo de se perder. Nossa a briga foi tão feia que a vizinha teve que separar. Tenho dó, porq sei que ele JAMAIS faria isso em sã consciência, mas isso não torna as coisas mais fáceis. Me ajude a entende-lo melhor. As vezes sinto que estou agindo com ele da forma errada. Se tiver alguma dica, eu agradeço rs]

    • olá Gabriele! Sua história me ajudou sim a ter mais fé, há 19 dias meu “namorido” sofreu um grave acidente de moto onde ele bateu na traseira de um caminhão quando estava indo para o trabalho anoite. Os médicos falaram que ele bateu muito forte a cabeça que o cérebro chegou a chaqualhar e ele ja chegou no hospital em coma sem falar nas outras lesões que ele teve no braço,no pulmão, cavicula etc. eu não aceitava aquilo com ele, nem aceitaria perde-lo, estava totalmente desesperada e as noticias que tinha só me assustava cada vez mais até que depois de 7 dias ele começa a abrir pouco os olhos. Sei que esse foi só o primeiro passo mas sei que ele ainda vai dar muitos. Ainda é tudo muito recente e é claro eu ainda tenho medo e muitas dúvidas mas agradeço por sua fé e por ter compartilhado sua história de força e superação. Vou deixar meu e-mail caso queira entra em contato. Janettpaiva@gmail.com

      • Oi Janet,
        E como esta seu “namorido” ? Desculpe não ter te respondido antes mas estava tão corrido que só fui ver agora seu comentário … E como você esta ? Te mandei um email pra irmos trocando experiências.
        Até breve.

    • Oi Grabielle, eu sou de Curitiba e o meu filhoSamuel também ficou internado no trabalhador!
      Excelentes profissionais, em falar de neurologistas e intensivistas, e fisio. Agora… psicologa….rrss sem comentários….
      Mas voltando, a falar do teu noivo, eu te aconselho que procure o mais rápido possível uma neuropsicóloga, e uma terapeuta ocupacional, e depois uma psicologa para vc e a mãe dele!
      Acho que a Fernanda e a Bruna, podem te dizer melhor, porque são as que passaram, mas eles precisam sempre estar em reabilitação!
      Bom, espero que tenha te ajudado!

      • Olá Rute,
        Obrigada pelas dicas. Realmente o Hospital do Trabalhador foi excelente ! Não tenho do que reclamar ! Quanto ao seu filho quanto tempo faz que sofreu o acidente ? Pede pra ele entrar em contato com o Lucas pois ele se sente muito incompreendido as vezes lu_toczek@hotmail.com
        Obrigada e até logo

    • QUERIDA GABRIELLE……

      Estou de “boca aberta” com a recuperação de seu noivo Lucas. Que história linda de fé e superação a cada dia.
      Muitíssimo obrigada por compartilhá-la conosco aqui no Blog. Com certeza ajudará muita gente a principalmente não perder a fé e esperança, assim como disse a Janet logo acima.

      Vc é muito nova pra tanta sabedoria…. Parabéns! Sua fé é admirável e um grande exemplo para todos nós!
      Quanto à médica que o atropelou, acho que nem merece comentários, né? Infelizmente conheço pessoalmente outros casos assim…

      O acidente do Lucas é muito recente, muito mesmo. Nos dois primeiros anos ocorre uma melhora até espontânea, mas claro que se houver estimulação adequada, maiores chances de melhora. O Lucas ainda tem muito que melhorar.

      Algumas “características”/sintomas ou sentimentos podem ser observados em pessoas vítimas de TCE, como por exemplo:

      fadiga mental e física
      vertigem
      dificuldade na atenção e memória recente
      cefaléia (dor de cabeça)
      medo
      ansiedade
      IRRITABILIDADE com qualquer coisa
      impulsividade
      inadequação social
      depressão
      falta de identificação com os outros
      agressividade
      desinibição ou apatia
      dificuldade na atenção e memória, etc.

      Isso NÃO significa que todos que tiveram TCE vão ter todos esses sintomas, mas uma mesma pessoa pode ter vários. Saber disso serve de alerta para todos poderem identificar suas reações ou de seus familiares e entenderem que é comum após a lesão isso acontecer e por isso, muitas vezes é imprescindível buscar ajuda profissional.

      Quantos anos tem o Lucas? De que cidade vocês são? Vc sabe se aí tem neuropsicólogo? Este profissional pode ajudar bastante o Lucas com relação às suas dificuldades de memória e como lidar com a irritabilidade, entre outras coisas. Não sei se vc leu minha história (é a primeira daqui), mas eu tb tive um grave TCE e fiquei com dificuldade de atenção, memória, irritabilidade, impulsividade, entre outros. O que mudou significativamente a minha vida e trouxe uma grande melhora na minha qualidade de vida foi o uso de medicamentos (que podem ajudar na atenção, na alteração de humor, etc) com acompanhamento neurológico e psiquiátrico e acompanhamento com neuropsicólogo.

      Na aba aqui do blog onde está escrito “Visão profissional”, vc poderá entender o papel importante desse profissional na reabilitação de quem sofreu algum tipo de lesão cerebral como eu, o Lucas e várias outras pessoas aqui…Quando tiver um tempinho, dê uma lida.

      E eu entendo perfeitamente vc agradecer diariamente a vida e recuperação do Lucas e às vezes ter explosões de raiva. Isso faz parte do seu processo de “luto” de algo que vc imaginou que seria de um jeito e agora não vai ser mais, um Lucas que era antes do acidente e o Lucas depois do acidente….Vc tem todo direito de sentir isso e deve sentir para que consiga passar esta fase e ser feliz de novo… Esse Lucas após acidente poderá ter um monte de qualidades e aptidões que a fará admirá-lo mais ainda!

      Um grande bjo pra vc e melhoras para o Lucas!!!!!!!!!!
      Fernanda

      • Oi Fer,
        Obrigada pelas belas palavras. Esse mês já fazem 7 meses após o acidente e ele já melhorou muito. Até abdominal já tá fazendo para retomar o “tanquinho” kkk Mas a cabeça ainda está meio baguncada. Faz algumas coisas bem infantis mas graças a Deus a personalidade continua intacta ! Na verdade ele não vê um neurologista desde julho … Não temos condições de pagar um tratamento adequado. Vou tentar conseguir uma neuropsicóloga pra ajuda-lo pois ele se sente muito incompreendido. Obrigada pelas dicas.
        Até mais

    • Gabrielle, que linda história de superação!!! Nem todos tem a mesma sorte que você, de em tão pouco tempo teu noivo estar com toda essa recuperação. Mas o teu amor e tua fé foram mais fortes!
      Que Deus continue abençoando vocês com muitas vitórias!!!

      Boa saúde!!
      Fiquem com Deus!
      Joelma

  90. Acidente 1983 escalpelamento craniano e fratura de fêmur
    Sequelas quase 19 cirurgias
    Dor diariamente
    56 anos
    Cansaço intenso

    • Rosemary não tem como conversar com um médico nos dias de hoje.. que os diagnósticos são melhores e ver se não pode resolver as dores?

    • OI ROSEMARY….
      Já se passaram 33 anos… Nossa e vc com dor diariamente?!!!! Eu vivi com dores diariamente por alguns anos após meu acidente e sei que isso é terrível e “enlouquecedor”….

      Não sei se vc procurou tratamento nos dias de hj como a Bruna se referiu tb acima. Hoje tudo é muito diferente. Hj existem médicos “especialista em dor”, por exemplo…. Hj o tratamento para quem teve algum tipo de lesão no cérebro existe, coisa que nesta época, há 33 anos, não tinha mesmo. O pensamento era que se “machucou o cérebro” ferrou, com o perdão da palavra. Hj, sabe-se que isso não é assim. Descobriu-se que a plasticidade existe e o cérebro é capaz de refazer novos caminhos, principalmente se estimulado.

      Quanto ao cansaço intenso que vc disse ter, eu também tenho, mas alguns medicamentos me ajudam muito porque senão eu não conseguiria fazer NADA! E eu sei o quanto este cansaço atrapalha a nossa vida, é terrível. Procure um psiquiatra ou um neurologista que entenda mais de lesão cerebral e esses sintomas, talvez o uso de medicamentos podem te ajudar e assim, sua qualidade de vida melhorar consideravelmente.
      De que cidade vc é?

      Bjo
      Fernanda

  91. Oi gente,

    Nessa semana completam 8 meses daquele dia que mudou a minha existência, meu ponto seguro de ver e sentir a vida.

    Desde então foram várias idas a e vindas a médicos (cinco neurologistas,2 otorrinos, traumaotorpedista, oftalmo, psiquiatra, psicólogo). Exames: 2 tomografias computadorizadas, 4 ressonâncias magnéticas (encéfalo e cervical), exames neurológicos de rotina, bateria de testes neuropsicológicos, exames de vista, hemogramas completos,exame otoneurológico… Todos “NORMAIS” para os médicos (à exceção do otoneurológico – labirintite). Em novembro será uma polissonografia.

    Me foi dito que não há lesão cerebral. “Apenas” um TCE leve. Mas continuo sem explicação para tantos sintomas: Fraqueza muscular, vista embaçada, sonolência diurna, muita fadiga, sensação de pressão na cabeça, vertigem, cinetose, vontade de ficar sempre deitado, audição sensível, corpo pesado, não tenho mais a agilidade de antes, fico esbarrando nas coisas sem perceber, caindo coisas das mãos… Sei que há um fator de ansiedade violento que, talvez, possa estar colaborando para tudo isso. Estou iniciando a psicoterapia, acho que pode ser a única saída já que estou sendo desenganado pelos exames. Está sendo muito difícil aceitar tudo isso.

    O que os amigos acham? Quanto tempo mais para esses sintomas para pararem? Já passaram por algo semelhante?

    Abraços a todos.

    • Olá hugo, como você tive um TCE, mas o meu foi Grave.. algumas das coisas que voce relatou tb passei.. como visão embaçada, sonolência, e audição sensível.. a visão, meu pai eh oftalmo mas me levou a um neuro oftalmo, pois disse que somente ele pode detectar se houve alguma lesão no nervo óptico, e no meu não houve.. e melhorou com o tempo.. após uns 2 anos.. claro que não sei se você acredita, mas realizei uma cirurgia espiritual, e no dia seguinte enxergava tudo normalmente, mas tive q manter tratamento que a médium indicou..
      Quanto a sonolencia eu dormia muito no 1 ano pós TCE.. de manha , tarde e noite, somente acordava para refeiçoes e tornava a dormir.. minha mãe perguntou assustada ao médico e ele a acalmou , disse que com o TCE, nos tornamos crianças e precisamos dormir para o cérebro guardar o que aprendeu no dia.. melhorei não sei te dizer após quanto tempo.. mas levaram uns 2 anos.. e somente passei a acordar cedo quando tentei retornar ao trabalho, pois sempre fui muito rigida e pontual, então comecei a acordar cedo, e dormia após trabalho, mas conheço pessoas que infelizmente não controlam o sono..
      Sobre a audição aguçada, hoje após 6 anos e meio ela não retornou ao normal e fora isso eu perdi o controle do tom de voz, dizem que berro, mas eu ouço como se falasse normal..
      Bom, única coisa que te digo é paciência, nenhum médico entende realmente nosso cérebro , ele é muito complexo..
      Melhoras!! nunca desista, sempre busque melhorar

    • OI HUGO…

      Imagino a sua angústia tendo todos esses sintomas e nenhuma justificativa de fato que, por exemplo, apareça nos exames ou os “explique”, né? A gente sempre quer uma explicação, isso é natural…
      Olha Hugo, mesmo que seu TCE tenha sido considerado LEVE, alguns dos seus sintomas talvez possam vir disso e de qualquer forma, 8 meses é muito pouco tempo pra vc melhorar bastante a ponto de perceber e se sentir bem melhor….Tenha paciência… mas não deixe de lutar para uma qualidade de vida melhor como vc parece já estar fazendo ao buscar ajuda profissional…

      Se vc disse que já sabe que há um fator de ansiedade bem grande por trás disso, a psicoterapia te ajudará muito.

      É isso aí, a recuperação não é rápida, mas o importante que com o tempo todas as pessoas melhoram, principalmente com tratamento adequado.
      Torcendo por vc!!!!!!!!

      Abraços,
      Fernanda

  92. Boa tarde Pessoal
    Meu nome é Talissa, minha mãe descobriu, há 45 dias,uma leucemia aguda M3, e em 3 dias depois da descoberta, teve uma hemorragia no pulmão, entrou na UTI e ainda em coma, entubada, teve um AVC. Foi acordar, 1 mês depois, mas só mexe os olhos, esta incomunicável, com traqueostomia, perdeu movimentos e talvez a visão. Ainda não sabemos pois ela esta totalmente inconsciente. Esta espera é uma tortura, vamos na visita todos os dias,mas não vemos evolução nenhuma.
    Da parte hematologica ela esta super bem, reagiu bem a quimioterapia,mas a lesão neurologica foi muito grave, atingiu area da visão e movimentos.
    Voces acham que ela pode evoluir e interagir? e a visão pode voltar? algum relato?
    Minha mãe tem 56 anos, linda, superativa, trabalhava e era a lider da família. Agora esta acamada,difícil, aceitar.
    Alguem parou de trabalhar para cuidar de algum ente querido?
    obrigada

    • Ola Talissa,
      Não tive um avc, sofri um TCE mas as consequências são as mesmas…
      Calma.. PACIENCIA é a palavra principal nestes momentos.. eu fique um mês em coma profundo.. sem reação alguma.. não compare.. pois cada lesão é diferente
      Quanto a dificuldade de visão, meu pai é oftalmo e informou que a única pessoa que pode verificar se a parte neurológica responsável pela visão foi afetada é um neuro oftalmologista, quanto aos movimentos eu recuperei os meus após muita fisioterapia, passei meses sem mover o lado esquerdo do corpo, mas infelizmente isto também depende se a área responsável por estes movimentos foi afetada ou não, o cérebro é muito complexo, nem os médicos o entendem.. não podemos desistir nunca da recuperação independente do diagnóstico dado, chegaram a dizer a meu pai que eu ficaria em estado vegetativo… respirei 28 dias por aparelhos.. e hoje, após 6 anos estou melhor.. retornei a trabalhar, numa vaga para deficientes, pois nossas dificuldades não são visíveis.. e em vagas comuns não as aceitam…
      Imagino a angustia de voces, como meus pais devem ter passado também, mas te digo para nunca desistir e ter muita paciência.. recuperação cerebral é demorada e longa mas sempre ocorre.. bjus

      • Bom dia Bruna.
        O neuro disse que pela tomografia a área da visão foi uma das mais afetadas, mas não pode afirmar se ela perdeu mesmo a visão, pois como você disse, o cérebro é muito complexo. Temos esperança.
        Como ela já esta há mais de 45 dias deitada os musculos atrofiaram. O seu atrofiou? foi dificil voltar?
        Ela saiu da UTI ontem, esta no quarto, estamos nos desdobrando para ficar com ela e dar todo amor e carinho.
        Não vamos desistir..
        muito obrigada

      • Olha creio que somente um neuro oftalmologista poderá informar sobre a visão corretamente.. Eu tive 30 dias em coma profundo e não movia lado esquerdo do corpo.. precisei de muitaaa fisioterapia para voltarem meus movimentos.. e mesmo assim depois fiz um exame e tinha somente 20 % de musculos na perna esquerda e 30% na direita.. ai precisei fazer um treino especifico na academia para fortalecer minha perna sem lesiona-la… fiz pilates.. natação para ajudar a retornar a força muscular e melhorar movimentos..
        Fé e esperança sempre!!!
        um beijo

    • QUERIDA TALISSA….

      Vi que vc e a Bruna já conversaram e fico feliz em saber que ela pôde te ajudar com algumas informações. A troca de informações entre todos que tiveram alguma lesão e/ou familiares de quem teve lesão é muito importante.

      A neuroplasticidade do cérebro é incrível e como a Bruna te disse, a recuperação é lenta, mas ela nunca deixa de acontecer!!!!! Isso é o mais importante, sempre haverá melhora. Por isso, nunca perca a fé, esperança… A sua mãe precisará de muita fisioterapia, que trará enormes benefícios, pois só por ficar muito tempo acamada já fica difícil voltar a andar. Comigo também foi assim. Meu caso é o primeiro daqui, não sei se vc leu..
      E tb tive e tenho dificuldades na área da visão, pois meu cérebro sofreu lesão na região occipital. Eu não fiquei com dificuldade para enxergar, fiquei com dificuldade para juntar informações que via, como por exemplo, dificuldade pra ler (entre outras)… Mas, com o tempo e muito treino, eu já melhorei muito.

      Aos poucos podem surgir algumas dúvidas durante o processo de reabilitação da sua mãe e pode voltar aqui pra perguntar que faremos o possível para te ajudar. Qdo tiver um tempinho, leia aqui no blog mesmo, a aba acima sobre “Visão profissional”, pois te ajudará a entender como um neuropsicólogo poderá ajudar sua mão no futuro.
      Espero que ela esteja cada dia melhor e que recupere a visão com o tempo.

      Mande notícias…
      Grande bjo
      Fernanda

  93. meu nome e Claudinei quando criança sofri um acidente grave bati a cabeça eu tinha uns 5 anos fui pro hospital fiquei fazendo exames algum tempo tomei muitos remedios faixa preta pois ainda era criança e meu cerebro estava em desevolvimento. hj em dia tenho poblemas com memoria ñ consigo ficar prestando atenção por muito tempo e tambem faço algumas coisas que ñ me lembro mesmo que seja na mesma hora parece que e outro claudinei que fez sou meio doido pois muitas ñ entendo o mundo as vezes vejo tipo alguma cor eu sei que e verde mais fico teimando e pensando que e outra cor menos verde e tambem tenho 2 personalidades o bom e o ruim as vezes to de boas com alguem e derrepente começo a gritar com ele fico com raiva do nada, minha mente parou quando tinha 5 anos as vezes querendo ser adulto sou criança e meio complicado mais eu vou vivendo alguns de vcs tem poblemas piores que o meu porem alguns tiveram poblema depois de velho eu ñ eu tenho isso deste pequeno e as vezes fico pensando como seria minha vida sem esse acidente sera que seria diferente sera que eu seria alguem importante alguem inteligente ñ sei e nem vou saber pois eu vou levar para sempre ñ acho que seja um poblema muito grande pois eu vivo normal mais com uma mente de criança. um abraço para todos nois

    • Claudinei, diferente da maioria de nós sua lesão ocorreu na infância.. mas as dificuldades são as mesmas.. memória, confusão, agressividade.. coisas que não conseguimos controlar sozinhos.. te aconselho a ver uma neuropsicóloga, apesar da lesão ter ocorrido faz muito tempo, a minha neuropsicóloga que me ensinou a controla-las… elas dão dicas que são muito úteis nestes casos..
      Creio que da mesma forma que é complicado para nós não nos compararmos ao antes, para você deve ser difícil se comparar ao que você poderia ter sido sem a lesão…mas nos não devemos pensar nisso… temos que buscar viver da melhor maneira possivel, mesmo com nossas dificuldades. Um beijo

    • OI CLAUDINEI…

      Primeiramente quero te agradecer por desabafar suas angústias aqui no Blog com a gente. Obrigada!

      Eu participo de um grupo em S.P., onde se reúne várias pessoas que sofreram algum tipo de lesão cerebral: traumatismo craniano como vc, a Bruna e eu, por exemplo; AVC, aneurisma, etc. Todos os tipos de lesão cerebral, muitas vezes, têm sintomas parecidos. Lá no grupo tb tem uma pessoa que bateu a cabeça quando era criança e hoje, já na fase adulta, descobriu que todas as suas dificuldades que sempre teve na vida (como memória, por exemplo) não eram “culpa” dela e sim da batida na cabeça. E tudo que vc nos contou sobre suas dificuldades podem sim ser consequências da sua batida na cabeça quando vc tinha 5 anos.

      Vc não é doido, vc não é bipolar…claro, a não ser que um médico tenha diagnosticado vc como bipolar, caso contrário, o fato de vc ora estar bem e de repente ficar muito irritado, isso pode ser consequência do sua batida na cabeça, entende? Por isso, como a Bruna bem te aconselhou, seria muito importante vc procurar um psiquiatra e um neuropsicólogo para te ajudar. Psiquiatra não é médico de louco, ele é o médico que pode receitar medicamentos relacionados à essas suas dificuldades; ele e/ou o neurologista.
      Eu, por exemplo, tomo medicamentos que ajudam a controlar a minha irritabilidade entre outras questões advindas do meu traumatismo craniano. Eu, tb como vc e a Bruna, tenho dificuldades de memória e a neuropsicóloga me ajuda muito.

      Como a Bruna comentou, não adianta vc ficar pensando como seria se vc não tivesse batido a cabeça, etc. Isso já aconteceu e o “SE” não existe! Vamos lutar e tentar fazer o melhor para vivermos bem o dia de hoje! E vc consegue! Tenha fé!
      Qual cidade vc mora? Quantos anos vc tem?

      Aguardo notícias….

      Fernanda

  94. MEU NOME É RODRIGO, TENHO 40 ANOS. FUI ATROPELADO COM 5 ANOS EM 1980; FIQUEI INTERNADO 180 DIAS MUDO NO HOSPITAL EM GOIÂNIA. FIQUEI ENTRE A VIDA E MORTE.TIVE TRAUMATISMO CRANIANO. AI VIM PRA BRASÍLIA COM 13 ANOS. AI ESTUDEI FIZ SUPLETIVO. FIZ FACULDADE DE PEDAGOGIA E DEPOIS FIZ UMA PÓS GRADUAÇÃO.

  95. Aqui é Gildete tia de Lucas Matheus de 15 anos que teve um grave acidente de moto em 2014, hoje após 2 anos e 4 meses, Lucas está ótimo, Graças à Deus, está quase tudo perfeito, apenas a visão que não conseguiu recuperar ainda, mas temos muita Fé que ele vai recuperar em nome de Jesus. Já anda, sua mente ficou perfeita, leva uma vida praticamente normal, apenas com as limitações da visão. Se alguém aqui nesse blog puder nos dar uma orientação, ficaremos muito felizes. Abraços! Gildete

    • Boa noite Gildete, sofri um TCE faz 6 anos e meu pai eh oftalmo… ele me informou como deve ter lido em alguns comentários meus que um neuro oftalmologista é essencial para pedir exames verificam se o dano na visão tem cura, e se sim como fazer para melhorá-la pois ele consegue verificar se a parte da visão do cérebro foi afetada.. =) bju bom saber que ele está bem!

    • Obrigada, Bruna!
      Vou procurar um profissional e leva ló o mais rápido possível, sofremos tanto com o período que ele ficou no hospital, que hoje não estamos tendo forças para mais nada. Assim que leva ló dou notícias aqui. Deus lhe Abençõe!

      • Imagina.. busquem forças onde achar que não as tem.. pois são muito necessárias agora na recuperação, nos mantenha informados, no conselho nacional de oftalmologia ( se nao me engano) eles possuem informação de neuro oftalmos caso não consiga nenhum ligue lá beijo..

    • GILDETE QUERIDA….

      Quantas notícias maravilhosas!!!!!!! Fico muito feliz em saber que o Lucas Matheus está bem e o quanto se recuperou… Nada como o tempo, a perseverança, estimulação e fé, né? A neuroplasticidade cerebral existe e é maravilhosa, como sempre repito aqui…
      Como fiquei um tempo sem responder aqui e a Bruna já te orientou, só escrevi hj aqui para te agradecer por se preocupar em entrar aqui e contar pra gente a evolução do do seu sobrinho! Obrigada!
      Aguardaremos mais notícias!!!!!

      Bjo grande
      Fernanda

    • Olá , meu nome é Selma, sou de Brasília meu irmão sofreu um acidente em 2014, julho, também perdeu a visão. Gostaria muito de trocar informações, meu zap 996657256. Não tenho escrevido , mas este site tem mim ajudado bastante, sempre estou lendo. Obrigada a todos. Que Deus abençoe .

  96. oi gente!

    Eu tenho algumas dúvidas sobre sintomas. Comecei a ter perda da força muscular nas mãos, braços e pernas, como se estivesse com uma virose. Isso é comum? É reversível com medicação?

    • Olá hugo, tive perda muscular pós trauma e recuperei com muita fisioterapia.. mas ninguem melhor que seu médico para te ajudar pois como já comentei nenhuma lesão cerebral tem diagnósticos iguais.. cérebro é mito complexo

  97. Olá, meu pai estava sentado e teve uma espécie de “apagão”, e ao cair bateu a cabeça. Na hora foi socorrido, e no hospital fez diversos exames, inclusive a tomografia, mas disseram que estava tudo bem e no mesmo dia foi para casa. Após quase um mês, ele acordou com uma grande sonolência (muito forte mesmo) e foi perdendo a força, etc. Levamos ele ao hospital e descobrimos que na primeira queda ele sofreu um “hematoma subdural bilateral frontal causado pelo trauma”. Pelo que entendi, ficou gotejando sangue de pouquinho em pouquinho até formar um coágulo grande que causou pressão no cérebro e precisou operar. A cirurgia foi no dia 04/08/2016 em Campinas-SP. Sabíamos que o estado dele era grave mas graças a Deus deu certo a drenagem do sangue. Após isso, ele ficou na UTI, entubado e sedado por 24h, nos surpreendemos que foi tão rápido. Porem depois, quando vimos ele acordado nos assustamos, ele delirava muito, agitadíssimo, precisou ficar com mãos e pés amarrados pela própria segurança e para não tirar a sonda que o alimentava. Teve pneumonia na UTI, o que muitos dizem ser comum, e teve também um problema chamado rabdomiólise, que com o tempo foi controlado. Depois de uns 15 dias ele foi para o quarto, isso ajudou a ficar um pouco mais calmo. Porém até hoje ele tem MUITA agitação psicomotora, mexe seu corpo sem parar, se tanto se esfregar na cama se machuca, cotovelos e joelhos principalmente. Uma das minhas dúvidas é se essa agitação tende a passar com o tempo. Bom, continuando… alguns dias ele parecia estar um pouco mais “lucido” reconhecendo a família e amigos que iam visitá-lo, quando estava assim a sua fala também era bem entendida, porém em outros momentos ele parece estar “flutuando”. O médico disse que ele estava com “delirium”, li muito sobre isso, mas fica aquela dúvida, se o que ele tem é o delirium ou sequelas, ou ambos. Meu pai não perdeu movimento nenhum do corpo, e demonstra uma força muito grande, tanto que mantê-lo amarrado é difícil. Aí a fonoaudióloga esteve no quarto, e introduziu alimento pastoso, frutas, etc, ele engoliu. E no dia seguinte (super precipitado) ele recebeu alta. Em casa, tivemos que comprar remédios super fortes. Outra coisa que eu gostaria de entender era o uso de toda essa medicação pois eu tenho a impressão que eles deixam meu pai mais agitado ainda, as vezes ele está mais calmo e quando toma fica muito ruim. Principalmente o “carbamazepina” (toma 2 cp de 200 cada à cada 8h), ele também está tomando o Risperidona, Depakene, Fluoxetina… etc. – Queria muito achar um médico que pudesse talvez reduzir a quantidade (se puder claro), pq acho que tanta dosagem deixa ele pior. Teve uma noite que ele gritou a noite toda, coloca os braços pro alto, falando sozinho, mandando as pessoas fazerem as coisas (alucinações), enfim… Aí para finalizar na sexta dia 09/09/2016 ele retornou ao hospital com diagnóstico de pneumonia por bronco aspiração, ou seja, não está engolindo direito. Ah ele também quase não dorme. Enfim… é isso…muito pouco tempo com tantas coisas. Nossa vida mudou d+++ Queria saber se alguém teve esse Hematoma Subdural e pode me contar mais como foi…. Obrigada

    • OI CAMILA….

      Desculpa só te responder agora. Eu não tive o mesmo que seu pai, meu caso é o primeiro daqui, não sei se vc leu. Eu tive um TCE grave com LAD (lesão axonal difusa), mas muitos tipos de lesão cerebral têm sintomas e “sequelas” semelhantes. Sei que agitação e confusão mental são muito comuns no início e que com o tempo tendem a melhorar. Tudo que aconteceu com seu pai é muito recente. Ele ainda vai melhorar bastante.

      Essa dificuldade de engolir deve urgente ser trabalhada por uma fonoaudióloga que saiba trabalhar com disfagia.

      Conheço alguns desses medicamentos que vc disse que seu pai faz uso, mas não sou médica e não sei sobre o caso do seu Pai, não posso e nem sou apta a te dar uma opinião sobre esses medicamentos. Isso é só o neurologista mesmo ou um psiquiatra.
      O uso de medicamentos, muitas vezes, é imprescindível. Eu mesma faço uso de medicamentos há quase 10 anos, desde o meu TCE. Fiz acompanhamento com fono, fisio, terapeuta ocupacional… Atualmente ainda faço acompanhamento com neurologista/ psiquiatra e neuropsicólogo, o que me ajuda muito e é fundamental para que eu tenha uma melhor qualidade de vida. Talvez seria bom, após seu pai melhorar da pneumonia e voltar bem pra casa, o que deve já ter acontecido, passar em outro médico para ter uma segunda opinião com relação aos medicamentos, pois se eles estão o deixando mais agitado, pode ser que precisa ser trocado por outros. Tb não sei se vcs já voltaram com o mesmo médico que receitou todos esses e relataram o que está acontecendo com seu pai… Se não fizeram isso, faça o mais rápido possível. Ah! Outra coisa: a maioria dos medicamentos podem levar de 15 dias a 1 mês ou mais para fazer efeito e diminuir os efeitos colaterais.
      A pessoa que faz uso de medicamentos precisa de acompanhamento de perto do médico, pois um mesmo medicamento pode ser bom pra uma pessoa e ser péssimo para outra, mesmo que tenham a mesma lesão cerebral, entende? Dosagens tb variam de pessoa para pessoa e às vezes demora pra se achar a medicação adequada e por esse motivo, muita gente acha que usar medicamento não ajuda, etc.

      De onde vcs são?

      Aguardo notícias…
      Um grande bjo
      Fernanda

    • camila meu pai sofreu uma acidente domestico já faz uns 25 dias e não lembra das pessoas . Fisicamente está bem , mas também ficou muito agitado
      Como está seu pai hoje ? já teve melhoras?

  98. Bom dia.

    No dia 03/07/16 meu namorado sofreu um grave acidente de moto, uma outra pessoa andava na contra mão e o atingiu em cheio, como moramos no interior de Minas, existe um péssimo hábito de andar sem capacete o que agravou mais a situação. Socorrido por amigos que passavam na hora, pois não há socorro rápido como nas grandes cidades, foi levado para a cidade mais próxima, também pequena como a nossa. Foi efetuado os primeiros socorros, ele estava desacordado, porém mexia normalmente, mas como essa cidade não tinha atendimento adequado foi novamente transferido para outra cidade. Após alguns exames foi constatado o TCE grave, que susto! Porém, nenhuma outra fratura. Como tudo é precário e difícil no interior, ele ficou cinco dias sendo acompanhado por um clínico geral, até que no sexto dia foi assistido por um neurologista, o qual mudou totalmente sua medicação. Não ficou na UTI, pois o hospital não tinha, foram dez dias de agitação intensa, ele abria os olhos, mexia muito, mas não falava, era como se não visse quem estava ao seu lado. O neuro pediu que fizesse uma ressonância, como não havia na cidade foi levado à Juiz de Fora, ainda sem acordar, mais um médico fez o diagnóstico, disse que não houve muito sangramento mas ainda ficaria uns bons dias no hospital. Dez dias no hospital, foi observado um nódulo perto do peito, fizeram os exames e constataram que ele estava com um aneurisma da artéria subclávia, seria preciso fazer uma angioplastia urgente, como nesse hospital não era realizado mais uma vez teve que ser transferido, agora para Pouso Alegre, no dia da transferência, após dez dias, ele acordou e respondeu algumas perguntas para a nossa felicidade. Em Pouso Alegre fizeram a angioplastia e logo deram alta para ele, porém ao invés de voltar para nossa cidade, os pais acharam melhor levá-lo para Taubaté, onde tinham parentes e mais assistência caso precisasse. Passado uma semana, já em Taubaté, apresentou febre, o levaram às pressas para o PRONTO SOCORRO, os médicos notaram que a angioplastia tinha sido incompleta e então não tinham resolvido o problema. Ele não poderia fazer qualquer esforço, aguardava uma vaga urgente para o hospital para possivelmente fazer uma cirurgia. Após quatro dias, saiu a vaga e foi então internado no hospital referência de Taubaté. Lá, fez novamente todos os exames, e através de um cateterismo foi solucionado o aneurisma da artéria. Logo, teve alta e retornou para casa. Hoje, pouco mais de dois meses do acidente, conversa, anda, se alimenta normalmente, notei que fica irritado e confunde algumas coisas as vezes, acredito que seja normal devido a gravidade do acidente.
    Quando se recebe uma notícia dessas, a gente se pergunta o por que estamos passando por isso, um minuto atrás estava tudo bem e do nada perdemos o chão, os primeiros dias são de revolta e tristeza, porém, ao passar dos dias aceitamos a situação e temos fé de que tudo ficará bem novamente.
    Em muitos momentos, o desespero tomou conta de mim, chorava sem parar, não tinha cabeça para trabalhar, e tinha muito medo do que viria pela frente, como ele acordaria e se tudo seria como antes, não comia, não fazia as coisas que eu gostava, estava pirando…porém, DEUS me mostrou sua presença em cada momento, é estranho você estar numa situação em que não pode fazer nada, não pode controlar, é horrível sentir isso, mas é a realidade, embora sempre nos esqueçamos disso e vivemos como se pudéssemos controlar tudo. Foram diversos os momentos que Deus me segurou nos seus braços, que senti a presença Dele na minha vida. Devido ao acidente me aproximei novamente de Deus, ele me trouxe novamente para seu caminho, pois confesso que andava afastada. Hoje, agradeço muito por tudo, pois Ele fez um milagre na vida do meu namorado. Agradeço, por ter nos dado a oportunidade de viver esse amor e seguir nossa vida. A sua misericórdia é infinita.
    Aos que estão passando por isso nesse momento, digo lhes para ter FÉ, pois tudo ficará bem, e tudo que passamos por algum motivo temos que passar, coloque DEUS na sua vida, na frente dessa situação e tudo se resolverá.

    Em determinado dia, onde eu estava muito triste, encontrei a palavra de Deus, o que me deu grande conforto e muita felicidade, pois ao acaso escolhi um livro e capítulo e Deus falou comigo. Aos que se interessarem, leiam, pois me fez muito bem.

    1 Pedro 1:3-25.

    • OI JESUANA….

      Sou a Fernanda, minha história é a primeira daqui, não sei se vc leu.
      Escrevo aqui para te agradecer imensamente por entrar blog, contar sua história e de seu namorado, mostrar sua fé e dar apoio para tanta gente que está passando pela mesma situação…. MUITO OBRIGADA de coração.

      Quanta coisa aconteceu com seu namorado?!!!! TCE, Aneurisma e como ele está se recuperando bem, né? Isso é maravilhoso!!!! Ainda é muito recente, ele irá melhorar mais, com certeza.
      Esta irritabilidade e confusão mental que vc percebe nele podem passar com o tempo, tudo é muito recente mesmo! Caso com o tempo, tenha alguma dúvida, entre aqui que teremos o prazer de te ajudar no que for possível.

      Grande bjo,
      Fernanda

  99. OI MEUS QUERIDOS COMPANHEIROS E AMIGOS DO BLOG…

    COMO DISSE LOGO ABAIXO, NO INÍCIO DE OUTUBRO (07 E 08), TEREMOS O SIMPÓSIO DE LESÃO ENCEFÁLICA ADQUIRIDA. NESTAS PRÓXIMAS SEMANAS NÃO RESPONDEREI OS DEPOIMENTOS AQUI DO BLOG POR ESTAR ENVOLVIDA COM O SIMPÓSIO E OUTROS ASSUNTOS PARA QUE EU POSSA AJUDAR CADA VEZ MAIS VOCÊS QUE ENTRAM AQUI. ESPERO QUE ME COMPREENDAM…

    O BLOG NÃO PÁRA, POIS ELE NÃO É MEU, É DE TODOS NÓS. A BRUNA SEMPRE QUE PUDER, TAMBÉM PODERÁ CONVERSAR COM VCS AQUI…

    DEPOIS DO SIMPÓSIO RESPONDEREI CADA UM DE VCS COMO SEMPRE GOSTO DE FAZER E QUEM FOR AO SIMPÓSIO, ME PROCURE PARA NOS VERMOS E QUEM EU AINDA NÃO CONHEÇO, PODERMOS NOS CONHECER PESSOALMENTE. ESTAREI À DISPOSIÇÃO DE TODOS VCS NO DIA 07 E 08/10.
    QUEM PUDER, NÃO PERCA ESTA GRANDE OPORTUNIDADE!
    AGUARDO VCS COM TODO CARINHO!

    BJO, FERNANDA

    • querida colega, eu fiz uma cirurgia, coloquei um stent na cabeça, a 3 meses, a unica coisa que sinto é dor de cbeça, ainda, é normal? por quanto tempo ainda terei essas dores de cabeça? se puder me responder obrigada, maria elisabete, 31.12.1956, a cirurgia foi em 23,05,2016,meu emeio bete_maria@hotmail.com, telefone 11 50118145, 11 988441176.muito obrigada.

      • olá Maria Elisabete, creio que a melhor pessoa para te passar tais informações seja o seu médico, ou se algum membro do blog que passou por isso puder responder, por favor
        Mas cheque com seu medico, somente ele pode lhe dar a resposta correta!

  100. Com apoio de toda a equipe do CPN-REAB, mais uma vez teremos um Simpósio sobre lesão cerebral adquirida para pacientes, profissionais e familiares. Serão dois dias (07 e 08 de outubro) de muito conhecimento sobre reabilitação, troca de experiências e uma injeção de ânimo sobre como a vida segue depois de uma lesão no cérebro, seja por um AVC, Aneurisma, TCE, tumor cerebral, etc.

    Este ano, lotamos o local cedido logo no segundo mês de inscrições abertas! São pacientes, familiares e profissionais interessados e sensibilizados com a causa de lesão cerebral!
    E no último momento, a mobilização desses e da comunidade novamente trouxe resultado! Temos um espaço maior, que também está com a lotação quase esgotada.
    Não perca a oportunidade. O evento será gratuito (experiências como essa não tem preço!)
    Façam suas inscrições.

  101. Olá Fernanda.

    Como é bom encontrar um blog como este com tantos depoimentos motivacionais, tantas histórias de superação, e poder saber mais sobre o assunto.
    Escrevo hoje em um momento de muita angústia. Há 3 semanas minha irmã sofreu um acidente de quadriciclo (como se fosse um jipe pequeno) no sítio do meu pai.
    Aparentemente, não sabíamos o quão grave isso poderia ser pois meu irmão que estava junto apenas quebrou a cravícula, porém minha irmã (que também se chama Fernanda) talvez tenha caído da forma errada, e sofreu TCE grave. Há 3 semanas ela está no hospital. No primeiro dia fizeram uma cirurgia para a retirada do coágulo e ela ficou em coma induzido por 2 semanas. Depois disso ela teve algumas infecçoes que agora estão sendo tratadas, e há 3 dias ela saiu da UTI, respira sem aparelhos (ainda está com o oxigênio pois os médicos afirmam que a qualidade do ar é melhor, mas logo será retirado).
    Estamos em uma angústia muito grande, pois há 7 dias ela já está sem os sedativos e ainda não acordou. Os médicos dizem que talvez ela não acorde mais, ou que há grandes chances de sequelas, estado vegetativo, o que é muito desesperador. Eu e toda a minha família temos muita fé, e acreditamos que já é um milagre ela ter descido da UTI, e pedimos muito por um milagre de Deus.
    Sei que cada caso é um caso, e a recuperação é gradativa, mas os médicos falaram que logo será melhor levarmos ela para a casa, com home care, mesmo que ela ainda não tenha acordado, o que nos deixa em pânico pois ela nem ao menos acordou…é muito angustiante.
    Tenho lido muito sobre TCE, seu blog, cada depoimento nos ajuda muito a acreditar em um amanhã melhor, e eu verdadeiramente creio em um Deus de milagres.
    Ela só tem 31 anos, não consigo acreditar que isso está acontecendo, e é muito difícil para nós pensarmos que ela possa não acordar igual.
    Me revoltei muito já, me questionando por que tudo isso, por que tanto sofrimento….mas tenho orado muito, e isso tem fortalecido meu coração a entregar nas mãos de Deus para que ele nos traga ela devolta. Peço sempre à Deus uma segunda chance para ela, e para todos nós.
    Vamos cuidar dela com todo o carinho e amor do mundo, e tenho certeza de que ela vai nos responder.
    Peço a oração de todos por ela, e por nós, da família, que sofremos tanto nesse momento.

    Um grande abraço,

    Fayelle

    • OI FAYELLE….

      Cada história que conheço tão “absurda” que cada vez mais acredito que cada um de nós passa pelo que tem que passar e não adianta buscar entender… São pessoas que caem na calçada, pessoas que caem de bicicleta, um acidente de quadriciclo como o de seus irmãos e aí tudo muda!!!! O marido de uma amiga minha tb está na UTI com TCE grave porque caiu do skate brincando com a filha… Cada coisa, né? Muito louco este mundo….

      Fayelle, sei que esta fase de “espera” de como nosso ente querido irá acordar, quando, como tudo acontecerá, etc., é terrível, sofrido, angustiante e muito doloroso. Peço a Deus que dê força pra vc e toda sua família… Meus pais, minha família chegaram a ouvir durante vários dias que era dificílimo eu sobreviver, praticamente não existia chance nenhuma. Teve um médico, no início, que disse pra uma amiga minha que se ela gostava de mim, ela deveria rezar pra eu morrer porque o meu estado, se seu sobrevivesse, seria terrível….. E hj estou aqui, com “saúde”, andando bem, falando, e podendo ajudar outras pessoas; continuo superando todos os péssimos prognósticos que me foram dados. E assim será tb com sua irmã, se Deus quiser!!!!!

      Não perca a fé nunca. Acredite que Deus fará o melhor…. Se revoltar faz parte do processo de como reage muitas pessoas…Eu tb me revoltei no início e meus pais me mostraram que isso não iria apagar nada que aconteceu e só iria me fazer sofrer mais ainda, e vi que é verdade…. Tem muitas coisa na vida que não tem explicação e não conseguimos entender, mas pense que Deus fará o melhor…

      Não foque nas palavras ruins dos médicos. Como vc deve ter lido aqui, na grande maioria dos casos aqui do Blog, os prognósticos foram os piores possíveis… Conheço pessoalmente muitos jovens que estão bem e os médicos disseram pra família que eles morreriam ou ficariam em estado vegetativo.

      E não tenha medo se sua irmã precisar sair do hospital com Home care. Sei que dá muita insegurança, mas todos os casos que conheço deram certo e às vezes é melhor pro paciente sair do ambiente hospitalar para não correr tanto risco de infecções…
      Com o passar dos dias podem surgir várias dúvidas e se eu puder ajudar, te ajudarei. Fique à vontade pra me escrever qdo quiser. Sua irmã Fernanda, minha xará, está em minhas orações. Ela é nova, a plasticidade do cérebro é incrível, confie nisso tb!

      Um forte abraço e mande notícias sempre!
      Fernanda

      • Olá Fernanda, tudo bem?

        Minha irmã graças a Deus teve um primeiro progresso há duas semanas. Na verdade quando eu escrevi no blog eu estava fora do Brasil.
        Foi muito difícil quando vi minha irmã no hospital… quase não a reconheci, mesmo todos me dizendo que ela já tinha melhorado muito. Durante este tempo ela teve muitas complicações… teve meningite e acabou precisando retirar um pedaço da calota (o osso da cabeça) pois estava contaminado, e com isso ficou com a cabecinha um pouco ”afundada”.
        Ela também teve muitas complicaçoes de uma bactéria que pegou no primeiro hospital que é extremamente perigosa… teve febre alta, taquicardia, pressão alta… os médicos falando tantas coisas horríveis pra gente, meu Deus do céu, que desespero.
        Depois ela teve hidrocefalia, e precisou fazer uma outra cirurgia para colocar um dreno. Graças a Deus essa cirurgia correu bem também.
        Futuramente ela deve colocar a prótese da calota craniana e isso não será bom só esteticamente, mas segundo os médicos ajudará a diminuir a pressão craniana também.

        Há duas semanas começamos a ver a resposta de Deus às nossas oraçoes. Ela abriu um dos olhos (na maioria das vezes ela nos acompanha com as pupilas). O olho do lado direito ainda não abriu… mas vemos ele tremendo bastante e os cílios já se movimentam bastante, como se ela ainda não tivesse força para abrir, mas sinto que Deus já está trabalhando naquele olhinho também.
        Ela nos responde sim ou não com o pescoço também. Algumas vezes ela está mais sonolenta e não responde muito, mas diversas vezes ela nos responde movimentando o pescoço bem suave, mas tudo corretamente. Quando a fisioterapeuta nos mostrou isso pela primeira vez ficamos muito emocionados.
        Percebemos que ela sente dores nas articulaçoes… quando tocamos nas maos, braços e pernas ela faz cara de dor… o fisioterapeuta disse que ela sente dor pelo tempo parada na cama, mas que eles estão fazendo sessões três vezes ao dia. Ela movimenta as pernas… os braços, mas os médicos falam que é espasmo.
        Quando coloco alguma música pra ela, vejo que ela faz diversas expressoes… de felicidade, de emoção…
        E ela movimenta a boca querendo falar algumas vezes, porém com a traquio sabemos que ela ainda não conseguirá falar…Explico isso pra ela e então ela para. Realmente entende quando você fala com ela.
        Em relação à respiração nos disseram que ela tem evoluído bastante, mas ela ainda não está no quarto, e sim em uma unidade respiratória, o que achamos até melhor pois o ambiente é bem melhor que o da UTI, e assim ela tem mais monitoramento também,
        A única coisa é que as visitas sao restritas, e me parte o coração deixar ela lá…
        Algumas vezes quando falamos com ela vemos que ela se emociona e sai lágrimas dos olhos. Todas as vezes que saiu do hospital fico acabada… oro, peço a Deus e sinto que ele tem me escutado, mas dói muito ver ela nessa situaçao. Toda a minha família sofre muito.
        Eu creio que ela tem tudo pra se recuperar, mas é um sofrimento muito grande todo esse processo.
        Digo sempre à ela o quanto estamos orgulhosos, de como ela é guerreira, e que ela precisa ainda ser um pouquinho mais forte pois logo estará em casa. Sempre falo de quantas coisas boas estão esperando por ela aqui fora, em tudo que ela tem de bom para viver.
        Mesmo os enfermeiros ficam muito comovidos por verem ela nessa situaçao tão jovem. Peço à Deus cada dia mais forças para que eu possa transmitir o melhor pra ela nesse momento. Nunca choro na frente dela… mas toda vez que saiu dali, eu fico com o coraçao partido.
        Sou grata à Deus por ela ter um namorado que está sempre dando apoio, acreditando e dando forças pra ela nesse momento tão difícil. É muito importante todos nós sermos positivos.
        Hoje os médicos decidiram tirar os antibióticos dela para ver como ela reage, pois ela toma uma medicaçao muito forte há mais de dois meses,e eles dizem que o corpo fica resistente à medicaçao e acaba debilitando muito ela também. Por enquanto, graças a Deus, ela está sem febre e os exames dela estão bons também. Ela teve febre uma ou duas vezes, mas os médicos acreditam que talvez seja uma febre neurológica.O grande perigo dela hoje são essas infecçoes. Com o corpo dela se recuperando disso a resposta neurológica dela pode ser muito maior.

        Estamos em busca também de tratamentos alternativos. Escutamos tanta coisa negativa nos 3 hospitais que ela passou que ouvir de algum médico sobre outras possibilidades foi maravilhoso.
        Você deve ter passado por isso também, como já me contou, mas é muito difícil algumas coisas que escutamos, e eu realmente acredito que é muito cedo para alguns diagnósticos.Teve uma médica um dia que nos disse que não deveríamos nos apegar tanto assim e “querer ela à todo custo” se ela pode ficar numa cama para sempre, e que temos que pensar na qualidade de vida dela. Confesso que isso foi revoltante pois mais me pareceu algo do tipo “desista”, e isso me parece um absurdo mesmo do ponto de vista médico.

        Um dos médicos da UTI que tem uma excelente fama no hospital nos falou um pouco sobre a parte nutricional,e como isso ajudaria o cérebro dela, você já ouviu algo à respeito também? Além disso ele nos falou de alguns medicamentos homeopáticos, e da estimulaçao de algumas áreas do cérebro via ultrassom na cabeça.

        Acredito e confio muito em Deus, pra mim ele é o médico dos médicos e quem nos dá a resposta final. Nós faremos a nossa parte dando todo o amor, carinho, apoio, paciência pra que ela volte logo. Mas ela estar viva e respondendo até hoje como ela já está, já é um milagre de Deus.
        Peço às suas orações e de todos que acompanham as mensagens do blog, pois a fé move montanhas.

        Um grande beijo e fique com Deus, agradeço pela mensagem.

        Fayelle

    • Olá fayelle. Não sei se você leu o meu depoimento (foi escrito a 24 de Agosto de 2016), mas passei por uma situação muito parecida à sua.
      A minha irmã (34anos) sofreu um TCE e teve 9 dias em coma induzido e depois seguiram-se 12 dias angustiantes em coma sem os sedativos.
      Sei perfeitamente o que você está a passar e o sofrimento que é para a sua família. Os médicos a nós disseram tal e qual o mesmo. .que ela poderia nunca acordar e ficar assim para sempre. Perceba que o cérebro é um mundo e uma caixinha de surpresas e eles nunca podem dar garantias.
      Mas a sua irmã é muito nova e precisa do seu tempo para absorver o edema e acordar. Ela tem tudo para ter um final feliz e você tem que acreditar nisso!
      O conselho que eu posso dar a Você é manter ao máximo a sua esperança e quando estiver com ela tentar passar energia positiva. Já há muitos estudos que mostram que o pensamento positivo ajuda na cura.
      Fale com ela de coisas boas que passaram juntas e do quanto ela é forte!
      Se quiser falar ou desabafar posso dar o meu email para tentar ajudar você.
      Um beijo grande
      Filipa

      • Olá Filipa, tudo bem?

        Me desculpa por não ter respondido antes. A verdade é que eu estou sempre esperando para ir lá e contar uma boa notícia… mas ela ainda continua no hospital.

        Li seu depoimento sim, e é sempre bom ouvir tantas histórias de superaçao, que nos dão forças para acreditar no melhor

        Minha irmã graças a Deus teve um primeiro progresso há duas semanas. Na verdade quando eu escrevi no blog eu estava fora do Brasil e foi muito difícil quando vi minha irmã no hospital… quase não a reconheci, mesmo todos me dizendo que ela já tinha melhorado muito. Durante este tempo ela teve muitas complicações… teve meningite e acabou precisando retirar um pedaço da calota (o osso da cabeça) pois estava contaminado, e com isso ficou com a cabecinha um pouco ”afundada”.
        Ela também teve muitas complicaçoes de uma bactéria que pegou no primeiro hospital que é extremamente perigosa… teve febre alta, taquicardia, pressão alta… os médicos falando tantas coisas horríveis pra gente, meu Deus do céu, que desespero.
        Depois ela teve hidrocefalia, e precisou fazer uma outra cirurgia para colocar um dreno. Graças a Deus essa cirurgia correu bem também.
        Futuramente ela deve colocar a prótese da calota craniana e isso não será bom só esteticamente, mas segundo os médicos ajudará a diminuir a pressão craniana também.

        Há duas semanas começamos a ver a resposta de Deus às nossas oraçoes. Ela abriu um dos olhos (na maioria das vezes ela nos acompanha com as pupilas). O olho do lado direito ainda não abriu… mas vemos ele tremendo bastante e os cílios já se movimentam bastante, como se ela ainda não tivesse força para abrir, mas sinto que Deus já está trabalhando naquele olhinho também.
        Ela nos responde sim ou não com o pescoço também. Algumas vezes ela está mais sonolenta e não responde muito, mas diversas vezes ela nos responde movimentando o pescoço bem suave, mas tudo corretamente. Quando a fisioterapeuta nos mostrou isso pela primeira vez ficamos muito emocionados.
        Percebemos que ela sente dores nas articulaçoes… quando tocamos nas maos, braços e pernas ela faz cara de dor… o fisioterapeuta disse que ela sente dor pelo tempo parada na cama, mas que eles estão fazendo sessões três vezes ao dia. Ela movimenta as pernas… os braços, mas os médicos falam que é espasmo.
        Quando coloco alguma música pra ela, vejo que ela faz diversas expressoes… de felicidade, de emoção…
        E ela movimenta a boca querendo falar algumas vezes, porém com a traquio sabemos que ela ainda não conseguirá falar…Explico isso pra ela e então ela para. Realmente entende quando você fala com ela.
        Em relação à respiração nos disseram que ela tem evoluído bastante, mas ela ainda não está no quarto, e sim em uma unidade respiratória, o que achamos até melhor pois o ambiente é bem melhor que o da UTI, e assim ela tem mais monitoramento também,
        A única coisa é que as visitas sao restritas, e me parte o coração deixar ela lá…
        Algumas vezes quando falamos com ela vemos que ela se emociona e sai lágrimas dos olhos. Todas as vezes que saiu do hospital fico acabada… oro, peço a Deus e sinto que ele tem me escutado, mas dói muito ver ela nessa situaçao. Toda a minha família sofre muito.
        Eu creio que ela tem tudo pra se recuperar, mas é um sofrimento muito grande todo esse processo.
        Digo sempre à ela o quanto estamos orgulhosos, de como ela é guerreira, e que ela precisa ainda ser um pouquinho mais forte pois logo estará em casa. Sempre falo de quantas coisas boas estão esperando por ela aqui fora, em tudo que ela tem de bom para viver.
        Mesmo os enfermeiros ficam muito comovidos por verem ela nessa situaçao tão jovem. Peço à Deus cada dia mais forças para que eu possa transmitir o melhor pra ela nesse momento. Nunca choro na frente dela… mas toda vez que saiu dali, eu fico com o coraçao partido.
        Hoje os médicos decidiram tirar os antibióticos dela para ver como ela reage, pois ela toma uma medicaçao muito forte há mais de dois meses,e eles dizem que o corpo fica resistente à medicaçao e acaba debilitando muito ela também. Por enquanto, graças a Deus, ela está sem febre e os exames dela estão bons também. Ela teve febre uma ou duas vezes, mas os médicos acreditam que talvez seja uma febre neurológica.O grande perigo dela hoje são essas infecçoes. Com o corpo dela se recuperando disso a resposta neurológica dela pode ser muito maior.

        Estamos em busca também de tratamentos alternativos. Escutamos tanta coisa negativa nos 3 hospitais que ela passou que ouvir de algum médico sobre outras possibilidades foi maravilhoso.
        Você deve ter passado por isso também, como já me contou, mas é muito difícil algumas coisas que escutamos, e eu realmente acredito que é muito cedo para alguns diagnósticos.Teve uma médica um dia que nos disse que não deveríamos nos apegar tanto assim e “querer ela à todo custo” se ela pode ficar numa cama para sempre, e que temos que pensar na qualidade de vida dela. Confesso que isso foi revoltante pois mais me pareceu algo do tipo “desista”, e isso me parece um absurdo mesmo do ponto de vista médico.

        Acredito e confio muito em Deus, pra mim ele é o médico dos médicos e quem nos dá a resposta final. Nós faremos a nossa parte dando todo o amor, carinho, apoio, paciência pra que ela volte logo. Mas ela estar viva e respondendo até hoje como ela já está, já é um milagre de Deus.
        Peço às suas orações e de todos que acompanham as mensagens do blog, pois a fé move montanhas.
        Me mande seu e mail sim.

        Um grande beijo e fique com Deus, agradeço pela mensagem.

        Fayelle

    • Oi Fayelle,
      A Filipa tem toda razão.
      Converse com sua irmã como se ela estivesse acordada, contando para ela apenas as coisas boas, fale de coisas que costumavam falar. Dê notícias boas e diga que ela está bem, que a família está bem e que todos querem que ela acorde logo.
      Fale que seu irmão está bem, visto que ele estava junto com ela.
      Coloque pra ela músicas que ela gosta, leia para ela, cante pra ela… enfim….acredito que quanto mais ela for estimulada e incentivada, mais rápido será sua recuperação.
      Não deixe ninguém fazer nenhum comentário desagradável ou negativo, ela escuta…..
      Não chorem perto dela, só coisa boa!!! Muito carinho, muito amor, oração, tudo isso traz uma aura positiva ao redor dela!!!
      E digam a si próprios todos os dias: MINHA IRMÃ VAI FICAR BEM!!

      Desejo muita saúde para sua irmã!!!!

      Fiquem com Deus!

      Joelma

      • Olá Joelma, tudo bem?

        Li seu depoimento, e é muito lindo ver todo seu apoio e o seu empenho na recuperação do seu irmão. Colocarei vocês em minhas oraçoes e também e estou torcendo pela melhora dele.

        Me desculpa por não ter respondido antes. A verdade é que eu estou sempre esperando para vir aqui e contar uma boa notícia… mas ela ainda continua no hospital.

        Escrevi um pouco mais sobre a minha irmã no depoimento para a Filipa, então pra não ficar muito repetitivo achei melhor não colocar o mesmo texto, mas graças a Deus ela está apresentando os primeiros progressos.

        Eu tenho colocado músicas e cantado, vejo que ela gosta bastante… parece que a música leva uma lembrança pra ela sabe? Pergunto se ela lembra da música (geralmente coloco alguma que ela gosta ou alguma gospel) e ela responde que sim, faz expressao de alegria e de emoçao… quando canto também vejo que ela se emociona. Pergunto se ela sabe quem é, ela faz com o pescoço que sim.. ficamos muito emocionados com essas reaçoes depois de um longo período ouvindo tanta coisa dos médicos.
        Como você falou, é muito importante nos mantermos pra cima, positivos… o ambiente de UTI/Hospital já é tão pesado… precisamos passar uma energia boa para eles. Li também que música clássica ajuda na estimulaçao do cérebro, mas as visitas são tão curtinhas na unidade respiratória que nem sempre dá tempo de fazer tudo que gostaria. Quando ela for para o quarto será muito melhor… não gosto de deixar ela ali sozinha… graças a Deus os enfermeiros são ótimas pessoas, mas eu sinto que ela sente quando eu falo que estou indo embora. Mas sempre digo que se ela sentir dor ou medo pra ela se lembrar que Deus está com ela em todos os minutos, e que amanhã eu volto.

        Peço às suas orações e de todos que acompanham as mensagens do blog, pois a fé move montanhas.

        Um grande beijo e fique com Deus, agradeço pela mensagem.

        Fayelle

    • Olá Fayelle, estou escrevendo para te dizer que eu entendo vc, já que passei isso com o meu filho Samuel. Tenha paciência, que tudo vai dar certo, a melhor coisa é levar para casa com home care, mesmo estando em coma profundo, (nos levamos ao meu filho com 30 dias do acidente , ele não respondia a comando nenhum, coma profundo).
      agora é hora de ter neurologistas e fisios perto… o próprio home care, te estará oferecendo.
      Desejo o melhor, para a tua irma!
      Ruth Calles

      • Olá Ruth, tudo bem?

        Muito obrigada pela mensagem. Ainda estamos aguardando a infecçao dela para poder pensar no Home Care. No hospital anterior falavam muito disso, mas neste hospital eles já falam que é preciso aguardar um pouco mais, mas entendemos que o melhor é leva-la o quanto antes, e assim que ela estiver boa da infecçao queremos leva-la para casa.
        Se me permite, posso fazer algumas perguntas?
        No caso do seu filho, o espaço para acomoda-lo no coma profundo é muito grande? Digo para aparelhos, etc, pois ficamos perdidos nesta questão pois nosso apartamento é muito pequeno. Outra pergunta, o convênio ajudou vocês financeiramente? O colchão é aquele igual do hospital?
        Hoje o convenio dela diz que nao paga Home Care, mas sabemos que possível entrar com recurso na justiça também.

        Espero não incomoda-la com essas perguntas, mas nos ajudaria muito saber disso, pois provavelmente se o quadro dela seguir assim logo poderemos leva-la pra casa.

        Desejo o melhor para o Samuel também, vou coloca-lo em minhas oraçoes.

        Beijos,

        Fayelle

  102. Oi, Minha namorada sofreu um acidente, a oito dias, teve um TCE nível três, fraturou a clavícula a bacia o braço e a mão, tinha vários aparelhos nela entre eles um para ver a cabeça um para pressão , que já foi retirado pois está estável, não sei explicar com detalhes como está a situação dela mas os médicos dizem que o estado é gravíssimo apesar de já ter tiramos alguns apregoa devido um pequena melhora, tenho algumas duvida, gostaria de saber de vocês quanto tempo ficaram sem respirar, como foi durante o tratamento, o que os médicos falarão quando estavam em coma, ela ficou em coma induzido por 72hrs, depois tirarão os sedativos, agora ela se encontra em coma, teve uma pequena reação no pé, mas eles disseram que poderia ser espasmos, queria saber se pode ter espasmo assim tão cedo, gostaria muito que alguém me falasse esses detalhes, pois esse momento é angustiante demais. Aguardo uma notícia, mas agora eles não dizem mais nada . Me ajudem aqui por favor, desde já agradeço .

    • OI GABRIELA…

      Primeiro quero te dizer que sinto muito e imagino como é difícil ver quem a gente ama neste estado e sentir esta angústia de como as coisas irão evoluir…… Mas, tenha fé e muita paciência, pois não será de um dia pra o outro que as coisas irão ficar boas. A melhora de um TCE é bem lenta.
      Leia alguns depoimentos aqui no blog e vc verá que o tempo de cada um é diferente, a evolução do tratamento tb, cada pessoa tem uma evolução e esta depende de inúmeros fatores. Cada caso é um. Se vc quiser ler o meu, o meu depoimento é o primeiro daqui (acima). O que vc verá em comum em todos os casos é que a evolução é bem lenta…

      Já vi muitos casos graves e muitos se recuperarem. É MUITO RECENTE O ACIDENTE da sua namorada, muuuuuuito recente mesmo. Na maiorias dos casos que vejo, o médico sempre diz o pior, que dificilmente a pessoas sobreviverá, e se sobreviver, ficará em estado vegetativo…. Mas, graças a Deus, na grande maioria das vezes não é isso que acontece. O resultado é bem melhor do que o esperado principalmente pelos médicos que atendem a pessoa nesta fase inicial…

      Não perca a fé que ela irá melhorar e que Deus fará o melhor…
      Com o tempo, podem surgir várias dúvidas e se vc quiser, pode escrever aqui que faremos o possível pra ajudar…

      Sua namorada estará em minhas orações. Quando der, mande notícias.

      Grande bjo Gabriela.
      Fernanda

  103. Olá. Talvez seja o primeiro depoimento de Portugal. Pesquisei várias páginas e realmente não existe nada semelhante a este blogue em Portugal.
    O meu nome é Filipa (31 anos) e sofri um acidente de carro a 06/07/16 com o meu namorado e irmã (33anos). Após o embate e ao olhar para trás percebi logo que a minha irmã estava inconsciente.
    Sempre fomos duas irmãs muito unidas e ver todo aquele cenário foi chocante.
    Desde aí que ela se encontra em coma (já não é induzido) e os médicos diagnosticaram o que todos temiamos. .a LAD. Sou fisioterapeuta de profissão e a minha mãe é médica, por isso estamos conscientes de todos os cenários possíveis.
    Por vezes desespero, choro, berro mas uma coisa é certa o amor prevalece sempre.
    No domingo faz anos, por isso vamos juntar todos os amigos dela e meus para fazer uma corrente de energia, de amor, na esperança que a ajude.
    Espero talvez daqui a uns meses voltar aqui e deixar um testemunho de vitória e felicidade.
    Li vários testemunhos com que me identifiquei e agarro-me sempre às histórias com final feliz.
    Nunca percam a esperança nem desistam da pessoa que amam.

    • FILIPA QUERIDA…..

      O blog tem muitas visualizações de Portugal, mas de deixar depoimento, acho que o seu é o primeiro sim… Fico feliz em saber que este blog tem um diferencial, pelo menos é o que eu tento sempre. Tive uma LAD em janeiro de 2007, eu tb estava no carro com meu marido e irmã, mas eles não sobreviveram. Meu depoimento é o primeiro daqui, não sei se vc leu. Tento através deste blog passar esperança para as pessoas e mostra que é possível sim uma boa reabilitação após uma lesão cerebral, é preciso se informar mais sobre o assunto, sobre os profissionais necessários… A troca de experiências tb é muito importante e é tudo isso que tento concentrar aqui. Faço questão de ler todos os depoimentos e responder e ajudar no que for possível todos que deixam seus relatos aqui. Apesar das dificuldades que fiquei, tento responder cada caso com um “olhar” único para aquele caso, entende?

      Sua irmã é muito nova e acredito que vc voltará aqui para dar um testemunho de vitória e felicidades como vc mesma disse. Eu só fiquei em dúvida da data do acidente, foi este ano mesmo? Pq vc escreveu:
      “No domingo faz anos, por isso vamos juntar todos os amigos dela e meus para fazer uma corrente…..”
      Que bom que pelo que vc contou, vc e seu namorado não tiveram nada grave, né? De que cidade de Portugal vocês são?

      Sua irmã estará um minhas orações e continue nos mandando notícias….
      Grande bjo Filipa e obrigada por compartilhar sua história e da sua irmã conosco aqui no Blog.

      Com carinho, Fernanda

      • Olá Fernanda.
        Parabéns por toda a sua iniciativa e é uma autêntica guerreira!
        Nos vivemos em Lisboa.
        O acidente foi a 06 de agosto deste ano e só a minha irmã é que ficou ferida com gravidade. Sei que é muito cedo, mas para a família um dia que passa parece uma eternidade.
        Felizmente, a minha irmã um dia antes de fazer anos (dia 27 de agosto) recuperou a consciência. Quando percebi que ela estava a tentar falar connosco e que respondeu acertadamente às perguntas foi o momento mais feliz da minha vida. Claro que ainda é muito cedo e ainda há um grande percurso a fazer.
        O que realmente posso aconselhar, como família, é manter o pensamento positivo, rezar e projectar todas as energias positivas na pessoa que amamos e que está na cama de hospital a lutar pela vida.
        No dia de anos dela (28 de agosto) fizemos a sessão de meditação com uma amiga especialista e foi um momento único com muito amor.
        As melhoras de todos os que continuam a lutar e muita força e amor para os familiares.

      • FILIPA QUERIDA….

        Agora entendi qdo vc disse que no domingo ia fazer anos, desculpa. Depois que vc explicou, ficou claro que vc estava se referindo ao aniversário da sua irmã…
        Que notícia maravilhosa ela acordar um dia antes!!!!!!!!! Maior e melhor presente de aniversário não poderia existir, né? Tô realmente muito feliz por ela e por vcs! Vcs estão nas minhas orações, tenho fé que tudo dará certo!

        Depois posso ver pra vcs, se precisarem, informações de alguns lugares em Portugal que trabalham com a reabilitação pós lesão.
        Mande notícias sempre e muito obrigada por transmitir esta serenidade e fé para outras pessoas que estão passando pela mesma dor que vcs! Obrigada mesmo por fazer parte do Blog.

        Grande bjo e vamos nos falando,
        Fernanda

    • Olá Filipa, o meu filho também adquiriu Lad já há 2 anos e meio, hj esta bem, acredito que 80% bem. Ele também estava fazendo neuro, então quando começou a ter consciência que teve lad, não foi muito fácil! rrsss
      Queria saber de qual cidade vc é em Portugal, porque temos um grupo de LAD no Facebook e watshapp e temos a Bruna que é de Guimarães, o pai dela sofreu o acidente.
      Bom, Filipa esta a mais te dizer que tenha paciência e esperança, porque vc já tem!
      Abraços.
      Ruth Calles

  104. Olá, bom dia ! Me chamo Ariecha Tavares, hj tenho 29 anos, sou adm , meu caso não é tão complicado quanto os demais porém eu hj não sei se estou bem , em outubro de 2014 eu descobri que estava grávida, era casada e foi só alegria, em dezembro comecei a sentir fortes enjoos , vomitava tudo q comia e os médicos sempre diziam q eram sintomas da gravidez, em março de 2015 fui internada pela 1° vez , fiquei 10 dias, descobriram que era pancreatite, mas não podiam começar o tratamento por conta da gravidez e me deram alta. Fui para casa da minha mãe e 20 dias depois, voltei para o hospital pois até a água q eu bebia eu vomitava e fui só emagrecendo,no dia 9 de abril eu perdi o bebê, no dia 13 eu fui levada para a enfermeira e fiquei la por 10 dias sem comer , sem ser medicada e só emagrecendo, cheguei aos 40kg, fiquei desorientada, desnutrida e com cegueira temporária, quando enfim uma médica solicitou que fosse colocado um cateter no meu ombro esquerdo para me alimentar a enfermeira que fez o procedimento perfurou meu pulmão, eu já estava em um estado grave, após a perfuração tive parada respiratória e cardíaca, fui para o CTI e tive q usar uma mangueira para drenar o liquido do pulmão por alguns dias , minhas enzimas estavam acima de 3.000 e se formou um coágulo no cérebro, os médicos me desenganaram , mas com a ajuda de Deus eu me recuperei, tomei remédio na veia , não precisei ser operada pois a pedra q migrou da visicula para o pancreas simplesmente foi expelida em algum momento, eu tive/tenho perda de memória, após 2 meses e uns dias internada eu tive alta ,meu ex me deixou dias depois, não andava, no hospital tomava banho no leito, usava fraldas, eu hj ainda tenho dificuldades para me locomover, minha memória ainda esta ruim , eu me sinto muito estranha, mas no geral estou bem.

    • Nossa!!
      Digo que cada dia me surpreendo mais com os casos de lesão cerebral que vão de fatos comuns a fatos inesperados.. como o seu..
      Como pode ter observado aqui no blog lesões cerebrais em grande parte causam perda da memória recente…e infelizmente é irreversível.. mas com ajuda de uma neuropsicóloga detectamos nossas dificuldades pós trauma e ela nos ajuda a contorna-las.. como por exemplo hoje não vivo sem agenda e despertador, o despertador alem dos horários básicos, me lembra o horário de ir almoçar, voltar ao trabalho, sair do trabalho, e das coisas que marquei na agenda para fazer após o trabalho como por exemplo ir ao mercado… na agenda anoto o que comprar… essas coisas..
      Mas se decido fazer mais de uma coisa por vez acabo fazendo tudo errado, por exemplo: trabalho com crianças.. tive que guardar as blusas de frio deles nas mochilas, quando me pediram para guardar 2 blusas, uma de cada criança, guardei nas mochilas trocadas.. esqueci qual era de qual criança.. agora guardo somente uma por vez… assim não esqueço e confundo.
      horário de fazer a sobrancelha eu marquei no cel para após o trabalho.. anotei no despertador sobrancelha, para eu lembrar… Mas meu trabalho mudou o horário, e o despertador tocou.. não li o que estava escrito, achei que havia esquecido de desligar o despertador com o antigo horário e não fui fazer a sobrancelha, perdi o horário =(
      Ontem tinha que comprar um controle para o portão de casa, achei que iria lembrar.. não anotei nem liguei despertador.. cheguei em casa… não comprei o controle… e percebi que não posso deixar pra depois achando que irei me lembrar, como me lembrava antes.. a nova Bruna hoje depende desses auxílios..
      Bjus e melhoras

    • OI ARIECHA…

      Nossa, fiquei muito impressionada com sua história… E quanto sofrimento tb, hein? Sinto muitíssimo por tudo.

      Não sei se vc leu meu depoimento (é o primeiro daqui), mas a minha vida tb mudou completamente qdo eu tinha 29 anos qdo aconteceu meu acidente.
      Vc não teve um TCE como eu a Bruna (quem te escreveu logo acima), mas devido à parada cardíaca e respiratória e o coágulo no cérebro, ficou com a dificuldade de memória entre outros sintomas, os quais vc talvez nem entenda direito, por isso relate que se sente estranha, né?

      Leia aqui no blog, além dos depoimentos, as 2 abas acima: “Informações importantes” e “Visão profissional”. Com certeza, elas te ajudarão a entender um pouco melhor sobre lesão cerebral.
      Vc não disse de que cidade é, mas se na sua cidade tiver, seria excelente vc fazer uma avaliação com neuropsicólogo para que avalie suas reais dificuldade e trabalhe com vc algumas estratégias que podem te ajudar bastante no seu dia a dia. A Bruna te deu ótimos exemplos de dificuldades de memória e estratégias que podem ajudar. Comigo acontece o mesmo e as estratégias que aprendi ao longos dos anos com neuropsicólogo foram e são fundamentais na minha vida. Falo um pouco delas na aba de “Informações importantes”.

      Se tiver mais dúvidas, pode nos escrever aqui que faremos o possível para te ajudar.

      Um grande bjo e parabéns pela sua luta, força e reabilitação…

      Grande bjo
      Fernanda

  105. Olá, meu nome é Rafael e tenho 24 anos(2016) . No dia 06/06/2014 sofri um acidente de trânsito, tinha acabado de sair da casa da minha namorada, e duas ruas para baixo houve o acidente. Eu conduzia uma moto e se choquei com um carro. Sobre o acidente só sei o que “o povo” fala. Pois de maneira alguma consigo lembrar algo, testemunhas afirmam que o condutor do carro estava embriagado e atravessou a preferencial vindo a causar a batida. Após chegar o socorro, fizeram os primeiros socorros e me levaram ao PAM. E o que parecua apenas um susto como não tinha nada visível; minha família no qual estava lá ficaram mais calmos. Até a hora em qur foi feito o raio x. E foi constatado um TCE grave, parte do meu crânio se trincou e rapidamente minha cabeça estava ficando igual à uma bola de basquete (literalmente). E diziam que comecei a delirar e falar coisa com coisa. Imediatamente fui encaminhado para o Santa Casa (Maringá) e chegando lá foi confirmado o estado crítico, e no dia seguinte deram início à minha cirurgia, após algumas horas o dr. Relatou que meu estado continuava grave porém à cirurgia ocorreu tudo bem. Mas com o passar dos dias o Coma piorava cada vez mais, minha cabeça estava muito inchada e o dr. Teve que tirar um pedaço do crânio pois o cérebro estava com muita pressão; e passava-se dias e dias e quando eu apresentava uma melhora logo tinha uma recaída e para piorar, tive uma infecção hospitalar que foi até pior que o TCE, pois me recuperava da cirurgia e do trauma, mas tive que ser induzido ao coma novamente pois meus rins pararam e tive uma infecção pulmonar no qual fizeram drenagem no meu lado esquerdo, e ianw ter que fazer hemodiálise; porém n dia qur iam dar início ao processo eu espirrei e nisso a bolsa começou a se encher de urina, foi algo incrível após dias segundo os médicos. Coisa de Deus o acontecido!
    Lembro que quando acordei à minha direita estava a minha namorada e eu tentei conversar e não conseguia e não sentia muito meu corpo, tentei gesticular para ela o que tinha acontecido e ela me explicou tudo e amenizou um pouco a situação, pois eu estava com o pescoço furado para o uso da traquiotestomia para rrspirsr e sem andar e falar logo vi que era grave, pedi um papel para poder escrever o que queria dizer mas eu não tinha coordenação e não sabia escrever, e nisso eu me extressava muito fácil. Lembro que nesse período eu tinha somente pesadelos terríveis e pareciam reais eu sentia muito frio. Eu não conseguia dormir fazia de tudo para chamar atenção quando xhegava a noite e tinha acabado o horário de visita. Eu chorava tirava a minha traquiotestomia e também aquela mangueira no qual n sri o nome que é passada por dentro do nariz e ia até dentro da barriga, lembro que surfava e tirava tudo aquilo e as enfermeiras iam colocar de novo e eu quase morria de dor, principalmente aquela que vai no nariz, nossa doía e dava ânsia. Por muita insistência o hospital foi muito bom, sabendo que eu ficava tranquilo somente quando meus familiares estavam lá, eu pedi pra minha namorada ficar comigo lá na uti e não pode! Porém deixaram ela posar comigo todos os dias, tadinha ela dormia sentada em uma sofazinho e eu não tinha sossego ela não dormia pq eu chamava ela toda hora p me virar de lado no leito, porque eu não sentia conforto pois doía todo jeito que eu ficava. Ela tinha paciência e foi uma guerreira porque eu não a deixava dormir e também eu era grosso não porque eu queria mais sei lá eu era muito extressado; porém bipolar porque na mesma hora eu era bom um amor segundo eles, eu amava quando meus pais e irmãos chegavam, ficava muito feliz e pediam p todos beijarem e me abraçar. Esse era is momentos melhores. Porém tinha a hora do banho e fisioterapia que ru não gostava e pedia pra minha namorada mentir que eu estava dormindo só p não fazer, mad não tinha jeito. O banho eu não gostava porque del tantos dias deitado minha banda abriu uma “cratera” que doía muito quando mechia, nossa era muito difícil mesmo, e as fisioterapia eram difíceis ainda mais porque tinha que ficar de pé para tentar dar um passo a e nisso quando eu ficava de pé parecia que a minha cabeça pesava 1 tonelada eu não tinha coordenação para erguer o pé me dava tontura e muitas vezes eu dava um breve desmaio e precisava de oxigênio; e depois tinha que ficar um pouco sentado eu implorava para deitar mas para o meu bem eu tinha que fazer isso, eu pedi a tanto para Deus me ajudar a sair daquela, pois cada dia era 1 ano . Quando eu sentava parecia que estava sentando em giletes pois doia demais!!!! Certa vez com ajuda de minha namorada voltei para a cama e deitei novamente pois estava quase morrendo se dor. Mas enfim tinha o lados bons fiz muitas amizades que prevalecem até hj, chamo uma enfermeira até de mãe e ela eu de filho pois criamos um laço! E passavam se dias e no 38° dia após melhoras significativas eu fui para o quarto e lá foi mais tranquilo, pois eu já estava melhor. Porém apareceu mais uma tortura, eu não podia comer comida nem beber água. Comida era só umas tipo de pastas e café somente umas vitaminas que eu não gostava nenhum pouco, no começo eu amava tudo depois não queria mais, e água eu só bebia pela sonda direto pelo nariz mas isso não matava a sede pois só podiam molhar minha boca com algodão molhado, meu Deus quando chegava a comida dos meus acompanhantes no caso revezavam daí meus pai irmão e namorada. Eu morria de vontade de comer também masveu não podia eles ficavam até sem jeito, mas o pior era a água quando eles traziam litros er água para eles eu chorava muito pois queria muito beber e não podia, nossa era uma tortura!!!! E finalmente nos meus últimos dias lá foi liberado pão café e macarrão pra mim e finalmente a água aos poucos. Meu Deus que felicidade!!!!! Eu escondia um pão só pra pedir outro e fazia minha namorada pagar papelão pra mim kkk coitada dava até o pão dela pois eu ficava louco querendo pão, e o macarrão eu amava comia tudo , pedia pra ir na cantina td hora comprar suco e vitaminas. . E no final o dia de sair de lá chegou, e após um pouco de dor para tirar a traquiotestomia e sonda eu estava livre, despedi ee todos muito emocionado, e quando sai na rua por uma cadeira de rodas e logo que entrei bo carro desabei a chorar por ver o sol as pessoas e tudo! Parecia tudo muito novo, algo que eu não via à anos e anos! Foi emocionante! Chegando em casa muitos vizinhos e familiares me esperaram na porta de casa eu chorei ainda mais, e meu quarto estava cheio de cartazes de boas vindas e também fotos no qual não citei, mas as que minha namorada levou na uti e deixou na parede para eu ver. Após 2 anos meu quarto permanece com tido que ela fez, não tirei nada! E minha recuperação foi pouco difícil porém rápida após alguns semanas de fisioterapia comecei a andar e aos poucos desenvolvendo melhor todos os movimentos e tudo mais, por incrível que pareça não tive sequelas! Porém tenho este problema de tratar bem e estar feliz e de uma hora pra outra sei lá fico estranho, mas considero normal, pois trabalho estudo, realizo nossos sonhos compramos uma casat e pretendemos casar nos próximos ano, pois é muito amor e companheirismo! Sobre o pedaço do crânio que lá no início teve que tirar, fiz uma cranioplastia no qual foi implantado uma tela de titânio para cobrir o buraco hoje após pouco mais de 2 anos vivo normal como disse, até melhor minha mente cta mais aberta me considero melhor di que antes! Agradeço primeiramente à Deus minha família e é claro ao excelentíssimo dr. Roberto parente no qual fez minha cirurgia e claro,;todos is outros excelente médicos e enfermeiros! Deus is abençoe você a são anjos salvaram minha vida! Esta fii um resumo de minha história.

    • Nossa Rafael, que história fascinante.
      Sua futura esposa é um anjo na sua vida, uma bênção, essa é pra vida toda!!!
      Lendo seus relatos sobre o que você sentia sem poder se manifestar, me traz o outro lado da história.
      Faz um ano e sete meses que meu irmão se acidentou, mas até hoje não fala, se alimenta por sonda e pouco se movimenta.
      Mas tenho muita fé que ele vai evoluir e sair dessa inércia.

      Obrigada por suas palavras!
      Te desejo muita saúde, muita sorte e que Deus abençoe seu casamento com muito amor!!!

      Boa saúde!
      Um abraço!
      Joelma.

    • OLÁ RAFAEL….

      Por vários motivos pessoais, inclusive de saúde, precisei ficar um tempo ausente aqui do Blog, por isso estou te escrevendo só hj.
      Muito obrigada por compartilhar sua história de superação e força com a gente. Sua melhora foi incrível mesmo. Parabéns pela luta, determinação e fé.
      Muito lindo tb ver quanta ajuda e apoio vc teve das pessoas à sua volta e fico feliz em saber que vc e sua namorada que tanto te deu apoio vão se casar! Tudo de bom pra vcs dois, muitas felicidades!!!!

      Esta alteração de humor que vc relatou que ainda tem, é muito comum após um TCE. Eu tbém tenho e no meu caso controlo com medicamentos receitados por neuro e psiquiatra.

      Um forte abraço,
      Fernanda

  106. Olá

    Meu nome é Hugo, sou de Recife – PE. Encontrei este site em minhas muitas buscas sobre o assunto, na verdade, com o coração angustiado por compartilhar deste problema com outras pessoas que passam pela mesma situação. Meu acidente aconteceu em 03/02/16. Era uma quarta-feira de semana pré-carnavalesca, quando uma acidente de trânsito veio alterar o rumo da minha história. Por sorte, não tive desmaio, coma ou ferimento aberto, estive consciente todo o tempo. A lesão foi um TCE, que gerou um hematoma epidural na região cervical (o chamado efeito “Whiplash” ou “chicote”, proveniente do movimento rápido de ida e volta do pescoço com o impacto que sofri no ônibus). Graças a Deus longe da medula, sem comprometimento motor ou qualquer outra sequela visível.

    Contudo, após este incidente tive sucessivas crises de pânicos, vômitos, tonturas, vertigens, fraqueza muscular e uma insistente sonolência na mente. Visitei quatro neurologistas diferentes, sem diagnóstico mais exato e hoje tenho ajuda de um psiquiatra. O sono noturno foi algo que consegui recuperar com ajuda de medicamentos (Rivotril e Sertralina), mas sinto que não sou mais o mesmo de antes. É como se permanecesse um estado de torpor na cabeça com sonolência constante e às vezes náuseas e vômito. Se alimentar se tornou algo desafiador. Me desespero muito, pois passados 6 meses pouca coisa progredi. Evito sair de casa, sinto uma fadiga muscular no corpo e tontura constantes. Ir ao trabalho se tornou um sacrifício. Choro muito, pois temo não voltar ao que era antes. A percepção do espaço muda. Os sentimentos mudam. A memória emocional e biológica ficam irreconhecíveis… Comecei fisioterapia, osteopatia, acompanhamento psiquiátrico e tenho fé em Deus que vai passar. Ler depoimentos neste espaço reconfortam o espírito e o coração. Obrigado.

    • Ola Hugo!

      Olha como já comentei aqui algumas vezes ..
      Realmente nos tornamos outras pessoas.. com novos gostos, vontades, expectativas..
      Isso não quer dizer que nos tornamos piores.. ficamos com dificuldades? sim,ficamos… mas tenho certeza que ainda ficamos com qualidades que podemos aprimorar…
      Não entendo muito da parte médica, o que sei é que a maioria dos casos de lesão cerebral tem recuperação.. mas ela é lenta! MUITO lenta.. e exige muito esforço.. como os que disse fazer.. fiz fisio, fono, pilates, musculação especializada para recuperar músculos, hidroginástica mil coisas..
      Quanto ao excesso de sono segundo meu médico é .. quando dormimos nosso cérebro absorve o que ele re-apreendeu durante o dia.. como uma criança que precisa dormir para aprender…
      Eu tenho perda da memória recente.. não consigo mais ler legendas.. nem textos longos ou com letras pequenas…
      Veja se você também não teve LAD ( lesão axonal difusa) que torna nosso raciocínio mais lento tb!!
      PACIÊNCIA, PERSEVERANÇA E PERSISTÊNCIA são essenciais para nós.. seu acidente faz MUITO POUCO tempo. . o meu faz 6 anos.. e ainda estou progredindo.. lembre-se recuperação ocorre, mas é lenta… e busque aceitar que “somos outras pessoas”.. tente não se comparar ao antes… sei que parece impossível mas só melhorei quando parei de dizer: “mas antes isso para mim era fácil.. antes eu conseguia”… essas coisas..
      Melhoras!!
      um beijo Bruna

    • OLÁ HUGO…

      Desculpa te escrever só hj. Por vários motivos pessoais, inclusive de saúde, precisei ficar um tempo ausente aqui do Blog.
      Hugo, tonturas, fadiga física e mental, alteração na memória, enfim, suas queixas são comuns após um TCE. Agora vc tem muuuuuuuuito pouco tempo de lesão. Vc deve melhorar bastante nesses 2 primeiros anos.
      Eu tb tive o “efeito chicote” e até hj meu pescoço dói um pouco qdo faço alguns movimentos e os movimentos são um pouco limitados, mas isso a gente aprende a lidar. Meu depoimento é o primeiro daqui, eu tive uma LAD e fiz bastante tratamento com uma melhora considerável.

      Te aconselho a procurar um bom neurologista que entenda de lesão cerebral (não são todos) para que possa te explicar um pouco da sua lesão, qual área foi mais afetada, te passar orientações sobre a recuperação…. E se na sua cidade tiver, seria excelente vc fazer uma avaliação com neuropsicólogo para que avalie suas reais dificuldade e trabalhe com vc algumas estratégias que podem te ajudar bastante no seu dia a dia. Leia aqui no blog, além dos depoimentos, as 2 abas acima: “Informações importantes” e “Visão profissional”. Com certeza, elas te ajudarão a entender um pouco melhor sobre lesão cerebral.

      Algumas “características”/sintomas ou sentimentos podem ser observados em pessoas vítimas de TCE, como por exemplo:

      fadiga mental e física
      vertigem
      cefaléia (dor de cabeça)
      medo
      ansiedade
      irritabilidade com qualquer coisa
      impulsividade
      inadequação social
      depressão
      falta de identificação com os outros
      agressividade
      desinibição ou apatia
      dificuldade na atenção e memória, etc.

      Isso NÃO significa que todos que tiveram TCE vão ter todos esses sintomas, mas uma mesma pessoa pode ter vários. Saber disso serve de alerta para todos poderem identificar suas reações ou de seus familiares e entenderem que é comum após a lesão isso acontecer e por isso, muitas vezes é imprescindível buscar ajuda profissional…

      Hugo, espero ter ajudado um pouquinho e com o tempo, poderão surgir várias outras dúvidas. Pode ficar à vontade para escrever e perguntar. O que eu puder te ajudar, farei o possível para isso…

      Muita força, fé, perseverança no tratamento, determinação e muita paciência, pois a recuperação após um TCE é lenta, mas ela existe e vc pode melhorar mais do que vc está hj. Acredite!!!!!

      Forte abraço,
      Fernanda

  107. Pessoal vou contar a história da minha mae…Minha mãe se encontra internada,ela teve no dia 18/07/2016 um avc hemorragico,eu fui trabalhar de manhã deixei ela bem em casa,quando cheguei as 7:30 e noite ela estava caida desmaiada.Levei so pro hospital e la ela foi transferida pra botar um dreno na cabeca e fazer uma tomografia.Ela ficou na uti.Semana passada ela acordou do coma induzido após a retirada do dreno,se comunicou com agente respondia sim ou não com a cabeça,de sexta feira pra cá ela entrou em coma por ela mesma.A parte clínica dela está boa,não tem febre nem infeccao e a tomografia mostra que o dreno fez o efeito que tinha que ser feito,retirou o sangue.Ainda ficou um pouco de sangue que o próprio organismo vai absorvendo.Os medicos falaram que não é normal ela está em coma. Aonde afetou o cérebro dela foi no mesencefalo e tálamo.Alguém pode me explicar que tipo de sequelas causa ter afetado essas regiões.?!Estou arrasada com muito medo…Minha mãe é minha vida.Ela tem 61 anos é aposentada mais trabalha é muito ativa e independente.Parece que estou vivendo um pesadelo.Os médicos dizem que ela pode melhorar ficar com pouca sequela mais é muito difícil.

    • Bom dia, Luana.
      Eu tive TCE (acidente de carro) no final de 2010 e eu estou me recuperando, graças a Deus.
      No tenho conhecimentos nessa área de AVC, mas resolvi te escrever para dizer-lhe que existem sim momentos em nossas vidas em que vivemos pesadelos. Mas tenha fé, porque são nesses momentos de crise que descobrimos o quanto somos fortes, na graça de Deus!
      Vou desde já rezar pela sua mãe. Graças a Deus que ela está sendo assistida!
      Tem alguém te ajudando? Bjs

    • LUANA QUERIDA…

      Desculpa te escrever só hj. Por vários motivos pessoais, inclusive de saúde, precisei ficar um tempo ausente aqui do Blog.

      Alguns dias já se passaram e espero que sua mãe esteja se recuperando, que ela tenha acordado…
      Infelizmente, não sei te dizer quais as prováveis sequelas que sua mãe poderá ficar um função do local afetado do cérebro… Se eu descobrir mais informações, te aviso.

      Tenha fé que Deus fará o melhor!
      Imagino como está sendo difícil pra vc, sinto muitíssimo….
      Mande notícias e se eu puder ajudar em algo, me avise que farei o possível para isso.

      Fiquem com Deus
      Um enorme bjo pra vc! Sua mãe estará em minhas orações…
      Fernanda

  108. No dia 16/07/16 meu pai (54 anos) teve um acidente automobilistico e sofreu um TCE difuso grave, desde então está no CTI, o quadro clínico é bom, teve pneumonia por causa da ventilação mecânica, mas já conseguiram tratar, e fez a traqueostomia há uns 10 dias.
    Colocou um dreno na cabeça para o líquido sair, mas o mesmo já foi retirado pois o próprio organismo esta conseguindo absorver o liquido.
    Já tentou abrir o olho algumas vezes, aperta a mão, mexe com o corpo, pórem esta em coma profundo e os médicos dizem que estes movimentos são involuntários!
    A previsão é de sair do CTI na próxima semana e ir para o quarto, mesmo estando em coma, e se tudo continuar correndo bem, vai ter alta mesmo estando em coma, sendo preciso montar todo um aparato em casa para recebe-lo.
    Estamos muito ansiosos para que ele saia do coma logo e acorde, pois está sem nenhuma sedação há 13 dias e ainda não deu sinal de que vai acordar.
    Os médicos dizem ser imprevisível, pode acordar amanha como pode acordar daqui 10 anos.

    • OI ANGÉLICA….

      Por vários motivos pessoais, inclusive de saúde, precisei ficar um tempo ausente aqui do Blog, por isso estou te escrevendo só hj.
      É difícil mesmo os médicos dizerem um prognóstico e quando seu pai vai acordar. Mas, o nosso cérebro possui uma plasticidade incrível que faz com que o cérebro crie novos caminhos. Seu Pai é novo e não perca a fé! Acredite sempre que o melhor irá acontecer!
      Muita força, fé, serenidade, paciência…. A recuperação é lenta, mas ela acontece, acredite!

      A Luciana deixou o e-mail dela aqui pra vc, espero que vc tenha visto e que vcs duas se comuniquem também para trocar experiências e se confortarem ajudando uma a outra.

      Com o tempo, podem surgir várias dúvidas. Tem muitas informações aqui no Blog, mas qualquer dúvida, pode perguntar. Ajudaremos no que for possível…

      Grande bjo querida
      Fernanda

  109. Olá, meu nome é Marisa, ontem presenciei um acidente e fiquei muito impressionada e triste. Ao sair do trabalho encontrei com um garoto de uns 10 anos em uma passarela que atravessa uma rodovia, ele estava de bicicleta e quando passou por mim parou e pediu esmolas, eu disse que não tinha nada e ele continuou, ai ouvi um barulhão, quando olhei pra traz vi o menino voando pelos ares, ele saiu pela passarela direto pra rua sem parar e um carro o pegou de cheio,fiquei parada onde estava, não consegui me mexer, eu vi a rua se enchendo de pessoas e logo chegaram três viaturas de resgate, socorreram ele e levaram.
    Fiquei arrasada, hoje descobri que o nome dele é Cristiano, vi no jornal que ele sofreu traumatismo cranioencefálico, esta entubado e foi transferido pro Hospital da Clinicas em Botucatu.
    Quero tanto que ele se recupere, li aqui alguns relatos sobre este problema e vi que a recuperação é lenta e dolorosa, estou orando muito por ele, sei que Deus agirá em seu favor.
    Fernanda, parabéns pelo blog é tão bom ver as historias de superação, isso nos da força,você acha que o Cristiano tem chances? este hospital é bom?
    Deus abençoe a todos nós.
    Bjos

    • Oi MARISA…

      Neste mundo de hj em que as pessoas só correm de um lado para o outro e “não têm tempo” de “olhar” para o próximo, principalmente para os desconhecidos, é muito bonito ver a sua preocupação com esta criança que vc nem conhece. Vc ainda dedicou seu tempo para buscar informações escrevendo aqui no blog…. Fico feliz de ver sua atitude…

      Muito obrigada por elogiar o blog! Contando assim sem muitos detalhes do que realmente aconteceu no cérebro dele, sem saber seu estado geral de saúde, fica impossível te responder algo…. Mas, ele é uma criança e parece que foi socorrido rápido, então vamos ter fé e torcer muito para que o Cristiano se recupere! Eu tb não sei te informar sobre este hospital, mas acredito que seja bom!

      Um grande beijo e torceremos juntas pelo Cristiano!
      Fernanda

  110. Olá, sou Suelen e vou contar um pouco sobre meu filho Nicolas,

    Em fevereiro deste ano meu filho estava com 4 aninhos, teve uma confusão mental de aproximadamente uns dez minutos, levamos pra emergência e chegando no hospital fez entrevista neurológica e estava tudo certinho com ele porém a recomendação era de fuçar em observação por duas horas.
    Até aí tudo bem, passou uma hora e ele convulsionou, a crise durou 20 minutos…os médicos injetaram hidantal para cessar e outras drogas, nada trazia meu pequeno de volta…..Ele foi pra Uti naquela mesma noite e já foi entubado…..as crises eram constantes.
    Pra resumir meu filho convulsionou durante 50 dias chegando a ter 600 crises por dia, teve que fazer traqueostomia e gastrostomia, nossa vida estava de cabeça pra baixo, de um momento para o outro nosso pequeno príncipe estava desenganado….e se sobrevivesse seria vegetativo…Ainda choro muito quando lembro destes momentos de internamento, no total foram 38 dias de UTI e 38 dias de quarto.
    As crises foram embora depois de muitos medicamentos….foram ao todo 20 tipos de anticonvulsivos. Meu filho estava em Estado de Mal Epilético super refratário, ficou assim até o dia 10 de abril, quando ficou livre das crises….do jeito que ela apareceram elas se foram DE REPENTE.
    hoje estamos em casa com nosso filho…vencemos uma batalha por dia, aprendemos a cuidar dele com todas as dificuldades….declaramos vitórias todos os dias, está semana ele tirou a traqueostomia, agradecemos a Deus por tanta fidelidade …Ele faz fisioterapia e Fono….ainda não anda, não fala, se alimenta pela muito pouco pela boca….mas temos certeza que tudo vai voltar…..cremos que o Senhor é poderoso pra completar o milagre.
    Meu filho é um milagre e logo vai achar um jeitinho de voltar pra vidinha dele. Até o dia chegar continuamos crendo que tudo vai dar certo e vamos ter muitas surpresas.

    Se alguém já passou por isso…por esta fase de reabilitação e puder nos ajudar estamos ansiosos pra saber como agir.

    Muito obrigada
    Deus abençoe a todos

    • Olá Suelem!
      Sinto muito pelo que voces passam e passaram!
      Lesoes cerebrais sempre se diferem, pois cada uma afeta uma área, num grau diferente, mas quase todas geram alguns impactos iguais, como dificuldade de falar, mastigar, se alimentar e lembrar, na maioria dos casos perdemos nossa memória recente.. TUDO melhora.. mas infelizmente demora..muito mais do que esperamos.. queremos nos recuperar ou que o paciente melhore de imediato como se houvesse caído e ralado o joelho.. mas infelizmente nossos casos não são fáceis assim..
      Nos tornamos NOVAS PESSOAS, com dificuldades que muitas vezes não podem ser modificadas.. mas ainda ficamos com nossas qualidades e com a possibilidade de as melhorar cada dia mais!!
      um beijo
      Melhoras

    • OI SUELEN….

      Sinto muito por tudo que aconteceu com seu filho. Eu nunca ouvi uma história com tantas convulsões assim… Não sei muito sobre este assunto. Mas, é maravilhoso saber que as crises vieram e sumiram e ele já está em casa com a família recebendo todo amor e tratamento. Seu príncipe está vencendo as batalhas como um verdadeiro guerreiro, graças a Deus! E como vc mesma disse, tb acredito que Deus completará este milagre!

      Pode ter certeza que seu filho estará em minhas orações e todos aqui do Blog que lerão a história dele, torcerão intensamente por ele, para que ele se recupere cada vez mais e tenha uma boa qualidade de vida!

      Se tiver algo que eu possa ajudar, me escreva que ajudarei com muito prazer no que for possível…

      Grande bjo pra vc e no seu príncipe Nicolas de 4 aninhos…
      Fiquem com Deus!
      É lindo ver sua força e fé, não perca isso nunca! E paciência pq a reabilitação é lenta, mas ela acontece!
      Obrigada por compartilhar sua história e seu exemplo de fé aqui com a gente!

      Com muito carinho, Fernanda

  111. Olá, como só entrei aqui uma vez meu nome é Daniela e em 2009 fui atropelada em frente á minha casa e tive um tce grave com perda de massa ,após passar por muitos médicos e tentar vários tratamentos e até ouvir alguns médicos dizerem que meu caso era complicado e eles não iriam me atender encontrei um neuro no HC que prometeu que me ajudaria.
    Em Maio fui internada para a cirurgia do implante do que chamam marca passo cerebral que é um neuro estimulador , passei por duas cirurgias para colocação do aparelho ainda estou em fase de adaptação que talvez demore devido às lesões que tenho no cérebro , mas já sinto melhoras hoje não sou mais tão sensível á barulho e também parei de tomar morfina.
    Eles fazem esse procedimento para quem tem epilepsia e Parkinson pelo SUS e por convênio para quem já tentou de tudo Vale a pena procurar o Hc.
    Beijos para todos

    • Dani, que bom saber que foi atendida por um médico que buscou lhe ajudar. muitos talvez por não entenderem de lesões cerebrais não nos ajudam ou nos dão péssimos diagnósticos errados.. realmente o HC pelo que ouvi tem ótimos médicos!! a melhora é lenta mas ocorre e vc teve provas disso que bom! beijo

    • DANI QUERIDA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      QUE EMOÇÃO TER NOTÍCIAS SUAS E UMA NOTÍCIA TÃO MARAVILHOSA!!!!!!!!!! Muito obrigada por compartilhar a notícia e a informação super importante para todos nós aqui no Blog!!!!

      Oh querida!!! Desde que conheci sua tia na Rede TV, penso sempre em vc e torço muuuuuito pra sua reabilitação e para que sua qualidade de vida melhore! Torço pra todos vcs! Tô realmente muito feliz por vc!!!!!!

      Continue nos mandando notícias e não esqueci do que te falei: ainda vamos nos conhecer pessoalmente, se Deus quiser!

      Grande bjo no seu coração,
      Fernanda

  112. Meu marido sofreu um acidente de moto a 2 meses,precisamente dia 20 de Maio de 2016 ele me deixou no trabalho e foi,buscar meu filho Jardel de 18 anos para fazer diária de garçom… Quando retornou com meu filho uma senhora avançou a preferencial e ele bateu no carro … Meu filho só machucou o pulso mas meu marido quebrou o fêmur… O capacete sacou ele bateu a cabeça … No dia do acidente ainda falou e no dia seguinte no terceiro dia ñ falou mas pensei que fosse por causa da boca dele que tinha cortado muito …como minha Cidade e muito precária…. Não tem hospital especializado para fraturas ele foi transferido para uma Cidade vizinha (Santarém Pará ) qd chegamos foi uma luta para arrumarem leito para ele … Ele ñ falava mas ñ entendia que agente falava bateram tomografia ele tinha um coágulo de sangue e um inchaço no cérebro… Daí veio o neurologista e falou que ele não iria mas andar nem falar pos tinha perdido a fala e os movimento do lado direito (chorei muito ..queria morrer)mas com 18 dias eu brincando com ele Fazendo cócegas ele falou não é chorou muito ai tudo era não depois aprendeu falar sim… E daí ele fala poucas palavras ta igual criança usa fraldas ñ sabe dizer o que ele quer e o que ta sentindo…. 2 neurologista despacharam ele … Mais ouvi falar do Dr… Erick… Consulta só dia 12 de agosto tô com muita fé nesse médico… Vamos ver o que ele dos… Pois é triste vê ele nessa situação vivemos de ajuda de amigos que fazem rifas e bingos… Me desespero as vezes pois estamos longe de casa vivendo de favor na casa do irmão dele pois ele operou agora do fêmur médico disse que ñ pode remover ele daqui e como já tem consulta dia 12 com esse médico também não tem como ficar viajando atoa com ele … Meu nome e Eliene o do meu marido e jonilson

    • ELIENE QUERIDA….

      Por vários motivos pessoais, inclusive de saúde, precisei ficar um tempo ausente aqui do Blog, por isso estou te escrevendo só hj.
      Como foi a consulta com o Dr. Erick no dia 12 de agosto. Como seu marido Jonilson está????
      Quando tiver um tempinho, nos mande notícias!!!

      Em orações sempre!!!!!! Força, paciência e fé!

      Forte abraço…
      Com carinho, Fernanda

  113. Oi gente boa noite!
    Meu nome é Lívia, sou filha do Luiz. Estive publicando aqui no inicio do ano, meu pai teve um TCE Leve no dia 28 de dezembro de 2015, ficou 3 dias na UTI mais 13 dias internado. Saiu do hospital e estava se recuperando bem. Apesar de ter ficado muito ranzinza estava fazendo tudo sozinho e trabalhando.
    Ele tem 68 anos e nesta sexta feira 15/07 caiu novamente e teve outro TCE, dessa vez foi mais grave fez cirurgia para retirar um hematoma subdural agudo. Hoje ele se encontra na sala de urgência sendo monitorado e todo entubado.
    Estamos aguardando dar 48h a 72h para controlar a pressão intracraniana, para retirar os sedativos e ver a reação dele.
    Gostaria de saber se alguém já teve um familiar que passou por essa cirurgia como foi a recuperação e as sequelas.
    Infelizmente em menos de 7 meses é a segunda vez que estou passando por essa situação, não me sinto completamente desesperada pois tenho muita esperança de dar tudo certo, mas ainda assim tenho muito medo das sequelas.
    Quem puder me falar sobre suas experiências me mande um email livia-jf@hotmail.com , o médico ainda não tem muito o que dizer pois depende dessas primeiras horas para ver melhor o que irá acontecer.
    Desejo a todos aqui muita fé e esperança com seus familiares, e que vocês não desistam desse enfermo, não percam as esperanças pois aos olhos de Deus nada é impossível.
    Obrigada, boa noite!

    • LÍVIA QUERIDA…

      Por vários motivos pessoais, inclusive de saúde, precisei ficar um tempo ausente aqui do Blog, por isso estou te escrevendo só hj.
      Eu fiquei chocada quando vc disse que seu Pai teve outro TCE. Sinto muito, mas tb não perco as esperanças que tudo vai dar certo!
      Quando tiver um tempinho, dê notícias do seu Pai.
      Torcendo muito e sempre em orações….

      Enorme beijo,
      Fernanda

  114. Querida Fernanda…

    Na sexta passada dia 8 de julho de 2016, minha mãe sofreu um aneurisma cerebral…
    O socorro foi imediato… colocaram o dreno, pra aliviar a pressão intracraniana d Fizeram a embolização…tudo com sucesso. O aneurisma era gigante e estava localizado na artéria basilar…

    Já fazem 3 dias que os médicos tiraram a sedação mas ela ainda não acordou…
    Fizeram uma traqueostomia…

    Essa é nossa aflição…o quando vai acordar do coma…
    Temos visto, graças a Deus, uma melhora gradativa…mas o q nos aflinge é o acordar…
    Quero dicas do q podemos fazer pra estimular…se podemos ajudar…

    Gostei muito desse blog e espero poder contar boas notícias em breve.

    Abraço

    • Ola Rodrigo,
      Sinto muito pela su Mãe.. bom saber que ela está se recuperando, entendo sua aflição como deve ser a de todos os acompanhantes das pessoas que como eu possuem lesão cerebral, mas te afirmo que é melhor ela não despertar agora, pois quando *dormimos* nosso cérebro está se recuperando, e ele dorme justamente pois muita informação atrapalharia sua recuperação.. eu fiquei 30 dias em coma profundo, desses 30, 28 dias respirei somente por aparelhos e hoje estou bem.. então paciencia e fé que tudo melhorará… ao menos ela foi atendida rapidamente
      Quanto tempo creio que ninguem possa dizer, pois tudo depende da lesão.. um beijo e melhoras

    • OI RODRIGO….

      Eu já tinha visto que logo a Bruna te respondeu. Precisei ficar um tempo ausente daqui e não consegui te escrever…. Desculpas por isso!
      Espero que sua mãe esteja melhorando…

      Como já passou um tempinho, se tiver outras dúvidas, mesmo depois de ter lido as informações aqui no Blog, pode perguntar. Todos aqui fazemos o possível para um ajudar o outro!

      Forte abraço!
      Fernanda

  115. Ola, sou a Giovana tenho 12 anos.
    No dia na madrugada do dia 11 para dia 12 de julho
    Meu pai sofreu um acidente e esta em coma sem reação,os medicos disseram que quando ele sentisse a família dele falando com ele,ele teria alguma reação.
    Minha tia irma dele foi ate no hospital lá em santa Catarina e nos moramos em Curitiba
    Ela foi lá e ele não tinha reação nenhuma então a medica contou o que tinha avido acontecido e que ele estava com um quagulo de sangue na cabeça (não sei se é assim que se escreve quagulo)
    Eles fizeram uma cirurgia e tiraram, e fizeram outros exames e falaram que já era para ele estar melhor,mas nada disso aconteceu.
    No dia 13/07
    Minha mae recebeu uma mensagem da minha tia dizendo : “A medica disse que o estado dele é muito grave e era para os parentes ir lá e se despedir dele”😭😭😭😭😭😭
    E minha mae me contou mas eu não quero que ele vá e não sei o que fazer
    Ele e minha mae são separados
    Mas eu não quero que ele vá eu quero que ele se recupere

    • MINHA QUERIDA GIOVANA…..

      Tão novinha e já passando por isso…. Se acalme, muitas vezes os médicos falam isso, mas a pessoa pode melhorar, mesmo os médicos dizendo que não….

      Eu te mandei um e-mail e passei meu telefone. Vamos nos falar… Imagino seu sofrimento, mas tenha fé e peça a Deus pra Ele fazer o melhor pro seu Pai…

      Força e fé minha querida!
      Fernanda

    • Giovana, nesse blog mesmo irá encontrar inúmeros relatos iguais ao seu, onde os médicos simplesmente dão os piores diagnósticos, porém não é o que acontece e muitos nos contam aqui suas histórias de superação.
      O mais difícil para nós é a espera da recuperação, que é longa, muuuito longa….
      Mas não aceite esse diagnóstico e mande energias positivas para seu pai.
      Repita todos os dias que ele vai vencer e peça a Deus que o proteja.
      Vai dar certo!!

      Boa saúde!!
      Fique com Deus!
      Um beijo!

  116. Oi, pessoal. Tudo bem?
    É a segunda vez que eu escrevo aqui no blog. Eu sou estudante do 8º semestre de jornalismo e o meu TCC é um livro-reportagem sobre pessoas que perderam a memória e passaram a ter dificuldades cognitivas após um TCE e AVC. Há pouco mais de seis meses estou em contato com as neuropsicólogas do CPN e até mesmo com alguns pacientes, mas venho aqui falar sobre o projeto e fazer um convite: Pessoas que já sofreram algum desses traumas ou que têm familiares que conhecem essa realidade e desejam ser fontes do livro-reportagem, por favor, me enviem um e-mail. (fm_marii@hotmail.com)
    O objetivo do livro é relatar o dia a dia da pessoa que sofre uma lesão cerebral e mostrar seu processo de reabilitação. O depoimento de amigos e familiares é fundamental para mostrarmos essa realidade de forma verídica. Como esse assunto ainda é pouco discutido midiaticamente, o livro servirá para apresentar esse tema à sociedade e dar suporte às famílias que passam por situações semelhantes. Desde já agradeço a todos aqui, uma vez que esse blog foi fundamental para que eu e meu grupo pudéssemos entender melhor sobre as mudanças no cérebro.
    Um beijo!

    • Mariana muito bom saber do seu trabalho, se não me engano passei o contato da ia p vc não foi? bom sou meio esquecida rs
      AMEI saber que nossos problemas serão divulgados em um livro.. sinto não poder participar dando meu dpto pois estou trabalhando agora, fui convocada por um concurso numa vaga para deficientes devido a minha lesão… mas creio que muitos poderão lhe ajudar!! um beijo e boa sorte

    • OI MARIANA!!!!!!!!!

      Já estamos nos falando por telefone, mas quero deixar registrado aqui a minha admiração pelo trabalho de vcs com relação à este assunto que é importantíssimo e tão pouco divulgado. PARABÉNS!!!!!!!

      Como já te disse, terei o maior prazer em ajudá-los no que for possível!!!!

      Um bjo e espero que pessoas aqui do blog entrem em contato com vc para enriquecer seu trabalho e poder ajudar um maior número de pessoas.
      Boa sorte!
      Fernanda

  117. olá boa tarde,meu nome é Cláudia,sou mãe do Matheus de 13 anos,moro aqui em São Paulo,ele nasceu com uma má formação cerebral chamada Hemimegaloencefalia,então ele tinha muitas crises convulsivas,daí comecei tratamento dele em vários hospitais,até chegar no Hc de Ribeirão Preto,onde me propuseram uma cirurgia para controle das crises,pois as mesmas não havia controle medicamentoso.Então foi feita uma investigação de 2006 até final de 2015,onde foram fechado o diagnóstico de que ele tinha indicação para cirurgia,qdo foi em 18 de janeiro de 2016,ele se submeteu a cirurgia,um dia depois teve que voltar ao centro cirurgico,para fazer descompressão do cérebro,pois havia inchado muito,e deu AVC Isquêmico,10 dias depois voltou ao centro cirurgico novamente para colocar a calota no lugar,ficou no CTI em coma por quase 60 dias.Foi muito difícil pra mim e para meu marido,são dias que eu não gosto nem de lembrar,ficamos 4 meses internados,hoje estamos em casa,ele está em recuperação,mais é assim,o estado dele hoje é complicado.pq ele não reconhece ninguém,não fala,não anda,está com traqueostomia e gastrostomia,ta começando agora a firmar pescoço,mexe braços e pernas qdo vai se espriguiçar,não consegue rolar.temos que vira-lo de 2 em 2 horas ,é muito difícil pra mim como mãe,tem dia que eu fico tão desesperada,achando que meu filho não voltará mais,é muito doloroso sabe. As pessoas me criticam ,dizem que ele está nesse estado por culpa minha.estou muito triste! Obrigado pelo espaço!

    • Claudia, não se culpe e nem deixe que os outros façam isso!
      Como alguém pode culpar uma mãe por querer o melhor para seu filho?
      Você precisava tomar uma atitude em relação as convulsões.
      Mas não se desespere, ele é muito jovem e com os tratamentos adequados (fisioterapia e fono) ele irá retomar os movimentos lentamente.
      Nunca perca a fé!
      Fiquem com Deus!

      Saúde para vocês!
      Joelma

    • OI CLAUDIA….

      Concordo com a Joelma, não se culpe e não deixe que ninguém faça isso com vc!!!!!
      Vc é mãe, ama seu filho e tomou uma decisão confiando na opinião dos médicos e tendo fé que o melhor estava sendo feito para seu filho. Pelo amor de Deus, vc não tem culpa de nada!!!!!!!! É um absurdo alguém te criticar por isso!

      Eu me recuperei no HC de Ribeirão Preto, é um excelente hospital com excelentes médicos, um dos melhores do país. Vou te contar algo que acho que nunca contei aqui. Eu estava em outro hospital em outra cidade pra onde fui levada após o meu acidente. Um amigo meu que é médico tinha ido saber do meu estado real e falou pro meu pai que o único “hospital que poderia ajudar a me salvar” seria o HC de Ribeirão Preto. Ao mesmo tempo, os médicos do hospital que eu estava diziam que eu não tinha como ser transferida, que eu morreria no caminho. Meus pais tiveram que fazer uma escolha e no terceiro dia, eu ainda em coma, em estado crítico, resolveram me tirar do hospital e “me levaram” (ambulância, claro) para o HC de Ribeirão. Hj estou aqui e deu tudo certo. Mas, poderia não ter dado e se eu tivesse morrido, quem poderia culpar meus pais?????? Eles fizeram o que achavam ser o melhor pra mim naquele momento. Toda decisão que os pais que amam seus filhos tomam é por amor, tudo que é feito é pensando no melhor para seu filho. E foi o mesmo que vc fez: pensou só no bem do Matheus!
      Agora tem coisas que não dependem de nós serem humanos, né? Acredito que Deus permite que algumas coisas aconteçam por motivos que muitas vezes não compreendemos. No meu acidente, somente eu sobrevivi, mesmo tendo ficado entre a vida e a morte por vários dias. Meu marido de 29 anos e minha irmã de 27 anos faleceram na hora. Por que? Não entendo e não entenderei, mas com o tempo aprendi aceitar. O seu filho está vivo e muita melhora pode acontecer, acredite nisso!!!

      Os médicos do HC tb fizeram o melhor que achavam para o seu filho. Não perca a fé, seu filho é novo e o cérebro nosso é incrível. Com estimulação adequada, seu filho poderá ter uma boa recuperação…

      Leia os depoimentos aqui do Blog e continue mandando notícias do Matheus.
      Fiquem com Deus!
      Me escreva sempre que quiser. No que eu puder te ajudar, conte comigo.

      Grande bjo
      Fernanda

  118. Meu namorado teve traumatismo craniano e está sedado😭😭😭 estou Muito desesperada,oq fazer??tem chance d viida??alguém ne ajuda😔😔

    • Ola..entendo q esteja preocupada..não podemos dar um diagnóstico pois não somos médicas e fica difícil dizer algo tb, pois não sabemos grau da lesão nem área afetada.. ou se houveram outros traumas…melhor ver com o médico dele..mas da mesma forma que existem chances de óbito existem chances de sobrevivência..como meu caso..da Fer e de várias pessoas daqui…
      Então se acalme..converse com o médico e sane suas dúvidas..boa sorte

    • OI NAYARAH…

      Vc escreveu aqui já tem vários dias. Vi que a Bruna tinha te respondido…
      Como está seu namorado?
      Mande notícias. Nos conte mais detalhes.
      Espero que a situação esteja mudando pra melhor…

      Bjo grande
      Fernanda

  119. Bom dia, meu nome é Élida, sou de Santo André/SP, e em busca de ajuda pela internet, encontrei esse blog que a algum tempo venho acompanhando.
    Meu Marido, que se chama Jonatas, tem 27 anos e estava a trabalho no Rio Grande do Sul, quando sofreu um grave acidente automobilístico no Domingo de Páscoa (27/03/2016). Ele, que estavam na cidade de Passo Fundo seguia para a cidade de Santa Maria, quando perdeu o controle do carro numa curva, bateu em outro carro para logo em seguida bater de frente com uma carreta.
    Soubemos do acidente por volta das 23:30h e logo na segunda-feira pela manhã, conseguimos chegar na cidade de Cruz Alta, onde foi hospitalizado.
    Ao conversar com o médico, ele não nos deu muitas esperanças pois o Jonatas teve TCE gravíssimo (Fratura com afundamento frontal), H.S.A. traumática, Concussão cerebral, edema cerebral difuso, quebrou os ossos da face, perdeu os dentes da frente, machucou muito o pulmão (causando um edema), quebrou clavícula, parada cardíaca, várias transfusões de sangue…
    Ao passar pelas 72h, voltei pra São Paulo, e meu sogro ficou na cidade acompanhando todo o processo, que achávamos que seria rápido. No dia 1° de abril, como o inchaço do cérebro estava baixando, os médicos decidiram fechar a fratura do crânio, que foi do lado esquerdo, porém dois dias depois o cérebro voltou a inchar tendo que ser operado às pressas e assim fez uma craniotomia, retirando parte do crânio do lado direito. Após isso, teve admissão de hidrocefalia, passando por uma nova cirurgia no dia 20/04/16 para colocação de uma válvula para drenar a água. Em seguida, foi desentubado e passou por uma traqueostomia. Meu sogro sempre manda notícias. Consegui ir lá apenas 3 vezes após o acidente, e quando o visitava, acho que ele sentia a minha presença pois tinha uns surtos de taquicardia, e os médicos me disseram que não tinha por que estar tendo esses ataques pois foram feitos eletrocardiogramas e não aviam constatado nada, e isso só acontecia quando eu estava com ele.
    Hoje, quase 3 meses após o acidente (está no CTI até hoje), ainda se encontra em coma vigil pois abre os olhos quando tocamos nele, mais não acompanha nada com o olhar, apenas fica com os olhos parados olhando para o lado esquerdo.
    O que mais dificulta a nossa vida hoje é não podermos estar presente, pois essa cidade que ele está, fica a 6h de viagem de Porto Alegre, o custo é muito alto para estar sempre indo lá e não podemos transferir ele para São Paulo, pois o custo é muito alto para contratar um aero médico (cerca de 50 mil reais).
    Os médicos estão estudando a possibilidade de fazer a cranioplastia, porém a duas semanas ele está com febre, e não conseguem descobrir de onde vem essa infecção.
    Agradeço a Deus todos os dias por tamanha misericórdia na vida do meu marido, e agora agradeço a vocês por tantos relatos que me ajudaram a não pirar com toda a situação pois nunca havia passado por isso.
    Meu Deus, quando é que ele sairá desse coma, essa febre é muito perigosa?
    Agradeceria um retorno
    Élida

    • OI ÉLIDA QUERIDA….

      Estava lendo seu relato e comentei agora com meu marido que há anos leio todos os relatos aqui do Blog (sem exceção) e até hj eu me emociono com cada história, e por mais que de maneira geral todas são um pouco parecidas, eu nunca lido assim, difícil me explicar…. Gosto muito quando o texto tem bastante detalhes como o seu porque fica mais fácil sabermos o que dá pra ajudar…

      Fico aqui imaginando como tudo deve estar sendo muito difícil pra vc e pra toda a família tb. Como vc disse, é realmente difícil vc ficar sempre do lado dele, o custo é alto, a distância é grande, etc. Ficar longe é mais difícil ainda, né?

      Vc disse que seu marido estava viajando a trabalho quando o acidente aconteceu. A “empresa” que ele “trabaha” está ajudando com os gastos que vcs estão tendo???

      Élida, um ponto muito positivo é que seu marido é novo, e isso pode contribuir para uma recuperação mais fácil, né? O acidente foi grave, mas o cérebro nosso é muito surpreendente e temos a plasticidade neural onde o cérebro pode criar novos caminhos com a estimulação, desenvolver novas conexões sinápticas entre os neurônios para levar a informação fazendo com que possamos realizar coisas que fazíamos antes (resultado de aprendizagem e treinamento), mesmo com a morte de neurônios em várias regiões. Voltar tudo igual como era antes, isso não acontece. Mas, como vc deve ter lido aqui no Blog, várias vezes dizemos que é importante aceitar e lutar para uma boa reabilitação dentro das possibilidades “físicas” de cada um.

      Sei que o coma vigil é muito angustiante, mas não dá pra ninguém te falar quanto tempo ele pode ficar assim e nem dá pra eu te falar se esta febre é perigosa ou não. Febre pode ser consequência de tanta coisa e depende de cada pessoa responder à medicação ou não, entende? Por mais difícil que seja, pense positivo, não perca a fé e esperanças de que ele vai melhorar!!!!!!! Confie!!!!!!
      O Jonatas estará em minhas orações tb.

      Paciência, força e fé!!!!
      Vai me mandando notícias…
      Fica com Deus e mesmo que os médicos digam muitas coisas desesperançosas, pense que Deus fará o melhor para seu marido.

      Um grande bjo pra vc!!!!!!!
      Fernanda

      • Oi Fernanda, bom dia!!

        Muito obrigada pelo seu retorno.
        Sim, ele estava a trabalho e a empresa manter o meu sogro no Sul. Semana passada fui conversar com um dos patrões dele, e ele me deixou bem claro que eles não tem mais obrigações pelo Jonatas, já que ele está coberto pelo INSS(que ainda não saiu). Questionei a questão do do Aero médico, e ele me informou que a empresa irá ajudar com uma parte…
        Hoje estarão fazendo a cranioplastia no Jonatas, pois a febre passou.. Graças a Deus!!!!
        Meu sogro disse que ontem, ele abriu os olhos e olhou pra ele, e pareceu estar desesperado, como se tivesse saído do coma, começou a chorar, mais logo em seguida perdeu o olhar…isso é por que ele está voltando do coma?

        Obrigada Fernanda, pela grande pessoa que você é!!!

        Bjus
        Élida

    • Oi Elida assim como vc tbem tenho fé num milagre de Deus ,pois sabemos q ele pode fazer sim o quadro reverter.e trazer o qto antes nossos maridos p casa.estarei orando pelo teu esposo.como oro pelo meu todos os dias.
      Meu esposo sofreu tbem um acidente automobilistico no dia 07/05/2016 tv tc
      Lesao axonal difusa e esta no coma vigil.tendo muitas crises de espasmos onde n consegue sair do cti.nao esta sendo façil para nos tenho tres filhos.falo q estamos sobrevivendo..os dias vao passando ele pegando infeccao hospitalar imunidade baixa.
      Assim flo para vc nao vamos perder a fé.
      Amei cobhecer esse blog pois estou tendo ajudas a distancia de pessoas q conheci aq foi a melhor coisa q a fernanda pode ter feito, obg por td …Elida vou orar por vcs !! Meu zap (19)996761966 Mislaine. Se quiser conversar m chame estamos vivendo recentemente algo parecidos.

    • oi Elida,
      meu nome é Elaine. Meu irmão tb sofreu acidente automobilistico. Um onibus bateu no carro dele no dia 04/05/2016. Esta em coma vigil, mas ja esta em casa ha 2 semanas. Ele tb tem uma febre que aparece, mas como não acham nenhuma infecção nos disseram que pela lesão o cerebro não consegue controlar a temperatura e quando ela sobe ele sofre pequenas convulsoes.No dia 14/05/2016 as medicas que então estavam cuidando do caso dele disseram pra minha mae e meu pai que ele viria a falecer nas proximas horas, o que nos tirou o chão. Mas em nome de Jesus meu irmão esta em casa. Naquela noite mesmo a febre começou a seder. Tenha fé … Deus tudo pode. Eu tenho muita fé que o meu irmão va melhorar, pois vemos mutios casos de pessoas que os medicos dizem que estão condenadas a viver em coma vigil e de repente acordam.
      Quanto a febre do meu irmão o medico que esta atendendo ele agora esta esperando chegar os exames dele e vai dar uma medicação pra essa febre que é de origem central.Enquanto isso ela é controlada com dipirona e paracetamol e muitas compressas.

      Abraços
      Que Deus abençoe seu marido e meu irmão

      • Oi Elaine,
        Muita obrigada pelo apoio de todas vocês!
        Você tem um telefone ou um e-mail para contato?
        Meu marido passou pela cranioplastia no dia 29/07, graças a Deus está se recuperado muito bem e não tem febre desde então. Já estamos tentando arrecadar dinheiro para remoção dele para São Paulo!!
        Não sabia que um paciente em coma vigil, poderia estar em casa, ela usa sonda, ou está ligado em algum aparelho?
        Abraços
        Élida

  120. ola bom dia eu estou aqui a dar o meu testemunho,porque ja estou em casa mas nao de ves o meu acidente foi de carro no dia 2 de Maio de 2015 ia sozinha o carro rodopiou, nao me lembro de nada nm donde vinha com tinha estado antes nm de entrar de entrar na ambulancia porque entrei em coma e fui logo operada quando cheguei ao hospital, ha cabeça 3 vzs que entrei para o bloco aporatorio no hospital de coimbra (HUCs) tive um TCE muito grave (traumatismo cranianico encelafico ) afectou tb a minha memoria antes esquecia mt das coisas agr nao, estou melhor. Mas os medicos na cara dos meus pais disseram , ou que eu podia morrer ou que eu ia ficar como vegetal..Mas estou aqui viva da silva para contr a minha historia Tinha26 anos ,fiz 27 anos no hospital nm me lembro de os fazer … a minha fala ficou muito afectada nao falada nada a minha parte esquerda a minha perna esquerda foi o q ficou pior o joelho para fora eu ando mas a perna esta direita cono a outra a parte do corpo ficou muito afectava o meu braço nao mecia agr mexe levou toxina, agora vesti-me sozinha…. fiquei com uma rutura no joelho esquerdo pq eu so andava co a perna esquerda com bico do pe, mas ate conseguir andar de andarilho para o meu pe poisar todo no chao tive dores de morrer e chorei muito mas valeu a pena agr, ando de andarilho agora, vou a rua vou aos meus avos ao cafe vou comer sozinha demanha em preparo tudo tomo banho sozinha agr estou em casa mas nao e de e vez mndaram-m para casa ate me chamarem para ser operada ao joelho pq a ntes ja m tinham adiado 2 vzs a operaçao a cabeça. E continuo a lutar e nao desistr e a espera enfim. Mas custa estar assim lembrarmo-nos da vida que tinhamos, mas eu penso asim eu podia estar muito pior ter morrido mas graças a Deus nao … fica aqui o meu apoio nunca desistam de lutar e força e vivam um dia de cada vez !bjnhs Sou irma da RITA BORGES…..

    • Vanessa, bom ver que vc está bem em tão pouco tempo.. em lesões cerebrais tudo demora.. a melhora ocorre mas costuma demorar muito.. é os médicos disseram o mesmo de mim se ler meu depoimento… o cérebro é algo muito complicado NINGUEM pode dar um diagnostico correto…
      Busque sempre melhorar e tenha paciencia… busque neuropsicologas fonos e fisios se for necessário.. um beijo

  121. Olá amigos!

    Nossa, parece uma eternidade que não publico nada aqui! Confesso que foi por motivos necessários e que não posso falar muitas coisas, uma vez que estamos correndo com o processo contra o governo. Mas a pedido da Fernanda linda, voltei para contar mais sobre como está minha vida. Já digo em antecedência, consegui fazer mais do que estava planejando, bem como escrevi nos meus depoimentos. Não se subestimem!

    Estive esses últimos anos colocando minha vida de volta nos trilhos, mas não aqueles que todos diziam para mim. Coloquei na minha cabeça que sempre consigo o que quer que eu queira, e como disse, não da forma como pretendia – mas igualmente efetivo. Temos que não nos subestimar nem aceitar que as pessoas nos tratem como vítimas sempre. Precisamos de cuidados diferenciados, de apoio com uma coisa ou outra (ou várias) mas não que nos deem tudo como se fôssemos inabilitados ou incapazes de quaisquer coisas por serem grandes ou difíceis ou complicadas demais.

    Em certo ponto de vista, você realmente volta a ser criança. Como o médico que tratou a Fernanda disse na reportagem, você nasceu de novo. Não que isso signifique sua pele voltar a ser como bumbum de bebê, mas sua capacidade de absorver e aprender as coisas está sendo refeita. Os neurônios estão criando novas pontes para transmitir informações entre si no cérebro, o que de certa forma parece muito com o que acontece com um bebê. Assisti um documentário magnífico – e que indico para todos, O Começo da Vida – que é nacional, apesar de contar com especialistas de renome em diversas áreas ao redor do mundo, que fala sobre os primeiros anos de vida de um bebê. Quase instintivamente fiz relação com minha lesão cerebral. O primeiro ano do bebê é quando ele se enxerga no mundo, quando vê o que faz e percebe que gera uma reação. Na vida pós-trauma, entendi que esse primeiro período funciona igual. Inclusive só me dei conta do que tinha acontecido mesmo, engolido a situação em si como minha, cerca de um ano depois, quando decidi participar dessa página magnífica. No segundo ano, que é quando o bebê já se conhece e está aprendendo mais rápido e podendo fazer mais coisas, ele começa a entender que determinada ação gera uma reação predefinida. Meu acidente foi em 2013, em 2014 comecei a postar aqui no blog.

    Agora eu já tenho uma noção maior do que posso fazer, do que consigo e quais são minhas metas. Disse em um depoimento que a fadiga é uma das piores sequelas, o que é de fato. Mas não deixei ser maior que eu, e ninguém tem que deixar mesmo! Como eu já disse várias vezes, amo cantar. Também no começo, depois que li e ouvi muitos comentários, falei com os pacientes da reabilitação do Sarah Kubitschek e principalmente com apoio os incríveis profissionais de lá, pensei em fazer aquilo de outras formas. Por que não aprender a escrever músicas? Compor se tornou uma paixão minha! Além da ajuda sobremaneira que foi para me entender, conhecer-me melhor e saber o que eu quero. Colocava tudo em palavras e conseguia fazer composições incríveis que expressavam o que eu estava sentindo e ainda possuíam aquilo que eu sequer falara na letra – colocar arranjos de piano, meu conhecimento em música eletrônica e alguns programas de áudio ajudaram a gravar e mixar ritmos e batidas com a voz. Passei a ouvir música 24/7 e o fone de ouvido se tornou uma parte do meu corpo, rs. Também tomo banho com uma caixa de som incrível que pega as músicas via Bluetooth do celular, então enquanto ele carrega, eu escuto músicas e coloco em prática meus exercícios de canto e as notas que consigo atingir agora confortavelmente. Tinha dificuldade com meu fôlego, mas nada que exercícios físicos e respiratórios não tenham ajudado muito.

    Aproveito o assunto para colocar em voga a graciosa Melody Gardot. Ela é, assim como nós, uma sobrevivente. Estava andando de bicicleta em novembro de 2003, na Filadélfia, quando um motorista ignorou o sinal vermelho e a acertou. Ficou acamada por mais de um ano. Ela disse que era muito difícil suportar a dor tremenda que sentia, mas a musicoterapia indicada por um fisioterapeuta dava energia para seguir em frente e até fazia esquecer. Esquecia da dor e da incapacidade quando cantava e passou a escrever sobre isso. Lançou um CD em 2009 que rendeu disco de ouro e platina duplo em países da Europa, e indicação ao Grammy Awards pelas composições ao piano. Ela fala português, e já gravou Tom Jobim.

    Também estou tendo respostas fenomenais quanto a minha paixão por moda e fotografia. Monto diariamente meus looks e minhas colegas de faculdade dos cursos de fotografia tiram as fotos. Consegui mais de duas mil curtidas em um mês, e mais de mil seguidores! Eu sei onde fica bom tirar fotos, quais horas o sol está melhor e como funciona tal peça de roupa no meu corpo – que não está o mesmo. Nem que eu tenha voltado para academia e esteja super em forma e musculoso, para todas roupas ficarem incríveis em mim. Mas depois de muito tempo e aprendizado, acompanhamento psicológico e motor, consegui elevar minha autoestima e estou dando a volta por cima.

    Passei no vestibular para Design Gráfico e já me formo no final desse ano! Foi bastante válido o que me disseram no hospital de reabilitação, e realmente precisei me organizar melhor quanto ao tempo que levo para fazer as coisas e a quantidade de informações que consigo absorver. É bem puxado, mas se tiver foco naquilo que quero, tudo é possível. Também sou o representante da minha turma em ano de formatura, então apesar de parecer loucura, é muito gratificante ver que posso fazer as mesmas coisas de antes. Ainda sigo para ser melhor. Melhor em todas as incontáveis coisas que tento fazer. É bem difícil, mas afirmo para todos que puderem ler isso, não é impossível. Minha vida mudou toda em função do acidente, mas pretendo refazê-la igualmente grandiosa. Afinal, quem disse que não pode ter mudado pra melhor?

    • OH MEU QUERIDO AMIGO FLÁVIO….

      Vc sempre me deixando emocionada…Mais uma vez estou sem palavras para expressar minha tamanha admiração por vc!!!!!!!!

      Vc sempre me deixa aqui no Blog uma lição de vida pra muitos que lêem seu depoimento e pra mim também!!!!!!!! MUITO OBRIGADA por tanta grandeza e sabedoria, obrigada por fazer parte deste Blog!!!

      Acompanhei vc desde quando vc, ironicamente, foi atropelado pela ambulância do SAMU, sua luta toda no hospital e depois do hospital… Ter vc aqui escrevendo e nos contando de como vc luta diariamente para o “receber” e usufruir o MELHOR da vida é maravilhoso!!!!!!!

      PARABÉNS MIL VEZES por tudo que vc faz! Vc é um artista!!!! E um guerreiro!

      Espero te ver no simpósio em outubro!
      Grande bjo e apareça sempre!!!!!!
      Sua amiga, Fernanda

    • Grande Flavio!!!
      Linda maneira de ver as coisas, com muita sobriedade e sabedoria!!!
      Valeu por dividir conosco!

      Tudo de bom pra ti!

    • Boa tarde Flávio,

      Só uma curiosidade: você ainda faz algum tratamento psicológico, neurológico, neuropsicológico ou coisa do gênero?
      Te pergunto porque tenho um namorado que também teve TCE ha uns 17 anos, percebo que ele tem algumas dificuldades de relacionamento (ciume demais) alto estima muito baixa, etc. Há 6 meses estamos juntos, gostaria de ajudá-lo mais ainda não tenho coragem de falar sobre o assunto com ele.

  122. Bom dia, em primeiro lugar quero dizer esse site é uma balsamo para minha alma. sempre que preciso de apoio, conforto espiritual, é aqui que encontro. dia 04 deste corrente mes, fez 9 meses que meu amado sobrinho thiago, foi atropelado. após 28 dias na UTI, e 2 meses no leito, então teve alta com diagnostico de LAD. Eu nem sei explicar esse sentimento, eu só sei que doí demais, e que eu também mudei. Vê-lo acamado,sem falar, comer, andar…..isso me consome. Quanto sofrimento. Meu sobrinho THIAGO é a pessoa mais alegre que conheço.. a mais sorridente…seu sorriso..gargalhadas…me faz falta demais. A saudades me tortura. Eu preciso ser forte diante minha irma….mas tem dias que tudo fica mais difícil. Eu tenho fé, e todo dia rogo a DEUS por misericórdia na vida do meu sobrinho. o pescoço dele fica virado para o lado esquerdo…os olhos tambem voltados para o lado esquerdo..ja aplicou botox, e faz fisio todos os dias, com exceção dos domingos, porque neste dia levo ele e minha irma para minha casa, para que ele possa sair um pouco e ouvir outras vozes..outro ambiente. Amor não falta a ele. Ele é muito amado. Eu preciso saber se tem algum caso desse aqui no grupo, eu preciso saber de alguma fato/dado/depoimento nesse sentido. Gostaria de saber sobre recuperação da fala…dos movimentos. Ele não mexe nada ..somente os olhos.. e assim mesmo de forma limitada. ME CHAMO FERNANDA . POR FAVOR…ALGUEM RESPONDA ALGO.

    • Olá Fernanda,
      bom primeiro vou explicar o que me explicaram de LAD quem sabe lhe ajude a compreender..
      LAD é o rompimento da ligação do neurônios.. por exemplo.. neurônio A era ligado ao B mas essa ligação se rompe.. ai ele precisa mandar a informação para outro neurônio, que irá repassa-la a outro neurônio até chegar ao neurônio B… a LAD deixa nosso raciocínio mais lento, e UM dos tratamentos para ocorrer a *religação* dos neurônios, que utilizo é a realização de exercicíos aeróbicos.. pois a oxigenação ajuda, mas existem diversas maneiras, caso ele não possa realizar tais exercícios, eu somente sei desse pois é o que realizo e vem me ajudando muito.. mas sei que existem outros, creio que a Fer saiba lhe informar melhor..
      CALMA 9 meses é MUITO pouco tempo… meu acidente faz 6 anos e alguns meses e somente agora estou melhor.. toda lesão cerebral leva tempo para melhorar.. melhora mas demora!! e isso nos angustia pois queremos ver a pessoa bem rapidamente, como se tivesse caído ralado o joelho e sarado.. mas INFELIZMETE não é nosso caso
      não podemos dizer em quanto tempo tal tratamento melhorará pois tudo depende da área lesionada e do grau da lesão.. mas busquem sempre tratamentos para auxilio e melhora.. fisio, fono, neuropsicólogas me ajudaram muito.. conheço pessoas que utilizaram terapeutas ocupacionais.. eu não mas é sempre melhor buscar tudo que for possível!

      Um beijo , melhoras espero ter auxiliado em algo..

      • Muito obrigada. Suas palavras me motivaram muito. Vou seguir suas orientações atendamente. Me sinto mais forte!!

      • Imagina.. o que me anima hoje é poder ajudar pessoas que passam pelo que passei e tem a mesma dificuldade =)

    • FERNANDA, MINHA XARÁ…

      Sei o quanto isso tudo é angustiante, doído e muitas vezes, desesperador…
      A Bruna comentou sobre exercícios físicos, mas tem várias outras maneiras de estimular o cérebro, fazer exercícios físicos é apenas uma das várias opções, não se preocupe com isso.
      O cérebro nosso é muito complexo e é incrível. Leia aqui no blog que vc verá vários casos que foram graves em termos de lesão e com o tempo o paciente foi se recuperando…. Tudo que podemos fazer para estimular o cérebro é importante. Isso que vc faz de conversar com ele, mudar de ambiente saindo com ele pra ver outras pessoas e ouvir outras conversas já é um tipo de estimulação. Vc pode colocar música que ele gosta de ouvir, tentar colocar filmes pra ele assistir, mesmo que agora seja muito difícil pra ele… Vc acha que isso é possível fazer com ele nesta fase que ele está?

      De que cidade vcs são Fernanda? Ele está fazendo tratamento com fonoaudiólogo pra auxiliá-lo na questão da deglutição e fala? Isso poderia ajudar….
      Vc percebe que ele teve evolução ao longo desses 9 meses, mesmo que seja pequena??? Ele tá fazendo uso de alguma medicação? O que o médico dele diz?
      O Thiago não anda, mas movimenta braços e pernas?

      De qualquer forma, 9 meses é pouco tempo, ele pode melhorar bastante ainda.
      Aqui no Blog tem uma aba acima que chama “Visão profissional”, lá tem textos escritos por uma renomada e excelente neuropsicóloga chamada Beatriz Baldivia. O conteúdo poderá te ajudar entender melhor algumas questões de uma lesão cerebral.

      Já postei um vídeo aqui no blog que acho legal vc tb ver. É uma história de superação do Flávio.
      FLÁVIO PALA É FILHO DA MILDA MORAES E OS DOIS JÁ ESCREVERAM AQUI NO BLOG. SE VC TIVER INTERESSE, PROCURE OS DEPOIMENTOS DELES AQUI: MILDA MORAES ESCREVEU A PARTIR DE 23/07/13 E O FLÁVIO PALA A PARTIR DE 25/06/14. NO DIA 25 DE JUNHO DE 2014, OS 2 ESCREVEM UM RESUMO AQUI NESTA ABA DE DEPOIMENTOS. SE TIVER UM TEMPINHO, LEIA QUE É UM JOVEM TB QUE FOI ATROPELADO.
      ELE FOI ATROPELADO PELA AMBULÂNCIA DO SAMU DIA 28/06/13. Ele foi convidado a participar do projeto “VIDAS CONTADAS”, uma série com a força do financiamento coletivo e uma jornalista super competente. Aqui o link para você assistir https://www.youtube.com/watch?v=RXY4VotPvEs

      Aguardo mais notícias
      Grande bjo
      Fernanda, sua xará!!!!!!

      • bom dia! Desculpa a demora em responder. o corre corre é intenso. Querida Fernanda, em resposta as suas perguntas, esclareço que: moro em Boa Vista/RR (longe p caramba.rsss). quanto o meu sobrinho Thiago, ele ainda não mexe nenhum membro do corpo, se limita abrir os olhos e a piscar. em relação a medicação está tomando carmazepina, revotril (13 gotas p dormir, senão nao dorme), e baclofeno. no intervalo de cada mês, fazemos tratamento com omeprazol e gastrol, pois por certo esses remédios devem causar desconforto em seu estomago. ontem ele mexeu o dedo do pé, e não foi espasmos,nem ataxia. mexeu o dedo de fato. também to tentando uma comunicação do SIM e do NAO, através das piscadas (1 piscada sim, 2 piscadas quer dizer nao.) estamos evoluindo. Já obedeci quando ele piscou uma vez afirmando que queria sentar, ou que estava com dor. Pedi para minha irma treinar essa comunicação, mas sem cansá-lo ou irrita-lo. tudo c muita paciência. também faço questão de dar banho nele em conjunto c minha irma e minha mãe, pelo menos duas vezes por semana, um banho com direito a jatos mangueira, e shampoo etc. etc. Um banho conversado..kkkk uma vez por semana eu explico que o aconteceu… e que ele não tem nada quebrado no corpo, mas que ele bateu a cabeça e está esperando se recuperar..e que ele precisa lutar, ter fé, e rezar e confiar..e que é muito amado etc…faz fisio todos os dias. Meu marido é medico, então quanto a parte clinica e demais exames etc, estamos sempre vigilantes. ontem minha irma recebeu a indenização do seguro DPVAT (que novela fazer isso sozinha..mais saiu),eles negaram somente as despesas medicas, porque parece que tinha que ter prescrição medica requerendo tais produtos e medicamentos (sacanagem deles..porque isso não fica claro no folheto que eles divulgam no correio). Mas vou ver essa parte no judiciário. Apesar de ser advogada, confesso que nessa hora, me sinto leiga, perdida, e parece mesmo que não conheço lei alguma, me sinto tão ……sei lá… que vou ate contratar uma colega advogada para ver essas questões. Tudo isso me abala muito emocionalmente. sinto Raiva…Revolta…e ao mesmo tempo uma enorme alegria do Thiago estar vivo. Tudo isso é algo tão inacreditável, que teve uma semana que me revoltei com meu marido, achando que thiago tava tetraplégico, e que ele não tinha feito uma ressonância total da coluna…etc.., então meu marido pra me convencer que tudo isso era neurológico, fez a ressonância total da coluna, e gracas a Deus a Coluna do meu sobrinho ta perfeita. Quanto a carmazepina que thiago toma, quero esclarecer um fato importante. quando Thiago tinha 6 anos, ele caiu na escola, e desde então passou a convulsionar. minha irma levou-o ao hospital, e desde então ele passou a tomar fenitoína 3 vezes ao dia. Mas minha irma trabalhava como manicure, e as vezes pelo motivo de corre corre esquecia algum remédio, e então, bastava isso, para ele ter convulsões fortes. foi quando pedi para minha deixa-lo morar comigo..e ele foi, pois alem de meu sobrinho, ele sambem é meu afilhado. Bem… agora vem a historia interessante. Thiago era lento na escola…dorminhoco..mas adoravaaaaa vídeo games. e eu sempre o mimei muito kkk mas cobrava rigidez na escola. não aceitava nota vermelha ..nem reprovação. Ele se esforçou muito e conseguiu terminar o segundo grau..tirou carteira de motorista.. dirige carro e moto. Quando aconteceu o acidente dele dia 04 de setembro de 2015, ele fez a ressonância do cranio, e então o medico da UTI disse que ele tava com glioses no cérebro, e que restaria ele, talvez conseguir respirar sem ajuda de aparelho. Meu mundo…acabou ali..mas ainda tinha que dar a noticia para minha irma..etc. passado essa parte supeeerrr péssima, entao quando ele tava no leito, eu lembrei do acidente dele de escola, e então perguntei da minha irma,s e época ele tinha feito alguma ressonância. minha irma confirmou que sim, então pedi para ela buscar o exame. quando o neuro olhou, então perguntou: THIAGO ERA UMA CRIANÇA NORMAL? ELE ANDAVA? FALAVA? eu respondi: sim, thiago sempre foi uma criança normal. então ele complementou, muita sorte, pois ele possuía esses GLIOSES no cérebro desde da primeira ressonacia, ou seja, desde quando THIAGO tinha seis anos. em suma, eu conclui QUE ter feito esta descoberta foi bom e ruim. ruim porque sei que isso agrava a situação do thiago, e bom porque sei que ele vai conseguir de novo. eu vou fazer tudo de novo, nao vou tratar meu sobrinho como um deficiente…um excluído. Ele pode estar deficiente para as outras pessoas…mas p mim e para minha familia…ele é o nosso thiago..querido e amado. ele não estar morto..como muitas “amigos”…passaram a trata-lo. ELE TA VIVO…E NOSSA FÉ É GRANDE. FÊ, DESCULPA O DEPOIMENTO ENORME. (to digitando escondida, aqui no trabalho…desculpa os erros. kkkkkk) bjo

      • O Tiago é muito amado e isso faz toda a diferença,com certeza ele sente essas ótimas vibrações e vai melhorar sempre…bjos a todos

  123. OLÁ, MEU NOME É CIDO SILVA.

    BOM, MINHA SOGRA SOFREU ALGUNS AVC NO FINAL DO ANO PASSADO, DESTA FORMA, FICANDO EM COMA ATÉ MEADOS DE FEVEREIRO. GRAÇAS A DEUS ELA VOLTOU! ASSIM LIBERADO PELO HOSPITAL, ELA VEIO PARA CASA, ONDE MORA EU, MINHA ESPOSA E MEU SOGRO. DESTE MODO, CHEGANDO EM UM ESTADO VEGETATIVO, FOI EVOLUINDO AOS POUCOS.. COMECOU A OLHAR QUANDO CHAMADA PELO NOME, A SE MOVIMENTAR COM CERTA AJUDA, A GESTICULAR, ANDAR QUASE SOZINHA, FALAR EM OCASIOES DISTINTAS, AGORA EM MAIO ELA COMEÇOU A FALAR MUITO, DANDO PRA ENTENDER BASTANTE COISA, APRESENTOU MEMORIAS BEM ANTIGAS, ESTAS ONDE NÓS AINDA NAO EXISTIMOS.. DAI AGORA VIVE CHORANDO, MUITO INQUIETA MESMO, FALA COISAS DO PASSADO, DE PESSOAS QUE NAO CONHECEMOS NA MAIORIA DAS VEZES.
    QUANTO A INQUIETAÇÃO, REALMENTE ISSO É DE SE PREOCUPAR POIS ELA NÃO PARA SE QUER 20 SEGUNDOS SENTADA, OU DEITADA, OU DE QUALQUER OUTRO JEITO, NEM PARA SE ALIMENTAR!!!! NOSSA CASA NAO É MUITO GRANDE, ONDE ELA NAO PARA DE RODAR O DIA TODO, DE UM LADO PRO OUTRO! SIM DAS 10H QUANDO ACORDA, ATÉ AS 3:30H QUANDO PEGA EM UM SONO LEVE. SIM POR DIA ELA DORME COISA DE 4H AO MAXIMO. ISSO QUE MAIS PREOCUPA, POIS UM DE NOS TEM QUE ESTAR COM ELA, E REVESAMOS OS 3 E ELA NAO PARA, NOS QUE ESTAMOS SAUDÁVEIS NAO CONSEGUIMOS REVESAR E ACOMPANHAR O RITMO DELA. ELA ANDA E PARECE QUE NAO SABE QUE O CORPO NAO ESTA AGUENTANDO, MUITAS VEZES CHEGA A ARRASTAR AS PERNAS E AINDA SIM NAO PARA. PARA SE ALIMENTAR O ESTADO ESTA TAO CRITICO QUE PRECISAMOS IMOBILIZA-LA. E PRONTO ELA SAI DE SI(PELO MENOS É OQUE PARECE) ELA CHEGA A SE BATER CONTRA A CAMA, BATER PARTE DO CORPO ONDE CONSIGA GERAR BARULHO PRA CHAMAR A ATENÇÃO E GRITAR PRA SAIR DALI.. É ASSUSTADOR, VE-LA NESSE ESTADO. DEUS ME LIVRE MAIS É DE SE COMPARAR A UM ESTADO DE LOUCURA.

    FOI LEVADA AO NEURO E O MESMO INFORMOU QUE AUMENTANDO O REMEDIO PARA DEIXA-LA MAIS TRANQUILA(OQ NUNCA FUNCIONOU) PODERIA ATRAPALHAR SUA EVOLUÇÃO.. (COISA QUE NAO PARECE QUE ESTA ACONTECENDO)

    POR FAVOR AJUDEM, PELO AMOR DE DEUS AJUDEM…

    • OLÁ CIDO….

      Realmente acredito que em primeiro lugar é preciso ajuda de medicação. Sem uma medicação adequada, nenhum outro tratamento com sua sogra poderá ser muito eficaz na minha opinião. Se a recomendação deste médico atual não funcionou, tentem mudar o médico, ouvir opinião de outro neuro e/ou procurar também um psiquiatra. Psiquiatra não é médico de louco, tá? Eu, por exemplo, desde o meu acidente onde tive uma lesão cerebral (traumatismo craniano) há 9 anos, eu já fiz e faço atualmente acompanhamento com psiquiatra, pois no meu caso eu nunca fiquei sem medicação. Eu faço acompanhamento com neuro e psiquiatra além de fazer terapias com neuropsicólogo.

      De onde vcs são? Vc sabe se na sua cidade tem neuropsicólogo? Seria excelente tb se ela passasse com este profissional e que o neuropsicólogo tb pudesse orientar vcs para facilitar assim a vida de toda a família em casa porque do jeito que vc contou, realmente fica muito difícil…

      Medicação é algo bem complicado. Um medicamento que dá certo para uma pessoa pode não ser o mesmo que vai dar certo tb pra outra, mesmo que as duas pessoas tiveram AVC, por exemplo. Muitas vezes, o medicamento dá muito efeito colateral ou não ajuda nada, enfim, não se pode desistir. É preciso tentar várias opções de medicamentos, claro que sempre orientados por médicos. Às vezes se aumenta dosagem de um medicamento ao máximo e ele não faz o efeito desejado, isso já aconteceu comigo. E te garanto que isso acontece em vários casos.

      Vão atrás de um profissional neurologista ou psiquiatra ou talvez até um bom geriatra que lida com esses casos. Façam tentativas até dar certo. Sua sogra tb sofre com toda esta agitação e inquietação dela, né? Sofre ela e sofrem vcs!!!

      Não sei se consegui explicar de forma clara.
      Aguardo notícias!
      Abtaços
      Fernanda

  124. OLÁ PESSOAL!!!!
    ESTE ANO TEREMOS MAIS UM SIMPÓSIO PARA PACIENTES QUE TIVERAM ALGUMA LESÃO CEREBRAL (TCE, AVC, ANEURISMA, TUMOR, ETC,) E FAMILIARES! QUEM PUDER VIR PRA S.P. NESTA DATA, FAÇA SUA INSCRIÇÃO!
    O SIMPÓSIO É GRATUITO!!!!!
    APROVEITEM ESTA OPORTUNIDADE PARA CONHECER UM POUCO MAIS SOBRE O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM VC OU SEU FAMILIAR!

    Simpósio 2016

  125. Bom no dia 19 de fevereiro a vida da minha família mudou, acabou com nossa alegria.
    Minha mãe com 54 anos teve um Avc isquemico na parte do tronco não teve morte cefalica porém está em coma vegetativo a dias em que ela está com olhos bem abertos mexe bastante a boca mais só.
    Vai fazer 3 meses e os médicos dizem que ela não vai voltar mais porém temos fé pois parece que ela nos escuta só não consegui interagir
    Algumas vezes os olhos mexem bastante como si procurasse algo que não enxerga a lesão foi grande ainda está com traquio e está difícil o desmame porque faz parte da área afetada no cérebro.
    Somente nos filhos e marido conseguimos ver algumas reações que os médicos dizem ser somente institutos mais até lágrimas já correram em seus olhos

    Achei esse blog muito incentivador
    Gostaria de alguma opinião de alguém que passou por isso é muito desespero.
    Meu nome é Beatriz

    • OLÁ BEATRIZ…

      Muito triste isso, eu sinto muitíssimo. Sua mãe ainda é muito nova e ver quem a gente ama desse jeito é desesperador, né?

      O coma vigil também é algo que choca, pois ver a pessoa de olhos abertos, mexendo a boca, às vezes derramando lágrimas dos olhos e não reagir mais que isso é dificílimo. Eu visito uma moça linda de 29 anos que sofreu um traumatismo cranioencefálico grave por acidente de carro e está ainda em coma vigil. O que eu falo pra família dela é o que vou falar pra vc: o cérebro nosso é muito complexo e ainda tem muito a se saber. Se vc um dia tiver um tempo e ler vários depoimentos aqui no Blog, verá que na grande maioria dos casos, os médicos disseram que a pessoa iria ficar em estado vegetativo pra sempre ou que não teria nenhuma chance de vida e isso não aconteceu. Então, não perca a fé e nem a esperança porque tudo pode acontecer. Claro que os médicos dizem de acordo com os estudos qual é a maior probabilidade, mas várias pessoas aqui do blog, por exemplo, fugiram da regra. No meu caso mesmo, de acordo com as estatísticas, o médico disse que eu tinha 105% de chance de morrer, querendo dizer que era gravíssimo e ele nem sabe como eu pude sobreviver. E hj estou aqui, bem e feliz de novo! Meu depoimento é o primeiro daqui, não sei se vc chegou a ler….

      Peça a Deus pela sua mãe e acredite que Ele fará o melhor!
      Força querida!!!! Paciência, fé, esperança e muito amor…

      Um grande bjo e nos mande notícias.
      Fernanda

  126. Boa noite! Sou a Márcia, meu esposo sofreu um acidente de moto no dia 20/01/2016. Ele tem 51 anos. Sofreu um Traumatismo craniano gravíssimo de grande energia (Lesão axional difusa) Além disso o cérebro dele sofreu um chacoalhao teve sangramento em vários pontos do cérebro. Porém o ponto onde o sangramento foi muito grande na região central do cérebro que foi o pior. Pois não teve como os neurocirurgioes fazerem a cirurgia para a retirada do coágulo. O único procedimento que os neuros fizeram foi inserir um aparelho no cérebro dele para fazer a medição da pressao intracraniana chamada PIC. O organismo dele absolveu o coagulo, porem naquele local os neurônios morreram. Ele ficou durante uns 10 dias em estado muito grave, coma induzido. Após isso os médicos começaram a diminuir a sedação, porém ele não acordava. Quando abria o olho ficava olhando pro nada. Passou por uns 10dd em coma vigil. Após esse período ele começou a interagir com os olhos. Enfim ele ficou 68dd na UTI onde durante este período fez uma cirurgia bilateral na mandíbula. Ficou com o lado esquerdo um bom tempo paralisado e quando saiu da UTI já estava melhorando o deficit do lado esquerdo. Entre UTI e internação foram 123 dias. Dia 23/05/2016. Graças a Deus voltamos pra casa com o tratamento de home care. Todos os Médicos admitem que cientificamente não há explicação para a progressão tão rápida dele da parte motora. Pois o primeiro prognóstico era que dificilmente ele teria alta antes de 6 meses.
    Eu sempre digo que a explicação é divina, pois os médicos não acreditavam que ele iria sobreviver.
    As deficiências: Ele ainda não consegue andar, só com a ajuda para levantar e dar alguns passos. Come muito bem, dieta bem regrada, perdeu 20kg em 4 meses e agora com as fisioterapias está ganhando massa muscular.
    Enquanto ele estava internado ele estava tomando alegra pois ficou com alergia a antibióticos. Dormia muito bem. Aliás só Dormia. Acordava só na hora das refeições. Mas sempre confuso com tempo e espaço.
    Uns dez dias antes da alta ele começou a ficar impaciente, queria vir pra casa de qualquer jeito, mas o home care demorou pra sair. Ele sempre dizia; Quando eu for pra casa eu vou melhorar de tudo e vou trabalhar. Porém depois que chegou em casa ainda muito confuso com tempo e espaço ele ficou muito inquieto, nervoso e inconformado pois nao melhorou. Ele aibda nao tem nocao de que esta com sequelas. Nengum lugar tá bom pra ele. Senta 2 minutos e diz que não aguenta de dor nas costas. Vai andar 2 minutos e reclama que dói as costas e precisa ir ao banheiro pois agora tiramos as fraldas e ele mesmo está controlando o esfincter. Deita 5 minutos e já chama pra sentar e assim sucessivamente. Ele ficou com problemas cognitivos. Não pergunta nada só necessidades primárias. Não consegue dormir, está com demência. Tudo o que ele faz em segundos ele esquece.
    As pessoas ele conhece todas, porém elas acabam de sair e ele já não lembra mais ou fala que foi outra pessoa que esteve ali.
    Está muito sentimental, chora muito. Enfim ele mudou totalmente.
    Ou seja ele mal sabe quem ele é. Semana que vem ele começará a ter as consultas com a Terapeuta Ocupacional e a Neuropsicologa.
    Eu e meus 2 filhos estamos com esperança de que ele se comece a melhorar a auto estima pois até agora a parte neurológica ainda não foi tratada. Não foi inserido nenhum medicamento antidepressivos e nem para dormir. Pois os médicos não querem que use nenhuma droga por enquanto.
    Os médicos disseram que acham que até 70% do que ele era, será reabilitado. No entanto não sabem dizer quanto tempo isso irá demorar.
    Não importa o % só queremos que ele tenha paz com ele mesmo.
    Nós sofremos muito e ainda estamos sofrendo, ele era a nossa aste.
    Postei essa história para me acalmar um pouco, pois é muito triste e doloroso ver a pessoa que você ama e vive há mais de 20 anos anos ficar totalmente indiferente a tudo…
    Peço por gentileza que se algum familiar de alguém que passou por isso ou alguém que tenha passado por isso possa deixar uma mensagem, ficarei mais calma, estou procurando ajuda para aprender a lidar com a situação.

    • Marcia..me desculpe mas n consegui ler seu post completo..nao consigo mais ler coisas longas mas pelo q li me identifiquei bem!
      Também tive coágulos cerebrais absorvidos pelo organismo..n movia lado esquerdo..dormia muito. Emagreci 15 kl mas como tb afetou a parte frontal do cérebro perdi a percepçao de saciedade..engordei 10..tb achava q tudo n passava de um machucado q poderia voltar a trabalhar e a ser o q era. E ao voltar comecei a perceber minhas dificuldades.. Busque uma neuropsicologa que avaliará dificuldades com q ele ficou. E ajudará a contorna-las
      Perdas de memória e agressividade infelizmente são comuns..mas ima neuropsicologa auxilia a lidar c elas. Aqui tem varios posts explicando sobre isso..bju

      • Boa noite Bruna,
        Desculpe só hoje que consegui ver as mensagens, na verdade pesquiso e leio tanto sobre o assunto que já não conseguia achar mais o meu desabafo.
        Graças a um email da Fernanda eu achei.
        Então, desde o dia em que eu postei até hoje muita coisa já evoluiu no meu marido.
        Parte motora e equilíbrio;
        Já anda se apoiando até o banheiro sozinho, precisa de ajuda pra levantar. Anda pelo apartamento com um andador, consegue ficar em pé sem se apoiar com a perna direita, só não consegue ainda com a esquerda.
        O braço esquerdo dele também já está bem melhor já consegue cortar os alimentos sozinho (usar garfo e faca)
        Descasca laranja, corta, Descasca cebola e pica certinho como antes. ( chamei ele pra ir pra cozinha pra me ajudar a fazer um frango recheado no domingo) Ficou lá e me ajudou a picar os temperos como sempre fez.
        Poucos minutinhos e claro, mas pra nós foi muito gratificante.

        Parte neurológica;
        A cada dia está ficando menos ansioso;
        Está interagindo cada dia mais.
        Está perdido ainda com horários, dias, espaço, acontecimentos.
        Prefere ficar no quarto, não gosta de ser incomodado.
        Faz tudo que é necessário no dia a dia como necessidades diárias, porém é tudo com muito jeito, tem que saber como falar como pedir. Como ele está internado em casa com Home care. Muitas vezes só eu convenço ele de tomar um banho, fazer uma inalação enfim, ele não quer sair da zona de conforto dele pra nada.
        Não gosta de visitas, prefere os enfermeiros do que a visita dos irmãos, cunhados, ou seja ele evita contato com pessoas conhecidas, pois ele disse que eles perguntam muito e que ele não tá afim de falar.
        Esta é a pior parte pra ele, todas as vezes que a família dele vem visita-logo ele chora muito, diz que quer melhorar logo mas não consegue, ele quer se justificar o porque está ali deitado. Diz que tem uma doença. E eles sempre falam pra ele que não é uma doença que foi um acidente dai ele chora ainda mais e fica agitado, geralmente no dia que eles vêm ele não dorme, no outro dia ele fica muito agitado, não tem sossego em nenhum lugar.
        Eu não estou sabendo como lidar com isso. Pois eles não lêem, não tem noção de como uma palavra mal expressada pode magoalo tanto…
        Eu evito de falar do acidente, quando ele fala que está com uma doença eu acabo concordando e digo que ele está tendo todo o tratamento necessário para melhorar é só ter paciência que tudo isso vai passar.
        Não sei se estou fazendo o certo, mas já falei tantas vezes pra ele que não é uma doença que ele sofreu um acidente…
        Porém não adianta, ele esquece, percebi que ele ficava pior quando eu discordava dele sobre a situação ele chorava e ficava muito deprimido e sem paz…
        Consegui levar ele no posto pra tomar a vacina da gripe há uma semana atrás, mas aqueles 5 minutos dentro do carro pareceram uma eternidade as enfermeiras fizeram a vacina nele no carro mesmo e voltamos voando pra casa, ele só queria voltar pra casa o tempo todo falando acelera acelera mesmo com o sinal fechado.
        Neste final de semana consegui levá-lo com muito custo na sorveteria, mas antes de sair já pediu se havia algum conhecido lá que não estava a fim de conversar com ninguém. Achei ele já bem mais calmo no trânsito, mas entre ir tomar o sorvete e voltar não passou de 40min. Nossa pra ele foi uma eternidade, mas pra nós foi uma vitória, pois há mais de 150dd que eu ele é nossos dois filhos não saíamos juntos.
        Levei ele na empresa pra ver se ele se conecta com a realidade de tempo e espaço. Chorou muito quando chegou lá. Porém sentou na cadeira dele e já pediu pra voltar pra casa.
        Estou fazendo de um tudo pra tirar ele dá zona de conforto (cama).
        Como nascemos no sul do país tomamos muito chimarrao, ele faz um esforço enorme mas todos os dias consigo trazer ele pra sala nos mesmos horários de antes pra tomar 2 a 3 cuias de chimarrao a cada dia ele está ficando mais, conversando mais…
        Mas quando ele resolve que não quer não adianta, pega o andador e volta pro quarto e pede pra não ser incomodado.
        Como vejo ele hoje a maior parte do tempo exatamente como a Fernanda disse;

        = fadiga mental e física (cansaço após qualquer atividade
        = vertigem
        = medo
        = ansiedade
        = IRRITABILIDADE com qualquer coisa
        = impulsividade
        = inadequação social
        = depressão
        = falta de identificação com os outros
        = AGRESSIVIDADE
        = desinibição ou apatia
        = DIFICULDADE NA ATENÇÃO E MEMÓRIA.

        Eu e meus filhos estamos lendo muito pra poder aprender a lidar com esta situação, ele está tendo atendimento multidisciplinar. Temos muita paciência com ele, estamos fazendo tudo o que é possível para ajudá-lo. Estamos muito contentes com a reabilitação dele.
        Temos fé e esperança de que um dia nosso Gelso que sempre foi muito guerreiro irá melhorar, não 100% pois soubemos que pela ciência isso é impossível devido ao trauma ter sido gravíssimo.
        Porém não desistiremos jamais de procurar sempre o melhor pra ele, nossa vida agora gira em torno dele, o nosso alicerce se tornou nosso bebê. Mas acreditamos que nenhuma folha cai senão for da vontade de Deus. Vivemos mais intensamente o hoje, o amanhã a Deus pertence.
        Semana que vem voltarei pra contar pra vocês como ele está.
        Boa noite e boa recuperação a todos, muita coragem, muita força e determinação pois o cérebro precisa de estímulos o tempo todo…

    • Oi marcia estou passando por algo parecido q vc meu esposo sofreu um acidente de moto no dia 07 d maio 2016 recentemente e tv traumatismo craniano e o coagulo o celebro absorveu porem qd tentam tirar o sedativo ele apresenta espasmos e um quadro de coma vigil nao reage a nd.estou desesperada
      Sem saber oq vira a frente.tenho tres filhos e 16 anos d casamento e triste ver quem vc ama nessa situaçao. Se mais alguem estiver passado por isso por favor m mande email
      mislaineisidoro@gmail.com

      • Oi MISLAINE…

        Escrevi abaixo para Marcia e queria que vc também desse uma lida porque ao escrever tb pensei no caso do seu marido. Pelo que vc contou aqui, o caso dele tem semelhanças com o caso do marido da Marcia, então ler talvez te ajude um pouquinho tb.

        Qualquer dúvida que tiver, escreva aqui… Estarei à disposição para o que for possível… Espero que seu marido melhore, saia logo do coma vigil e vá pra casa com vc. Ele estará em minhas orações…
        Tenha paciência, fé, força, perseverança e pense que Deus fará o melhor!!!!!
        Não perca a esperança querida!!!!!! FORÇA!!!!!!!!

        Grande bjo no seu coração
        Fernanda

      • Mislaine, boa noite!
        Desculpe não ter visto seu comentário antes.
        Espero que seu esposo já tenha melhorado do coma vigil.
        Meu marido ficou uns 15dd assim e tudo foi se resolvendo a cada dia ele foi melhorando e hoje graças a Deus está bem melhor do que no dia em que eu postei esta mensagem aqui.
        Vou te falar como eu consegui como mãe esposa e empresária em tempos difíceis em que a nossa economia está encarar tudo isso:
        Nos primeiros dias não foi nada fácil, os prognósticos eram sempre os mais negativos possíveis.
        Meu filho de 20 anos tomou conta da empresa como minha pessoa de confiança. Minha filha de 18 anos que está fazendo cursinho o 2° ano seguido para ser Médica foi a que mais me ajudou a cuidar do pai, pois além da empresa meu filho e universitário e não conseguia ver o pai naquela situação.
        Eu e ela formamos uma dupla guerreira, começamos a pesquisar e ler sobre o assunto e ficamos sem falar com o neurocirurgião por 2 meses pra não ouvir aquelas palavras duras, frias e sem esperanças…
        Buscamos força em Deus e juntas conseguimos enfrentar a situação com muita dor e claro, porém só pelo fato dele estar vivo o que no caso de acidentes de moto e pouco provável pra nós já era uma vitória. Colocamos tudo nas mãos de Deus e aos poucos tudo foi passando. Ficaram as sequelas as quais estão sendo tratadas. Não soubemos até onde ele irá evoluir porém isso já não importa mais. Já aceitamos a situação o que não foi fácil, eu faço tratamento com psiquiatra e psicólogo. Minha filha com psicólogo também só meu filho que não quis ir ao psicólogo porém também precisa.
        O que ficou até agora como experiência;
        Nunca perca a fé;
        Aceite a situação; (dói menos)
        Replaneje toda sua vida; ( agora és a única pessoa da família que pode tomar alguma decisão)
        Não de muito ouvido ao que a família (irmãos, cunhados, enfim quem quer que seja) a respeito de suas decisões pois eles vão pra casa e continuam levando uma vida normal porém a sua vida nunca mais será a mesma.
        Então você é a única responsável por sua família agora.
        Seja forte;
        Acredite;
        Aceite;
        Lute por um atendimento melhor se for o caso;
        Abrace a causa e cuide do seu marido como se ele fosse seu filho, pois será assim por um tempo (ele será um bebê)
        Encare isso como uma experiência de vida pois tenhas certeza de que um dia quase tudo voltará ao normal;
        Tenha muita, mas muita paciência e discernimento.
        Reze muito;
        Leia muito;
        E acredite que o dia seguinte sempre será melhor que hoje. E sempre será, pois foi assim com meu marido, foi assim com a Fernanda, foi assim com centenas de depoimentos que estão nesse blogue.
        Sempre que tiveres vontade volte e desabafe…
        Este blogue e maravilhoso, foi aqui que acalmei meu coração.
        Fique na paz. Que Deus continue abençoando vocês Grandemente Sempre. Boa noite!

    • OLÁ MARCIA….

      Li todo seu depoimento. Sei o quanto deve estar sendo sofrido pra vc, para seus filhos e tb para seu marido, toda esta situação. Tudo que vc comentou, como disse a Bruna, é muito semelhante com vários casos que têm aqui no blog e que eu conheço tb.

      O meu depoimento é o primeiro daqui, não sei se vc leu. Eu tb tive um traumatismo craniano grave, fiquei em coma, tive sangramento, neurônios morreram, fiquei no início com o lado esquerdo paralisado, sentia muitas dores, fiquei revoltadíssima no início após chegar em casa, fiquei muito confusa, não me lembrava de coisas que tinham acontecido minutos antes, entre outras coisas… TUDO É MUUUUUUUUUITO RECENTE e as coisas ainda vão melhorar bastante, pode acreditar!!!!!!!!!! PACIÊNCIA, FÉ, PERSEVERANÇA são fundamentais! Não se esqueça disso.

      Quando tiver tempo, leia os depoimentos aqui no Blog, será importante pra vc entender um pouco como todo este processo de reabilitação acontece e ver que a lesão cerebral afeta não só o paciente, mas toda a família… Tem muitos casos parecidos com o do seu marido tb.

      Algumas “características”/sintomas ou sentimentos podem ser observados em pessoas vítimas de traumatismo cranioencefálico (TCE), como por exemplo:

      = fadiga mental e física (cansaço após qualquer atividade
      = vertigem
      = cefaléia (dor de cabeça)
      = medo
      = ansiedade
      = IRRITABILIDADE com qualquer coisa
      = impulsividade
      = inadequação social
      = depressão
      = falta de identificação com os outros
      = AGRESSIVIDADE
      = desinibição ou apatia
      = DIFICULDADE NA ATENÇÃO E MEMÓRIA, etc.

      Isso NÃO significa que todos que tiveram TCE vão ter todos esses sintomas, mas uma mesma pessoa pode ter vários. Saber disso serve de alerta para todos poderem identificar suas reações ou de seus familiares e entenderem que é comum após a lesão isso acontecer e por isso, muitas vezes é imprescindível buscar ajuda profissional…

      Vc mesmo disse aqui que seu marido passará por um neuropsicólogo, né? A Reabilitação neuropsicológica é o “PROCESSO NO QUAL PACIENTES E FAMILIARES TRABALHAM EM CONJUNTO COM O PROFISSIONAL, A FIM DE SUPERAR, REDUZIR, CONTORNAR, ENFRENTAR OU CONVIVER MELHOR COM AS DIFICULDADES COGNITIVAS E COMPORTAMENTAIS RESULTANTES DE UM PROBLEMA CEREBRAL”. Desta forma, o neuropsicólogo vai avaliar as dificuldades cognitivas e comportamentais que seu marido está apresentando e trabalhar com ele e orientar tb a família fazendo com que vcs saibam lidar melhor com essas dificuldades, melhorando a qualidade de vida dele e de vcs familiares que convivem diariamente com ele. Muitas vezes, esta avaliação é feita após 4 ou 6 meses da lesão, mas isso depende se o paciente já está “bom” clinicamente para já iniciá-la. O profissional julgará isso.

      A confusão mental, a agressividade, o esquecimento de várias coisas que aconteceram há pouco tempo são MUITO COMUNS acontecer, tá tudo dentro do esperado para este início. Muitas coisas podem melhorar e até sumir com o tempo (por exemplo esta confusão mental que vai passar), e outras podem ficar como “sequelas” (como dificuldade de memória recente, etc) e serem trabalhadas para ele lidar melhor… O mais importante: o nosso cérebro é incrível, a neuroplasticidade existe e sempre haverá melhora enquanto houver estimulação. Nos dois primeiros anos a melhora é mais visível e acontece de maneira mais rápida, especialmente no primeiro ano. Mas isso não significa que ela pára aí. A melhora pode continuar acontecendo, mesmo que mais lentamente. Por isso, a estimulação adequada é importante. Isso não significa que o paciente precisa fazer várias terapias ao dia durante todos os dias, é preciso respeitar os limites de cada um e ir trabalhando as prioridades… Pelo que vc falou, seu marido está se recuperando muito bem. O TCE não tem nem 5 meses ainda, é bem recente mesmo.

      Vc disse que por enquanto ele está sem medicação, mas quando possível, converse com o médico, neurologista ou psiquiatra, se há possibilidade de usar alguma medicação que o ajude controlar melhor essa agressividade e inquietação e até evite um caminho para um quadro depressivo, que tb é muito comum. No meu caso, a medicação foi e é fundamental pra minha recuperação e melhorou muito a minha qualidade de vida após as minhas lesões cerebrais.
      Claro que a necessidade da medicação depende de cada caso e ela deve sempre ser receitada por um profissional da área.

      As dificuldades de memória e iniciativa, que são muito comuns após uma lesão cerebral (TCE, AVC, etc.), podem interferir bastante no trabalho, por isso é preciso cautela qdo se pensa em voltar a trabalhar… O paciente muitas vezes demora muito a ter consciência de suas dificuldades e por isso não entende pq não deve voltar logo ao trabalho, fica ansioso para que tudo volte a ser como era antes. O retorno ao trabalho antes do tempo pode prejudicar ainda mais todo o processo de reabilitação, pois o paciente poderá entrar em contato com suas dificuldades de uma maneira “não adequada”, às vezes até ser demitido e com isso entrar num processo mais “depressivo” diante de toda a situação. Isso tb precisa de uma orientação profissional.

      Leia aqui no Blog mesmo a aba acima onde está escrito “Visão profissional” onde a neuropsicóloga Beatriz Baldivia escreve vários “posts” que poderão te ajudar a entender um pouco mais o trabalho do neuropsicólogo e o processo de reabilitação.

      Marcia, espero ter ajudado um pouquinho…. Mantenho este blog para que ele seja um local de apoio, desabafo, de um pouco de aprendizado, troca de experiências e aconchego… Venha sempre nos dar notícias do seu marido. Ele estará em minhas orações tb.
      Muitas melhoras virão!!!!!!!!!!

      Grande bjo
      Fernanda

      • Fernanda, Boa noite! Desculpe pela demora mas troquei de aparelho e perdi muita coisa acabei me perdendo e não encontrava mais meu depoimento.
        Graças a Deus hoje já estou bem mais calma.
        Este seu blogue é maravilhoso, foi aqui que acalmei minha alma e acreditei ainda mais que o impossível poderia acontecer. Desde o acidente que leio vários depoimentos aqui e assim a cada dia que passa do jeitinho que as postagens dizem o meu marido está se reabilitando.
        Tenhas certeza de que és um anjo na vida de todos aqui, tens uma palavra de conforto para cada um e nada melhor que quem passou por isso pra falar com convicção do que pode ou não pode ser feito.
        Meu marido ainda não teve a visita do Neuropsicologo e nem da Terapeuta Ocupacional. O Plano ainda está devendo isso. Na sexta-feira foi o último dia que eles tiveram de prazo pra se opor na justiça pois foi através de liminar que consegui o tratamento de home care. Agora eles terão que providenciar pois o juiz determinou multa diária caso a decisão dele não fosse cumprida.
        Estamos aguardando para esta semana o início do tratamento com estes 2 profissionais pois é fundamental para a reabilitação dele.
        Não vou descrever aqui como está meu marido pois já respondi ao primeiro post da Bruna.
        Mas agradeço imensamente pela sua atenção e te parabenizo pela idéia do Blogue.
        Voltarei em breve para contar as novidades do meu marido.
        Boa noite e que Deus continue te abençoando grandemente sempre. Bjs no coração.

      • MARCIA QUERIDA….

        Eu li tudo que vc respondeu pra Bruna e contou das evoluções do seu marido e fiquei imensamente feliz!!!!!! Ele está evoluindo muito bem.

        Li tb a resposta sua para Mislaine e toda força que vc deu pra ela e pra todos que vão ler seu texto aqui…
        É lindo ver isso. Mantenho este blog com este intuito, das pessoas trocarem suas experiências, de apoiarem umas as outras, de se informarem melhor, de terem um lugarzinho de “aconchego”, sabe? Só Deus sabe o quanto é difícil passar por tudo isso, né Marcia?

        E claro, li tb o que vc escreveu pra mim…. Muito obrigada querida por tantas palavras carinhosas! Fico muito feliz em saber que o Blog está te ajudando….

        Não posso deixar de te parabenizar por toda luta que vc está enfrentando com sua família, a sua serenidade e sabedoria mesmo diante do “caos” que sua vida parece se encontrar, né?
        Seu marido tem muita sorte de ter uma esposa como vc e tb filhos tão bons, compreensivos e guerreiros como VOCÊ! Como vc e o Gelso que tb é um guerreiro que lutou pela vida e agora luta pela reabilitação.
        Parabéns minha querida! Vc está no caminho certo, buscando ajuda, lendo a respeito e lidando com tudo isso com muito amor, perseverança, força e fé!

        A lesão cerebral afeta não só o paciente, mas toda a família tb. E o que vcs estão fazendo de procurarem um psicólogo pra vcs é perfeito, ajudará muito na reabilitação do seu marido tb!

        Grande bjo querida e aguardarei notícias….
        Fernanda

  127. Bom dia!
    Quero partilhar que até q enfim consegui uma neuropsicologa,mesmo sem ter tido muito apoio do meu neurocirurgião que ainda nem contei que estou indo nela para ele.
    Assim,estamos fazendo as avaliações ainda,mas não tenho me sentido tão satisfeita , só que vou insistir mais um pouco.
    Queria saber se vcs passaram por neuropsiquiatras?
    Estava qrendo ir em um.
    Pq sei lá, acho q poderia existir algum remédio para me ajudar. Eu não consigo aceitar essa nova Mayara,entendo sim q mudei mas não consigo aceitar isso está doendo.
    Minha família infelizmente não consegue me entender,jah tentei conversar mostrar a eles q não eh culpa minha estar assim,mas eles não entendem.Me faz mal ver como tenho tratado eles.

    • Mayara boa noite! O que me ajudou foi ir a uma neuropsicóloga.. após resolver meus danos motores.. a primeira neuropsicóloga não gostei muito também.. creio que não fez muito efeito mas fui à outra, a Beatriz Baldivia em SP que me ajudou muito.. conheci a Fernanda aqui do Blog através dela.. a avaliação mostra nossas dificuldades.. e ela sugere formas de evitá-las ou contornar tais situações como por exemplo eu surtava.. berrava .. e 5 min depois nada tinha ocorrido p mim.. minha família também não ajudava muito, aí eles tb passaram c ela.. e mudaram a maneira de me tratar.. claro que ainda ocorrem falhas.. mas melhoraram muito..Quanto a um neuropsiquiatra eu não fui.. esse ano, 5 anos após meu acidente, comecei a ir a um psiquiatra.. e estou tomando antidepressivos que me ajudam muito.. não estou mais agressiva como estava..
      Infelizmente não adianta você querer se aceitar de uma hora p outra, isso é o mais difícil..e ocorre aos poucos.. depende de nossa resiliência.. mas você já aceitando que é uma nova pessoa já é um grande passo.
      Dê tempo ao tempo, paciência é a melhor coisa.. diga a cidade de onde é, que podemos verificar com a Bia se pode indicar alguém de sua cidade.. pois cada neuropsicólogo ajuda de uma maneira.. e eles infelizmente não mudam nosso cérebro p entender e aceitar.. isso cabe a nós.. eles só nos ajudam a combater nossas dificuldades..
      Agradeça por estar viva, por ter tido uma nova chance.. pense que infelizmente não podemos voltar o tempo e mudar o ocorrido.. tente ver as qualidades com as quais ficou e lute para aperfeiçoa-las, aposto que ainda sobrou alguma qualidade, rs e busque novas qualidades tb.. evite se comparar ao passado =P um beijo

      • Bruna,sou da cidade de Macaé- Rio de Janeiro.
        Graças a Deus tenho tido bastante paciência, então acho q uma hr irei conseguir aceitar toda essa mudança.
        Mas sabe não consigo achar nada para ocupar meu tempo.No próximo mês tenho perícia, a vontade para voltar a trabalhar eh imensa, mas ao mesmo tempo uma insegurança me toma 😑.
        Nossa td tão difícil sabe?Jah td isso q estou tendo q conviver e tantos outros problemas!
        Mas tenho mt fé em Deus q vou vencer,não vou desistir Bruna!
        Saber q vcs tb tentam,na esperança das coisas melhorarem me fazem ver q não sou só eu q passo por isso.
        Abraços, obrigada pela atenção.

      • Mayara também queria voltar a trabalhar me sentir util.. e tentei após 2 anos.. e me frustei pois percebi ai minhas didiculdades.. entao comecei a ver minhas dificuldades c minha neuropsicologa e aprendi a superá-las, cei a tontorna-las.. e sei que vc pode
        Hoje após 6 anos voltei a trabalhar de uma maneira que nao me deixe insegura, prestei um concurso em uma vaga para deficientes, através de um CID que meu neurologista me forneceu, verifique o seu com o seu… o meu é T 90,5 e passei, em 2015.. fui convocada agora, mas o q me acalma é que a vaga sendo para deficientes todos sabem das minhas dificuldades, e não me cobram, claro que ouço muitas vezes, Ah! mas isso também ocorre comigo… mas sabemos que não é da mesma forma né…rs
        Tentei vagas para deficientes em empresas e me frustei pois elas nao querem ajudar querem somente cumprir metas…e não aceitam pessoas com minhas dificuldades.. então estudei e me dediquei e prestei um concurso , vaga p ensino médio, sou pos graduada, não recebo muito, antes ganhava mais que o dobro, mas me sinto putil!
        Já comentei isso num post faz um tempo aqui no blog, porque não tenta?? bju

    • OI MAYARA….

      Bom ter vc aqui no Blog de novo com a gente… Fico feliz em saber que vc sente confiança para desabafar suas angústias aqui…

      A gente já conversou bastante, eu estava relendo nossas conversas antigas e por isso vou tentar escrever menos aqui para eu não ficar tão repetitiva. Eu escrevo muito, né? Não sei resumir, rsrs

      Mayara, uma maravilha vc agora estar num NEUROPSICÓLOGO!!!! Este é o profissional mais adequado para te ajudar durante todo este processo de aceitação e para te ajudar a “contornar” e aprender a lidar com suas dificuldades, e com isso melhorar sua qualidade de vida! A avaliação é uma parte inicial e essencial para o neuropsicólogo trabalhar com vc depois e te ajudar. Ainda é muito cedo pra vc dizer que não está gostando. Espere acabar os testes, comece o acompanhamento e se achar que não teve empatia com o profissional ou perceber que não está resolvendo, aí sim, mude. Eu tive a sorte de acertar e a minha primeira neuropsicóloga me ajudou muito e hj, depois de 9 anos depois do meu Traumatismo cranioencefálico, eu quis voltar fazer uma nova avaliação e estou novamente em terapia com ela. Se não fosse o neuropsicólogo e meu neuro e psiquiatra, tudo, com certeza, seria mais difícil. No caso da Bruna, a primeira neuropsicóloga não fez muito “efeito” e só na segunda, ela acertou e melhorou bastante. Vc tem que insistir Mayara!!!!!!! Paciência e persistência são fundamentais!!!!!!!!!!!! Não esqueça nunca disso!

      Mayara, vc perguntou aqui sobre neuropsiquiatra, né? Não conheço profissional neuropsiquiatra. Conheço NEUROLOGISTA E PSIQUIATRA. São especialidades diferentes e no nosso caso de lesões cerebrais, os dois profissionais podem ser muito úteis, depende de cada caso qual será o profissional quem vai fazer um maior acompanhamento. Muitos amigos meus que sofreram lesão cerebral como a gente, muitas vezes recebem alta do neurologista que os acompanhou desde o início e passa por psiquiatra (ou até um neurologista mais especializado nessas lesões cerebrais) muitas vezes pra fazer uso de medicamentos que ajudam na depressão ou outros sintomas muito comuns após a lesão que mexem no humor, sono, apetite, agressividade, impulsividade, desânimo/apatia, etc.. Por isso, procure tb este tipo de profissional, pois às vezes, a medicação pode te ajudar bastante como no meu caso e da Bruna e de várias outras pessoas que conheço… Vc entendeu o que eu expliquei acima ou ficou meio confuso??? Se ficou, pode me perguntar de novo que te explico, tá?

      Falei que não ia escrever muito, mas olha só o tamanho do texto? rsrsrs.
      O que a Bruna te escreveu acima é importantíssimo: o profissional pode te ajudar muito, mas a aceitação e o enfrentamento da vida depende muito mais só de vc mesma! Vc vai conseguir, tenho certeza! Confie e não desista!!!!! Vc tem muita coisa boa pra viver ainda!!!!

      Grande bjo no seu coração
      Fernanda

      • Fernanda,gosto de ler quando me escreve,me faz bem.Pois eh alguém q sabe mais ou menos o q sinto.
        Ficou claro sim,a neuropsicologa agora quer q eu vá em outro neuro,mas eu tenho mt confiança no meu.Mesmo ele não sendo mt aberto para conversas.
        Eu acho q deveria ir em outra neuropsicóloga.Graças a vcs q soube q existia a neuropsicologia. Só q pelo q jah li aki e os vídeos q vejo,ela não tem me ajudado tanto como pensei q seria.
        Juro q estou tentando…
        Eu preciso de ajuda,mas não sei mais onde buscar!
        Desistir sei q não eh a solução.
        Me sinto mt sozinha …
        Obrigada Fernanda!
        Deus abençoe!

    • Boa noite Fernanda e Bruna e a todos desse incrível blog. Tive um pouco sumido, mas hoje tive um tempo da correria de trabalho e do dia a dia e resolvi vir das notícias do meu namorado, que graças a Deus são boas. Agora em Abril de 2017 vai se fazer 2 anos que ele operou, como passa rápido né? Mas queria dizer que ele voltou a andar, anda um pouco devagar mas já está se locomovendo sozinho, às vezes ainda ele prefere andar com o andador, mas consegue andar sem ele. É impressionante como existe a recuperação, dia após dia, ele está muito melhor. Mas ele está fazendo muita hidro e muita fisio também, o que vem ajudado muito ele. Este mês de Setembro ele foi para o Sarah Kubitscheck fazer a consulta em Brasília, e retorna para internação agora em Dezembro. Alguém já teve uma experiência nesse hospital? Dizem que ele é ótimo, que as pessoas voltam incrivelmente melhores quando saíem dele. Estou mega ansioso e a cada dia que passa, eu torço para a felicidade dele, pois ele é todos merecem. Um beijo a todos e fiquem sempre na paz. Jamais percam a esperança!!

      Paulo!!

  128. Boa noite, nao consegui ler todos os comentarios acima, mas pude perceber que todos passaram pelo que estou passando e gostaria muito da ajuda de vcs…
    Minha mae sofreu um acidente em agosto do ano passado (2015)… ela ficou em coma quase 1 mes e teve diversas sequelas neurologicas. Ela era totalmente normal e agora parece uma crianca… uma adolescente que nao tem consequencia de nada que faz, nao pode ficar sozinha e tem muita dificuldade de se adaptar a nova vida dela. Antes ela era prof de yoga e agora saiu do rj e foi para Minas gerais na cidade do interior p ficar com meus tios e meus avós, pois eu sozinha no rj nao estava dando conta… demandava uma atencao gigantesca e nao soube lidar com toda essa pressao sozinha. Agora, depois de alguns meses nao conseguimos ver muita evolucao e ela esta mt revoltada com cuidadora e com a familia como um todo. Gostaria da ajuda de vcs para me indicar um local onde ela pudesse ficar por uns meses para aprender a lidar com essa doenca, criasse uma responsabilidade, fizesse um tratamento intensivo neurologico e pudesse ver sentido na vida p se recuperar… ou pelo menos tentar se recuperar.

    Agradeco se puderem me ajudar pois ja nao sei o que fazer mais.

    Obrigada pessoal.

    • Olá Daniely, bom saber que sua mãe de certa forma se recuperou.. isso que está ocorrendo com ela ocorre na maioria dos casos.. eu mesma era super independente… trabalhava com relacionamento com o cliente, resolvendo o problema deles e hoje não consigo resolver os meus se não explicarem o passo a passo para isso.. o que nos ajuda muito é passar por uma avaliação neuropsicológica, na qual a neuropsicóloga detectará as dificuldades com as quais ela ficou e ajudará a contorná-las.. busque ai no RJ ou em Mg próximo a cidade que ela estiver… senão a Fernanda poderá ver com a nossa neuropsicologa Beatriz Baldivia se ela indica alguém.
      Ela continua normal.. somente passa por maiores dificuldades, e a principal delas é as pessoas não aceitarem a nova pessoa que ela se tornou.. não pararem de cobrar e esperar dela o que ela era ou fazia antes.
      Imagino o quanto seja difícil para vocês isso como foi difícil para mim e meus pais.. eles não aceitavam a nova Bruna.. e isso me trouxe muitos problemas.. inicio de depressão dentre outros.. pois já estava difícil para mim aceitar a nova Bruna.. e me desanimava ainda mais quando minha família não *aceitava* a nova bruna. Após conversarem com minha neuropsicóloga passaram a aceitar melhor a nova Bruna.. começaram a evitar me comparar a Bruna de antes ou me cobrarem, dizendo que antes eu resolvia como não consigo agora?? Óbvio que demorou .. mas agora faz 6 anos que estamos bem.
      Então veja as qualidades com as quais sua mãe ficou e tente aperfeiçoa-las.. infelizmente na maioria dos casos, as dificuldades serão permanentes.. tudo depende do local e grau da lesão, mas não se desanime.. aposto que sua mãe só precisa do seu apoio.. como precisei da minha família!!!
      Um beijo, me desculpe qualquer coisa..

    • OI DANIELY…

      Primeiro acho que vc precisa entender o que realmente está acontecendo com sua mãe. A sua mãe deve ter tido um traumatismo craniano (TCE) devido ao acidente. Eu também sofri o mesmo em 2007, leia meu depoimento, é o primeiro daqui. Não entendo isso como uma doença do jeito que vc descreveu….

      Algumas “características”/sintomas ou sentimentos podem ser observados em pessoas vítimas de TCE (o que aconteceu com sua mãe) como por exemplo:

      = fadiga mental e física (cansaço após realizar qualquer atividade)
      = vertigem
      = cefaléia (dor de cabeça)
      = medo
      = ansiedade
      = IRRITABILIDADE com qualquer coisa
      = impulsividade
      = INADEQUAÇÃO SOCIAL
      = DEPRESSÃO
      = falta de identificação com os outros
      = AGRESSIVIDADE
      = DESINIBIÇÃO ou apatia
      = dificuldade na atenção e memória, etc.
      Coloquei em maiúsculo o que talvez sua mãe esteja apresentando pelo pouco que vc contou dela…

      Isso NÃO significa que todos que tiveram TCE vão ter todos esses sintomas, mas uma mesma pessoa pode ter vários. Saber disso serve de alerta para todos poderem identificar suas reações ou de seus familiares e entenderem que é COMUM após a lesão isso acontecer e por isso, muitas vezes é imprescindível BUSCAR AJUDA PROFISSIONAL….

      O acompanhamento com neurologista/psiquiatra muitas vezes é fundamental tb, além de um neuropsicólogo que pode ajudar bastante. No meu caso, esses profissionais foram importantíssimos na minha reabilitação. O papel do neuropsicólogo é super importante no processo de reabilitação pós lesão cerebral adquirida. É ele quem faz avaliação para estimar comprometimento da memória, atenção, comportamentos e vê quais atividades o paciente consegue fazer. Alguns neuropsicólogos tb trabalham com a reabilitação, ou seja, o processo de ajudar paciente e familiar a entenderem as mudanças causadas e planejar novas metas de vida e estratégias para melhorar a memória, atenção, humor, impulsividade, desinibição, etc.

      A revolta tb é uma etapa comum após uma lesão, eu tb tive. Sua mãe é acompanhada por algum neurologista ou psiquiatra? O caso da sua mãe não é interná-la num lugar e achar que ela vai sair de lá “recuperada” como antes. O que a Bruna te disse sobre a “nova pessoa” é bem real e esta nova pessoa pode ser tão boa como a outra, mas com qualidades e dificuldades totalmente diferentes de antes da lesão….
      O processo de reabilitação é lento e o apoio dos familiares é muito importante para que ele aconteça. Por isso, é muito importante que vcs como familiares entendam tb o que está acontecendo para poderem ajudá-la. A ajuda de profissionais é essencial. De que cidade de Minas sua mãe é? Quantos anos ela tem?

      Ah!!! Tb é comum tb a pessoa ficar agitada, confusa, mudar o comportamento ou fazer coisas que não fazia antes, como xingar ou “maltratar” as pessoas, por exemplo. Essa coisas podem acontecer, mas vai passar.
      O acidente da sua mãe é MUITO RECENTE qdo se trata de uma lesão cerebral. Nos 2 primeiros anos pode haver uma melhora mais notável, mas a melhora continua acontecer depois… Tenham paciência com ela, ela vai melhorar em comparação ao que está, mas precisa muito da compreensão, paciência da família e estimulação adequada.

      Daniely, leia aqui no Blog o que está escrito na aba “Informações importantes”, uma aba que tem acima. Lá dou algumas dicas que talvez podem ajudar nas atividades do dia a dia. Uma outra leitura boa que pode te ajudar muito, vc e sua família, é a aba acima onde está escrito “Visão Profissional”. Lá a neuropsicóloga Beatriz Baldivia fala sobre as diversas lesões cerebrais e suas possíveis consequências, o papel do neuropsicólogo, etc. É importante que sua mãe tb entenda o que está acontecendo com ela, que entenda que vai melhorar e que não está ficando louca, entende????

      Espero ter te ajudado um pouco. Qualquer dúvida, me escreva! Estou à disposição para ajudar no que tiver ao meu alcance.
      Bjos
      Fernanda

  129. Meu nome e Antônio em agosto de 2015 estava trabalhando na p-74 um navio plataforma,estava com muita febre parecia que iria morrer chegando em casa sem força de abri o portão de casa.no dia seguinte minhas esposa levou-me ao médico só me lembro de médicos a minha volta, acordei 5 dias depois era pneumonia os dois pulmoes tomados e metade do coração fiquei bem, os médicos perguntaram a minha esposa se a minha voz era ruim foi aí que descobriram um derrame muito remedio e exame em 15 dias estava em casa.
    Começou a dor de cabeça olhos inchados lacrimejando 10 dias que estava em casa fui obrigado pela esposa a voltar ao hospital, a dor era cefaléia (a noite ia pra sala sofre só).
    Outro derrame agora no cerebelo o remédio (a.s) estava vazando sangue no celebro em outubro 2015 o INSS me liberou pois o meu médico falou que eu não tinha nada, fui recebido trabalho com uma justa causa

    Não estava nada bem o outro médico me encheu de remedios.. Não consigo ler um livro, senhas do banco bloqueados não posso sair da cozinha se tiver algo no fogão o último filme chorei de soluçar agora não tenho paciência falo e escrevo faltando letras graças a Deus isso tem corretor acho que é so. A minha filha anota tudo que faço e errado.

    • Nossa Antonio.. o inss é super complicado… eles não entendem nada de nada.. não são neurologistas ai complica ainda mais nossa situação.. difícil..
      eu também esquecia panelas no fogo.. ai minha neuropsicóloga me ensinou a usar um timer para apitar e eu não esquecer nada se for fazer outra coisa.. anoto tudo numa agenda, uso despertador de celular para me ajudar a não esquecer.. também não consigo ler textos longos e legendas .. é o cérebro é muito difícil de se compreender…
      Te aconselho a ir a uma neuropsicóloga, ela vai diagnosticar suas maiores dificuldade e te ajudar a supera-las.. isso já ajuda um pouco a melhorar nossa situação…
      Nos tornamos novas pessoas e temos que entender e aceitar essa nova pessoa.. buscando sempre melhorar as qualidades com as quais ficamos.. e não pensar nos defeitos ou nos compararmos ao antes.. =)

    • OI ANTONIO…

      Sou a Fernanda. Meu depoimento é o primeiro daqui. Eu tive um traumatismo craniano num acidente de carro, diferente de vc que teve um AVC (derrame), mas de qualquer forma, os dois são lesões no cérebro e podem ter consequências muito parecidas. Eu tb fiquei com dificuldade pra ler, até hj, em 9 anos, concluí apenas 2 livros e com dificuldade. Comecei a ler mesmo o primeiro depois de uns 3 ou 4 anos após o acidente e levei muito tempo para acabar. O que te garanto é que se a gente estimula, a melhora existe, mesmo que lentamente. Nos dois primeiros anos, a melhora pode ser mais perceptível, mas sempre que há estimulação, há melhora, mesmo que for bem pequena. Por isso, como a Bruna disse, eu tb te aconselho procurar um neuropsicólogo. Este profissional poderá fazer uma avaliação e te ajudar a lidar melhor com todas as suas dificuldades, facilitando seu dia a dia e melhorando bem sua qualidade de vida. As dicas que a Bruna disse sobre usar o “timer” pra cozinha (eu tb deixo queimar coisas no fogão se não coloco um despertador ou peço alguém pra me lembrar), despertador para lembrar das atividades, agenda para lembrar e organizar tb as atividades, mesmo aquelas simples que antes lembraríamos com facilidade. Falo dessas dicas aqui no Blog em “Informações importantes”, uma aba que tem acima. Se vc não quiser ler pq ainda tá difícil, peça sua filha ou outra pessoa pra ler pra vc. Uma outra leitura boa que pode te ajudar muito, vc e sua família, é a aba acima onde está escrito “Visão Profissional”. Lá a neuropsicóloga Beatriz Baldivia fala sobre as diversas lesões cerebrais e suas possíveis consequências, o papel do neuropsicólogo, etc.

      Quanto ao INSS, é realmente uma situação complicada. Quanto mais médicos der laudos dizendo o seu problemas, quanto mais outros profissionais tb derem laudos sobre sua atual situação, melhor.

      Quantos anos vc tem? De que cidade vc é? Na sua cidade tem neuropsicólogo? Vc faz algum tipo de tratamento como fisioterapia, fonoterapia, terapia ocupacional????

      Aguardo notícias…
      Espero ter ajudado um pouquinho
      Forte abraço
      Fernanda

      • So estou indo ao neuro,tenho 46 anos nmoro no rio de janeiro ( piabeta) não tem esse médico por aqui.obrigado por tudo.

  130. Boa noite meu nome é ciliane meu marido sofreu um acidente de moto no dia 24 ficou 12 dias sedado até q acordou muito agitado e com confusão mental e não fala nada com nada me conhece conhece a mãe e os filhos porém tem momentos q da tipo surtos me chama até de professora. Estou desesperada alguém me ajude isso acontece? Ele vai Voutar ao normal? Os médicos não me passam muitas informações. Desde já obrigada.

    • Ciliane, meu namorado foi vitima de acidente em Fevereiro desse ano, ficou em coma por 17 dias e desenvolveu LAD. Hoje já está de alta e iniciando o processo de reabilitação,. O que posso te dizer é que com ele também acontece isso: não reconhece pessoas, delira, não lembra de acontecimentos, estranha a própria mãe, diz que quer ir embora pra casa dele( estando em casa). Posso te dizer que no início esteve bem pior mas vem diminuindo esses eventos. Acredito em Deus que com o tempo tenda a sumir. O neurologista que o tratou no hospital disse que leva alguns meses pra apresentar melhoras neste quadro. Vamos crer e esperar. Bjos e boa sorte!

    • Ciliane faz muito pouco tempo o trauma.. nesse momento é totalmente normal a desorientação… toda lesão cerebral melhora mas lentamente.. eu fiquei desorientada por 1 ano.. então a palavra chave é paciência!! ele pode ter dificuldades com a memória recente também,, totalmente normal.. CALMA!!! um beijo e melhoras!!

    • Ciliane, meu pai teve um acidente em 02/10/14 depois que saiu do coma, traqueostomia e sonda, entrou em estado de confusão mental ou seja já faz um ano q fica falando coisa com coisa, tem alguns minutos de lucidez, mas temos fé pq sempre vem melhorando um pouco mais, força pra vc.

    • OI CILIANE…

      Sou a Fernanda, meu depoimento é o primeiro daqui, não sei se vc já leu.
      Como a Bruna disse, este estado de confusão mental é “normal”, é comum aparecer, principalmente no início após a lesão. Isso tende a melhorar cada vez mais. O tempo que vai levar pra melhorar não dá pra afirmar, “tudo” depende do local e extensão da lesão entre outras características do paciente, mas esta confusão mental sempre melhora. Eu falei e fiz cada coisa absurda, mesmo depois de uns meses que saí do hospital. Ainda hj, coincidentemente, estava contando isso pra uma amiga e dando “risada” de tanta coisa louca que falei e acreditei na época…

      Quando vc tiver um tempo, não deixe de clicar na aba acima aqui do Blog onde está escrito “Visão profissional”. Lá vc vai ver o que uma neuropsicóloga excelente fala sobre as lesões cerebrais e quais são as possíveis consequências pós lesão. É MUITO interessante, vai te ajudar entender melhor, inclusive será bom pra vc ficar atenta e saber o que seu marido poderá apresentar (se apresentar), como por exemplo, dificuldade de memória recente…

      Grande bjo e espero ter ajudado um pouquinho.
      Fiquem com Deus
      Quando der, mande notícias.
      Fernanda

  131. Oi Fernanda! Meu nome é Vanessa, estou passando pelo segundo momento mais difícil da minha vida, há três anos atrás eu perdi meu irmão por consequência de um aneurisma cerebral. Hoje completam 43 dias q estou com minha irmã internada tbm por conta de um aneurisma. Ela já fez a clipagem do aneurisma porém ainda está sendo mantida sedada pq a cirurgia foi muito delicada e tiveram q tirar um pedaço do cerebelo e da coluna vertebral dela pq o aneurisma estava em uma área de difícil acesso. Hoje estamos todos apreensivos aguardando o melhor pra ela que está sedada por q o cérebro ainda está mto inchado. Li alguns depoimentos aqui q me deram ânimo pra prosseguir nessa difícil fase q estamos enfrentando..

    • VANESSA!!!

      Meu Deus, que tristeza…..
      Eu tb perdi uma irmã com 27 anos que faleceu no meu acidente de carro (minha história está acima, é o primeiro depoimento, não sei se vc leu). Eu sei a dor que é perder uma irmã e vc agora com a sua outra irmã com anerisma tb, muuuuito difícil… Sinto muitíssimo, mas não perca a fé e esperança. Como vc leu aqui, não podemos nos apegar apenas com o prognóstico dos médicos, pois a recuperação não esperada pela medicina existe e várias pessoas aqui são prova disso.

      Como vc escreveu aqui já faz alguns dias, queria saber como sua irmã está agora, ela ainda está sedada, o que os médicos dizem????
      Vanessa, quantos anos sua irmã tem? De que cidade vcs são?

      Aguardo suas notícias e sua irmã estará em minhas orações….

      Grande bjo
      Fé, força e esperança! Fiquem com Deus. Manda um bjo pros seus pais tb.
      Fernanda

  132. Olá gente. Faz tempo que não escrevo nada por aqui sobre meu esposo!

    Ele está a cada dia evoluindo mesmo que lentamente. Já olha para gente, acompanha nossos movimentos com o olhar, está começando a movimentar o braço, como limpar a boca qdo não consegue engolir. Está tb sorrindo e mostrando as vontades dele. Estamos radiantes. Até os médicos estão surpresos com a recuperação dele. Adora ficar sentado na poltrona e assistir tv. Toda noite escuto música que gostamos. Deito com ele na cama e ficamos ouvindo. Ele adora!

    Começamos uma avaliação através da neurometria, não sei se alguém já ouviu falar. Ele diz que ele tem como se fosse um bloqueio pq ele responde aos estímulos mas não vai até o final. O neurocientista disse que pode ser um medicamento ou até um estímulo mais específico. Ele está coletando dados ainda. É uma coisa fantástica. Conseguimos ver o cérebro de André em 3D na tela no pc dele. É bem legal! Estamos super anciosos co
    O resultado dessa avaliação para que ele comece logo os estímulos mais específicos.

    Levamos André um dia na varanda e ele ficou olhando o céu e se emocionou. Foi lindo! Ele não gosta muito de ir para a cadeira de rodas. A médica disse que como ele está consciente isso pra ele é como se fosse um atestado da incapacidade dele. Então temos que ter paciência e insistir até onde ele quer.

    Venho dizer gente que nunca percam a fé e que o amor tudo pode, tudo transforma! Meu esposo é prova disso pois sei que nossa luta pra que ele volte ao nosso convívio só tem fundamento no amor incondicional que sentimos um pelo outro.

    Então lutem, não escutem as besteiras que os médicos falam pq só Deus é quem pode determinar algo em nossas vidas e tudo depende de nós, da nossa fé, do nosso acreditar!

    Muito amor e perseverança para todos! 😘🙏🏻
    Ahhhhhh! Adorei te conhecer Fermanda mesmo que seja pela tv. Adorei a reportagem!!!!!

    Juliana Brito

    • Juliana,

      Gostei muito do que você escreveu, principalmente a parte não escutar as besteiras dos médicos. 🙂
      Meu irmão teve uma internação longa no final do ano passado, um dos médicos que o atendia chamou minha mãe e disse que ele teria apenas mais uma semana de vida. Minha mãe ficou arrasada, mas não desanimou e se negou a acreditar. Meu irmão só melhorou depois daquele dia, ainda tem uma caminhada longa, mas Graças a Deus ele só tem evoluído!
      A parte mais difícil é que nem todos acreditam na recuperação e acabam não se dedicando para que isso aconteça!
      Mas vamos seguindo firmes na luta que a vitória será nossa!!!

      Grande abraço querida!

      Boa saúde à todos!
      Fiquem com Deus!

      Joelma

    • JÚÚÚÚÚÚÚÚÚÚÚ

      Vc sempre me emocionando com o amor de vcs e com sua fé e compaixão por todos aqui do Blog tb.
      Querida, te admiro muito! E é isso aí!!!!!!!! DESISTIR JAMAIS!!!!!
      Tô tão feliz em saber dessas novas coisas que o André tem feito!!!! Evoluindo e melhorando, mesmo que devagarzinho, é assim que acontece….
      FÉ querida!!!!!!!! Estou com vc!!!!!!!! Não tenho dúvidas do poder da oração…

      E sempre venha aqui nos dar notícias!!!!!!
      Fico feliz de vc ter assistido a reportagem, assim vc já me conhece e fica faltando só eu te conhecer, rsrsr. Espero que um dia nos encontremos pessoalmente!

      Não conheço esta neurometria, deve ser algo mais novo, mas espero que o ajude!!!!
      Bjo, Fernanda

    • Oi juliana como seu esposo esta? O meu sofreu um trauma gravissimo tbem ta vom 30 dias e os medicos falaram q ele ta n coma vigil e q o quadro e inreversivel ,mas tenho fe q ele ira melhorar .o oxigenio ja foi tirado dele.qd ele acorda tem muito espasmos.e agitaçao estou muito aflita sem saber como ira ser daq p frente.grd abraço.

  133. Izauro meu marido. Um atleta. Maratonista. em 16/09/2014 teve um avc hemorrágico devido a uma má formação no lado esq do cérebro. Estava fazendo sessão de embolizacao qdo tudo aconteceu com a equipe do Dr gauche. O médico disse foi um sucesso a embolizacao teve alta foi para casa . Quando chegou em casa fortes dores de cabeça voltou para o hosp Unimed barra foi internado. No cti teve o avc. Tirar am o pedaço do crânio para aliviar a pressao. Entro em coma. Ficou quase um ano no hospital. Teve tudo infecção. Trombose fez gtt. Tqt. Hoje está incons nao fala nao nada. Preciso encontrar esperança que ele vai se recuperar

    • SIMONE QUERIDA,

      Que história triste…. Nem sei se imagino seu sofrimento…
      Simone, penso que nunca devemos perder a esperança, por mais difícil que seja a situação…
      Se vc ler as histórias aqui do Blog, vc verá que tem vários casos que pareciam não ter solução, nem esperança nenhuma dada pelos médicos e depois surpreenderam para o bem!!!!
      Veja com o médico, neurologista do seu marido, o que dá pra ser feito em termos de estimulação no estado que seu marido se encontra, como fisioterapia, por exemplo.
      O cérebro nosso é incrível. Não perca a fé!!!!!!! Entregue nas mãos de Deus. Acredito muito no poder da oração…

      Fiquem com Deus
      Se tiver algo mais que eu possa ajudar, me escreva!
      Bjo grande
      Fernanda

  134. HOJE NÃO CONSEGUI ESCREVER AQUI MAIS CEDO, MAS QUERO DAR OS MEUS PARABÉNS A TODAS AS MAMÃES!!!! PENSEI EM VCS E PEDI A DEUS QUE AS ABENÇOASSE COM MUITA SAÚDE, FÉ, AMOR, PACIÊNCIA E PERSEVERANÇA….

    FELIZ DIA DAS MÃES!!!!!!!!

    BEIJOS
    FERNANDA

  135. Se tem uma coisa que é dificil de entender é um machucado no cérebro: a pessoa fica diferente, a dificuldade aparece uma hora, mas não em outra, o jeito de se comportar muda na maioria das vezes e em outras, parece a mesma pessoa. A família inteira parece que passou por um tsunami! Veja esse vídeo, numa parceria incrível com os Minutos Psíquicos) e Centro Paulista de Neuropsicologia, que explica todas as mudanças e onde procurar ajuda.
    ‪#‎minutospsíquicos‬ ‪#‎tce‬ ‪#‎avc‬ ‪#‎neuropsicologia‬ ‪#‎reabilitação‬

  136. Boa tarde Gente

    Não sei se lembram de mim, dei depoimento a um tempo atrás falando que meu pai havia levado um tiro na cabeça. Mais voltei para dar noticias ja que o blog tanto me ajudou…

    Infelizmente meu pai veio a falecer e desde então tem sido tudo muito complicado para minha cabeça, não consigo aceitar.

    Mais gostaria de agradecer a todos que me deram apoio e tantos conselhos,pessoas enviadas por Deus ❤
    continuem sempre com esse blog maravilhoso.
    Que Deus abençoe a vida de vocês, Grande beijo.

    • BEATRIZ MINHA QUERIDA……

      Que notícia triste!!!!!!!!!! Seu Pai tão novo, 34 anos apenas… Vcs são de Betim/MG, eu me lembro da história dele….
      Sinto muitíssimo!!!!!! Nessas horas não tem muito o que dizer, pois parece que nada que alguém diga ajuda muito, né? Mas pense que Deus “faz” o melhor e é difícil entendermos as razões, mas devemos buscar aceitar para seguirmos em frente com nossa vida! Perder quem amamos sempre é muuuuuuuuito difícil, eu “sei na pele” como é… Seu Pai estará no seu coração e no seu pensamento mais presente que nunca!

      Que Deus te dê força nesses momentos tão difíceis…
      Obrigada por vir até aqui nos escrever, mesmo diante de tanta dor…
      Fique com Deus!
      Um grande bjo no seu coração e no de sua família!
      Fernanda

  137. Há 2 anos atrás meu marido teve a forte dor de cabeça e foi para o pronto socorro. Lá o medicaram e pediram uma ressonância cerebral. Foi aí que descobrimos um aneurisma a tempo. Em 15 dias fez a cirurgia (q era urgência ) e graças a Deus não teve nenhuma sequela física ou cognitiva. Porém teve uma forte alteração de personalidade, com a qual convivemos e sofremos até hoje.
    A princípio ficou ansioso, irritado, impulsivo, sem papa na língua e sem bom senso. Até bebida alcoólica voltou a consumir depois de 7 anos sem beber.
    Esses sintomas melhoraram 80%…mas agora ele mente e omite demais. Tem atitudes e comportamentos desonestos, fora dos padrões sociáveis e de convivência.
    Parece não ter medo, não se importar e principalmente não achar errado burlar algumas regras. No fundo parece acreditar não estar errando.
    Por causa disso, meteu os pés pelas mãos numa sociedade empresarial, perdeu tudo e ainda foi acusado de ladrão pelos sócios.
    Sou casada com ele há 22 anos e posso afirmar categoricamente que ele NUNCA foi assim. É muito triste ver uma pessoa ser criticada e julgada por atitudes que nunca teve, mas q do dia pra noite passou a ser fato e ninguém acreditar ser uma doença ou desvio de comportamento. E qndo vc tenta explicar, ainda ouve q não isso é só pra justificar. É normal essa alteração? Socorro. ..

    • JULIANA QUERIDA…

      Que situação difícil a que vc está vivendo, hein? Calma que as coisas podem melhorar muito…
      Primeiro quero saber de onde vcs são e se na sua cidade tem neuropsicólogo. Esta mudança de comportamento e de personalidade que seu marido tem apresentado pode sim ser em decorrência da lesão cerebral, do aneurisma e cirurgia, pois o cérebro pode ter sido “machucado” em áreas responsáveis pelo nosso comportamento, senso, entre outros…

      As sequelas que podem surgir com relação a comportamentos, memória, linguagem, e todas as funções cognitivas podem ser avaliadas melhor após cerca de 6 meses após a lesão ou cirurgia; isso porque inicialmente o paciente pode passar por várias fases complicadas como confusão mental, raiva, agressividade, depressão e esses sintomas podem melhorar bastante nos 6 primeiros meses.
      No caso do seu marido, acho que seria muito importante ele fazer uma avaliação e ser acompanhado por um neuropsicólogo. Aqui no Blog mesmo tem uma aba acima chamada de “Visão profissional”. Nela vc poderá encontrar várias informações que poderão te ajudar a entender muitas coisas e vc poderá entender melhor o trabalho de um neuropsicólogo. Clique aqui e leia, se possível….
      Você também precisa ser orientada para saber de como lidar com isso tudo e poder ajudá-lo. A família faz parte de todo tratamento neuropsicológico tb.

      Um pouco acima do seu depoimento aqui no Blog, eu acabei de colocar um vídeo, assita-o também.
      Quantos anos tem seu marido? Que cidade vcs moram?

      Vamos mantendo contato.
      Aguardo sua resposta!
      Grande bjo
      Fernanda

    • Moramos em Goiânia-GO.
      E sim, aqui tem Neuropsicólogo.
      Meu marido tem 44 anos. Operou há 2 anos atrás.
      Vou assistir o video.
      Muito obrigada

      • JÚ…

        Ele já fez alguma avaliação neuropsicológica? Tente achar um neuropsicólogo aí em Goiânia, pois poderá ajudar vcs nesse sentido.
        Seu marido é novo e 2 anos é pouco tempo, acredito que ele ainda melhorará bem! Acredite tb nisso!!!! Enquanto há estimulação, sempre há melhora, mesmo que seja mais lenta após os 2 anos.. Lembre-se disso!

        Bjo e precisando de algo que eu possa ajudar, me escreva!

        Vai mandando notícias do seu marido… Boa sorte com os profissionais!
        Fiquem com Deus.
        Fernanda

  138. Caros muito prazer,sou o Valmir amigo do Paciente André que se acidentou com sua moto no dia 10/04/2016.Conforme as informações que me passa sua Mãe Cidinha,os Médicos disseram que sofreu uma lesão ( LAD ) Gostaria muito que alguém nos ajudassem com algumas palavras ,dicas,ou até mesmo Profissionais desta área para que entendemos melhor como lhe dar com esse problema.
    Pois o André alem de ser um grande amigo de todos da nossa Equipe de corridas todos os consideram como um irmão.

    • OI VALMIR….

      Que bonito da sua parte buscar ajuda para um amigo que está precisando…

      Vou tentar te explicar um pouco de uma maneira bem geral, já que vc não passou muita informação do André, tá? Depois que vc explicar melhor o que aconteceu com ele, posso te ajudar melhor….
      Logo após a fase aguda do acidente, as sequelas motoras, se ocorrerem, já ficam visíveis, agora se vão ficar ou não para sempre, vai depender do local e extensão da lesão, entre outros vários fatores. E com muita fisioterapia sempre há uma melhora do quadro; às vezes é preciso terapias com fonoaudiólogo tb, se acontece algum comprometimento na fala, deglutição e outras dificuldades… Cada caso é um caso, né? O meu caso é o primeiro daqui e não sei se vc chegou a ler, mas eu também tive LAD e precisei de fisioterapeuta, de fonoaudiólogo, de terapeuta ocupacional, de neuropsicólogo…

      Já as sequelas que podem surgir após uma LAD com relação a comportamentos, memória, linguagem, e todas as funções cognitivas podem ser avaliadas melhor após cerca de 6 meses após a lesão porque inicialmente o paciente pode passar por várias fases complicadas como confusão mental, raiva, agressividade, depressão e esses sintomas podem melhorar bastante nos 6 primeiros meses. Por isso, deve-se esperar este tempo pra se fazer uma avaliação mais efetiva disso.

      Lesão axonal difusa (LAD) é produto de um traumatismo cranioencefálico (TCE), quando ocorre um choque, aberto (quando há abertura do crânio) ou fechado (quando não há abertura do crânio), do crânio contra alguma superfície, produzindo lesão cerebral.
      Na LAD as lesões são microscópicas e caracteriza-se por estiramento dos neurônios em decorrência dos movimentos súbitos de aceleração e desaceleração. Isso pode acontecer por uma queda, acidentes de moto e carro, etc.
      Aí o que acontece é que os neurônios que foram lesados no trauma não passam mais informação entre eles e para informação de um neurônio que não foi rompido chegar a outro neurônio tb “sadio”, tem que ser feito um outro caminho mais longo e isso causa as dificuldades e lentidões de raciocínio quem teve LAD, entende?

      A lesão do seu amigo É MUUUUUUITO RECENTE, como se fosse ontem, rs. No primeiro ano existe uma melhora até espontânea, mas claro que feita a estimulação adequada para cada caso, a perspectiva de melhora aumenta mais.

      Com quais dificuldades o André está? Onde ele mora? Quantos anos ele tem?
      Ele ainda está no hospital? Ficou em coma?

      Aguardo notícias!
      Espero ter ajudado um pouco…Se puder dar mais informações fica mais fácil eu te ajudar…

      Abraço, Fernanda

  139. Há alguns dias já que me pego muito pensativa e uma tristeza me invade…. Não é fácil, procuro espantá-la para não deixar tomar conta. O que mais me entristece é o abandono que meu irmão vem sofrendo.
    Como eu sempre digo, é nessas horas que conhecemos o melhor e também o pior lado das pessoas! Outro dia uma amiga me ofereceu dinheiro e opções de arrecadá-lo para bancar o tratamento do meu irmão. Minha resposta foi que não é de dinheiro que ele precisa, mas sim de atenção, de amor e do tempo da família e amigos. E isso o dinheiro não compra…. Mas tem que ser feito de coração, não posso obrigar ninguém a fazê-lo, mas dói.
    Meu irmão foi e é meu exemplo, meu orgulho, meu ídolo. Sempre disse e continuo dizendo isso pra ele.
    O mundo dos “perfeitos” é cruel. Dar atenção para uma pessoa que ainda não consegue falar é para poucos. Mas continuo acreditando no melhor para o meu irmão!
    Nunca vou desistir dele, nunca!!!
    Como minha sábia mãezinha sempre diz – “Tu só podes dar o que tu tens!”

    Boa saúde a todos!
    Fiquem com Deus!

    • JOELMA…

      Imagino o seu sofrimento em ver seu irmão passando por tudo isso. Quando a gente ama uma pessoa, o que é feito “contra” ela ou o que não é feito por ela, dói na gente, né?
      Mas não perca a fé em Deus nem nas pessoas. O mundo tá cheio de pessoas insensíveis e egoístas, mas acredito que tb está cheio de pessoas do bem, de bom coração e só essas últimas que ficam quando passamos por momentos difíceis que não temos “nada” pra dar em troca. Concentre nas pessoas do bem que estão em volta do seu irmão, pense só no que vcs têm…. O amor seu e do seu irmão é lindo!

      Fique bem querida! Qualquer coisa, estarei aqui!
      Beijo no seu coração
      Fernanda

      • Obrigada Fernanda!!!
        Realmente é isso que temos que fazer – nos concentrar nas pessoas do bem – você tem razão!
        Desde o acidente conheci pessoas maravilhosas e que amam meu irmão de verdade, mas a maioria está longe….
        Sei que Deus está preparando uma nova etapa em nossas vidas, uma etapa melhor!
        Meu próximo depoimento será contando uma notícia muito boa!

        Mais uma vez obrigada por existir nas nossas vidas!

        Super beijo!

  140. FERNANDA Estou vendo na TV, você fazendo outro milagre para muitos.Novamente obrigado. Pedi a Deus para te conhecer um dia, Ele é tão maravilhoso que enquanto lhe escrevia, surgiu você, abençoada e linda. Vi teus primeiros passos e a transformação que lhe trouxe nesta missão. Abraços,

    • OI RUBENS….

      Vc sempre me emociona com suas palavras…… Obrigada pelo carinho. Que bom que assistiu o programa!!!!
      Sou movida pelo amor e pela gratidão de tanta ajuda que recebi nos momentos mais difíceis da minha vida.. Retribuir isso é o mínimo que devo fazer. O Blog hj faz parte da minha vida assim como todos vcs que aqui escrevem!!!!!!

      Torço muito por vcs e o que precisarem de mim, podem contar pq ajudarei no que for possível…

      Abraços
      Fernanda

      • Abençoada! Quando relatei ter lhe visto na Tv, foi obra de Deus mesmo, pois não sabia dele e nunca, confesso, nunca vejo aquele programa anunciado. Ao mudar de canal chamou-me a atenção o tema e ali parei, Graças a Deus vi, conheci o Anjo que me acolheu. Agradeço a DEUS e ao teu exemplo, para seguir na luta. Obrigado Deus, obrigado Fernanda. Deus conosco, todos.

  141. Olá gente! Boa noite!
    Há um tempo vim aqui relatar sobre meu pai, de 68 anos que sofreu um TCE leve. Ele não ficou muitos dias na UTI, porém passei 15 dias no hospital com ele. O acidente foi dia 28/12/2015 e ele saiu dia 10/01/2016.
    Hoje graças a Deus ele está bem, teve uma diminuição no ritmo de vida pois ele era muito ativo. Sinto que ele também não se sente muito bem com algumas situações e das vezes fica meio deprimido… Eu faço o que posso para ele ficar melhor.
    Queria muito dizer pra todos vocês acreditarem em Deus, ter fé de que tudo vai ficar bem! Pois nada na vida é por acaso. Eu e meu pai sempre fomos um pouco distantes mesmo morando juntos, tivemos muitos problemas… Mas hoje posso dizer que esse acidente só nos fez aproximar e melhorou nossa relação. Ainda estamos na luta firme e forte pra que ele se reestabeleça e aceite algumas limitações até por conta da idade, mas fora isso ele está muito bem!
    Muita luz para todos vocês e nunca desistam, nem tudo podemos compreender mas um dia a gente olha para trás e vê que aconteceu exatamente o que tinha que ter acontecido, com tudo isso vem uma lição.
    Um grande abraço forte em todos que estão em situação difícil e de dor nesse momento!

    • OLÁ LÍVIA!!!!!!!!!

      Que notícias boas do seu Pai! Fico muito feliz em saber que ele está bem!
      Diminuir o ritmo de vida, muitas vezes, faz até bem, né?
      Muito legal vc voltar aqui pra nos contar como ele evoluiu e ainda dar força para todos que estão passando pela mesma situação… Muito obrigada!
      Realmente aceitar as novas limitações nunca é fácil mesmo, a aceitação não é de uma hora pra outra, mas com o tempo as coisas melhoram..

      Qualquer dúvida que tiver ou se tiver algo que eu possa ajudar, estarei aqui, tá?

      Um grande bjo pra vc e para seu Pai.
      Fernanda

  142. Olá boa noite pessoal do grupo. Um boa noite especial a Fernanda e a Bruna que acompanha a minha história e a do meu namorado desde do início. Hoje faz exatamente 1 ano que meu namorado retirou um nódulo do cérebro, muitas coisas aconteceram neste 1 ano. Hoje graças a Deus eles está muito bem, mas MUITO bem mesmo. Uma coisa que aprendi aqui é que a recuperação é lenta, mas realmente ela existe, e é incrível. Hoje ele faz de tudo, recuperou 90% dos movimentos do lado direito, e está muito bem. As vezes ainda ele tem alguns momentos de tristeza, pensando que nunca vai voltar a fazer as coisas dele. A única coisa que ele ainda não conseguiu foi voltar a andar sozinho, ele ainda continua fazendo fisioterapia, uma vez ao dia, todos os dias de semana, ele já anda de andador muito bem, porém para andar sozinho ele ainda não tem equilíbrio. Queria perguntar para vocês Bruna e Fernanda, para voltar a andar sozinho é demorado? E ele vai conseguir voltar a andar? É uma questão de tempo mesmo? Por que ele anda tão bem com o andador. Uma outra preocupação dele é voltar a dirigir, ele sempre amou dirigir e tem muita vontade de voltar a andar, isso é possível? Ele já faz muita coisa sozinho, vai para cama dele sozinho, abre a janela do quarto, e muita outras coisas a mais. A fala dele voltou 100% ficamos muito felizes. Enfim quero dizer obrigado a este 1 ano que acompanho esse blog e que tantas pessoas me deram a mão, e palavras que me ajudaram muito, especialmente vocês, FERNANDA E BRUNA. Ah Fernanda, eu te mandei um vídeo no seu email, do meu namorado fazendo fisio e andando na barra, já faz algum tempo, de uma olhada quando tiver tempo. Mais uma vez obrigado a todos vocês. E tenham fé, acreditem que a recuperação existe! Um enorme beijo, fiquem com Deus.

    • PAULO HENRIQUE!!!!!!!!

      Gente, que transmissão de pensamento ontem, hein Paulo?
      Enquanto o Paulo me escrevia aqui no Blog, exatamente ao mesmo tempo, eu escrevia pra ele no e-mail dele pra falar do vídeo que ele me mandou e dizer que atrasei para respondê-lo porque fui atrás de uma profissional da área (fisioterapeuta especializada na parte neurológica), para eu poder dizer algo com mais embasamento sobre o vídeo, já que sou fono e não entendo muito desta área de fisioterapia….

      Eu e vc já conversamos ontem e já te falei do vídeo… e te disse tb que vc e seu namorado não podem desistir nunca dele voltar a andar normal. O processo é lento mesmo. Vc me perguntou se é demorado mesmo pra voltar a andar, e eu te digo que andar literalmente sozinho, sem apoio nenhum, é o último passo da fisioterapia porque só quem ficou sem andar (como eu tb fiquei) sabe o quanto é difícil “carregar” o peso do nosso próprio corpo… Mas Paulo, quanto tempo cada pessoa leva neste processo é muito variável, cada caso é realmente um! Não dá pra afirmar quanto tempo exatamente ele vai levar, entende?
      Tudo depende do tipo, local e extensão da lesão, além de vários outros fatores que só os médicos e os exames podem dizer melhor. Isso não significa tb que os médicos sempre estarão certos. No meu caso, como em vários outros aqui do Blog, me disseram que eu iria no máximo arrastar a perna esquerda e hj eu ando e corro normalmente! Por isso, não desistam NUNCA!!!!! Tenham paciência, determinação, fé…. Vc mesmo disse isso aqui, né? E a história do seu namorado já prova muita coisa, pois ele já melhorou muito neste primeiro ano e pode ter certeza que vai melhorar muito mais! A melhora existe sempre!

      Quanto à voltar a dirigir, tb é muito difícil afirmar isso. Acredito que sim! Eu sempre acredito no SIM!!!!!!!!!!
      Conheço pessoas que voltaram a dirigir sem restrições, pessoas que não voltaram por um motivo ou outro e pessoas que voltaram com eu. Isso tudo será consequência das sequelas que ele pode ficar com ralação até mesmo à atenção dele, ou coordenação motora, ou emocional, de ficar inseguro, etc. Depende muito.
      Eu voltei a dirigir como te disse no e-mail, acho que depois de quase 1 ano! No
      começo foi com muita dificuldade, só acompanhada do meu pai ou mãe, depois só em lugares próximos de casa e hj já dirijo com bem mais segurança. Eu tb sempre amei dirigir! Não dirijo mais na estrada, mas é pq não tenho atenção suficiente, não consigo manter atenção por muito tempo, sabe? E por isso tb, não dirijo mais em cidades grandes onde tem muito trânsito.
      Espero muito que seu namorado volte a dirigir, vou torcer por isso já que ele quer tanto, né?
      Mas calma, tudo é muito recente. 1 ano é pouquíssimo tempo! Sei que parece que não, mas eu tenho 9 anos de lesão e hj sei que 1 ano não é nada. Como melhorei depois deste meu 1 ano!!!!!!!!!!!! Nossa, muito!!!!!!!!!

      Vamos nos falando sempre!!!!!!!!
      Obrigada por sempre voltar e nos dar notícias de como seu namorado está evoluindo. Obrigada mesmo!

      Forte abraço,
      Fernanda

      • Olá Fernanda, tudo bem minha amiga? Desculpa a demora para te responder, mas como te disse sou gerente de uma loja no shopping e agora mês das mês é uma correria. Mas enfim, eu acabei de ver seu depoimento e estou emocionado, muito emocionado mesmo. Assisti junto com meu namorado e ele ficou muito feliz em ver sua história de de superação de vida. Você é um exemplo para nós e para muitos. Jamais vou me esquecer da ajuda que você e os demais aqui do blog me deram desde do ano passado. Então, temos muita fé que logo ele irá voltar a andar sim, logo vou te mandar um vídeo do meu namorado andando de andador como lhe falei. Graças a Deus ele está andando muito bem, não vejo sequelas na caminhada dele. E como você disse vai haver muito melhora ainda! Acredito e tenho muita fé! E sobre dirigir, acredito que logo ele também vai, ela ama muito dirigir e sente muita falta de dirigir, então estamos todos torcendo para que isso aconteça também! Enfim, Fer muito obrigado pelos e-mails, e pela suas ajudas e conselhos! Como sempre digo você é um anjo! Logo mais lhe enviou o vídeo! Fica com Deus! Um beijo! Ahh eu e meu namorado te achamos uma mulher LINDA! Bjs

      • OH PAULO HENRIQUE…..

        Rsrs, muito obrigada pelas palavras de carinho…
        E tudo vai dar certo, viu?!!!!! Muitas melhoras virão e com ela muitas alegrias!!!!!!!!!!!!

        Bjo
        Fernanda

    • Paulo fico muito feliz com o que disse! que ótimo que ele melhorou, e que você percebeu como a demora demora mas ocorre!
      Obrigada pelos elogios.. como digo p a Fer se fiquei aqui algum objetivo teve.. quem sabe nao é esse? de ajudar quem passa pelo mesmo q passei?
      Olha o desequilíbrio é normal como a falta de coordenação,. mas creio que somente a fisio e o medico poderão responde-lo com exatidão pois vendo exames sabem exatamente área afetada e grau da lesão.. quanto a dirigir vou contar meu caso.. sempre amei dirigir… viajava p varias cidades, pois o meu trabalho era em Campinas e tinha que visitar muitas empresas da região.. hoje após meu acidente dirijo somente na cidade, pois nosso raciocínio fica lento devido a lesão, se ele sofreu LAD, que não me lembro, o raciocínio fica ainda mais lento.. reflexos ficam lentos.. e dirijo na minha cidade que é pequena pois o transito é mais tranquilo, mas a noite enfrento dificuldades, de calcular distancia que outros carros estão de mim.. então dirijo somente de dia, pista tentei uma vez, e enfrentei dificuldades, então decidi que pista não pego mais.. ainda bem que meu namorado dirige na estrada rs
      Realmente fico muito feliz que o ajudamos.. adoro saber que sou útil, não uma inútil como cheguei a pensar algumas vezes
      um beijo para vocês!!

  143. Eu tenho 27 anos, sofri um acidente e fiquei 22 dias na uti e 7 no quarto, tive traumatimo craniano e estou macando o braço perdeu as forças tudo isso no lado direito, e afetou a minha fala tbm, mas tive um evolucão grande desde que cheguei em casa, mas gostaria de saber se vou voltar a ficar 100%??? tenho neuro em breve, mas gostaria de saber de vcs se recuperarao bem e se ficarao 100%?.

    • QUERIDA JÚ!

      Quando foi seu acidente? Quando vc foi pra casa? De onde vc é?
      Quanta pergunta, né? Estou te perguntando pq assim talvez eu possa te ajudar melhor…

      Primeiro preciso saber do que vc se refere à 100%…. Não sei se vc leu meu depoimento, é o primeiro daqui. Em muitas coisas, eu melhorei 100% como voltar a andar, a correr, mas em várias outras coisas não voltei a 100%, até pq 100% nas dificuldades que fiquei com relação à atenção, memória, impulsividade, alterações rápidas de humor, etc., não tem como eu voltar a 100%. Tem como melhorar muito, aprender a lidar melhor e assim melhorar bastante a qualidade de vida, mas ficar como era antes, isso não tem como… Eu já entendi e aceitei bem isso e tenho uma vida boa e sou feliz com a nova Fernanda, sabe?
      Dependendo do tipo, local e extensão da lesão cada pessoa pode ter sequelas que podem ser diferentes das sequelas de uma outra pessoa, entende?

      O que posso te falar é que vc é muito jovem e pelo que vc escreveu, imagino que seu acidente seja recente, não?
      No primeiro ano existe uma melhora até espontânea, mas claro que feita a estimulação adequada para cada caso, a perspectiva de melhora aumenta mais. A recuperação de uma lesão cerebral é lenta e exige paciência, determinação, luta… Nos primeiros 2 anos, ela é mais nítida, mais “rápida”, mas ela acontecerá sempre! Não podemos desistir nunca!!!!!!!!

      Vc está fazendo fono para melhorar sua fala? Está fazendo fisio pra melhorar a questão de movimentação do seu lado direito? Eu fiz muita fisioterapia par me recuperar, muita mesmo. Eu saí do hospital sem movimentar nada do meu braço e perna esquerdas. Meu braço não tem muita força e nem faz todos os movimentos, mas faço tudo que é preciso com ele, ele se recuperou bem! E como te disse, ando e corro normalmente!

      Me conte mais da sua história, se vc puder…
      Quais são as suas maiores dificuldades após o seu acidente?

      Grande bjo e bem vinda ao Blog!
      Fernanda

      • Rsrs, verdade neh, vou contar como foi o meu acidente:

        Sou de Embu das Artes.No dia 29/12/2015 sofri um acidente, não sei exatamente o que aconteceu, não lembro de nada o que aconteceu naquele dia, mas segundo relatos, estava indo trabalhar, estava garoando, parece que tinha óleo na pista, desgovernei em uma descida e invadi a mão inversa, sendo atingida por outro carro que subia, meu carro deu perca total, fraturei 5 costelas e tive traumatismo craniano, utilizei dreno enquanto estive na UTI, foi Deus na minha vida, o policial que me atendeu me deu 1 hora de vida. Fiquei 22 dias em coma induzido no HGIS em Itapecerica da Serra, (o acidente também foi na região) e mais 7 dias no quarto, fiquei com sequelas em minha parte direita do corpo, eu mal andava e agora graças a Deus consigo andar, mas ainda manco um pouco, antes eu não conseguia levantar a minha mão, hj já consigo, levanto e faço vários movimentos, mas não tenho muita força, e minha fala também ficou afetada, parece que falo mole, como se estivesse com preguiça ou meio bêbada, rsrs, faço fisioterapia uma vez por semana, fiquei meio atordoada, agora nem tanto, mas de vez em quando me sinto meio confusa. Gostaria de saber de vcs em quanto tempo voltaram a andar a falar a ter os movimentos normais? Apesar que vi a reportagem no canal da Rede Tv sobre você e a Bruna, e vcs fazem tudo isso q falei normalmente, isso me empolgou bastante.
        E é isso… agora conhecendo um pouco da minha historia, vocês acham que voltarei com todos os meus movimentos e a falar normalmente?
        Obrigada de coração e parabéns por este blog, onde podemos dividir nossas experiências!
        Bjos tchau

      • OI JÚ!!!!!

        Que legal que assistiu a reportagem na REDE TV… Eu mantenho este Blog justamente pra mostrar para as pessoas que a melhora existe sim… Nosso cérebro é incrível e com muita estimulação, paciência e perseverança, muitas melhoras realmente acontecem e não se deve desistir nunca!!!!!!

        Jú, o seu caso lembra muito o meu. Eu tb fraturei as costelas, só que 11 costelas (6 a mais que vc), fiquei em coma, cerca de 1 mês no hospital, na época era só 2 anos mais velha que vc, fiquei no início sem andar e tb não movimentava um lado, só que o meu foi o esquerdo. Eu não tive comprometimento na fala, apesar de no início não conseguir falar nada devido a traqueostomia. Enfim, vc é muito jovem e como já te falei, seu acidente é MUITO RECENTE! Acredito sim que vc vai melhorar bastante, mas não tem como eu afirmar as coisas que vão acontecer. Tudo depende de várias questões como sua lesão, a extensão, local, entre vários outros fatores…. Eu, por exemplo, saí do hospital e os médicos disseram que eu iria mancar, no máximo arrastar a perna esquerda e hj ando e corro normalmente! Meu cérebro recuperou esta função, entende? Tem muitas coisas difíceis de explicar com exatidão e por isso nunca devemos perder a fé e esperança!

        Eu te aconselho a procurar um fonoaudiólogo(a) para trabalhar a sua fala e te aconselho tb a fazer mais dias de fisioterapia, não sou fisioterapeuta e nem médica, mas acho 1 vez por semana pra fisioterapia muito pouco! Não significa que vc tem que pagar alguém pra fazer mais vezes, mas vc mesma, junto com sua família, podem ficar atentos nos exercícios e fazê-los depois em casa. Pergunte o fisioterapeuta seu se os exercícios estão feitos corretamente por vcs e pratique bastante. Eu voltei a andar depois de alguns meses, mas eu fazia exercícios TODOS OS DIAS, sem exceção. O fisioterapeuta nos indicava como fazer e nos finais de semana, meu pai ficava comigo me auxiliando e repetíamos os exercícios. Da mesma forma, fiz com meu braço, mas meu braço demorou muito mais tempo que minha perna, bem mais de 1 ano.

        Cada pessoa leva um tempo para se recuperar! Não existe regra com relação ao tempo, mas é preciso estimulação tb para que esta melhora aconteça mais rápido e seja mais efetiva, entende?

        Mantenha contato aqui e mande notícias!
        Espero ter ajudado…

        Grande bjo pra vc!
        Fernanda

    • olá Juliane, que bom que está se recuperando.. Tudo depende.. 100% comparando a que? Eu não movia o lado esquerdo do corpo, não falava ou escrevia direito, chamava colher de panela e vice versa, falava coisas sem nexo.. e após muita fisio e fono me recuperei 100% nesse quesito .. hoje converso e caminho normalmente, mas tudo depende da área afetada, do grau da lesão, se algum nervo foi afetado, e do esforço aplicado na sua recuperação.
      Por isso infelizmente não podemos prever, não sabemos se voltarão 100%, converse com seu médico, e independente do que ele disser se esforce, conheço alguns casos que o médico disse uma coisa e a pessoa foi lá e provou que ele estava errado, eu por exemplo disseram a meu pai q ficaria vegetando, e respirando por aparelhos para sempre.. e hoje mostro que estavam errados!
      Então persista, acredite e se esforce e tudo melhorará, não compare o que ocorre com você com o tempo de recuperação de outras pessoas, como disse cada um eh cada um e as lesões se diferem..
      lesões cerebrais demoram muito mas sempre melhoram!
      m beijo espero ter ajudado

  144. Ola Fernanda , as sequelas de traumatismo craniano sao logo depois da fase aguda ? demora quanto tempo para eventualmente surgir sequelas?

    • OLÁ MADISON!

      Logo após a fase aguda, as sequelas motoras já ficam visíveis, agora se vão ficar ou não para sempre, vai depender do local e extensão da lesão, entre outros…. E com muita fisioterapia sempre há uma melhora do quadro; às vezes é preciso terapias com fonoaudiólogo tb, se é algo relacionada à fala, deglutição e outras dificuldades… Cada caso é um caso, né? O meu caso é o primeiro daqui e não sei se vc chegou a ler, mas eu precisei de fisio, de fono, de terapeuta ocupacional, de neuropsicólogo…

      Já as sequelas que podem surgir após um TCE com relação a comportamentos, memórias, linguagem, e todas as funções cognitivas podem ser avaliadas melhor após cerca de 6 meses após a lesão porque inicialmente o paciente pode passar por várias fases complicadas como confusão mental, raiva, agressividade, depressão e esses sintomas podem melhorar bastante nos 6 primeiros meses. Por isso, deve-se esperar este tempo pra se fazer uma avaliação mais efetiva disso.
      O neuropsicólogo é o profissional quem ajuda na identificação dessas alterações e na reabilitação da memória, tomada de decisões, na estabilização do humor e no equilíbrio emocional.

      Espero ter respondido sua dúvida!
      Se eu puder te ajudar em mais alguma coisa, me escreva!
      Foi vc quem teve traumatismo craniano?
      Um abraço,
      Fernanda

      • Sim Fernanda , eu tive traumatismo craniano grave, até o momento não apresento sequela motora, o acidente foi em Janeiro , as vezes o pensamento fica meio errado mais tudo bem ^^ , pode se dizer que eu sou um milagre de Deus por não ter nenhuma sequela motora 😂 , e com esse pouco tempo minha memória já voltou, lembro de tudo, meu neuro falou que é rápido porque so tenho 19 anos e as coisas melhoram rápido para minha idade , do acidente so o que ficou foi o zumbido no ouvido esquerdo e esse pequeno problema na memória, mais graças a Deus to vivo 👐 , todos falam que eu fui um milagre de Deus 👐👐👐👐

  145. Sofri um espancamento em julo de 2015, fiquei em coma durante 24. dias, passei por traqueostomia, fisioterapia e um atendimento espetacular pelos profissionais do hospital de trauma em Campina Grande, Paraiba. Fiquei na recuperação mais 5 dias, e mais 7 em uma outra clínica psicologica, inclusive para tratar escaras adquiridas no hospital, entre pneumonia, infecção urinaria e outras ocorrencias. Hoje meu agressor esta preso, por tentativa de homicídio. Mas apesar deste relato sem função, ainda tenho pequenas sequelas, tais como formigamentos no rosto, mão e pé, todos no lado direito. Tenho tido dificuldades em locomoção, concentração, falta de paciência, receio de fazer amigos e magoando com expressões pessoas do meu convivio familiar. Tive por diagnóstico uma LAD, que nenhum neurologista me auxilia em orientação. Terei isso até o fim da vida. Só desejo essa informação. Tenho 55 anos e necessito de alguém me orintar. Deus esteja com todos.

    • OLÁ RUBENS….

      Espancamento? Que coisa absurda meu Deus!!!!!!!!!!!!!!!! Pelo menos quem fez tá preso, né? Não resolve nada o que já foi feito com vc, mas é um pouco de justiça nesse nosso Brasil

      Lesão axonal difusa (LAD) é produto de um traumatismo cranioencefálico (TCE), quando ocorre um choque, aberto (quando há abertura do crânio) ou fechado (quando não há abertura do crânio), do crânio contra alguma superfície, produzindo lesão cerebral.
      Na LAD as lesões são microscópicas e caracteriza-se por estiramento dos neurônios em decorrência dos movimentos súbitos de aceleração e desaceleração. Aí o que acontece é que os neurônios que foram lesados no trauma não passam mais informação entre eles e para informação de um neurônio que não foi rompido chegar a outro neurônio tb “sadio”, tem que ser feito um outro caminho mais longo e isso causa as dificuldades e lentidões de raciocínio que nós (eu tb tive LAD) temos, entende? A Lesão é para sempre, mas hj se sabe que existe a plasticidade neural e os neurônios podem se refazer, acho que nunca como antes, mas a situação pode melhorar sim!!!!!!
      A prática de exercícios físicos que promovem maior oxigenação no cérebro pode ajudar muito, como tb a leitura,…..enfim tudo que pode te ajudar a estimular o cérebro e não ficar totalmente parado.

      Vc ainda pode melhorar muito, sua lesão é muito recente, não tem nem 1 ano. No primeiro ano existe uma melhora até espontânea, mas claro que feita a estimulação adequada para cada caso, a perspectiva de melhora aumenta mais. A recuperação de uma lesão cerebral é lenta mesmo. Nos primeiros 2 anos, ela é mais nítida, mais “rápida”, mas ela acontecerá sempre!

      Quanto à essas mudanças de humor, estar mais impulsivo, nervoso e tendo as reações que vc disse, elas são comuns após a lesão sim! Em janeiro de 2016 agora, já fez 6 meses que vc teve a lesão, então já te aconselho a procurar um neuropsicólogo para fazer uma avaliação das sequelas comportamentais e cognitivas e de linguagem que vc está no momento e aí o neuropsicólogo poder trabalhar com vc maneiras de lidar com todas elas e assim, melhorar bastante sua qualidade de vida!
      “O neuropsicólogo é o profissional quem ajuda na identificação dessas alterações e na reabilitação da memória, tomada de decisões, na estabilização do humor e no equilíbrio emocional”.

      No meu caso, o uso de medicamentos recomendados por psiquiatra e neurologista junto com as terapias foram fundamentais na minha recuperação. Leia meu depoimento, é o primeiro daqui.

      Queria te pedir tb pra vc ler na aba acima que está escrito “Visão profissional” , lá vc vai entender mais sobre a lesão que vc teve e o trabalho de um neuropsicólogo.

      Onde vc mora? Vc sabe se na sua cidade tem este tipo de profissional???
      Vc faz fisioterapia? Eu também fiquei sem movimentar a perna esquerda no início e nada do braço esquerdo. Com muita fisioterapia, todos os dias sem exceção (eu fazia muitos exercícios), e após uns 2 anos, eu já estava andando muito bem e mexendo o braço. O movimento do meu braço é limitado, mas é o suficiente para eu fazer tudo que preciso. Meu pai, no caso, aprendia comigo como eram feitos os exercícios de fisioterapia e aí nos finais de semana fazia comigo tb. Foi um trabalho intenso com vários profissionais para minha reabilitação.

      Aguardo notícias e espero ter esclarecido um pouco,,
      Abraço
      Fernanda

      • Fernanda. Você apareceu como um anjo para mi, com tão valiosos comemtarios, sugestões e acima de tudo ESPERANÇA. Sei da pequenez do meu problema em relação a casos que li por aqui e outros sites ou blogs. DEUS me trouxe até aqui, até você me muito me ajuda, por simplesmente me responder tão carinhosamente e solidariamente, que muitos não fizeram por mim, somente você. Deus mantenha bênçãos em sua vida. Obrigado amiga. Gostaria de ser util ser util a alguém um dia. Saudações. Rubens

  146. Boa tarde a todos!!

    A operação da minha irmã irá realizar-se dia 3 de maio. Obrigada por todas as resposta de ajuda que me deram.

    Quanto à escola que falei, é um sitio onde continua a reabilitação e fazem-lhe uma formação para voltar ao trabalho. Depois, ajudam a arranjar-lhe trabalho e mesmo estando a trabalhar vao acompanhando para verem quais as dificuldades que tem.

    Continuem com fé e força, tudo se consegue!!

    Beijinhos

    • OI RITA….

      Deve ser muito interessante este trabalho da escola que vc citou!!!!!!!

      Estarei em oração pela sua irmã e até anotei a data da cirurgia dela!!!! Vai dar tudo certo!!!!!!!!

      Grande bjo pra vcs duas!!
      Fernanda

  147. MEU QUERIDOS AMIGOS DO BLOG!!!!!!!!!!!

    VENHO AQUI CONTAR UMA GRANDE NOVIDADE PRA VCS!!!!!!!!!

    FUI CONVIDADA PARA FAZER UMA ENTREVISTA PARA O PROGRAMA “DOCUMENTO VERDADE” SOBRE SUPERAÇÃO/ RENASCIMENTO, ETC.
    O PROGRAMA SERÁ APRESENTADO NO DIA 21/04, NA QUINTA-FEIRA, DIA DO FERIADO, ÀS 22:45H, NA REDE TV!

    SE QUISEREM ASSISTIR, SERÁ BEM LEGAL, TERÁ VÁRIAS HISTÓRIAS…

    DEPOIS ME FALEM O QUE ACHARAM…. A OPINIÃO DE VCS É MUITO IMPORTANTE PRA MIM!

    GRANDE BJO PARA TODOS!!!!!!!!
    FERNANDA